Departamento de Comunicação

Com pouco mais de quatro meses à frente do comando do Palmeiras, o técnico Abel Ferreira já está marcado definitivamente na história do clube. O português é, agora com os troféus da Conmebol Libertadores e da Copa do Brasil no currículo, o primeiro comandante a ganhar dois títulos em uma mesma temporada pelo time alviverde neste século – o último a realizar tal feito havia sido Luiz Felipe Scolari, em 1998, com a mesma Copa do Brasil e a Copa Mercosul. Além disso, desde a fundação do time paulista, apenas Abel e Vanderlei Luxemburgo levantaram mais de um troféu em sua temporada de estreia. Em 1993, Luxa levou logo de cara as taças do Torneio Rio-SP, do Campeonato Paulista e do Campeonato Brasileiro.

“O presidente Maurício Galiotte teve coragem de apostar em um treinador sem títulos e que estava do outro lado do mundo para trabalhar no maior clube brasileiro. Desde o primeiro dia em que trabalho neste clube, tenho a responsabilidade de trabalhar por alguém que apostou em mim. Faço isso todos os dias, trabalho com a nossa equipe para darmos o nosso melhor e deixarmos o nosso maior líder satisfeito”, disse Abel. “Essa é a minha função, tudo o que eu faço é para o melhor do Palmeiras. Seguramente, eu cometerei erros, não sou perfeito, mas pode ter certeza de que não há ninguém mais exigente comigo do que eu mesmo”, completou o comandante, que, inclusive, fez o seu primeiro jogo pelo Alviverde justamente em um confronto da Copa do Brasil, no último dia 05 de novembro, na vitória por 1 a 0 sobre o Red Bull Bragantino, no Allianz Parque, pelas oitavas de final.

Com o tetracampeonato verde e branco na Copa do Brasil, Abel Ferreira entra para o grupo seleto de treinadores que ganharam dois títulos em competições oficiais na mesma temporada em toda a história do Verdão. O atual técnico palmeirense se junta a Humberto Cabelli (1933 – Campeonato Paulista e Torneio Rio-SP) e Vanderlei Luxemburgo (1994 – Campeonato Paulista e Campeonato Brasileiro), além de Luiz Felipe Scolari.

“Há um valor que os meus pais me ensinaram, que é a gratidão. Não esqueço as minhas raízes, tenho orgulho de ser português. Mas eu não posso esquecer que o Brasil me abriu as portas para eu ganhar troféus. Jamais esquecerei isso. Eu jamais imaginei, mas, depois de tudo o que aconteceu, seria muito difícil que eu não sentisse gratidão pelo Brasil, mais ainda pelo Palmeiras, que me deu a oportunidade de colecionar os meus primeiros títulos. Ninguém apagará, ficará para sempre em meu coração”, afirmou o técnico.

Apenas três comandantes tiveram três conquistas na mesma temporada e são os recordistas em toda a história do Palmeiras. São eles: Ventura Cambon (1951 – Torneio Rio-SP, Taça Cidade de São Paulo e Mundial), Oswaldo Brandão (1972 – Torneio Laudo Natel, Campeonato Paulista e Campeonato Brasileiro) e Vanderlei Luxemburgo (1993 – Torneio Rio-SP, Campeonato Paulista e Campeonato Brasileiro). O Torneio Rio-SP, o Torneio Laudo Natel e a Taça Cidade de São Paulo são contabilizados porque não se tratavam de torneios amistosos, e sim de campeonatos regulares, que faziam parte do calendário dos clubes.

A comissão técnica portuguesa, formada ainda pelos auxiliares Vitor Castanheira, João Martins e Carlos Marinho e o observador técnico Tiago Costa, soma pelo Maior Campeão do Brasil 37 jogos, 18 vitórias, 11 empates e oito derrotas, com 56 gols marcados e 27 sofridos. Na Copa do Brasil, eles assumiram a equipe na partida de volta contra o Red Bull Bragantino, no Allianz Parque, pelas oitavas de final, e disputaram sete jogos, com cinco vitórias, dois empates e nenhuma derrota, 12 gols marcados e três sofridos.

“Temos de perceber que, se ficarmos iguais, nós pararemos. Para mim, o grande segredo do sucesso é, no momento em que você ganha, perceber o que tem de melhorar para continuar a crescer, não esperar que as coisas corram mal para trocar. A partir de agora, passamos a ser um alvo, todos vão querer ganhar da gente, todos os adversários se sentirão motivados a derrotar os campeões, e nós temos de estar preparados para enfrentar isso. Será muito difícil repetir outro ano igual a esse, mas a nossa obrigação é criar todas as condições para o que o clube continue a crescer porque só assim continuaremos nos mantendo no top. Nos últimos anos, o Palmeiras tem sido vencedor, e nós queremos continuar juntando títulos”, concluiu Abel.

1º PORTUGUÊS, 8º EUROPEU E 23º ESTRANGEIRO A COMANDAR O PALMEIRAS

Abel Ferreira é o primeiro português, o oitavo europeu e o 23º estrangeiro a assumir o comando do Maior Campeão do Brasil na história. Uma das principais revelações da atual geração de jovens técnicos da Europa, Abel jogou como lateral-direito em quatro clubes portugueses antes de iniciar a carreira de treinador na equipe sub-19 do Sporting Lisboa-POR em 2011/2012, conquistando o título nacional da categoria já em sua primeira experiência no cargo.

Subiu para o time B do Sporting na temporada 2013/2014 e foi contratado pelo Braga B em 2015. Dois anos depois, foi promovido a treinador da equipe principal do Braga e, logo na temporada de estreia na elite do Campeonato Português, em 2017/2018, levou o time à quarta posição com uma campanha recorde em pontos (75), gols (74) e vitórias (24) – tornou-se o técnico com maior percentagem de vitórias na história do clube (64%). Depois de novamente alcançar a quarta colocação com o Braga, transferiu-se ao PAOK-GRE e obteve o vice-campeonato nacional em 2019/2020, garantindo vaga para a fase eliminatória da Liga dos Campeões da Europa.

O último treinador alviverde nascido na Europa tinha sido o italiano Caetano De Domenico, que conquistou o Campeonato Paulista de 1940 e permaneceu no Palestra Italia até 1941, portanto ainda antes da mudança do nome do clube, em 1942 (o penúltimo, o húngaro Eugênio Medgyessy, também sagrou-se campeão, no estadual de 1932). Já o mais recente comandante de fora do país era o argentino Ricardo Gareca, em 2014.

O primeiro técnico estrangeiro foi o italiano Adriano Merlo, que trabalhou em um jogo da campanha do título paulista de 1920, o primeiro da história alviverde, e conduziu a equipe ao bi estadual em 1926, em parceria com Ítalo Bosetti. Ainda na época do Palestra Italia, o uruguaio Humberto Cabelli ficou marcado pela conquista do único tricampeonato paulista do clube (alcançou o título invicto em 1932, levou a taça pela segunda vez seguida em 1933 e deixou o time por um breve período em 1934, mas voltou no mesmo ano e se sagrou campeão com apenas uma derrota).

Presente no tricampeonato paulista de 1932, 1933 e 1934 como jogador, o também uruguaio Ventura Cambon se tornou o treinador estrangeiro com mais partidas disputadas pelo Verdão (é o quarto no geral com 294 jogos) e o técnico que mais vezes assumiu o comando da equipe, de maneira interina ou efetiva, independentemente da nacionalidade, em todos os tempos (15 no total). Campeão paulista em 1944 dividindo o cargo com o ídolo Bianco, Cambon teve seu melhor momento no início da década de 50, quando, já em janeiro de 1951, pegou o time na reta final de um Paulistão praticamente nas mãos do São Paulo e conseguiu levar o Palmeiras ao título estadual de 1950. Meses depois, era ele o treinador na conquista do mais importante troféu da história do clube, o Mundial Interclubes de 1951, e faturou ainda o Torneio Rio-São Paulo daquele ano.

Outro estrangeiro de sucesso foi o argentino Filpo Nuñez, grande maestro da Academia de Futebol do Palmeiras, que brilhou na campanha vitoriosa do Rio-São Paulo de 1965. Além de praticar um jogo coletivo e envolvente, o time alviverde era uma máquina ofensiva: foram 12 vitórias em 16 jogos, apenas uma derrota, e uma média de três gols por partida (49 bolas na rede), com direito a goleadas de 7 a 1 no Santos, 5 a 0 no São Paulo e 4 a 1 no Vasco e no Flamengo. Filpo ostenta até hoje o feito de ser o único técnico nascido fora do país a comandar a Seleção Brasileira, quando o Brasil foi inteiramente representado pelo Palmeiras na partida inaugural do Estádio Mineirão, também em 1965, e venceu a seleção do Uruguai por 3 a 0.

Jogos desde a chegada de Abel na Copa do Brasil 2020:
Palmeiras 1×0 Red Bull Bragantino (Oitavas de final – volta)
Palmeiras 3×0 Ceará (Quartas de final – ida)
Ceará 2×2 Palmeiras (Quartas de final – volta)
Palmeiras 1×1 América-MG (Semifinal – ida)
América-MG 0x2 Palmeiras (Semifinal – volta)
Grêmio 0x1 Palmeiras (Final – ida)
Palmeiras 2×0 Grêmio (Final – volta)

Departamento de Comunicação

Com quatro gols e duas assistências durante a competição, Raphael Veiga foi eleito o craque da Copa do Brasil (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

Único jogador do elenco a ter sido campeão disputando todas as oito partidas possíveis pela Copa do Brasil 2020, Raphael Veiga encerrou a atual edição da Copa do Brasil como artilheiro e garçom do Palmeiras, com quatro gols (isolado) e duas assistências (ao lado de Zé Rafael). Veiga estava disputando com Diego Souza (Grêmio) o prêmio individual de melhor atleta da competição, oferecido pela CBF, e ganhou!

“Eu acho que quando começa o campeonato, a gente não espera, né? Mas, depois que apareceu ali, quem quer, o dia do jogo estava concorrendo, eu acho que a gente tem uma expectativa grande, né? Mas, sempre importante, é o título. E eu costumo dizer que se em um grupo o coletivo é muito bom, equilibrado, o individual não consegue aparecer. Então fico feliz, mas eu também dedico esse prêmio a toda minha equipe”, declarou Veiga sobre o prêmio.

“Uma sensação de realização, né? Com tudo isso acontecendo e a gente conseguiu três títulos importantes, para mim, particularmente, é uma temporada (2020) muito boa para mim. Então estou muito realizado e feliz por tudo que a gente conquistou”, completou o jogador sobre a conquista de mais esta taça, falando sobre a sensação de ter um sonho realizado conquistando mais um título pelo Palmeiras.

Vale lembrar que durante a temporada 2020 o camisa 23 desembestou a fazer gol e viveu a temporada mais artilheira de sua carreira e, dentro do próprio elenco palmeirense em 2020, competiu palmo a palmo a artilharia com Willian e Luiz Adriano ao longo da temporada (detalhe: Veiga é meia, enquanto Willian e Adriano são atacantes). O ano de Raphael Veiga foi realmente espetacular; principalmente para ele próprio, que é um palmeirense incondicional declarado desde a infância.

No próprio duelo desta noite, inclusive, Veiga concedeu assistência para o gol de Wesley (primeiro da partida) e comandou o meio-campo, além de, no duelo anterior pela final, na casa gremista, ter concedido assistência para Gustavo Gómez, em cobrança de escanteio – o paraguaio completou de cabeça para o fundo das redes tricolores. Com os 25 gols que possui, ele é o terceiro artilheiro geral do atual elenco, atrás só de Luiz Adriano, com 27 de ao todo, e de Willian Bigode, com 56.

Raphael Veiga é um dos três palmeirenses a ter marcado em todas as competições regulares disputadas em 2020 – os outros são Luiz Adriano e Gustavo Gómez. Ele pontuou uma vez no Paulista, 11 no Brasileiro até aqui (sendo o artilheiro do time na competição, seguido de Luiz Adriano, com dez), duas na Libertadores e outras quatro na Copa do Brasil (que também faz dele o artilheiro do time no torneio nacional), enquanto Luiz Adriano fez três gols pelo Estadual, dez pelo Brasileirão, cinco pela Libertadores e dois na Copa do Brasil, e Gustavo Gómez fez um pelo Paulista, um pelo Brasileiro, dois pela Copa do Brasil e dois pela Libertadores.

WEVERTON GANHA PRÊMIO DE MELHOR GOLEIRO

Impecável na temporada 2020 e atleta mais assíduo (e também quem mais minutos acumulou em campo dentre os palmeirenses em 2020), Weverton não foi esquecido nas premiações da CBF pós-título: ele ficou com o posto de melhor goleiro do certame. Weverton atuou em sete partidas e sofreu quatro gols, sendo que em quatro partidas do total das que esteve em campo, passou sem ser vazado.

O goleiro Weverton e o meio-campista Raphael Veiga recebem os prêmios de melhor goleiro e melhor jogador da competição, respectivamente (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

Departamento de Comunicação

Wesley marcou o primeiro gol no jogo decisivo que deu o alívio no duelo de volta contra o Grêmio, neste domingo (07), no Allianz Parque, até Gabriel Menino selar de vez a conquista do título. Ambos são Crias da Academia e foram alçados ao time profissional na temporada 2020 e, com seus respectivos gols na final, deixam seus nomes eternizados na história do Palmeiras.

Wesley tem uma história de superação curiosa que foi coroada com este gol: ele retornou recentemente de lesão após 32 jogos fora do time (cerca de três meses). O camisa 47 havia sido titular na partida de ida da final da Copa do Brasil 2020, contra o Grêmio, fora de casa, vitória por 1 a 0 (gol de Gustavo Gómez) e (foi um dos seus primeiros jogos após seu retorno) e, apesar do tempo fora do time, o jogador ainda domina algumas estatísticas individuais da temporada 2020: ele fechou o ano referente a 2020 como o quarto colocado em dribles dentre os palmeirenses na temporada 2020, com 27 fintas, o quinto atleta do grupo que mais finalizou corretamente na temporada 2020, com 24 chutes a gol, ao lado de Gabriel Menino, e o sexto com mais assistências, com seis passes para que seus companheiros pudessem marcar, assim como Willian Bigode.

“É um desabafo mesmo, cara, é momento difícil pra mim. Infelizmente, quando a gente começou o mata-mata, eu tive a infelicidade de sofrer uma lesão e fiquei praticamente quase fora a temporada inteira. Os companheiros me ajudaram, minha família, o clube, momento difícil, mas eu tive uma semifinal quando o time se classificou. Eu acho que foi o que mais comemorou, porque eu acho que daria tempo para poder voltar, para estar participando dessa temporada ainda. Então, para terminar, fechar o ano com esse título, para mim, sei lá, é de agora estar na história, né? Acho que é um grupo único para a história do Palmeiras”, declarou o camisa 47 após o título.

Já Gabriel Menino fez o gol que confirmou de vez o título do Palmeiras da Copa do Brasil 2020, aos 39 minutos do segundo tempo (2×0). Ele é a Cria da Academia que fez mais jogos na temporada 2020 (61, contra 52 de Patrick de Paula), o oriundo da base com mais minutos em campo na temporada 2020 (4325) e fechou em primeiro no quesito dentre oriundos da base também na Libertadores (1055 minutos).

“É… A gente só tem que agradecer a Deus, né? Porque é um ano inesquecível pra gente, é um monte de moleque da base e a gente está conquistando e fazendo uma história aqui dentro do Palmeiras, né? Isso é o mais importante, deixar a nossa marca aqui, porque a gente é moleque da base. A gente vem da base subir o profissional e fizemos uma história aí e tenho certeza de que vai mudar a vida toda. Uma temporada para estar realmente para história, com a Libertadores, Campeonato Paulista e, agora, a Copa do Brasil”, declarou Menino após a conquista de mais um caneco nesta temporada.

No Brasileiro 2020, Gabriel Menino fechou a competição como o garçom da equipe, isolado, com sete passes a gol, seguido de Scarpa, com cinco. Na temporada 2020, Menino encerra sua participação como o segundo que mais proporciona chutes a gol, com 62 assistências para finalizações, atrás só de Lucas Lima, com 72 (números do Footstats, que não incluem os passes que resultaram em bola na rede) e também como o segundo palmeirense em 2020 que mais interceptou jogadas adversárias (ou seja, quando o passe, lançamento ou cruzamento rival é impedido no meio do caminho) com 30 intervenções, atrás de Viña, com 32; além disso, figurou ainda no top 5 de jogadores do Palmeiras que mais desarmam na temporada 2020, na quarta posição, com 88 roubos de bola, além de ter sido o garçom geral do time, com dez assistências em 2020.

#CRIASDAACADEMIA: TEMPORADA 2020 É A MAIOR EM UTILIZAÇÃO DE ESTREANTES DA BASE NO SÉCULO

Considerando também os atletas que já estão efetivados no plantel principal, ao todo 13 Crias da Academia estrearam pelo Palmeiras na 2020. Na ordem, foram a campo Patrick de Paula, Gabriel Menino, Wesley, Alan, Angulo (emprestado ao Botafogo), Gabriel Silva, Danilo, Renan, Aníbal, Marcelinho, Fabrício, Pedro Acácio e Vanderlan. Juntos, eles somam 220 jogos e fizeram da temporada 2020 a que o Palmeiras mais colocou jovens estreantes da base para atuar no século, superando as 103 partidas de 11 pratas da casa debutantes em 2010.

Diante do Coritiba, em outubro de 2020, pelo Campeonato Brasileiro, cinco Crias da Academia foram escaladas no time titular: Renan, Lucas Esteves, Patrick de Paula, Gabriel Menino e Gabriel Veron – isso não acontecia desde 2015. Já contra o Delfín-EQU, na partida de ida das oitavas de final da Libertadores, os 11 suplentes eram oriundos do Centro de Formação de Atletas do Verdão, feito inédito na história do clube. E no duelo com o Atlético-MG, na última rodada do Brasileirão, um recorde de 15 Crias da Academia foram convocadas.

Departamento de Comunicação

O Palmeiras conquistou o seu quarto título da Copa do Brasil, de forma invicta, assim como em 2012 (os outros foram em 1998 e 2015) após superar o Grêmio por 2 a 0, com gols de Wesley, aos sete do segundo tempo, com assistência de Raphael Veiga, e Gabriel Menino, aos 39. No duelo de ida, na Arena Grêmio, o Alviverde havia vencido por 1 a 0 com gol de Gustavo Gómez, no primeiro tempo, de cabeça, também com assistência de Raphael Veiga (cobrança de escanteio).

Clique aqui para ver a ficha técnica, estatísticas e tudo sobre o jogo!

Wesley marcou o primeiro gol do Verdão na decisão (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

O Palmeiras conquistou três títulos na temporada 2020: do Campeonato Paulista, da Libertadores e da Copa do Brasil. A última vez em que o Alviverde conquistou tal feito foi há 27 anos, em 1993, quando, na ocasião, o Maior Campeão do Brasil sagrou-se Campeão Paulista, do Rio-São Paulo e do Brasileiro.

De todas as equipes da elite do futebol brasileiro na temporada de 2020, o Verdão é o único clube que conseguiu disputar todos os jogos possíveis até aqui, pois avançou em todos os torneios dos quais participou: Florida Cup, Paulista, Copa do Brasil e Libertadores, além do próprio brasileiro, que já iria disputar as 38 partidas independentemente de seu desempenho, e da Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020, que, mesmo perdendo a semifinal contra o Tigres-MEX, ainda voltou a entrar em campo para a disputa do terceiro lugar, completando a grade de atuação nos jogos possíveis. São, ao todo, 79 partidas até aqui, com 40 vitórias, 25 empates, 14 derrotas, 121 gols marcados e 56 gols sofridos.

Este foi o quarto título do Palmeiras em sua arena, inaugurada em 2014. Neste palco, conquistou a Copa do Brasil de 2015, contra o Santos, o Brasileiro de 2016, contra a Chapecoense, e o Paulista de 2020, contra o Corinthians. E agora a Copa do Brasil 2020 sobre o Grêmio.

Pela Copa do Brasil, este foi o sexto encontro entre Grêmio e Palmeiras. Nas cinco ocasiões anteriores (1993, quartas, 1995, oitavas, 1996, semi, 2012, semi, e 2016, quartas), o Verdão obteve duas classificações (1996 e 2012) e o Grêmio outras três (1993, 1995 e 2016). Portanto, ao ter se consagrado campeão diante do time gaúcho, o Verdão deixar tudo igual no retrospecto de mata-mata por esta competição nacional.

O Palmeiras chegou à sua décima vitória seguida em duelos decisivos de mata-mata (ou seja, valendo classificação ou disputa de título) no Allianz Parque. Ao todo, o Palmeiras disputou 21 duelos decisivos em sua arena inaugurada em 2014 (já com este). O saldo é extremamente favorável: foram 17 vitórias e apenas quatro derrotas, sendo que o Maior Campeão do Brasil chegou, agora, a dez vitórias seguidas ao ter sido campeão contra o Grêmio.

Neste quesito, considera-se apenas os jogos disputados no Allianz que, de fato, valeriam a classificação (portanto, o segundo duelo de eventuais confrontos de ida e volta e também jogos únicos de caráter eliminatório).

O primeiro duelo decisivo em que o Palmeiras se deu bem em sua casa foi justamente em um jogo de Copa do Brasil, em 12/05/2015, contra o Sampaio Corrêa-MA: o Palmeiras venceu por 5 a 1 no Allianz e se classificou para a terceira fase do Nacional (fase esta que precedia as oitavas de final), edição do torneio da qual sairia como o grande campeão.

Já a vitória mais recente antes do dessa noite havia sido a classificação diante do River Plate-Argentina, pela Libertadores 2020, quando mesmo perdendo por 2 a 0, o Alviverde passou de fase em casa, pois, fora de casa, dias antes, havia goleado o River por 3 a 0 na Argentina (gols de Rony, Luiz Adriano e Viña).

Apenas pela Copa do Brasil em jogos mata-mata no Allianz Parque, o saldo é extremamente positivo para o Palmeiras: nove disputas e oito vitórias.

Gabriel Menino marcou aos 39 minutos para fechar a conta (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

CONFIRA ABAIXO A RELAÇÃO DE TODAS AS PARTIDAS DECISIVAS DISPUTADAS EM CARÁTER ELIMINATÓRIO NO ALLIANZ PARQUE:

12/05/2015 – Palmeiras 5×1 Sampaio Corrêa-MA – Copa do Brasil – 2ª Fase- Vencedor
30/09/2015 – Palmeiras 3×2 Internacional – Copa do Brasil – Quartas – Vencedor
28/10/2015 – Palmeiras 2×1 Fluminense – Copa do Brasil – Semi – Vencedor
02/12/2015 – Palmeiras 2×1 Santos – Copa do Brasil – Final – Vencedor
18/04/2016 – Palmeiras 2×0 São Bernardo – Campeonato Paulista – Quartas – Vencedor
19/10/2016 – Palmeiras 1×1 Grêmio – Copa do Brasil – Quartas – Derrotado
09/08/2017 – Palmeiras 1×0 Barcelona-EQU – Libertadores – Oitavas – Derrotado
23/05/2018 – Palmeiras 1×1 América-MG – Copa do Brasil – Oitavas – Vencedor
03/10/2018 – Palmeiras 2×0 Colo-Colo-CHI- Libertadores – Quartas – Vencedor
31/10/2018 – Palmeiras 2×2 Boca Juniors-ARG – Libertadores – Semi – Derrotado
07/04/2019 – Palmeiras 0x0 São Paulo – Campeonato Paulista – Semi – Derrotado
30/05/2019 – Palmeiras 2×0 Sampaio Corrêa-MA – Copa do Brasil – Oitavas- Vencedor30/07/2019 – Palmeiras 4×0 Godoy Cruz-ARG – Libertadores – Oitavas – Vencedor
29/07/2020 – Palmeiras 2×0 Santo André – Campeonato Paulista – Quartas – Vencedor02/08/2020 – Palmeiras 1×0 Ponte Preta – Campeonato Paulista – Semi – Vencedor
08/08/2020 – Palmeiras 1×1 Corinthians – Campeonato Paulista – Final – Vencedor
05/11/2020 – Palmeiras 1×0 Bragantino – Copa do Brasil – Oitavas – Vencedor
02/12/2020 – Palmeiras 5×0 Delfín-EQU – Libertadores – Oitavas – Vencedor
15/12/2020 – Palmeiras 3×0 Libertad-PAR – Libertadores – Quartas – Vencedor
12/01/2021 – Palmeiras 0x2 River Plate-ARG – Libertadores – Semi – Vencedor
07/03/2021 – Palmeiras 2×0 Grêmio –  Copa do Brasil – Vencedor

VERDÃO SAIU VITORIOSO EM 64 DE 85 CONFRONTOS PELA COPA DO BRASIL

Esta é a 25ª participação do Palmeiras na Copa do Brasil. A primeira foi em 1992, quando chegou às semifinais. Em 1996, alcançou as finais pela primeira vez e ficou com o vice. Em 1998, 2012 (invicto), 2015 e, agora, 2020 (invicto), sagrou-se campeão.

Ao longo das 25 participações, o Alviverde disputou um total de 85 confrontos eliminatórios ou valendo o título, alguns em jogo único e a maioria em partidas de ida e volta. Em 64 ocasiões, obteve a classificação (ou levantou a taça), ficando pelo caminho (ou com a medalha de prata) 21 vezes.

Especificamente em finais de Copa do Brasil, o Verdão já participou cinco vezes já considerando a atual (1996, 1998, 2012, 2015 e 2020), tendo sido campeão em quatro e sendo eliminado em uma única oportunidade (1996).

No consolidado estatístico entre Palmeiras e Grêmio por Copa do Brasil (ou seja, somando resultados de ida e volta das fases decisivas), o Palmeiras leva vantagem: foram 12 jogos já com o de hoje, com quatro vitórias para o Verdão, duas para o Grêmio e seis empates, 16 gols a favor da equipe paulista e 12 tentos gremistas.

Nos aspectos individuais, Raphael Veiga foi o único jogador do elenco atual que disputou todas as oito partidas possíveis pela Copa do Brasil, tendo sido campeão sobre o Grêmio disputando todos os duelos da campanha. Encerrou a atual edição da Copa do Brasil como artilheiro e garçom do Palmeiras, com quatro gols (isolado) e duas assistências (ao lado de Zé Rafael). Veiga havia concedido assistência para Gustavo Gómez no duelo de ida pela final da Copa do Brasil contra o Grêmio, fora de casa, em cobrança de escanteio – o paraguaio completou de cabeça para o fundo das redes tricolores. Com os 25 gols que possui, ele é o terceiro artilheiro geral do atual elenco, atrás só de Luiz Adriano, com 27 de ao todo, e de Willian Bigode, com 56.

Raphael Veiga é um dos três palmeirenses a ter marcado em todas as competições regulares disputadas em 2020 – os outros são Luiz Adriano e Gustavo Gómez. Ele pontuou uma vez no Paulista, 11 no Brasileiro até aqui (sendo o artilheiro do time na competição, seguido de Luiz Adriano, com dez), duas na Libertadores e outras quatro na Copa do Brasil (que também faz dele o artilheiro do time no torneio nacional), enquanto Luiz Adriano fez três gols pelo Estadual, dez pelo Brasileirão, cinco pela Libertadores e dois na Copa do Brasil, e Gustavo Gómez fez um pelo Paulista, um pelo Brasileiro, dois pela Copa do Brasil e dois pela Libertadores.

Wesley marcou o gol decisivo que deu o alívio neste duelo de volta contra o Grêmio até Gabriel Menino selar de vez a conquista do título. Wesley tem uma história de supeção curiosa que foi coroada com este gol: ele retornou recentemente de lesão após 32 jogos fora do time (cerca de três meses). O camisa 47 havia sido titular na partida de ida da final da Copa do Brasil 2020, contra o Grêmio, fora de casa, vitória por 1 a 0 (gol de Gustavo Gómez) e (foi um dos seus primeiros jogos após seu retorno) e, apesar do tempo fora do time, o jogador ainda domina algumas estatísticas individuais da temporada 2020: lee fechou o ano referente a 2020 como o quarto colocado em dribles dentre os palmeirenses na temporada 2020, com 27 fintas, o quinto atleta do grupo que mais finalizou corretamente na temporada 2020, com 24 chutes a gol, ao lado de Gabriel Menino, e o sexto com mais assistências, com seis passes para que seus companheiros pudessem marcar, assim como Willian Bigode.

Já Gabriel Menino fez o gol que confirmou de vez o título do Palmeiras da Copa do Brasil 2020, aos 39 minutos do segundo tempo (2×0). Ele é a Cria da Academia que fez mais jogos na temporada 2020 (62, contra 51 de Patrick de Paula), o oriundo da base com mais minutos em campo na temporada 2020 (4325) e fechou em primeiro no quesito dentre oriundos da base também na Libertadores (1055 minutos). No Brasileiro 2020, fechou a competição como o garçom da equipe, isolado, com sete passes a gol, seguido de Scarpa, com cinco. Na temporada 2020, Menino encerra sua participação como o segundo que mais proporciona chutes a gol, com 62 assistências para finalizações, atrás só de Lucas Lima, com 72 (números do Footstats, que não incluem os passes que resultaram em bola na rede) e também como o segundo palmeirense em 2020 que mais interceptou jogadas adversárias (ou seja, quando o passe, lançamento ou cruzamento rival é impedido no meio do caminho) com 30 intervenções, atrás de Vinã, com 32; além disso, figurou ainda no top 5 de jogadores do Palmeiras que mais desarmam na temporada 2020, na quarta posição, com 88 roubos de bola, além de ter sido o garçom geral do time, com dez assistências em 2020.

O treinador Abel Ferreira, que conquistou o seu segundo título pelo clube em apenas 32 partidas pelo clube (já havia sido campeão da Libertadores em 30/01 pelo Verdão), de quebra, ampliouo seu ótimo retrospecto em jogos de mata-mata desde que chegou ao Verdão. Ou seja: partidas que valem título ou classificação. Foram oito vitórias em dez confrontos disputados considerando jogos eventualmente dirigidos por auxiliares: os dois únicos que não venceu foram nos jogos da Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020™️, em mata-mata contra o Tigres-MEX, que valia vaga à final, e outro duelo contra o Al Ahly, do Egito, que valia o terceiro lugar.

Já as vitórias de Abel em mata-mata começaram logo em sua estreia pelo clube palmeirense: Abel Ferreira assumiu o comando da equipe do Palmeiras justamente em um decisivo que valia classificação para as quartas de final da Copa do Brasil – portanto, enfrentou, pelas oitavas do Nacional o Red Bull Bragantino no duelo de volta após o interino Andrey Lopes (o Cebola) ter dirigido a equipe no jogo de ida. Com o triunfo por 1 a 0 no jogo de volta já com Abel estreante (após ter vencido por 3 a 1 na ida, fora de casa, com Andrey Lopes, o Cebola), o Palmeiras obteve a primeira classificação na era do novo treinador, em 05/11.

Depois, vieram outros seis avanços de fase ou título (cinco com Abel e um com o auxiliar Vitor Castanheira). Em 18/11, foi a vez de eliminar o Ceará pelas quartas de final da Copa do Brasil (este, com Castanheira); os outros cinco, todos com Abel, foram em: 02/12, quando passou pelo Delfín-EQU nas oitavas de final da Libertadores; em 15/12, quando despachou o Libertad-PAR nas quartas do Continental; em 30/12, ao voltar a jogar pela Copa do Brasil, nas semifinais, e eliminar o América-MG; em 12/01, mesmo perdendo em casa, eliminou o River Plate-ARG nas semifinais da Libertadores; em 30/01 venceu o Santos na final da Libertadores, no Maracanã, em jogo único; por último, hoje, sagrou-se campeão sobre o Grêmio.

Sozinho, o técnico Abel Ferreira soma 32 jogos, 17 vitórias, sete empates e oito derrotas. Considerando toda a era Abel Ferreira (incluindo jogos comandados pelos auxiliares, nos quais, ou o treinador esteve fora por ter contraído Covid-19 ou por estar suspenso), foram 37 partidas disputadas: 18 vitórias, 11 empates e oito derrotas.

Os jogos comandados pelos auxiliares foram: Ceará 2×2 Palmeiras no Castelão, em 18/11, resultado que valeu classificação do Verdão às semifinais da Copa do Brasil, com Vitor Castanheira (na ocasião, Abel Ferreira estava suspenso e João Martins, substituto imediato de Abel, estava infectado com coronavírus); depois, em 05/12 (empate por 2 a 2 com o Santos, fora de casa, Brasileiro), em 08/12 (empate por 1 a 1 com o Libertad-PAR, fora de casa, Libertadores); em 12/12 (vitória por 3 a 0 contra o Bahia, em casa, Brasileiro), foi João Martins quem dirigiu o time, nestes três jogos seguidos, pois Abel Ferreira estava com Covid-19; e por último em 22/02, quando contra o Atlético-GO na 37ª rodada do Brasileiro, quando Abel Ferreira esteve suspenso pelo acúmulo do terceiro cartão amarelo – foi João Martins o treinador (empate por 1 a 1 em casa).

RELEMBRE A TRAJETÓRIA DO PALMEIRAS NESTA COPA DO BRASIL

Nas oitavas de final, o time palmeirense avançou de fase com 100% de aproveitamento ao superar o Red Bull Bragantino por 3 a 1 fora de casa, em 29/10 (gols de Raphael Veiga, Wesley e Luiz Adriano) e confirmar classificação ao vencer por 1 a 0 com gol de Gabriel Veron no jogo de volta, no Allianz Parque, na estreia do técnico Abel Ferreira, em 05/11.

Depois, nas quartas de final, passou pelo Ceará, com triunfo por 3 a 0 em casa, em 11/11 (gols de Gustavo Scarpa, naquele dia como lateral-esquerdo, Raphael Veiga – e Gabriel Veron) e empate por 2 a 2 fora de casa, com dois gols de Raphael Veiga – naquela ocasião, o Alviverde teve 15 desfalques de jogadores por covid e outros três por lesão (além de Abel Ferreira, que estava suspenso, e o auxiliar imediato João Martins também havia contraído Covid-19 – então, que comandou o time foi Vitor Castanheira).

Na fase semifinal, o Palmeiras empatou com o América-MG por 1 a 1 (Gustavo Gómez marcou para o Verdão). Na volta, o Alviverde Paulista superou o Coelho por 2 a 0, no Independência, com gols de Luiz Adriano e Rony.

Na fase final, superou o Grêmio fora de casa, com gol de Gustavo Gómez, de cabeça, após cobrança de escanteio de Raphael Veiga no primeiro tempo. E segurou o resultado favorável mesmo lutando contra um cenário adverso: aos 18 do segundo tempo, o zagueiro Luan foi expulso em lance envolvendo o gremista Diego Souza e, com um a menos, o Verdão sofreu pressão até o fim, mas segurou o resultado. Para suprir a ausência de um zagueiro, o técnico Abel Ferreira sacou o atacante Wesley e o meia Raphael Veiga e colocou em seus lugares, respectivamente, Alan Empereur e Gabriel Menino. No duelo de volta, o Verdão venceu por 1 a 0, com gol de Wesley, e sagrou-se campeão da Copa do Brasil pela 4ª vez e invicto pela segunda.

 

Departamento de Comunicação

A um dia da grande final da Copa do Brasil, o técnico Abel Ferreira vive os últimos preparativos para buscar o seu segundo título desde a sua chegada ao Palmeiras – o comandante fez a sua estreia no último dia 05 de novembro, justamente em um duelo pelo torneio nacional, na vitória por 1 a 0 sobre o Red Bull Bragantino, no Allianz Parque, pelas oitavas de final. Pouco mais de quatro meses depois, o português pode marcar ainda mais o seu nome na história do clube com mais um troféu pela equipe.

“Contamos com o apoio dos torcedores que estão em casa, com uma corrente de pensamento positivo, e também com a qualidade do nosso plantel. É com este grupo que contamos. Amanhã (domingo), os jogadores que entrarem em campo desde o início precisam estar focados naquilo que temos de fazer. Nestes jogos, o lado emocional está muito mais intenso. Procuraremos estar focados desde o primeiro segundo, contando com a força dos nossos torcedores e, acima de tudo, com a qualidade, a união e o espírito da equipe”, declarou o treinador, que comandará o Verdão contra o Grêmio, neste domingo (07), às 18h, na arena palestrina.

Abel, inclusive, acredita que todos os momentos vividos pelo Alviverde na temporada de 2020 podem servir como aprendizado para a finalíssima contra os gaúchos. “É preciso de muito trabalho para estar em uma decisão, e esta equipe esteve no Paulista, na Libertadores, no Mundial e agora na Copa do Brasil. Amanhã, desde o início, precisamos estar com a cabeça em paz para, quando tivermos a bola, termos tranquilidade e calma para atacar o adversário nos caminhos certos. Sabemos que do outro lado estará uma equipe com muita competência, qualidade e com um grande treinador. Por isso, será um jogo muito competitivo”, falou. “Temos a experiência de ter ganhado o Paulista, a Libertadores e ter aprendido no Mundial. Temos de utilizar toda esta experiência no jogo de amanhã”, completou.

Ciente dos feitos históricos que tem alcançado com o Palmeiras, Abel Ferreira demonstrou muito empenho para seguir conquistando novos objetivos com o Maior Campeão do Brasil. “Eu disse em minha apresentação que eu não vinha para passar férias, isso foi muito claro. Tudo que eu tenho e o que sou, eu devo à minha família, aos meus pais e à minha esposa, mas muito ao futebol. A minha responsabilidade e o meu compromisso é dar o meu melhor”, concluiu o português.

Confira abaixo a entrevista completa de Abel Ferreira antes da final contra o Grêmio:

Departamento de Comunicação

Com a final da Copa do Brasil contra o Grêmio agendada para o próximo domingo (07), o Palmeiras foi a campo no clássico desta noite contra o Corinthians, na Neo Química Arena (empate por 2 a 2), com time alterativo e abriu espaço para que Crias da Academia pudessem aparecer. Como consequência, o técnico Abel Ferreira promoveu a estreia de três jogadores que atuaram profissionalmente pela primeira vez: o lateral-direito Gustavo Garcia, o meio-campista Fabinho e o atacante Giovani. Todos eles entraram no segundo tempo. Além disso, o duelo marcou a reestreia de dois velhos conhecidos da torcida do Palmeiras: o lateral-esquerdo Victor Luis, que estava emprestado ao Botafogo-RJ, e o atacante Rafael Elias.

O primeiro dos jovens estreantes a entrar em campo foi Gustavo Garcia, de 19 anos. Campeão do mundo com a Seleção Brasileira Sub-17 em 2019, o lateral-direito é mais um dos nomes da geração vencedora pelo Palmeiras nascida em 2002. Assim como outros companheiros de clube nessa faixa etária, Garcia é multicampeão pela base e, além da Copa do Mundo, também fez parte direta das conquistas do bicampeonato mundial de clubes Sub-17 (2018 e 2019), dos Paulistas Sub-15 (2017) e Sub-17 (2018), da Copa do Brasil Sub-17 (2019) e da Supercopa Sub-17 (2019), além de outros títulos internacionais. Na temporada passada, pelo Sub-20, foram 21 jogos e um gol marcado.

“Primeiramente, quero agradecer a Deus, aos meus familiares e a quem sempre esteve comigo. Acho que não só o meu sonho, mas como o deles também. A gente se sente realizado por uma parte. Claro que Deus tem muito para mostrar para a gente ainda. Mas, eu, com 19 anos, estou muito feliz. Senti muito frio na barriga… Acho que é normal em um jogador jovem (risos). Estrear em um Derby. Em um jogo como é Corinthians e Palmeiras e sua grandeza. E eu só tenho a agradecer a Deus por esse momento e a todos os profissionais do Palmeiras por acreditar nesse trabalho”, disse ao Site Oficial o jovem lateral, que entrou no lugar de Willian aos 24 do segundo tempo.

Já o segundo estreante foi Fabinho, de 18 anos, que entrou no lugar de Gabriel Menino, aos 35. Um dos nomes da talentosa geração de atletas nascidos em 2002 do Alviverde, o volante foi relacionado pela primeira vez para um jogo do time profissional. No Verdão desde 2015, Fabinho acumula diversas conquistas pelo clube, como o bicampeonato mundial de clubes Sub-17 (2018 e 2019), os Paulistas Sub-15 (2017), Sub-17 (2018) e Sub-20 (2020), a Copa do Brasil Sub-17 (2019) e a Supercopa Sub-17 (2019), além de outros títulos internacionais. Na temporada 2020, pelo Sub-20, foram oito jogos, sendo seis como titular.

“Muito feliz por essa oportunidade, por essa estreia. Só agradecer a Deus, aos meus familiares e a todos os meus amigos que estiveram do meu lado este tempo todo. É a realização de um sonho. Eu passei por momentos muitos difíceis nestes últimos dois anos. Tive lesões e perdi meu pai, que sempre foi o meu maior incentivador. Mas tenho certeza que ele está muito orgulhoso pela minha estreia. Pelo maior sonho dele que sempre foi. Cheguei no Palmeiras com 13 anos e, hoje, com 18, estou fazendo a minha estreia. Um grande clube. Ainda mais estrear em um clássico, que é melhor ainda, mais grandioso. Então fico muito feliz e honrado de estar vestindo essa camisa, de estar tendo essa oportunidade. Preciso agradecer a todas as pessoas que me ajudaram e trabalharam comigo pra eu chegar nesse objetivo. Se Deus quiser, é só o começo de um sonho, e vamos por mais!”, declarou o jogador ao Site Oficial, emocionado.

O último estreante da noite foi o atacante Giovani, que entrou aos 40 minutos do segundo tempo na vaga de Gustavo Scarpa. Ele foi o atleta mais jovem entre os inscritos pelo Palmeiras no título da Libertadores de 2020. O atacante de 17 anos e três meses também foi relacionado pela primeira vez para um jogo do time profissional.

Artilheiro geral da base do Verdão em 2020 com 14 gols em 13 jogos pelo Sub-17, Giovani é visto como um dos grandes talentos da geração 2004 e já soma mais de 100 gols pelo clube desde sua chegada ao Sub-11, em 2015. Ele, inclusive, já atuou em partidas pelo time Sub-20 (foram quatro em 2020).

“Estou muito feliz pela estreia. É um sonho de criança sendo realizado. Não tenho explicações para dizer o que estou sentido agora. Infelizmente a gente não conseguiu sair com a vitória, mas a nossa equipe fez uma ótima partida. Falando da estreia novamente, estou muito feliz, ainda mais por ser um grande clássico, poder entrar em campo e ajudar a equipe de alguma maneira. Isso me faz muito feliz já! Espero ter mais oportunidades para conseguir mostrar o meu futebol e ajudar a equipe de alguma forma”, declarou o atacante de 17 anos em entrevista exclusiva ao Site Oficial.

DERBY TAMBÉM MARCA REESTREIA DE VELHOS CONHECIDOS

Rafael Elias, assim como Victor Luis, reestrearam com a camisa do Maior Campeão do Brasil.

Revelado na base do clube, Rafael Elias subiu no ano de 2018 (à época conhecido como Papagaio) e havia feito oito partidas. Nesta noite, após empréstimo ao Atlético-MG, onde teve problemas com doping após tomar remédio para emagrecer, Rafael Elias entrou aos 26 minutos do segundo tempo, no lugar de Gabriel Silva, ajudando a renovar o fôlego do ataque.

“É um grande recomeço, tenho de agradecer a Deus. Um recomeço, agradeço ao Palmeiras pelo suporte que deu, ao Abel, me ajudaram nos 14 meses que fiquei parado. Voltei num Derby, não era o resultado que a gente queria, agora é focar na final da Copa do Brasil para a gente sair campeão. Tivemos nossa oportunidade, a garotada aproveitou bem, poderia ter saído com resultado positivo. Fui pai, um recomeço, espero voltar a fazer os gols da base e ajudar a equipe”, declarou o jogador na saída de campo, ao término do duelo.

Já Victor Luis tem mais de 17 anos no Palmeiras (chegou ao clube com 11 anos) e passou por todas as categorias de base possíveis. O jogador se profissionalizou em 2014 e além do Brasileiro 2018, ele também participou das conquistas da Copa do Brasil 2015 e do Campeonato Paulista de 2020. O atleta soma 114 partidas pelo Palmeiras, sendo 95 como titular, além de ter marcado três gols.

Ao todo, foram 16 oriundos da base do Verdão relacionados para a partida contra o Corinthians desta noite, sendo que, destes, 11 entraram em campo (Vinicius Silvestre, Gabriel Menino, Renan, Lucas Esteves, Danilo, Gabriel Silva, Gustavo Garcia, Victor Luis, Fabinho, Giovani e Rafael Elias) e cinco permaneceram no banco (Vanderlan, Vitinho, Ramon, Marcelinho e Henri).

ESTREANTES EM CLÁSSICO NO ATUAL ELENCO

Do atual elenco palmeirense, tiveram a oportunidade de estrear em um clássico o meio-campista Gustavo Scarpa, diante do Santos, em 04/02/2018, pelo Paulistão daquele ano (vitória por 2 a 1); o lateral-direito Mayke, contra o São Paulo, no Morumbi, em 27/05/2017 (revés por 2 a 0); o atacante Rony, diante do Santos, em 29/02/2020, pela 8ª rodada do Campeonato Paulista (empate por 0 a 0); e o atacante Gabriel Silva, que na noite de hoje marcou seu primeiro gol como atleta profissional, em 23/08/2020, contra o Santos, pelo Brasileiro (vitória por 2 a 1).

ÍDOLOS HISTÓRICOS QUE ESTREARAM EM CLÁSSICOS

Dentre os atletas de maior destaque ao longo dos 106 de história da agremiação palestrina, destacam-se 20 nomes que tiveram o mesmo privilégio repetido por Garcia, Fabinho e Giovani nesta noite: realizar sua primeira partida no profissional do Verdão em um clássico.

O primeiro dessa galeria de ídolos a estrear em um clássico foi Serafini, em 15/04/1923, com vitória do então Palestra Italia por 1 a 0 sobre o Corinthians, na Chácara da Floresta, pelo Torneio Início do Campeonato Paulista.

Depois de Serafini, vieram outros relevantes: Romeu Pellicciari, Tunga, Zezé Procópio, Lima, Echevarrieta, Valdemar Carabina, Julinho Botelho, Ademir da Guia, Djalma Dias, Dudu, Gallardo, Servílio, Tupãzinho, Rinaldo, Gildo, Nei, Rosemiro, Zinho e Arce. Todos estreantes em jogos contra um dos três principais rivais do Verdão.

Confira a relação completa de ídolos que estrearam em clássico (ordem cronológica):

Serafini – Palestra Italia 1×0 Corinthians (15/04/1923)
Romeu Pellicciari – Palestra Italia 4×0 Corinthians (24/08/1930)
Tunga – Palestra Italia 2×1 Santos (10/04/1932)
Lima – Palestra Italia 2×1 São Paulo (27/10/1938)
Echevarrieta – Palestra Italia 2×1 São Paulo (02/07/1939)
Zezé Procópio – Palestra Italia 3×2 Santos (09/05/1942)
Valdemar Carabina – Palmeiras 4×3 Santos (27/05/1954)
Julinho Botelho – Palmeiras 4×3 São Paulo (26/06/1958)
Gildo – Palmeiras 1×1 São Paulo (18/03/1961)
Ademir da Guia – Palmeiras 3×0 Corinthians (22/02/1962)
Djalma Dias – Palmeiras 1×2 São Paulo (13/02/1963)
Servílio – Palmeiras 1×2 São Paulo (13/02/1963)
Dudu – Palmeiras 1×2 Santos (11/04/1964)
Tupãzinho – Palmeiras 1×2 Santos (11/04/1964)
Rinaldo – Palmeiras 1×2 Santos (11/04/1964)
Gallardo – São Paulo 2×4 Palmeiras (09/10/1966)
Nei – Palmeiras 4×0 Santos (15/01/1972)
Rosemiro – São Paulo 0x0 Palmeiras (08/02/1976)
Zinho – Palmeiras 1×0 Santos (10/10/1992)
Arce – Palmeiras 4×2 Corinthians (24/01/1998)

Departamento de Comunicação

O Palmeiras empatou por 2 a 2 com o Corinthians, nesta quarta-feira (03), na Neo Química Arena, em duelo válido pelo Campeonato Paulista. Após o clássico, o técnico Abel Ferreira analisou o rendimento do time palestrino diante do rival alvinegro.

“Tivemos dois jogos, um até os 30 minutos, quando não teve chuva, e depois um rachão com uma equipe que se adaptou melhor neste tipo de jogo. Gostei muito dos 30 minutos, como defendemos, como dominamos o adversário e como criamos as nossas oportunidades. No fim, fica um resultado com empate, um sabor amargo. Infelizmente, se não fosse a chuva, poderíamos ter visto um bom jogo aqui”, afirmou o português, que contou com novos atletas oriundos das categorias de base no clássico contra o Corinthians: Fabinho, Giovani e Gustavo Garcia, além dos retornos de Rafael Elias e Victor Luis.

“Gostaria de deixar uma palavra para toda a formação do Palmeiras. Parabéns aos treinadores e ao diretor. Além de formar grandes jogadores, eles formam grandes homens. Parabéns pela estrutura, o futuro é esse, e já temos aqui. Temos vários jogadores, mas temos de ter calma. Tem de ser uma aposta com critério”, concluiu o comandante palmeirense.

O próximo compromisso do Palmeiras será no domingo (07), às 18h, contra o Grêmio, no Allianz Parque, pela partida de volta da final da Copa do Brasil.

Departamento de Comunicação

Ao marcar o segundo gol do Verdão no clássico diante do Corinthians na noite desta quarta-feira (03), quando o Alviverde abriu 2 a 0 (depois o Alvinegro buscou empate), o atacante Gabriel Silva fez o primeiro gol de sua carreira como jogador profissional.

O atacante foi às redes aos 24 minutos do primeiro tempo, após jogada de contra-ataque. O tento contou com assistência de Willian Bigode. o jogador de 18 anos chegou ao clube aos 13, em 2015, e tem no currículo dois títulos do mundial de clubes Sub-17 – nas duas finais, aliás, ele deixou sua marca: primeiro na vitória por 4 a 2 sobre o Real Madrid na decisão de 2018, na Espanha, e depois na vitória por 2 a 1 sobre o Leganés-ESP em 2019, também na Espanha.

Na base, Gabriel Silva faz parte de uma geração vitoriosa. Campeão paulista Sub-15, Sub-17, Sub-20 e profissional pelo Verdão, marcou 40 gols em 46 jogos atuando pelo Sub-17 e pelo Sub-20 em 2019 e se destacou também por balançar as redes em todas as finais nacionais que disputou na temporada passada: Paulista Sub-17 (vice-campeão), Copa do Brasil Sub-17 (campeão), Supercopa do Brasil Sub-17 (campeão), Paulista Sub-20 (campeão), Brasileiro Sub-20 (vice-campeão) e Supercopa do Brasil Sub-20 (vice-campeão). Em 2020, fez seis gols em sete jogos entre Brasileiro Sub-20 e Copa do Brasil Sub-20.

Ao todo, Gabriel Silva soma 19 jogos pelo Palmeiras: oito vitórias, sete empates e quatro reveses, e agora tem um gol marcado pelo Maior Campeão do Brasil.

Departamento de Comunicação

O Palmeiras foi à Neo Química Arena, em Itaquera, São Paulo (SP), para enfrentar o rival Corinthians pela 378ª vez na história (no geral da história, são 133 vitórias do Palmeiras, 115 empates e 130 triunfos corintianos). Com o empate por 2 a 2, com o Verdão saindo na frente com Lucas Lima, aos quatro minutos, e Gabriel Silva, aos 24 do primeiro tempo, e depois o Alvinegro empatando com Mateus Vital, aos 37 do primeiro tempo, e Rodrigo Varanda, aos dois do segundo tempo.

Clique aqui para ver a ficha técnica, estatísticas e tudo sobre o jogo!

Com o resultado, o Verdão chegou ao seu quinto clássico contra o Corinthians seguido sem perder: o último revés foi em 22/07/2020 e, desde então, o Palmeiras venceu duas vezes e, hoje, as equipes empataram pela terceira vez – neste período, forma nove gols para o Verdão e três para o Alvinegro.

Com o empate, foi mantida a sina de que, nos últimos 28 Derbys (já contando o desta noite), o time que marcou o primeiro gol não perdeu o grande clássico. A última virada aconteceu em 24/06/2012, quando Corinthians saiu atrás no marcador e conseguiu a vitória por 2 a 1, no Pacaembu, pelo Campeonato Brasileiro.

Destaque individual dentre os jogadores para os gols: Lucas Lima chegou ao seu 12o gol pelo Palmeiras, sendo o segundo em clássico (o outro havia sido contra o Santos no empate por 1 a 1 pelo Brasileirão de 2018). De todas as vezes que Lucas Lima marcou pelo Palmeiras, o Verdão jamais perdeu. E Gabriel Silva, atacante de 18 anos, por sua vez, fez seu primeiro gol profissional da carreira, após receber assistência de Willian – o Bigode, aliás, é o maior garçom geral do atual elenco, com 23 assistências, seguido de Lucas Lima, com 21.

E não são só os jogadores. O treinador Abel Ferreira é destaque por seguir invicto em clássicos pelo Verdão. Desde que chegou ao clube, no início de novembro de 2020, Abel Ferreira já acumula atuação contra os três rivais: primeiro contra o Corinthians, pelo Brasileirão, quando o time palmeirense goleou o rival alvinegro por 4 a 0 no dia 18 do último mês, no Allianz Parque (dois gols de Raphael Veiga e outros dois de Luiz Adriano).

O segundo clássico, ainda mais recentemente, foi contra o Santos, no último dia 30, pela final única da Libertadores no Maracanã: mais uma vitória, desta vez por 1 a 0, com gol de Breno Lopes nos acréscimos – o gol valeu o título do Continental ao Maior Campeão do Brasil.

Depois, Abel comandou o Palmeiras no clássico diante do São Paulo: o time alviverde saiu perdendo com gol do Tricolor aos 28 do segundo tempo, com Luciano, de pênalti, mas buscou o empate nos minutos finais da partida, com Rony, nos acréscimos, após receber bola pela esquerda, enfrentar Juanfran e vencer do goleiro Volpi, batendo de pé direito, de dentro da área, sem chances para o goleiro são paulino.

Hoje, tornou a enfrentar o Corinthians e, saindo na frente por 2 a 2, o Verdão cedeu empate em meio às condições adversas de fortíssima chuva.

Desta forma, Abel tem retrospecto em clássicos, ao todo, de quatro jogos: duas vitórias e dois empates.

Vale destacar que, às vésperas do Dia Internacional da Mulher (na próxima segunda-feira, 08/03), o duelo foi apitado pela árbitra Edina Alves Batista, que faz parte do quadro de árbitras da Fifa desde 2016 e, hoje, voltou a apitar em jogo da Série A do Campeonato Brasileiro: ela esteve no último Mundial Feminino (França-2019), em que comandou a semifinal entre Inglaterra e Estados Unidos e, além disso, no Derby, fez uma boa arbitragem.

No último Derby antes desse disputado entre as equipes pelo Campeonato Paulista, que aconteceu em 08/08/2020, pela final do Estadual daquele ano, o Verdão conquistou o 23º título estadual de sua história após empatar por 1 a 1 no tempo regulamentar (gol de Luiz Adriano, de cabeça) e ter sido campeão após bater o rival no pênaltis por 4 a 3, com duas defesas de Weverton e o penal decisivo tendo sido convertido por Patrick de Paula (além do camisa 5, converteram suas cobranças: Raphael Veiga, Gustavo Scarpa, Lucas Lima. Aquela foi a 11ª final de campeonato entre os rivais e o oitavo triunfo alviverde (Paulistas de 1936, 1974, 1993 e 2020, Paulista Extra de 1938, Rio-São Paulo de 1951 e 1993 e Brasileiro de 1994 – perdeu apenas os Paulistas de 1995, 1999 e 2018). Considerando taças e torneios amistosos, Palmeiras e Corinthians já disputaram 32 finais, com ampla vantagem alviverde: 23 a 9.

O jogo

O duelo começou com o Palmeiras dominando todas as ações até a metade do primeiro tempo. Logo aos 4 minutos de bola rolando, o Verdão inaugurou o marcador com o canhoto Lucas Lima, de pé direito, dentro da área: o meia recebeu assistência de Danilo. (Corinthians 0x1 Palmeiras)

Após chegar com perigo muitas vezes na área corintiana, inclusive com direto a uma bola na trave de Gustavo Scarpa, Gabriel Silva chegou segundo do Verdão aos 24 minutos, em jogada de contra-ataque, com assistência de Willian. (Corinthians 0x2 Palmeiras)

A partir dos 27 minutos, a partida perdeu toda a qualidade técnica devido à forte chuva que apertou ainda mais àquela altura, encharcando completamente o gramado. A partir daquele momento, nas trombadas e nas bolas paradas na poça, a equipe mandante passou a ter lampejos de reação na partida.

E realmente foi bom para o Corinthians, que diminuiu com Mateus Vital aos 35 minutos, após Jô disputar no alto com Luan e a bola sobrar para que o atacante alvinegro batesse na saída de Vinicius Silvestre. (Corinthians 1×2 Palmeiras)

Após o primeiro tempo terminar com muita chuva e pontos de alagamento no gramado, o time da casa chegou ao empate logo aos dois minutos do segundo tempo: foi com Rodrigo Varanda, após receber bola de Mateus Vital na esquerda (Corinthians 2×2 Palmeiras)

No segundo tempo, já não chovia tanto, mas os danos ao campo eram irreparáveis para que houvesse de fato um bom e técnico espetáculo. Após algum tempo apagado, o Verdão recuperou o bom momento na partida e até chegou a balançar as redes com Willian, mas Gustavo Scarpa, que havia concedido assistência para Willian, estava impedido.

No decorrer do duelo, sobretudo a partir dos dez minutos, o duelo se equilibrou e não houve tantas jogadas promissoras para ambos os lados. Abel Ferreira mexeu no time, trocando o atacante Willian pelo lateral Gustavo Garcia, aos 24 minutos, estreante com a camisa do Palmeiras (Gustavo Garcia esteve presente na Seleção Brasileira Sub-17 campeã mundial de 2019 e está no Palmeiras desde 2014). Aos 25, entrou Victor Luis, recentemente reintegrado ao time palmeirense (estava emprestado ao Botafogo) e saiu Lucas Lima, autor do primeiro gol.

Aos 26, entrou Rafael Elias, que também era conhecido como Papagaio, no lugar de Gabriel Silva. Rafael Elias, assim como Victor Luis, fez sua reestreia pelo Verdão – revelado na base do clube, subiu no ano de 2018 e havia feito oito partidas.

Aos 35, saiu Gabriel Menino (hoje na lateral-direita) e entrou Fabinho, meia oriundo da base que também é estreante, assim como o jovem Giovani, atacante, que entrou na vaga de Gustavo Scarpa aos 40 minutos.

Com as alterações ao longo da partida, o Verdão teve o fôlego renovado em alguns setores do campo e até voltou a dominar o jogo por certo período. Porém, até o final da peleja, as equipes não se permitiram arriscar muito e, desta forma foi até o fim. O duelo terminou mesmo empatado pela contagem de 2 a 2.

PALMEIRAS: Vinícius Silvestre; Gabriel Menino (Fabinho, 35’/2T), Luan, Renan e Lucas Esteves; Danilo, Lucas Lima (Victor Luís, 25’/2T) e Gustavo Scarpa (Giovani, 40’/2T); Breno Lopes, Gabriel Silva (Rafael Elias 24’/2T) e Willian (Gustavo Garcia, 25’/2T). Técnico: Abel Ferreira.

Cartões amarelos SEP: Fabinho e Renan (Palmeiras)

GOLS: 0-1 Lucas Lima (4’/1T); 0-2 Gabriel Silva (25’/2T); 1-2 Mateus VItal (35’/1T)); 2-2 Rodrigo Varanda (2’/2T)

Palmeiras e Veloe firmam parceria e Avanti terá 14 mensalidades grátis em pagamentos eletrônicos de pedágios

Departamento de Comunicação

O Palmeiras e a Veloe, empresa especializada em meios de pagamento automáticos de pedágios e estacionamentos, firmaram acordo que trará benefícios para os torcedores alviverdes. A partir da próxima segunda-feira (11), a torcida poderá solicitar adesivos de pagamentos automáticos personalizados com as cores e o escudo do Maior Campeão do Brasil.

Quem solicitar o adesivo do Verdão terá, durante 12 meses, isenção de mensalidade, arcando apenas com o custo dos pedágios e estacionamentos. Para quem é sócio Avanti a vantagem será ainda maior: 14 mensalidades grátis. Ao usar o serviço, o torcedor ainda ajuda o Palmeiras, já que o clube receberá um valor a cada adesivo ativado.

“O Palmeiras sempre busca oferecer produtos e parcerias de qualidade que agreguem valor ao clube e, principalmente, à vida do nosso torcedor. Entrar no mercado de cobrança automática em parceria com a Veloe trará ainda mais facilidades à torcida palestrina, especialmente para o sócio Avanti, que ganha vantagens que vão além dos descontos em ingressos”, disse o diretor executivo de marketing do Palmeiras, Roberto Trinas.

“Estamos felizes em realizar essa parceria com o Palmeiras e acreditamos que conseguiremos uma grande adesão. A torcida palestrina é apaixonada e confiamos que acontecerá uma ótima interação. O nosso intuito é facilitar o dia a dia dos torcedores e promover ainda mais a paixão do torcedor com o seu time de coração”, ressaltou Marcelo Costa, executivo responsável pela Veloe.

Para solicitar o adesivo personalizado do Palmeiras, basta entrar no site veloe.com.br/palmeiras e o produto será entregue em até 5 dias. Para ter acesso ao benefício, o sócio Avanti receberá um código enviado pelo Palmeiras para desbloquear a oferta. Há opções de pagamento pré e pós-pago, com cartão de crédito ou débito em conta, dependendo do plano. Com a aquisição do serviço, o torcedor tem a facilidade de poder pagar de forma segura, sem contato físico, todos os pedágios de rodovias brasileiras e mais de 350 estacionamentos do país.

Departamento de Comunicação

O Palmeiras venceu o Grêmio por 1 a 0, neste domingo (28), em Porto Alegre-RS, pela partida de ida da final da Copa do Brasil, e deu um passo importante rumo à conquista do torneio nacional – o segundo e decisivo duelo entre as equipes acontecerá no domingo (07), às 18h, no Allianz Parque. Após o triunfo, o técnico Abel Ferreira analisou os primeiros 90 minutos da decisão.

“Foram duas grandes equipes que se enfrentaram aqui, sabendo que são dois jogos. Estamos na primeira parte do jogo. Estamos em vantagem, mas temos de continuar em alerta, não tem nada garantido. Nós entramos muito bem no jogo, mas o Grêmio também deu a réplica, dividiu o jogo e procurou atacar com a qualidade que tem. Fizemos um jogo muito consistente. As oportunidades mais flagrantes foram nossas, faltou um pouco mais de calma para empurrar a bola para dentro do gol adversário”, afirmou.

O treinador também comentou sobre a expulsão do zagueiro Luan na segunda etapa do jogo. “São situações que acontecem no jogo. Sei que ele queria proteger a bola, e ele era mais alto. Sei como são esses lances. Infelizmente, o adversário era mais baixo, essa é a grande verdade. Mas, depois, a equipe soube compensar o jogador a menos”, disse Abel.

O próximo compromisso do Palmeiras será na quarta-feira (03), às 19h15, contra o rival Corinthians, na Neo Química Arena, pelo Campeonato Paulista.

Departamento de Comunicação

O gol de Gustavo Gómez garantiu ao Verdão a vitória por 1 a 0 fora de casa pelo jogo de ida da Final da Copa do Brasil 2020, na Arena Grêmio, na noite deste domingo (28), contra os donos da casa: o zagueiro subiu mais alto do que todos na área, na cobrança de escanteio de Raphael Veiga, no primeiro tempo e, de cabeça, abriu a contagem. De quebra, o tento do paraguaio o colocou em um seleto grupo de zagueiros-artilheiros da história do Verdão, que conta com nomes como, dentre outros, os de Luís Pereira, Vágner Bacharel, Cléber, Júnior Baiano e Roque Júnior.

“Primeiro meu trabalho é defender, jogar para não tomar gol. A gente está trabalhando todos os dias para estar melhorando e ajudando o time a fazer gols”, declarou o defensor, que entrou para a lista dos dez zagueiros que mais fizeram gols pelo clube palmeirense nos 106 anos de história da agremiação.

Agora com 14 bolas na rede pelo Verdão, Gustavo Gómez igualou Nen e Henrique na nona colocação dessa lista. Eles estão atrás só de: Júnior Baiano e Roque Júnior (empatados em 7º, com 16 gols), Daniel (6º, com 18), Bianco Gambini (5º, 20), Cléber (4º, com 21), Vágner Bacharel (3º, com 22), Loschiavo (2º, com 33) e Luís Pereira (maior zagueiro-artilheiro da história palmeirense, com 36 bolas na rede).

7º artilheiro do atual elenco, atrás só de Willian, com 56, de Luiz Adriano, com 27, Raphael Veiga, 25 de Veiga e Gustavo Scarpa, com 22, e à frente de Felipe Melo e de Zé Rafael, ambos com 12), o camisa 15 nunca passou uma temporada em branco desde que chegou ao Palmeiras: além de seis gols pela temporada 2020, marcou cinco vezes em 2019 e outras três vezes em 2018 – 2020, portanto, passa a ser a temporada mais artilheira do defensor.

Gómez, aliás, é um dos três palmeirenses a ter marcado em todas as competições regulares disputadas nas competições oficiais da temporada atual – os outros são Raphael Veiga e Luiz Adriano. Ele balançou as redes uma vez pelo Paulistauma pelo Brasileiro, duas pela Copa do Brasil e duas pela Libertadores. Raphael Veiga pontuou uma vez no Paulista, 11 no Brasileiro até aqui (sendo o artilheiro do time na competição, seguido de Luiz Adriano, com dez), duas na Libertadores e outras quatro na Copa do Brasil (que também faz dele o artilheiro do time no torneio nacional), enquanto Luiz Adriano fez três gols pelo Estadual, dez pelo Brasileirão, cinco pela Libertadores e dois na Copa do Brasil.

Confira abaixo a lista dos maiores zagueiros-artilheiros da história do Verdão:


Luís Pereira
36 gols


Loschiavo
33 gols


Vágner Bacharel
22 gols


Cléber
21 gols


Bianco Gambini
20 gols


Daniel
18 gols


Júnior Baiano
Roque Júnior
16 gols


Gustavo Gómez
Henrique
Nen
14 gols

Departamento de Comunicação

Na busca de seu quarto título da Copa do Brasil (já conquistou este nacional em 1998, 2012, invicto, e 2015), o Palmeiras foi à Arena Grêmio para enfrentar os donos da casa pelo jogo ida da final da Copa do Brasil 2020. Com gol de Gustavo Gómez, no primeiro tempo, de cabeça, após cobrança de escanteio de Raphael Veiga, o Alviverde larga na frente do Tricolor com vantagem. Vale destacar que, no segundo tempo, o Verdão jogou boa parte do certame com um jogador a menos, já que o zagueiro Luan foi expulso por cotovelada em Diego Souza (o defensor alviverde recebeu cartão vermelho aos 18 minutos da etapa final).

Clique aqui para ver a ficha técnica, estatísticas e tudo sobre o jogo!

O Maior Campeão do Brasil está invicto na atual edição. Invicto na atual edição: até aqui, foram sete jogos disputados, com cinco vitórias, dois empates, 13 gols marcados e quatro sofridos.

Este jogo foi especial para o Alviverde, pois, além da vitória, foi o centésimo duelo contra o Grêmio em toda a história. Considerando todos os confrontos entre Grêmio e Palmeiras desde 1936, quando se enfrentaram pela primeira vez, foram 42 vitórias do Palmeiras (já com a de hoje), 37 empates e 21 triunfos gremistas, sendo que o Verdão marcou 142 gols e sofreu 104 – ou seja, na história o Verdão leva ampla vantagem, com praticamente o dobro de vitórias em relação ao Tricolor Gaúcho. Só nesta década, são 25 jogos, dez vitórias palmeirenses, dez empates, cinco vitórias gremistas, com 31 gols feitos pelo Verdão e 22 marcados pelo rival.

Pela Copa do Brasil, este é o sexto encontro entre Grêmio e Palmeiras. Nas cinco ocasiões anteriores (1993, quartas, 1995, oitavas, 1996, semi, 2012, semi, e 2016, quartas), o Verdão obteve duas classificações (1996 e 2012) e o Grêmio outras três (1993, 1995 e 2016). Portanto, caso se consagre campeão diante do time gaúcho no próximo domingo (07), o Verdão irá deixar tudo igual no retrospecto de mata-mata por esta competição nacional.

No consolidado estatístico entre as equipes por Copa do Brasil (ou seja, somando resultados de ida e volta das fases decisivas), há equilíbrio, mas o Palmeiras leva ligeira vantagem: foram 11 jogos já com o de hoje, com três vitórias para o Verdão, duas para o Grêmio e seis empates, 15 gols a favor da equipe paulista e 12 tentos gremistas.

Nos aspectos individuais, destaque para Gustavo Gómez que, além do gol da vitória que deu a vantagem ao Verdão para o jogo de volta, no Allianz Parque, no próximo domingo (07), de quebra, com o gol sobre o Grêmio nesta noite, Gómez chegou a 14 bolas na rede desde que chegou ao clube e, com isso, entrou para o top 10 de zagueiros-artilheiros do Verdão em todos os tempos, igualando Nen e Henrique na 9ª posição (ambos com 14 gols). Completam o ranking Júnior Baiano e Roque Júnior (16 gols), Daniel (18), Bianco Gambini (20), Cléber (21), Vágner Bacharel (22), Loschiavo (33) e Luís Pereira (36).

O treinador Abel Ferreira também ficou mais perto de ampliar o seu ótimo retrospecto em jogos de mata-mata desde que chegou ao Verdão. Ou seja: partidas que valem título ou classificação. Foram sete vitórias em nove confrontos disputados considerando jogos eventualmente dirigidos por auxiliares: os dois únicos que não venceu foram nos jogos da Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020™️, em mata-mata contra o Tigres-MEX, que valia vaga à final, e outro duelo contra o Al Ahly, do Egito, que valia o terceiro lugar.

Já as vitórias de Abel em mata-mata começaram logo em sua estreia pelo clube palmeirense: Abel Ferreira assumiu o comando da equipe do Palmeiras justamente em um decisivo que valia classificação para as quartas de final da Copa do Brasil – portanto, enfrentou, pelas oitavas do Nacional o Red Bull Bragantino no duelo de volta após o interino Andrey Lopes (o Cebola) ter dirigido a equipe no jogo de ida. Com o triunfo por 1 a 0 no jogo de volta já com Abel estreante (após ter vencido por 3 a 1 na ida, fora de casa, com Andrey Lopes, o Cebola), o Palmeiras obteve a primeira classificação na era do novo treinador, em 05/11.

Depois, vieram outros seis avanços de fase ou título (cinco com Abel e um com o auxiliar Vitor Castanheira). Em 18/11, foi a vez de eliminar o Ceará pelas quartas de final da Copa do Brasil (este, com Castanheira); os outros cinco, todos com Abel, foram em: 02/12, quando passou pelo Delfín-EQU nas oitavas de final da Libertadores; em 15/12, quando despachou o Libertad-PAR nas quartas do Continental; em 30/12, ao voltar a jogar pela Copa do Brasil, nas semifinais, e eliminar o América-MG; em 12/01, mesmo perdendo em casa, eliminou o River Plate-ARG nas semifinais da Libertadores; e em 30/01 venceu o Santos na final da Libertadores, no Maracanã, em jogo único.

Sozinho, o técnico Abel Ferreira soma 30 jogos, 16 vitórias, seis empates e oito derrotas. Considerando toda a era Abel Ferreira (incluindo jogos comandados pelos auxiliares, nos quais, ou o treinador esteve fora por ter contraído Covid-19 ou por estar suspenso), foram 35 partidas disputadas: 17 vitórias, dez empates e oito derrotas.

Os jogos comandados pelos auxiliares foram: Ceará 2×2 Palmeiras no Castelão, em 18/11, resultado que valeu classificação do Verdão às semifinais da Copa do Brasil, com Vitor Castanheira (na ocasião, Abel Ferreira estava suspenso e João Martins, substituto imediato de Abel, estava infectado com coronavírus); depois, em 05/12 (empate por 2 a 2 com o Santos, fora de casa, Brasileiro), em 08/12 (empate por 1 a 1 com o Libertad-PAR, fora de casa, Libertadores); em 12/12 (vitória por 3 a 0 contra o Bahia, em casa, Brasileiro), foi João Martins quem dirigiu o time, nestes três jogos seguidos, pois Abel Ferreira estava com Covid-19; e por último em 22/02, quando contra o Atlético-GO na 37ª rodada do Brasileiro, quando Abel Ferreira esteve suspenso pelo acúmulo do terceiro cartão amarelo – foi João Martins o treinador (empate por 1 a 1 em casa).

RELEMBRE A TRAJETÓRIA DO PALMEIRAS NESTA COPA DO BRASIL

Nas oitavas de final, o time palmeirense avançou de fase com 100% de aproveitamento ao superar o Red Bull Bragantino por 3 a 1 fora de casa, em 29/10 (gols de Raphael Veiga, Wesley e Luiz Adriano) e confirmar classificação ao vencer por 1 a 0 com gol de Gabriel Veron no jogo de volta, no Allianz Parque, na estreia do técnico Abel Ferreira, em 05/11.

Depois, nas quartas de final, passou pelo Ceará, com triunfo por 3 a 0 em casa, em 11/11 (gols de Gustavo Scarpa, naquele dia como lateral-esquerdo, Raphael Veiga – e Gabriel Veron) e empate por 2 a 2 fora de casa, com dois gols de Raphael Veiga – naquela ocasião, o Alviverde teve 15 desfalques de jogadores por covid e outros três por lesão (além de Abel Ferreira, que estava suspenso, e o auxiliar imediato João Martins também havia contraído Covid-19 – então, que comandou o time foi Vitor Castanheira).

Na fase semifinal, o Palmeiras empatou com o América-MG por 1 a 1 (Gustavo Gómez marcou para o Verdão). Na volta, o Alviverde Paulista superou o Coelho por 2 a 0, no Independência, com gols de Luiz Adriano e Rony.

Agora, na fase final, superou o Grêmio fora de casa, com gol de Gustavo Gómez, de cabeça, após cobrança de escanteio de Raphael Veiga no primeiro tempo. E segurou o resultado favorável mesmo lutando contra um cenário adverso: aos 18 do segundo tempo, o zagueiro Luan foi expulso em lance envolvendo o gremista Diego Souza e, com um a menos, o Verdão sofreu pressão até o fim, mas segurou o resultado. Para suprir a ausência de um zagueiro, o técnico Abel Ferreira sacou o atacante Wesley e o meia Raphael Veiga e colocou em seus lugares, respectivamente, Alan Empereur e Gabriel Menino.

NÚMEROS COLETIVOS DO PALMEIRAS NA TEMPORADA 2020

>> Melhor defesa de 2020: no geral da temporada, a média de 0,72 gol sofrido por partida de campeonato (55 gols em 76 jogos, sem contar torneios amistosos) coloca o Verdão na primeira posição entre os clubes com menor índice de gols sofridos no ano, superando o Internacional, com 0,82 (56 gols em 68 jogos).

>> Terceiro time com menos derrotas na temporada 2020: excluindo amistosos e torneios amistosos e somando todas as partidas de campeonato disputadas pelos participantes da Série A na temporada atual, o Palmeiras é o quarto clube com o menor número de derrotas no ano (14), ao lado do Grêmio, atrás apenas do Atlético-MG, com 12, e do Flamengo, com 13, e possui também o menor percentual (18,3% – 14 revezes em 76 jogos – contra 18,5% do primeiro colocado Grêmio – 14 em 73).

Departamento de Comunicação

O Palmeiras perdeu por 2 a 0 para o Atlético-MG, nesta quinta-feira (25), no estádio do Mineirão, em Belo Horizonte-MG, pela última rodada do Campeonato Brasileiro – com o resultado, o Verdão encerra a sua participação no Nacional ocupando a sétima posição na tabela do torneio e com 58 pontos conquistados. O técnico Abel Ferreira analisou o duelo com os mineiros.

“Gostei da primeira etapa, mas poderíamos jogar com mais calma. Na segunda parte, o nosso adversário foi melhor por várias razões, uma delas pelo componente físico. Os jogadores, de um modo geral, tiveram um bom comportamento”, disse. “Jogamos contra um grande adversário, que andou em boa parte do ano lá em cima disputando o título. A equipe que vimos aqui é a que disputará o Paulista. Espero acabar o ano da melhor maneira, ganhando a Copa do Brasil”, completou o treinador.

O próximo compromisso do Palmeiras será no domingo (28), às 16h, contra o Grêmio, em Porto Alegre-RS, pela partida de ida da final da Copa do Brasil.

Confira abaixo a entrevista coletiva do técnico Abel Ferreira:

 

 

Departamento de Comunicação

FERNANDO PRASS

Quando tudo era incerteza, você nos estendeu as mãos e confiou na força da nossa camisa, tradição e projeto esportivo.

Quando tudo era esperança, em seus pés depositamos nossa fé para reafirmar nossa grandeza com o gol do título da Copa do Brasil, a primeira de uma nova era de conquistas na vida palmeirense.

Quando tudo é realidade, nos resta gratidão e reconhecimento pelo profissional que fez a lealdade se transformar em padrão, dentro e fora de campo.

Hoje, 25 de fevereiro de 2021, o atleta Fernando Prass pendura as luvas e se eterniza no coração da família alviverde entre os nossos grandes ídolos.

SOCIEDADE ESPORTIVA PALMEIRAS

Confira o perfil, números, notícias, fotos e vídeos de Fernando Prass na nossa Galeria de Craques!

Defesa em decisão por pênaltis contra Corinthians, na casa do rival, pela semifinal do Campeonato Paulista 2015 (Cesar Greco/Palmeiras)
Comemoração do gol do título contra Santos, no Allianz Parque, pela Copa do Brasil 2015 (Cesar Greco/Palmeiras)
Carinho do elenco palestrino após Prass garantir o título da Copa do Brasil 2015 (Cesar Greco/Palmeiras)
Pênalti defendido contra Corinthians, no Pacaembu, pelo Campeonato Paulista 2016 (Cesar Greco/Palmeiras)
Celebração do gol de Dudu minutos após defender pênalti contra Corinthians, no Pacaembu, pelo Campeonato Paulista 2016 (Cesar Greco/Palmeiras)

 

Departamento de Comunicação

No Mineirão, o Palmeiras ia empatando sem gols com o Atlético-MG fora de casa até que, aos 33 do segundo tempo, o volante atleticano Jair chegou ao gol que abriu o placar. Depois, aos 43 minutos, Eduardo Sasha fechou a contagem em 2 a 0 para o time da casa, pela 38ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Clique aqui para ver a ficha técnica, estatísticas e tudo sobre o jogo!

O Maior Campeão do Brasil, campeão paulista e da Libertadores nesta temporada, já não aspirava mais nada nesta reta final de Brasileiro e terminou com a sétima colocação, com 58 pontos. No próximo domingo (28), o Verdão disputa o primeiro jogo da final da Copa do Brasil 2020, na Arena Grêmio.

Esta foi a primeira derrota do Verdão para o time mineiro desde 2016, período desde o qual acumulou retrospecto invicto de oito duelos, sendo três triunfos (pelo primeiro turno de 2018, no Allianz Parque, por 3 a 2, pelo primeiro turno de 2019, no Mineirão, por 2 a 0, e pelo primeiro turno desta edição, vitória por 3 a 0 com gols de Raphael Veiga, Rony e Wesley) e cinco empates (pelo returno de 2019, por 1 a 1, no Allianz Parque).

Curiosamente, o Verdão levava vantagem numérica sobre o Atlético-MG no Mineirão. Antes do duelo desta noite, a história registrava 24 duelos entre as equipes, com 11 vitórias palmeirenses, três empates e dez triunfos atleticanos, 28 gols esmeraldinos e 26 do time mineiro. Agora são 11 vitórias para cada lado e três empates. Das últimas seis vezes em que os times haviam se enfrentado no Mineirão, entre 2004 e 2019, o Palmeiras estava invicto ante o Galo: venceu quatro e empatou duas, com 11 gols marcados contra cinco sofridos.

Vale ressaltar que o Verdão tem ligação história com o Mineirão, palco do jogo desta noite: foi o time que inaugurou a cancha em 1965. O time comandado pelo argentino Filpo Nuñes preteriu outros grandes esquadrões que despontavam à época no futebol brasileiro, como o Santos de Pelé e o Botafogo de Garrincha. Com organização da antiga CBD (atual CBF), o Palmeiras foi escolhido para inaugurar o Estádio Magalhães Pinto, o Mineirão, para representar a Seleção Brasileira por completo, do goleiro ao ponta-esquerda, do técnico ao massagista, inclusive os reservas, num amistoso diante da Seleção Uruguaia. Naquela oportunidade, o Palmeiras (Brasil) venceu a seleção celeste por 3 a 0.

Já o Uruguai, havia obtido a classificação para a Copa do Mundo 1966 de forma invicta e apresentava craques como Manicera e Cincunegui, que depois brilhariam em Flamengo e Atlético-MG, respectivamente. Mesmo com a incontestável vitória palmeirense, o troféu inicialmente ficou na sede da CBD (depois CBF) por exatos 23 anos, pois, de fato, tratava-se de um jogo da Seleção Brasileira. Mais tarde, em 1988, decidiu-se que o Verdão deveria honrosamente ficar com a taça, devido ao fato de haver entendimento de que era um pertencimento histórico do Maior Campeão do Brasil. Na ocasião, o Palmeiras (Brasil) foi a campo com: Valdir de Morais (Picasso); Djalma Santos, Djalma Dias, Valdemar Carabina (Procópio) e Ferrari; Dudu (Zequinha) e Ademir da Guia; Julinho (Germano), Servílio, Tupãzinho (Ademar Pantera) e Rinaldo (Dario Alegria). Os gols foram marcados por Rinaldo, Tupãzinho e Germano.

PALMEIRAS: Vinícius Silvestre; Breno Lopes, Kuscevic, Renan e Vanderlan; Zé Rafael (Danilo, intervalo), Lucas Lima; Lucas Esteves e Gustavo Scarpa; Wesley (Gabriel Veron, aos 14’ do 2ºT) e Gabriel Silva (Marcelinho, aos 24’ do 2ºT). Técnico: Abel Ferreira.

Departamento de Comunicação

Menino voltou após se recuperar de uma entorse no tornozelo direito (Cesar Greco/Palmeiras)

O Palmeiras treinou na manhã desta quinta-feira (25), na Academia de Futebol, em preparação para o jogo de ida da final da Copa do Brasil contra o Grêmio, no domingo (28), às 16h, na Arena do Grêmio. A principal novidade foi a presença do meio-campista Gabriel Menino, recuperado de uma entorse no tornozelo direito que o afastou das últimas duas rodadas.

Participaram ainda do treino os atletas preservados pelo clube da última rodada do Campeonato Brasileiro – o Verdão enfrenta o Atlético-MG, às 21h30 desta quinta-feira (25), no Mineirão – além de oito jovens da equipe Sub-20. O trabalho de mais de 1h foi comandado pelos assistentes técnicos portugueses João Martins e Vitor Castanheira.

A atividade foi dividida em duas partes. Na primeira, o grupo realizou um treino técnico em campo reduzido com toques limitados na bola e ênfase na marcação, raciocínio e quebra de linhas, entre outros aspectos. Na sequência, a equipe disputou um treino tático com duas equipes postadas no gramado e trabalhos de transições, balanços, jogadas e finalizações.

O Verdão volta a treinar na manhã desta sexta-feira (26), às 10h30, na Academia de Futebol. Maior Campeão do Brasil e atual campeão da CONMEBOL Libertadores, o Palmeiras tem três títulos da Copa do Brasil na história (1998, 2012 e 2015).

Departamento de Comunicação

Pré-jogo: Palmeiras x Atlético-MG l Campeonato Brasileiro (38ª rodada)
Data e hora: 25/02/2021 (quinta-feira) l 21h30 (horário de Brasília)
Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Transmissão: Premiere
Suspenso: Luan
Retorno de Suspensão:Abel Ferreira (treinador) e Kuscevic
Em tratamento:
 Gabriel Veron (lesão na coxa esquerda) e Luan Silva (cirurgia no joelho esquerdo)
Escalação do último jogo: (Palmeiras 1 x 1 Atlético-GO, em 22/02/2021, pelo Brasileirão): Weverton; Marcos Rocha, Luan Garcia, Gustavo Gómez e Matías Viña; Felipe Melo (Wesley, 25’/2ºT) e Patrick de Paula (Lucas Lima, 14’/2ºT); Mayke (Breno Lopes, intervalo), Raphael Veiga (Gustavo Scarpa, 14’/2ºT) e Rony; Luiz Adriano (Zé Rafael, 25’/2ºT)

Antes de disputar o primeiro jogo da final da Copa do Brasil, contra o Grêmio, na Arena Grêmio, no próximo domingo (28), às 16h, o Palmeiras vai ao Mineirão para enfrentar o Atlético-MG pela 38ª e última rodada do Campeonato Brasileiro de 2020.

Para o duelo contra o Galo, o Alviverde não poderá contar com o zagueiro Luan, suspenso, mas terá o retorno do beque chileno Kuscevic e do treinador Abel Ferreira, ambos suspensos na rodada anterior. Além disso, o duelo é importante para que atletas adquiram ritmo e ganhem minutos para poderem ajudar o time nas decisões diante do Grêmio, como é o caso, por exemplo, de Wesley, recém-recuperado de lesão (passou por cirurgia no joelho esquerdo e ficou por três meses fora do time).

De todas as equipes da elite do futebol brasileiro na temporada de 2020, o Verdão é o único clube que conseguiu disputar todos os jogos possíveis até aqui, pois avançou em todos os torneios dos quais participou: Florida Cup, Paulista, Copa do Brasil e Libertadores, além do próprio brasileiro, que já iria disputar as 38 partidas independentemente de seu desempenho, e da Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020, que, mesmo perdendo a semifinal contra o Tigres-MEX, ainda voltou a entrar em campo para a disputa do terceiro lugar, completando a grade de atuação nos jogos possíveis. São, ao todo, 76 partidas até aqui, com 38 vitórias, 25 empates, 13 derrotas, 119 gols marcados e 54 gols sofridos.

SEGUNDO CLUBE COM MAIS PONTOS NAS ÚLTIMAS TRÊS EDIÇÕES DO BRASILEIRO

O Palmeiras é a segunda equipe que mais soma pontos no Campeonato Brasileiro desde 2018, ano em que foi decacampeão. Neste período, o Verdão conquistou 212 pontos, ficando logo à frente do Internacional, com 195, e atrás somente do Flamengo, atual campeão, com 233.

Retrospecto do Palmeiras em Campeonato Brasileiro: 1443 jogos, 651 vitórias, 404 empates, 388 derrotas, 2114 gols marcados e 1545 gols sofridos
– Títulos: 10 (1960 – Taça Brasil, 1967 – Taça Brasil, 1967, 1969, 1972, 1973, 1993, 1994, 2016 e 2018). É o único decacampeão brasileiro da história.
– Vice-campeonatos: 4 (1970, 1978, 1997 e 2017)
– Participação em 2019: 3ª colocado com os mesmos 74 pontos do vice Santos, mas com uma vitória a menos (21 triunfos, 11 empates e apenas seis derrotas, sendo o segundo time que menos perdeu, o segundo melhor ataque com 61 gols e segunda melhor defesa com só 32 sofridos).
– Primeiro jogo: 09/11/1960 – Palmeiras 0x0 Fluminense – Pacaembu (São Paulo-SP)
– Último jogo: 22/02/2021 – Palmeiras 1×1 Atlético-GO – Allianz Parque (São Paulo-SP)
Na ocasião, o auxiliar técnico João Martins mandou a campo Weverton, Marcos Rocha, Mayke (Breno Lopes, Intervalo), Luan, Gustavo Gómez, Viña, Felipe Melo (Wesley, 25’/2ºT), Patrick de Paula (Lucas Lima, 14’/2ºT), Raphael Veiga (Gustavo Scarpa, 14’/2ºT), Rony, Luiz Adriano (Zé Rafael, 25’/2ºT).
– Maior série invicta: 33 jogos (entre 29/07/2018 e 13/07/2019). É a terceira maior série invicta da história da competição, atrás apenas do Santa Cruz (35 jogos invictos entre 1977 e 1978) e do Botafogo (42 jogos, também entre 1977 e 1978).
– Maior série de vitórias: oito vitórias (entre 30/09/1993 e 06/11/1993)
– Maior sequência sem sofrer gols: 10 jogos (entre 07/10/1973 e 15/11/1973)
– Adversários mais frequentes: Santos e Internacional (75 jogos)
– Maior vítima: Grêmio (33 vitórias)
– Maior goleada: 31/03/1984 – Palmeiras 7×0 CRB-AL (gols de Jorginho três vezes, Reinaldo Xavier duas vezes, Vagner Bacharel e Márcio) – Morumbi (São Paulo-SP)
– Jogador que mais jogou no Brasileiro: Emerson Leão (232)
– Jogador do atual elenco que mais jogou no Brasileiro: Willian (112)
– Jogador que mais fez gols no Brasileiro: César Maluco (61)
– Jogador do atual elenco que mais fez gols no Brasileiro: Willian (28)
– Técnico que mais dirigiu o Palmeiras no Brasileiro: Luiz Felipe Scolari (203)

MELHOR DEFESA ENTRE TODOS OS CLUBES NA TEMPORADA

No geral da temporada, a média de 0,72 gol sofrido por partida de campeonato (53 gols em 74 jogos, sem contar torneios amistosos) coloca o Verdão na primeira posição entre os clubes com menor índice de gols sofridos no ano, superando o Internacional, com 0,84 (56 gols em 67 jogos).

Considerando as partidas da Florida Cup, na pré-temporada, foram 54 gols sofridos em 76 jogos no total, média de 0,71 por partida, que coloca a atual temporada em 9º lugar no ranking dos anos com menor média de gols sofridos na história do Palmeiras, ao lado de 1974 (0,71 de média, com 56 gols sofridos em 78 jogos), atrás de 1991, com 0,69 (49 gols sofridos em 71 jogos); a temporada de 1972 é a líder no quesito, com apenas 0,54 tento cedido por partida (44 gols sofridos em 81 partidas).

O Verdão tem ainda a segunda melhor defesa da atual temporada como visitante, com média de 0,82 gol sofrido por jogo (28 em 34 partidas), atrás apenas do Grêmio, com 0,77 (27 em 35). Além disso, passou 41,1% dos jogos fora de casa sem sofrer gols (14 de 34) – é o quarto melhor índice entre todos os clubes, atrás do Grêmio, com 51,4% (18 de 35 jogos), do Ceará, com 45,7% (16 de 35 jogos), e do Internacional, com 45,4% (15 de 33 jogos).

QUARTO TIME COM MENOS DERROTAS ENTRE TODOS OS CLUBES NA TEMPORADA

Excluindo amistosos e torneios amistosos e somando todas as partidas de campeonato disputadas pelos participantes da Série A na temporada atual, o Palmeiras é o quarto clube com o menor número de derrotas no ano (13), atrás apenas de Flamengo, Atlético-MG e Grêmio (todos com 12), e possui também o segundo menor percentual (17,5% – 13 revezes em 74 jogos – contra 16,9% do primeiro colocado Grêmio – 12 em 71).

Até o tropeço diante do Botafogo, no início de outubro, o Palmeiras vinha de 20 jogos sem perder, registrando a maior invencibilidade do clube nos últimos oito anos e a terceira maior série invicta de um time a partir da estreia em uma edição de pontos corridos do Campeonato Brasileiro, com 12 partidas seguidas sem derrota, atrás apenas do Flamengo de 2011, com 15, e do Corinthians de 2017, com 19.

QUARTO MELHOR APROVEITAMENTO ENTRE TODOS OS CLUBES NA TEMPORADA

O Palmeiras possui o quarto melhor aproveitamento de pontos entre todos os clubes da elite do país nesta temporada: 60,8% (74 jogos de campeonato, 37 vitórias, 24 empates e 13 derrotas) – em primeiro lugar, aparece o Flamengo, com 70% (69 jogos, 44 vitórias, 13 empates e 12 derrotas), seguido por Atlético-MG, com 61,9% (56 jogos, 30 vitórias, 14 empates e 12 derrotas), e Internacional, com 61,6% (67 jogos, 36 vitórias, 16 empates e 15 derrotas). Como visitante, o Verdão tem o quarto melhor aproveitamento: 51,9% (34 jogos, 14 vitórias, 11 empates e nove derrotas) – antes, aparece o Flamengo, com 66,6% (34 jogos, 20 vitórias, oito empates e seis derrotas), o Ceará, com 57,1% (35 jogos, 17 vitórias, nove empates e nove derrotas), e o Grêmio, com 53,3% (35 jogos, 13 vitórias, 14 empates e oito derrotas).

NÚMEROS GERAIS NA TEMPORADA
J: 76
V: 38
E: 25
D: 13
GP: 119
GC: 54

NÚMEROS NO BRASILEIRO
J: 37
V: 15
E: 13
D: 9
GP: 51
GC: 35

NÚMERO NA LIBERTADORES
J: 13
V: 10
E: 2
D: 1
GP: 33
GC: 6

NÚMEROS NA COPA DO BRASIL
J: 6
V: 4
E: 2
D: 0
GP: 12
GC: 4

NÚMEROS NO PAULISTA

J: 16
V: 8
E: 6
D: 2
GP: 21
GC: 7

NÚMEROS NA FLORIDA CUP
J: 2
V: 1
E: 1
D: 0
GP: 2
GC: 1

NÚMEROS NO MUNDIAL DE CLUBES
J: 2
V: 0
E: 1
D: 1
GP: 0
GC: 1

PALMEIRAS NÃO PERDE PARA O ATLÉTICO-MG DESDE 2016

O último revés do Verdão para o Galo foi no primeiro turno do Brasileirão de 2016 (1 a 0 no Allianz Parque). Desde então, os times se enfrentaram oito vezes e o Palmeiras não perdeu nenhuma: foram três triunfos (pelo primeiro turno de 2018, no Allianz Parque, por 3 a 2, pelo primeiro turno de 2019, no Mineirão, por 2 a 0, e pelo primeiro turno desta edição, vitória por 3 a 0 com gols de Raphael Veiga, Rony e Wesley) e cinco empates (pelo returno de 2019, por 1 a 1, no Allianz Parque).

PALMEIRAS PODE IGUALAR RETORSPECTO DO ATLÉTICO-MG COMO VISITANTE

Mesmo jogando na casa do Galo, ou seja, computando todos os duelos entre as equipes em Minas Gerais, o Palmeiras tem apenas uma vitória a menos do que o rival da vez e, se vencer pela 38ª rodada nesta quinta-feira (25), no Minerão, irá igualar o retrospecto na própria casa do rival: são 16 vitórias do Palmeiras, 17 do Atlético-MG e 11 empates. O número de gols também é semelhante. São 50 bolas na rede do Verdão e 53 pró time da casa.

PALMEIRAS NÃO PERDE PARA ATLÉTICO-MG NO MINEIRÃO HÁ SEIS PARTIDAS, ONDE VERDÃO LEVA VANTAGEM

Das últimas seis vezes em que se enfrentaram no Mineirão, entre 2004 e 2019, o Palmeiras não perdeu nenhuma para o Atlético-MG: venceu quatro e empatou duas, com 11 gols marcados contra cinco sofridos. E dos últimos dez jogos no estádio que será anfitrião da próxima partida (desde 1997), foi uma única derrota do Verdão para o Galo: venceu outros sete duelos e empatou dois (balançou as redes adversárias 16 vezes e foi vazado em sete ocasiões neste período). No Mineirão, aliás, o Alviverde tem retrospecto superior: em 24 jogos, foram 11 vitórias palmeirenses, três empates e dez triunfos atleticanos, 28 gols esmeraldinos e 26 do time mineiro.

PALCO DO ENCONTRO ENTRE GALO E PALMEIRAS, MINEIRÃO FOI INAUGURADO PELO ALVIVERDE, QUE REPRESENTOU A SELEÇÃO

O time comandado pelo argentino Filpo Nuñes preteriu outros grandes esquadrões que despontavam à época no futebol brasileiro, como o Santos de Pelé e o Botafogo de Garrincha. Com organização da antiga CBD (atual CBF), o Palmeiras foi escolhido para inaugurar o Estádio Magalhães Pinto, o Mineirão, para representar a Seleção Brasileira por completo, do goleiro ao ponta-esquerda, do técnico ao massagista, inclusive os reservas, num amistoso diante da Seleção Uruguaia. Naquela oportunidade, o Palmeiras (Brasil) venceu a seleção celeste por 3 a 0.

Já o Uruguai, havia obtido a classificação para a Copa do Mundo 1966 de forma invicta e apresentava craques como Manicera e Cincunegui, que depois brilhariam em Flamengo e Atlético-MG, respectivamente.

Mesmo com a incontestável vitória palmeirense, o troféu inicialmente ficou na sede da CBD (depois CBF) por exatos 23 anos, pois, de fato, tratava-se de um jogo da Seleção Brasileira. Mais tarde, em 1988, decidiu-se que o Verdão deveria honrosamente ficar com a taça, devido ao fato de haver entendimento de que era um pertencimento histórico do Maior Campeão do Brasil.

Na ocasião, o Palmeiras (Brasil) foi a campo com: Valdir de Morais (Picasso); Djalma Santos, Djalma Dias, Valdemar Carabina (Procópio) e Ferrari; Dudu (Zequinha) e Ademir da Guia; Julinho (Germano), Servílio, Tupãzinho (Ademar Pantera) e Rinaldo (Dario Alegria). Os gols foram marcados por Rinaldo, Tupãzinho e Germano.

– Retrospecto geral contra o Atlético-MG: 82 jogos, 39 vitórias, 16 empates, 27 derrotas, 112 gols marcados e 93 gols sofridos
– Primeiro jogo: 27/04/1938 – Palestra Italia 2×0 Atlético-MG (gols de Barrilote, duas vezes) – Estádio Palestra Italia (São Paulo-SP) – Amistoso
– Último jogo: 02/11/2020 – Palmeiras 3×0 Atlético-MG (gol de Raphael Veiga, Rony e Wesley) – Allianz Parque (São Paulo-SP) – Campeonato Brasileir
– Maior sequência invicta do Palmeiras: oito jogos, que é a série atual (desde 2016) e outras quatro sequência de sete jogos (entre 1969 e 1974; entre 1996 e 1998; entre 2008 e 2010; e desde 2016)
– Maior série de vitórias: sete jogos, para ambos os lados (a série de triunfos do Verdão foi imposta entre 03/04/1996 e 26/08/1998)
– Jogador com mais jogos: Ademir da Guia (11)
– Jogador com mais gols: César Maluco (4)
– Técnico com mais jogos:
 Luiz Felipe Scolari (6)

– Retrospecto contra o Atlético-MG pelo Brasileiro: 60 jogos, 28 vitórias, 11 empates, 21 derrotas, 75 gols marcados e 69 gols sofridos
– Primeiro jogo: 29/03/1967 – Atlético-MG 4×2 Palmeiras (gols de César Maluco e Jair Bala) – Mineirão (Belo Horizonte-MG)
– Primeira vitória: 02/11/1969 – Atlético-MG 0×1 Palmeiras (gol de César Maluco) – Mineirão (Belo Horizonte-MG)
– Último jogo: 02/11/2020 – Palmeiras 3×0 Atlético-MG (gols de Raphael Veiga, Rony e Wesley) – Allianz Parque (São Paulo-SP)

– Retrospecto contra o Atlético-MG como visitante: 44 jogos, 16 vitórias, 11 empates, 17 derrotas, 50 gols marcados e 53 gols sofridos
– Primeiro jogo: 09/11/1945 – Atlético-MG 1×1 Palmeiras (gol de Lima) – Estádio Presidente Antônio Carlos (Belo Horizonte-MG) – Taça Belo Horizonte
– Último jogo: 12/15/2019 – Atlético-MG 0×2 Palmeiras (gol de Bruno Henrique) – Estádio Independência – Campeonato Brasileiro

– Retrospecto contra o Atlético-MG no Mineirão: 24 jogos, 11 vitórias, 3 empates, 10 derrotas, 28 gols marcados e 26 gols sofridos
– Primeiro jogo: 18/01/1967 – Atlético-MG 3×1 Palmeiras (gol deServílio) – Torneio dos Campeões-Quadrangular de MG
– Primeira vitória: 02/11/1969 – Atlético-MG 0×1 Palmeiras (gol de César Maluco) – Campeonato Brasileiro
– Último jogo: 12/15/2019 – Atlético-MG 0×2 Palmeiras (gol de Bruno Henrique) – Estádio Independência – Campeonato Brasileiro

ABEL FERREIRA: IRÁ COMANDAR O TIME CONTRA O ATLÉTICO-MG PELA PRIMEIRA VEZ; TREINADOR TEM BOM RETROSPECTO CONTRA MINEIROS

O jogo desta quinta-feira (25) pela derradeira rodada do Brasileirão 2020 será o primeiro duelo de Abel Ferreira contra o Atlético-MG, pois o último jogo contra o Galo foi comandado pelo interino Andrey Lopes, o Cebola (o Verdão venceu por 3 a 0 no Allianz Parque pelo primeiro turno desta edição do Nacional). Curiosamente, aquele foi justamente o último jogo antes do início da era Abel Ferreira no Verdão!Outro dado chama a atenção: contra times mineiros, Abel tem retrospecto invicto, poisenfrentou o América-MG duas vezes e, com empate por 1 a 1 e vitória por 2 a 0 nos jogos de ida e volta da Copa do Brasil, semifinais, obteve a classificação e conduziu o time à decisão, que será contra o Grêmio.

Sozinho, o técnico Abel Ferreira, que assumiu o time em 05/11/2020 em um jogo que valia classificação para as quartas de final da Copa do Brasil (vitória por 1 a 0 diante do RB Bragantino, com gol de Gabriel Veron), soma desde então 28 jogos, 15 vitórias, seis empates e sete derrotas. Apenas pelo Brasileirão, são 16 jogos, sete vitórias, quatro empates e cinco revezes.

Considerando toda a era Abel Ferreira (incluindo jogos comandados pelos auxiliares, nos quais, ou o treinador esteve fora por ter contraído Covid-19 ou por estar suspenso), foram 33 partidas disputadas: 16 vitórias, dez empates e sete derrotas. Os jogos comandados pelos auxiliares foram: Ceará 2×2 Palmeiras no Castelão, em 18/11, resultado que valeu classificação do Verdão às semifinais da Copa do Brasil, com Vitor Castanheira (na ocasião, Abel Ferreira estava suspenso e João Martins, substituto imediato de Abel, estava infectado com coronavírus); depois, em 05/12 (empate por 2 a 2 com o Santos, fora de casa, Brasileiro), em 08/12 (empate por 1 a 1 com o Libertad-PAR, fora de casa, Libertadores); em 12/12 (vitória por 3 a 0 contra o Bahia, em casa, Brasileiro), foi João Martins quem dirigiu o time, nestes três jogos seguidos, pois Abel Ferreira estava com Covid-19; e por último em 22/02, quando contra o Atlético-GO na 37ª rodada do Brasileiro, quando Abel Ferreira esteve suspenso pelo acúmulo do terceiro cartão amarelo – foi João Martins o treinador (empate por 1 a 1 em casa).

Abel é o primeiro português, o oitavo europeu e o 23º estrangeiro a assumir o comando do Maior Campeão do Brasil na história. O último treinador alviverde nascido na Europa tinha sido o italiano Caetano De Domenico, que conquistou o Campeonato Paulista de 1940 e permaneceu no Palestra Italia até 1941, portanto ainda antes da mudança do nome do clube, em 1942 (o penúltimo, o húngaro Eugênio Medgyessy, também sagrou-se campeão, no estadual de 1932). Já o mais recente comandante de fora do país era o argentino Ricardo Gareca, em 2014.

O primeiro técnico estrangeiro foi o italiano Adriano Merlo, que trabalhou em um jogo da campanha do título paulista de 1920, o primeiro da história alviverde, e conduziu a equipe ao bi estadual em 1926, em parceria com Ítalo Bosetti. Ainda na época do Palestra Italia, o uruguaio Humberto Cabelli ficou marcado pela conquista do único tricampeonato paulista do clube (alcançou o título invicto em 1932, levou a taça pela segunda vez seguida em 1933 e deixou o time por um breve período em 1934, mas voltou no mesmo ano e se sagrou campeão com apenas uma derrota).

Presente no tricampeonato paulista de 1932, 1933 e 1934 como jogador, o também uruguaio Ventura Cambon se tornou o treinador estrangeiro com mais partidas disputadas pelo Verdão (é o quarto no geral com 294 jogos) e o técnico que mais vezes assumiu o comando da equipe, de maneira interina ou efetiva, independentemente da nacionalidade, em todos os tempos (15 no total). Campeão paulista em 1944 dividindo o cargo com o ídolo Bianco, Cambon teve seu melhor momento no início da década de 50, quando, já em janeiro de 1951, pegou o time na reta final de um Paulistão praticamente nas mãos do São Paulo e conseguiu levar o Palmeiras ao título estadual de 1950. Meses depois, era ele o treinador na conquista do mais importante troféu da história do clube, o mundial de 1951, e faturou ainda o Torneio Rio-São Paulo daquele ano.

Outro estrangeiro de sucesso foi o argentino Filpo Nuñez, grande maestro da Academia de Futebol do Palmeiras, que brilhou na campanha vitoriosa do Rio-São Paulo de 1965. Além de praticar um jogo coletivo e envolvente, o time alviverde era uma máquina ofensiva: foram 12 vitórias em 16 jogos, apenas uma derrota, e uma média de três gols por partida (49 bolas na rede), com direito a goleadas de 7 a 1 no Santos, 5 a 0 no São Paulo e 4 a 1 no Vasco e no Flamengo. Filpo ostenta até hoje o feito de ser o único técnico nascido fora do país a comandar a Seleção Brasileira, quando o Brasil foi inteiramente representado pelo Palmeiras na partida inaugural do Estádio Mineirão, também em 1965, e venceu a seleção do Uruguai por 3 a 0.

ELENCO TEM UM BICAMPEÃO BRASILEIRO PELO VERDÃO, 11 CAMPEÕES E NOVE ESTREANTES

Do atual elenco profissional, apenas o goleiro Jailson participou dos dois títulos brasileiros do Palmeiras nesta década, em 2016 e 2018 – na primeira conquista, inclusive, ele foi decisivo ao substituir Fernando Prass na metade final e terminar a competição com 19 jogos de invencibilidade, faturando a Bola de Prata como melhor da posição no campeonato. O goleiro Vinicius – que reestreou pelo Verdão recentemente– também fez parte do grupo eneacampeão e depois jogou em outros clubes antes de retornar em 2020.

A conquista do deca, em 2018, contou com as participações de Weverton, Felipe Melo, Gustavo Gómez, Luan, Emerson Santos, Marcos Rocha, Mayke, Gustavo Scarpa, Lucas Lima e Willian, além de Jailson. Destes, Weverton e Mayke conquistaram a Bola de Prata em 2018, enquanto Gómez foi o único do atual plantel a ser premiado em 2019.

Os que passaram a figurar no elenco em 2019 e agora disputam o segundo Brasileiro seguido pelo Palmeiras são o lateral-esquerdo Lucas Esteves, os meio-campistas Zé Rafael e Raphael Veiga e os atacantes Luiz Adriano, Gabriel Veron e Luan Silva (em tratamento de uma cirurgia no joelho esquerdo, o camisa 9 ainda não jogou na competição).

Em 2020, nove jogadores profissionais disputam pela primeira vez um Campeonato Brasileiro com a camisa do Palmeiras: Matías Viña, Rony, Alan Empereur, Benjamín Kuscevic, Breno Lopes, Gabriel Menino, Patrick de Paula, Wesley e Danilo. O lateral-esquerdo Viña, os zagueiros Alan Empereur e Kuscevic e os atacante Rony e Breno Lopes chegaram ao clube nesta temporada, enquanto os meio-campistas Gabriel Menino e Patrick de Paula e o atacante Wesley, formados no Verdão, estavam na conquista do Campeonato Brasileiro Sub-20 em 2018, quando o Palmeiras se tornou o primeiro clube da história a conquistar os Brasileiros Sub-20 e Profissional na mesma temporada, e foram integrados ao time principal em janeiro deste ano. Já o volante Danilo, alçado da base neste segundo semestre, é a mais recente Cria da Academia integrante do elenco profissional e fez seu primeiro gol pela Libertadores, além de conceder uma assistência no mesmo jogo.

#CRIASDAACADEMIA: ATUAL TEMPORADA É A MAIOR EM TERMOS DE UTILIZAÇÃO DE ESTREANTES DA BASE NO SÉCULO

Além dos 27 jogadores que compõem o elenco profissional atualmente, dois jovens do Sub-20 também vêm sendo aproveitados com frequência: o zagueiro Renanque foi relacionado para 35 dos 46 jogos mais recentes e atuou em nove (sete como titular), e o atacante Gabriel Silva, relacionado para 40 dos últimos 59 jogos e presente em campo em 16.

Ao todo, considerando também os atletas que estão efetivados no plantel principal, 13 Crias da Academia estrearam pelo Palmeiras na temporada atual. Na ordem, foram a campo Patrick de Paula, Gabriel Menino, Wesley, Alan, Angulo (emprestado ao Botafogo), Gabriel Silva, Danilo, Renan, Aníbal, Marcelinho, Fabrício, Pedro Acácio e Vanderlan. Juntos, eles somam 208 jogos e fizeram da temporada atual a que o Palmeiras mais colocou jovens estreantes da base para atuar no século, superando as 103 partidas de 11 pratas da casa debutantes em 2010.

Diante do Coritiba, em outubro de 2020, pelo Campeonato Brasileiro, cinco Crias da Academia foram escaladas no time titular: Renan, Esteves, Patrick de Paula, Gabriel Menino e Gabriel Veron – isso não acontecia desde 2015. Já contra o Delfín-EQU, na partida de ida das oitavas de final da Libertadores, os 11 suplentes eram oriundos do Centro de Formação de Atletas do Verdão, feito inédito na história do clube.

Durante o mês de novembro de 2020, dez Crias da Academia foram relacionadas pela primeira vez: os goleiros Mateus e Leandro, o zagueiro Helder, o lateral-esquerdo Vanderlan, os meio-campistas Quiñonez e Juninho e os atacantes Marino, Aníbal, Pedro Acácio e Fabricio. Eles se juntaram ao meio-campista Vitinho e ao atacante Marcelinho, que já haviam sido convocados ao longo do ano, além de Renan e Gabriel Silva. Para o clássico do dia 05 de dezembro, contra o Santos, Ramon Cesar e Ramon Rocha foram acrescentados à lista, somando 16 no total.

>> GABRIEL SILVA: titular pela primeira vez no time profissional do Verdão há seis jogos, diante do Ceará, 32ª rodada do Brasileiro (depois tornou a ser titular contra o Vasco da Gama no jogo seguinte, em casa, e entrou no empate com o Botafogo por 1 a 1, em casa), o atacante de 18 anos chegou ao clube aos 13, em 2015, e tem no currículo dois títulos do mundial de clubes Sub-17 – nas duas finais, aliás, ele deixou sua marca: primeiro na vitória por 4 a 2 sobre o Real Madrid na decisão de 2018, na Espanha, e depois na vitória por 2 a 1 sobre o Leganés-ESP em 2019, também na Espanha. Campeão paulista Sub-15, Sub-17, Sub-20 e Profissional pelo Verdão, marcou 40 gols em 46 jogos atuando pelo Sub-17 e pelo Sub-20 em 2019 e se destacou também por balançar as redes em todas as finais nacionais que disputou na temporada passada: Paulista Sub-17 (vice-campeão), Copa do Brasil Sub-17 (campeão), Supercopa do Brasil Sub-17 (campeão), Paulista Sub-20 (campeão), Brasileiro Sub-20 (vice-campeão) e Supercopa do Brasil Sub-20 (vice-campeão). Neste ano, tem seis gols em sete jogos entre Brasileiro Sub-20 e Copa do Brasil Sub-20.

>> RENAN: o jovem de 18 anos conquistou importantes títulos pela base do Palmeiras e da Seleção Brasileira desde o Sub-15 – entre eles, o bicampeonato paulista sub-15 (2016 e 2017), o Campeonato Paulista Sub-17 (2018), a Copa do Brasil Sub-17 (2019), a Supercopa do Brasil Sub-17 (2019) e o bicampeonato do mundial de clubes Sub-17 (2018 e 2019), pelo Verdão, além da Copa do Mundo Sub-17 em 2019, pelo Brasil. Ele chegou ao Palmeiras em 2015, aos 13 anos de idade, começou a jogar de lateral-esquerdo no início de 2019 por decisão do técnico Artur Itiro e agradou. Ganhou a polivalência como uma de suas características.

>> HENRI: relacionado para a partida contra o Fluminense, na estreia do Brasileirão, Henri está no clube desde 2015 e foi titular e capitão da Seleção Brasileira na conquista da Copa do Mundo Sub-17 do ano passado – foi dele, portanto, a honra de levantar a taça. Capitão do Palmeiras no Sub-15 e no Sub-17, tem como principais características a liderança e a segurança. O atleta volta a ser relacionado para um jogo do profissional após recuperar-se de lesão no menisco.

No Verdão, o jogador de 19 anos, natural de Araçatuba (SP), foi bicampeão do Mundial de Clubes Sub-17 (2018 e 2019), ao lado de Gabriel Silva e Gabriel Veron, além de campeão paulista Sub-17 (2018), campeão da Copa do Brasil Sub-17 (2019), campeão da Supercopa do Brasil Sub-17 (2019) e bicampeão paulista Sub-15 (2016 e 2017), entre outros títulos.

>> RAMON CESAR: com cinco gols marcados pelo Sub-20, sendo alguns deles de falta, o volante palmeirense se consolidou entre os artilheiros da categoria em 2020 e já foi relacionado para três jogos do profissional nesta temporada (contra Grêmio, Santos e Vasco, todos pelo Brasileirão). No clube desde o Sub-15, Ramon chega ao segundo ano como atleta Sub-20 do clube e coleciona diversos títulos pela base palestrina: Copa Nike Sub-15, Paulista Sub-15, Torneio Brasil Japão Sub-15, Mundial Sub-17, Copa do Brasil Sub-17 e Supercopa Sub-17.

>> FABRICIO: o atleta chegou ao clube em 2015, participou de conquistas importantes desde a categoria Sub-15 e quase quebrou o recorde de gols de Gabriel Jesus no Campeonato Paulista Sub-17 de 2018, quando foi artilheiro com 36 gols – em 2014, o atual jogador do Manchester City-ING estabeleceu a maior marca do torneio estadual Sub-17 com 37 bolas na rede. Na temporada, o atacante de 19 anos e 1,73m marcou cinco gols pelo Sub-20 e já figurou entre os reservas do profissional seis vezes, tendo entrado em campo em três oportunidades (contra Goiás, Ceará e Vasco; todas pelo Campeonato Brasileiro).

>> MARCELINHO: após se destacar por Atlético Goianiense e Almirante Barroso-SC, o atacante chegou ao Palmeiras em 2019 para reforçar o time Sub-17 e foi peça importante na reta final das competições da categoria, contribuindo principalmente na conquista da Copa do Brasil e da Supercopa Sub-17. Promovido ao Sub-20, Marcelinho também fez parte do grupo de apoio aos treinos do elenco profissional e foi relacionado para nove jogos da equipe, tendo entrado em campo contra Ceará, pela Copa do Brasil, e Goiás, pelo Brasileirão.

>> MATEUS: tradicionalmente conhecido por revelar goleiros, o Verdão tem mais uma promessa em suas fileiras: com apenas 18 anos e 1,99m de altura, o arqueiro Mateus, também conhecido como “Mateusão”, chegou ao clube em 2016 para atuar pelo Sub-17 e coleciona passagens pela Seleção Brasileira Sub-15. O garoto tem treinado algumas vezes com o time profissional desde 2019 e já foi relacionado para seis jogos do time principal na temporada, sendo quatro no Brasileiro, um na Copa do Brasil e um na Libertadores.

>> PEDRO ACÁCIO: um dos reforços do Sub-20 para essa temporada após se destacar na Copa São Paulo de Futebol Júnior pelo Canaã, da Bahia, o atacante de 18 anos é natural de Duque de Caxias e atua pelas pontas do gramado, tendo como características a velocidade e o drible. Ele, inclusive, já esteve no banco do profissional em oito oportunidades, com atuações diante de Flamengo, Corinthians e Ceará, pelo Brasileiro.

>> PEDRO BICALHO: reforço trazido pelo Verdão no final de 2020 junto ao Cruzeiro, o atleta não pôde atuar em competições nacionais Sub-20 por ter jogado pelo clube mineiro. No entanto, o volante marcador e com bom toque de bola foi um dos principais nomes do Alviverde na conquista do tetracampeonato paulista Sub-20, feito inédito na história da competição nesta categoria. Capitão do time no título vencido contra o maior rival, na casa do adversário, Bicalho foi o responsável por levantar a taça de campeão estadual e tem treinado com o elenco principal do Palmeiras nas últimas semanas.

>> ROBINHO: integrado ao Verdão em 2020 após passagem tanto pela base quanto no time profissional do Jacuipense-BA, o atacante esteve entre os titulares da partida que sacramentou o tetracampeonato paulista Sub-20 para o Palmeiras, em dezembro. O atleta de 19 anos ganhou destaque no Sub-20 ao atuar pelas pontas do campo e tem sido presença constante nos treinos da equipe profissional do Palmeiras nesta reta final de temporada.

>> VANDERLAN: polivalente, o garoto de 18 anos pode atuar tanto como lateral-esquerdo, sua posição atual no Sub-20, quanto como zagueiro ou mesmo aberto pelo lado esquerdo da linha ofensiva – ele já desempenhou as três funções na base palmeirense e foi bastante prestigiado. Desde sua chegada ao clube para o Sub-15, em 2017, Vanderlan conquistou diversos títulos com a camisa alviverde, sendo alguns deles o Mundial de Clubes Sub-17, a Copa do Brasil Sub-17 e a Supercopa Sub-17, além de outras conquistas nacionais e internacionais. Até aqui, são nove jogos como suplente do profissional, com estreia realizada diante do Vasco, pelo Brasileiro.

Números individuais na temporada:

– Mais jogos no geral: Willian (217); Felipe Melo (179); Lucas Lima (162); Weverton (157); Marcos Rocha (142); Luan (129)
– Mais jogos na temporada atual: Willian e Weverton (68); Zé Rafael (62); Raphael Veiga (61); Gabriel Menino (59); e Gustavo Gómez (56)
– Mais jogos no Brasileiro 2020: Willian (32); Lucas Lima (31); Weverton (30)
– Mais jogos na Libertadores 2020: Weverton e Gustavo Gómez (13)
– Mais jogos na Copa do Brasil 2020: Raphael Veiga e Willian (6)

– Mais gols no geral: Willian (56); Luiz Adriano (27); Raphael Veiga (25); Gustavo Scarpa (23); Gustavo Gómez (13); Felipe Melo e Zé Rafael (12); Rony, Lucas Lima e Gabriel Veron (11)
– Mais gols na temporada atual: Luiz Adriano (20); Raphael Veiga e Willian (18); Rony (11); Gabriel Veron (9); Zé Rafael, Gustavo Gómez e Patrick de Paula (5); Wesley e Gustavo Scarpa (4); Viña, Breno Lopes, Lucas Lima e Gabriel Menino (3); Marcos Rocha e Dudu (2); Ramires, Felipe Melo, Danilo e Emerson Santos (1)
– Mais gols no Brasileiro 2020: Raphael Veiga (11); Luiz Adriano (10); Willian (7); Rony (5); Gabriel Veron (4); Patrick de Paula (3); Breno Lopes, Zé Rafael e Wesley (2); Gustavo Gómez, Gustavo Scarpa, Lucas Lima, Emerson Santos e Viña (1)
– Mais gols na Libertadores 2020: Rony e Luiz Adriano (5); Willian (4); Gabriel Menino e Gabriel Veron (3); Raphael Veiga, Zé Rafael, Gustavo Gómez e Viña (2); Wesley, Patrick de Paula, Danilo, Breno Lopes e Gustavo Scarpa (1)
– Mais gols na Copa do Brasil 2020: Raphael Veiga (4); Gabriel Veron e Luiz Adriano (2); Gustavo Scarpa, Wesley, Gustavo Gómez e Rony (1)

– Mais assistências no geral: Willian (22); Lucas Lima (21); Marcos Rocha (20); Gustavo Scarpa (17) e Zé Rafael (12)
– Mais assistências na temporada atual: Gabriel Menino e Rony (9); Viña e Gustavo Scarpa (8); Zé Rafael (7); Willian e Wesley (6); Marcos Rocha, Gabriel Veron e Lucas Lima (5); Luiz Adriano (4); Dudu (3); Raphael Veiga, Patrick de Paula e Danilo (2); Bruno Henrique, Gustavo Gómez, Gabriel Silva, Felipe Melo e Mayke (1)
– Mais assistências no Brasileiro 2020: Gabriel Menino (7); Gustavo Scarpa (5); Willian (4); Zé Rafael, Luiz Adriano e Viña (3); Gabriel Veron, Lucas Lima, Patrick de Paula Wesley (2); Raphael Veiga, Mayke, Gustavo Gómez (1)
– Mais assistências na Libertadores 2020: Rony (8); Wesley, Gustavo Scarpa e Viña (3), Danilo e Dudu (2); Willian, Gabriel Menino, Gabriel Veron, Raphael Veiga, Gabriel Silva e Marcos Rocha (1)
– Mais assistências na Copa do Brasil 2020: Zé Rafael (2); Viña, Lucas Lima, Gabriel Veron, Felipe Melo, Rony e Marcos Rocha (1)

– Mais vezes capitão do time na temporada atual: Felipe Melo (34); Gustavo Gómez (20); Weverton e Willian (8); Luiz Adriano (4); e Bruno Henrique (2)
– Último hat-trick: Luiz Adriano (10/03/2020 – Palmeiras 3×1 Guaraní-PAR – Allianz Parque, em São Paulo-SP – Libertadores)
– Último gol de falta: Gustavo Scarpa (14/02/2021 – Palmeiras 3×0 Fortaleza– Allianz Parque, em São Paulo – Campeonato Brasileiro)
– Último gol de pênalti em tempo regulamentar: Raphael Veiga (12/12/2020 – Palmeiras 3×0 Bahia – Allianz Parque – Campeonato Brasileiro)
– Último gol de pênalti em disputa de penais: Gustavo Gómez, (13/02/2021 – Palmeiras 0 (2)x(3) 0 Al Ahly-EGI – Education City Stadium, em Doha, no Catar) – Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020
– Última defesa de pênalti em tempo regulamentar: Weverton (02/11/2019 – Palmeiras 1×0 Ceará – Allianz Parque, em São Paulo-SP – Campeonato Brasileiro)
– Última defesa de pênalti em disputa de penais: Weverton (11/02/2021 – Palmeiras 0 (2)x(3) 0 Al Ahly-EGI – Education City Stadium, em Doha, no Catar) – Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020

WILLIAN: ARTILHEIRO MÁXIMO DO ATUAL ELENCO E VICE DA TEMPORADA; JOGADOR MAIS ASSÍDUO NA TEMPORADA; LÍDER PALMEIRENSE EM PARTICIPAÇÕES

O atacante segue como o atleta mais assíduo do Verdão na atual temporada: atuou em 68 dos 76 compromissos possíveis, ao ado de Weverton, com 68 atuações – no Brasileiro, também é quem mais jogou: 32 das 37 partidas possíveis até aqui, seguido de Lucas Lima, com 31 duelos no Nacional.

Além disso, Willian é o vice-artilheiro do time na temporada (são 18 gols, ao lado de Raphael Veiga, ambos atrás de Luiz Adriano, com 20); é o terceiro artilheiro do time no Campeonato Brasileiro (sete, atrás de Luiz Adriano, com dez, e de Raphael Veiga, com 11) e o líder em participações diretas nos gols da temporada (24, somando-se 18 bolas na rede e seis assistências, ao lado de Luiz Adriano, com 24 – 20 gols e quatro passes).

Segundo maior artilheiro do Verdão na era dos pontos corridos com 28 bolas na rede (atrás apenas de Dudu, com 41) ele já entrou no top 10 dos que mais marcaram gols pelo clube em Brasileiros em todos os tempos (atualmente na 9ª posição, ao lado de Evair), o atacante é o segundo maior goleador do Palmeiras neste século com 56 tentos (atrás só de Dudu, com 70) e aparece na 47ª posição da lista dos maiores artilheiros da história alviverde, ao lado de Zinho.

Jogador do atual elenco com mais partidas (217, seguido por Felipe Melo, com 179), gols (56, seguido por Luiz Adriano, com 27, e por Raphael Veiga, 25) e assistências (22, seguido de Lucas Lima, com 21), Willian é o 68º no ranking dos atletas com mais jogos na história do clube e o 6º entre os que têm mais vitórias neste século, com 116 triunfos – completam o ranking: Márcio Araújo (5º, com 118), Valdivia (4º, com 122), Fernando Prass (3º, com 151), Dudu (2º colocado, com 174) e Marcos (líder com 182 vitórias).

As 217 partidas de Willian, inclusive, o colocam também no top 10 de palmeirenses com mais partidas neste século, na 6ª colocação, ao lado do volante Corrêa. Completam o ranking: o meia Valdivia (5º, com 241), o volante Márcio Araújo (4º, com 252), o goleiro Fernando Prass (3º, com 274), o atacante Dudu (2º, com 305) e o goleiro Marcos (líder no quesito, com 392).

Contra o River Plate-ARG, no jogo de ida das semifinais da Libertadores, vitória por 3 a 0 fora de casa (não atuou no duelo de volta), ele chegou a 31 partidas pela competição continental e superou o volante Cesar Sampaio na lista dos atletas palmeirenses com mais jogos pela Libertadores em todos os tempos, se isolando na 5ª colocação; completam a lista: o atacante Dudu (4º, com 34 jogos), o volante Galeano (3º, com 38 jogos), o meia Alex (2º, com 39 jogos) e o goleiro Marcos (líder da lista, com 57 jogos).

Na Libertadores 2020, aliás, Willian marcou quatro vezes: na estreia do Verdão na atual edição, contra o Tigre-ARG, diante do Bolívar-BOL, na terceira rodada; novamente, ante a equipe boliviana (desta vez no jogo de volta da primeira fase, na quinta rodada) e, depois, sobre o Delfín-EQU (jogo de volta). Com esses quatro gols no mais importante torneio das Américas, fechou sua participação como o vice-artilheiro do Palmeiras na edição campeã, atrás só de Luiz Adriano e Rony, ambos com cinco gols.

No Allianz Parque, Willian é o vice-artilheiro, com 21 bolas na rede na arena alviverde, só está de Dudu neste quesito, com 33;
 o terceiro em jogos (89, seguido de Fernando Prass, 86, e atrás só de Dudu, com 127) e o terceiro em assistências (11, uma a menos que Marcos Rocha, com 12 – ambos atrás de Dudu, com 35). Além disso, na atual temporada, ele também é oatleta que mais acerta a meta adversária, com 46 finalizações certas.

LUIZ ADRIANO: FECHOU LIBERTADORES COMO ARTILHEIRO DO TIME; ARTILHEIRO DA TEMPORADA ATUAL; VICE-ARTILHEIRO DO ELENCO E VICE-GOLEADOR DO TIME NO BRASILEIRÃO; LÍDER EM PARTICIPAÇÕES EM 2020; MARCOU DUAS VEZES SOBRE O ATLÉTICO-GO NO PRIMEIRO TURNO

Responsável por dar início à jogada que culminou no gol do Palmeiras na última sexta-feira (19) diante do São Paulo, com Rony (gol do empate por 1 a 1 no clássico no Morumbi, nos acréscimos), Luiz Adriano foi autor de dois gols nos 4 a 0 sobre o Corinthians, penúltima vitória do Palmeiras no Allianz Parque (18/01). O camisa 10 é,de forma isolada, o artilheiro do time na atual temporada, com 20 gols, seguido de Willian Bigode e Raphael Veiga, ambos com 18. Além dos números absolutos, Adriano possui também a melhor média: 0,37 (20 gols em 53 jogos) – considera-se 2020 os jogos disputados no início deste 2021 que ainda são válidos pelas competições vigentes do ano anterior).

O atacante do Verdão também é líder em participações na temporada (ou seja, gols e assistências somadas), com 24 ações (20 gols e quatro passes), ao lado de Willian Bigode, com as mesmas 24 (18 gols e seis passes). Além disso, na atual temporada, ele também é o quarto atleta que mais acerta a meta adversária, com 40 finalizações certas.

Luiz Adriano é um dos três palmeirenses a ter marcado em todas as competições regulares disputadas nas competições oficiais da temporada atual – os outros são Raphael Veiga e Gustavo Gómez. Ele marcou três vezes no Paulista, dez no Brasileiro (vice-artilheiro do time na edição, atrás de Raphael Veiga, com 11), cinco na Libertadores (artilheiro palmeirense no torneio, ao lado de Rony) e duas na Copa do Brasil, enquanto Raphael Veiga fez um gol pelo Estadual, 11 pelo Brasileirão, dois pela Libertadores e quatro na Copa do Brasil, e Gustavo Gómez balançou as redes uma vez pelo Paulista, uma pelo Brasileiro, uma pela Copa do Brasil e duas pela Libertadores.

Luiz Adriano soma nove gols em seus últimos 21 jogos disputados – média de 0,42 por partida neste período
 – marcou duas vezes na vitória por 3 a 0 contra o Atlético-GO, em Goiânia, pelo Brasileiro, em 25/10; no triunfo por 3 a 1 diante do RB Bragantino pelo jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil, em Bragança Paulista-SP, em 29/10; e, depois, diante do Vasco, em 08/11, antes de ficar de fora por desgaste muscular, voltar por mais duas partidas e, em seguida, se lesionar (ficando de fora por oito jogos em um mês).

Em sua volta, entrou no segundo tempo diante do América-MG (jogo de ida pela Copa do Brasil, no Allianz Parque); e nos dois duelos seguintes, marcou gol: pelo Brasileiro, fez o tento da vitória por 1 a 0 diante do RB Bragantino, pela 27ª rodada do Brasileiro (no Allianz Parque); abriu caminho para a vitória do Palmeiras fora de casa, no segundo tempo, contra o América-MG pela Copa do Brasil (jogo que valeu vaga na final); também deixou sua marca na vitória por 3 a 0 diante do River Plate-ARG fora de casa, no jogo de ida das semifinais da Libertadores; depois, marcou duas vezes na goleada no Derby por 4 a 0 pelo Brasileiro.

Com 27 gols desde que chegou ao Verdão, em 2019, o jogador é ainda o vice-goleador do elenco no geral, seguido de Raphael Veiga, com 25, e atrás só de Willian, com 56 bolas na rede.

Contratado em agosto de 2019, tem média de 0,39 gol por partida na temporada atual (20 em 51 jogos), ante 0,46 da sua temporada de estreia (sete em 15), superando os 13 gols dos artilheiros do time em 2019, Dudu e Scarpa, e igualando os 20 gols de Borja, artilheiro em 2018.

No Allianz Parque, Luiz Adriano ostenta a melhor média de gols da história da arena, com índice de 0,5 bola na rede por jogo (13 gols em 26 jogos) – completam o top 10: Borja (2º com 0,38 – 19 gols em 50 jogos), Cristaldo (3º com 0,34 – 11 gols em 32 jogos), Leandro Pereira (4º com 0,33 – 7 gols em 21 jogos), Gabriel Jesus (5º com 0,32 – 11 gols em 34 jogos), Deyverson (6º com 0,30 –13 gols em 42 jogos), Rafael Marques (7º com 0,28 – 12 gols em 42 jogos), Barrios (8º com 0,26 – 5 gols em 19 jogos) e quatro atletas empatados em 9º, com 0,25, que são Dudu (33 gols em 127 jogos), Keno (9 gols em 35 jogos) e Alecsandro (6 gols em 24 jogos).

Os 13 gols anotados no Allianz Parque também já colocam Luiz Adriano no top 5 de artilheiros da arena palmeirense, ocupando a 5ª posição, ao lado de Deyverson – completam o ranking: Raphael Veiga (4º, com 15), Borja (3º, com 19), Willian (2º, com 21) e Dudu (1º, com 33).

Por duas vezes na casa palestrina, Luiz Adriano deixou o gramado com três bolas na rede no mesmo jogo: diante do Fluminense, no Brasileirão de 2019, e do Guaraní-PAR, na Libertadores deste ano. Fora do Brasil, já havia alcançado o mesmo feito em outras três oportunidades, além de uma vez em que marcou cinco gols pelo Shakhtar Donetsk-UCR (sendo quatro só no primeiro tempo), clube onde é o maior artilheiro da história com 130 gols. Ele é também o 7º maior goleador brasileiro na história da Champions League, com 21 tentos – neste ranking, apenas Neymar, Kaká, Rivaldo, Jardel, Élber e Mazzola, revelado pelo Verdão, balançaram mais vezes as redes pela maior competição continental do planeta.

RONY: FECHOU LIBERTADORES COMO ARTILHEIRO DO TIME; GARÇOM GERAL DO ELENCO NA TEMPORADA E GARÇOM GERAL TAMBÉM NA LIBERTADORES 2020 DENTRE TODOS OS CLUBES; SEGUNDO COLOCADO EM DRIBLES E EM FINALIZAÇÕES CERTAS

Autor do gol mais recente do time como visitante no empate contra o São Paulo, na última sexta-feira (19), Rony vem acumulando ótimas participações em suas últimas partidas pelo time palmeirense. Utilizado no segundo tempo contra o Coritiba, fora de casa, há dois jogos, pelo Brasileiro, ele foi fundamental, dentre vários outros lances chave dos quais participou na temporada, no jogo que valeu ao Palmeiras o título da Libertadores da América, quando, nos acréscimos do segundo tempo, o camisa 11 colocou a bola na cabeça de Breno Lopes após lançamento em jogada que originou o gol do título.

Antes disso, em 30/12, diante do América-MG, jogo que valeu classificação à final da Copa do Brasil após vitória por 2 a 0, no Estádio Independência (Belo Horizonte-MG) – deu uma assistência para o primeiro gol (de Luiz Adriano) e fez o segundo gol; e foi titular diante do River Plate-ARG, fora de casa, marcando o gol que abriu caminho para a vitória por 3 a 0 fora de casa pelo jogo de ida das semifinais do torneio continental. Na vitória mais recente do time pelo Brasileiro fora de casa, 1 a 0 fora de casa diante do Sport, ele participou ao entrar no segundo tempo.

O jogador, aliás, vem de bons números: fez dez gols em suas últimas 23 partidas disputadas (média de 0,43 por jogo neste período). Com dez bolas na rede na temporada atual, Rony é o quarto principal artilheiro do Alviverde em 2020, atrás só de Willian e Raphael Veiga (18) e Luiz Adriano (20). No Brasileirão, ele possui cinco bolas na rede e é o quarto principal artilheiro do Verdão no torneio, atrás só de Willian (sete), e de Luiz Adriano (dez) e Raphael Veiga (11).

Na Libertadores, ele fechou sua participação no torneio com cinco bolas na rede – marcados em seus últimos sete jogos disputados na competição –, sagrando-se assim o principal artilheiro do Verdão no Continental, ao lado de Luiz Adriano. O camisa 11 também coroou a edição campeã sendo o garçom máximo da edição 2020 do Continental, dentre todos os clubes, com oito passes a gol, além de ser também o líder isolado em participação em gols no torneio sul-americano, com 13 ações (ou seja, gols e assistências somadas – no caso, oito passes a gol e cinco bolas na rede).

E como deu assistência pela Libertadores, no jogo do título, somada às oito que já possuía (uma delas pelo Brasileiro, as outras todas pela Libertadores), Rony chegou a nove assistências na temporada atual e, com isso, atualmente é o vice-líder no quesito, atrás de Gabriel Menino, com dez, e à frente de Viña e Scarpa (ambos comcom oito).

Dentre o elenco palmeirense, o atleta chegou a 19 participações, com 11 gols e oito assistências – é o quarto melhor colocado no quesito, atrás só de Raphael Veiga (com 20, 18 gols e duas assistências), de Luiz Adriano e Willian, ambos com 24 (Luiz Adriano tem 20 gols e quatro passes, enquanto Willian soma 18 gols e seis passes).

Na atual temporada, ele é o segundo atleta que mais acerta a meta adversária, com 42 finalizações certas, atrás de Willian, com 46, e o segundo que mais dribla, com 32 fintas completas, atrás só de Zé Rafael, líder no quesito, com 41. Desde que estreou, em fevereiro de 2020, pelo Campeonato Paulista, ele participou de 46 dos últimos 62 jogos, sendo 36 como titular e dez acionado do banco de reservas.

BRENO LOPES: AUTOR DO GOL DO TÍTULO DA LIBERTADORES E PRESENTE NAS ÚLTIMAS 16 PARTIDAS DO BRASILEIRO

Em sua 17ª partida pelo Verdão, porém, apenas a sexta como titular (hoje são 22 jogos e oito como titular), o atacante Breno Lopes fez um dos gols mais importantes dos 106 anos de história do Verdão. Ele fez, nos minutos finais do jogo contra o Santos, no Maracanã, em final única, no dia 30 de janeiro, o gol que deu o título do bicampeonato da Libertadores da América ao Palmeiras, aos 53 minutos do segundo tempo, nos acréscimos, quando a partida parecia que seria decidia na prorrogação ou nas penalidades – o detalhe é que o jogador havia entrado minutos antes, no lugar de Gabriel Menino, cerca de dez minutos antes.

Recém-chegado do Juventude-RS, Breno Lopes relembrou o atacante Betinho, que também era um ilustre desconhecido no elenco palmeirense em 2012 quando fez o gol do título da Copa do Brasil de 2012, contra o Coritiba – Betinho era novato no clube à época e jogou poucas partidas, mas ficou marcado pelo gol heroico.

Breno chegou ao Palmeiras há cerca de apenas quatro meses e, até suas 15 primeiras partidas, ainda não havia marcado um gol. Desencantou ao pontuar pela primeira vez com a camisa do Verdão um jogo antes da final da Libertadores, diante do Vasco da Gama, após receber passe em profundidade de Gustavo Scarpa, ganhar a velocidade da marcação e invadir a grande área, chutando com a perna direita, no contrapé do goleiro Fernando Miguel, vazando a equipe do Vasco no empate por 1 a 1 pelo Brasileirão, no Allianz Parque, na última terça-feira (26) – Breno, aliás, foi quem abriu o placar, aos 30 minutos do primeiro tempo (o Vasco empatou aos 34, com Benítez).

O camisa 39 (usou a 19 na Libertadores) já havia chegado perto do gol algumas vezes, mas sempre esbarrava na falta de sorte. Diante do Corinthians, na goleada por 4 a 0, em 18 de janeiro, por exemplo, chegou a balançar as redes, fazendo um belo gol, mas estava impedido (seria o quinto do Verdão no clássico). Antes, logo em um de seus primeiros jogos pelo clube palmeirense, diante do Sport, em 09/01, o jogador chegou a carimbar a trave! Também quase marcou contra o Bahia, em 12/12. O gol mais recente de Breno Lopes foi na vitória sobre o Fortaleza no último dia 14, no Allianz Parque – foi seu terceiro gol pelo Verdão.

O jogador detém uma curiosa estatística: é o atleta do time palmeirense com a maior sequência atual de jogos no Brasileirão: são 16 jogos seguidos, sendo que, estreou na 21ª rodada, ficou de fora da 22ª por ter contraído Covid-19 e, partir de então, jogou todas as rodadas seguintes possíveis. O fato é incomum, pois, muitos atletas não conseguem atingir tal série de jogos em meio a um campeonato tão disputado quanto o Brasileiro pelo fato do cumprimento das suspensões automáticas ou até mesmo eventuais lesões e suspensões por cartão vermelho, STJD ou ainda atletas que são preservados para jogos em outras competições.

Mineiro de Belo Horizonte-MG, Breno Lopes foi revelado pelo Joinville-SC, time pelo qual se profissionalizou em 2016. No mesmo ano, foi emprestado ao Juventus de Jaraguá do Sul-SC e retornou mais experiente em 2017. A partir de então, ganhou minutos em campo e marcou gols pelo Joinville, sobretudo na Série C, chamando a atenção do Juventude-RS. Em 2019, disputou a Série C pelo Juventude-RS e a Série B pelo Figueirense-SC

Em 2020, após um empréstimo ao Athletico Paranaense, regressou ao Juventude-RS e vinha se destacando neste segundo semestre até chegar ao Verdão: foram, ao todo, nove bolas na rede em 19 partidas na Série B, atrás apenas do líder da artilharia, Caio Dantas, do Sampaio Corrêa-MA, com dez tentos.

WESLEY: RECUPERADO APÓS TRÊS MESES FORA; QUARTO EM DRIBLES, QUINTO EM FINALIZAÇÕES CERTAS E SEXTO EM ASSISTÊNCIAS NA ATUAL TEMPORADA; FEZ GOL CONTRA O ATLÉTICO-GO NO PRIMEIRO TURNO

Contra o São Paulo, no duelo mais recente do Verdão fora de casa, Wesley esteve no banco de reservas pela primeira vez nas últimas 31 partidas do time, desde que se machucou no jogo do dia 05 de novembro, contra o Red Bull Bragantino, partida em que precisou ser substituído aos 18 minutos – aquele jogo, pelas oitavas de final da Copa do Brasil, foi a estreia de Abel Ferreira e valeu classificação às quartas do Nacional (o Verdão venceu por 1 a 0 no Allianz Parque). A Cria da Academia promovida na temporada atual (início de 2020) passou por cirurgia no joelho esquerdo e agora está recuperada.

Uma das opções para a comissão do técnico Abel Ferreira, que está suspenso para este jogo, Wesley carrega boas lembranças contra o Atlético-GO: ele fez um dos gols da vitória por 3 a 0 sobre o adversário da vez pelo primeiro turno, em Goiânia – os outros dois foram marcados por Luiz Adriano.

Apesar do tempo fora do time, o jogador ainda domina algumas estatísticas individuais. Wesley é o quarto colocado em dribles dentre os palmeirenses na temporada atual, com 27 fintas, o quinto que mais finalizou corretamente, com 24 chutes a gol, ao lado de Gabriel Menino, e o sexto com mais assistências, com seis passes para que seus companheiros pudessem marcar, assim como Willian Bigode.

Natural de Salvador, o jogador de 21 anos foi captado em 2016, quando atuava pelo Jacuipense-BA, para reforçar o Sub-17. Na temporada seguinte, subiu para o Sub-20, categoria pela qual conquistou o Campeonato Brasileiro em 2018, a Copa do Brasil em 2019 e o tricampeonato paulista em 2017, 2018 e 2019. Emprestado ao Vitória-BA em maio do ano passado para adquirir experiência disputando a Série B do Brasileiro, teve bom desempenho: anotou cinco gols, deu três assistências, foi o segundo maior driblador da competição e o sexto jogador mais caçado.

RAPHAEL VEIGA: TEMPORADA MAIS ARTILHEIRA DA CARREIRA, VICE-ARTILHEIRO DO TIME NA TEMPORADA; TERCEIRO ARTILHEIRO DO ATUAL ELENCO; ARTILHEIRO DO TIME ISOLADO NO BRASILEIRO E NA COPA DO BRASIL; TERCEIRO PALMEIRENSE QUE MAIS DRIBLA NA TEMPORADA

De volta de ao time após cumprir suspensão pelo acúmulo do terceiro cartão amarelo na rodada anterior (32ª do Brasileiro, diante do Ceará, fora de casa, em 24 de janeiro), Veiga foi poupado no jogo seguinte pelo Nacional: empate por 1 a 1 contra o Vasco – depois, atuou na final da Libertadores contra o Santos como titular (campeão) e, outra vez, foi poupado do jogo seguinte: 1 a 1 contra o Botafogo no Allianz Parque, 33ª rodada do Brasileiro até voltar a campo como titular pela Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020 nos dois jogos em que o Palmeiras fez pela competição.

Uma atuação para recordar foi diante do Corinthians, quando o jogador foi autor de duas bolas na rede na goleada por 4 a 0, no Allianz Parque.

O camisa 23 Raphael Veiga tem um retrospecto com bons números pelo Verdão: em seus últimos 22 jogos disputados, Veiga marcou dez gols (média de 0,45 neste período).

Ao todo, neste ano, Raphael Veiga soma 18 bolas na rede na temporada e, com isso, superou os nove gols que acumulou em 2018 pelo Athletico-PR e fez de 2020, de forma disparada, a temporada mais artilheira de sua carreira – neste quesito, na atual temporada, está ao lado de Willian, com os mesmos 18 gols, e atrás só de Luiz Adriano (com 20).

Raphael Veiga, aliás, é um dos três palmeirenses a ter marcado em todas as competições regulares disputadas em 2020 – os outros são Luiz Adriano e Gustavo Gómez. Ele pontuou uma vez no Paulista, 11 no Brasileiro até aqui (sendo o artilheiro do time na competição, seguido de Luiz Adriano, com dez), duas na Libertadores e outras quatro na Copa do Brasil (que também faz dele o artilheiro do time no torneio nacional), enquanto Luiz Adriano fez três gols pelo Estadual, dez pelo Brasileirão, cinco pela Libertadores e dois na Copa do Brasil, e Gustavo Gómez fez um pelo Paulista, um pelo Brasileiro, um pela Copa do Brasil e dois pela Libertadores.

Profissionalizado no futebol em 2016, pelo Coritiba, marcou três gols em 24 jogos em sua primeira temporada no Coxa. Em 2017, seu primeiro ano no Palmeiras, fez dois gols em 22 partidas (à época, muitos meio-campistas experientes não possibilitaram que o jogador tivesse sequência). Emprestado ao Athletico-PR em 2018, quando foi campeão da Copa Sul-Americana, fez 48 jogos e nove gols (até então sua temporada mais artilheira); em 2019, voltou de empréstimo e jogou 31 vezes pelo Verdão, marcando cinco gols.

O fato de ter chegado a 18 gols na temporada faz de Veiga o terceiro jogador com mais participações diretas em gols (ou seja, gols e assistências somadas): são 20 participações (sendo 18 gols e duas assistências), atrás só de Luiz Adriano e de Willian, ambos com 24 (Luiz Adriano tem 20 gols e quatro passes, enquanto Bigode possui 18 bolas na rede e serviu seus companheiros seis vezes).

Com os 25 gols que possui, ele é o terceiro artilheiro geral do atual elenco, atrás só de Luiz Adriano, com 27 de ao todo, e de Willian Bigode, com 56.

LUCAS LIMA: LÍDER EM ASSISTÊNCIAS PARA FINALIZAÇÃO EM 2020, PRESENTE EM 25 DOS ÚLTIMOS 32 JOGOS E VICE-GARÇOM GERAL DO ELENCO

Lucas Lima participou da construção do penúltimo gol do Verdão, marcado por Rony, na última segunda-feira (22), que deu o empate ao Alviverde no Morumbi nos acréscimos (1×1) – ele, Breno Lopes e Luiz Adriano trabalharam triangulação para que a pelota chegasse em Scarpa, que serviu Rony para ir às redes. Recentemente, contra o Fortaleza, havia balançado as redes na vitória por 3 a 0 (marcou o segundo da partida) e chegou ao seu terceiro tento na temporada – o primeiro foi na competição amistosa da Florida Cup contra o New York City-EUA; depois, voltou a balançar as redes em 22 de janeiro de 2020, na estreia do Palmeiras no Campeonato Paulista, na vitória por 4 a 0 sobre o Ituano.

Presente em 23 das últimas 31 partidas (sendo 16 destas como titular), Lucas Lima se destaca não só pela assiduidade. Em suas últimas exibições, o jogador vem fazendo a diferença junto ao time: na atual temporada, ele é o líder em passe para finalizações: foram 72, seguido de Gabriel Menino, com 62 (números do Footstats que não incluem os passes que resultaram em bola na rede). Ele também é o sexto colocado na lista dos maiores garçons do Allianz Parque, com nove passes(atrás de Robinho e Róger Guedes, com dez, de Willian com 11 assistências, e de Marcos Rocha, vice-líder, com 13, todos atrás de Dudu, com 35).

E não é só isso. O meia vem ajudando o time em construção de jogadas de gols e também em passes para que seus companheiros pudessem chegar às redes. No dia 24 do último mês, contra o Ceará, fora de casa, pelo Brasileiro, ele deu a assistência para o gol de Gabriel Veron; antes, no duelo mais recente da Copa do Brasil, cobrou a falta que originou o segundo gol do Palmeiras sobre o América-MG fora de casa, na vitória por 2 a 0 (gol este que selou a classificação à final do torneio nacional). A falta, cobrada pelo lado esquerdo, aos 40 minutos do segundo tempo, entre o escanteio e a grande área, foi na medida para Mayke finalizar e o goleiro adversário rebater. Na sobra, Rony balançou as redes – o primeiro gol da partida havia sido marcado por Luiz Adriano minutos antes.

Antes disso, há alguns jogos, Lucas Lima havia sido o responsável pela cobrança do corner que originou o gol de Willian Bigode, o segundo do Verdão sobre o Peixe, em rodada do Brasileiro, em 05/12 – a bola ainda desviou em Zé Rafael antes de o camisa 29 balançar as redes. Já no jogo de volta das oitavas de final da Libertadores (vitória sobre o Delfín-EQU por 5 a 0 e classificação), Lucas Lima chutou de longe e a pelota explodiu na zaga, sobrando para Patrick de Paula dominar e também chutar de longe e marcar um golaço, abrindo o placar.

Ainda um jogo antes, no triunfo sobre o Athletico-PR por 3 a 0, em 28/11, no Allianz Parque, pelo Brasileiro, ele havia concedido o passe para o primeiro gol do Palmeiras, também marcado por Patrick de Paula e, com isso, chegou a 20 assistências no total desde que chegou ao Palmeiras em 2018. Desta forma, Lucas Lima passou a ser o líder de passes a gol do atual elenco, ao lado de Willian Bigode, com as mesmas 20 assistências e também Marcos Rocha.

E em outro duelo anterior, no jogo de ida das oitavas da Libertadores, contra o Delfín-EQU (vitória por 3 a 1 fora de casa), em 25 de novembro, Lucas também teve papel imprescindível no resultado favorável. Foi dele que originou-se o lance do pênalti que ocasionou o segundo gol do Verdão no duelo com os equatorianos (convertido por Rony) – na ocasião, o meia chutou de perto da entrada da grande área e a bola foi desviada pela zaga com o braço.

Este não foi o único penal que o atleta favoreceu o Palmeiras nos tempos recentes: em outros dois compromissos, estes pelo Brasileiro (diante do Vasco, em 08/11, e contra o Fluminense, em 14/11), ele sofreu ambas as penalidades – diante do time cruz-matino, a infração valeu o gol da vitória, marcado por Luiz Adriano no rebote após defesa do goleiro Fernando Miguel e, diante do Tricolor Carioca, o tiro foi cobrado por Raphael Veiga e abriu caminho para o triunfo por 2 a 0 sobre o time das Laranjeiras.

GUSTAVO SCARPA: QUARTO ARTILHEIRO GERAL DO ELENCO, JOGADOR MAIS ACIONADO DO BANCO DE RESERVAS NA TEMPORADA 2020 E POLIVALENTE; PRESENTE EM 22 DOS ÚLTIMOS 25 DUELOS

O meia Gustavo Scarpa vem contribuindo de forma direta com o time do Palmeiras em gols recentes. Há duas rodadas, contra o São Paulo, no Morumbi, na sexta-feira (19), concedeu a assistência para que Rony, nos acréscimos, pudesse ir às redes e deixar tudo igual – com esse número, aliás, é o terceiro colocado em assistências gerais na temporada, ao lado de Gustavo Scarpa, e atrás só de Rony (vice-líder, com nove) e Gabriel Menino (líder, com dez).

Três jogos antes, foi autor de um gol de falta na vitória mais recente do time (por 3 a 0 contra o Fortaleza, no último passado, 14), próximo à meia lua, quando acertou o gol de Felipe Alves, que nem se mexeu. Há muito tempo, aliás, o Palmeiras não fazia um gol de falta: o último havia sido com o ex-camisa 10 do time Moisés, em 22/05/2019, diante do Sampaio Corrêa-MA, na vitória do Palmeiras por 1 a 0 na casa do adversário pela Copa do Brasil.

Scarpa detém curiosa estatística: é o jogador que mais sai do banco de reservas para ajudar seus companheiros na temporada atual, tendo sido acionado 26 vezes nos últimos 59 jogos. Scarpa esteve presente em 22 dos últimos 25 duelos do Verdão e, apesar da marca de ser o jogador que mais sai do banco para ajudar a equipe, foi titular em 13 destes 22 duelos disputados, inclusive em cinco dos sete mais recentes pelo Brasileiro.

Apenas na Libertadores, torneio conquistado pelo Verdão no dia 30 do último mês, Gustavo Scarpa foi autor de três assistências: a última delas no torneio continental foi para o terceiro gol do Palmeiras no duelo de ida da semifinal da Libertadores, vitória por 3 a 0 fora de casa sobre o River Plate-ARG, no último dia 05.

Scarpa faz parte de um seleto grupo de jogadores com 100 ou mais jogos pelo Palmeiras: hoje são 116. Desta forma, ao alcançar essa expressiva marca, o meia integra um grupo com outros jogadores do elenco que possuem três dígitos de jogos. São eles: Zé Rafael (100), Raphael Veiga (108), Gustavo Gómez (115), Mayke (118), Luan (129), Marcos Rocha (142), Weverton (157), Lucas Lima (162), Felipe Melo (179) e Willian (217).

Meio-campista de origem, o camisa 14 tem a polivalência como uma de suas características. Durante o período em que o lateral-esquerdo titular Matías Viña estava com a Seleção Uruguaia e, depois, tornou-se desfalque pelo fato de ter contraído Covid-19, e o suplente Lucas Esteves estava lesionado, o meia canhoto Gustavo Scarpa, assim como o lateral-direito Mayke, foi testado de forma improvisada na ala esquerda: contra o Ceará (11/11) e o Fluminense (14/11), vitórias por 3 a 0 e 2 a 0, pela Copa do Brasil e Brasileiro, respectivamente, ambas no Allianz Parque, o jogador foi titular da posição, além de ter feito um gol (o primeiro da partida) logo em seu primeiro jogo na nova função. As atuações mais recentes na lateral-esquerda voltou foram no dia 23/12, no jogo de ida contra o América-MG pela semifinal da Copa do Brasil (1 a 1) quando Scarpa iniciou o duelo na ala esquerda enquanto Viña começou no banco e entrou no segundo tempo e, novamente, no último dia 24, no revés contra o Ceará, em Fortaleza (2 a 1 pelo Brasileiro, fora de casa).

O jogador é o quarto principal artilheiro do elenco (23 gols, atrás de Raphael Veiga, com 25, de Luiz Adriano, com 27, e de Willian, com 56) – em 2019, ele foi o goleador do time, ao lado de Dudu, com 13 – e o quarto colocado no ranking dos maiores garçons do plantel (13 passes para gol desde que chegou ao clube, em 2018, atrás apenas de Marcos Rocha, Lucas Lima e Willian, líderes, com 20) – além de oito assistências na temporada atual, o camisa 14 foi o segundo maior garçom do time em 2019, ao lado de Marcos Rocha, com sete passes a gol, atrás só de Dudu, com 18.

ZÉ RAFAEL: 100 JOGOS PELO VERDÃO; LÍDER EM DRIBLES, SEGUNDO EM DESARMES E QUARTO EM ASSISTÊNCIAS NA TEMPORADA; TOP 10 EM INTERCEPTAÇÕES

Poupado dos quatro jogos anteriores do Verdão, Zé Rafael atuou contra o Atlético-GO na última segunda-feira (22), empate por 1 a 1 no Allianz Parque, e completou a expressiva marca de 100 jogos, se juntando a um grupo de outros dez jogadores que já ultrapassaram a barreira dos três dígitos de jogos. São eles: Raphael Veiga (108), Gustavo Gómez (115), Gustavo Scarpa (117), Mayke (118), Luan (129), Marcos Rocha (142), Weverton (157), Lucas Lima (162), Felipe Melo (179) e Willian (217).

O camisa 8 vem acumulando ótimas atuações na temporada. Nos 4 a 0 sobre o Corinthians, foi responsável por participar de dois dos quatro gols do Palmeiras na goleada por 4 a 0 sobre o Corinthians no Derby, pelo Campeonato Brasileiro, vitória mais recente em que esteve presente no Allianz Parque, Zé Rafael, que passou a bola para Willian conceder assistência no segundo e no terceiro gol do Verdão naquela partida (de Luiz Adriano e Raphael Veiga), após receber, respectivamente, de Danilo e de Luan, foi titular em sete dos 13 jogos mais recentes da equipe.

Na ocasião de seu retorno, Zé Rafael havia jogado contra o River pela Libertadores, na vitória por 3 a 0 fora de casa, no dia 05 do último mês, pela CONMEBOL Libertadores, jogo de ida das semifinais do torneio continental, após ter entrado aos 21 do segundo tempo no lugar de Danilo, Zé Rafael, que esteve fora dos dois duelos anteriores do Verdão (vitórias sobre o Red Bull Bragantino 1×0, pelo Brasileiro, e América-MG, 2×0, pela Copa do Brasil) devido a uma infecção no pé esquerdo, vem acumulando participações importantes no time palmeirense nos jogos atuais.

O meia iniciou a construção de um dos gols recentes do Verdão, contra o Grêmio (empate por 1 a 1 no Allianz Parque no último dia 15), quando, do meio-de-campo, lançou bola para Willian na esquerda, que brigou com o marcador pelo domínio da pelota e tocou para a grande área, até Viña desviar e Raphael Veiga marcar de pé esquerdo, dentro da área, diante do Tricolor Gaúcho.

Em dezembro de 2020, ele concedeu assistência após desviar, de cabeça, cobrança de escanteio de Lucas Lima para Willian Bigode marcar, diante do Santos, no dia 05/12, empate por 2 a 2 pelo Brasileirão (depois disso, o Alviverde tornou a jogar pela competição nacional e venceu o Bahia por 3 a 0, em casa, mas Zé estava suspenso).

Antes disso, ele também foi quem havia iniciado a construção das jogadas de três dos quatro gols mais recentes da equipe à época, pois, além da assistência diante do Santos (segundo da partida), um jogo antes, contra o Delfín-EQU, pela Libertadores, no Allianz Parque – duelo que valeu classificação às quartas de final do Continental – o camisa 8 iniciou a construção da jogada dos dois últimos gols daquela goleada do Verdão por 5 a 0, marcados por Gabriel Veron e Danilo, respectivamente.

Apenas na Copa do Brasil 2020, foram dois passes a gol, o que faz dele o líder isolado no quesito na atual edição do torneio, à frente de Viña, Gabriel Veron, Lucas Lima, Marcos Rocha e Felipe Melo, todos com um passe a gol cada na competição.

O meio-campista também aparece bem em outro quesito: na atual temporada, está no top 6 da artilharia do clube, na sexta colocação, com cinco gols, ao lado de Patrick de Paula e de Gustavo Gómez.

O meia se destaca também em três fundamentos individuais na temporada atual. É o líder isolado em dribles com 41 fintas completas, seguido de Rony, com 32; segundo colocado no ranking de desarmes com 109 roubos de bola, atrás de Marcos Rocha, com 123 e, além disso, na atual temporada, o camisa 8 é o quinto colocado do time em assistências no ano, com sete passes a gol, e atrás de Viña e de Gustavo Scarapa (empatados em terceiro, com oito), Rony (segundo, com nove) e Gabriel Menino (líder, com dez). No Brasileirão de 2019, ele foi o vice-líder do time com cinco passes a gol, atrás apenas de Dudu, com 11.

O jogador figura no top 10 de palmeirenses com mais interceptações em 2020, impedindo passes, cruzamentos ou lançamentos de adversários em 20 oportunidades (diferentemente de um desarme, quando a bola é roubada dos pés do jogador rival), ocupando a 8ª colocação, ao lado de Mayke.

DANILO: CRIA DA ACADEMIA MAIS RECENTE NO ELENCO PROFISISONAL; PRESENTE EM 19 DOS ÚLTIMOS 27 JOGOS E TITULAR EM 14; TOP 10 EM INTERCEPTAÇÕES DO ELENCO NA TEMPORADA ATUAL

Presente em 34 dos últimos 50 jogos desde que estreou e titular em 18 (nos últimos 27, atuou em 19 e foi titular em 15), Danilo foi responsável por iniciar a construção da jogada que originou o gol do título da Libertadores, no dia 30 do último mês: ele, no meio de campo, lançou para Rony, na ponta-direita, que dominou e deu passe preciso para Breno Lopes subir de cabeça, ganhar de Pará e vazar o goleiro John, marcando o gol que selou a conquista da CONMEBOL Libertadores 2020 nos minutos finais.

Antes disso, Danilo havia concedido assistência para o segundo gol do Verdão no compromisso mais recente fora de casa pela Libertadores, vitória por 3 a 0 diante do River Plate-ARG, jogo de ida das semifinais do torneio continental: deu o passe para Luiz Adriano sair em arrancada, invadir a área rival e balançar as redes.

A assistência contra o River foi a segunda de Danilo pelo Palmeiras e também na Libertadores, já que a outra foi justamente em um jogo do Continental: na vitória por 5 a 0 sobre o Delfín-EQU, ele deu o passe para o segundo gol do duelo, de Gabriel Veron, e fechou a contagem marcando o seu primeiro tento pelo time principal do Verdão, aos 48 do segundo tempo, no Allianz Parque, no duelo que valeu classificação às quartas de final do Continental.

O camisa 28 aparece no top 10 de jogadores palmeirenses com mais interceptações na temporada atual, impedindo passes, cruzamentos ou lançamentos de adversários em 17 oportunidades (diferentemente de um desarme, quando a bola é roubada dos pés do jogador rival), ocupando a 10ª colocação.

Figura constante nas convocações da Seleção Brasileira Sub-20, o jovem de 19 anos é o jogador oriundo da base que está há menos tempo no elenco profissional do Palmeiras – chamou a atenção da comissão técnica durante os treinos do Sub-20 na Academia de Futebol no início do segundo semestre e, desde então, não voltou mais para a base.

Meio-campista versátil que atua na contenção e na armação de jogadas, Danilo participou de alguns projetos sociais na sua cidade natal, Salvador (BA), e foi vice-campeão da segunda divisão do Campeonato Baiano pelo Cajazeiras, aos 16 anos, antes de chegar ao Palmeiras em 2018, quando foi captado para integrar o elenco Sub-17 e naquela mesma temporada já conquistou o título paulista da categoria. No Sub-20, o canhoto de 19 anos ganhou espaço ao final de 2019, contribuindo para a conquista de mais um título paulista. Foi ainda titular da equipe na Copa São Paulo deste ano, na qual disputou cinco jogos e marcou um gol.

PATRICK DE PAULA: TOP 5 EM DESARMES DO TIME E TOP 3 EM INTERCEPTAÇÕES NA TEMPORADA; JOGADOR DE LINHA COM MAIS MINUTOS EM CAMPO NO BRASILEIRO

Autor da assistência mais recente do time, para o gol de Viña, no empate por 1 a 1 com o Atlético-GO pela 37ª rodada do Brasileiro, na última segunda-feira (22), Patrick de Paula havia sido titular nos últimos três compromissos do time pelo Brasileiro antes da viagem ao Catar (Ceará 2×1 Palmeiras, Palmeiras 1×1 Vasco e Palmeiras 1×1 Botafogo-RJ), e também no derradeiro jogo do Palmeiras pela Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020, contra o Al Ahly-EGI, além de ter entrado no segundo tempo pela final da Libertadores no dia 30 do último mês, e, mais recentemente, nos jogos contra o Fortaleza (vitória por 3 a 0 em casa) e Coritiba (derrota por 1 a 0 fora de casa) e São Paulo (empate por 1 a 1 fora de casa), todos pelo Brasileiro, Patrick de Paula havia lesionado a coxa direita no fim de 2020 e perdeu seis partidas nesse período, voltando em 27/12, pelo Brasileirão, e, logo em sua volta, diante do Red Bull Bragantino (vitória por 1 a 0 no Allianz Parque), foi o responsável por iniciar a construção da jogada que culminou no gol da vitória naquela partida: dominou bola de rebote na frente da zaga, na meia lua, acionou Gabriel Menino passando pela ponta que, por sua vez, lançou Luiz Adriano no centro da grande área para marcar de cabeça.

Ele também esteve presente, após sair do banco de reservas no segundo tempo, na partida mais recente do Verdão pela Copa do Brasil, em 30/12, diante do América-MG, jogo que valeu classificação à final do Nacional de mata-mata após vitória por 2 a 0, no Estádio Independência (Belo Horizonte-MG).

Antes de ser impedido de jogar devido à lesão, Patrick vinha de uma sequência de sete jogos até o início de dezembro, sendo que os últimos seis duelos foram como titular. Neste período, o jogador marcou duas vezes (em 28/11, na vitória por 3 a 0 sobre o Athletico-PR em casa, pelo Brasileiro, e 02/12, no jogo de volta das oitavas de final pela Libertadores contra o Delfín-EQU).

Patrick de Paula registrou no segundo semestre de 2020 suas três maiores sequências de titularidade: uma de seis jogos e duas de sete. No Brasileirão, disputou 25 das 36 partidas do time, sendo 22 como titular, e também é o líder do elenco atual dentre os atletas de linha em minutos no torneio nacional, com 1897, seguido de Gabriel Menino, 1937, e do zagueiro Luan, 1903 (apenas o goleiro Weverton possui mais, com 2556).

Incorporado ao elenco principal do Verdão em janeiro, a Cria da Academia disputou sua primeira Libertadores como profissional e já foi campeão – nesta edição, já atuou seis vezes e venceu todas: contra Guaraní-PAR, por 3 a 1 no Allianz Parque (fase de grupos), Bolívar-BOL, por 5 a 0, também no Allianz Parque (fase de grupos), e contra o Delfín-EQU, nos dois jogos das oitavas de final, River Plate (fora, 3×0) e Santos (1×0 no Maracanã, jogo do título), sendo que em dois destes jogos o volante participou de gols do Verdão: no jogo contra o time paraguaio, pela segunda rodada, iniciou a construção da jogada, passando a bola para Dudu, que, por sua vez, concedeu a assistência para Luiz Adriano marcar o seu terceiro no jogo; e contra o time boliviano, também começou o lance do gol, encontrando Wesley, que concedeu passe para Rony marcar de cabeça na quinta rodada e fechar a goleada por 5 a 0.

O jogador, na atual temporada, é o terceiro colocado na lista de palmeirenses com mais interceptações de jogadas adversárias em 2020 (ou seja, quando o passe, lançamento ou cruzamento rival é impedido no meio do caminho) com 28 ao todo, atrás de Gabriel Menino, com 30, e de Viña, líder, com 32, e também aparece bem no quesito desarmes: é o quinto colocado do time na temporada, com 76 roubos de bola, atrás apenas de Gabriel Menino (88), de Viña (107), de Zé Rafael (109),  e do líder Marcos Rocha (123).

Autor do gol que abriu caminho para a vitória por 3 a 0 sobre o Athletico-PR pelo Brasileiro, em casa, no primeiro turno, e no jogo seguinte, na vitória por 5 a 0 diante do Delfín-EQU, também em casa (jogo que valeu classificação às quartas de Libertadores), o camisa 5 também havia marcado no empate por 1 a 1 com o Flamengo no primeiro turno do Nacional e feito os gols que garantiram as vitórias por 2 a 1 sobre o Santos, também pelo Brasileiro, e por 1 a 0 sobre a Ponte Preta, na semifinal do Paulista, o garoto de 21 anos foi o responsável pela quinta cobrança do Verdão na disputa de pênaltis na final do Paulista, garantindo o 23º título estadual da história do clube.

Captado pelo Palmeiras em 2017 quando atuava no futebol amador do Rio de Janeiro, sua cidade natal, Patrick fazia inicialmente a função de meia, mas assumiu o protagonismo na base quando passou a jogar mais recuado, como primeiro volante (atuou até improvisado como zagueiro em algumas partidas). Campeão brasileiro Sub-20 em 2018, faturou ainda a Copa do Brasil Sub-20 em 2019 e quatro títulos paulistas seguidos (2017, 2018 e 2019 pelo Sub-20 e 2020 pelo Profissional) no clube.

GABRIEL MENINO: CRIA DA ACADEMIA COM MAIS JOGOS EM E MINUTOS 2020; GARÇOM DO TIME NA TEMPORADA; TERCEIRO EM DRIBLES E EM PASSES PARA FINALIZAÇÕES GERAIS; VICE-LÍDER EM INTERCEPTAÇÕES

Gabriel Menino é a Cria da Academia que fez mais jogos na temporada (60, contra 50 de Patrick de Paula). No segundo semestre de 2020, ele chegou a emplacar uma sequência de 17 partidas de titularidade, também a maior de um prata da casa na temporada atual. Ele também é a Prata da Casa com mais minutos em campo na temporada atual (4225) e fechou a Libertadores em primeiro no quesito dentre oriundos da base (1055).

Alçado ao elenco profissional no início de 2020, o jovem de 20 anos tem a polivalência como característica, tanto que já foi utilizado em todas as posições do meio-campo e como ala – inclusive, foi escalado na lateral direita em nove dos últimos 22 jogos em que atuou como titular e registrou cinco assistências, passando a ser o garçom do Verdão na temporada atual, com dez passes ao todo, seguido de Rony (9), e de Viña e Scarpa (ambos com 8). No Brasileiro, é o garçom da equipe, isolado, com sete passes a gol, seguido de Scarpa, com cinco.

Na atual temporada, Menino aparece como o segundo que mais proporciona chutes a gol, com 62 assistências para finalizações, atrás só de Lucas Lima, com 72 (números do Footstats, que não incluem os passes que resultaram em bola na rede), o segundo que mais intercepta jogadas adversárias (ou seja, quando o passe, lançamento ou cruzamento rival é impedido no meio do caminho) com 30 intervenções, atrás de Vinã, com 32; além disso, figura ainda no top 5 de jogadores do Palmeiras que mais desarmam na temporada, na quarta posição, com 88 roubos de bola, e é o terceiro do time em dribles na temporada, com 31 fintas, atrás de Rony, 32, e Zé Rafael, líder, com 41.

Contra o Bolívar-BOL, em setembro, o camisa 25 anotou o seu primeiro gol como profissional, selando a vitória por 2 a 1 em La Paz, e aparece como o terceiro jogador mais jovem a balançar a rede pelo Verdão na Libertadores: 19 anos, 11 meses e 16 dias, desbancando Keirrison, que em 2009 marcou contra o Real Potosí-BOL aos 20 anos, 1 mês e 26 dias – o recorde é de Gabriel Veron, que com 18 anos, um mês e 19 dias deixou sua marca contra o Tigre-ARG, em 21/10/2020, enquanto Gabriel Jesus é o segundo colocado com o gol aos 18 anos, 10 meses e 13 dias contra o River Plate-URU em 2016. Contra o Delfín-EQU, no duelo de ida das oitavas, no Equador (vitória por 3 a 1), o camsa 25 também deixou sua marca ao fazer o gol que abriu o placar – o fez novamente no jogo mais recente do time, pela Libertadores, vitória por 3 a 0 diante do Libertad-PAR, em casa – jogo este que valeu a classificação às semifinais do Continental, quando fechou a contagem em 3 a 0 – Menino soma três gols pelo Verdão, todos pela Libertadores.

Natural de Morungaba (SP), Menino foi captado pela base do Palmeiras em 2017, quando atuava no Guarani, e logo se destacou, inclusive sendo convocado para defender a Seleção Brasileira Sub-20 no Sul-Americano de 2019. Campeão brasileiro Sub-20 em 2018, faturou também a Copa do Brasil Sub-17 em 2017 e três títulos paulistas seguidos (2018 e 2019 pelo Sub-20 e 2020 pelo profissional) no clube.

MARCOS ROCHA: LÍDER EM DESARMES E TERCEIRO EM PASSES PARA FINALIZAÇÕES NA TEMPORADA; TOP 5 EM INTERCEPTAÇÕES; SEGUNDO GARÇOM GERAL DO ATUAL ELENCO E VICE-GARÇOM DA HISTÓRIA DO ALLIANZ PARQUE

Com o passe a gol para Lucas Lima na vitória mais recente do time (3 a 0 sobre o Fortaleza), Rocha chegou a 21 assistências desde que veio para o Verdão, em 2018 e, com este número, atualmente, divide a vice-liderança geral do elenco atual no quesito garçom, ao lado do próprio Lucas Lima (a quem serviu) – ambos atrás só de Willian Bigode, com 22.

No Allianz Parque, casa palmeirense, Rocha soma 13 assistências – no geral da recente história do estádio, com essa configuração atual, inaugurado em 2014, ele é o segundo maior garçom, atrás só de Dudu, com 35 assistências, seguido de Willian, com 11, de Róger Guedes de Robinho (ambos com 10) e de Lucas Lima (com nove). O camisa 2 foi o segundo maior garçom de 2019 ao lado de Gustavo Scarpa, ambos com sete passes a gol, atrás apenas de Dudu, com 18.

Além disso, Marcos Rocha é o líder do time em desarmes na atual temporada, com 123 bolas neutralizadas, seguido Zé Rafael, com 109 (números do Footstats) – em 2019, o camisa 2 fechou o Campeonato Brasileiro como o atleta que mais desarmou jogadas na competição, com 103 interceptações, à frente de Gregore, do Bahia, vice com 102, e do ex-palmeirense Diogo Barbosa, terceiro com 80.

O camisa 2 também é o terceiro colocado em assistência para finalizações na temporada, com 60 passes para conclusões de jogadas, atrás só de Gabriel Menino, com 62, e do líder Lucas Lima, com 72 (números do Footstats que não incluem os passes que resultaram em bola na rede), além de figurar no top 5 em interceptações, na quarta posição, com 22 ações (ou seja, quando passes, lançamentos e cruzamentos são evitados no meio do caminho), atrás só de Gustavo Gómez (23), de Patrick de Paula (28), de Gabriel Menino (30) e de Viña (32).

MAYKE: POLIVALENTE E TOP 10 EM INTERCEPTAÇÕES EM 2020; PRESENTE NAS ÚLTIMAS SEIS PARTIDAS DO BRASILEIRO E TITULAR EM CINCO

Presente nas últimas seis partidas do Palmeiras pelo Brasileiro e titular em cinco delas, Mayke vem dividindo o protagonismo da lateral-direita ao lado de Marcos Rocha – Mayke também foi titular de sua posição na segunda das duas partidas disputadas pelo Verdão contra o Al Ahly-EGI, pela Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020.

O camisa 12 tem a polivalência como uma de suas características, já que, nesta temporada, chegou a atuar improvisado algumas vezes como lateral-esquerdo e como meio-campista, como foi o caso, por exemplo, nas partidas diante do Ceará, em 18/11, pela Copa do Brasil (quando o lateral-esquerdo Viña estava com Covid e Lucas Esteves, reserva imediato, lesionado), diante do Goiás, pelo Brasileiro, em 21/11 (foi escalado como meio-campista) e em 21/11, diante do Delfín-EQU, pela Libertadores (quando atuou novamente na ala esquerda).

Pela Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020, na semifinal diante do Tigres-MEX, Mayke entrou em campo aos 26 do segundo tempo, substituindo Marcos Rocha na ala direita. No segundo jogo, contra o Al Ahly-EGI, pela Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020, disputa pelo terceiro lugar, o atleta foi o titular da posição.

O jogador figura no top 10 de palmeirenses com mais interceptações em 2020, impedindo passes, cruzamentos ou lançamentos de adversários em 20 oportunidades (diferentemente de um desarme, quando a bola é roubada dos pés do jogador rival), ocupando a 8ª colocação, ao lado de Zé Rafael.

MATÍAS VIÑA: LÍDER EM INTERCEPTAÇÕES; VICE-LÍDER EM ASSISTÊNCIAS E EM DESARMES DO TIME NA TEMPORADA; FECHOU A LIBERTADORES COMO PALMEIRENSE DE LINHA COM MAIS MINUTOS EM CAMPO

Figura constantemente presente nas convocações da Seleção Uruguaia, o lateral-esquerdo do Verdão, que fez gol na última partida do time, contra o Atlético-GO, empate por 1 a 1 no Allainz Parque, pela 37ª rodada, vem bem na temporada atual na estatística defensiva de interceptações (ou seja, quando o passe, lançamento ou cruzamento rival é impedido no meio do caminho). São 32 ao todo e, desta forma, aparece como o primeiro colocado no quesito, seguido de Gabriel Menino (30). Além disso, é um dos jogadores com mais desarmes no atual elenco, sendo o terceiro colocado na temporada neste quesito, com 107 roubos de bola (atrás só de Zé Rafael, 109, e de Marcos Rocha, com 123).

Viña é dono de uma estatística curiosa. Apesar de ter jogado 12 vezes nesta Libertadores (um jogo a menos do que Weverton e Gustavo Gómez), o uruguaio fechou a edição campeã como o jogador de linha do elenco com mais minutos em campo (atrás apenas de Weverton): foram 1132 minutos, seguido de Gómez, com 1109; Weverton terminou como líder independentemente da posição, com 1271.

Além dos atributos defensivos, o jogador também dá sua contribuição no ataque: fez o último gol na vitória por 3 a 0 no compromisso do Verdão fora de casa diante do River Plate-ARG, no dia 05 do último mês, pela CONMEBOL Libertadores, jogo de ida das semifinais do torneio continental – foi o seu segundo tento pelo Verdão e também na competição sul-americana (o gol foi importante para que o time se classificasse mesmo perdendo na volta por 2 a 0).

Além disso, por praticamente metade desta temporada, o uruguaio liderou o quesito de atleta com mais assistências no time na temporada atual. Entretanto, com três passes a gol recentes de Gabriel Menino (dois diante do Athletico-PR, vitória por 3 a 0, em 28/11, e outro sobre o RB Bragantino, em 27/12), e outro de Rony, foi ultrapassado e, agora, com oito passes a gol, é o segundo colocado em assistências gerais na temporada, ao lado de Rony, com nove – ambos atrás só de Gabriel Menino (líder, com dez).

O uruguaio é um reforço que chegou neste ano do Nacional-URU e, apesar das poucas partidas pelo Verdão (47 ao todo), está na história do clube como o quinto uruguaio que mais defendeu a equipe em todos os tempos; completam a lista: Ventura Cambon (4º, com 53), Héctor Silva (3º, com 80), Villadoniga (2º, com 137) e Diogo (líder do ranking, com 146).

LUCAS ESTEVES: MULTICAMPEÃO NA BASE; PRESENTE EM CINCO DOS ÚLTIMOS NOVE JOGOS DO PALMEIRAS; TITULAR EM DOIS DOS TRÊS MAIS RECENTES

Em campo em cinco dos últimos nove jogos do Palmeiras e titular em três (em dois dos três mais recentes), Lucas Esteves tem sido figura constante na equipe palmeirense: no dia 25 do último mês, revés por 2 a 1 para o Ceará fora de casa, após Gustavo Scarpa iniciar a partida na lateral esquerda, o jogador entrou no segundo tempo e deu conta do recado, e, depois, entrou novamente em um duelo do time pelo Nacional, porém como atacante, improvisado na ponta-esquerda contra o Vasco (posição que repetiu nos dois duelos mais recentes que disputou), na 32ª rodada, como titular (empate por 1×1 em casa) – a chance nessa nova posição, muito se deve, é claro, ao fato de o time principal ter sido preservado para a final da Libertadores.

Antes disso, Esteves havia tido sequência em novembro, quando enfrentou o Ceará, 18/11, Goiás, 21/11, e Delfín-EQU, 25/11 – na oportunidade, Viña estava com Covid-19. O lateral-esquerdo estreou pelo Palmeiras em março de 2019, pelo Campeonato Paulista, contra a Ponte Preta, no Allianz Parque, com vitória por 1 a 0 (gol de Raphael Veiga). Naquela ocasião, o técnico Luiz Felipe Scolari mandou a campo: Fernando Prass; Marcos Rocha, Edu Dracena, Vitão (Raphael Veiga, 25’/2ºT) e Diogo Barbosa; Jean e Thiago Santos; Felipe Pires, Lucas Lima e Zé Rafael (Lucas Esteves, 43’/2ºT); Carlos Eduardo (Leo Passos, 36’/1ºT).

Após ter treinado com frequência e ter estreado pelo time principal em 2019, o jogador ganhou oportunidade no time de cima novamente em 2020, quando foi definitivamente alçado ao elenco profissional do Verdão nesta temporada: as primeiras atuações do atleta já foram como titular em outubro, já que, naquela ocasião, o time vivia desfalques na posição com Viña na Seleção Uruguaia e as recentes saídas de Victor Luis (para o Botafogo) e Diogo Barbosa (Grêmio) – inclusive, logo depois que Mayke, lateral-direito de origem, fez a função de lateral-esquerdo improvisado pela primeira vez.

Foi então que Esteves surgiu como titular do Palmeiras diante do São Paulo, em 10/10, fazendo sua primeira partida em 2020 e a primeira de Campeonato Brasileiro pelo clube, e voltou a sair jogando no duelo seguinte, diante do Coritiba, em 14/10, no mesmo Allianz Parque, também pelo Brasileirão, mas acabou sendo substituído no primeiro tempo devido a uma lesão muscular. Após pouco mais de um mês de recuperação, o jogador voltou a atuar e emplacou a recente série de três partidas seguidas (diante do Ceará, 18/11, Goiás, 21/11, e Delfín-EQU, 25/11).

Mais uma Cria da Academia, o jogador está no Palmeiras desde 2014, quando passou a integrar o elenco Sub-15, o jovem de 20 anos foi um dos destaques de uma geração que conquistou títulos inéditos e importantes pela base do clube, como a Copa do Brasil Sub-17 (2017), o Brasileiro Sub-20 (2018), a Copa RS Sub-20 (2018), a Copa do Brasil Sub-20 (2019) e o Bi Paulista Sub-20 (2018 e 2019), além de dezenas de taças no exterior. Em 2019, pelo Sub-20, Esteves disputou 38 partidas e marcou sete gols.

GUSTAVO GÓMEZ: CAPITÃO QUE ERGUEU A LIBERTA; A UM GOL DE ENTRAR PARA LISTA DE ZAGUEIROS COM MAIS TENTOS NESTE SÉCULO; NA TEMPORADA 2020, É TOP 5 EM INTERCEPTAÇÕES E JOGADOR DE LINHA COM MAIS MINUTOS

Um dos responsáveis por erguer a taça da Libertadores da América, ao lado de Felipe Melo, Gustavo Gómez soma 115 jogos pelo Verdão e, com isso, integra um seleto grupo de jogadores com 100 ou mais jogos que atuaram pelo Alviverde. São eles: Zé Rafael (100), Raphael Veiga (108), Gustavo Scarpa (117), Mayke (118), Luan (129), Marcos Rocha (142), Weverton (157), Lucas Lima (162), Felipe Melo (179) e Willian (217). Ele é o jogador, ao lado de Weverton, que fechou a Libertadores 2020 com mais partidas (atuou em todos os 13 jogos possíveis).

Gómez atuou em 56 dos 76 jogos do Verdão na temporada atual e está no top 5 de jogadores com mais interceptações na temporada, na quarta colocação (ou seja, quando o passe, lançamento ou cruzamento rival é impedido no meio do caminho) com 23, intervenções, atrás só de Patrick de Paula, com 28, de Gabriel Menino, com 30, e de Viña, líder, com 32. Marcos Rocha e Luan, ambos com 22, completam o top 5.

Na temporada de 2020, dentre os palmeirenses, Gustavo Gómez aparece como o jogador de linha que tem mais tempo em campo: somando os minutos do Paulista, da Copa do Brasil, da Libertadores e do Brasileiro, além dos amistosos (Florida Cup), são 4732 minutos em campo – tempo este que nenhum outro jogador de linha time passou em atividade. Apenas o goleiro Weverton supera Gómez neste quesito: 6170 minutos ao todo.

No ataque, o zagueiro também tem dado a sua contribuição. Com 13 gols pela agremiação palestrina desde que chegou (sendo o 7º artilheiro do atual elenco, atrás só de Willian, com 56, de Luiz Adriano, com 27, Raphael Veiga, 25 de Veiga e Gustavo Scarpa, com 22, e à frente de Felipe Melo e de Zé Rafael, ambos com 12), o paraguaio está a uma bola na rede do top 5 de estrangeiros com mais gols pelo Palmeiras na era dos pontos corridos do Brasileirão: é o sexto da lista, com seis tentos (ao lado compatriota Lucas Barrios, do colombiano Mina e do venezuelano Guerra), um a menos do que o atacante argentino Gioino, com sete – completam a lista o também argentino Cristaldo, com nove; o colombiano Borja, com dez; mais um argentino, Barcos, com 14; e o chileno Valdivia, com 15. O zagueiro, aliás, nunca passou uma temporada em branco desde que chegou ao Palmeiras: além de cinco gols de 2020, marcou cinco vezes em 2019 e outras três vezes em 2018.

No geral, com seus 13 gols, Gómez precisa de apenas mais uma bola na rede para entrar no top 10 de zagueiros-artilheiros do Verdão em todos os tempos, igualando Nen e Henrique na 9ª posição (ambos com 14 gols). Completam o ranking Júnior Baiano e Roque Júnior (16 gols), Daniel (18), Bianco Gambini (20), Cléber (21), Vágner Bacharel (22), Loschiavo (33) e Luís Pereira (36).

Gómez, aliás, é um dos três palmeirenses a ter marcado em todas as competições regulares disputadas nas competições oficiais da temporada atual – os outros são Raphael Veiga e Luiz Adriano. Ele balançou as redes uma vez pelo Paulistauma pelo Brasileirouma pela Copa do Brasil e duas pela Libertadores. Raphael Veiga pontuou uma vez no Paulista, 11 no Brasileiro até aqui (sendo o artilheiro do time na competição, seguido de Luiz Adriano, com dez), duas na Libertadores e outras quatro na Copa do Brasil (que também faz dele o artilheiro do time no torneio nacional), enquanto Luiz Adriano fez três gols pelo Estadual, dez pelo Brasileirão, cinco pela Libertadores e dois na Copa do Brasil.

O paraguaio teve Luan como seu companheiro de zaga mais frequente na temporada atual: 27 jogos. Ao lado de Luan, perdeu só duas vezes no ano – 2 a 0 para o Inter no Beira Rio e diante do Tigres-MEX no mundial de clubes (24 partidas, 13 vitórias, nove empates, duas derrotas e 13 gols sofridos) e tem retrospecto geral de 63 jogos, 38 vitórias, 18 empates e sete derrotas, com 31 gols sofridos (média de 0,49 gol sofrido por partida).

Ao lado do Pitbull, foram 12 vitórias, sete empates e somente uma derrota, com apenas nove gols sofridos (média de 0,45 gol sofrido por partida).

No dia 21 de novembro, quando o técnico Abel Ferreira escalou uma linha defensiva composta por três zagueiros, Gómez iniciou uma partida ao lado de Renan e de Emerson Santos pela primeira vez
 e, nos dois jogos seguintes, contra o Delfín-EQU, vitória por 3 a 1 fora de casa pelo jogo de ida das oitavas de final da Libertadores, e mais recentemente Athletico-PR, no triunfo por 3 a 0 em casa pelo Brasileiro, o time voltou a ter uma dupla de zaga no esquema tático e Gómez fez parceria com Emerson Santos, algo que voltou a acontecer no empate por 1 a 1 contra o América-MG pela Copa do Brasil, em casa  portanto, ao lado do camisa 3 são quatro jogos, duas vitórias, duas derrotas e três gols sofridos.

Em 2019, Gómez e Luan atingiram a expressiva marca de 1081 minutos consecutivos sem sofrer gols (sem considerar os acréscimos), segunda maior sequência instransponível de uma dupla de zagueiros na história do Palmeiras – o recorde ainda pertence a Marcio e Vágner Bacharel, que, em 1987, garantiram que o time ficasse sem levar gols por exatos 1.148 minutos (sem acréscimos). Um ano antes, durante a campanha do decacampeonato brasileiro de 2018, eles já haviam contribuído para estabelecer o recorde palmeirense de menos gols sofridos na história do Brasileirão de pontos corridos: apenas 26 tentos tomados (a marca anterior era de 32, na caminhada do título de 2016).

Com Kuscevic, foram dois jogos: coincidentemente, duas vitórias sobre tricolores por 3 a 0 no Allianz Parque – contra o Bahia, em 12/12, e diante do Fortaleza, em 14/02. O duelo diante do Tricolor Baiano, aliás, foi o primeiro no qual o time iniciou a escalação com uma dupla de zaga gringa (formada pelo paraguaio Gustavo Gómez e pelo chileno Benjamin Kuscevic) – e não sofreu nenhum gol. Antes disso, a última zaga estrangeira havia sido formada pelo argentino Tobio e pelo uruguaio Victorino, em setembro de 2014 – vitória por 1 a 0 sobre o Criciúma-SC no Pacaembu, com gol de Cristaldo –essa foi a primeira dupla de zaga estrangeira da história do Allianz Parque, inaugurado em novembro de 2014.

FELIPE MELO: CAPITÃO QUE ERGUEU A LIBERTA E SEGUNDO JOGADOR DO ELENCO COM MAIS JOGOS E VITÓRIAS; SÉTIMO EM TRIUNFOS NO SÉCULO

Um dos responsáveis por erguer a taça da Libertadores da América, ao lado de Gustavo Gómez, Felipe Melo entrou nos minutos finais da partida da Libertadores. Ele ficou os últimos três meses sem atuar, desde 08/11/2020, quando sofreu fratura no tornozelo esquerdo na vitória sobre o Vasco por 1 a 0 em São Januário, pelo Campeonato Brasileiro, e precisou passar por cirurgia.

Felipe Melo, recuperado de lesão, retornou ao time no 18 de janeiro, no clássico por 4 a 0 diante do Corinthians após ter sido relacionado para o banco de reservas (mas não entrou em campo), diante do Ceará, no dia 24 do último mês. A primeira vez em que entrou como titular, entretanto, foi no contra o Vasco, empate por 1 a 1 no Allianz Parque, no último dia 26 – voltou a ser titular diante do Botafogo-RJ, pelo Brasileiro, empate por 1 a 1 em casa, após entrar nos minutos finais da final da Libertadores, contra o Santos, no Maracanã.

Apesar do tempo longe dos gramados, ele segue como o atleta que mais vezes vestiu a braçadeira de capitão na temporada: foram 33 vezes iniciando uma partida com o adereço do autoridade máxima em seu braço, seguido de Gustavo Gómez, com 20.

Segundo jogador do atual elenco com mais vitórias com a camisa alviverde, Felipe Melo chegou a 108 triunfos pelo Palmeiras contra o Fortaleza, pelo Campeonato Brasileiro e, com isso, ocupa a sétima colocação na lista dos que mais venceram pelo clube neste século, atrás apenas de Willian (6º, com 116), Márcio Araújo (5º colocado com 118), Valdivia (4º com 122), Fernando Prass (3º com 151), Dudu (2º com 174) e Marcos (1º com 182).

Do atual elenco, Felipe Melo é o vice-líder em jogos, com 178 partidas, atrás só de Willian (217). Na semifinal do Paulista diante da Ponte Preta, quando alcançou sua 155ª partida pela equipe, ele fez do Palmeiras o clube que mais defendeu na carreira (pelo Galatasaray-TUR, foram 154). Além disso, o defensor ocupa a quarta colocação entre os palmeirenses que mais atuaram no Allianz Parque com 77 jogos, à frente de Vitor Hugo, e atrás só de Willian (2º, com 88), de Fernando Prass (3º, com 86) e de Dudu (1º com 127).

Recuado para a zaga no início de 2020, o camisa 30 voltou a atuar mais frequentemente como volante sob o comando de Abel Ferreira. Uma estatística do Pitbull, aliás, chama a atenção: apesar do tempo fora, ele está no top 10 dentre os jogadores do elenco que mais interceptam jogadas em 2020 (ou seja, quando o passe, lançamento ou cruzamento rival é impedido no meio do caminho), com 21 ações, na sétima colocação.

LUAN: TOP 5 DE PALMEIRENSES COM MAIS INTERCEPTAÇÕES NA TEMPORADA ATUAL; TITULAR EM 13 DOS ÚLTIMOS 21 JOGOS

Titular em 13 dos últimos 21 jogos do time (inclusive na final da Libertadores), Luan aparece na temporada atual no top 10 de interceptações no ano (ou seja, quando passes, lançamentos e cruzamentos são evitados no meio do caminho) com 22 ações ao todo, ocupando a quinta posição, ao lado de Marcos Rocha.

O camisa 13 é um dos atletas do elenco que já ultrapassaram a marca de 100 jogos pelo clube (são 128 ao todo), atrás apenas de Marcos Rocha, com 141, Weverton, com 156, Lucas Lima, com 161, Felipe Melo, com 178, e Willian, com 217, e à frente de Raphael Veiga, com 107, Gustavo Gómez (114), Gustavo Scarpa (117), Mayke (118).

Luan formou a zaga com Felipe Melo só três vezes (uma vitória, duas derrotas e quatro gols sofridos), enquanto que, ao lado de Gustavo Gómez, perdeu só duas vezes no ano – 2 a 0 para o Inter no Beira Rio e diante do Tigres-MEX no mundial de clubes (24 partidas, 13 vitórias, nove empates, duas derrotas e 13 gols sofridos) e tem retrospecto geral de 63 jogos, 38 vitórias, 18 empates e sete derrotas, com 31 gols sofridos (média de 0,49 gol sofrido por partida).

Em 2019, Luan e Gómez atingiram a expressiva marca de 1081 minutos consecutivos sem sofrer gols (sem considerar os acréscimos), segunda maior sequência instransponível de uma dupla de zagueiros na história do Palmeiras – o recorde ainda pertence a Marcio e Vágner Bacharel, que, em 1987, garantiram que o time ficasse sem levar gols por exatos 1.148 minutos (sem acréscimos). Um ano antes, durante a campanha do decacampeonato brasileiro de 2018, eles já haviam contribuído para estabelecer o recorde palmeirense de menos gols sofridos na história do Brasileirão de pontos corridos: apenas 26 tentos tomados (a marca anterior era de 32, na caminhada do título de 2016).

Com Emerson Santos, Luan formou dupla titular uma única vez, na vitória por 3 a 1 sobre o Junior Barranquilla-COL pela Libertadores de 2018. Eles jogaram juntos também em parte dos amistosos contra Deportivo Árabe Unido-PAN e Liga Alajuelense-COS, em 2018, e contra o Atlético Nacional-COL, pela Florida Cup 2020, todos sem sofrer gols. Ao lado de Alan Empereur, atuou três vezes: em 05/12/2020, diante do Santos (empate por 2 a 2 fora de casa, pelo Brasileiro), em 27/12/2020 (vitória por 1 a 0 sobre o Bragantino, em casa, pelo Brasileiro) e em 15/01/2021 (empate com o Grêmio por 1 a 1). Com Kuscevic, são dois jogos: uma vitória e um revés (Luan atuou pela primeira vez lado a lado do chileno no último dia 09, vitória por 1 a 0 sobre o Sport, fora de casa, pelo Brasileiro, e voltou a jogar no revés diante do Flamengo, como visitante, no Mané Garrincha, por 2 a 0). Já com Renan, jamais atuou iniciando um duelo.

EMERSON SANTOS: ZAGUEIRO POLIVALENTE, PRESENTE EM 17 DOS ÚLTIMOS 26 JOGOS E PRIMEIRO GOL PELO VERDÃO NO ÚLTIMO DUELO EM QUE ATUOU

Reforço vindo do Botafogo na temporada de 2018, ano em que estreou pelo clube palmeirense, Emerson Santos fez valer a lei do ex na mais recente partida em que esteve em campo, pois marcou pela primeira vez com a camisa do Verdão no último dia 02, pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro, justamente sobre seu ex-clube, que, inclusive, o revelou para o futebol: no time da estrela solitária, ele foi campeão carioca Sub-20 em 2014. Em 2015, foi integrado à equipe profissional. Em 2016 e 2017, destacou-se e chamou a atenção do Palmeiras, que firmou vínculo com o defensor por cinco temporadas (até o fim de 2022).

O atual camisa 3 estreou pelo clube em 2018 em um jogo de Libertadores (entrou aos 42 minutos do segundo tempo contra o Alianza Lima-PER, quando o Palmeiras já vencia por 3 a 1). O jogo seguinte à sua estreia foi na vitória por 3 a 1 diante do Junior Barranquilla-COL, também pela Libertadores de 2018 – nesta partida, ele atuou por 90 minutos pela primeira vez (ao lado de Luan).

Depois, devido à grande concorrência na posição, o zagueiro só fez mais duas partidas em 2018 (nos amistosos contra o panamense Club Deportivo Árabe Unido, 2 a 0 a favor do Verdão no Panamá, e contra o costa-riquenho Liga Alajuelense, 6 a 0 para o Palmeiras na Costa Rica, entre junho e julho), antes de ser emprestado ao Internacional, pelo qual disputou o Brasileiro daquele ano e de 2019, até retornar ao Verdão no início de 2020.

Em julho de 2018, o zagueiro foi emprestado para o Internacional, clube pelo qual disputou os Campeonatos Brasileiros de 2018 e 2019. Emerson Santos voltou a integrar o elenco alviverde no início de 2020. O jogador tem como características principais o chute forte e a marcação.

Após voltar ao time no início de 2020, o camisa 3 atuou como reserva, entrando no intervalo, no lugar de Gustavo Gómez, no primeiro jogo da temporada: Palmeiras 0x0 Atlético Nacional de Medellín-COL, pela Florida Cup. Depois, ficou um período apenas compondo banco de reservas até passar, definitivamente, a figurar nos jogos do Palmeiras: fez duas partidas em outubro e, a partir de novembro, passou a ser definitivamente assíduo – desde o mês 11, esteve presente em 19 dos últimos 29 jogos, sendo titular em 13 ocasiões – sendo que, nos últimos 26 duelos, atuou em 17.

Diante do Santos, pelo Brasileiro, na Vila Belmiro, no dia 05/12, e no dia 12/12, contra o Bahia, vitória por 3 a 0, ambos pelo Brasileiro, o jogador foi escalado na titularidade como volante – fato que se repetiu mais vezes depois ao longo da temporada. E na vitória por 1 a 0 sobre o Sport – a mais recente fora de casa pelo Brasileiro – ele jogou como lateral-direito titular, dando mostra de que é ainda mais versátil.

KUSCEVIC: TEVE ATUAÇÃO IMPECÁVEL CONTRA O RIVER NA LIBERTADORES E COMPONENTE DA PRIMEIRA DUPLA DE ZAGA ESTRANGEIRA DA HISTÓRIA DO ALLIANZ PARQUE

De volta após duas rodadas de suspensão (por ter sido expulso há duas rodadas e também por ter acumulado o terceiro cartão amarelo no mesmo jogo, portanto, pegou dois jogos de suspensão e já os cumpriu), o jovem defensor chileno terá a chance de jogar novamente pelo time nesta quinta-feira (25), pelo Brasileirão, já que agora é o zagueiro Luan quem está suspenso.

O camisa 4 foi muito importante no segundo encontro com o River Plate-ARG, no Allianz Parque, no embate de volta das semifinais, o primeiro dele na Libertadores 2020. Kuscevic entrou na lateral direita ao longo da partida, no lugar de Marcos Rocha, e colaborou bastante para o Verdão garantir a vaga na grande decisão da competição.

Com Gustavo Gómez, foram dois jogos em que atuou lado a lado: coincidentemente, duas vitórias sobre tricolores por 3 a 0 no Allianz Parque – contra o Bahia, em 12/12, e diante do Fortaleza, em 14/02. O duelo diante do Tricolor Baiano, aliás, foi o primeiro no qual o time iniciou a escalação com uma dupla de zaga gringa (formada pelo paraguaio Gustavo Gómez e pelo chileno Benjamin Kuscevic) – e não sofreu nenhum gol. Antes disso, a última zaga estrangeira havia sido formada pelo argentino Tobio e pelo uruguaio Victorino, em setembro de 2014 – vitória por 1 a 0 sobre o Criciúma-SC no Pacaembu, com gol de Cristaldo –essa foi a primeira dupla de zaga estrangeira da história do Allianz Parque, inaugurado em novembro de 2014.

Antes disso, a última zaga estrangeira havia sido formada pelo argentino Tobio e pelo uruguaio Victorino, em setembro de 2014 – vitória por 1 a 0 sobre o Criciúma-SC no Pacaembu, com gol de Cristaldo. Essa foi a única vez até aqui em que Gómez e Kuscevic jogaram juntos iniciando uma partida – sendo essa a primeira dupla de zaga estrangeira da história do Allianz Parque, inaugurado em novembro de 2014.

Com Luan, Kuscevic atuou em dois jogos: uma vitória e um revés (Luan atuou pela primeira vez lado a lado do chileno no dia 09 do último mês, vitória por 1 a 0 sobre o Sport, fora de casa, pelo Brasileiro, e voltou a jogar no revés diante do Flamengo, como visitante, no Mané Garrincha, por 2 a 0). Com Alan Empereur, Kuscevic atuou duas vezes:um empate por 1 a 1 com o Vasco no Allianz Parque, no dia 26 do último mês, e o revés para o Coritiba no jogo mais recente, após o chileno ter sido injustamente expulso aos 17 do segundo tempo (o Verdão sofreu o gol da derrota aos 42). Já com Renan, jamais atuou iniciando um duelo.

Ao todo, o chileno soma 11 jogos pelo Maior Campeão do Brasil: quatro vitórias, quatro empates e três reveses.

ALAN EMPEREUR: PRESENTE EM CINCO DOS ÚLTIMOS SETE JOGOS DO TIME

Alan Empereur ganhou destaque na Libertadores 2020 ao ter uma atuação memorável na histórica vitória por 3 a 0 sobre o River Plate-ARG, no primeiro jogo das semifinais. Por conta de uma lesão de última hora de Luan, o jogador ganhou a oportunidade de fazer dupla com Gustavo Gómez e não decepcionou. O jogo foi importante para que o Verdão pudesse avançar à fase final (mesmo perdendo na semi no jogo de volta por 2 a 0) e, depois, consagrar-se campeão sobre o Santos em final única no Maracanã – Empereur esteve presente em campo nesta partida, ao entrar nos minutos finais, na vaga de Raphael Veiga.

Antes disso, o palestrino já havia participado da goleada por 5 a 0 sobre o Delfín-EQU, entrando no lugar de Gustavo Scarpa. Na final contra o Santos, Alan fez a sua primeira partida da carreira no estádio do Maracanã. Ao todo, Empereur soma 14 jogos pelo Verdão, com oito vitórias, quatro empates e duas derrotas – foi titular no contra o Botafogo-RJ, pelo Brasileirão (empate por 1 a 1 no Allianz Parque), no último dia 2.

Ao lado de Luan, Alan Empereur atuou três vezes
: em 05/12/2020, diante do Santos (empate por 2 a 2 fora de casa, pelo Brasileiro), em 27/12/2020 (vitória por 1 a 0 sobre o Bragantino, em casa, pelo Brasileiro) e em 15/01/2021 (empate com o Grêmio por 1 a 1). Já com Gómez, Empereur atuou três vezes: uma vitória (contra o River Plate-ARG, 3×0) e dois reveses (River Plate-ARG, por 2 a 0, e Ceará, fora de casa, por 2 a 1 pelo Brasileiro).

Com Kuscevic, Empereur atuou duas vezes:um empate por 1 a 1 com o Vasco no Allianz Parque, no dia 26 do último mês, e o revés para o Coritiba no jogo mais recente, após o chileno ter sido injustamente expulso aos 17 do segundo tempo (o Verdão sofreu o gol da derrota aos 42).

Dos últimos sete jogos do Verdão, o camisa 33 (usou a 6 na Libertadores) esteve presente em quatro
: Ceará (Brasileiro, revés por 2 a 1, fora de casa; titular), Vasco (empate por 1 a 1 em casa, pelo Brasileiro; titular), Santos (vitória por 1 a 0 em campo neutro na final da Libertadores, jogo do título; reserva) e Botafogo-RJ – ficou de fora contra o Tigres-MEX pela Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020, em campo neutro, além dos duelos com Coritiba e São Paulo (ambos fora de casa, pelo Brasileiro).

Natural de Ipatinga-MG, o zagueiro canhoto de sobrenome francês começou no Atlético-MG, mas com apenas 13 anos se transferiu para as categorias de base da Fiorentina-ITA, atuando frequentemente como capitão das equipes Sub-15, Sub-17 e Sub-19. Como profissional, rodou por algumas outras equipes italianas até surgir o interesse do Palmeiras, por indicação do técnico Abel Ferreira. Alan não pensou duas vezes, deixou o país onde passara metade da vida e desembarcou no Palestra Italia já conquistando, de cara, o seu primeiro título como profissional.

WEVERTON: JOGADOR DO TIME COM MAIS MINUTOS EM CAMPO NA TEMPORADA, NO BRASILEIRO E NA LIBERTADORES; RECORDES ALCANÇADOS; PALMEIRENSE MAIS ASSÍDUO NA TEMPORADA ATUAL

Atleta que soma mais minutos em campo na temporada atual (6170), Weverton atuou em 68 dos 76 jogos do Palmeiras no ano e, neste quesito, é o líder, ao lado de Willian, presente também em 68 dos 76 compromissos do time alviverde. No Brasileiro, Weverton soma 2556 minutos, sendo também o líder no quesito, seguido de Patrick de Paula (1957). Na Libertadores, atuou em todos os 13 jogos possíveis, assim como Gustavo Gómez, e fechou como o líder em minutos em campo no Continental, com 1271 minutos em campo, seguido de Viña, com 1132, e de Gustavo Gómez, com 1109.

Na vitória mais recente do Verdão, contra o Fortaleza (por 3 a 0 em casa), garantiu que o time permanecesse sem tomar gol e, com isso chegou, no total, a 33 jogos sem sofrer gols na temporada – o que é um recorde neste século em uma única temporada. Com um total de, agora, 80 jogos sem levar gols desde que chegou ao Verdão, ele fica na terceira posição do ranking de goleiros com mais jogos sem ser vazado neste século, atrás apenas de Marcos (107) e Fernando Prass (101).

Já no duelo mais recente em que atuou no geral, empate por 1 a 1 com o Atlético-GO, na última segunda-feira (22), no Allianz Parque, Weverton ampliou ainda mais sua marca como 10º goleiro que mais jogou pelo Verdão em todos os tempos, ao ter chegado a 157 jogos pelo Palmeiras desde que estreou pelo clube em 2018 – o ranking é encabeçado por Leão, com 621 jogos, seguido por Marcos (533), Valdir de Morais (480), Velloso (458), Oberdan (353), Sérgio (333), Gilmar (290), Fernando Prass (274) e Primo (185).

Este não é o único top 10 do qual Weverton passou a fazer parte na temporada atual. Ele também está entre os dez que mais jogaram no Palestra Italia/Allianz Parque em todos os tempos: atualmente ocupa a 9ª posição, com 65 jogos; completam a lista: Nascimento, 8º, com 67 jogos; Jurandyr, 7º, 74 jogos; Fernando Prass, 6º, com 86 jogos; Primo, 5º, com 90 jogos; Sérgio, 4º, com 131 jogos; Leão, 3º, com 137 jogos; Velloso, 2º, com 154 jogos; e Marcos, líder em jogos do Palestra Italia, com 212 jogos.

Este, inclusive, não foi o primeiro feito numérico surpreendente alcançado por Weverton na temporada atual. Recentemente, o goleiro bateu uma marca que não era atingida havia 23 anos: chegou à terceira temporada consecutiva com 20 ou mais jogos sem sofrer gols, algo que não acontecia desde que Velloso não foi vazado por 28 partidas em 1995, 24 em 1996 e 27 em 1997. Em 2018, seu ano de estreia, e 2019, Weverton ficou por 21 e 26 jogos, respectivamente, sem ser vazado, e na temporada de 2020 já são 33 duelos após ter passado em branco contra o Santos na final da Libertadores: número que, aliás, é o recorde de um goleiro com mais partidas sem sofrer gols dentro de uma única temporada no Século XXI.

O camisa 21 (usou a 1 na Libertadores) ainda ostenta a terceira menor média de gols sofridos na história do Palmeiras. Vazado 102 vezes em 157 jogos, o jogador tem índice de 0,64 gol por partida, atrás só do paraguaio Benítez, com 0,54 (13 gols sofridos em 24 jogos em 1978), e do também paraguaio Gato Fernández, com 0,62 (22 gols em 35 jogos em 1994). São considerados somente goleiros com ao menos dez jogos disputados pelo clube.

JAILSON: CAMPEÃO PAULISTA, DA COPA DO BRASIL, BI BRASILEIRO E DA LIBERTADORES; 3ª MENOR MÉDIA DE GOLS SOFRIDOS NA HISTÓRIA DOS PONTOS CORRIDOS (SÉRIE A) E 4º JOGADOR MAIS EXPERIENTE DO BRASILEIRÃO

No Palmeiras desde 2014, Jailson é o atleta mais antigo do elenco palmeirense a ter atuado pelo time profissional– no Alviverde, o jogador já conquistou três títulos nacionais (Copa do Brasil de 2015 e Brasileiros de 2016 e de 2018), além do Paulista de 2020.

Na Libertadores, esta foi a quinta edição seguida para a qual o goleiro foi inscrito para representar o Palmeiras – agora tem um título do torneio. As outras foram 2016, 2017, 2018 e 2019, sendo que, em campo, Jailson esteve presente em duas delas: 2017 (uma partida, vitória por 1 a 0 sobre o Barcelona de Guayaquil-EQU e defendeu pênalti na disputa por penais, apesar da eliminação) e em 2018 (cinco jogos, com quatro vitórias e um empate). Desta forma, Jailson acumula, ao todo, seis jogos no Continental, com cinco vitórias, um empate e apenas dois gols sofridos – ou seja, está invicto!

Na atual temporada, Jailson atuou em nove partidas (três vitórias, três empates, três derrotas e seis gols sofridos): contra o Atletico Nacional-COL, empate em 0 a 0, e New York City-EUA, vitória alviverde por 2 a 1, ambas pela Florida Cup, no início da temporada – na primeira, além da ótima atuação, defendeu pênalti na decisão que valia ponto extra (ao final, o Verdão sagrou-se campeão com um ponto de vantagem sobre os colombianos); depois, participou de mais três jogos pelo Brasileiro, diante do Fluminense (1 a 1 fora de casa, na estreia do Verdão no Nacional), Botafogo (revés por 2 a 1 no Engenhão), São Paulo (derrota por 2 a 0 no Allianz Parque); diante do Ceará, na vitória por 3 a 0 pela Copa do Brasil, no último dia 11 e, por último, outra vez contra o Fluminense, pelo segundo do Brasileiro (essas duas mais recentes no Allianz Parque). Mais recentemente, esteve em campo em dois jogos do time, diante do Ceará (revés por 2 a 1 fora de casa) e do Vasco (empate por 1 a 1 em casa).

Vale ressaltar que, reforço vindo do Ceará em 2014, Jailson só jogou a Série A pela primeira vez no Verdão, em 2016, já veterano, com 35 anos completos.  Desta forma, sagrou-se Campeão Brasileiro de 2016 sem perder nenhuma vez em 19 partidas e ainda levando a Bola de Prata. Jailson, aliás, só foi conhecer sua primeira derrota pela competição em 2018, após 27 duelos invictos, fato que lhe rendeu o segundo lugar no ranking dos jogadores que tiveram as maiores invencibilidades no Brasileirão pelo Palmeiras em todos os tempos, superando craques como Ademir da Guia, Eurico, Leão, Ronaldo e Zeca, todos com 26, e ficando atrás apenas de Edu Bala, que registra incríveis 34 jogos consecutivos sem reveses no Brasileiro.

O guarda-redes ostenta uma curiosa estatística: ele detém a terceira menor média de gols sofridos dos pontos corridos. Em jogos do Nacional, foram, ao todo, 41 tentos sofridos em 47 partidas, média de 0,87 por jogo. Considerando apenas o período em que o Campeonato Brasileiro é disputado no sistema de pontos corridos, Jailson só fica atrás dos goleiros Marcelo Grohe, com média de 0,81 (167 gols sofridos em 205 partidas por qualquer clube) e Walter, média de 0,74 (43 gols sofridos em 58 partidas da Série A).

Na atual edição do Nacional, o arqueiro palmeirense ocupa o quarto posto de jogador mais experiente do Brasileirão, com 39 anos e oito meses, ao lado do meia Nenê, do Fluminense. Ambos só ficam atrás do meia argentino Lucho González, do Athletico-PR, com 40 anos e um mês, do atacante Ricardo Oliveira, do Coritiba, com 40 anos e 10 meses, e do goleiro Fernando Prass, do Ceará, com 42 anos e oito meses.

Campeão da Copa do Brasil em 2015 pelo Palmeiras, Jailson – único remanescente daquele grupo – está disputando a competição nacional pela sexta vez no clube alviverde. Nas cinco edições anteriores, só não entrou em campo justamente na mais recente. Em 2015, atuou contra o Sampaio Corrêa-MA (empate por 1 a 1 em São Luis-MA); em 2016, jogou diante do Botafogo-PB (vitória por 3 a 0 no Allianz Parque) e duas vezes contra o Grêmio (revés por 2 a 1 fora e empate por 1 a 1 em casa); em 2017, enfrentou o Cruzeiro (vitória por 2 a 1 no Independência); e em 2018, atuou nos dois jogos frente o América-MG (2 a 1 no Independência e 1 a 1 no Allianz Parque). Na atual edição, jogou diante do Ceará, seu ex-clube, empate por 2 a 2 na Arena Castelão, no jogo que valeu classificação ao Palmeiras.

VINICIUS: HÁ 15 ANOS NO PALMEIRAS E CAMPEÃO BRASILEIRO PELO TIME EM 2016

Titular há duas partidas pelo Verdão e elogiado com sua atuação pelo treinador Abel Ferreira, Vinicius é quem tem mais tempo de casa entre todos do atual elenco. Natural de Guarulhos-SP, o goleiro chegou ao Palestra Italia em 2006 e, além de diversas convocações para a Seleção Brasileira Sub-15, ficou conhecido por defesas de penalidades importantes em sua passagem pelas categorias de base do clube. Subiu para o elenco principal no fim de 2013 e estreou em 2016, na campanha do eneacampeonato brasileiro, suprindo as ausências de Fernando Prass e Jailson na partida contra o Santos, na Vila Belmiro.

Após ganhar experiência em empréstimos para Ponte Preta e CRB, clube pelo qual atuou em 12 rodadas da Série B de 2019, Vinicius voltou ao Palmeiras na temporada 2020 e entrou definitivamente para a história ao fazer parte do grupo que conquistou os títulos do Campeonato Paulista e da Conmebol Libertadores.

HISTÓRICO DO ELENCO

> GOLEIROS

42. JAILSON

> 86 Jogos (78 como titular) pelo Palmeiras
> 9 jogos (7 como titular) na temporada 2020
> 6 jogos (6 como titular) no Brasileiro 2020
> Não jogou pela Libertadores 2020
> 1 jogo (1 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 17/01/2015 – Palmeiras 3×1 Shandong Luneng-CHI – Amistoso
Último jogo: 26/01/2021 – Palmeiras 1×1 Vasco – Brasileiro
Último como titular: 26/01/2021 – Palmeiras 1×1 Vasco – Brasileiro

72. VINICIUS SILVESTRE

> 2 jogos (1 como titular) pelo Palmeiras
> 1 jogo (1 como titular) na temporada de 2020
> 1 jogo (1 como titular) pelo Brasileiro 2020
> Não jogou pela Libertadores 2020
Estreia: 29/10/2016 – Santos 1×0 Palmeiras – Brasileiro
Último jogo: 17/02/2021 – Coritiba 1×0 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 17/02/2021 – Coritiba 1×0 Palmeiras – Brasileiro

21. WEVERTON

> 157 jogos (157 como titular) pelo Palmeiras
> 68 jogos (68 como titular) na temporada 2020
> 2 jogos (2 como titular) na Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020
> 30 jogos (30 como titular) no Brasileiro 2020
> 13 jogos (13 como titular) pela Libertadores 2020
> 5 jogos (5 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 11/03/2018 – Ituano 0x3 Palmeiras – Campeonato Paulista
Último jogo: 22/02/2021 – Palmeiras 1×1 Atlético-GO – Brasileiro
Último como titular: 22/02/2021 – Palmeiras 1×1 Atlético-GO – Brasileiro

> ZAGUEIROS

33. ALAN EMPEREUR

> 15 jogos (9 como titular) pelo Palmeiras
> 15 jogos (9 como titular) na temporada de 2020
> 10 jogos (7 como titular) pelo Brasileiro 2020
> 4 jogos (2 como titular) pela Libertadores
> 1 jogo (0 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 11/11/2020 – Palmeiras 3×0 Ceará – Copa do Brasil
Último jogo: 17/02/2021 – Coritiba 1×0 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 17/02/2021 – Coritiba 1×0 Palmeiras – Brasileiro

4. BENJAMÍN KUSCEVIC

> 11 jogos (7 como titular) pelo Palmeiras
> 11 jogos (7 como titular) na temporada de 2020
> 11 jogos (7 como titular) pelo Brasileiro 2020
> 1 jogo (0 como titular) pela Libertadores 2020
> Ainda não jogou pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 05/12/2020 – Santos 2×2 Palmeiras – Brasileiro
Último jogo: 17/02/2021 – Coritiba 1×0 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 17/02/2021 – Coritiba 1×0 Palmeiras – Brasileiro

3. EMERSON SANTOS

> 26 jogos (15 como titular) e 1 gol pelo Palmeiras
> 22 jogos (14 como titular) e 1 gol na temporada 2020
> 12 jogos (10 como titular) e 1 gol no Brasileiro 2020
> 6 jogos (1 como titular) pela Libertadores 2020
> 3 jogos (3 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 03/05/2018 – Alianza Lima-PER 1×3 Palmeiras – Libertadores
Último jogo: 02/02/2021 – Palmeiras 1×1 Botafogo-RJ – Brasileiro
Último como titular: 02/02/2021 – Palmeiras 1×1 Botafogo-RJ – Brasileiro

15. GUSTAVO GÓMEZ

> 115 jogos (112 como titular), 13 gols e 1 assistência pelo Palmeiras
> 56 jogos (56 como titular), 5 gols e 1 assistência na temporada 2020
> 2 jogos (2 como titular) na Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020
> 21 jogos (21 como titular), 1 gol e 1 assistência no Brasileiro 2020
> 13 jogos (13 como titular) e 2 gols pela Libertadores 2020
> 5 jogos (4 como titular) e 1 gol pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 12/08/2018 – Palmeiras 1×0 Vasco – Brasileiro
Último jogo: 22/02/2021 – Palmeiras 1×1 Atlético-GO – Brasileiro
Último como titular: 22/02/2021 – Palmeiras 1×1 Atlético-GO – Brasileiro

13. LUAN

> 129 jogos (116 como titular), 5 gols e 1 assistência pelo Palmeiras
> 47 jogos (35 como titular) na temporada 2020
> 2 jogos (2 como titular) na Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020
> 26 jogos (22 como titular) no Brasileiro 2020
> 8 jogos (5 como titular) pela Libertadores 2020
> 3 jogos (3 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 18/06/2017 – Bahia 2×4 Palmeiras – Brasileiro
Último jogo: 22/02/2021 – Palmeiras 1×1 Atlético-GO – Brasileiro
Último como titular: 22/02/2021 – Palmeiras 1×1 Atlético-GO – Brasileiro

26. RENAN

> 10 jogos (9 como titular) pelo Palmeiras
> 10 jogos (9 como titular) na temporada 2020
> 10 jogos (9 como titular) no Brasileiro 2020
> 1 jogo (0 como titular) pela Libertadores 2020
> 2 jogos (2 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 14/10/2020 – Palmeiras 1×3 Coritiba – Brasileiro
Último jogo: 17/02/2021 – Coritiba 1×0 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 17/02/2021 – Coritiba 1×0 Palmeiras – Brasileiro

> LATERAIS

2. MARCOS ROCHA

> 142 jogos (136 como titular), 6 gols e 21 assistências pelo Palmeiras
> 50 jogos (46 como titular), 2 gols e 6 assistências na temporada 2020
> 1 jogo (1 como titular) na Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020
> 22 jogos (18 como titular) e 1 assistência no Brasileiro 2020
> 9 jogos (9 como titular) e 1 assistência pela Libertadores 2020
> 4 jogos (4 como titular) e 1 assistência pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 18/01/2018 – Grêmio Novorizontino 0x3 Palmeiras – Campeonato Paulista
Último jogo: 22/02/2021 – Palmeiras 1×1 Atlético-GO – Brasileiro
Último como titular: 22/02/2021 – Palmeiras 1×1 Atlético-GO – Brasileiro

12. MAYKE

> 118 jogos (98 como titular), 2 gols e 8 assistências pelo Palmeiras
> 36 jogos (22 como titular) e 1 assistência na temporada 2020
> 2 jogos (1 como titular) na Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020
> 21 jogos (17 como titular) e 1 assistência no Brasileiro 2020
> 4 jogos (1 como titular) pela Libertadores 2020
> 3 jogos (1 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 27/05/2017 – São Paulo 2×0 Palmeiras – Brasileiro
Último jogo: 22/02/2021 – Palmeiras 1×1 Atlético-GO – Brasileiro
Último como titular: 22/02/2021 – Palmeiras 1×1 Atlético-GO – Brasileiro

16. LUCAS ESTEVES

> 12 jogos (6 como titular) pelo Palmeiras
> 11jogos (6 como titular) na temporada de 2020
> 9 jogos (6 como titular) no Brasileiro 2020
> 1 jogo (0 como titular) pela Libertadores 2020
> 1 jogo (0 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Último jogo: 17/02/2021 – Coritiba 1×0 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 17/02/2021 – Coritiba 1×0 Palmeiras – Brasileiro

17. MATÍAS VIÑA

> 48 jogos (48 como titular), 3 gols e 8 assistências pelo Palmeiras
> 48 jogos (48 como titular), 3 gols e 8 assistências na temporada 2020
> 2 jogo (2 como titular) na Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020
> 23 jogos (23 como titular), 1 gol e 3 assistências no Brasileiro 2020
> 12 jogos (12 como titular), 2 gols e 3 assistências pela Libertadores 2020
> 4 jogos (3 como titular) e 1 assistência pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 16/02/2020 – Palmeiras 3×1 Mirassol – Campeonato Paulista
Último jogo: 22/02/2021 – Palmeiras 1×1 Atlético-GO – Brasileiro
Último como titular: 22/02/2021 – Palmeiras 1×1 Atlético-GO – Brasileiro

> MEIO-CAMPISTAS

28. DANILO

> 35 jogos (20 como titular), 1 gol e 2 assistências pelo Palmeiras
> 35 jogos (20 como titular), 1 gol e 2 assistências na temporada de 2020
> 2 jogos (1 como titular) na Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020
> 18 jogos (9 como titular) no Brasileiro 2020
> 11 jogos (8 como titular), 1 gol e 2 assistências pela Libertadores 2020
> 4 jogos (2 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 06/09/2020 – Red Bull Bragantino 1×2 Palmeiras – Brasileiro
Último jogo: 17/02/2021 – Coritiba 1×0 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 17/02/2021 – Coritiba 1×0 Palmeiras – Brasileiro

30. FELIPE MELO

> 179 jogos (168 como titular), 12 gols e 6 assistências pelo Palmeiras
> 40 jogos (36 como titular), 1 gol e 1 assistência na temporada 2020
> 2 jogos (1 como titular) na Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020
> 15 jogos (13 como titular) no Brasileiro 2020
> 6 jogos (5 como titular) pela Libertadores 2020
> 2 jogos (2 como titular) e 1 assistência pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 21/01/2017 – Chapecoense 1×1 Palmeiras – Amistoso
Último jogo: 22/02/2021 – Palmeiras 1×1 Atlético-GO – Brasileiro
Último como titular: 22/02/2021 – Palmeiras 1×1 Atlético-GO – Brasileiro

25. GABRIEL MENINO

> 60 jogos (51 como titular), 3 gols e 10 assistências pelo Palmeiras
> 60 jogos (51 como titular), 3 gols e 10 assistências na temporada de 2020
> 2 jogos (1 como titular) na Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020
> 28 jogos (26 como titular) e 7 assistências no Brasileiro 2020
> 13 jogos (11 como titular), 3 gols e 1 assistência pela Libertadores 2020
> 4 jogos (4 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 15/01/2020 – Palmeiras 0x0 Atlético Nacional de Medellín-COL – Florida Cup
Último jogo: 17/02/2021 – Coritiba 1×0 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 17/02/2021 – Coritiba 1×0 Palmeiras – Brasileiro

14. GUSTAVO SCARPA

> 117 jogos (62 como titular), 23 gols e 17 assistências pelo Palmeiras
> 46 jogos (17 como titular), 4 gols e 8 assistências na temporada de 2020
> 2 jogos (0 como titular) na Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020
> 25 jogos (8 como titular), 1 gol e 5 assistências no Brasileiro 2020
> 6 jogos (5 como titular) e 3 assistências pela Libertadores 2020
> 5 jogos (2 como titular) 1 gol pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 29/10/2020 – Red Bull Bragantino 1×3 Palmeiras – Copa do Brasil
Último jogo: 22/02/2021 – Palmeiras 1×1 Atlético-GO – Brasileiro
Último como titular: 17/02/2021 – Coritiba 1×0 Palmeiras – Brasileiro

20. LUCAS LIMA

> 162 jogos (111 como titular), 11 gols e 21 assistências pelo Palmeiras
> 55 jogos (37 como titular), 3 gols e 5 assistências na temporada de 2020
> 31 jogos (22 como titular), 1 gol e 2 assistências no Brasileiro 2020
> 4 jogos (3 como titular) pela Libertadores 2020
> 5 jogos (2 como titular) e 1 assistência pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 18/01/2018 – Palmeiras 3×1 Santo André – Campeonato Paulista
Último jogo: 22/02/2021 – Palmeiras 1×1 Atlético-GO – Brasileiro
Último como titular: 17/02/2021 – Coritiba 1×0 Palmeiras – Brasileiro

5. PATRICK DE PAULA

> 51 jogos (36 como titular), 5 gols e 2 assistências pelo Palmeiras
> 51 jogos (36 como titular), 5 gols e 2 assistências na temporada de 2020
> 2 jogos (1 como titular) na Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020
> 27 jogos (21 como titular), 3 gols e 2 assistências no Brasileiro 2020
> 6 jogos (4 como titular) e 1 gol pela Libertadores 2020
> 3 jogos (1 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 15/01/2020 – Palmeiras 0x0 Atlético Nacional de Medellín-COL – Florida Cup
Último jogo: 22/02/2021 – Palmeiras 1×1 Atlético-GO – Brasileiro
Último como titular: 22/02/2021 – Palmeiras 1×1 Atlético-GO – Brasileiro

23. RAPHAEL VEIGA

> 108 jogos (61 como titular), 25 gols e 4 assistências pelo Palmeiras
> 56 jogos (39 como titular), 18 gols e 2 assistências na temporada de 2020
> 2 jogos (2 como titular) na Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020
> 24 jogos (19 como titular), 11 gols e 1 assistência no Brasileiro 2020
> 10 jogos (6 como titular), 2 gols e 1 assistência pela Libertadores 2020
> 6 jogos (6 como titular) e 4 gols pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 21/01/2017 – Chapecoense 2×2 Palmeiras – Amistoso
Último jogo: 22/02/2021 – Palmeiras 1×1 Atlético-GO – Brasileiro
Último como titular: 22/02/2021 – Palmeiras 1×1 Atlético-GO – Brasileiro

42. VANDERLAN

> 1 jogo (0 como titular) pelo Palmeiras
> 1 jogo (0 como titular) na temporada de 2020
> 1 jogo (0 como titular) no Brasileiro 2020
> Não jogou pela Libertadores 2020
> Não jogou pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 26/01/2021 – Palmeiras 1×1 Vasco – Brasileiro
Último jogo: 26/01/2021 – Palmeiras 1×1 Vasco – Brasileiro
Último como titular: Não jogou como titular

8. ZÉ RAFAEL

> 100 jogos (76 como titular), 12 gols e 12 assistências pelo Palmeiras
> 61 jogos (43 como titular), 5 gols e 7 assistências na temporada de 2020
> 1 jogo (1 como titular) na Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020
> 25 jogos (20 como titular), 2 gols e 3 assistências no Brasileiro 2020
> 12 jogos (7 como titular) e 2 gols pela Libertadores 2020
> 5 jogos (5 como titular) e 2 assistências pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 23/01/2019 – Palmeiras 1×0 Botafogo-SP – Campeonato Paulista
Último jogo: 22/02/2021 – Palmeiras 1×1 Atlético-GO – Brasileiro
Último como titular: 07/02/2021 – Palmeiras 0×1 Tigres-MEX – Mundial de Clubes

> ATACANTES

58. ANIBAL

> 1 jogo (1 como titular) pelo Palmeiras
> 1 jogo (1 como titular) na temporada de 2020
> Ainda não jogou pelo Brasileiro 2020
> Não jogou pela Libertadores 2020
> 1 jogo (1 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 18/11/2020 – Ceará 2×2 Palmeiras – Copa do Brasil
Último jogo: 18/11/2020 – Ceará 2×2 Palmeiras – Copa do Brasil
Último como titular: 18/11/2020 – Ceará 2×2 Palmeiras – Copa do Brasil

39. BRENO LOPES

> 22 jogos (8 como titular) e 3 gols pelo Palmeiras
> 22 jogos (8 como titular) e 3 gols na temporada de 2020
> 17 jogos (8 como titular) e 2 gols no Brasileiro 2020
> 5 jogos (0 como titular) e 1 gol pela Libertadores 2020
> Não pode jogar pela Copa do Brasil 2020 pelo Palmeiras (atuou pelo Juventude)
Estreia: 14/11/2020 – Palmeiras 2×0 Fluminense – Brasileiro
Último jogo: 22/02/2021 – Palmeiras 1×1 Atlético-GO – Brasileiro
Último como titular: 14/02/2021 – Palmeiras 3×0 Fortaleza – Brasileiro

60. FABRÍCIO

> 3 jogos (0 como titular) pelo Palmeiras
> 3 jogos (0 como titular) na temporada de 2020
> 3 jogos (0 como titular) pelo Brasileiro 2020
> Não jogou pela Libertadores 2020
> Ainda não jogou pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 21/11/2020 – Goiás 1×0 Palmeiras – Brasileiro
Último jogo: 26/01/2021 – Palmeiras 1×1 Vasco – Brasileiro

49. GABRIEL SILVA

> 17 jogos (2 como titular) e 1 assistência pelo Palmeiras
> 17 jogos (2 como titular) e 1 assistência na temporada de 2020
> 12 jogos (2 como titular) no Brasileiro 2020
> 3 jogos (0 como titular) e 1 assistência pela Libertadores 2020
> 2 jogos (0 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 19/12/2020 – Internacional 2×0 Palmeiras – Brasileiro
Último jogo: 02/02/2021 – Palmeiras 1×1 Botafogo-RJ – Brasileiro
Último como titular:
 26/01/2021 – Palmeiras 1×1 Vasco – Brasileiro

27. GABRIEL VERON

> 40 jogos (18 como titular), 11 gols e 6 assistências pelo Palmeiras
> 37 jogos (18 como titular), 9 gols e 5 assistências na temporada de 2020
> 19 jogos (8 como titular), 4 gols e 2 assistência no Brasileiro 2020
> 7 jogos (5 como titular), 3 gols e 1 assistência pela Libertadores 2020
> 3 jogos (2 como titular), 2 gols e 1 assistência pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 28/11/2019 – Fluminense 1×0 Palmeiras – Brasileiro
Último jogo: 26/01/2021 – Palmeiras 1×1 Vasco – Brasileiro
Último como titular: 14/11/2020 – Palmeiras 2×0 Fluminense – Brasileiro

9. LUAN SILVA

> 1 jogo (1 como titular) pelo Palmeiras
> 1 jogo (1 como titular) na temporada de 2020
> Ainda não jogou no Brasileiro 2020
> Não jogou pela Libertadores 2020
> Ainda não jogou pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 07/03/2020 – Palmeiras 1×1 Ferroviária – Campeonato Paulista
Último jogo:07/03/2020 – Palmeiras 1×1 Ferroviária – Campeonato Paulista
Último como titular: 07/03/2020 – Palmeiras 1×1 Ferroviária – Campeonato Paulista

10. LUIZ ADRIANO

> 69 jogos (59 como titular), 27 gols e 5 assistências pelo Palmeiras
> 54 jogos (46 como titular), 20 gols e 4 assistências na temporada de 2020
> 2 jogos (2 como titular) na Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020
> 24 jogos (19 como titular), 10 gols e 3 assistências no Brasileiro 2020
> 7 jogos (7 como titular) e 5 gols pela Libertadores 2020
> 5 jogos (3 como titular) e 2 gols pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 11/08/2019 – Palmeiras 2×2 Bahia – Brasileiro
Último jogo: 22/02/2021 – Palmeiras 1×1 Atlético-GO – Brasileiro
Último como titular: 22/02/2021 – Palmeiras 1×1 Atlético-GO – Brasileiro

38. MARCELINHO

> 2 jogos (1 como titular) pelo Palmeiras
> 2 jogos (1 como titular) na temporada de 2020
> 1 jogo (1 como titular) pelo Brasileiro 2020
> Não jogou pela Libertadores 2020
> 1 jogo (0 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia:18/11/2020 – Ceará 2×2 Palmeiras – Copa do Brasil
Último jogo: 21/11/2020 – Goiás 1×0 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 21/11/2020 – Goiás 1×0 Palmeiras – Brasileiro

57. PEDRO ACÁCIO

> 3 jogos (0 como titular) pelo Palmeiras
> 3 jogos (0 como titular) na temporada de 2020
> 3 jogos (0 como titular) pelo Brasileiro 2020
> Não jogou pela Libertadores 2020
> Ainda não jogou pela Copa do Brasil 2020
Estreia:18/01/2021 – Palmeiras 4×0 Corinthians– Brasileiro
Último jogo:  24/01/2021 – Ceará 2×1 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: Ainda não jogou como titular

11. RONY

> 50 jogos (38 como titular), 11 gols e 9 assistências pelo Palmeiras
> 50 jogos (38 como titular), 11 gols e 9 assistências na temporada de 2020
> 2 jogos (2 como titular) na Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020
> 23 jogos (15 como titular) e 5 gols no Brasileiro 2020
> 11 jogos (10 como titular), 5 gols e 8 assistências pela Libertadores 2020
> 5 jogos (4 como titular), 1 gol e 1 assistência pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 29/02/2020 – Santos 0x0 Palmeiras – Campeonato Paulista
Último jogo: 22/02/2021 – Palmeiras 1×1 Atlético-GO – Brasileiro
Último como titular: 22/02/2021 – Palmeiras 1×1 Atlético-GO – Brasileiro

47. WESLEY

> 24 jogos (13 como titular), 4 gols e 6 assistências pelo Palmeiras
> 24 jogos (13 como titular), 4 gols e 6 assistências na temporada de 2020
> 14 jogos (8 como titular), 2 gols e 2 assistências no Brasileiro 2020
> 3 jogos (2 como titular),1 gol e 3 assistências pela Libertadores 2020
> 2 jogos (2 como titular) e 1 gol pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 15/01/2020 – Palmeiras 0x0 Atlético Nacional de Medellín-COL – Florida Cup
Último jogo: 22/02/2021 – Palmeiras 1×1 Atlético-GO – Brasileiro
Último como titular: 05/11/2020 – Palmeiras 1×0 Red Bull Bragantino – Copa do Brasil

29. WILLIAN

> 217 jogos (147 como titular), 56 gols e 22 assistências pelo Palmeiras
> 67 jogos (39 como titular), 18 gols e 6 assistências na temporada de 2020
> 3 jogos (1 como titular) na Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020
> 32 jogos (18 como titular), 7 gols e 4 assistências no Brasileiro 2020
> 10 jogos (5 como titular), 4 gols e 1 assistência pela Libertadores 2020
> 6 jogos (4 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 29/01/2017 – Palmeiras 1×1 Ponte Preta – Campeonato Paulista
Último jogo: 19/02/2021 – São Paulo 1×1 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 19/02/2021 – São Paulo 1×1 Palmeiras – Brasileiro

Departamento de Comunicação

O Verdão finalizou na manhã desta quarta-feira (24), na Academia de Futebol, a preparação para o confronto com o Atlético-MG, na quinta (25), às 21h30, no estádio do Mineirão, em Belo Horizonte-MG, pela 38ª rodada do Campeonato Brasileiro. As novidades do treino foram o zagueiro Henri, recuperado de uma lesão no joelho, e o meio-campista Danilo, preservado dos últimos dois confrontos (Atlético-GO e São Paulo, ambos pelo Brasileirão).

A dupla trabalhou normalmente com os companheiros, assim como o atacante Gabriel Veron, que havia retornado ao trabalho sem restrições nas atividades de terça (24). Henri foi promovido ao time profissional no início de 2020 e ainda não estrou pela equipe de cima. Já Danilo soma 34 partidas e um gol pelo Alviverde (marcado na goleada por 5 a 0 sobre o Delfín, do Equador, pelas oitavas de final da última edição da CONMEBOL Libertadores).

No campo, a comissão do técnico Abel Ferreira comandou movimentações táticas. Com duas equipes posicionadas e com dimensões reduzidas, foram aprimorados transições, balanços, jogadas específicas, entre outros. Na parte final, alguns atletas aprimoraram ainda finalizações e cobranças de faltas e pênaltis.

O meio-campista Gabriel Menino, que sofreu uma entorse no tornozelo direito contra o Coritiba e foi desfalque ante São Paulo e Atlético-GO, deu sequência ao seu cronograma de transição física na parte interna do centro de excelência e também no gramado (inclusive com bola).

O Maior Campeão do Brasil e atual campeão da CONMEBOL Libertadores segue para a capital mineira após o almoço. No domingo (28), o compromisso será diante do Grêmio, pela partida de ida da final da Copa do Brasil.

Departamento de Comunicação

O Verdão se reapresentou na manhã desta terça-feira (23), na Academia de Futebol, após ter empatado por 1 a 1 com o Atlético-GO, na noite de segunda (22), no Allianz Parque, pelo Campeonato Brasileiro. A novidade do dia foi o atacante Gabriel Veron, que, liberado da transição física, trabalhou com os companheiros normalmente.

Além das atividades técnicas em campo reduzido com os atletas que não atuaram ou que entraram no decorrer da partida diante do Atlético-GO, Veron realizou complementos físicos, junto do meio-campista Danilo, com profissionais do Núcleo de Saúde e Performance. Os titulares fizeram trabalhos regenerativos na parte interna do centro de excelência.

O lateral Victor Luis retornou de empréstimo ao Botafogo (Fabio Menotti/Palmeiras)

Depois das movimentações técnicas, os jogadores alviverdes colocaram em prática atividades específicas. Com o auxiliar Carlos Martinho, os defensores aprimoraram saídas de bola e lançamentos. Já os meias, os laterais e os atacantes, com Vitor Castanheira, aperfeiçoaram cruzamentos e finalizações. O trabalho foi simultâneo.

A outra novidade ficou por conta do grupo de apoio. Além de jovens do Sub-20 e do atacante Papagaio, o lateral-esquerdo Victor Luis, após empréstimo ao Botafogo, treinou com o elenco palestrino. O atleta, campeão brasileiro em 2018 e paulista em 2020 pelo Verdão, havia feito exames e testes na segunda.

O Maior Campeão do Brasil e atual campeão da CONMEBOL Libertadores treina na manhã desta quarta (24) e embarca em seguida para Belo Horizonte-MG, onde enfrentará, na quinta (25), o Atlético-MG, às 21h30, no estádio do Mineirão, pela última rodada do Brasileirão. No primeiro turno, no dia 2 de novembro, na capital paulista, o Palmeiras, sob o comando de Andrey Lopes, venceu os mineiros por 3 a 0, com gols de Raphael Veiga, Rony e Wesley.

Após o confronto com o Atlético-MG, o Verdão terá pela frente o Grêmio, no domingo (28), em Porto Alegre-RS, pela partida de ida da final da Copa do Brasil. O Alviverde é tricampeão do torneio nacional (1998, 2012 e 2015).

Departamento de Comunicação

O Palmeiras e a PUMA Brasil lançam nesta terça-feira (23) os uniformes HOME e AWAY para a temporada 2021. A campanha “Onde quer que seja verde, a gente vive” apresenta a nova linha por meio de um vídeo manifesto que celebra locais que caracterizam a casa alviverde e as conquistas que pintam a história de verde.

A campanha da PUMA foi criada para valorizar as casas alviverdes que se espalham por bairros, cidades e países. Todos os locais verdes que caracterizam e ressaltam a presença e pluralidade do clube. Todas essas casas estarão representadas pela camisa HOME. As cinco coroas de 1951, traduzidas na camisa AWAY, representam as conquistas que espalharam o verde e, consequentemente, ajudaram na construção de mais casas alviverdes pelo país e pelo mundo.

O uniforme HOME estará disponível a partir desta terça (23) exclusivamente no PUMA.com e Palmeiras Store.com, além das 27 unidades da Palmeiras Store. Na quinta (25), ficará disponível também nas lojas Centauro, Netshoes, Bayard e FutFanatics, mesmo dia que o uniforme AWAY poderá ser encontrado em PUMA.com e na Palmeiras Store com exclusividade. No sábado (27), a segunda camisa também chegará às lojas Centauro, Netshoes, Bayard e FutFanatics.

“As novas camisas vêm para coroar uma temporada muito feliz dentro do campo e projetar um novo ano promissor, junto com uma parceira sólida como a PUMA, que entende o espírito alviverde. Esperamos continuar escrevendo essa história de sucesso nos próximos anos”, ressaltou o presidente do Palmeiras, Maurício Galiotte.

Os uniformes serão usados durante toda a temporada 2021 do Palmeiras, porém, por conta das alterações no calendário de 2020, sua estreia será em uma competição da temporada atual, nas finais da Copa do Brasil, contra o Grêmio, que acontecerá nos dois próximos domingos, 28 de fevereiro e 7 de março.

“Os novos uniformes homenageiam as diversas casas alviverdes, seja a residência de um torcedor, uma padaria ou oficina onde penduram uma bandeira do clube, pintam as paredes de verde e servem de pontos de encontro. Pontos verdes que também entram para a história constantemente com as conquistas do clube”, afirmou Fabio Kadow, diretor de marketing da PUMA Brasil. “Chegamos ao terceiro ano da parceria com o Palmeiras celebrando uma temporada incrível dentro e fora dos campos em 2020 e cada vez mais motivados em construir uma história junto do clube”, completou.

Sobre os uniformes

A camisa HOME Palmeiras 2021 apresenta o verde tradicional, destacado por uma estampa desenvolvida exclusivamente para o clube, trabalhada em tom sobre tom, que proporciona tridimensionalidade ao desenho. A aplicação sublimada se estende por toda a parte frontal da camisa, com o escudo, a estrela vermelha e logos da PUMA em tecnologia de termo plástico flexível com relevo. Com gola V, o corte da camisa é reto, com a tecnologia DRY CELL da marca, que absorve a umidade e facilita a respiração da pele, mantendo o suor afastado do corpo, dando sensação mais confortável ao usuário. As laterais da camisa, apresentam recorte em meshexclusivo, promovendo ainda mais respirabilidade. A camisa HOME, réplica de torcedor, estará disponível por R$269,90 do tamanho P ao 3GG adulto; do 8 ao 16 infantil por R$249,90; do PP ao 2GG na versão feminina por R$249,90. O Baby kit poderá ser encontrado nos tamanhos 2, 4 e 6 por R$269,90.

A nova camisa AWAY Palmeiras 2021 apresenta o branco tradicional destacado pela estampa desenvolvida exclusivamente para o clube, trabalhada em marca d’água degradê, proporcionando movimento ao desenho inspirado nas cinco coroas de 1951. A aplicação sublimada se estende por toda a parte frontal da camisa, com o escudo, a estrela vermelha e logo da PUMA bordados. A camisa possui corte reto, com gola em V também na cor branca, mangas raglane tecido com tecnologia DRY CELL da PUMA. A modelagem apresenta um recorte nos ombros composto pela combinação de dois tecidos, com a parte que circunda o pescoço em meshexclusivo, promovendo melhor respirabilidade. A camisa AWAY, réplica de torcedor, estará disponível por R$269,90 do tamanho P ao 3GG adulto; do 8 ao 16 infantil por R$249,90; do PP ao 2GG na versão feminina por R$249,90.

Os produtos originais PUMA possuem selo holográfico com o distintivo do clube na etiqueta, garantindo a qualidade e originalidade do produto.

Departamento de Comunicação

O empate contra o Atlético-GO, pela 37ª do Campeonato Brasileiro, na noite desta segunda-feira (22), não foi o resultado que o Palmeiras está acostumado a obter em sua casa nesta temporada, já que venceu 20 dos 34 jogos disputados referentes a 2020. Entretanto, a partida terá sabor especial para dois jogadores especificamente: Wesley, que retornou de lesão após pouco mais de três meses fora do time, e Zé Rafael, que completou a expressiva marca de 100 jogos pelo Verdão.

“Eu estou me sentindo bem, foi um bom período sem jogar. Feliz pela minha volta, só quem estava comigo nesse momento sabe. Trabalhei, trabalhei. Agora o foco é a Copa do Brasil, voltando a pegar ritmo de jogo para, quem sabe, ajudar o Palmeiras nessa reta final”, declarou o atacante.

Apesar das 32 partidas fora do time desde que se lesionou, no jogo do dia 05 de novembro, contra o Red Bull Bragantino pela Copa do Brasil, o jogador ainda domina algumas estatísticas individuais. Ao início desta rodada, Wesley entrou em campo como o quarto colocado em dribles dentre os palmeirenses na temporada atual, com 27 fintas (liderava com folga o quesito à época em que se lesionou), o quinto que mais finalizou corretamente, com 24 chutes a gol, ao lado de Gabriel Menino, e o sexto com mais assistências, com seis passes para que seus companheiros pudessem marcar, assim como Willian Bigode.

Aquela partida que tirou o jogador de boa parte da temporada, aliás, quando foi substituído aos 18 minutos de bola rolando (contra o Red Bull Bragantino, no Allianz Parque, pelas oitavas de final da Copa do Brasil), marcou a estreia de Abel Ferreira e valeu classificação às quartas do Nacional: o Verdão venceu por 1 a 0 com gol de Gabriel Veron, que foi justamente quem entrou no lugar do lesionado Wesley naquela ocasião.

A Cria da Academia que retornou nesta noite ao time foi promovida na temporada atual (início de 2020) e, após ter grande sequência na titularidade do time, sendo um dos pilares, se lesionou e precisou passar por cirurgia no joelho esquerdo.

ZÉ RAFAEL COMPLETA 100 JOGOS PELO PALMEIRAS

Poupado dos últimos quatro jogos do Verdão, Zé Rafael voltou a jogar na noite desta segunda-feira (22), contra o Atlético-GO, e completou a expressiva marca de 100 jogos desde que chegou ao Palmeiras, em 2019. Ao todo, são 56 vitorias, 28 empates e 16 derrotas, 12 gols marcados, 12 assistências e já tem no currículo os títulos do Campeonato Paulista (contra o Corinthians) e da Libertadores 2020 (sobre o Santos).

Com isso, o meia se juntou a outros dez jogadores que já ultrapassaram a barreira dos três dígitos de jogos. São eles: Raphael Veiga (108), Gustavo Gómez (115), Gustavo Scarpa (117), Mayke (118), Luan (129), Marcos Rocha (142), Weverton (157), Lucas Lima (162), Felipe Melo (179) e Willian (217).

Em suas últimas partidas, o camisa 8 vinha acumulando ótimas atuações. Nos 4 a 0 sobre o Corinthians, penúltima vitória no Allianz Parque, foi responsável por participar de dois dos quatro gols do Palmeiras da goleada, válida pelo Campeonato Brasileiro: foi ele que passou a bola para Willian e Viña concederem assistências, pela ordem, para o segundo e para o terceiro gol do Verdão naquela partida (marcados por Luiz Adriano e por Raphael Veiga), após receber, respectivamente, de Danilo e de Luan.

Foram muitas as participações de Zé Rafael ativamente junto ao time nesta temporada. Apenas na Copa do Brasil 2020, foram dois passes a gol, o que faz dele o líder isolado no quesito na atual edição do torneio, à frente de Viña, Gabriel Veron, Lucas Lima, Marcos Rocha e Felipe Melo, todos com um passe a gol cada na competição.

O jogador também aparece bem em outro quesito: na atual temporada, está no top 6 da artilharia do clube, na sexta colocação, com cinco gols, ao lado de Patrick de Paula e de Gustavo Gómez.

Além disso, o meia se destaca também em três fundamentos individuais na temporada atual. Mesmo sem jogar nas quatro partidas anteriores, ele iniciou a rodada como o líder isolado dentre os palmeirenses do atual elenco em dribles, com 41 fintas completas, seguido de Rony, com 32; iniciou também como o segundo colocado no ranking de desarmes com 109 roubos de bola, atrás de Marcos Rocha, com 123 e, além disso, na atual temporada, o camisa 8 abriu a 37ª rodada como o quinto colocado do time em assistências no ano, com sete passes a gol, e atrás de Viña e de Gustavo Scarpa (empatados em terceiro, com oito), Rony (segundo, com nove) e Gabriel Menino (líder, com dez). No Brasileirão de 2019, ele foi o vice-líder do time com cinco passes a gol, atrás apenas de Dudu, com 11.

João Martins analisa empate com Atlético-GO no Allianz Parque pelo Brasileirão

Departamento de Comunicação

O Palmeiras empatou por 1 a 1 com o Atlético-GO, nesta segunda-feira (22), no Allianz Parque, em duelo válido pela 37ª rodada do Campeonato Brasileiro – com o resultado, o Verdão chegou aos 58 pontos conquistados na competição nacional. Após o duelo, o auxiliar técnico João Martins analisou o rendimento do time palestrino – o treinador Abel Ferreira cumpriu suspensão após ser expulso no clássico contra o São Paulo, no Morumbi. 

Confira abaixo a entrevista coletiva de João Martins:

 

Departamento de Comunicação

O Palmeiras recebeu a equipe do Atlético-GO pela penúltima rodada do Campeonato Brasileiro 2020, no Allianz Parque. O Verdão abriu o placar com o lateral uruguaio Viña, aos 21 minutos, com um golaço no ângulo, mas sofreu o gol de empate com Matheus Vargas, aos 42 minutos também da primeira etapa.

Clique aqui para ver a ficha técnica, estatísticas e tudo sobre o jogo!

Com o empate, o Verdão chegou a 11 jogos sem perder pelo Brasileiro em sua casa (e a seis no retrospecto geral dentro da arena). A série invicta pelo Brasileiro foi constituída diante do Atlético-MG (3×0), Fluminense (2×0), Athletico-PR (3×0), Bahia (3×0), Bragantino (1×0), Grêmio (1×1), Corinthians (4×0), Vasco (1×1), Botafogo-RJ (1×1), Fortaleza (3×0) e, agora, Atlético-GO (1×1), sendo que estes últimos seis jogos são os que representam a invencibilidade por qualquer competição no estádio.

O jogo da noite desta segunda-feira marcou o retorno do atacante Wesley, que no jogo anterior esteve no banco de reservas pela primeira vez nas últimas 31 partidas do time (pouco mais de três meses), desde que se machucou no jogo do dia 05 de novembro, contra o Red Bull Bragantino, partida em que precisou ser substituído aos 18 minutos – aquele jogo, pelas oitavas de final da Copa do Brasil, foi a estreia de Abel Ferreira e valeu classificação às quartas do Nacional (o Verdão venceu por 1 a 0 no Allianz Parque). A Cria da Academia promovida na temporada atual (início de 2020) passou por cirurgia no joelho esquerdo e agora está recuperada.

Além de Weverton, destaque individual nas defesas, e Matías Viña, autor do gol que quase marcou outra vez (chutou de longe no segundo tempo, levando muito perigo ao gol de Maurício Kozlinski), Zé Rafael terá este empate como uma partida especial, pois foi o jogo em que o camisa 8 completou 100 partidas pelo Maior Campeão do Brasil. O camisa 8 vem acumulando ótimas atuações na temporada.

Outra estatística decorrente do resultado desta noite chama a atenção. Juntos, os auxiliares do técnico Abel Ferreira estão invictos sempre que comandaram o time na ausência do treinador, como no caso de hoje (suspenso pelo acúmulo do terceiro cartão amarelo). Os jogos comandados pelos auxiliares totalizam quatro empates e uma vitória. Foram eles: Ceará 2×2 Palmeiras no Castelão, em 18/11, resultado que valeu classificação do Verdão às semifinais da Copa do Brasil, com Vitor Castanheira (na ocasião, Abel Ferreira estava suspenso e João Martins, substituto imediato de Abel, estava infectado com coronavírus); depois, com João Martins (nessa ocasião, João já estava curado da Covid-19 e era Abel quem havia contraído a doença), o Palmeiras  empatou por 2 a 2 com o Santos, em 05/12 (fora de casa, pelo Brasileiro), com o Libertad-PAR, por 1 a 1 em 08/12 (fora de casa, pela Libertadores), venceu do Bahia por 3 a 0, em 12/12, (em casa, pelo Brasileiro) e, agora, empatou com o Atlético-GO, por 1 a 1 (em casa, pelo Brasileiro).

Ao todo, são quatro jogos de João Martins (uma vitória e três empates) e um duelo dirigido por Vitor Castanheira (um empate que valeu classificação na Copa do Brasil). Considerando toda a era Abel Ferreira (incluindo jogos comandados pelo treinador e pelos auxiliares), foram 33 partidas disputadas: 16 vitórias, dez empates e sete derrotas.

Coletivamente, apesar do gol sofrido, o Palmeiras segue com a melhor defesa dentre os clubes brasileiros que estão na elite do futebol nesta temporada (ou seja, os que compoõem a Série A), levando em consideração partidas disputadas por quaisquer competições oficiais (estaduais, nacionais, continentais e outros torneios federados): no geral da temporada, a média de 0,71 gol sofrido por partida de campeonato (53 gols em 74 jogos, sem contar torneios amistosos) coloca o Verdão na primeira posição entre os clubes com menor índice de gols sofridos no ano, superando o Internacional, com 0,84 (56 gols em 67 jogos).

De todas as equipes da elite do futebol brasileiro na temporada de 2020, aliás, o Palmeiras é o único clube que conseguiu disputar todos os jogos possíveis até aqui, pois avançou em todos os torneios dos quais participou: Florida Cup, Paulista, Copa do Brasil e Libertadores, além do próprio brasileiro, que já iria disputar as 38 partidas independentemente de seu desempenho, e da Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020, que, mesmo perdendo a semifinal contra o Tigres-MEX, ainda voltou a entrar em campo para a disputa do terceiro lugar, completando a grade de atuação nos jogos possíveis. São, ao todo, 76 partidas até aqui, com 38 vitórias, 25 empates, 13 derrotas, 119 gols marcados e 54 gols sofridos.

Assembleia Geral para eleições do Conselho Deliberativo acontece neste sábado (27)

Departamento de Comunicação

A Sociedade Esportiva Palmeiras informa que a Assembleia Geral de sócios para a eleição de 76 novos membros do Conselho Deliberativo para o próximo quadriênio (2021-2025) será realizada neste sábado (27), das 8h às 17h, no ginásio poliesportivo do clube social. O evento seguirá todos os protocolos de segurança para prevenção da Covid-19, com uso obrigatório de máscara para acesso e permanência nas dependências do clube.

Para participar da votação, os associados precisam ser maiores de 18 anos e ter, no mínimo, três anos como titular da matrícula da Sociedade Esportiva Palmeiras, completados até o dia 06 de fevereiro de 2021.

Abaixo, as medidas de segurança que serão adotadas:

Portaria Palestra Italia
– A catraca localizada à esquerda de quem entra terá acesso exclusivo para o local da votação;
– As duas catracas estarão liberadas apenas para entrada no clube;
– O portão do meio será utilizado exclusivamente para saída.

No local da votação
– Obrigatória a apresentação de um documento com foto;
– Recomendamos que cada eleitor traga a sua própria caneta;
– Haverá álcool em gel no acesso ao local e em todas as cabines de votação;

 

Confira abaixo todos os candidatos participantes:



Departamento de Comunicação

Pré-jogo: Palmeiras x Atlético-GO l Campeonato Brasileiro (37ª rodada)
Data e hora: 22/02/2021 (segunda-feira) l 18h (horário de Brasília)
Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Transmissão: Premiere
Pendurados: Renan, Danilo, Breno Lopes, Patrick de Paula, Felipe Melo, Lucas Esteves, Luan, Lucas Lima, Gustavo Scarpa, Wesley, Rony, Mayke e Luiz Adriano
Suspenso: Abel Ferreira (treinador) e Kuscevic*
Em tratamento:
 Gabriel Veron (lesão na coxa esquerda) e Luan Silva (cirurgia no joelho esquerdo)
Escalação do último jogo: (São Paulo 1 x 1 Palmeiras, em 19/02/2021, pelo Brasileirão): Vinicius Silvestre, Marcos Rocha, Kuscevic, Alan Empereur e Renan; Danilo (Breno Lopes, 37’/2ºT),  Gabriel Menino (Raphael Veiga, 16’/2ºT), Lucas Lima (Patrick de Paula, 16’/2ºT), Gustavo Scarpa (Luiz Adriano, 16’/2ºT) e Lucas Esteves; Willian (Rony, intervalo)
*Foi punido com dois jogos de suspensão (um por acúmulo do terceiro cartão amarelo e outro por cartão vermelho direto, no mesmo jogo) – este é o segundo jogo de suspensão do zagueiro chileno

Após buscar empate nos acréscimos contra o São Paulo no Morumbi por 1 a 1, com gol de Rony e, de quebra, desta forma, impedindo que o rival, matematicamente, pudesse aspirar o título brasileiro, o Palmeiras parte agora para o seu penúltimo compromisso pelo Brasileirão, pela 37ª rodada, contra o Atlético-GO, no Allianz Parque, às 18h.

Após duas partidas como visitante (Coritiba, no Couto Pereira, e São Paulo, no Morumbi), o Verdão volta a jogar em sua casa. O compromisso mais recente havia sido o triunfo sobre o Fortaleza, e 14/02, por 3 a 0 (gols de Gustavo Scarpa, Lucas Lima e Breno Lopes).

Na arena palmeirense, aliás, o Palmeiras não perde há cinco jogos no retrospecto geral e há dez pelo Brasileiro. A série invicta pelo Brasileiro foi constituída diante do Atlético-MG (3×0), Fluminense (2×0), Athletico-PR (3×0), Bahia (3×0), Bragantino (1×0), Grêmio (1×1), Corinthians (4×0), Vasco (1×1), Botafogo-RJ (1×1) e Fortaleza (3×0), sendo que estes últimos cinco jogos são os que representam a invencibilidade por qualquer competição no estádio.

Nos últimos 17 jogos no Allianz Parque, entre partidas de Libertadores, Copa do Brasil e Brasileiro, o Verdão sofreu um único revés (para o River Plate-ARG, no jogo de volta das semifinais da Libertadores, mas ainda assim se classificou) – obteve ainda, neste período, outras 12 vitórias e quatro empates.

De todas as equipes da elite do futebol brasileiro na temporada de 2020, aliás, o Palmeiras é o único clube que conseguiu disputar todos os jogos possíveis até aqui, pois avançou em todos os torneios dos quais participou: Florida Cup, Paulista, Copa do Brasil e Libertadores, além do próprio brasileiro, que já iria disputar as 38 partidas independentemente de seu desempenho, e da Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020, que, mesmo perdendo a semifinal contra o Tigres-MEX, ainda voltou a entrar em campo para a disputa do terceiro lugar, completando a grade de atuação nos jogos possíveis. São, ao todo, 75 partidas até aqui, com 38 vitórias, 24 empates, 13 derrotas, 118 gols marcados e 53 gols sofridos.

SEGUNDO CLUBE COM MAIS PONTOS NAS ÚLTIMAS TRÊS EDIÇÕES DO BRASILEIRO

O Palmeiras é a segunda equipe que mais soma pontos no Campeonato Brasileiro desde 2018, ano em que foi decacampeão. Neste período, o Verdão conquistou 211 pontos, ficando logo à frente do Internacional, com 195, e atrás somente do Flamengo, atual campeão, com 233.

Retrospecto do Palmeiras em Campeonato Brasileiro: 1442 jogos, 651 vitórias, 403 empates, 388 derrotas, 2113 gols marcados e 1544 gols sofridos
– Títulos: 10 (1960 – Taça Brasil, 1967 – Taça Brasil, 1967, 1969, 1972, 1973, 1993, 1994, 2016 e 2018). É o único decacampeão brasileiro da história.
– Vice-campeonatos: 4 (1970, 1978, 1997 e 2017)
– Participação em 2019: 3ª colocado com os mesmos 74 pontos do vice Santos, mas com uma vitória a menos (21 triunfos, 11 empates e apenas seis derrotas, sendo o segundo time que menos perdeu, o segundo melhor ataque com 61 gols e segunda melhor defesa com só 32 sofridos).
– Primeiro jogo: 09/11/1960 – Palmeiras 0x0 Fluminense – Pacaembu (São Paulo-SP)
– Último jogo: 19/02/2021 – São Paulo 1×1 Palmeiras – Morumbi (São Paulo-SP)
Na ocasião, o técnico Abel Ferreira mandou a campo Weverton, Mayke, Luan, Gustavo Gómez, Viña, Felipe Melo, Patrick de Paula (Gustavo Scarpa, 38’/2ºT), Raphael Veiga (Lucas Lima, 38’/2ºT), Willian (Breno Lopes, 15’/2ºT), Luiz Adriano, Rony.
– Maior série invicta: 33 jogos (entre 29/07/2018 e 13/07/2019). É a terceira maior série invicta da história da competição, atrás apenas do Santa Cruz (35 jogos invictos entre 1977 e 1978) e do Botafogo (42 jogos, também entre 1977 e 1978).
– Maior série de vitórias: oito vitórias (entre 30/09/1993 e 06/11/1993)
– Maior sequência sem sofrer gols: 10 jogos (entre 07/10/1973 e 15/11/1973)
– Adversários mais frequentes: Santos e Internacional (75 jogos)
– Maior vítima: Grêmio (33 vitórias)
– Maior goleada: 31/03/1984 – Palmeiras 7×0 CRB-AL (gols de Jorginho três vezes, Reinaldo Xavier duas vezes, Vagner Bacharel e Márcio) – Morumbi (São Paulo-SP)
– Jogador que mais jogou no Brasileiro: Emerson Leão (232)
– Jogador do atual elenco que mais jogou no Brasileiro: Willian (112)
– Jogador que mais fez gols no Brasileiro: César Maluco (61)
– Jogador do atual elenco que mais fez gols no Brasileiro: Willian (28)
– Técnico que mais dirigiu o Palmeiras no Brasileiro: Luiz Felipe Scolari (203)

MELHOR DEFESA ENTRE TODOS OS CLUBES NA TEMPORADA

No geral da temporada, a média de 0,71 gol sofrido por partida de campeonato (52 gols em 73 jogos, sem contar torneios amistosos) coloca o Verdão na primeira posição entre os clubes com menor índice de gols sofridos no ano, superando o Internacional, com 0,84 (56 gols em 67 jogos).

Considerando as partidas da Florida Cup, na pré-temporada, foram 53 gols sofridos em 75 jogos no total, média de 0,70 por partida, que coloca a atual temporada em 9º lugar no ranking dos anos com menor média de gols sofridos na história do Palmeiras, atrás de 1991, com 0,69 (49 gols sofridos em 71 jogos); a temporada de 1972 é a líder no quesito, com apenas 0,54 tento cedido por partida (44 gols sofridos em 81 partidas).

O Verdão tem ainda a segunda melhor defesa da atual temporada como visitante, com média de 0,82 gol sofrido por jogo (28 em 34 partidas), atrás apenas do Grêmio, com 0,77 (27 em 35). Além disso, passou 41,1% dos jogos fora de casa sem sofrer gols (14 de 34) – é o quarto melhor índice entre todos os clubes, atrás do Grêmio, com 51,4% (18 de 35 jogos), do Ceará, com 45,7% (16 de 35 jogos), e do Internacional, com 45,4% (15 de 33 jogos).

QUARTO TIME COM MENOS DERROTAS ENTRE TODOS OS CLUBES NA TEMPORADA

Excluindo amistosos e torneios amistosos e somando todas as partidas de campeonato disputadas pelos participantes da Série A na temporada atual, o Palmeiras é o quarto clube com o menor número de derrotas no ano (13), atrás apenas de Flamengo, Atlético-MG e Grêmio (todos com 12), e possui também o segundo menor percentual (17,8% – 13 revezes em 73 jogos – contra 16,9% do primeiro colocado Grêmio – 12 em 71).

Até o tropeço diante do Botafogo, no início de outubro, o Palmeiras vinha de 20 jogos sem perder, registrando a maior invencibilidade do clube nos últimos oito anos e a terceira maior série invicta de um time a partir da estreia em uma edição de pontos corridos do Campeonato Brasileiro, com 12 partidas seguidas sem derrota, atrás apenas do Flamengo de 2011, com 15, e do Corinthians de 2017, com 19.

QUARTO MELHOR APROVEITAMENTO ENTRE TODOS OS CLUBES NA TEMPORADA 

O Palmeiras possui o quarto melhor aproveitamento de pontos entre todos os clubes da elite do país nesta temporada: 61,1% (73 jogos de campeonato, 37 vitórias, 23 empates e 13 derrotas) – em primeiro lugar, aparece o Flamengo, com 70% (69 jogos, 44 vitórias, 13 empates e 12 derrotas), seguido por Atlético-MG, com 61,9% (56 jogos, 30 vitórias, 14 empates e 12 derrotas), e Internacional, com 61,6% (67 jogos, 36 vitórias, 16 empates e 15 derrotas). Como visitante, o Verdão tem o quarto melhor aproveitamento: 51,9% (34 jogos, 14 vitórias, 11 empates e nove derrotas) – antes, aparece o Flamengo, com 66,6% (34 jogos, 20 vitórias, oito empates e seis derrotas), o Ceará, com 57,1% (35 jogos, 17 vitórias, nove empates e nove derrotas), e o Grêmio, com 53,3% (35 jogos, 13 vitórias, 14 empates e oito derrotas).

MELHOR ATAQUE COMO MANDANTE ENTRE TODOS OS CLUBES NA TEMPORADA

Com 73 gols em 36 jogos, o Palmeiras possui o melhor ataque como mandante entre todos os clubes da elite do futebol brasileiro na temporada de 2020. Em seguida, aparecem o Flamengo, com 68 gols em 34 jogos, e o Grêmio, com 65 gols em 36 jogos.

No geral, contabilizando todos os jogos oficiais como mandante e visitante, o Verdão registra a segunda melhor marca, com 116 gols em 73 jogos, atrás apenas do Flamengo, que tem 130 gols em 69 jogos. O terceiro colocado do ranking é o São Paulo, com 106 gols em 62 jogos.

QUARTO MELHOR APROVEITAMENTO COMO MANDANTE ENTRE TODOS OS CLUBES NA TEMPORADA

O Palmeiras tem o quarto melhor aproveitamento de pontos como mandante em 2020, atrás somente do Atlético-MG, com 79,4% (26 jogos, 19 vitórias, cinco empates e duas derrotas), do Flamengo, com 72,5% (34 jogos, 23 vitórias, cinco empates e seis derrotas), e do Internacional, com 71,5% (34 jogos, 22 vitórias, cinco empates e sete derrotas). Somando as partidas realizadas na Arena da Fonte Luminosa (Palmeiras 0x0 São Paulo, pelo Paulista), no Pacaembu (Palmeiras 4×0 Oeste, pelo Paulista) e no Morumbi (Palmeiras 2×1 Santos, pelo Brasileiro), além das que foram disputadas no Allianz Parque, são 36 jogos, 22 vitórias, 11 empates e três derrotas, com 73 gols marcados e 23 sofridos – aproveitamento de 71,3%. O Palmeiras é também o segundo time que menos perdeu em casa nesta temporada, com três derrotas – antes aparece o Atlético-MG, com dois reveses.

Só no Allianz Parque, são 33 jogos, 20 vitórias, dez empates e três derrotas, com 67 gols marcados e 22 sofridos neste ano. Venceu Mirassol (3×1 – inauguração do gramado sintético), Guarani (1×0), Água Santa (2×1), Santo André (2×0) e Ponte Preta (1×0), pelo Paulista; Guaraní-PAR (3×1), Bolívar-BOL (5×0), Tigre-ARG (5×0), Delfín-EQU (5×0) e Libertad-PAR (3×0), pela Libertadores; Ceará (2×1), Atlético-MG (3×0), Fluminense (2×0), Athletico-PR (3×0), Bahia (3×0), Red Bull Bragantino (1×0), Corinthians (4×0) e Fortaleza (3×0), pelo Brasileiro; e Red Bull Bragantino (1×0) e Ceará (3×0), pela Copa do Brasil; empatou com Ferroviária (1×1) e Corinthians (1×1), pelo Paulista; Goiás (1×1), Internacional (1×1), Sport (2×2), Flamengo (1×1), Grêmio (1×1), Vasco da Gama (1×1) e Botafogo (1×1), pelo Brasileiro; e América-MG (1×1), pela Copa do Brasil – os únicos reveses aconteceram diante do São Paulo (0x2) e do Coritiba (1×3), ambos pelo Brasileiro, e contra o River Plate-ARG (0x2), pela Libertadores – aproveitamento de 70,7% na arena.

Em 2019, o Verdão registrou sua melhor temporada no Allianz Parque: 26 jogos, 18 vitórias, cinco empates e apenas três derrotas (com 42 gols marcados e 12 sofridos), aproveitamento de 76% contra 75% de 2017, 73% de 2016, 71% de 2015 e 2018 e 17% de 2014. Foi ainda o ano com maior índice de vitórias (69%, ao lado de 2016 – em 2020, são 60,6%), o menor percentual de derrotas (12%, contra 14% de 2017 – em 2020, é 9%) e a menor média de gols sofridos (0,46, seguido de 2016, com 0,66 – em 2020, é 0,66).

TEMPORADA DE 2020 REGISTRA MELHOR MÉDIA DE GOLS MARCADOS DA HISTÓRIA DO ALLIANZ PARQUE

Com 67 bolas na rede em 33 partidas referentes ao ano de 2020 no Allianz Parque, o Palmeiras tem a melhor média de gols marcados em sua arena desde que o estádio fora inaugurado com a atual configuração em 2014. São 2,03 gols por partida, contra 1,9 de 2018 e de 2017 (61 gols em 31 jogos).

TEMPORADA DE 2020 REGISTRA MENOR PERCENTUAL DE DERROTAS DA HISTÓRIA DO ALLAINZ PARQUE

Inaugurado em 2014 com visual moderno, de arena, o Allianz Parque tem o Palmeiras de 2020 como o time que menos perdeu na recente história do estádio considerando uma única temporada: são apenas 9% de reveses em relação ao todo dos jogos que disputou (somente três de 33), contra 12% de 2019 (três de 26).

TEMPORADA DE 2020 REGISTRA SEGUNDA MENOR MÉDIA DE GOLS SOFRIDOS DA HISTÓRIA DO ALLIANZ PARQUE

Se o Palmeiras de 2020 tem, na média, o melhor ataque da história de sua arena, o sistema defensivo não fica para trás. A temporada atual contabiliza a baixa média de 0,66 gol sofrido por partida (22 gols sofridos em 33 partidas), empatada com a temporada de 2016, com média de 0,66 gol sofrido por jogo (18 tentos em 27 duelos), e atrás somente de 2019, quando, no Allianz Parque, o Verdão daquele ano registrou média de apenas 0,46 gol sofrido por jogo (12 em 26).

– Retrospecto do Palmeiras no Allianz Parque: 184 jogos, 120 vitórias, 37 empates, 27 derrotas, 344 gols marcados e 136 gols sofridos
Amistosos: 3 jogos – 2 vitórias, 1 empate e nenhuma derrota (7 gols marcados e 4 gols sofridos)
Campeonato Brasileiro: 97 jogos – 59 vitórias, 22 empates e 16 derrotas (176 gols marcados e 80 gols sofridos)
Campeonato Paulista: 44 jogos – 29 vitórias, 6 empates e 7 derrotas (73 gols marcados e 26 gols sofridos)
Copa do Brasil: 17 jogos – 11 vitórias, 5 empates e 1 derrota (31 gols marcados e 13 gols sofridos)
Libertadores: 23 jogos – 18 vitórias, 2 empates e 3 derrotas (54 gols marcados e 12 gols sofridos)

– Primeiro jogo:
 19/11/2014 – Palmeiras 0x2 Sport-PE – Campeonato Brasileiro
– Último jogo:14/02/2021 – Palmeiras 3×0 Fortaleza – Campeonato Brasileiro
Na ocasião, o técnico Abel Ferreira mandou a campo Weverton, Marcos Rocha (Mayke, 36’/2ºT), Kuscevic, Gustavo Gómez, Renan, Esteves (Patrick de Paula, 27’/2ºT), Danilo (Felipe Melo, 36’/2ºT), Gabriel Menino, Lucas Lima (Raphael Veiga, 27’/2ºT), Gustavo Scarpa, Breno Lopes (Willian, 14’/2ºT).
– Maior série invicta: 28 jogos (21 vitórias e sete empates), entre 07/08/2016 e 28/06/2017
– Maior sequência de vitórias: nove jogos (entre 21/10/2020 e 15/12/2020)
– Maior série sem sofrer gols: 11 jogos (entre 12/03/2019 e 10/07/2019)
– Adversário mais frequente: São Paulo (10 jogos)
– Maiores vítimas: São Paulo (8 vitórias, 1 empate e 1 derrota em 10 jogos) e Fluminense (7 vitórias em 7 jogos)
– Maiores goleadas: 5 a 0, quatro vezes: 21/03/2018 – Palmeiras 5×0 Novorizontino (gols de Bruno Henrique, Keno, Willian, Dudu e Papagaio) – Campeonato Paulista; 30/09/2020 – Palmeiras 5×0 Bolívar-BOL (gols de Willian, Wesley, Matías Viña, Raphael Veiga e Rony) – Libertadores; 21/10/2020 – Palmeiras 5×0 Tigre-ARG (gols de Raphael Veiga, Gustavo Gómez, Zé Rafael, Gabriel Veron e Rony) – Libertadores; e 02/12/2020 – Palmeiras 5×0 Delfín-EQU (gols de Patrick de Paula, Gabriel Veron, Willian, Gabriel Veron e Danilo)
– Gol mais cedo:
 Moisés (dia 22/07/2018, aos 2min, Palmeiras 3×2 Atlético-MG, pelo Brasileiro)
– Gol mais tardio: Fabiano (dia 12/04/2017, aos 99min, Palmeiras 3×2 Peñarol-URU, pela Libertadores)
– Placar mais frequente: 1×0 para o Palmeiras (28 vezes)
– Maior público: 41.256 pessoas, dia 02/12/2018, pela última rodada do Campeonato Brasileiro.
– Jogador que mais atuou: Dudu (127 jogos)
– Jogador que mais atuou do atual elenco: Willian (88 jogos, atrás apenas de Dudu)
– Jogador que mais fez gols: Dudu (33 gols)
– Jogador que mais fez gols do atual elenco: Willian (21 gols, atrás só de Dudu)
– Jogador que mais deu assistência: Dudu (35 assistências)
– Jogador que mais deu assistência do atual elenco: Marcos Rocha (13, à frente de Willian, com 11, e Lucas Lima, com nove)
– Treinador que mais comandou: Cuca (35 jogos)

– Retrospecto do Palmeiras no Parque Antarctica/Palestra Italia/Allianz Parque: 1754 jogos, 1185 vitórias, 354 empates, 215 derrotas, 4037 gols marcados e 1621 gols sofridos

NÚMEROS GERAIS NA TEMPORADA

J: 75
V: 38
E: 24
D: 13
GP: 118
GC: 53

NÚMEROS NO BRASILEIRO
J: 36
V: 15
E: 12
D: 9
GP: 50
GC: 34

NÚMERO NA LIBERTADORES
J: 13
V: 10
E: 2
D: 1
GP: 33
GC: 6

NÚMEROS NA COPA DO BRASIL
J: 6
V: 4
E: 2
D: 0
GP: 12
GC: 4

NÚMEROS NO PAULISTA

J: 16
V: 8
E: 6
D: 2
GP: 21
GC: 7

NÚMEROS NA FLORIDA CUP
J: 2
V: 1
E: 1
D: 0
GP: 2
GC: 1

NÚMEROS NO MUNDIAL DE CLUBES
J: 2
V: 0
E: 1
D: 1
GP: 0
GC: 1

PALMEIRAS VEM DE CINCO VITÓRIAS SEGUIDAS CONTRA O ATLÉTICO-GO

Com retrospecto favorável no histórico do confronto com o Atlético-GO (oito vitórias, um empate e seis derrotas em 15 duelos disputados), o Palmeiras perdeu pela última vez para o adversário goiano em 25/11/2012. Depois, entre 2013 e 2020, foram cinco jogos e cinco vitórias do Maior Campeão do Brasil(ou seja, 100% de aproveitamento neste período).

– Retrospecto geral contra o Atlético-GO: 15 jogos, 8 vitórias, 1 empate, 6 derrotas, 23 gols marcados e 18 gols sofridos
– Primeiro jogo: 25/07/1973 – Atlético-GO 0×3 Palmeiras (gols de Leivinha duas vezes e Pio) – Estádio Olímpico Pedro Ludovico Teixeira (Goiânia-GO) – Taça Governador do Estado de Goiás
– Último jogo: 25/10/2020 – Atlético-GO 0×3 Palmeiras (gols de Wesley, duas vezes, e Luiz Adriano) – Estádio Olímpico Pedro Ludovico Teixeira (Goiânia-GO) – Campeonato Brasileiro.
Na ocasião, o técnico interino Andrey Lopes, o Cebola, mandou a campo: Weverton; Gabriel Menino, Luan, Felipe Melo e Viña; Patrick de Paula (Ramires, aos 35’/2ºT), Zé Rafael e Raphael Veiga (Lucas Lima, aos 28’/2ºT); Rony (Gabriel Silva, aos 46’/2ºT), Wesley (Gustavo Scarpa, aos 35’/2ºT) e Luiz Adriano (Willian, aos 28’/2ºT)
– Maior sequência invicta: Palmeiras, a atual, de cinco jogos (entre 25/05/2013 e 25/10/2020, com cinco vitórias)
– Maior série de vitórias: Palmeiras, a atual, de cinco jogos (entre 25/05/2013 e 25/10/2020, com cinco vitórias)
– Jogador com mais jogos: Marcos (5)
– Jogador com mais gols: Luiz Adriano, Leivinha e Alan Kardec (2)
– Técnico com mais jogos: Luiz Felipe Scolari (6)

– Retrospecto contra o Atlético-GO como mandante: 6 jogos, 4 vitórias, 2 derrotas, 6 gols marcados e 5 gols sofridos
– Primeiro jogo: 29/04/2010 – Palmeiras 1×0 Atlético-GO (gol de Cleiton Xavier) – Estádio Palestra Italia (SP) – Copa do Brasil
– Último jogo: 21/06/2017 – Palmeiras 1×0 Atlético-GO (gol de Borja) – Allianz Parque (SP) – Campeonato Brasileiro

– Retrospecto contra o Atlético-GO pelo Campeonato Brasileiro: 9 jogos, 4 vitórias, 1 empate, 4 derrotas, 12 gols marcados e 12 gols sofridos
– Primeiro jogo: 26/08/2010 – Palmeiras 0×3 Atlético-GO – Pacaembu (São Paulo-SP)
– Primeira vitória:30/06/2011 – Palmeiras 2×0 Atlético-GO (gols de Maikon Leite e Marcos Assunção) – Canindé (São Paulo-SP)
– Último jogo: 25/10/2020 – Atlético-GO 0×3 Palmeiras (gols de Wesley e Luiz Adriano, duas vezes) – Estádio Olímpico Pedro Ludovico Teixeira (Goiânia-GO)

– Retrospecto contra o Atlético-GO pelo Campeonato Brasileiro como mandante: 4 jogos, 2 vitórias, 2 derrotas, 4 gols marcados e 5 gols sofridos
– Primeiro jogo: 26/08/2010 – Palmeiras 0×3 Atlético-GO – Pacaembu (São Paulo-SP)
– Primeira vitória:30/06/2011 – Palmeiras 2×0 Atlético-GO (gols de Maikon Leite e Marcos Assunção) – Canindé (São Paulo-SP)
– Último jogo: 21/06/2017 – Palmeiras 1×0 Atlético-GO (gol de Borja) – Allianz Parque (SP) – Campeonato Brasileiro

AUXILIARES DE ABEL FERREIRA ESTÃO INVICTOS NO COMANDO DO VERDÃO

Considerando toda a era Abel Ferreira (incluindo jogos comandados pelos auxiliares, nos quais, ou o treinador esteve fora por ter contraído Covid-19 ou por estar suspenso), foram 32 partidas disputadas: 16 vitórias, nove empates e sete derrotas. Os jogos comandados pelos auxiliares totalizam três empates e uma vitória. Foram eles: Ceará 2×2 Palmeiras no Castelão, em 18/11, resultado que valeu classificação do Verdão às semifinais da Copa do Brasil, com Vitor Castanheira (na ocasião, Abel Ferreira estava suspenso e João Martins, substituto imediato de Abel, estava infectado com coronavírus); depois, com João Martins (nessa ocasião, João já estava curado da Covid-19 e era Abel quem havia contraído a doença), o Palmeiras  empatou por 2 a 2 com o Santos, em 05/12 (fora de casa, pelo Brasileiro), com o Libertad-PAR, por 1 a 1 em 08/12 (fora de casa, pela Libertadores) e venceu do Bahia por 3 a 0, em 12/12, (em casa, pelo Brasileiro).

Sozinho, o técnico Abel Ferreira, que assumiu o time em 05/11/2020 em um jogo que valia classificação para as quartas de final da Copa do Brasil (vitória por 1 a 0 diante do RB Bragantino, com gol de Gabriel Veron), soma desde então 28 jogos, 15 vitórias, seis empates e sete derrotas. Apenas pelo Brasileirão, são 16 jogos, sete vitórias, quatro empates e cinco revezes.

ELENCO TEM UM BICAMPEÃO BRASILEIRO PELO VERDÃO, 11 CAMPEÕES E NOVE ESTREANTES

Do atual elenco profissional, apenas o goleiro Jailson participou dos dois títulos brasileiros do Palmeiras nesta década, em 2016 e 2018 – na primeira conquista, inclusive, ele foi decisivo ao substituir Fernando Prass na metade final e terminar a competição com 19 jogos de invencibilidade, faturando a Bola de Prata como melhor da posição no campeonato. O goleiro Vinicius – que reestreou pelo Verdão recentemente– também fez parte do grupo eneacampeão e depois jogou em outros clubes antes de retornar em 2020.

A conquista do deca, em 2018, contou com as participações de Weverton, Felipe Melo, Gustavo Gómez, Luan, Emerson Santos, Marcos Rocha, Mayke, Gustavo Scarpa, Lucas Lima e Willian, além de Jailson. Destes, Weverton e Mayke conquistaram a Bola de Prata em 2018, enquanto Gómez foi o único do atual plantel a ser premiado em 2019.

Os que passaram a figurar no elenco em 2019 e agora disputam o segundo Brasileiro seguido pelo Palmeiras são o lateral-esquerdo Lucas Esteves, os meio-campistas Zé Rafael e Raphael Veiga e os atacantes Luiz Adriano, Gabriel Veron e Luan Silva (em tratamento de uma cirurgia no joelho esquerdo, o camisa 9 ainda não jogou na competição).

Em 2020, nove jogadores profissionais disputam pela primeira vez um Campeonato Brasileiro com a camisa do Palmeiras: Matías Viña, Rony, Alan Empereur, Benjamín Kuscevic, Breno Lopes, Gabriel Menino, Patrick de Paula, Wesley e Danilo. O lateral-esquerdo Viña, os zagueiros Alan Empereur e Kuscevic e os atacante Rony e Breno Lopes chegaram ao clube nesta temporada, enquanto os meio-campistas Gabriel Menino e Patrick de Paula e o atacante Wesley, formados no Verdão, estavam na conquista do Campeonato Brasileiro Sub-20 em 2018, quando o Palmeiras se tornou o primeiro clube da história a conquistar os Brasileiros Sub-20 e Profissional na mesma temporada, e foram integrados ao time principal em janeiro deste ano. Já o volante Danilo, alçado da base neste segundo semestre, é a mais recente Cria da Academia integrante do elenco profissional e fez seu primeiro gol pela Libertadores, além de conceder uma assistência no mesmo jogo.

#CRIASDAACADEMIA: ATUAL TEMPORADA É A MAIOR EM TERMOS DE UTILIZAÇÃO DE ESTREANTES DA BASE NO SÉCULO

Além dos 27 jogadores que compõem o elenco profissional atualmente, dois jovens do Sub-20 também vêm sendo aproveitados com frequência: o zagueiro Renanque foi relacionado para 34 dos 45 jogos mais recentes e atuou em nove (sete como titular), e o atacante Gabriel Silva, relacionado para 39 dos últimos 58 jogos e presente em campo em 16.

Ao todo, considerando também os atletas que estão efetivados no plantel principal, 13 Crias da Academia estrearam pelo Palmeiras na temporada atual. Na ordem, foram a campo Patrick de Paula, Gabriel Menino, Wesley, Alan, Angulo (emprestado ao Botafogo), Gabriel Silva, Danilo, Renan, Aníbal, Marcelinho, Fabrício, Pedro Acácio e Vanderlan. Juntos, eles somam 206 jogos e fizeram da temporada atual a que o Palmeiras mais colocou jovens estreantes da base para atuar no século, superando as 103 partidas de 11 pratas da casa debutantes em 2010.

Diante do Coritiba, em outubro de 2020, pelo Campeonato Brasileiro, cinco Crias da Academia foram escaladas no time titular: Renan, Esteves, Patrick de Paula, Gabriel Menino e Gabriel Veron – isso não acontecia desde 2015. Já contra o Delfín-EQU, na partida de ida das oitavas de final da Libertadores, os 11 suplentes eram oriundos do Centro de Formação de Atletas do Verdão, feito inédito na história do clube.

Durante o mês de novembro de 2020, dez Crias da Academia foram relacionadas pela primeira vez: os goleiros Mateus e Leandro, o zagueiro Helder, o lateral-esquerdo Vanderlan, os meio-campistas Quiñonez e Juninho e os atacantes Marino, Aníbal, Pedro Acácio e Fabricio. Eles se juntaram ao meio-campista Vitinho e ao atacante Marcelinho, que já haviam sido convocados ao longo do ano, além de Renan e Gabriel Silva. Para o clássico do dia 05 de dezembro, contra o Santos, Ramon Cesar e Ramon Rocha foram acrescentados à lista, somando 16 no total.

>> Gabriel Silva: titular pela primeira vez no time profissional do Verdão há seis jogos, diante do Ceará, 32ª rodada do Brasileiro (depois tornou a ser titular contra o Vasco da Gama no jogo seguinte, em casa, e entrou no empate com o Botafogo por 1 a 1, em casa), o atacante de 18 anos chegou ao clube aos 13, em 2015, e tem no currículo dois títulos do mundial de clubes Sub-17 – nas duas finais, aliás, ele deixou sua marca: primeiro na vitória por 4 a 2 sobre o Real Madrid na decisão de 2018, na Espanha, e depois na vitória por 2 a 1 sobre o Leganés-ESP em 2019, também na Espanha. Campeão paulista Sub-15, Sub-17, Sub-20 e Profissional pelo Verdão, marcou 40 gols em 46 jogos atuando pelo Sub-17 e pelo Sub-20 em 2019 e se destacou também por balançar as redes em todas as finais nacionais que disputou na temporada passada: Paulista Sub-17 (vice-campeão), Copa do Brasil Sub-17 (campeão), Supercopa do Brasil Sub-17 (campeão), Paulista Sub-20 (campeão), Brasileiro Sub-20 (vice-campeão) e Supercopa do Brasil Sub-20 (vice-campeão). Neste ano, tem seis gols em sete jogos entre Brasileiro Sub-20 e Copa do Brasil Sub-20.

>> Renan: o jovem de 18 anos conquistou importantes títulos pela base do Palmeiras e da Seleção Brasileira desde o Sub-15 – entre eles, o bicampeonato paulista sub-15 (2016 e 2017), o Campeonato Paulista Sub-17 (2018), a Copa do Brasil Sub-17 (2019), a Supercopa do Brasil Sub-17 (2019) e o bicampeonato do mundial de clubes Sub-17 (2018 e 2019), pelo Verdão, além da Copa do Mundo Sub-17 em 2019, pelo Brasil. Ele chegou ao Palmeiras em 2015, aos 13 anos de idade, começou a jogar de lateral-esquerdo no início de 2019 por decisão do técnico Artur Itiro e agradou. Ganhou a polivalência como uma de suas características.

Números individuais na temporada:

– Mais jogos no geral: Willian (217); Felipe Melo (178); Lucas Lima (161); Weverton (156); Marcos Rocha (141); Luan (128)
– Mais jogos na temporada atual: Willian (68); Weverton (67); Zé Rafael (61); Raphael Veiga (60); Gabriel Menino (59); e Gustavo Gómez (55)
– Mais jogos no Brasileiro 2020: Willian (32); Lucas Lima (30); Weverton (29)
– Mais jogos na Libertadores 2020: Weverton e Gustavo Gómez (13)
– Mais jogos na Copa do Brasil 2020: Raphael Veiga e Willian (6)

– Mais gols no geral: Willian (56); Luiz Adriano (27); Raphael Veiga (25); Gustavo Scarpa (23); Gustavo Gómez (13); Felipe Melo e Zé Rafael (12); Rony, Lucas Lima e Gabriel Veron (11)
– Mais gols na temporada atual: Luiz Adriano (20); Raphael Veiga e Willian (18); Rony (11); Gabriel Veron (9); Zé Rafael, Gustavo Gómez e Patrick de Paula (5); Wesley e Gustavo Scarpa (4); Breno Lopes, Lucas Lima e Gabriel Menino (3); Viña, Marcos Rocha e Dudu (2); Ramires, Felipe Melo, Danilo e Emerson Santos (1)
– Mais gols no Brasileiro 2020: Raphael Veiga (11); Luiz Adriano (10); Willian (7); Rony (5); Gabriel Veron (4); Patrick de Paula (3); Breno Lopes, Zé Rafael e Wesley (2); Gustavo Gómez, Gustavo Scarpa, Lucas Lima e Emerson Santos (1)
– Mais gols na Libertadores 2020: Rony e Luiz Adriano (5); Willian (4); Gabriel Menino e Gabriel Veron (3); Raphael Veiga, Zé Rafael, Gustavo Gómez e Viña (2); Wesley, Patrick de Paula, Danilo, Breno Lopes e Gustavo Scarpa (1)
– Mais gols na Copa do Brasil 2020: Raphael Veiga (4); Gabriel Veron e Luiz Adriano (2); Gustavo Scarpa, Wesley, Gustavo Gómez e Rony (1)

– Mais assistências no geral: Willian (22); Lucas Lima (21); Marcos Rocha (20); Gustavo Scarpa (17) e Zé Rafael (12)
– Mais assistências na temporada atual: Gabriel Menino e Rony (9); Viña e Gustavo Scarpa (8); Zé Rafael (7); Willian e Wesley (6); Marcos Rocha, Gabriel Veron e Lucas Lima (5); Luiz Adriano (4); Dudu (3); Raphael Veiga e Danilo (2); Bruno Henrique, Gustavo Gómez, Patrick de Paula, Gabriel Silva, Felipe Melo e Mayke (1)
– Mais assistências no Brasileiro 2020: Gabriel Menino (7); Gustavo Scarpa (5); Willian (4); Zé Rafael, Luiz Adriano e Viña (3); Gabriel Veron, Lucas Lima e Wesley (2); Raphael Veiga, Mayke, Gustavo Gómez e Patrick de Paula (1)
– Mais assistências na Libertadores 2020: Rony (8); Wesley, Gustavo Scarpa e Viña (3), Danilo e Dudu (2); Willian, Gabriel Menino, Gabriel Veron, Raphael Veiga, Gabriel Silva e Marcos Rocha (1)
– Mais assistências na Copa do Brasil 2020: Zé Rafael (2); Viña, Lucas Lima, Gabriel Veron, Felipe Melo, Rony e Marcos Rocha (1)

– Mais vezes capitão do time na temporada atual: Felipe Melo (33); Gustavo Gómez (20); Weverton e Willian (8); Luiz Adriano (4); e Bruno Henrique (2)
– Último hat-trick: Luiz Adriano (10/03/2020 – Palmeiras 3×1 Guaraní-PAR – Allianz Parque, em São Paulo-SP – Libertadores)
– Último gol de falta: Gustavo Scarpa (14/02/2021 – Palmeiras 3×0 Fortaleza– Allianz Parque, em São Paulo – Campeonato Brasileiro)
– Último gol de pênalti em tempo regulamentar: Raphael Veiga (12/12/2020 – Palmeiras 3×0 Bahia – Allianz Parque – Campeonato Brasileiro)
– Último gol de pênalti em disputa de penais: Gustavo Gómez, (13/02/2021 – Palmeiras 0 (2)x(3) 0 Al Ahly-EGI – Education City Stadium, em Doha, no Catar) – Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020
– Última defesa de pênalti em tempo regulamentar: Weverton (02/11/2019 – Palmeiras 1×0 Ceará – Allianz Parque, em São Paulo-SP – Campeonato Brasileiro)
– Última defesa de pênalti em disputa de penais: Weverton (11/02/2021 – Palmeiras 0 (2)x(3) 0 Al Ahly-EGI – Education City Stadium, em Doha, no Catar) – Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020

WILLIAN: ARTILHEIRO MÁXIMO DO ATUAL ELENCO E VICE DA TEMPORADA; JOGADOR MAIS ASSÍDUO NA TEMPORADA; LÍDER PALMEIRENSE EM PARTICIPAÇÕES

O atacante segue como o atleta mais assíduo do Verdão na atual temporada: atuou em 68 dos 75 compromissos possíveis, seguido lado de Weverton, com 67 atuações – no Brasileiro, também é quem mais jogou: 32 das 36 partidas possíveis até aqui, seguido de Lucas Lima, com 30 duelos no Nacional.

Além disso, Willian é o vice-artilheiro do time na temporada (são 18 gols, ao lado de Raphael Veiga, ambos atrás de Luiz Adriano, com 20); é o terceiro artilheiro do time no Campeonato Brasileiro (sete, atrás de Luiz Adriano, com dez, e de Raphael Veiga, com 11) e o líder em participações diretas nos gols da temporada (24, somando-se 18 bolas na rede e seis assistências, ao lado de Luiz Adriano, com 24 – 20 gols e quatro passes).

Segundo maior artilheiro do Verdão na era dos pontos corridos com 28 bolas na rede (atrás apenas de Dudu, com 41) ele já entrou no top 10 dos que mais marcaram gols pelo clube em Brasileiros em todos os tempos (atualmente na 9ª posição, ao lado de Evair), o atacante é o segundo maior goleador do Palmeiras neste século com 56 tentos (atrás só de Dudu, com 70) e aparece na 47ª posição da lista dos maiores artilheiros da história alviverde, ao lado de Zinho.

Jogador do atual elenco com mais partidas (217, seguido por Felipe Melo, com 178), gols (56, seguido por Luiz Adriano, com 27, e por Raphael Veiga, 25) e assistências (22, seguido de Lucas Lima, com 21), Willian é o 68º no ranking dos atletas com mais jogos na história do clube e o 6º entre os que têm mais vitórias neste século, com 116 triunfos – completam o ranking: Márcio Araújo (5º, com 118), Valdivia (4º, com 122), Fernando Prass (3º, com 151), Dudu (2º colocado, com 174) e Marcos (líder com 182 vitórias).

As 217 partidas de Willian, inclusive, o colocam também no top 10 de palmeirenses com mais partidas neste século, na 6ª colocação, ao lado do volante Corrêa. Completam o ranking: o meia Valdivia (5º, com 241), o volante Márcio Araújo (4º, com 252), o goleiro Fernando Prass (3º, com 274), o atacante Dudu (2º, com 305) e o goleiro Marcos (líder no quesito, com 392).

Contra o River Plate-ARG, no jogo de ida das semifinais da Libertadores, vitória por 3 a 0 fora de casa (não atuou no duelo de volta), ele chegou a 31 partidas pela competição continental e superou o volante Cesar Sampaio na lista dos atletas palmeirenses com mais jogos pela Libertadores em todos os tempos, se isolando na 5ª colocação; completam a lista: o atacante Dudu (4º, com 34 jogos), o volante Galeano (3º, com 38 jogos), o meia Alex (2º, com 39 jogos) e o goleiro Marcos (líder da lista, com 57 jogos).

Na Libertadores 2020, aliás, Willian marcou quatro vezes: na estreia do Verdão na atual edição, contra o Tigre-ARG, diante do Bolívar-BOL, na terceira rodada; novamente, ante a equipe boliviana (desta vez no jogo de volta da primeira fase, na quinta rodada) e, depois, sobre o Delfín-EQU (jogo de volta). Com esses quatro gols no mais importante torneio das Américas, fechou sua participação como o vice-artilheiro do Palmeiras na edição campeã, atrás só de Luiz Adriano e Rony, ambos com cinco gols.

No Allianz Parque, Willian é o vice-artilheiro, com 21 bolas na rede na arena alviverde, só está de Dudu neste quesito, com 33;
 o terceiro em jogos (87, seguido de Fernando Prass, 86, e atrás só de Dudu, com 127) e o terceiro em assistências (11, uma a menos que Marcos Rocha, com 12 – ambos atrás de Dudu, com 35). Além disso, na atual temporada, ele também é oatleta que mais acerta a meta adversária, com 46 finalizações certas.

LUIZ ADRIANO: FECHOU LIBERTADORES COMO ARTILHEIRO DO TIME; ARTILHEIRO DA TEMPORADA ATUAL; VICE-ARTILHEIRO DO ELENCO E VICE-GOLEADOR DO TIME NO BRASILEIRÃO; LÍDER EM PARTICIPAÇÕES EM 2020; MARCOU DUAS VEZES SOBRE O ATLÉTICO-GO NO PRIMEIRO TURNO

Responsável por dar início à jogada que culminou no gol do Palmeiras na última sexta-feira (19) diante do São Paulo, com Rony (gol do empate por 1 a 1 no clássico no Morumbi, nos acréscimos), Luiz Adriano foi autor de dois gols nos 4 a 0 sobre o Corinthians, penúltima vitória do Palmeiras no Allianz Parque (18/01). O camisa 10 é, de forma isolada, o artilheiro do time na atual temporada, com 20 gols, seguido de Willian Bigode e Raphael Veiga, ambos com 18. Além dos números absolutos, Adriano possui também a melhor média: 0,38 (20 gols em 52 jogos) – considera-se 2020 os jogos disputados no início deste 2021 que ainda são válidos pelas competições vigentes do ano anterior).

O atacante do Verdão também é líder em participações na temporada (ou seja, gols e assistências somadas), com 24 ações (20 gols e quatro passes), ao lado de Willian Bigode, com as mesmas 24 (18 gols e seis passes). Além disso, na atual temporada, ele também é o quarto atleta que mais acerta a meta adversária, com 40 finalizações certas.

Luiz Adriano é um dos três palmeirenses a ter marcado em todas as competições regulares disputadas nas competições oficiais da temporada atual – os outros são Raphael Veiga e Gustavo Gómez. Ele marcou três vezes no Paulista, dez no Brasileiro (vice-artilheiro do time na edição, atrás de Raphael Veiga, com 11), cinco na Libertadores (artilheiro palmeirense no torneio, ao lado de Rony) e duas na Copa do Brasil, enquanto Raphael Veiga fez um gol pelo Estadual, 11 pelo Brasileirão, dois pela Libertadores e quatro na Copa do Brasil, e Gustavo Gómez balançou as redes uma vez pelo Paulista, uma pelo Brasileiro, uma pela Copa do Brasil e duas pela Libertadores.

Luiz Adriano soma nove gols em seus últimos 21 jogos disputados – média de 0,42 por partida neste período
 – marcou duas vezes na vitória por 3 a 0 contra o Atlético-GO, em Goiânia, pelo Brasileiro, em 25/10; no triunfo por 3 a 1 diante do RB Bragantino pelo jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil, em Bragança Paulista-SP, em 29/10; e, depois, diante do Vasco, em 08/11, antes de ficar de fora por desgaste muscular, voltar por mais duas partidas e, em seguida, se lesionar (ficando de fora por oito jogos em um mês).

Em sua volta, entrou no segundo tempo diante do América-MG (jogo de ida pela Copa do Brasil, no Allianz Parque); e nos dois duelos seguintes, marcou gol: pelo Brasileiro, fez o tento da vitória por 1 a 0 diante do RB Bragantino, pela 27ª rodada do Brasileiro (no Allianz Parque); abriu caminho para a vitória do Palmeiras fora de casa, no segundo tempo, contra o América-MG pela Copa do Brasil (jogo que valeu vaga na final); também deixou sua marca na vitória por 3 a 0 diante do River Plate-ARG fora de casa, no jogo de ida das semifinais da Libertadores; depois, marcou duas vezes na goleada no Derby por 4 a 0 pelo Brasileiro.

Com 27 gols desde que chegou ao Verdão, em 2019, o jogador é ainda o vice-goleador do elenco no geral, seguido de Raphael Veiga, com 25, e atrás só de Willian, com 56 bolas na rede.

Contratado em agosto de 2019, tem média de 0,39 gol por partida na temporada atual (20 em 51 jogos), ante 0,46 da sua temporada de estreia (sete em 15), superando os 13 gols dos artilheiros do time em 2019, Dudu e Scarpa, e igualando os 20 gols de Borja, artilheiro em 2018.

No Allianz Parque, Luiz Adriano ostenta a melhor média de gols da história da arena, com índice de 0,52 bola na rede por jogo (13 gols em 25 jogos) – completam o top 10: Borja (2º com 0,38 – 19 gols em 50 jogos), Cristaldo (3º com 0,34 – 11 gols em 32 jogos), Leandro Pereira (4º com 0,33 – 7 gols em 21 jogos), Gabriel Jesus (5º com 0,32 – 11 gols em 34 jogos), Deyverson (6º com 0,30 –13 gols em 42 jogos), Rafael Marques (7º com 0,28 – 12 gols em 42 jogos), Barrios (8º com 0,26 – 5 gols em 19 jogos) e quatro atletas empatados em 9º, com 0,25, que são Dudu (33 gols em 127 jogos), Keno (9 gols em 35 jogos) e Alecsandro (6 gols em 24 jogos).

Os 13 gols anotados no Allianz Parque também já colocam Luiz Adriano no top 5 de artilheiros da arena palmeirense, ocupando a 5ª posição, ao lado de Deyverson – completam o ranking: Raphael Veiga (4º, com 15), Borja (3º, com 19), Willian (2º, com 21) e Dudu (1º, com 33).

Por duas vezes na casa palestrina, Luiz Adriano deixou o gramado com três bolas na rede no mesmo jogo: diante do Fluminense, no Brasileirão de 2019, e do Guaraní-PAR, na Libertadores deste ano. Fora do Brasil, já havia alcançado o mesmo feito em outras três oportunidades, além de uma vez em que marcou cinco gols pelo Shakhtar Donetsk-UCR (sendo quatro só no primeiro tempo), clube onde é o maior artilheiro da história com 130 gols. Ele é também o 7º maior goleador brasileiro na história da Champions League, com 21 tentos – neste ranking, apenas Neymar, Kaká, Rivaldo, Jardel, Élber e Mazzola, revelado pelo Verdão, balançaram mais vezes as redes pela maior competição continental do planeta.

RONY: FECHOU LIBERTADORES COMO ARTILHEIRO DO TIME; GARÇOM GERAL DO ELENCO NA TEMPORADA E GARÇOM GERAL TAMBÉM NA LIBERTADORES 2020 DENTRE TODOS OS CLUBES; SEGUNDO COLOCADO EM DRIBLES E EM FINALIZAÇÕES CERTAS

Autor do gol mais recente do time no empate contra o São Paulo, na última sexta-feira (19), Rony vem acumulando ótimas participações em suas últimas partidas pelo time palmeirense. Utilizado no segundo tempo contra o Coritiba, fora de casa, há dois jogos, pelo Brasileiro, ele foi fundamental, dentre vários outros lances chave dos quais participou na temporada, no jogo que valeu ao Palmeiras o título da Libertadores da América, quando, nos acréscimos do segundo tempo, o camisa 11 colocou a bola na cabeça de Breno Lopes após lançamento em jogada que originou o gol do título.

Antes disso, em 30/12, diante do América-MG, jogo que valeu classificação à final da Copa do Brasil após vitória por 2 a 0, no Estádio Independência (Belo Horizonte-MG) – deu uma assistência para o primeiro gol (de Luiz Adriano) e fez o segundo gol; e foi titular diante do River Plate-ARG, fora de casa, marcando o gol que abriu caminho para a vitória por 3 a 0 fora de casa pelo jogo de ida das semifinais do torneio continental. Na vitória mais recente do time pelo Brasileiro fora de casa, 1 a 0 fora de casa diante do Sport, ele participou ao entrar no segundo tempo.

O jogador, aliás, vem de bons números: fez dez gols em suas últimas 23 partidas disputadas (média de 0,43 por jogo neste período). Com dez bolas na rede na temporada atual, Rony é o quarto principal artilheiro do Alviverde em 2020, atrás só de Willian e Raphael Veiga (18) e Luiz Adriano (20). No Brasileirão, ele possui cinco bolas na rede e é o quarto principal artilheiro do Verdão no torneio, atrás só de Willian (sete), e de Luiz Adriano (dez) e Raphael Veiga (11).

Na Libertadores, ele fechou sua participação no torneio com cinco bolas na rede – marcados em seus últimos sete jogos disputados na competição –, sagrando-se assim o principal artilheiro do Verdão no Continental, ao lado de Luiz Adriano. O camisa 11 também coroou a edição campeã sendo o garçom máximo da edição 2020 do Continental, dentre todos os clubes, com oito passes a gol, além de ser também o líder isolado em participação em gols no torneio sul-americano, com 13 ações (ou seja, gols e assistências somadas – no caso, oito passes a gol e cinco bolas na rede).

E como deu assistência pela Libertadores, no jogo do título, somada às oito que já possuía (uma delas pelo Brasileiro, as outras todas pela Libertadores), Rony chegou a nove assistências na temporada atual e, com isso, atualmente é o vice-líder no quesito, atrás de Gabriel Menino, com dez, e à frente de Viña e Scarpa (ambos comcom oito).

Dentre o elenco palmeirense, o atleta chegou a 19 participações, com 11 gols e oito assistências – é o quarto melhor colocado no quesito, atrás só de Raphael Veiga (com 20, 18 gols e duas assistências), de Luiz Adriano e Willian, ambos com 24 (Luiz Adriano tem 20 gols e quatro passes, enquanto Willian soma 18 gols e seis passes).

Na atual temporada, ele é o segundo atleta que mais acerta a meta adversária, com 42 finalizações certas, atrás de Willian, com 46, e o segundo que mais dribla, com 32 fintas completas, atrás só de Zé Rafael, líder no quesito, com 41. Desde que estreou, em fevereiro de 2020, pelo Campeonato Paulista, ele participou de 46 dos últimos 62 jogos, sendo 36 como titular e dez acionado do banco de reservas.

BRENO LOPES: AUTOR DO GOL DO TÍTULO DA LIBERTADORES E PRESENTE NAS ÚLTIMAS 15 PARTIDAS DO BRASILEIRO

Em sua 17ª partida pelo Verdão, porém, apenas a sexta como titular(hoje são 21 jogos e oito como titular), o atacante Breno Lopes fez um dos gols mais importantes dos 106 anos de história do Verdão. Ele fez, nos minutos finais do jogo contra o Santos, no Maracanã, em final única, no dia 30 de janeiro, o gol que deu o título do bicampeonato da Libertadores da América ao Palmeiras, aos 53 minutos do segundo tempo, nos acréscimos, quando a partida parecia que seria decidia na prorrogação ou nas penalidades – o detalhe é que o jogador havia entrado minutos antes, no lugar de Gabriel Menino, cerca de dez minutos antes.

Recém-chegado do Juventude-RS, Breno Lopes relembrou o atacante Betinho, que também era um ilustre desconhecido no elenco palmeirense em 2012 quando fez o gol do título da Copa do Brasil de 2012, contra o Coritiba – Betinho era novato no clube à época e jogou poucas partidas, mas ficou marcado pelo gol heroico.

Breno chegou ao Palmeiras há cerca de apenas quatro meses e, até suas 15 primeiras partidas, ainda não havia marcado um gol. Desencantou ao pontuar pela primeira vez com a camisa do Verdão um jogo antes da final da Libertadores, diante do Vasco da Gama, após receber passe em profundidade de Gustavo Scarpa, ganhar a velocidade da marcação e invadir a grande área, chutando com a perna direita, no contrapé do goleiro Fernando Miguel, vazando a equipe do Vasco no empate por 1 a 1 pelo Brasileirão, no Allianz Parque, na última terça-feira (26) – Breno, aliás, foi quem abriu o placar, aos 30 minutos do primeiro tempo (o Vasco empatou aos 34, com Benítez).

O camisa 39 (usou a 19 na Libertadores) já havia chegado perto do gol algumas vezes, mas sempre esbarrava na falta de sorte. Diante do Corinthians, na goleada por 4 a 0, em 18 de janeiro, por exemplo, chegou a balançar as redes, fazendo um belo gol, mas estava impedido (seria o quinto do Verdão no clássico). Antes, logo em um de seus primeiros jogos pelo clube palmeirense, diante do Sport, em 09/01, o jogador chegou a carimbar a trave! Também quase marcou contra o Bahia, em 12/12. O gol mais recente de Breno Lopes foi na vitória sobre o Fortaleza no último dia 14, jogo mais recente do time no Allianz Parque – foi seu terceiro gol pelo Verdão.

O jogador detém uma curiosa estatística: é o atleta do time palmeirense com a maior sequência atual de jogos no Brasileirão: são 15 jogos seguidos, sendo que, estreou na 21ª rodada, ficou de fora da 22ª por ter contraído Covid-19 e, partir de então, jogou todas as rodadas seguintes possíveis. O fato é incomum, pois, muitos atletas não conseguem atingir tal série de jogos em meio a um campeonato tão disputado quanto o Brasileiro pelo fato do cumprimento das suspensões automáticas ou até mesmo eventuais lesões e suspensões por cartão vermelho, STJD ou ainda atletas que são preservados para jogos em outras competições.

Mineiro de Belo Horizonte-MG, Breno Lopes foi revelado pelo Joinville-SC, time pelo qual se profissionalizou em 2016. No mesmo ano, foi emprestado ao Juventus de Jaraguá do Sul-SC e retornou mais experiente em 2017. A partir de então, ganhou minutos em campo e marcou gols pelo Joinville, sobretudo na Série C, chamando a atenção do Juventude-RS. Em 2019, disputou a Série C pelo Juventude-RS e a Série B pelo Figueirense-SC

Em 2020, após um empréstimo ao Athletico Paranaense, regressou ao Juventude-RS e vinha se destacando neste segundo semestre até chegar ao Verdão: foram, ao todo, nove bolas na rede em 19 partidas na Série B, atrás apenas do líder da artilharia, Caio Dantas, do Sampaio Corrêa-MA, com dez tentos.

WESLEY: RECUPERADO APÓS TRÊS MESES FORA; QUARTO EM DRIBLES, QUINTO EM FINALIZAÇÕES CERTAS E SEXTO EM ASSISTÊNCIAS NA ATUAL TEMPORADA; FEZ GOL CONTRA O ATLÉTICO-GO NO PRIMEIRO TURNO

Contra o São Paulo, no duelo mais recente do Verdão, Wesley esteve no banco de reservas pela primeira vez nas últimas 31 partidas do time, desde que se machucou no jogo do dia 05 de novembro, contra o Red Bull Bragantino, partida em que precisou ser substituído aos 18 minutos – aquele jogo, pelas oitavas de final da Copa do Brasil, foi a estreia de Abel Ferreira e valeu classificação às quartas do Nacional (o Verdão venceu por 1 a 0 no Allianz Parque). A Cria da Academia promovida na temporada atual (início de 2020) passou por cirurgia no joelho esquerdo e agora está recuperada.

Uma das opções para a comissão do técnico Abel Ferreira, que está suspenso para este jogo, Wesley carrega boas lembranças contra o Atlético-GO: ele fez um dos gols da vitória por 3 a 0 sobre o adversário da vez pelo primeiro turno, em Goiânia – os outros dois foram marcados por Luiz Adriano.

Apesar do tempo fora do time, o jogador ainda domina algumas estatísticas individuais. Wesley é o quarto colocado em dribles dentre os palmeirenses na temporada atual, com 27 fintas, o quinto que mais finalizou corretamente, com 24 chutes a gol, ao lado de Gabriel Menino, e o sexto com mais assistências, com seis passes para que seus companheiros pudessem marcar, assim como Willian Bigode.

Natural de Salvador, o jogador de 21 anos foi captado em 2016, quando atuava pelo Jacuipense-BA, para reforçar o Sub-17. Na temporada seguinte, subiu para o Sub-20, categoria pela qual conquistou o Campeonato Brasileiro em 2018, a Copa do Brasil em 2019 e o tricampeonato paulista em 2017, 2018 e 2019. Emprestado ao Vitória-BA em maio do ano passado para adquirir experiência disputando a Série B do Brasileiro, teve bom desempenho: anotou cinco gols, deu três assistências, foi o segundo maior driblador da competição e o sexto jogador mais caçado.

RAPHAEL VEIGA: TEMPORADA MAIS ARTILHEIRA DA CARREIRA, VICE-ARTILHEIRO DO TIME NA TEMPORADA; TERCEIRO ARTILHEIRO DO ATUAL ELENCO; ARTILHEIRO DO TIME ISOLADO NO BRASILEIRO E NA COPA DO BRASIL; TERCEIRO PALMEIRENSE QUE MAIS DRIBLA NA TEMPORADA

De volta de ao time após cumprir suspensão pelo acúmulo do terceiro cartão amarelo na rodada anterior (32ª do Brasileiro, diante do Ceará, fora de casa, em 24 de janeiro), Veiga foi poupado no jogo seguinte pelo Nacional: empate por 1 a 1 contra o Vasco – depois, atuou na final da Libertadores contra o Santos como titular (campeão) e, outra vez, foi poupado do jogo seguinte: 1 a 1 contra o Botafogo no Allianz Parque, 33ª rodada do Brasileiro até voltar a campo como titular pela Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020 nos dois jogos em que o Palmeiras fez pela competição.

Uma atuação para recordar foi diante do Corinthians, quando o jogador foi autor de duas bolas na rede na goleada por 4 a 0, no Allianz Parque.

O camisa 23 Raphael Veiga tem um retrospecto com bons números pelo Verdão: em seus últimos 21 jogos disputados, Veiga marcou dez gols (média de 0,47 neste período).

Ao todo, neste ano, Raphael Veiga soma 18 bolas na rede na temporada e, com isso, superou os nove gols que acumulou em 2018 pelo Athletico-PR e fez de 2020, de forma disparada, a temporada mais artilheira de sua carreira – neste quesito, na atual temporada, está ao lado de Willian, com os mesmos 18 gols, e atrás só de Luiz Adriano (com 20).

Raphael Veiga, aliás, é um dos três palmeirenses a ter marcado em todas as competições regulares disputadas em 2020 – os outros são Luiz Adriano e Gustavo Gómez. Ele pontuou uma vez no Paulista, 11 no Brasileiro até aqui (sendo o artilheiro do time na competição, seguido de Luiz Adriano, com dez), duas na Libertadores e outras quatro na Copa do Brasil (que também faz dele o artilheiro do time no torneio nacional), enquanto Luiz Adriano fez três gols pelo Estadual, dez pelo Brasileirão, cinco pela Libertadores e dois na Copa do Brasil, e Gustavo Gómez fez um pelo Paulista, um pelo Brasileiro, um pela Copa do Brasil e dois pela Libertadores.

Profissionalizado no futebol em 2016, pelo Coritiba, marcou três gols em 24 jogos em sua primeira temporada no Coxa. Em 2017, seu primeiro ano no Palmeiras, fez dois gols em 22 partidas (à época, muitos meio-campistas experientes não possibilitaram que o jogador tivesse sequência). Emprestado ao Athletico-PR em 2018, quando foi campeão da Copa Sul-Americana, fez 48 jogos e nove gols (até então sua temporada mais artilheira); em 2019, voltou de empréstimo e jogou 31 vezes pelo Verdão, marcando cinco gols.

O fato de ter chegado a 18 gols na temporada faz de Veiga o terceiro jogador com mais participações diretas em gols (ou seja, gols e assistências somadas): são 20 participações (sendo 18 gols e duas assistências), atrás só de Luiz Adriano e de Willian, ambos com 24 (Luiz Adriano tem 20 gols e quatro passes, enquanto Bigode possui 18 bolas na rede e serviu seus companheiros seis vezes).

Com os 25 gols que possui, ele é o terceiro artilheiro geral do atual elenco, atrás só de Luiz Adriano, com 27 de ao todo, e de Willian Bigode, com 56.

LUCAS LIMA: LÍDER EM ASSISTÊNCIAS PARA FINALIZAÇÃO EM 2020, PRESENTE EM 24 DOS ÚLTIMOS 31 JOGOS E VICE-GARÇOM GERAL DO ELENCO

Lucas Lima participou da construção do último gol do Verdão, marcado por Rony, que deu o empate ao Alviverde no Morumbi nos acréscimos (1×1) – ele, Breno Lopes e Luiz Adriano trabalharam triangulação para que a pelota chegasse em Scarpa, que serviu Rony para ir às redes. Recentemente, contra o Fortaleza, havia balançado as redes na vitória por 3 a 0 (marcou o segundo da partida) e chegou ao seu terceiro tento na temporada – o primeiro foi na competição amistosa da Florida Cup contra o New York City-EUA; depois, voltou a balançar as redes em 22 de janeiro de 2020, na estreia do Palmeiras no Campeonato Paulista, na vitória por 4 a 0 sobre o Ituano.

Presente em 23 das últimas 31 partidas (sendo 16 destas como titular), Lucas Lima se destaca não só pela assiduidade. Em suas últimas exibições, o jogador vem fazendo a diferença junto ao time: na atual temporada, ele é o líder em passe para finalizações: foram 72, seguido de Gabriel Menino, com 62 (números do Footstats que não incluem os passes que resultaram em bola na rede). Ele também é o sexto colocado na lista dos maiores garçons do Allianz Parque, com nove passes(atrás de Robinho e Róger Guedes, com dez, de Willian com 11 assistências, e de Marcos Rocha, vice-líder, com 13, todos atrás de Dudu, com 35).

E não é só isso. O meia vem ajudando o time em construção de jogadas de gols e também em passes para que seus companheiros pudessem chegar às redes. No dia 24 do último mês, contra o Ceará, fora de casa, pelo Brasileiro, ele deu a assistência para o gol de Gabriel Veron; antes, no duelo mais recente da Copa do Brasil, cobrou a falta que originou o segundo gol do Palmeiras sobre o América-MG fora de casa, na vitória por 2 a 0 (gol este que selou a classificação à final do torneio nacional). A falta, cobrada pelo lado esquerdo, aos 40 minutos do segundo tempo, entre o escanteio e a grande área, foi na medida para Mayke finalizar e o goleiro adversário rebater. Na sobra, Rony balançou as redes – o primeiro gol da partida havia sido marcado por Luiz Adriano minutos antes.

Antes disso, há alguns jogos, Lucas Lima havia sido o responsável pela cobrança do corner que originou o gol de Willian Bigode, o segundo do Verdão sobre o Peixe, em rodada do Brasileiro, em 05/12 – a bola ainda desviou em Zé Rafael antes de o camisa 29 balançar as redes. Já no jogo de volta das oitavas de final da Libertadores (vitória sobre o Delfín-EQU por 5 a 0 e classificação), Lucas Lima chutou de longe e a pelota explodiu na zaga, sobrando para Patrick de Paula dominar e também chutar de longe e marcar um golaço, abrindo o placar.

Ainda um jogo antes, no triunfo sobre o Athletico-PR por 3 a 0, em 28/11, no Allianz Parque, pelo Brasileiro, ele havia concedido o passe para o primeiro gol do Palmeiras, também marcado por Patrick de Paula e, com isso, chegou a 20 assistências no total desde que chegou ao Palmeiras em 2018. Desta forma, Lucas Lima passou a ser o líder de passes a gol do atual elenco, ao lado de Willian Bigode, com as mesmas 20 assistências e também Marcos Rocha.

E em outro duelo anterior, no jogo de ida das oitavas da Libertadores, contra o Delfín-EQU (vitória por 3 a 1 fora de casa), em 25 de novembro, Lucas também teve papel imprescindível no resultado favorável. Foi dele que originou-se o lance do pênalti que ocasionou o segundo gol do Verdão no duelo com os equatorianos (convertido por Rony) – na ocasião, o meia chutou de perto da entrada da grande área e a bola foi desviada pela zaga com o braço.

Este não foi o único penal que o atleta favoreceu o Palmeiras nos tempos recentes: em outros dois compromissos, estes pelo Brasileiro (diante do Vasco, em 08/11, e contra o Fluminense, em 14/11), ele sofreu ambas as penalidades – diante do time cruz-matino, a infração valeu o gol da vitória, marcado por Luiz Adriano no rebote após defesa do goleiro Fernando Miguel e, diante do Tricolor Carioca, o tiro foi cobrado por Raphael Veiga e abriu caminho para o triunfo por 2 a 0 sobre o time das Laranjeiras.

GUSTAVO SCARPA: QUARTO ARTILHEIRO GERAL DO ELENCO, JOGADOR MAIS ACIONADO DO BANCO DE RESERVAS NA TEMPORADA 2020 E POLIVALENTE; PRESENTE EM 21 DOS ÚLTIMOS 24 DUELOS

O meia Gustavo Scarpa vem contribuindo de forma direta com o time do Palmeiras nos gols mais recentes. Na última rodada, contra o São Paulo, no Morumbi, na sexta-feira (19), concedeu a assistência para que Rony, nos acréscimos, pudesse ir às redes e deixar tudo igual – com esse número, aliás, é o terceiro colocado em assistências gerais na temporada, ao lado de Gustavo Scarpa, e atrás só de Rony (vice-líder, com nove) e Gabriel Menino (líder, com dez).

Dois jogos antes, foi autor de um gol de falta na vitória mais recente do time (por 3 a 0 contra o Fortaleza, no último passado, 14), próximo à meia lua, quando acertou o gol de Felipe Alves, que nem se mexeu. Há muito tempo, aliás, o Palmeiras não fazia um gol de falta: o último havia sido com o ex-camisa 10 do time Moisés, em 22/05/2019, diante do Sampaio Corrêa-MA, na vitória do Palmeiras por 1 a 0 na casa do adversário pela Copa do Brasil.

Scarpa detém curiosa estatística: é o jogador que mais sai do banco de reservas para ajudar seus companheiros na temporada atual, tendo sido acionado 25 vezes nos últimos 58 jogos. Scarpa esteve presente em 22 dos últimos 25 duelos do Verdão e, apesar da marca de ser o jogador que mais sai do banco para ajudar a equipe, foi titular em 13 destes 22 duelos disputados, inclusive em cinco dos seis mais recentes pelo Brasileiro.

Apenas na Libertadores, torneio conquistado pelo Verdão no dia 30 do último mês, Gustavo Scarpa foi autor de três assistências: a última delas no torneio continental foi para o terceiro gol do Palmeiras no duelo de ida da semifinal da Libertadores, vitória por 3 a 0 fora de casa sobre o River Plate-ARG, no último dia 05.

Scarpa faz parte de um seleto grupo de jogadores com 100 ou mais jogos pelo Palmeiras: hoje são 115. Desta forma, ao alcançar essa expressiva marca, o meia integra um grupo com outros jogadores do elenco que possuem três dígitos de jogos. São eles: Raphael Veiga (107), Gustavo Gómez (114), Mayke (117), Luan (128), Marcos Rocha (141), Weverton (156), Lucas Lima (161), Felipe Melo (178) e Willian (217). Zé Rafael, com 99 jogos, é postulante a entrar em breve nesta lista.

Meio-campista de origem, o camisa 14 tem a polivalência como uma de suas características. Durante o período em que o lateral-esquerdo titular Matías Viña estava com a Seleção Uruguaia e, depois, tornou-se desfalque pelo fato de ter contraído Covid-19, e o suplente Lucas Esteves estava lesionado, o meia canhoto Gustavo Scarpa, assim como o lateral-direito Mayke, foi testado de forma improvisada na ala esquerda: contra o Ceará (11/11) e o Fluminense (14/11), vitórias por 3 a 0 e 2 a 0, pela Copa do Brasil e Brasileiro, respectivamente, ambas no Allianz Parque, o jogador foi titular da posição, além de ter feito um gol (o primeiro da partida) logo em seu primeiro jogo na nova função. As atuações mais recentes na lateral-esquerda voltou foram no dia 23/12, no jogo de ida contra o América-MG pela semifinal da Copa do Brasil (1 a 1) quando Scarpa iniciou o duelo na ala esquerda enquanto Viña começou no banco e entrou no segundo tempo e, novamente, no último dia 24, no revés contra o Ceará, em Fortaleza (2 a 1 pelo Brasileiro, fora de casa).

O jogador é o quarto principal artilheiro do elenco (23 gols, atrás de Raphael Veiga, com 25, de Luiz Adriano, com 27, e de Willian, com 56) – em 2019, ele foi o goleador do time, ao lado de Dudu, com 13 – e o quarto colocado no ranking dos maiores garçons do plantel (13 passes para gol desde que chegou ao clube, em 2018, atrás apenas de Marcos Rocha, Lucas Lima e Willian, líderes, com 20) – além de oito assistências na temporada atual, o camisa 14 foi o segundo maior garçom do time em 2019, ao lado de Marcos Rocha, com sete passes a gol, atrás só de Dudu, com 18.

ZÉ RAFAEL: IRÁ COMPLETAR 100 JOGOS SE ENTRAR EM CAMPO; LÍDER EM DRIBLES, SEGUNDO EM DESARMES E QUARTO EM ASSISTÊNCIAS NA TEMPORADA; TOP 10 EM INTERCEPTAÇÕES

Poupado dos últimos quatro jogos do Verdão, Zé Rafael soma 99 jogos pelo Palmeiras e, se entrar em campo, irá se juntar a um gurpo de outros nove jogadores que já ultrapassaram a barreira dos três dígitos de jogos. São eles: Raphael Veiga (107), Gustavo Gómez (114), Mayke (117), Luan (128), Marcos Rocha (141), Weverton (156), Lucas Lima (161), Felipe Melo (178) e Willian (217).

O camisa 8 vem acumulando ótimas atuações na temporada. Nos 4 a 0 sobre o Corinthians, foi responsável por participar de dois dos quatro gols do Palmeiras na goleada por 4 a 0 sobre o Corinthians no Derby, pelo Campeonato Brasileiro, vitória mais recente em que esteve presente no Allianz Parque, Zé Rafael, que passou a bola para Willian conceder assistência no segundo e no terceiro gol do Verdão naquela partida (de Luiz Adriano e Raphael Veiga), após receber, respectivamente, de Danilo e de Luan, foi titular em sete dos 13 jogos mais recentes da equipe.

Na ocasião de seu retorno, Zé Rafael havia jogado contra o River pela Libertadores, na vitória por 3 a 0 fora de casa, no dia 05 do último mês, pela CONMEBOL Libertadores, jogo de ida das semifinais do torneio continental, após ter entrado aos 21 do segundo tempo no lugar de Danilo, Zé Rafael, que esteve fora dos dois duelos anteriores do Verdão (vitórias sobre o Red Bull Bragantino 1×0, pelo Brasileiro, e América-MG, 2×0, pela Copa do Brasil) devido a uma infecção no pé esquerdo, vem acumulando participações importantes no time palmeirense nos jogos atuais.

O meia iniciou a construção de um dos gols recentes do Verdão, contra o Grêmio (empate por 1 a 1 no Allianz Parque no último dia 15), quando, do meio-de-campo, lançou bola para Willian na esquerda, que brigou com o marcador pelo domínio da pelota e tocou para a grande área, até Viña desviar e Raphael Veiga marcar de pé esquerdo, dentro da área, diante do Corinthians.

Em dezembro de 2020, ele concedeu assistência após desviar, de cabeça, cobrança de escanteio de Lucas Lima para Willian Bigode marcar, diante do Santos, no dia 05/12, empate por 2 a 2 pelo Brasileirão (depois disso, o Alviverde tornou a jogar pela competição nacional e venceu o Bahia por 3 a 0, em casa, mas Zé estava suspenso).

Antes disso, ele também foi quem havia iniciado a construção das jogadas de três dos quatro gols mais recentes da equipe à época, pois, além da assistência diante do Santos (segundo da partida), um jogo antes, contra o Delfín-EQU, pela Libertadores, no Allianz Parque – duelo que valeu classificação às quartas de final do Continental – o camisa 8 iniciou a construção da jogada dos dois últimos gols daquela goleada do Verdão por 5 a 0, marcados por Gabriel Veron e Danilo, respectivamente.

Apenas na Copa do Brasil 2020, foram dois passes a gol, o que faz dele o líder isolado no quesito na atual edição do torneio, à frente de Viña, Gabriel Veron, Lucas Lima, Marcos Rocha e Felipe Melo, todos com um passe a gol cada na competição.

O meio-campista também aparece bem em outro quesito: na atual temporada, está no top 6 da artilharia do clube, na sexta colocação, com cinco gols, ao lado de Patrick de Paula e de Gustavo Gómez.

O meia se destaca também em três fundamentos individuais na temporada atual. É o líder isolado em dribles com 41 fintas completas, seguido de Rony, com 32; segundo colocado no ranking de desarmes com 109 roubos de bola, atrás de Marcos Rocha, com 123 e, além disso, na atual temporada, o camisa 8 é o quinto colocado do time em assistências no ano, com sete passes a gol, e atrás de Viña e de Gustavo Scarapa (empatados em terceiro, com oito), Rony (segundo, com nove) e Gabriel Menino (líder, com dez). No Brasileirão de 2019, ele foi o vice-líder do time com cinco passes a gol, atrás apenas de Dudu, com 11.

O jogador figura no top 10 de palmeirenses com mais interceptações em 2020, impedindo passes, cruzamentos ou lançamentos de adversários em 20 oportunidades (diferentemente de um desarme, quando a bola é roubada dos pés do jogador rival), ocupando a 8ª colocação, ao lado de Mayke.

DANILO: CRIA DA ACADEMIA MAIS RECENTE NO ELENCO PROFISISONAL; PRESENTE EM 19 DOS ÚLTIMOS 26 JOGOS E TITULAR EM 14; TOP 10 EM INTERCEPTAÇÕES DO ELENCO NA TEMPORADA ATUAL

Presente em 34 dos últimos 49 jogos desde que estreou e titular em 18 (nos últimos 26, atuou em 19 e foi titular em 15), Danilo foi responsável por iniciar a construção da jogada que originou o gol do título da Libertadores, no dia 30 do último mês: ele, no meio de campo, lançou para Rony, na ponta-direita, que dominou e deu passe preciso para Breno Lopes subir de cabeça, ganhar de Pará e vazar o goleiro John, marcando o gol que selou a conquista da CONMEBOL Libertadores 2020 nos minutos finais.

Antes disso, Danilo havia concedido assistência para o segundo gol do Verdão no compromisso mais recente fora de casa pela Libertadores, vitória por 3 a 0 diante do River Plate-ARG, jogo de ida das semifinais do torneio continental: deu o passe para Luiz Adriano sair em arrancada, invadir a área rival e balançar as redes.

A assistência contra o River foi a segunda de Danilo pelo Palmeiras e também na Libertadores, já que a outra foi justamente em um jogo do Continental: na vitória por 5 a 0 sobre o Delfín-EQU, ele deu o passe para o segundo gol do duelo, de Gabriel Veron, e fechou a contagem marcando o seu primeiro tento pelo time principal do Verdão, aos 48 do segundo tempo, no Allianz Parque, no duelo que valeu classificação às quartas de final do Continental.

O camisa 28 aparece no top 10 de jogadores palmeirenses com mais interceptações na temporada atual, impedindo passes, cruzamentos ou lançamentos de adversários em 17 oportunidades (diferentemente de um desarme, quando a bola é roubada dos pés do jogador rival), ocupando a 10ª colocação.

Figura constante nas convocações da Seleção Brasileira Sub-20, o jovem de 19 anos é o jogador oriundo da base que está há menos tempo no elenco profissional do Palmeiras – chamou a atenção da comissão técnica durante os treinos do Sub-20 na Academia de Futebol no início do segundo semestre e, desde então, não voltou mais para a base.

Meio-campista versátil que atua na contenção e na armação de jogadas, Danilo participou de alguns projetos sociais na sua cidade natal, Salvador (BA), e foi vice-campeão da segunda divisão do Campeonato Baiano pelo Cajazeiras, aos 16 anos, antes de chegar ao Palmeiras em 2018, quando foi captado para integrar o elenco Sub-17 e naquela mesma temporada já conquistou o título paulista da categoria. No Sub-20, o canhoto de 19 anos ganhou espaço ao final de 2019, contribuindo para a conquista de mais um título paulista. Foi ainda titular da equipe na Copa São Paulo deste ano, na qual disputou cinco jogos e marcou um gol.

PATRICK DE PAULA: TOP 5 EM DESARMES DO TIME E TOP 3 EM INTERCEPTAÇÕES NA TEMPORADA; JOGADOR DE LINHA COM MAIS MINUTOS EM CAMPO NO BRASILEIRO

Titular nos últimos três compromissos do time pelo Brasileiro antes da viagem ao Catar (Ceará 2×1 Palmeiras, Palmeiras 1×1 Vasco e Palmeiras 1×1 Botafogo-RJ), e também no derradeiro jogo do Palmeiras pela Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020, contra o Al Ahly-EGI, além de ter entrado no segundo tempo pela final da Libertadores no dia 30 do último mês, e, mais recentemente, nos jogos contra o Fortaleza (vitória por 3 a 0 em casa) e Coritiba (derrota por 1 a 0 fora de casa) e São Paulo (empate por 1 a 1 fora de casa), todos pelo Brasileiro, Patrick de Paula havia lesionado a coxa direita no fim de 2020 e perdeu seis partidas nesse período, voltando em 27/12, pelo Brasileirão, e, logo em sua volta, diante do Red Bull Bragantino (vitória por 1 a 0 no Allianz Parque), foi o responsável por iniciar a construção da jogada que culminou no gol da vitória naquela partida: dominou bola de rebote na frente da zaga, na meia lua, acionou Gabriel Menino passando pela ponta que, por sua vez, lançou Luiz Adriano no centro da grande área para marcar de cabeça.

Ele também esteve presente, após sair do banco de reservas no segundo tempo, na partida mais recente do Verdão pela Copa do Brasil, em 30/12, diante do América-MG, jogo que valeu classificação à final do Nacional de mata-mata após vitória por 2 a 0, no Estádio Independência (Belo Horizonte-MG).

Antes de ser impedido de jogar devido à lesão, Patrick vinha de uma sequência de sete jogos até o início de dezembro, sendo que os últimos seis duelos foram como titular. Neste período, o jogador marcou duas vezes – justamente em seus dois mais recentes duelos pelo Verdão (em 28/11, na vitória por 3 a 0 sobre o Athletico-PR em casa, pelo Brasileiro, e 02/12, no jogo de volta das oitavas de final pela Libertadores contra o Delfín-EQU).

Patrick de Paula registrou no segundo semestre de 2020 suas três maiores sequências de titularidade: uma de seis jogos e duas de sete. No Brasileirão, disputou 25 das 36 partidas do time, sendo 22 como titular, e também é o líder do elenco atual dentre os atletas de linha em minutos no torneio nacional, com 1897, seguido de Gabriel Menino, 1877, e do zagueiro Luan, 1808 (apenas o goleiro Weverton possui mais, com 2461).

Incorporado ao elenco principal do Verdão em janeiro, a Cria da Academia disputou sua primeira Libertadores como profissional e já foi campeão – nesta edição, já atuou seis vezes e venceu todas: contra Guaraní-PAR, por 3 a 1 no Allianz Parque (fase de grupos), Bolívar-BOL, por 5 a 0, também no Allianz Parque (fase de grupos), e contra o Delfín-EQU, nos dois jogos das oitavas de final, River Plate (fora, 3×0) e Santos (1×0 no Maracanã, jogo do título), sendo que em dois destes jogos o volante participou de gols do Verdão: no jogo contra o time paraguaio, pela segunda rodada, iniciou a construção da jogada, passando a bola para Dudu, que, por sua vez, concedeu a assistência para Luiz Adriano marcar o seu terceiro no jogo; e contra o time boliviano, também começou o lance do gol, encontrando Wesley, que concedeu passe para Rony marcar de cabeça na quinta rodada e fechar a goleada por 5 a 0.

O jogador, na atual temporada, é o terceiro colocado na lista de palmeirenses com mais interceptações de jogadas adversárias em 2020 (ou seja, quando o passe, lançamento ou cruzamento rival é impedido no meio do caminho) com 28 ao todo, atrás de Gabriel Menino, com 30, e de Viña, líder, com 32, e também aparece bem no quesito desarmes: é o quinto colocado do time na temporada, com 76 roubos de bola, atrás apenas de Gabriel Menino (88), de Viña (107), de Zé Rafael (109),  e do líder Marcos Rocha (123).

Autor do gol que abriu caminho para a vitória por 3 a 0 sobre o Athletico-PR pelo Brasileiro, em casa, no primeiro turno, e no jogo seguinte, na vitória por 5 a 0 diante do Delfín-EQU, também em casa (jogo que valeu classificação às quartas de Libertadores), o camisa 5 também havia marcado no empate por 1 a 1 com o Flamengo no primeiro turno do Nacional e feito os gols que garantiram as vitórias por 2 a 1 sobre o Santos, também pelo Brasileiro, e por 1 a 0 sobre a Ponte Preta, na semifinal do Paulista, o garoto de 21 anos foi o responsável pela quinta cobrança do Verdão na disputa de pênaltis na final do Paulista, garantindo o 23º título estadual da história do clube.

Captado pelo Palmeiras em 2017 quando atuava no futebol amador do Rio de Janeiro, sua cidade natal, Patrick fazia inicialmente a função de meia, mas assumiu o protagonismo na base quando passou a jogar mais recuado, como primeiro volante (atuou até improvisado como zagueiro em algumas partidas). Campeão brasileiro Sub-20 em 2018, faturou ainda a Copa do Brasil Sub-20 em 2019 e quatro títulos paulistas seguidos (2017, 2018 e 2019 pelo Sub-20 e 2020 pelo Profissional) no clube.

GABRIEL MENINO: CRIA DA ACADEMIA COM MAIS JOGOS EM E MINUTOS 2020; GARÇOM DO TIME NA TEMPORADA; TERCEIRO EM DRIBLES E EM PASSES PARA FINALIZAÇÕES GERAIS; VICE-LÍDER EM INTERCEPTAÇÕES

Gabriel Menino é a Cria da Academia que fez mais jogos na temporada (60, contra 50 de Patrick de Paula). No segundo semestre de 2020, ele chegou a emplacar uma sequência de 17 partidas de titularidade, também a maior de um prata da casa na temporada atual. Ele também é a Prata da Casa com mais minutos em campo na temporada atual (4225) e fechou a Libertadores em primeiro no quesito dentre oriundos da base (1055).

Alçado ao elenco profissional no início de 2020, o jovem de 20 anos tem a polivalência como característica, tanto que já foi utilizado em todas as posições do meio-campo e como ala – inclusive, foi escalado na lateral direita em nove dos últimos 22 jogos em que atuou como titular e registrou cinco assistências, passando a ser o garçom do Verdão na temporada atual, com dez passes ao todo, seguido de Rony (9), e de Viña e Scarpa (ambos com 8). No Brasileiro, é o garçom da equipe, isolado, com sete passes a gol, seguido de Scarpa, com cinco.

Na atual temporada, Menino aparece como o segundo que mais proporciona chutes a gol, com 62 assistências para finalizações, atrás só de Lucas Lima, com 72 (números do Footstats, que não incluem os passes que resultaram em bola na rede), o segundo que mais intercepta jogadas adversárias (ou seja, quando o passe, lançamento ou cruzamento rival é impedido no meio do caminho) com 30 intervenções, atrás de Vinã, com 32; além disso, figura ainda no top 5 de jogadores do Palmeiras que mais desarmam na temporada, na quarta posição, com 88 roubos de bola, e é o terceiro do time em dribles na temporada, com 31 fintas, atrás de Rony, 32, e Zé Rafael, líder, com 41.

Contra o Bolívar-BOL, em setembro, o camisa 25 anotou o seu primeiro gol como profissional, selando a vitória por 2 a 1 em La Paz, e aparece como o terceiro jogador mais jovem a balançar a rede pelo Verdão na Libertadores: 19 anos, 11 meses e 16 dias, desbancando Keirrison, que em 2009 marcou contra o Real Potosí-BOL aos 20 anos, 1 mês e 26 dias – o recorde é de Gabriel Veron, que com 18 anos, um mês e 19 dias deixou sua marca contra o Tigre-ARG, em 21/10/2020, enquanto Gabriel Jesus é o segundo colocado com o gol aos 18 anos, 10 meses e 13 dias contra o River Plate-URU em 2016. Contra o Delfín-EQU, no duelo de ida das oitavas, no Equador (vitória por 3 a 1), o camsa 25 também deixou sua marca ao fazer o gol que abriu o placar – o fez novamente no jogo mais recente do time, pela Libertadores, vitória por 3 a 0 diante do Libertad-PAR, em casa – jogo este que valeu a classificação às semifinais do Continental, quando fechou a contagem em 3 a 0 – Menino soma três gols pelo Verdão, todos pela Libertadores.

Natural de Morungaba (SP), Menino foi captado pela base do Palmeiras em 2017, quando atuava no Guarani, e logo se destacou, inclusive sendo convocado para defender a Seleção Brasileira Sub-20 no Sul-Americano de 2019. Campeão brasileiro Sub-20 em 2018, faturou também a Copa do Brasil Sub-17 em 2017 e três títulos paulistas seguidos (2018 e 2019 pelo Sub-20 e 2020 pelo profissional) no clube.

MARCOS ROCHA: LÍDER EM DESARMES E TERCEIRO EM PASSES PARA FINALIZAÇÕES NA TEMPORADA; TOP 5 EM INTERCEPTAÇÕES; SEGUNDO GARÇOM GERAL DO ATUAL ELENCO E VICE-GARÇOM DA HISTÓRIA DO ALLIANZ PARQUE

Com o passe a gol para Lucas Lima na vitória mais recente do time no Allianz Parque (3 a 0 sobre o Fortaleza), Rocha chegou a 21 assistências desde que veio para o Verdão, em 2018 e, com este número, atualmente, divide a vice-liderança geral do elenco atual no quesito garçom, ao lado do próprio Lucas Lima (a quem serviu) – ambos atrás só de Willian Bigode, com 22.

No Allianz Parque, casa palmeirense, Rocha soma 13 assistências – no geral da recente história do estádio, com essa configuração atual, inaugurado em 2014, ele é o segundo maior garçom, atrás só de Dudu, com 35 assistências, seguido de Willian, com 11, de Róger Guedes de Robinho (ambos com 10) e de Lucas Lima (com nove). O camisa 2 foi o segundo maior garçom de 2019 ao lado de Gustavo Scarpa, ambos com sete passes a gol, atrás apenas de Dudu, com 18.

Além disso, Marcos Rocha é o líder do time em desarmes na atual temporada, com 123 bolas neutralizadas, seguido Zé Rafael, com 109 (números do Footstats) – em 2019, o camisa 2 fechou o Campeonato Brasileiro como o atleta que mais desarmou jogadas na competição, com 103 interceptações, à frente de Gregore, do Bahia, vice com 102, e do ex-palmeirense Diogo Barbosa, terceiro com 80.

O camisa 2 também é o terceiro colocado em assistência para finalizações na temporada, com 60 passes para conclusões de jogadas, atrás só de Gabriel Menino, com 62, e do líder Lucas Lima, com 72 (números do Footstats que não incluem os passes que resultaram em bola na rede), além de figurar no top 5 em interceptações, na quarta posição, com 22 ações (ou seja, quando passes, lançamentos e cruzamentos são evitados no meio do caminho), atrás só de Gustavo Gómez (23), de Patrick de Paula (28), de Gabriel Menino (30) e de Viña (32).

MAYKE: POLIVALENTE E TOP 10 EM INTERCEPTAÇÕES EM 2020

Presente nas últimas cinco partidas do Palmeiras pelo Brasileiro e titular em quatro delas, Mayke vem dividindo o protagonismo da lateral-direita ao lado de Marcos Rocha – Mayke também foi titular de sua posição na segunda das duas partidas disputadas pelo Verdão contra o Al Ahly-EGI, pela Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020.

O camisa 12 tem a polivalência como uma de suas características, já que, nesta temporada, chegou a atuar improvisado algumas vezes como lateral-esquerdo e como meio-campista, como foi o caso, por exemplo, nas partidas diante do Ceará, em 18/11, pela Copa do Brasil (quando o lateral-esquerdo Viña estava com Covid e Lucas Esteves, reserva imediato, lesionado), diante do Goiás, pelo Brasileiro, em 21/11 (foi escalado como meio-campista) e em 21/11, diante do Delfín-EQU, pela Libertadores (quando atuou novamente na ala esquerda).

Pela Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020, na semifinal diante do Tigres-MEX, Mayke entrou em campo aos 26 do segundo tempo, substituindo Marcos Rocha na ala direita. No segundo jogo, contra o Al Ahly-EGI, pela Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020, disputa pelo terceiro lugar, o atleta foi o titular da posição.

O jogador figura no top 10 de palmeirenses com mais interceptações em 2020, impedindo passes, cruzamentos ou lançamentos de adversários em 20 oportunidades (diferentemente de um desarme, quando a bola é roubada dos pés do jogador rival), ocupando a 8ª colocação, ao lado de Zé Rafael.

MATÍAS VIÑA: LÍDER EM INTERCEPTAÇÕES; TERCEIRO EM ASSISTÊNCIAS E EM DESARMES DO TIME NA TEMPORADA; FECHOU A LIBERTADORES COMO PALMEIRENSE DE LINHA COM MAIS MINUTOS EM CAMPO

Figura constantemente presente nas convocações da Seleção Uruguaia, o lateral-esquerdo do Verdão vem bem na temporada atual na estatística defensiva de interceptações (ou seja, quando o passe, lançamento ou cruzamento rival é impedido no meio do caminho). São 32 ao todo e, desta forma, aparece como o primeiro colocado no quesito, seguido de Gabriel Menino (30). Além disso, é um dos jogadores com mais desarmes no atual elenco, sendo o terceiro colocado na temporada neste quesito, com 107 roubos de bola (atrás só de Zé Rafael, 109, e de Marcos Rocha, com 123).

Viña é dono de uma estatística curiosa. Apesar de ter jogado 12 vezes nesta Libertadores (um jogo a menos do que Weverton e Gustavo Gómez), o uruguaio fechou a edição campeã como o jogador de linha do elenco com mais minutos em campo (atrás apenas de Weverton): foram 1132 minutos, seguido de Gómez, com 1109; Weverton terminou como líder independentemente da posição, com 1271.

Além dos atributos defensivos, o jogador também dá sua contribuição no ataque: fez o último gol na vitória por 3 a 0 no compromisso do Verdão fora de casa diante do River Plate-ARG, no dia 05 do último mês, pela CONMEBOL Libertadores, jogo de ida das semifinais do torneio continental – foi o seu segundo tento pelo Verdão e também na competição sul-americana (o gol foi importante para que o time se classificasse mesmo perdendo na volta por 2 a 0).

Além disso, por praticamente metade desta temporada, o uruguaio liderou o quesito de atleta com mais assistências no time na temporada atual. Entretanto, com três passes a gol recentes de Gabriel Menino (dois diante do Athletico-PR, vitória por 3 a 0, em 28/11, e outro sobre o RB Bragantino, em 27/12), e outro de Rony, foi ultrapassado e, agora, com oito passes a gol, é o terceiro colocado em assistências gerais na temporada, ao lado de Gustavo Scarpa, e atrás só de Rony (vice-líder, com nove) e Gabriel Menino (líder, com dez).

O uruguaio é um reforço que chegou neste ano do Nacional-URU e, apesar das poucas partidas pelo Verdão (47 ao todo), está na história do clube como o quinto uruguaio que mais defendeu a equipe em todos os tempos; completam a lista: Ventura Cambon (4º, com 53), Héctor Silva (3º, com 80), Villadoniga (2º, com 137) e Diogo (líder do ranking, com 146).

LUCAS ESTEVES: MULTICAMPEÃO NA BASE; PRESENTE EM CINCO DOS ÚLTIMOS NOVE JOGOS DO PALMEIRAS; TITULAR EM DOIS DOS TRÊS MAIS RECENTES

Em campo em cinco dos últimos nove jogos do Palmeiras e titular em três (em dois dos três mais recentes), Lucas Esteves tem sido figura constante na equipe palmeirense: no dia 25 do último mês, revés por 2 a 1 para o Ceará fora de casa, após Gustavo Scarpa iniciar a partida na lateral esquerda, o jogador entrou no segundo tempo e deu conta do recado, e, depois, entrou novamente em um duelo do time pelo Nacional, porém como atacante, improvisado na ponta-esquerda contra o Vasco (posição que repetiu nos dois duelos mais recentes), na 32ª rodada, como titular (empate por 1×1 em casa) – a chance nessa nova posição, muito se deve, é claro, ao fato de o time principal ter sido preservado para a final da Libertadores.

Antes disso, Esteves havia tido sequência em novembro, quando enfrentou o Ceará, 18/11, Goiás, 21/11, e Delfín-EQU, 25/11 – na oportunidade, Viña estava com Covid-19. O lateral-esquerdo estreou pelo Palmeiras em março de 2019, pelo Campeonato Paulista, contra a Ponte Preta, no Allianz Parque, com vitória por 1 a 0 (gol de Raphael Veiga). Naquela ocasião, o técnico Luiz Felipe Scolari mandou a campo: Fernando Prass; Marcos Rocha, Edu Dracena, Vitão (Raphael Veiga, 25’/2ºT) e Diogo Barbosa; Jean e Thiago Santos; Felipe Pires, Lucas Lima e Zé Rafael (Lucas Esteves, 43’/2ºT); Carlos Eduardo (Leo Passos, 36’/1ºT).

Após ter treinado com frequência e ter estreado pelo time principal em 2019, o jogador ganhou oportunidade no time de cima novamente em 2020, quando foi definitivamente alçado ao elenco profissional do Verdão nesta temporada: as primeiras atuações do atleta já foram como titular em outubro, já que, naquela ocasião, o time vivia desfalques na posição com Viña na Seleção Uruguaia e as recentes saídas de Victor Luis (para o Botafogo) e Diogo Barbosa (Grêmio) – inclusive, logo depois que Mayke, lateral-direito de origem, fez a função de lateral-esquerdo improvisado pela primeira vez.

Foi então que Esteves surgiu como titular do Palmeiras diante do São Paulo, em 10/10, fazendo sua primeira partida em 2020 e a primeira de Campeonato Brasileiro pelo clube, e voltou a sair jogando no duelo seguinte, diante do Coritiba, em 14/10, no mesmo Allianz Parque, também pelo Brasileirão, mas acabou sendo substituído no primeiro tempo devido a uma lesão muscular. Após pouco mais de um mês de recuperação, o jogador voltou a atuar e emplacou a recente série de três partidas seguidas (diante do Ceará, 18/11, Goiás, 21/11, e Delfín-EQU, 25/11).

Mais uma Cria da Academia, o jogador está no Palmeiras desde 2014, quando passou a integrar o elenco Sub-15, o jovem de 20 anos foi um dos destaques de uma geração que conquistou títulos inéditos e importantes pela base do clube, como a Copa do Brasil Sub-17 (2017), o Brasileiro Sub-20 (2018), a Copa RS Sub-20 (2018), a Copa do Brasil Sub-20 (2019) e o Bi Paulista Sub-20 (2018 e 2019), além de dezenas de taças no exterior. Em 2019, pelo Sub-20, Esteves disputou 38 partidas e marcou sete gols.

GUSTAVO GÓMEZ: CAPITÃO QUE ERGUEU A LIBERTA; A UM GOL DE ENTRAR PARA LISTA DE ZAGUEIROS COM MAIS TENTOS NESTE SÉCULO; NA TEMPORADA 2020, É TOP 5 EM INTERCEPTAÇÕES E JOGADOR DE LINHA COM MAIS MINUTOS

Um dos responsáveis por erguer a taça da Libertadores da América, ao lado de Felipe Melo, Gustavo Gómez soma 114 jogos pelo Verdão e, com isso, integra um seleto grupo de jogadores com 100 ou mais jogos que atuaram pelo Alviverde. São eles: Raphael Veiga (107), Gustavo Scarpa (116), Mayke (117), Luan (128), Marcos Rocha (141), Weverton (156), Lucas Lima (161), Felipe Melo (178) e Willian (217). Ele é o jogador, ao lado de Weverton, que fechou a Libertadores 2020 com mais partidas (atuou em todos os 13 jogos possíveis).

Gómez atuou em 55 dos 75 jogos do Verdão na temporada atual e está no top 5 de jogadores com mais interceptações na temporada, na quarta colocação (ou seja, quando o passe, lançamento ou cruzamento rival é impedido no meio do caminho) com 23, intervenções, atrás só de Patrick de Paula, com 28, de Gabriel Menino, com 30, e de Viña, líder, com 32. Marcos Rocha e Luan, ambos com 22, completam o top 5.

Na temporada de 2020, dentre os palmeirenses, Gustavo Gómez aparece como o jogador de linha que tem mais tempo em campo: somando os minutos do Paulista, da Copa do Brasil, da Libertadores e do Brasileiro, além dos amistosos (Florida Cup), são 4637 minutos em campo – tempo este que nenhum outro jogador de linha time passou em atividade. Apenas o goleiro Weverton supera Gómez neste quesito: 6075 minutos ao todo.

No ataque, o zagueiro também tem dado a sua contribuição. Com 13 gols pela agremiação palestrina desde que chegou (sendo o 7º artilheiro do atual elenco, atrás só de Willian, com 56, de Luiz Adriano, com 27, Raphael Veiga, 25 de Veiga e Gustavo Scarpa, com 22, e à frente de Felipe Melo e de Zé Rafael, ambos com 12), o paraguaio está a uma bola na rede do top 5 de estrangeiros com mais gols pelo Palmeiras na era dos pontos corridos do Brasileirão: é o sexto da lista, com seis tentos (ao lado compatriota Lucas Barrios, do colombiano Mina e do venezuelano Guerra), um a menos do que o atacante argentino Gioino, com sete – completam a lista o também argentino Cristaldo, com nove; o colombiano Borja, com dez; mais um argentino, Barcos, com 14; e o chileno Valdivia, com 15. O zagueiro, aliás, nunca passou uma temporada em branco desde que chegou ao Palmeiras: além de cinco gols de 2020, marcou cinco vezes em 2019 e outras três vezes em 2018.

No geral, com seus 13 gols, Gómez precisa de apenas mais uma bola na rede para entrar no top 10 de zagueiros-artilheiros do Verdão em todos os tempos, igualando Nen e Henrique na 9ª posição (ambos com 14 gols). Completam o ranking Júnior Baiano e Roque Júnior (16 gols), Daniel (18), Bianco Gambini (20), Cléber (21), Vágner Bacharel (22), Loschiavo (33) e Luís Pereira (36).

Gómez, aliás, é um dos três palmeirenses a ter marcado em todas as competições regulares disputadas nas competições oficiais da temporada atual – os outros são Raphael Veiga e Luiz Adriano. Ele balançou as redes uma vez pelo Paulistauma pelo Brasileirouma pela Copa do Brasil e duas pela Libertadores. Raphael Veiga pontuou uma vez no Paulista, 11 no Brasileiro até aqui (sendo o artilheiro do time na competição, seguido de Luiz Adriano, com dez), duas na Libertadores e outras quatro na Copa do Brasil (que também faz dele o artilheiro do time no torneio nacional), enquanto Luiz Adriano fez três gols pelo Estadual, dez pelo Brasileirão, cinco pela Libertadores e dois na Copa do Brasil.

O paraguaio teve Luan como seu companheiro de zaga mais frequente na temporada atual: 27 jogos. Ao lado de Luan, perdeu só duas vezes no ano – 2 a 0 para o Inter no Beira Rio e diante do Tigres-MEX no mundial de clubes (23 partidas, 13 vitórias, oito empates, duas derrotas e 12 gols sofridos) e tem retrospecto geral de 62 jogos, 38 vitórias, 17 empates e sete derrotas, com 30 gols sofridos (média de 0,48 gol sofrido por partida).

Ao lado do Pitbull, foram 12 vitórias, sete empates e somente uma derrota, com apenas nove gols sofridos (média de 0,45 gol sofrido por partida).

No dia 21 de novembro, quando o técnico Abel Ferreira escalou uma linha defensiva composta por três zagueiros, Gómez iniciou uma partida ao lado de Renan e de Emerson Santos pela primeira vez
 e, nos dois jogos seguintes, contra o Delfín-EQU, vitória por 3 a 1 fora de casa pelo jogo de ida das oitavas de final da Libertadores, e mais recentemente Athletico-PR, no triunfo por 3 a 0 em casa pelo Brasileiro, o time voltou a ter uma dupla de zaga no esquema tático e Gómez fez parceria com Emerson Santos, algo que voltou a acontecer no empate por 1 a 1 contra o América-MG pela Copa do Brasil, em casa  portanto, ao lado do camisa 3 são quatro jogos, duas vitórias, duas derrotas e três gols sofridos.

Em 2019, Gómez e Luan atingiram a expressiva marca de 1081 minutos consecutivos sem sofrer gols (sem considerar os acréscimos), segunda maior sequência instransponível de uma dupla de zagueiros na história do Palmeiras – o recorde ainda pertence a Marcio e Vágner Bacharel, que, em 1987, garantiram que o time ficasse sem levar gols por exatos 1.148 minutos (sem acréscimos). Um ano antes, durante a campanha do decacampeonato brasileiro de 2018, eles já haviam contribuído para estabelecer o recorde palmeirense de menos gols sofridos na história do Brasileirão de pontos corridos: apenas 26 tentos tomados (a marca anterior era de 32, na caminhada do título de 2016).

Com Kuscevic, foram dois jogos: coincidentemente, duas vitórias sobre tricolores por 3 a 0 no Allianz Parque – contra o Bahia, em 12/12, e diante do Fortaleza, em 14/02. O duelo diante do Tricolor Baiano, aliás, foi o primeiro no qual o time iniciou a escalação com uma dupla de zaga gringa (formada pelo paraguaio Gustavo Gómez e pelo chileno Benjamin Kuscevic) – e não sofreu nenhum gol. Antes disso, a última zaga estrangeira havia sido formada pelo argentino Tobio e pelo uruguaio Victorino, em setembro de 2014 – vitória por 1 a 0 sobre o Criciúma-SC no Pacaembu, com gol de Cristaldo –essa foi a primeira dupla de zaga estrangeira da história do Allianz Parque, inaugurado em novembro de 2014.

FELIPE MELO: CAPITÃO QUE ERGUEU A LIBERTA E SEGUNDO JOGADOR DO ELENCO COM MAIS JOGOS E VITÓRIAS; SÉTIMO EM TRIUNFOS NO SÉCULO

Um dos responsáveis por erguer a taça da Libertadores da América, ao lado de Gustavo Gómez, Felipe Melo entrou nos minutos finais da partida da Libertadores. Ele ficou os últimos três meses sem atuar, desde 08/11/2020, quando sofreu fratura no tornozelo esquerdo na vitória sobre o Vasco por 1 a 0 em São Januário, pelo Campeonato Brasileiro, e precisou passar por cirurgia.

Felipe Melo, recuperado de lesão, retornou ao time no 18 de janeiro, no clássico por 4 a 0 diante do Corinthians após ter sido relacionado para o banco de reservas (mas não entrou em campo), diante do Ceará, no dia 24 do último mês. A primeira vez em que entrou como titular, entretanto, foi no contra o Vasco, empate por 1 a 1 no Allianz Parque, no último dia 26 – voltou a ser titular diante do Botafogo-RJ, pelo Brasileiro, empate por 1 a 1 em casa, após entrar nos minutos finais da final da Libertadores, contra o Santos, no Maracanã.

Apesar do tempo longe dos gramados, ele segue como o atleta que mais vezes vestiu a braçadeira de capitão na temporada: foram 33 vezes iniciando uma partida com o adereço do autoridade máxima em seu braço, seguido de Gustavo Gómez, com 20.

Segundo jogador do atual elenco com mais vitórias com a camisa alviverde, Felipe Melo chegou a 108 triunfos pelo Palmeiras contra o Fortaleza, pelo Campeonato Brasileiro e, com isso, ocupa a sétima colocação na lista dos que mais venceram pelo clube neste século, atrás apenas de Willian (6º, com 116), Márcio Araújo (5º colocado com 118), Valdivia (4º com 122), Fernando Prass (3º com 151), Dudu (2º com 174) e Marcos (1º com 182).

Do atual elenco, Felipe Melo é o vice-líder em jogos, com 178 partidas, atrás só de Willian (217). Na semifinal do Paulista diante da Ponte Preta, quando alcançou sua 155ª partida pela equipe, ele fez do Palmeiras o clube que mais defendeu na carreira (pelo Galatasaray-TUR, foram 154). Além disso, o defensor ocupa a quarta colocação entre os palmeirenses que mais atuaram no Allianz Parque com 77 jogos, à frente de Vitor Hugo, e atrás só de Willian (2º, com 88), de Fernando Prass (3º, com 86) e de Dudu (1º com 127).

Recuado para a zaga no início de 2020, o camisa 30 voltou a atuar mais frequentemente como volante sob o comando de Abel Ferreira. Uma estatística do Pitbull, aliás, chama a atenção: apesar do tempo fora, ele está no top 10 dentre os jogadores do elenco que mais interceptam jogadas em 2020 (ou seja, quando o passe, lançamento ou cruzamento rival é impedido no meio do caminho), com 21 ações, na sétima colocação.

LUAN: TOP 5 DE PALMEIRENSES COM MAIS INTERCEPTAÇÕES NA TEMPORADA ATUAL; TITULAR EM 13 DOS ÚLTIMOS 21 JOGOS

Titular em 13 dos últimos 21 jogos do time (inclusive na final da Libertadores), Luan aparece na temporada atual no top 10 de interceptações no ano (ou seja, quando passes, lançamentos e cruzamentos são evitados no meio do caminho) com 22 ações ao todo, ocupando a quinta posição, ao lado de Marcos Rocha.

O camisa 13 é um dos atletas do elenco que já ultrapassaram a marca de 100 jogos pelo clube (são 128 ao todo), atrás apenas de Marcos Rocha, com 141, Weverton, com 156, Lucas Lima, com 161, Felipe Melo, com 178, e Willian, com 217, e à frente de Raphael Veiga, com 107, Gustavo Gómez (114), Gustavo Scarpa (116) e Mayke (117).

Luan formou a zaga com Felipe Melo só três vezes (uma vitória, duas derrotas e quatro gols sofridos), enquanto que, ao lado de Gustavo Gómez, perdeu só duas vezes no ano – 2 a 0 para o Inter no Beira Rio e diante do Tigres-MEX no mundial de clubes (23 partidas, 13 vitórias, oito empates, duas derrotas e apenas 12 gols sofridos) e tem retrospecto geral de 62 jogos, 38 vitórias, 17 empates e sete derrotas, com 30 gols sofridos (média de 0,48 gol sofrido por partida).

Em 2019, Luan e Gómez atingiram a expressiva marca de 1081 minutos consecutivos sem sofrer gols (sem considerar os acréscimos), segunda maior sequência instransponível de uma dupla de zagueiros na história do Palmeiras – o recorde ainda pertence a Marcio e Vágner Bacharel, que, em 1987, garantiram que o time ficasse sem levar gols por exatos 1.148 minutos (sem acréscimos). Um ano antes, durante a campanha do decacampeonato brasileiro de 2018, eles já haviam contribuído para estabelecer o recorde palmeirense de menos gols sofridos na história do Brasileirão de pontos corridos: apenas 26 tentos tomados (a marca anterior era de 32, na caminhada do título de 2016).

Com Emerson Santos, Luan formou dupla titular uma única vez, na vitória por 3 a 1 sobre o Junior Barranquilla-COL pela Libertadores de 2018. Eles jogaram juntos também em parte dos amistosos contra Deportivo Árabe Unido-PAN e Liga Alajuelense-COS, em 2018, e contra o Atlético Nacional-COL, pela Florida Cup 2020, todos sem sofrer gols. Ao lado de Alan Empereur, atuou três vezes: em 05/12/2020, diante do Santos (empate por 2 a 2 fora de casa, pelo Brasileiro), em 27/12/2020 (vitória por 1 a 0 sobre o Bragantino, em casa, pelo Brasileiro) e em 15/01/2021 (empate com o Grêmio por 1 a 1). Com Kuscevic, são dois jogos: uma vitória e um revés (Luan atuou pela primeira vez lado a lado do chileno no último dia 09, vitória por 1 a 0 sobre o Sport, fora de casa, pelo Brasileiro, e voltou a jogar no revés diante do Flamengo, como visitante, no Mané Garrincha, por 2 a 0). Já com Renan, jamais atuou iniciando um duelo.

EMERSON SANTOS: ZAGUEIRO POLIVALENTE, PRESENTE EM 17 DOS ÚLTIMOS 26 JOGOS E PRIMEIRO GOL PELO VERDÃO NO ÚLTIMO DUELO EM QUE ATUOU

Reforço vindo do Botafogo na temporada de 2018, ano em que estreou pelo clube palmeirense, Emerson Santos fez valer a lei do ex na mais recente partida em que esteve em campo, pois marcou pela primeira vez com a camisa do Verdão no último dia 02, pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro, justamente sobre seu ex-clube, que, inclusive, o revelou para o futebol: no time da estrela solitária, ele foi campeão carioca Sub-20 em 2014. Em 2015, foi integrado à equipe profissional. Em 2016 e 2017, destacou-se e chamou a atenção do Palmeiras, que firmou vínculo com o defensor por cinco temporadas (até o fim de 2022).

O atual camisa 3 estreou pelo clube em 2018 em um jogo de Libertadores (entrou aos 42 minutos do segundo tempo contra o Alianza Lima-PER, quando o Palmeiras já vencia por 3 a 1). O jogo seguinte à sua estreia foi na vitória por 3 a 1 diante do Junior Barranquilla-COL, também pela Libertadores de 2018 – nesta partida, ele atuou por 90 minutos pela primeira vez (ao lado de Luan).

Depois, devido à grande concorrência na posição, o zagueiro só fez mais duas partidas em 2018 (nos amistosos contra o panamense Club Deportivo Árabe Unido, 2 a 0 a favor do Verdão no Panamá, e contra o costa-riquenho Liga Alajuelense, 6 a 0 para o Palmeiras na Costa Rica, entre junho e julho), antes de ser emprestado ao Internacional, pelo qual disputou o Brasileiro daquele ano e de 2019, até retornar ao Verdão no início de 2020.

Em julho de 2018, o zagueiro foi emprestado para o Internacional, clube pelo qual disputou os Campeonatos Brasileiros de 2018 e 2019. Emerson Santos voltou a integrar o elenco alviverde no início de 2020. O jogador tem como características principais o chute forte e a marcação.

Após voltar ao time no início de 2020, o camisa 3 atuou como reserva, entrando no intervalo, no lugar de Gustavo Gómez, no primeiro jogo da temporada: Palmeiras 0x0 Atlético Nacional de Medellín-COL, pela Florida Cup. Depois, ficou um período apenas compondo banco de reservas até passar, definitivamente, a figurar nos jogos do Palmeiras: fez duas partidas em outubro e, a partir de novembro, passou a ser definitivamente assíduo – desde o mês 11, esteve presente em 19 dos últimos 29 jogos, sendo titular em 13 ocasiões – sendo que, nos últimos 26 duelos, atuou em 17.

Diante do Santos, pelo Brasileiro, na Vila Belmiro, no dia 05/12, e no dia 12/12, contra o Bahia, vitória por 3 a 0, ambos pelo Brasileiro, o jogador foi escalado na titularidade como volante – fato que se repetiu mais vezes depois ao longo da temporada. E na vitória por 1 a 0 sobre o Sport – a mais recente fora de casa pelo Brasileiro – ele jogou como lateral-direito titular, dando mostra de que é ainda mais versátil.

KUSCEVIC: SUSPENSO; TEVE ATUAÇÃO IMPECÁVEL CONTRA O RIVER NA LIBERTADORES E COMPONENTE DA PRIMEIRA DUPLA DE ZAGA ESTRANGEIRA DA HISTÓRIA DO ALLIANZ PARQUE

Suspenso desta rodada por ter sido expulso há duas rodadas e também por ter acumulado o terceiro cartão amarelo no mesmo jogo (portanto, pegou dois jogos de suspensão e já cumpriu um),o jovem defensor chileno foi muito importante no segundo encontro com o River Plate-ARG, no Allianz Parque, no embate de volta das semifinais, o primeiro dele na Libertadores 2020. Kuscevic entrou na lateral direita ao longo da partida, no lugar de Marcos Rocha, e colaborou bastante para o Verdão garantir a vaga na grande decisão da competição.

Com Gustavo Gómez, foram dois jogos em que atuou lado a lado: coincidentemente, duas vitórias sobre tricolores por 3 a 0 no Allianz Parque – contra o Bahia, em 12/12, e diante do Fortaleza, em 14/02. O duelo diante do Tricolor Baiano, aliás, foi o primeiro no qual o time iniciou a escalação com uma dupla de zaga gringa (formada pelo paraguaio Gustavo Gómez e pelo chileno Benjamin Kuscevic) – e não sofreu nenhum gol. Antes disso, a última zaga estrangeira havia sido formada pelo argentino Tobio e pelo uruguaio Victorino, em setembro de 2014 – vitória por 1 a 0 sobre o Criciúma-SC no Pacaembu, com gol de Cristaldo –essa foi a primeira dupla de zaga estrangeira da história do Allianz Parque, inaugurado em novembro de 2014.

Antes disso, a última zaga estrangeira havia sido formada pelo argentino Tobio e pelo uruguaio Victorino, em setembro de 2014 – vitória por 1 a 0 sobre o Criciúma-SC no Pacaembu, com gol de Cristaldo. Essa foi a única vez até aqui em que Gómez e Kuscevic jogaram juntos iniciando uma partida – sendo essa a primeira dupla de zaga estrangeira da história do Allianz Parque, inaugurado em novembro de 2014.

Com Luan, Kuscevic atuou em dois jogos: uma vitória e um revés (Luan atuou pela primeira vez lado a lado do chileno no dia 09 do último mês, vitória por 1 a 0 sobre o Sport, fora de casa, pelo Brasileiro, e voltou a jogar no revés diante do Flamengo, como visitante, no Mané Garrincha, por 2 a 0). Com Alan Empereur, Kuscevic atuou duas vezes:um empate por 1 a 1 com o Vasco no Allianz Parque, no dia 26 do último mês, e o revés para o Coritiba no jogo mais recente, após o chileno ter sido injustamente expulso aos 17 do segundo tempo (o Verdão sofreu o gol da derrota aos 42). Já com Renan, jamais atuou iniciando um duelo.

Ao todo, o chileno soma 11 jogos pelo Maior Campeão do Brasil: quatro vitórias, quatro empates e três reveses.

ALAN EMPEREUR: PRESENTE EM CINCO DOS ÚLTIMOS SETE JOGOS DO TIME

Alan Empereur ganhou destaque na Libertadores 2020 ao ter uma atuação memorável na histórica vitória por 3 a 0 sobre o River Plate-ARG, no primeiro jogo das semifinais. Por conta de uma lesão de última hora de Luan, o jogador ganhou a oportunidade de fazer dupla com Gustavo Gómez e não decepcionou. O jogo foi importante para que o Verdão pudesse avançar à fase final (mesmo perdendo na semi no jogo de volta por 2 a 0) e, depois, consagrar-se campeão sobre o Santos em final única no Maracanã – Empereur esteve presente em campo nesta partida, ao entrar nos minutos finais, na vaga de Raphael Veiga.

Antes disso, o palestrino já havia participado da goleada por 5 a 0 sobre o Delfín-EQU, entrando no lugar de Gustavo Scarpa. Na final contra o Santos, Alan fez a sua primeira partida da carreira no estádio do Maracanã. Ao todo, Empereur soma 14 jogos pelo Verdão, com oito vitórias, quatro empates e duas derrotas – foi titular no contra o Botafogo-RJ, pelo Brasileirão (empate por 1 a 1 no Allianz Parque), no último dia 2.

Ao lado de Luan, Alan Empereur atuou três vezes
: em 05/12/2020, diante do Santos (empate por 2 a 2 fora de casa, pelo Brasileiro), em 27/12/2020 (vitória por 1 a 0 sobre o Bragantino, em casa, pelo Brasileiro) e em 15/01/2021 (empate com o Grêmio por 1 a 1). Já com Gómez, Empereur atuou três vezes: uma vitória (contra o River Plate-ARG, 3×0) e dois reveses (River Plate-ARG, por 2 a 0, e Ceará, fora de casa, por 2 a 1 pelo Brasileiro).

Com Kuscevic, Empereur atuou duas vezes:um empate por 1 a 1 com o Vasco no Allianz Parque, no dia 26 do último mês, e o revés para o Coritiba no jogo mais recente, após o chileno ter sido injustamente expulso aos 17 do segundo tempo (o Verdão sofreu o gol da derrota aos 42).

Dos últimos sete jogos do Verdão, o camisa 33 (usou a 6 na Libertadores) esteve presente em quatro
: Ceará (Brasileiro, revés por 2 a 1, fora de casa; titular), Vasco (empate por 1 a 1 em casa, pelo Brasileiro; titular), Santos (vitória por 1 a 0 em campo neutro na final da Libertadores, jogo do título; reserva) e Botafogo-RJ – ficou de fora contra o Tigres-MEX pela Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020, em campo neutro, além dos duelos com Coritiba e São Paulo (ambos fora de casa, pelo Brasileiro).

Natural de Ipatinga-MG, o zagueiro canhoto de sobrenome francês começou no Atlético-MG, mas com apenas 13 anos se transferiu para as categorias de base da Fiorentina-ITA, atuando frequentemente como capitão das equipes Sub-15, Sub-17 e Sub-19. Como profissional, rodou por algumas outras equipes italianas até surgir o interesse do Palmeiras, por indicação do técnico Abel Ferreira. Alan não pensou duas vezes, deixou o país onde passara metade da vida e desembarcou no Palestra Italia já conquistando, de cara, o seu primeiro título como profissional.

WEVERTON: JOGADOR DO TIME COM MAIS MINUTOS EM CAMPO NA TEMPORADA, NO BRASILEIRO E NA LIBERTADORES; RECORDES ALCANÇADOS; PALMEIRENSE MAIS ASSÍDUO NA TEMPORADA ATUAL

Atleta que soma mais minutos em campo na temporada atual (6075), Weverton atuou em 67 dos 75 jogos do Palmeiras no ano e, neste quesito, é o segundo no quesito, atrás só de Willian, presente também em 68 dos 75 compromissos do time alviverde. No Brasileiro, Weverton soma 2461 minutos, sendo o líder no quesito, seguido de Patrick de Paula (1897). Na Libertadores, atuou em todos os 13 jogos possíveis, assim como Gustavo Gómez, e fechou como o líder em minutos em campo no Continental, com 1271 minutos em campo, seguido de Viña, com 1132, e de Gustavo Gómez, com 1109.

Na partida mais recente do Verdão em casa, contra o Fortaleza (vitória por 3 a 0 em casa), garantiu que o time permanecesse sem tomar gol e, com isso chegou, no total, a 33 jogos sem sofrer gols na temporada – o que é um recorde neste século em uma única temporada. Com um total de, agora, 80 jogos sem levar gols desde que chegou ao Verdão, ele fica na terceira posição do ranking de goleiros com mais jogos sem ser vazado neste século, atrás apenas de Marcos (107) e Fernando Prass (101).

Já no duelo mais recente em que atuou no geral, empate por 1 a 1 com o São Paulo, na última sexta-feira (19), Weverton ampliou ainda mais sua marca como 10º goleiro que mais jogou pelo Verdão em todos os tempos, ao ter chegado a 156 jogos pelo Palmeiras desde que estreou pelo clube em 2018 – o ranking é encabeçado por Leão, com 621 jogos, seguido por Marcos (533), Valdir de Morais (480), Velloso (458), Oberdan (353), Sérgio (333), Gilmar (290), Fernando Prass (274) e Primo (185).

Este não é o único top 10 do qual Weverton passou a fazer parte na temporada atual. Ele também está entre os dez que mais jogaram no Palestra Italia/Allianz Parque em todos os tempos: atualmente ocupa a 9ª posição, com 64 jogos; completam a lista: Nascimento, 8º, com 67 jogos; Jurandyr, 7º, 74 jogos; Fernando Prass, 6º, com 86 jogos; Primo, 5º, com 90 jogos; Sérgio, 4º, com 131 jogos; Leão, 3º, com 137 jogos; Velloso, 2º, com 154 jogos; e Marcos, líder em jogos do Palestra Italia, com 212 jogos.

Este, inclusive, não foi o primeiro feito numérico surpreendente alcançado por Weverton na temporada atual. Recentemente, o goleiro bateu uma marca que não era atingida havia 23 anos: chegou à terceira temporada consecutiva com 20 ou mais jogos sem sofrer gols, algo que não acontecia desde que Velloso não foi vazado por 28 partidas em 1995, 24 em 1996 e 27 em 1997. Em 2018, seu ano de estreia, e 2019, Weverton ficou por 21 e 26 jogos, respectivamente, sem ser vazado, e na temporada de 2020 já são 33 duelos após ter passado em branco contra o Santos na final da Libertadores: número que, aliás, é o recorde de um goleiro com mais partidas sem sofrer gols dentro de uma única temporada no Século XXI.

O camisa 21 (usou a 1 na Libertadores) ainda ostenta a terceira menor média de gols sofridos na história do Palmeiras. Vazado 101 vezes em 156 jogos, o jogador tem índice de 0,64 gol por partida, atrás só do paraguaio Benítez, com 0,54 (13 gols sofridos em 24 jogos em 1978), e do também paraguaio Gato Fernández, com 0,62 (22 gols em 35 jogos em 1994). São considerados somente goleiros com ao menos dez jogos disputados pelo clube.

JAILSON: CAMPEÃO PAULISTA, DA COPA DO BRASIL, BI BRASILEIRO E DA LIBERTADORES; 3ª MENOR MÉDIA DE GOLS SOFRIDOS NA HISTÓRIA DOS PONTOS CORRIDOS (SÉRIE A) E 4º JOGADOR MAIS EXPERIENTE DO BRASILEIRÃO

No Palmeiras desde 2014, Jailson é o atleta mais antigo do elenco palmeirense a ter atuado pelo time profissional– no Alviverde, o jogador já conquistou três títulos nacionais (Copa do Brasil de 2015 e Brasileiros de 2016 e de 2018), além do Paulista de 2020.

Na Libertadores, esta foi a quinta edição seguida para a qual o goleiro foi inscrito para representar o Palmeiras – agora tem um título do torneio. As outras foram 2016, 2017, 2018 e 2019, sendo que, em campo, Jailson esteve presente em duas delas: 2017 (uma partida, vitória por 1 a 0 sobre o Barcelona de Guayaquil-EQU e defendeu pênalti na disputa por penais, apesar da eliminação) e em 2018 (cinco jogos, com quatro vitórias e um empate). Desta forma, Jailson acumula, ao todo, seis jogos no Continental, com cinco vitórias, um empate e apenas dois gols sofridos – ou seja, está invicto!

Na atual temporada, Jailson atuou em nove partidas (três vitórias, três empates, três derrotas e seis gols sofridos): contra o Atletico Nacional-COL, empate em 0 a 0, e New York City-EUA, vitória alviverde por 2 a 1, ambas pela Florida Cup, no início da temporada – na primeira, além da ótima atuação, defendeu pênalti na decisão que valia ponto extra (ao final, o Verdão sagrou-se campeão com um ponto de vantagem sobre os colombianos); depois, participou de mais três jogos pelo Brasileiro, diante do Fluminense (1 a 1 fora de casa, na estreia do Verdão no Nacional), Botafogo (revés por 2 a 1 no Engenhão), São Paulo (derrota por 2 a 0 no Allianz Parque); diante do Ceará, na vitória por 3 a 0 pela Copa do Brasil, no último dia 11 e, por último, outra vez contra o Fluminense, pelo segundo do Brasileiro (essas duas mais recentes no Allianz Parque). Mais recentemente, esteve em campo nos dois jogos mais recentes do time, diante do Ceará (revés por 2 a 1 fora de casa) e do Vasco (empate por 1 a 1 em casa).

Vale ressaltar que, reforço vindo do Ceará em 2014, Jailson só jogou a Série A pela primeira vez no Verdão, em 2016, já veterano, com 35 anos completos.  Desta forma, sagrou-se Campeão Brasileiro de 2016 sem perder nenhuma vez em 19 partidas e ainda levando a Bola de Prata. Jailson, aliás, só foi conhecer sua primeira derrota pela competição em 2018, após 27 duelos invictos, fato que lhe rendeu o segundo lugar no ranking dos jogadores que tiveram as maiores invencibilidades no Brasileirão pelo Palmeiras em todos os tempos, superando craques como Ademir da Guia, Eurico, Leão, Ronaldo e Zeca, todos com 26, e ficando atrás apenas de Edu Bala, que registra incríveis 34 jogos consecutivos sem reveses no Brasileiro.

O guarda-redes ostenta uma curiosa estatística: ele detém a terceira menor média de gols sofridos dos pontos corridos. Em jogos do Nacional, foram, ao todo, 41 tentos sofridos em 47 partidas, média de 0,87 por jogo. Considerando apenas o período em que o Campeonato Brasileiro é disputado no sistema de pontos corridos, Jailson só fica atrás dos goleiros Marcelo Grohe, com média de 0,81 (167 gols sofridos em 205 partidas por qualquer clube) e Walter, média de 0,74 (43 gols sofridos em 58 partidas da Série A).

Na atual edição do Nacional, o arqueiro palmeirense ocupa o quarto posto de jogador mais experiente do Brasileirão, com 39 anos e oito meses, ao lado do meia Nenê, do Fluminense. Ambos só ficam atrás do meia argentino Lucho González, do Athletico-PR, com 40 anos e um mês, do atacante Ricardo Oliveira, do Coritiba, com 40 anos e 10 meses, e do goleiro Fernando Prass, do Ceará, com 42 anos e oito meses.

Campeão da Copa do Brasil em 2015 pelo Palmeiras, Jailson – único remanescente daquele grupo – está disputando a competição nacional pela sexta vez no clube alviverde. Nas cinco edições anteriores, só não entrou em campo justamente na mais recente. Em 2015, atuou contra o Sampaio Corrêa-MA (empate por 1 a 1 em São Luis-MA); em 2016, jogou diante do Botafogo-PB (vitória por 3 a 0 no Allianz Parque) e duas vezes contra o Grêmio (revés por 2 a 1 fora e empate por 1 a 1 em casa); em 2017, enfrentou o Cruzeiro (vitória por 2 a 1 no Independência); e em 2018, atuou nos dois jogos frente o América-MG (2 a 1 no Independência e 1 a 1 no Allianz Parque). Na atual edição, jogou diante do Ceará, seu ex-clube, empate por 2 a 2 na Arena Castelão, no jogo que valeu classificação ao Palmeiras.

VINICIUS: HÁ 15 ANOS NO PALMEIRAS E CAMPEÃO BRASILEIRO PELO TIME EM 2016

Titular há duas partidas pelo Verdão e elogiado com sua atuação pelo treinador Abel Ferreira, Vinicius é quem tem mais tempo de casa entre todos do atual elenco. Natural de Guarulhos-SP, o goleiro chegou ao Palestra Italia em 2006 e, além de diversas convocações para a Seleção Brasileira Sub-15, ficou conhecido por defesas de penalidades importantes em sua passagem pelas categorias de base do clube. Subiu para o elenco principal no fim de 2013 e estreou em 2016, na campanha do eneacampeonato brasileiro, suprindo as ausências de Fernando Prass e Jailson na partida contra o Santos, na Vila Belmiro.

Após ganhar experiência em empréstimos para Ponte Preta e CRB, clube pelo qual atuou em 12 rodadas da Série B de 2019, Vinicius voltou ao Palmeiras na temporada 2020 e entrou definitivamente para a história ao fazer parte do grupo que conquistou os títulos do Campeonato Paulista e da Conmebol Libertadores.

HISTÓRICO DO ELENCO

> GOLEIROS

42. JAILSON

> 86 Jogos (78 como titular) pelo Palmeiras
> 9 jogos (7 como titular) na temporada 2020
> 6 jogos (6 como titular) no Brasileiro 2020
> Não jogou pela Libertadores 2020
> 1 jogo (1 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 17/01/2015 – Palmeiras 3×1 Shandong Luneng-CHI – Amistoso
Último jogo: 26/01/2021 – Palmeiras 1×1 Vasco – Brasileiro
Último como titular: 26/01/2021 – Palmeiras 1×1 Vasco – Brasileiro

72. VINICIUS SILVESTRE

> 2 jogos (1 como titular) pelo Palmeiras
> 1 jogo (1 como titular) na temporada de 2020
> 1 jogo (1 como titular) pelo Brasileiro 2020
> Não jogou pela Libertadores 2020
Estreia: 29/10/2016 – Santos 1×0 Palmeiras – Brasileiro
Último jogo: 17/02/2021 – Coritiba 1×0 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 17/02/2021 – Coritiba 1×0 Palmeiras – Brasileiro

21. WEVERTON

> 156 jogos (156 como titular) pelo Palmeiras
> 67 jogos (67 como titular) na temporada 2020
> 2 jogos (2 como titular) na Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020
> 29 jogos (29 como titular) no Brasileiro 2020
> 13 jogos (13 como titular) pela Libertadores 2020
> 5 jogos (5 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 11/03/2018 – Ituano 0x3 Palmeiras – Campeonato Paulista
Último jogo: 19/02/2021 – São Paulo 1×1 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 19/02/2021 – São Paulo 1×1 Palmeiras – Brasileiro

> ZAGUEIROS

33. ALAN EMPEREUR

> 15 jogos (9 como titular) pelo Palmeiras
> 15 jogos (9 como titular) na temporada de 2020
> 10 jogos (7 como titular) pelo Brasileiro 2020
> 4 jogos (2 como titular) pela Libertadores
> 1 jogo (0 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 11/11/2020 – Palmeiras 3×0 Ceará – Copa do Brasil
Último jogo: 17/02/2021 – Coritiba 1×0 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 17/02/2021 – Coritiba 1×0 Palmeiras – Brasileiro

4. BENJAMÍN KUSCEVIC

> 11 jogos (7 como titular) pelo Palmeiras
> 11 jogos (7 como titular) na temporada de 2020
> 11 jogos (7 como titular) pelo Brasileiro 2020
> 1 jogo (0 como titular) pela Libertadores 2020
> Ainda não jogou pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 05/12/2020 – Santos 2×2 Palmeiras – Brasileiro
Último jogo: 17/02/2021 – Coritiba 1×0 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 17/02/2021 – Coritiba 1×0 Palmeiras – Brasileiro

3. EMERSON SANTOS

> 26 jogos (15 como titular) e 1 gol pelo Palmeiras
> 22 jogos (14 como titular) e 1 gol na temporada 2020
> 12 jogos (10 como titular) e 1 gol no Brasileiro 2020
> 6 jogos (1 como titular) pela Libertadores 2020
> 3 jogos (3 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 03/05/2018 – Alianza Lima-PER 1×3 Palmeiras – Libertadores
Último jogo: 02/02/2021 – Palmeiras 1×1 Botafogo-RJ – Brasileiro
Último como titular: 02/02/2021 – Palmeiras 1×1 Botafogo-RJ – Brasileiro

15. GUSTAVO GÓMEZ

> 114 jogos (111 como titular), 13 gols e 1 assistência pelo Palmeiras
> 55 jogos (54 como titular), 5 gols e 1 assistência na temporada 2020
> 2 jogos (2 como titular) na Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020
> 20 jogos (20 como titular), 1 gol e 1 assistência no Brasileiro 2020
> 13 jogos (13 como titular) e 2 gols pela Libertadores 2020
> 5 jogos (4 como titular) e 1 gol pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 12/08/2018 – Palmeiras 1×0 Vasco – Brasileiro
Último jogo: 19/02/2021 – São Paulo 1×1 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 19/02/2021 – São Paulo 1×1 Palmeiras – Brasileiro

13. LUAN

> 128 jogos (115 como titular), 5 gols e 1 assistência pelo Palmeiras
> 46 jogos (34 como titular) na temporada 2020
> 2 jogos (2 como titular) na Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020
> 25 jogos (21 como titular) no Brasileiro 2020
> 8 jogos (5 como titular) pela Libertadores 2020
> 3 jogos (3 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 18/06/2017 – Bahia 2×4 Palmeiras – Brasileiro
Último jogo: 19/02/2021 – São Paulo 1×1 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 19/02/2021 – São Paulo 1×1 Palmeiras – Brasileiro

26. RENAN

> 10 jogos (9 como titular) pelo Palmeiras
> 10 jogos (9 como titular) na temporada 2020
> 10 jogos (9 como titular) no Brasileiro 2020
> 1 jogo (0 como titular) pela Libertadores 2020
> 2 jogos (2 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 14/10/2020 – Palmeiras 1×3 Coritiba – Brasileiro
Último jogo: 17/02/2021 – Coritiba 1×0 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 17/02/2021 – Coritiba 1×0 Palmeiras – Brasileiro

> LATERAIS

2. MARCOS ROCHA

> 141 jogos (135 como titular), 6 gols e 21 assistências pelo Palmeiras
> 49 jogos (45 como titular), 2 gols e 6 assistências na temporada 2020
> 1 jogo (1 como titular) na Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020
> 21 jogos (17 como titular) e 1 assistência no Brasileiro 2020
> 9 jogos (9 como titular) e 1 assistência pela Libertadores 2020
> 4 jogos (4 como titular) e 1 assistência pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 18/01/2018 – Grêmio Novorizontino 0x3 Palmeiras – Campeonato Paulista
Último jogo: 17/02/2021 – Coritiba 1×0 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 17/02/2021 – Coritiba 1×0 Palmeiras – Brasileiro

12. MAYKE

> 116 jogos (96 como titular), 2 gols e 8 assistências pelo Palmeiras
> 34 jogos (20 como titular) e 1 assistência na temporada 2020
> 2 jogos (1 como titular) na Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020
> 19 jogos (15 como titular) e 1 assistência no Brasileiro 2020
> 4 jogos (1 como titular) pela Libertadores 2020
> 3 jogos (1 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 27/05/2017 – São Paulo 2×0 Palmeiras – Brasileiro
Último jogo: 19/02/2021 – São Paulo 1×1 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 19/02/2021 – São Paulo 1×1 Palmeiras – Brasileiro

16. LUCAS ESTEVES

> 12 jogos (6 como titular) pelo Palmeiras
> 11jogos (6 como titular) na temporada de 2020
> 9 jogos (6 como titular) no Brasileiro 2020
> 1 jogo (0 como titular) pela Libertadores 2020
> 1 jogo (0 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Último jogo: 17/02/2021 – Coritiba 1×0 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 17/02/2021 – Coritiba 1×0 Palmeiras – Brasileiro

17. MATÍAS VIÑA

> 47 jogos (47 como titular), 2 gols e 8 assistências pelo Palmeiras
> 47 jogos (47 como titular), 2 gols e 8 assistências na temporada 2020
> 2 jogo (2 como titular) na Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020
> 22 jogos (22 como titular) e 3 assistências no Brasileiro 2020
> 12 jogos (12 como titular), 2 gols e 3 assistências pela Libertadores 2020
> 4 jogos (3 como titular) e 1 assistência pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 16/02/2020 – Palmeiras 3×1 Mirassol – Campeonato Paulista
Último jogo: 19/02/2021 – São Paulo 1×1 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 19/02/2021 – São Paulo 1×1 Palmeiras – Brasileiro

> MEIO-CAMPISTAS

28. DANILO

> 35 jogos (20 como titular), 1 gol e 2 assistências pelo Palmeiras
> 35 jogos (20 como titular), 1 gol e 2 assistências na temporada de 2020
> 2 jogos (1 como titular) na Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020
> 18 jogos (9 como titular) no Brasileiro 2020
> 11 jogos (8 como titular), 1 gol e 2 assistências pela Libertadores 2020
> 4 jogos (2 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 06/09/2020 – Red Bull Bragantino 1×2 Palmeiras – Brasileiro
Último jogo: 17/02/2021 – Coritiba 1×0 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 17/02/2021 – Coritiba 1×0 Palmeiras – Brasileiro

30. FELIPE MELO

> 178 jogos (167 como titular), 12 gols e 6 assistências pelo Palmeiras
> 39 jogos (35 como titular), 1 gol e 1 assistência na temporada 2020
> 2 jogos (1 como titular) na Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020
> 14 jogos (12 como titular) no Brasileiro 2020
> 6 jogos (5 como titular) pela Libertadores 2020
> 2 jogos (2 como titular) e 1 assistência pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 21/01/2017 – Chapecoense 1×1 Palmeiras – Amistoso
Último jogo: 19/02/2021 – São Paulo 1×1 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 19/02/2021 – São Paulo 1×1 Palmeiras – Brasileiro

25. GABRIEL MENINO

> 60 jogos (51 como titular), 3 gols e 10 assistências pelo Palmeiras
> 60 jogos (51 como titular), 3 gols e 10 assistências na temporada de 2020
> 2 jogos (1 como titular) na Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020
> 28 jogos (26 como titular) e 7 assistências no Brasileiro 2020
> 13 jogos (11 como titular), 3 gols e 1 assistência pela Libertadores 2020
> 4 jogos (4 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 15/01/2020 – Palmeiras 0x0 Atlético Nacional de Medellín-COL – Florida Cup
Último jogo: 17/02/2021 – Coritiba 1×0 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 17/02/2021 – Coritiba 1×0 Palmeiras – Brasileiro

14. GUSTAVO SCARPA

> 116 jogos (62 como titular), 23 gols e 17 assistências pelo Palmeiras
> 45 jogos (17 como titular), 4 gols e 8 assistências na temporada de 2020
> 2 jogos (0 como titular) na Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020
> 24 jogos (8 como titular), 1 gol e 5 assistências no Brasileiro 2020
> 6 jogos (5 como titular) e 3 assistências pela Libertadores 2020
> 5 jogos (2 como titular) 1 gol pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 29/10/2020 – Red Bull Bragantino 1×3 Palmeiras – Copa do Brasil
Último jogo: 19/02/2021 – São Paulo 1×1 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 17/02/2021 – Coritiba 1×0 Palmeiras – Brasileiro

20. LUCAS LIMA

> 161 jogos (111 como titular), 11 gols e 21 assistências pelo Palmeiras
> 54 jogos (37 como titular), 3 gols e 5 assistências na temporada de 2020
> 30 jogos (22 como titular), 1 gol e 2 assistências no Brasileiro 2020
> 4 jogos (3 como titular) pela Libertadores 2020
> 5 jogos (2 como titular) e 1 assistência pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 18/01/2018 – Palmeiras 3×1 Santo André – Campeonato Paulista
Último jogo: 19/02/2021 – São Paulo 1×1 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 17/02/2021 – Coritiba 1×0 Palmeiras – Brasileiro

5. PATRICK DE PAULA

> 50 jogos (35 como titular), 5 gols e 1 assistência pelo Palmeiras
> 50 jogos (35 como titular), 5 gols e 1 assistência na temporada de 2020
> 2 jogos (1 como titular) na Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020
> 26 jogos (20 como titular), 3 gols e 1 assistência no Brasileiro 2020
> 6 jogos (4 como titular) e 1 gol pela Libertadores 2020
> 3 jogos (1 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 15/01/2020 – Palmeiras 0x0 Atlético Nacional de Medellín-COL – Florida Cup
Último jogo: 19/02/2021 – São Paulo 1×1 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 19/02/2021 – São Paulo 1×1 Palmeiras – Brasileiro

23. RAPHAEL VEIGA

> 107 jogos (60 como titular), 25 gols e 4 assistências pelo Palmeiras
> 55 jogos (38 como titular), 18 gols e 2 assistências na temporada de 2020
> 2 jogos (2 como titular) na Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020
> 23 jogos (18 como titular), 11 gols e 1 assistência no Brasileiro 2020
> 10 jogos (6 como titular), 2 gols e 1 assistência pela Libertadores 2020
> 6 jogos (6 como titular) e 4 gols pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 21/01/2017 – Chapecoense 2×2 Palmeiras – Amistoso
Último jogo: 19/02/2021 – São Paulo 1×1 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 19/02/2021 – São Paulo 1×1 Palmeiras – Brasileiro

42. VANDERLAN

> 1 jogo (0 como titular) pelo Palmeiras
> 1 jogo (0 como titular) na temporada de 2020
> 1 jogo (0 como titular) no Brasileiro 2020
> Não jogou pela Libertadores 2020
> Não jogou pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 26/01/2021 – Palmeiras 1×1 Vasco – Brasileiro
Último jogo: 26/01/2021 – Palmeiras 1×1 Vasco – Brasileiro
Último como titular: Não jogou como titular

8. ZÉ RAFAEL

> 99 jogos (76 como titular), 12 gols e 12 assistências pelo Palmeiras
> 60 jogos (43 como titular), 5 gols e 7 assistências na temporada de 2020
> 1 jogo (1 como titular) na Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020
> 24 jogos (20 como titular), 2 gols e 3 assistências no Brasileiro 2020
> 12 jogos (7 como titular) e 2 gols pela Libertadores 2020
> 5 jogos (5 como titular) e 2 assistências pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 23/01/2019 – Palmeiras 1×0 Botafogo-SP – Campeonato Paulista
Último jogo: 07/02/2021 – Palmeiras 0×1 Tigres-MEX – Mundial de Clubes
Último como titular: 07/02/2021 – Palmeiras 0×1 Tigres-MEX – Mundial de Clubes

> ATACANTES

58. ANIBAL

> 1 jogo (1 como titular) pelo Palmeiras
> 1 jogo (1 como titular) na temporada de 2020
> Ainda não jogou pelo Brasileiro 2020
> Não jogou pela Libertadores 2020
> 1 jogo (1 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 18/11/2020 – Ceará 2×2 Palmeiras – Copa do Brasil
Último jogo: 18/11/2020 – Ceará 2×2 Palmeiras – Copa do Brasil
Último como titular: 18/11/2020 – Ceará 2×2 Palmeiras – Copa do Brasil

39. BRENO LOPES

> 21 jogos (8 como titular) e 3 gols pelo Palmeiras
> 21 jogos (8 como titular) e 3 gols na temporada de 2020
> 16 jogos (8 como titular) e 2 gols no Brasileiro 2020
> 5 jogos (0 como titular) e 1 gol pela Libertadores 2020
> Não pode jogar pela Copa do Brasil 2020 pelo Palmeiras (atuou pelo Juventude)
Estreia: 14/11/2020 – Palmeiras 2×0 Fluminense – Brasileiro
Último jogo: 19/02/2021 – São Paulo 1×1 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 14/02/2021 – Palmeiras 3×0 Fortaleza – Brasileiro

60. FABRÍCIO

> 3 jogos (0 como titular) pelo Palmeiras
> 3 jogos (0 como titular) na temporada de 2020
> 3 jogos (0 como titular) pelo Brasileiro 2020
> Não jogou pela Libertadores 2020
> Ainda não jogou pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 21/11/2020 – Goiás 1×0 Palmeiras – Brasileiro
Último jogo: 26/01/2021 – Palmeiras 1×1 Vasco – Brasileiro

49. GABRIEL SILVA

> 17 jogos (2 como titular) e 1 assistência pelo Palmeiras
> 17 jogos (2 como titular) e 1 assistência na temporada de 2020
> 12 jogos (2 como titular) no Brasileiro 2020
> 3 jogos (0 como titular) e 1 assistência pela Libertadores 2020
> 2 jogos (0 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 19/12/2020 – Internacional 2×0 Palmeiras – Brasileiro
Último jogo: 02/02/2021 – Palmeiras 1×1 Botafogo-RJ – Brasileiro
Último como titular:
 26/01/2021 – Palmeiras 1×1 Vasco – Brasileiro

27. GABRIEL VERON

> 40 jogos (18 como titular), 11 gols e 6 assistências pelo Palmeiras
> 37 jogos (18 como titular), 9 gols e 5 assistências na temporada de 2020
> 19 jogos (8 como titular), 4 gols e 2 assistência no Brasileiro 2020
> 7 jogos (5 como titular), 3 gols e 1 assistência pela Libertadores 2020
> 3 jogos (2 como titular), 2 gols e 1 assistência pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 28/11/2019 – Fluminense 1×0 Palmeiras – Brasileiro
Último jogo: 26/01/2021 – Palmeiras 1×1 Vasco – Brasileiro
Último como titular: 14/11/2020 – Palmeiras 2×0 Fluminense – Brasileiro

9. LUAN SILVA

> 1 jogo (1 como titular) pelo Palmeiras
> 1 jogo (1 como titular) na temporada de 2020
> Ainda não jogou no Brasileiro 2020
> Não jogou pela Libertadores 2020
> Ainda não jogou pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 07/03/2020 – Palmeiras 1×1 Ferroviária – Campeonato Paulista
Último jogo:07/03/2020 – Palmeiras 1×1 Ferroviária – Campeonato Paulista
Último como titular: 07/03/2020 – Palmeiras 1×1 Ferroviária – Campeonato Paulista

10. LUIZ ADRIANO

> 68 jogos (58 como titular), 27 gols e 5 assistências pelo Palmeiras
> 53 jogos (45 como titular), 20 gols e 4 assistências na temporada de 2020
> 2 jogos (2 como titular) na Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020
> 23 jogos (18 como titular), 10 gols e 3 assistências no Brasileiro 2020
> 7 jogos (7 como titular) e 5 gols pela Libertadores 2020
> 5 jogos (3 como titular) e 2 gols pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 11/08/2019 – Palmeiras 2×2 Bahia – Brasileiro
Último jogo: 19/02/2021 – São Paulo 1×1 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 19/02/2021 – São Paulo 1×1 Palmeiras – Brasileiro

38. MARCELINHO

> 2 jogos (1 como titular) pelo Palmeiras
> 2 jogos (1 como titular) na temporada de 2020
> 1 jogo (1 como titular) pelo Brasileiro 2020
> Não jogou pela Libertadores 2020
> 1 jogo (0 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia:18/11/2020 – Ceará 2×2 Palmeiras – Copa do Brasil
Último jogo: 21/11/2020 – Goiás 1×0 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 21/11/2020 – Goiás 1×0 Palmeiras – Brasileiro

57. PEDRO ACÁCIO

> 3 jogos (0 como titular) pelo Palmeiras
> 3 jogos (0 como titular) na temporada de 2020
> 3 jogos (0 como titular) pelo Brasileiro 2020
> Não jogou pela Libertadores 2020
> Ainda não jogou pela Copa do Brasil 2020
Estreia:18/01/2021 – Palmeiras 4×0 Corinthians– Brasileiro
Último jogo:  24/01/2021 – Ceará 2×1 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: Ainda não jogou como titular

11. RONY

> 49 jogos (37 como titular), 11 gols e 9 assistências pelo Palmeiras
> 49 jogos (37 como titular), 11 gols e 9 assistências na temporada de 2020
> 2 jogos (2 como titular) na Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020
> 22 jogos (14 como titular) e 5 gols no Brasileiro 2020
> 11 jogos (10 como titular), 5 gols e 8 assistências pela Libertadores 2020
> 5 jogos (4 como titular), 1 gol e 1 assistência pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 29/02/2020 – Santos 0x0 Palmeiras – Campeonato Paulista
Último jogo: 19/02/2021 – São Paulo 1×1 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 19/02/2021 – São Paulo 1×1 Palmeiras – Brasileiro

47. WESLEY

> 23 jogos (13 como titular), 4 gols e 6 assistências pelo Palmeiras
> 23 jogos (13 como titular), 4 gols e 6 assistências na temporada de 2020
> 13 jogos (8 como titular), 2 gols e 2 assistências no Brasileiro 2020
> 3 jogos (2 como titular),1 gol e 3 assistências pela Libertadores 2020
> 2 jogos (2 como titular) e 1 gol pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 15/01/2020 – Palmeiras 0x0 Atlético Nacional de Medellín-COL – Florida Cup
Último jogo: 05/11/2020 – Palmeiras 1×0 Red Bull Bragantino – Copa do Brasil
Último como titular: 05/11/2020 – Palmeiras 1×0 Red Bull Bragantino – Copa do Brasil

29. WILLIAN

> 217 jogos (147 como titular), 56 gols e 22 assistências pelo Palmeiras
> 67 jogos (39 como titular), 18 gols e 6 assistências na temporada de 2020
> 3 jogos (1 como titular) na Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020
> 32 jogos (18 como titular), 7 gols e 4 assistências no Brasileiro 2020
> 10 jogos (5 como titular), 4 gols e 1 assistência pela Libertadores 2020
> 6 jogos (4 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 29/01/2017 – Palmeiras 1×1 Ponte Preta – Campeonato Paulista
Último jogo: 19/02/2021 – São Paulo 1×1 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 19/02/2021 – São Paulo 1×1 Palmeiras – Brasileiro

Departamento de Comunicação

O Palmeiras treinou na manhã deste domingo (21), na Academia de Futebol, e deu sequência à preparação para o confronto com o Atlético-GO, nesta segunda-feira (22), às 18h, no Allianz Parque, pela 37ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O técnico Abel Ferreira separou duas equipes no gramado sintético do centro de treinamento e comandou um treino tático visando o duelo pelo Brasileirão e também os jogos finais da Copa do Brasil. O treinador orientou posicionamento, movimentações e transições, entre outros aspectos e fundamentos do jogo.

O meio-campista Zé Rafael, preservado nas últimas três partidas do Verdão, participou de toda a atividade integrado o grupo. Em transição física, o atacante Gabriel Veron realizou o aquecimento e depois trabalhou à parte com os preparadores físicos e jogadores do grupo de apoio do Sub-20.

O Verdão volta a treinar na manhã desta segunda-feira (22), às 10h, na Academia de Futebol. Com mais dois jogos a disputar no Brasileiro antes das finais da Copa do Brasil, a equipe ocupa a sexta colocação, com 57 pontos.

Abel Ferreira elogia espírito do time após empate com São Paulo no Morumbi

Departamento de Comunicação

O Palmeiras empatou com o São Paulo por 1 a 1, nesta sexta-feira (19), no estádio do Morumbi, em duelo válido pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro – com o resultado, o Verdão chegou aos 57 pontos na tabela de classificação da competição nacional. Após o clássico, o técnico Abel Ferreira analisou a atuação da equipe alviverde.

“Gostei muito do jogo que fizemos aqui. Se tivesse um vencedor, teria que ser o Palmeiras por tudo o que criamos. Infelizmente, eles chegaram ao gol em um pênalti, mas não discutirei se foi pênalti ou não. Nós, como equipe, temos de ter este espírito. Contra tudo e contra todos, contra as adversidades. Temos de ter empenho e desempenho”, declarou. “Tivemos esta atitude hoje porque tivemos tempo para descansar. Hoje foi um bom jogo, com duas equipes frescas, que tiveram tempo para recuperar. E isso valoriza tudo. Valoriza o futebol brasileiro, tendo um jogo com intensidade e qualidade”, completou o comandante.

O próximo compromisso do Palmeiras será na segunda-feira (22), às 18h, contra o Atlético-GO, no Allianz Parque, pela 37ª rodada do Campeonato Brasileiro. Já na quinta (25), às 21h30, diante do Atlético-MG, no estádio do Mineirão, em Belo Horizonte-MG, o Verdão encerra a sua participação no Campeonato Brasileiro 2020.

Confira abaixo a entrevista coletiva do técnico Abel Ferreira:

 

 

Departamento de Comunicação

Rony vem acumulando ótimas participações em suas últimas partidas pelo time palmeirense. Além do gol contra o São Paulo na noite desta sexta-feira (19), pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro (o primeiro de Rony em clássico), após passar pela esquerda e receber bola de Gustavo Scarpa, enfrentar o são-paulino Juanfran e vencer do goleiro Volpi, batendo de pé direito, de dentro da área, sem chances para o goleiro tricolor (gol este que deixou o placar igual nos acréscimos), o camisa 11, foi fundamental ao longo da temporada dentre vários outros lances chave dos quais participou: um deles no jogo que valeu ao Palmeiras o título da Libertadores da América, quando, coincidentemente nos acréscimos do segundo tempo, como no caso desta noite, o atacante colocou a bola na cabeça de Breno Lopes após lançamento em jogada que originou o gol do título.

Antes disso, em 30/12, diante do América-MG, jogo que valeu classificação à final da Copa do Brasil após vitória por 2 a 0, no Estádio Independência (Belo Horizonte-MG) – deu uma assistência para o primeiro gol (de Luiz Adriano) e fez o segundo gol; e foi titular diante do River Plate-ARG, fora de casa, marcando o gol que abriu caminho para a vitória por 3 a 0 fora de casa pelo jogo de ida das semifinais do torneio continental. Na vitória mais recente do time pelo Brasileiro fora de casa, 1 a 0 fora de casa diante do Sport, ele participou ao entrar no segundo tempo.

O jogador, aliás, vem de bons números: fez dez gols em suas últimas 23 partidas disputadas (média de 0,43 por jogo neste período). Com dez bolas na rede na temporada atual, Rony é o quarto principal artilheiro do Alviverde em 2020, atrás só de Willian e Raphael Veiga (18) e Luiz Adriano (20). No Brasileirão, ele possui cinco gols e é o quarto principal artilheiro do Verdão no torneio, atrás só de Willian (sete), e de Luiz Adriano (dez) e Raphael Veiga (11).

Na Libertadores, ele fechou sua participação no torneio com cinco bolas na rede – marcados em seus últimos sete jogos disputados na competição –, sagrando-se assim o principal artilheiro do Verdão no Continental, ao lado de Luiz Adriano. O camisa 11 também coroou a edição campeã sendo o garçom máximo da edição 2020 do Continental, dentre todos os clubes, com oito passes a gol, além de ser também o líder isolado em participação em gols no torneio sul-americano, com 13 ações (ou seja, gols e assistências somadas – no caso, oito passes a gol e cinco bolas na rede).

E como deu assistência pela Libertadores no jogo do título (sendo este o seu passe a gol mais recente), somada às oito que já possuía (uma delas pelo Brasileiro, as outras todas pela Libertadores), Rony chegou a nove assistências na temporada atual e, com isso, atualmente é o vice-líder em passes a gols gerais dentre os palmeirenses, atrás de Gabriel Menino, com dez, e à frente de Viña e Gustavo Scarpa (ambos com oito) e de Zé Rafael (com sete).

Dentre o elenco palmeirense, o atleta chegou a 19 participações (ou seja, gols e assistências somadas), com 11 gols e oito passes e, com isso, é o quarto melhor colocado no quesito, atrás só de Raphael Veiga (com 20, 18 gols e duas assistências), de Luiz Adriano e Willian, ambos com 24 (Luiz Adriano tem 20 gols e quatro passes, enquanto Willian soma 18 gols e seis passes).

Departamento de Comunicação

Embora o Campeonato Brasileiro esteja em sua 37ª rodada, Palmeiras e São Paulo colocaram em dia jogo em atraso pela 34ª rodada do Nacional – na semana passada, por estar no Catar na disputa da Copa do Mundo de Clubes da FIFA, o Verdão, além do duelo contra o Tricolor, também não pôde enfrentar o Coritiba naquela ocasião pela 35ª rodada – contra o Coxa, o duelo foi colocado em disputa na última quarta-feira (17).

Clique aqui para ver a ficha técnica, estatísticas e tudo sobre o jogo!

E na noite desta sexta-feira, no Morumbi, as equipes empataram por 1 a 1 – o São Paulo saiu na frente com gol de Luciano, de pênalti, aos 28 do segundo tempo, em jogada analisada pelo VAR, que constatou braço de Mayke na bola dentro da área. Entretanto, a polêmica da partida ficou pelo fato de o zagueiro tricolor Bruno Alves também ter cometido uma clara penalidade em Luiz Adriano no primeiro tempo, esta, porém, não teve interferência do VAR, mesmo o árbitro Leandro Pedro Vuaden, que não apitou a infração, estando longe do lance.

O Palmeiras buscou o empate com Rony, nos acréscimos, após receber bola pela esquerda, enfrentar Juanfran e vencer do goleiro Volpi, batendo de pé direito, de dentro da área, sem chances para o goleiro são paulino.

Desde que Gustavo Gómez e Deyverson marcaram os gols diante do São Paulo por 2 a 0 pelo Brasileiro de 2018, quebrando um jejum sem vitórias sobre o rival no local desde 2002 (um total de 24 jogos), o Palmeiras nunca mais perdeu no Morumbi contra o São Paulo: voltou a jogar outras duas vezes, empatando por 0 a 0 e 1 a 1, respectivamente, ambos em 2019 (no 1 a 1, Dudu fez o do Verdão). Portanto, foram apenas contra o São Paulo a série invicta atual é de quatro jogos (uma vitória e três empates), igualando desta forma a maior série sem reveses no estádio do Morumbi contra o Tricolor neste século, quando, entre 2001 e 2002, o time também obteve quatro jogos invictos (com duas vitórias e dois empates).

E se for considerar o duelo no Morumbi pelo Brasileiro da atual temporada, contra o Santos, no qual o Palmeiras foi mandante, são cinco jogos invictos no local, independentemente do adversário (duas vitórias e três empates, pois, na ocasiã, o Alviverde bateu o Peixe por 2 a 1 em 23/08, com gols de Luiz Adriano e Patrick de Paula).

Vale destacar que o Palmeiras paga o preço por ter sido um bom time na temporada. Pelo fato de ir avançando a todos os jogos possíveis nas fases decisivas do Estadual, da Libertadores (campeão) e da Copa do Brasil (finalista), além do próprio Brasileiro, que já iria disputar as 38 partidas independentemente de seu desempenho, e da Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020, que, mesmo perdendo a semifinal contra o Tigres-MEX, ainda voltou a entrar em campo para a disputa do terceiro lugar, completando a grade de atuação nos jogos possíveis, o Verdão tenta se organizar em meio à maratona de jogos que dos quais vem participando.

Incluindo o torneio amistoso da Florida Cup no início da temporada 2020, foram até aqui, ao todo, 75 partidas referentes ao ano de 2020 (mesmo as disputadas em 2021 por competições de 2020), com 38 vitórias, 24 empates, 13 derrotas, 118 gols marcados e 53 gols sofridos.

ABEL FERREIRA: INVICTO EM CLASSICOS

Desde que chegou ao Verdão, no início de novembro de 2020, Abel Ferreira já acumula atuação contra os três rivais: primeiro contra o Corinthians, pelo Brasileirão, quando o time palmeirense goleou o rival alvinegro por 4 a 0 no dia 18 do último mês, no Allianz Parque (dois gols de Raphael Veiga e outros dois de Luiz Adriano).

O segundo clássico, ainda mais recentemente, foi contra o Santos, no último dia 30, pela final única da Libertadores no Maracanã: mais uma vitória, desta vez por 1 a 0, com gol de Breno Lopes nos acréscimos – o gol valeu o título do Continental ao Maior Campeão do Brasil.

Agora, Abel comandou o Palmeiras no clássico que faltava e não perdeu: o time do Verdão saiu perdendo do São Paulo com gol do Tricolor aos 28 do segundo tempo, com Luciano, de pênalti, mas buscou o empate nos minutos finais da partida, com Rony, nos acréscimos, após receber bola pela esquerda, enfrentar Juanfran e vencer do goleiro Volpi, batendo de pé direito, de dentro da área, sem chances para o goleiro são paulino.

RONY: ATUAÇÕES RECENTES

Rony vem acumulando ótimas participações em suas últimas partidas pelo time palmeirense. Além deste gol no clássico, que deixou tudo igual, Rony foi fundamental, dentre vários outros lances chave dos quais participou na temporada, no jogo que valeu ao Palmeiras o título da Libertadores da América, quando, nos acréscimos do segundo tempo, o camisa 11 colocou a bola na cabeça de Breno Lopes após lançamento em jogada que originou o gol do título.

Palmeiras: Weverton; Mayke, Luan Garcia, Gustavo Gómez e Viña; Patrick de Paula (Lucas Lima, aos 37’2ºT), Felipe Melo e Raphael Veiga (Gustavo Scarpa, aos 37’2ºT); Rony, Willian (Breno Lopes, aos 15’2ºT) e Luiz Adriano. Técnico: Abel Ferreira.

Gol (SEP): Rony, aos 46′ do 2ºT (1-1)

Cartões amarelos (SEP): Abel Ferreira (treinador), João Martins (auxiliar-técnico) e Gustavo Gómez.

Departamento de Comunicação

Pré-jogo: São Paulo x Palmeiras l Campeonato Brasileiro (34ª rodada)
Data e hora: 19/02/2021 (sexta-feira) l 21h30 (horário de Brasília)
Local: Morumbi (PR)
Transmissão: Premiere
Pendurados: Abel Ferreira (treinador); Renan, Danilo, Breno Lopes, Patrick de Paula, Felipe Melo, Lucas Esteves, Luan, Lucas Lima, Gustavo Scarpa, Wesley, Rony, Mayke e Luiz Adriano
Suspenso: Kuscevic
Em tratamento:
 Gabriel Veron (lesão na coxa esquerda) e Luan Silva (cirurgia no joelho esquerdo)
Escalação do último jogo: (Coritiba 0 x 1 Palmeiras, em 17/02/2021, pelo Brasileirão): Vinicius Silvestre, Marcos Rocha, Kuscevic, Alan Empereur e Renan; Danilo (Breno Lopes, 37’/2ºT),  Gabriel Menino (Raphael Veiga, 16’/2ºT), Lucas Lima (Patrick de Paula, 16’/2ºT), Gustavo Scarpa (Luiz Adriano, 16’/2ºT) e Lucas Esteves; Willian (Rony, intervalo)

Embora o Campeonato Brasileiro esteja em sua 37ª rodada, Palmeiras e São Paulo colocam em dia jogo em atraso pela 34ª rodada do Nacional – na semana passada, por estar no Catar na disputa da Copa do Mundo de Clubes da FIFA, o Verdão, além do duelo contra o Tricolor, também não pôde enfrentar o Coritiba naquela ocasião pela 35ª rodada – jogo colocado em disputa na última quarta-feira (17). Desta vez, o Verdão vai ao Morumbi para enfrentar os donos da casa.

Campeão da CONMEBOL Libertadores no dia 30 do último mês, após bater o Santos nos minutos finais por 1 a 0 com gol de Breno Lopes, no Maracanã, o Palmeiras, que também já ganhou o Paulista na temporada, sobre o Corinthians, ainda tem duas finais em curso (Copa do Brasil, contra o Grêmio, e da Recopa, diante do atual campeão Sul-Americano, o Defensa y Justicia-ARG), além de uma possível decisão da Supercopa do Brasil, pois, caso conquiste a Copa do Brasil sobre o Grêmio, irá enfrentar o campeão brasileiro na disputa da taça nacional.

De todas as equipes da elite do futebol brasileiro na temporada de 2020, aliás, o Palmeiras é o único clube que conseguiu disputar todos os jogos possíveis até aqui, pois avançou em todos os torneios dos quais participou: Florida Cup, Paulista, Copa do Brasil e Libertadores, além do próprio brasileiro, que já iria disputar as 38 partidas independentemente de seu desempenho, e da Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020, que, mesmo perdendo a semifinal contra o Tigres-MEX, ainda voltou a entrar em campo para a disputa do terceiro lugar, completando a grade de atuação nos jogos possíveis. São, ao todo, 74 partidas até aqui, com 38 vitórias, 23 empates, 13 derrotas, 117 gols marcados e 52 gols sofridos.

SEGUNDO CLUBE COM MAIS PONTOS NAS ÚLTIMAS TRÊS EDIÇÕES DO BRASILEIRO

O Palmeiras é a segunda equipe que mais soma pontos no Campeonato Brasileiro desde 2018, ano em que foi decacampeão. Neste período, o Verdão conquistou 210 pontos, ficando logo à frente do Internacional, com 195, e atrás somente do Flamengo, atual campeão, com 230.

Retrospecto do Palmeiras em Campeonato Brasileiro: 1441 jogos, 651 vitórias, 402 empates, 388 derrotas, 2112 gols marcados e 1543 gols sofridos
– Títulos: 10 (1960 – Taça Brasil, 1967 – Taça Brasil, 1967, 1969, 1972, 1973, 1993, 1994, 2016 e 2018). É o único decacampeão brasileiro da história.
– Vice-campeonatos: 4 (1970, 1978, 1997 e 2017)
– Participação em 2019: 3ª colocado com os mesmos 74 pontos do vice Santos, mas com uma vitória a menos (21 triunfos, 11 empates e apenas seis derrotas, sendo o segundo time que menos perdeu, o segundo melhor ataque com 61 gols e segunda melhor defesa com só 32 sofridos).
– Primeiro jogo: 09/11/1960 – Palmeiras 0x0 Fluminense – Pacaembu (São Paulo-SP)
– Último jogo: 17/02/2021 – Coritiba 1×0 Palmeiras – Couto Pereira (Curitiba-PR)
Na ocasião, o técnico Abel Ferreira mandou a campo Vinicius Silvestre, Marcos Rocha, Kuscevic, Alan Empereur, Renan, Esteves, Danilo (Breno Lopes, 37’/2ºT), Gabriel Menino (Luiz Adriano, 17’/2ºT), Lucas Lima (Patrick de Paula, 17’/2ºT), Gustavo Scarpa (Raphael Veiga, 17’/2ºT), Willian (Rony, 64’/1ºT).
– Maior série invicta: 33 jogos (entre 29/07/2018 e 13/07/2019). É a terceira maior série invicta da história da competição, atrás apenas do Santa Cruz (35 jogos invictos entre 1977 e 1978) e do Botafogo (42 jogos, também entre 1977 e 1978).
– Maior série de vitórias: oito vitórias (entre 30/09/1993 e 06/11/1993)
– Maior sequência sem sofrer gols: 10 jogos (entre 07/10/1973 e 15/11/1973)
– Adversários mais frequentes: Santos e Internacional (75 jogos)
– Maior vítima: Grêmio (33 vitórias)
– Maior goleada: 31/03/1984 – Palmeiras 7×0 CRB-AL (gols de Jorginho três vezes, Reinaldo Xavier duas vezes, Vagner Bacharel e Márcio) – Morumbi (São Paulo-SP)
– Jogador que mais jogou no Brasileiro: Emerson Leão (232)
– Jogador do atual elenco que mais jogou no Brasileiro: Willian (111)
– Jogador que mais fez gols no Brasileiro: César Maluco (61)
– Jogador do atual elenco que mais fez gols no Brasileiro: Willian (28)
– Técnico que mais dirigiu o Palmeiras no Brasileiro: Luiz Felipe Scolari (203)

MELHOR DEFESA ENTRE TODOS OS CLUBES NA TEMPORADA

No geral da temporada, a média de 0,71 gol sofrido por partida de campeonato (51 gols em 72 jogos, sem contar torneios amistosos) coloca o Verdão na primeira posição entre os clubes com menor índice de gols sofridos no ano, superando o Internacional, com 0,82 (54 gols em 66 jogos).

Considerando as partidas da Florida Cup, na pré-temporada, foram 52 gols sofridos em 74 jogos no total, média de 0,70 por partida, que coloca a atual temporada em 10º lugar no ranking dos anos com menor média de gols sofridos na história do Palmeiras, atrás de 1991, com 0,69 (49 gols sofridos em 71 jogos); a temporada de 1972 é a líder no quesito, com apenas 0,54 tento cedido por partida (44 gols sofridos em 81 partidas).

O Verdão tem ainda a terceira melhor defesa da atual temporada como visitante, com média de 0,82 gol sofrido por jogo (27 em 33 partidas), atrás apenas do Grêmio, com 0,77 (27 em 35), e do Internacional, com 0,81 (26 em 32 partidas). Além disso, passou 42,4% dos jogos fora de casa sem sofrer gols (14 de 33) – é o quarto melhor índice entre todos os clubes, atrás do Grêmio, com 51,4% (18 de 35 jogos), do Internacional, com 46,8% (15 de 32 jogos), e do Ceará, com 44,1% (15 de 34 jogos).

QUARTO TIME COM MENOS DERROTAS ENTRE TODOS OS CLUBES NA TEMPORADA

Excluindo amistosos e torneios amistosos e somando todas as partidas de campeonato disputadas pelos participantes da Série A na temporada atual, o Palmeiras é o quarto clube com o menor número de derrotas no ano (13), atrás apenas de Flamengo, Atlético-MG e Grêmio (todos com 12), e possui também o segundo menor percentual (18% – 13 revezes em 72 jogos – contra 17,1% do primeiro colocado Grêmio – 12 em 70).

Até o tropeço diante do Botafogo, no início de outubro, o Palmeiras vinha de 20 jogos sem perder, registrando a maior invencibilidade do clube nos últimos oito anos e a terceira maior série invicta de um time a partir da estreia em uma edição de pontos corridos do Campeonato Brasileiro, com 12 partidas seguidas sem derrota, atrás apenas do Flamengo de 2011, com 15, e do Corinthians de 2017, com 19.

TERCEIRO MELHOR APROVEITAMENTO ENTRE TODOS OS CLUBES NA TEMPORADA

O Palmeiras possui o terceiro melhor aproveitamento de pontos entre todos os clubes da elite do país nesta temporada: 61,5% (72 jogos de campeonato, 37 vitórias, 22 empates e 13 derrotas) – em primeiro lugar, aparece o Flamengo, com 69,6% (68 jogos, 43 vitórias, 13 empates e 12 derrotas), seguido pelo Internacional, com 62,6% (66 jogos, 36 vitórias, 16 empates e 14 derrotas). Como visitante, o Verdão tem o quinto melhor aproveitamento: 52,5% (33 jogos, 14 vitórias, dez empates e nove derrotas) – antes, aparece o Flamengo, com 66,6% (34 jogos, 20 vitórias, oito empates e seis derrotas), o Ceará, com 55,8% (34 jogos, 16 vitórias, nove empates e nove derrotas), o Grêmio, com 53,3% (35 jogos, 13 vitórias, 14 empates e oito derrotas), e o Internacional, com 53,1% (32 jogos, 13 vitórias, 12 empates e sete derrotas).

NÚMEROS GERAIS NA TEMPORADA
J: 74
V: 38
E: 23
D: 13
GP: 117
GC: 52

NÚMEROS NO BRASILEIRO
J: 35
V: 15
E: 11
D: 9
GP: 49
GC: 33

NÚMERO NA LIBERTADORES
J: 13
V: 10
E: 2
D: 1
GP: 33
GC: 6

NÚMEROS NA COPA DO BRASIL
J: 6
V: 4
E: 2
D: 0
GP: 12
GC: 4

NÚMEROS NO PAULISTA

J: 16
V: 8
E: 6
D: 2
GP: 21
GC: 7

NÚMEROS NA FLORIDA CUP
J: 2
V: 1
E: 1
D: 0
GP: 2
GC: 1

NÚMEROS NO MUNDIAL DE CLUBES
J: 2
V: 0
E: 1
D: 1
GP: 0
GC: 1

PALMEIRAS SÓ PERDEU UM DOS ÚLTIMOS 11 JOGOS PARA O SÃO PAULO

Antes do Choque-Rei mais recente, o Palmeiras havia ficado dez jogos sem perder para o rival tricolor, independentemente do mando. Entre agosto de 2017 e janeiro de 2020, foram seis vitórias alviverdes e quatro empates (sendo cinco partidas no Allianz Parque, três no Morumbi, uma no Pacaembu e outra na Arena da Fonte Luminosa), com 16 gols marcados e quatro sofridos. Essa foi a maior série invicta do Palmeiras frente o rival em toda a história, superando os nove jogos sem derrota entre 1975 e 1977 (quatro vitórias e cinco empates). Pelo Campeonato Brasileiro, o Palmeiras venceu no segundo turno de 2017, nos dois turnos de 2018 e no returno de 2019, empatando no turno de 2019.

PALMEIRAS NÃO PERDE PARA O SÃO PAULO NO MORUMBI HÁ TRÊS JOGOS

Desde que Gustavo Gómez e Deyverson marcaram os gols diante do São Paulo pelo Brasileiro de 2018, quebrando um jejum sem vitórias sobre o rival no local desde 2002, o Palmeiras nunca mais perdeu no Morumbi contra o São Paulo: voltou a jogar outras duas vezes, empatando por 0 a 0 e 1 a 1, respectivamente, ambos em 2019 (no 1 a 1, Dudu fez o do Verdão).

PALMEIRAS LEVA VANTAGEM SOBRE O SÃO PAULO NO BRASILEIRÃO E FICOU 27 ANOS SEM PERDER PARA O RIVAL PELO TORNEIO NACIONAL

Um dado chama a atenção nos jogos entre Palmeiras e São Paulo pelo Campeonato Brasileiro. O Verdão ficou sem ser derrotado pelo time do Morumbi entre os jogos de 20/02/1974 (empate por 0 a 0) e de 03/10/1999 (outro empate por 0 a 0), totalizando incríveis 24 partidas invictas pela principal competição nacional, com 11 vitórias e 13 empates (38 gols marcados e 20 sofridos). No retrospecto geral pelo Brasilerão, o Verdão também leva ampla vantagem: 69 jogos, 24 vitórias, 29 empates e apenas 16 derrotas, com 89 gols marcados contra 75 que sofreu.

– Retrospecto geral contra o São Paulo: 318 jogos, 106 vitórias, 103 empates, 109 derrotas, 412 gols marcados e 410 gols sofridos
– Primeiro jogo: 19/04/1936 – Palestra Italia 2×3 São Paulo (gols de Imparato e Lara) – Parque Antarctica (São Paulo-SP) – Torneio Início do Campeonato Paulista
– Primeira vitória: 25/10/1936 – Palestra Italia 3×0 São Paulo (gols de Mathias e Rolando duas vezes) – Parque Antarctica (São Paulo-SP) – Campeonato Paulista
– Último jogo: 10/10/2020 – Palmeiras 0×2 São Paulo – Allianz Parque (São Paulo-SP) – Campeonato Brasileiro. Na ocasião, o técnico Vanderlei Luxemburgo mandou a campo Weverton; Jailson, Marcos Rocha, Felipe Melo, Luan Garcia e Lucas Esteves (Danilo, aos 24’/2ºT); Patrick de Paula, Zé Rafael (Ramires, aos 24’/2ºT), Raphael Veiga (Gustavo Scarpa, aos 14’/2ºT) Lucas Lima; Wesley (Gabriel Veron, aos 14’/2ºT) e Willian (Luiz Adriano, aos 14’/2ºT)
– Última vitória: 30/10/2019 – Palmeiras 3×0 São Paulo (gols de Bruno Henrique, Felipe Melo e Gustavo Scarpa) – Allianz Parque (São Paulo-SP) – Campeonato Brasileiro. Na ocasião, o técnico Mano Menezes mandou a campo Weverton; Marcos Rocha (Jean 21’/2ºT), Gustavo Gómez, Vitor Hugo e Diogo Barbosa; Felipe Melo (Thiago Santos 22’/2ºT), Bruno Henrique e Gustavo Scarpa; Dudu, Deyverson e Zé Rafael (Willian 29’/2ºT).
– Maior série invicta do Palmeiras: 10 jogos – seis vitórias e quatro empates (desde 27/08/2017 até agora)
– Maior série de vitórias: 6 vitórias para ambos os lados, porém o Verdão o fez duas vezes, enquanto o Tricolor apenas uma (o Alviverde emplacou seis triunfos entre 25/07/1937 e 22/12/1938 e, depois, entre 16/07/1995 e 29/03/1997).
– Maior sequência sem sofrer gols: Palmeiras, quatro jogos em três ocasiões (primeiro, entre 25/02/1972 e 22/11/1972; depois, entre 02/07/1995 e 14/02/1996; e, por fim, entre 06/10/2018 e 07/04/2019)
– Maior goleada do Palmeiras: 19/05/1965 – Palmeiras 5×0 São Paulo (gols de Servílio duas vezes, Dario duas vezes e Rinaldo) – Estádio Palestra Italia (São Paulo-SP) – Campeonato Brasileiro
– Jogador com mais jogos: Ademir da Guia (53)
– Jogador do atual elenco com mais jogos: Willian e Felipe Melo (10)
– Jogador com mais gols: Evair (9)
– Jogador do atual elenco com mais gols: Willian (4)
– Técnico com mais jogos: Vanderlei Luxemburgo (26)

– Retrospecto contra o São Paulo no Brasileiro: 69 jogos, 24 vitórias, 29 empates, 16 derrotas, 89 gols marcados e 75 gols sofridos
– Primeiro jogo: 06/05/1967 – Palmeiras 0×0 São Paulo – Pacaembu (São Paul-SP)
– Primeira vitória: 20/09/1970 – São Paulo 0×2 Palmeiras (gols de Edu Bala e Ademir da Guia) – Morumbi (São Paulo-SP)
– Último jogo: 10/10/2020 – Palmeiras 0×2 São Paulo – Allianz Parque (São Paulo-SP) – Campeonato Brasileiro
– Última vitória: 30/10/2019 – Palmeiras 3×0 São Paulo (gols de Bruno Henrique, Felipe Melo e Gustavo Scarpa) – Allianz Parque (São Paulo-SP)
– Maior sequência invicta: Palmeiras, 25 jogos – 11 vitórias e 14 empates (entre 20/02/1974 e 03/10/1999)
– Maior série de vitórias: 
Palmeiras, quatro triunfos (entre 26/11/1995 e 26/07/1998)
– Maiores goleadas: Palmeiras 4 a 0 em duas ocasiões: 08/03/1992 (gols de Evair duas vezes, Andrei e Edu Marangon), no Morumbi, e 28/06/2015 (gols de Leandro Pereira, Victor Ramos, Rafael Marques e Cristaldo), no Allianz Parque.
– Jogador com mais jogos: Emerson Leão (13)
– Jogador do atual elenco com mais jogos: Felipe Melo e Willian (7)
– Jogador com mais gols:
 Willian (4)
– Jogador do atual elenco com mais gols: Willian (4)
– Técnicos com mais jogos:
 Luiz Felipe Scolari e Vanderlei Luxemburgo (9)

ABEL FERREIRA: 100% DE APROVEITAMENTO EM CLÁSSICOS

Desde que chegou ao Verdão, no início de novembro de 2020, Abel Ferreira disputou apenas dois clássicos: um deles contra o Corinthians, pelo Brasileirão, quando o time goleou por 4 a 0 no dia 18 do último mês, no Allianz Parque (dois gols de Raphael Veiga e outros dois de Luiz Adriano) e, depois, ainda mais recentemente, contra o Santos, no último dia 30, pela final única da Libertadores no Maracanã (gol de Breno Lopes e título do Continental conquistado).

Desde que chegou ao Verdão, Abel disputou dois clássicos: vitória por 4 a 0 contra o Corinthians, pelo Brasileiro, e triunfo por 1 a 0 sobre o Santos, pela final da Libertadores (Cesar Greco/Palmeiras)

Sozinho, o técnico Abel Ferreira, que assumiu o time em 05/11/2020 em um jogo que valia classificação para as quartas de final da Copa do Brasil (vitória por 1 a 0 diante do RB Bragantino, com gol de Gabriel Veron), soma desde então 27 jogos, 15 vitórias, cinco empates e sete derrotas. Apenas pelo Brasileirão, são 15 jogos, sete vitórias, três empates e cinco revezes.

Considerando toda a era Abel Ferreira (incluindo jogos comandados pelos auxiliares, nos quais, ou o treinador esteve fora por ter contraído Covid-19 ou por estar suspenso), foram 31 partidas disputadas: 16 vitórias, oito empates e sete derrotas. Os jogos comandados pelos auxiliares foram: Ceará 2×2 Palmeiras no Castelão, em 18/11, resultado que valeu classificação do Verdão às semifinais da Copa do Brasil, com Vitor Castanheira (na ocasião, Abel Ferreira estava suspenso e João Martins, substituto imediato de Abel, estava infectado com coronavírus); depois, em 05/12 (empate por 2 a 2 com o Santos, fora de casa, Brasileiro), em 08/12 (empate por 1 a 1 com o Libertad-PAR, fora de casa, Libertadores) e em 12/12 (vitória por 3 a 0 contra o Bahia, em casa, Brasileiro), foi João Martins quem dirigiu o time, nestes três jogos seguidos, pois Abel Ferreira estava com Covid-19.

Abel é o primeiro português, o oitavo europeu e o 23º estrangeiro a assumir o comando do Maior Campeão do Brasil na história. O último treinador alviverde nascido na Europa tinha sido o italiano Caetano De Domenico, que conquistou o Campeonato Paulista de 1940 e permaneceu no Palestra Italia até 1941, portanto ainda antes da mudança do nome do clube, em 1942 (o penúltimo, o húngaro Eugênio Medgyessy, também sagrou-se campeão, no estadual de 1932). Já o mais recente comandante de fora do país era o argentino Ricardo Gareca, em 2014.

O primeiro técnico estrangeiro foi o italiano Adriano Merlo, que trabalhou em um jogo da campanha do título paulista de 1920, o primeiro da história alviverde, e conduziu a equipe ao bi estadual em 1926, em parceria com Ítalo Bosetti. Ainda na época do Palestra Italia, o uruguaio Humberto Cabelli ficou marcado pela conquista do único tricampeonato paulista do clube (alcançou o título invicto em 1932, levou a taça pela segunda vez seguida em 1933 e deixou o time por um breve período em 1934, mas voltou no mesmo ano e se sagrou campeão com apenas uma derrota).

Presente no tricampeonato paulista de 1932, 1933 e 1934 como jogador, o também uruguaio Ventura Cambon se tornou o treinador estrangeiro com mais partidas disputadas pelo Verdão (é o quarto no geral com 294 jogos) e o técnico que mais vezes assumiu o comando da equipe, de maneira interina ou efetiva, independentemente da nacionalidade, em todos os tempos (15 no total). Campeão paulista em 1944 dividindo o cargo com o ídolo Bianco, Cambon teve seu melhor momento no início da década de 50, quando, já em janeiro de 1951, pegou o time na reta final de um Paulistão praticamente nas mãos do São Paulo e conseguiu levar o Palmeiras ao título estadual de 1950. Meses depois, era ele o treinador na conquista do mais importante troféu da história do clube, o mundial de 1951, e faturou ainda o Torneio Rio-São Paulo daquele ano.

Outro estrangeiro de sucesso foi o argentino Filpo Nuñez, grande maestro da Academia de Futebol do Palmeiras, que brilhou na campanha vitoriosa do Rio-São Paulo de 1965. Além de praticar um jogo coletivo e envolvente, o time alviverde era uma máquina ofensiva: foram 12 vitórias em 16 jogos, apenas uma derrota, e uma média de três gols por partida (49 bolas na rede), com direito a goleadas de 7 a 1 no Santos, 5 a 0 no São Paulo e 4 a 1 no Vasco e no Flamengo. Filpo ostenta até hoje o feito de ser o único técnico nascido fora do país a comandar a Seleção Brasileira, quando o Brasil foi inteiramente representado pelo Palmeiras na partida inaugural do Estádio Mineirão, também em 1965, e venceu a seleção do Uruguai por 3 a 0.

ELENCO TEM UM BICAMPEÃO BRASILEIRO PELO VERDÃO, 11 CAMPEÕES E NOVE ESTREANTES

Do atual elenco profissional, apenas o goleiro Jailson participou dos dois títulos brasileiros do Palmeiras nesta década, em 2016 e 2018 – na primeira conquista, inclusive, ele foi decisivo ao substituir Fernando Prass na metade final e terminar a competição com 19 jogos de invencibilidade, faturando a Bola de Prata como melhor da posição no campeonato. O goleiro Vinicius – que reestreou pelo Verdão na partida mais recente do time– também fez parte do grupo eneacampeão e depois jogou em outros clubes antes de retornar em 2020.

A conquista do deca, em 2018, contou com as participações de Weverton, Felipe Melo, Gustavo Gómez, Luan, Emerson Santos, Marcos Rocha, Mayke, Gustavo Scarpa, Lucas Lima e Willian, além de Jailson. Destes, Weverton e Mayke conquistaram a Bola de Prata em 2018, enquanto Gómez foi o único do atual plantel a ser premiado em 2019.

Os que passaram a figurar no elenco em 2019 e agora disputam o segundo Brasileiro seguido pelo Palmeiras são o lateral-esquerdo Lucas Esteves, os meio-campistas Zé Rafael e Raphael Veiga e os atacantes Luiz Adriano, Gabriel Veron e Luan Silva (em tratamento de uma cirurgia no joelho esquerdo, o camisa 9 ainda não jogou na competição).

Em 2020, nove jogadores profissionais disputam pela primeira vez um Campeonato Brasileiro com a camisa do Palmeiras: Matías Viña, Rony, Alan Empereur, Benjamín Kuscevic, Breno Lopes, Gabriel Menino, Patrick de Paula, Wesley e Danilo. O lateral-esquerdo Viña, os zagueiros Alan Empereur e Kuscevic e os atacante Rony e Breno Lopes chegaram ao clube nesta temporada, enquanto os meio-campistas Gabriel Menino e Patrick de Paula e o atacante Wesley, formados no Verdão, estavam na conquista do Campeonato Brasileiro Sub-20 em 2018, quando o Palmeiras se tornou o primeiro clube da história a conquistar os Brasileiros Sub-20 e Profissional na mesma temporada, e foram integrados ao time principal em janeiro deste ano. Já o volante Danilo, alçado da base neste segundo semestre, é a mais recente Cria da Academia integrante do elenco profissional e fez seu primeiro gol pela Libertadores, além de conceder uma assistência no mesmo jogo.

#CRIASDAACADEMIA: ATUAL TEMPORADA É A MAIOR EM TERMOS DE UTILIZAÇÃO DE ESTREANTES DA BASE NO SÉCULO

Além dos 27 jogadores que compõem o elenco profissional atualmente, dois jovens do Sub-20 também vêm sendo aproveitados com frequência: o zagueiro Renanque foi relacionado para 33 dos 44 jogos mais recentes e atuou em nove (sete como titular), e o atacante Gabriel Silva, relacionado para 38 dos últimos 57 jogos e presente em campo em 16.

Ao todo, considerando também os atletas que estão efetivados no plantel principal, 13 Crias da Academia estrearam pelo Palmeiras na temporada atual. Na ordem, foram a campo Patrick de Paula, Gabriel Menino, Wesley, Alan, Angulo (emprestado ao Botafogo), Gabriel Silva, Danilo, Renan, Aníbal, Marcelinho, Fabrício, Pedro Acácio e Vanderlan. Juntos, eles somam 205 jogos e fizeram da temporada atual a que o Palmeiras mais colocou jovens estreantes da base para atuar no século, superando as 103 partidas de 11 pratas da casa debutantes em 2010.

Diante do Coritiba, em outubro de 2020, pelo Campeonato Brasileiro, cinco Crias da Academia foram escaladas no time titular: Renan, Esteves, Patrick de Paula, Gabriel Menino e Gabriel Veron – isso não acontecia desde 2015. Já contra o Delfín-EQU, na partida de ida das oitavas de final da Libertadores, os 11 suplentes eram oriundos do Centro de Formação de Atletas do Verdão, feito inédito na história do clube.

Durante o mês de novembro de 2020, dez Crias da Academia foram relacionadas pela primeira vez: os goleiros Mateus e Leandro, o zagueiro Helder, o lateral-esquerdo Vanderlan, os meio-campistas Quiñonez e Juninho e os atacantes Marino, Aníbal, Pedro Acácio e Fabricio. Eles se juntaram ao meio-campista Vitinho e ao atacante Marcelinho, que já haviam sido convocados ao longo do ano, além de Renan e Gabriel Silva. Para o clássico do dia 05 de dezembro, contra o Santos, Ramon Cesar e Ramon Rocha foram acrescentados à lista, somando 16 no total.

>> Gabriel Silva: titular pela primeira vez no time profissional do Verdão há seis jogos, diante do Ceará, 32ª rodada do Brasileiro (depois tornou a ser titular contra o Vasco da Gama no jogo seguinte, em casa, e entrou no empate com o Botafogo por 1 a 1, em casa), o atacante de 18 anos chegou ao clube aos 13, em 2015, e tem no currículo dois títulos do mundial de clubes Sub-17 – nas duas finais, aliás, ele deixou sua marca: primeiro na vitória por 4 a 2 sobre o Real Madrid na decisão de 2018, na Espanha, e depois na vitória por 2 a 1 sobre o Leganés-ESP em 2019, também na Espanha. Campeão paulista Sub-15, Sub-17, Sub-20 e Profissional pelo Verdão, marcou 40 gols em 46 jogos atuando pelo Sub-17 e pelo Sub-20 em 2019 e se destacou também por balançar as redes em todas as finais nacionais que disputou na temporada passada: Paulista Sub-17 (vice-campeão), Copa do Brasil Sub-17 (campeão), Supercopa do Brasil Sub-17 (campeão), Paulista Sub-20 (campeão), Brasileiro Sub-20 (vice-campeão) e Supercopa do Brasil Sub-20 (vice-campeão). Neste ano, tem seis gols em sete jogos entre Brasileiro Sub-20 e Copa do Brasil Sub-20.

>> Renan: o jovem de 18 anos conquistou importantes títulos pela base do Palmeiras e da Seleção Brasileira desde o Sub-15 – entre eles, o bicampeonato paulista sub-15 (2016 e 2017), o Campeonato Paulista Sub-17 (2018), a Copa do Brasil Sub-17 (2019), a Supercopa do Brasil Sub-17 (2019) e o bicampeonato do mundial de clubes Sub-17 (2018 e 2019), pelo Verdão, além da Copa do Mundo Sub-17 em 2019, pelo Brasil. Ele chegou ao Palmeiras em 2015, aos 13 anos de idade, começou a jogar de lateral-esquerdo no início de 2019 por decisão do técnico Artur Itiro e agradou. Ganhou a polivalência como uma de suas características.

Números individuais na temporada:

– Mais jogos no geral: Willian (216); Felipe Melo (177); Lucas Lima (160); Weverton (155); Marcos Rocha (141); Luan (127)
– Mais jogos na temporada atual: Willian (67); Weverton (66); Zé Rafael (61); Raphael Veiga e Gabriel Menino (59); Gustavo Gómez (54)
– Mais jogos no Brasileiro 2020: Willian (30); Weverton (27)
– Mais jogos na Libertadores 2020: Weverton e Gustavo Gómez (13)
– Mais jogos na Copa do Brasil 2020: Raphael Veiga e Willian (6)

– Mais gols no geral: Willian (56); Luiz Adriano (27); Raphael Veiga (25); Gustavo Scarpa (23); Gustavo Gómez (13); Felipe Melo e Zé Rafael (12); Lucas Lima e Gabriel Veron (11); Rony (10)
– Mais gols na temporada atual: Luiz Adriano (20); Raphael Veiga e Willian (18); Rony (10); Gabriel Veron (9); Zé Rafael, Gustavo Gómez e Patrick de Paula (5); Wesley e Gustavo Scarpa (4); Breno Lopes, Lucas Lima e Gabriel Menino (3); Viña, Marcos Rocha e Dudu (2); Ramires, Felipe Melo, Danilo e Emerson Santos (1)
– Mais gols no Brasileiro 2020: Raphael Veiga (11); Luiz Adriano (10); Willian (7); Rony e Gabriel Veron (4); Patrick de Paula (3); Breno Lopes, Zé Rafael e Wesley (2); Gustavo Gómez, Gustavo Scarpa, Lucas Lima e Emerson Santos (1)
– Mais gols na Libertadores 2020: Rony e Luiz Adriano (5); Willian (4); Gabriel Menino e Gabriel Veron (3); Raphael Veiga, Zé Rafael, Gustavo Gómez e Viña (2); Wesley, Patrick de Paula, Danilo, Breno Lopes e Gustavo Scarpa (1)
– Mais gols na Copa do Brasil 2020: Raphael Veiga (4); Gabriel Veron e Luiz Adriano (2); Gustavo Scarpa, Wesley, Gustavo Gómez e Rony (1)

– Mais assistências no geral: Willian (22); Lucas Lima (21); Marcos Rocha (20); Gustavo Scarpa (16) e Zé Rafael (12)
– Mais assistências na temporada atual: Gabriel Menino e Rony (9); Viña (8); Zé Rafael e Gustavo Scarpa (7); Willian e Wesley (6); Marcos Rocha, Gabriel Veron e Lucas Lima (5); Luiz Adriano (4); Dudu (3); Raphael Veiga e Danilo (2); Bruno Henrique, Gustavo Gómez, Patrick de Paula, Gabriel Silva, Felipe Melo e Mayke (1)
– Mais assistências no Brasileiro 2020: Gabriel Menino (6); Willian e Gustavo Scarpa (4); Zé Rafael, Luiz Adriano e Viña (3); Gabriel Veron, Lucas Lima e Wesley (2); Raphael Veiga, Mayke, Gustavo Gómez e Patrick de Paula (1)
– Mais assistências na Libertadores 2020: Rony (8); Wesley, Gustavo Scarpa e Viña (3), Danilo e Dudu (2); Willian, Gabriel Menino, Gabriel Veron, Raphael Veiga, Gabriel Silva e Marcos Rocha (1)
– Mais assistências na Copa do Brasil 2020: Zé Rafael (2); Viña, Lucas Lima, Gabriel Veron, Felipe Melo, Rony e Marcos Rocha (1)

– Mais vezes capitão do time na temporada atual: Felipe Melo (32); Gustavo Gómez (20); Weverton e Willian (8); Luiz Adriano (4); e Bruno Henrique (2)
– Último hat-trick: Luiz Adriano (10/03/2020 – Palmeiras 3×1 Guaraní-PAR – Allianz Parque, em São Paulo-SP – Libertadores)
– Último gol de falta: Gustavo Scarpa (14/02/2021 – Palmeiras 3×0 Fortaleza– Allianz Parque, em São Paulo – Campeonato Brasileiro)
– Último gol de pênalti em tempo regulamentar: Raphael Veiga (12/12/2020 – Palmeiras 3×0 Bahia – Allianz Parque – Campeonato Brasileiro)
– Último gol de pênalti em disputa de penais: Gustavo Gómez, (13/02/2021 – Palmeiras 0 (2)x(3) 0 Al Ahly-EGI – Education City Stadium, em Doha, no Catar) – Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020
– Última defesa de pênalti em tempo regulamentar: Weverton (02/11/2019 – Palmeiras 1×0 Ceará – Allianz Parque, em São Paulo-SP – Campeonato Brasileiro)
– Última defesa de pênalti em disputa de penais: Weverton (11/02/2021 – Palmeiras 0 (2)x(3) 0 Al Ahly-EGI – Education City Stadium, em Doha, no Catar) – Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020

WILLIAN: ARTILHEIRO PALMEIRENSE EM CLÁSSCOS E CONTRA O SÃO PAULO; ARTILHEIRO MÁXIMO DO ATUAL ELENCO E VICE DA TEMPORADA; JOGADOR MAIS ASSÍDUO NA TEMPORADA; LÍDER PALMEIRENSE EM PARTICIPAÇÕES

Principal artilheiro do atual elenco do Palmeiras em clássicos, com sete gols, Willian também é o principal artilheiro especificamente contra o São Paulo, com quatro bolasna rede – todos pelo Brasileiro, números que fazem dele ainda o maior artilheiro alviverde ante o Tricolor pela competição nacional em todos os tempos (os outros três gols em clássicos foram contra o Santos).

Principal artilheiro do atual elenco em clássicos, com sete gols, Willian também é o principal artilheiro contra o São Paulo, com quatro tentos (Cesar Greco/Palmeiras)

O atacante segue como o atleta mais assíduo do Verdão na atual temporada: atuou em 67 dos 74 compromissos possíveis, seguido lado de Weverton, com 66 atuações – no Brasileiro, também é quem mais jogou: 31 das 35 partidas possíveis até aqui, seguido de Weverton, com 27 duelos no Nacional.

Além disso, Willian é o vice-artilheiro do time na temporada (são 18 gols, ao lado de Raphael Veiga, ambos atrás de Luiz Adriano, com 20); é o terceiro artilheiro do time no Campeonato Brasileiro (sete, atrás de Luiz Adriano, com dez, e de Raphael Veiga, com 11) e o líder em participações diretas nos gols da temporada (24, somando-se 18 bolas na rede e seis assistências, ao lado de Luiz Adriano, com 24 – 20 gols e quatro passes).

Segundo maior artilheiro do Verdão na era dos pontos corridos com 28 bolas na rede (atrás apenas de Dudu, com 41) ele já entrou no top 10 dos que mais marcaram gols pelo clube em Brasileiros em todos os tempos (atualmente na 9ª posição, ao lado de Evair), o atacante é o segundo maior goleador do Palmeiras neste século com 56 tentos (atrás só de Dudu, com 70) e aparece na 47ª posição da lista dos maiores artilheiros da história alviverde, ao lado de Zinho.

Jogador do atual elenco com mais partidas (216, seguido por Felipe Melo, com 177), gols (56, seguido por Luiz Adriano, com 27, e por Raphael Veiga, 25) e assistências (22, seguido de Lucas Lima, com 21), Willian é o 68º no ranking dos atletas com mais jogos na história do clube e o 6º entre os que têm mais vitórias neste século, com 116 triunfos – completam o ranking: Márcio Araújo (5º, com 118), Valdivia (4º, com 122), Fernando Prass (3º, com 151), Dudu (2º colocado, com 174) e Marcos (líder com 182 vitórias).

As 216 partidas de Willian, inclusive, o colocam também no top 10 de palmeirenses com mais partidas neste século, na 6ª colocação, ao lado do volante Corrêa. Completam o ranking: o meia Valdivia (5º, com 241), o volante Márcio Araújo (4º, com 252), o goleiro Fernando Prass (3º, com 274), o atacante Dudu (2º, com 305) e o goleiro Marcos (líder no quesito, com 392).

Contra o River Plate-ARG, no jogo de ida das semifinais da Libertadores, vitória por 3 a 0 fora de casa (não atuou no duelo de volta), ele chegou a 31 partidas pela competição continental e superou o volante Cesar Sampaio na lista dos atletas palmeirenses com mais jogos pela Libertadores em todos os tempos, se isolando na 5ª colocação; completam a lista: o atacante Dudu (4º, com 34 jogos), o volante Galeano (3º, com 38 jogos), o meia Alex (2º, com 39 jogos) e o goleiro Marcos (líder da lista, com 57 jogos).

Na Libertadores 2020, aliás, Willian marcou quatro vezes: na estreia do Verdão na atual edição, contra o Tigre-ARG, diante do Bolívar-BOL, na terceira rodada; novamente, ante a equipe boliviana (desta vez no jogo de volta da primeira fase, na quinta rodada) e, depois, sobre o Delfín-EQU (jogo de volta). Com esses quatro gols no mais importante torneio das Américas, fechou sua participação como o vice-artilheiro do Palmeiras na edição campeã, atrás só de Luiz Adriano e Rony, ambos com cinco gols.

No Allianz Parque, Willian é o vice-artilheiro, com 21 bolas na rede na arena alviverde, só está de Dudu neste quesito, com 33;
 o terceiro em jogos (87, seguido de Fernando Prass, 86, e atrás só de Dudu, com 127) e o terceiro em assistências (11, uma a menos que Marcos Rocha, com 12 – ambos atrás de Dudu, com 35).

LUIZ ADRIANO: FECHOU LIBERTADORES COMO ARTILHEIRO DO TIME; ARTILHEIRO DA TEMPORADA ATUAL; VICE-ARTILHEIRO DO ELENCO E VICE-GOLEADOR DO TIME NO BRASILEIRÃO; LÍDER EM PARTICIPAÇÕES EM 2020

Autor de dois gols nos 4 a 0 sobre o Corinthians, penúltima vitória do Palmeiras no Allianz Parque (18/01), que também foi a penúltima partida em que atuou antes de ser preservado para a final da Libertadores (jogou contra o Flamengo, no dia 21, e ficou de fora dos jogos contra o Ceará e Vasco, nos dias 24 e 25, e, depois, contra o Botafogo, no último dia 02) –, Luiz Adriano, que entrou no segundo tempo no compromisso mais recente do time, contra o Coritiba, fora de casa, pelo Brasileiro, é, de forma isolada, o artilheiro do time na atual temporada, com 20 gols, seguido de Willian Bigode e Raphael Veiga, ambos com 18. Além dos números absolutos, Adriano possui também a melhor média: 0,39 (20 gols em 51 jogos) – considera-se 2020 os jogos disputados no início deste 2021 que ainda são válidos pelas competições vigentes do ano anterior).

O camisa 10 do Verdão também é líder em participações na temporada (ou seja, gols e assistências somadas), com 24 ações (20 gols e quatro passes), ao lado de Willian Bigode, com as mesmas 24 (18 gols e seis passes). Além disso, na atual temporada, ele também é o terceiro atleta que mais acerta a meta adversária, ao lado de Rony, com 38 finalizações certas, ao lado de Rony.

Luiz Adriano é um dos três palmeirenses a ter marcado em todas as competições regulares disputadas nas competições oficiais da temporada atual – os outros são Raphael Veiga e Gustavo Gómez. Ele marcou três vezes no Paulista, dez no Brasileiro (vice-artilheiro do time na edição, atrás de Raphael Veiga, com 11), cinco na Libertadores (artilheiro palmeirense no torneio, ao lado de Rony) e duas na Copa do Brasil, enquanto Raphael Veiga fez um gol pelo Estadual, 11 pelo Brasileirão, dois pela Libertadores e quatro na Copa do Brasil, e Gustavo Gómez balançou as redes uma vez pelo Paulista, uma pelo Brasileiro, uma pela Copa do Brasil e duas pela Libertadores.

Luiz Adriano soma nove gols em seus últimos 20 jogos disputados – média de 0,45 por partida neste período
 – marcou duas vezes na vitória por 3 a 0 contra o Atlético-GO, em Goiânia, pelo Brasileiro, em 25/10; no triunfo por 3 a 1 diante do RB Bragantino pelo jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil, em Bragança Paulista-SP, em 29/10; e, depois, diante do Vasco, em 08/11, antes de ficar de fora por desgaste muscular, voltar por mais duas partidas e, em seguida, se lesionar (ficando de fora por oito jogos em um mês).

Em sua volta, entrou no segundo tempo diante do América-MG (jogo de ida pela Copa do Brasil, no Allianz Parque); e nos dois duelos seguintes, marcou gol: pelo Brasileiro, fez o tento da vitória por 1 a 0 diante do RB Bragantino, pela 27ª rodada do Brasileiro (no Allianz Parque); abriu caminho para a vitória do Palmeiras fora de casa, no segundo tempo, contra o América-MG pela Copa do Brasil (jogo que valeu vaga na final); também deixou sua marca na vitória por 3 a 0 diante do River Plate-ARG fora de casa, no jogo de ida das semifinais da Libertadores; depois, marcou duas vezes na goleada no Derby por 4 a 0 pelo Brasileiro.

Com 27 gols desde que chegou ao Verdão, em 2019, o jogador é ainda o vice-goleador do elenco no geral, seguido de Raphael Veiga, com 25, e atrás só de Willian, com 56 bolas na rede.

Contratado em agosto de 2019, tem média de 0,40 gol por partida na temporada atual (20 em 50 jogos), ante 0,46 da sua temporada de estreia (sete em 15), superando os 13 gols dos artilheiros do time em 2019, Dudu e Scarpa, e igualando os 20 gols de Borja, artilheiro em 2018.

No Allianz Parque, Luiz Adriano ostenta a melhor média de gols da história da arena, com índice de 0,52 bola na rede por jogo (13 gols em 25 jogos) – completam o top 10: Borja (2º com 0,38 – 19 gols em 50 jogos), Cristaldo (3º com 0,34 – 11 gols em 32 jogos), Leandro Pereira (4º com 0,33 – 7 gols em 21 jogos), Gabriel Jesus (5º com 0,32 – 11 gols em 34 jogos), Deyverson (6º com 0,30 –13 gols em 42 jogos), Rafael Marques (7º com 0,28 – 12 gols em 42 jogos), Barrios (8º com 0,26 – 5 gols em 19 jogos) e quatro atletas empatados em 9º, com 0,25, que são Dudu (33 gols em 127 jogos), Keno (9 gols em 35 jogos) e Alecsandro (6 gols em 24 jogos).

Os 13 gols anotados no Allianz Parque também já colocam Luiz Adriano no top 5 de artilheiros da arena palmeirense, ocupando a 5ª posição, ao lado de Deyverson – completam o ranking: Raphael Veiga (4º, com 15), Borja (3º, com 19), Willian (2º, com 21) e Dudu (1º, com 33).

Por duas vezes na casa palestrina, Luiz Adriano deixou o gramado com três bolas na rede no mesmo jogo: diante do Fluminense, no Brasileirão de 2019, e do Guaraní-PAR, na Libertadores deste ano. Fora do Brasil, já havia alcançado o mesmo feito em outras três oportunidades, além de uma vez em que marcou cinco gols pelo Shakhtar Donetsk-UCR (sendo quatro só no primeiro tempo), clube onde é o maior artilheiro da história com 130 gols. Ele é também o 7º maior goleador brasileiro na história da Champions League, com 21 tentos – neste ranking, apenas Neymar, Kaká, Rivaldo, Jardel, Élber e Mazzola, revelado pelo Verdão, balançaram mais vezes as redes pela maior competição continental do planeta.

RONY: FECHOU LIBERTADORES COMO ARTILHEIRO DO TIME; GARÇOM GERAL DO ELENCO NA TEMPORADA E GARÇOM GERAL TAMBÉM NA LIBERTADORES 2020 DENTRE TODOS OS CLUBES; SEGUNDO COLOCADO EM DRIBLES E EM FINALIZAÇÕES CERTAS

Rony vem acumulando ótimas participações em suas últimas partidas pelo time palmeirense. Utilizado no segundo tempo da partida mais recente do time, contra o Coritiba, fora de casa, pelo Brasileiro, ele foi fundamental, dentre vários outros lances chave dos quais participou na temporada, no jogo que valeu ao Palmeiras o título da Libertadores da América, quando, nos acréscimos do segundo tempo, o camisa 11 colocou a bola na cabeça de Breno Lopes após lançamento em jogada que originou o gol do título.

Antes disso, em 30/12, diante do América-MG, jogo que valeu classificação à final da Copa do Brasil após vitória por 2 a 0, no Estádio Independência (Belo Horizonte-MG) – deu uma assistência para o primeiro gol (de Luiz Adriano) e fez o segundo gol; e foi titular diante do River Plate-ARG, fora de casa, marcando o gol que abriu caminho para a vitória por 3 a 0 fora de casa pelo jogo de ida das semifinais do torneio continental. Na vitória mais recente do time pelo Brasileiro fora de casa, 1 a 0 fora de casa diante do Sport, ele participou ao entrar no segundo tempo.

O jogador, aliás, vem de bons números: fez nove gols em suas últimas 22 partidas disputadas (média de 0,40 por jogo neste período). Com dez bolas na rede na temporada atual, Rony é o quarto principal artilheiro do Alviverde em 2020, atrás só de Willian e Raphael Veiga (18) e Luiz Adriano (20). No Brasileirão, ele possui quatro gols e é o quarto principal artilheiro do Verdão no torneio, atrás só de Willian (sete), e de Luiz Adriano (dez) e Raphael Veiga (11).

Na Libertadores, ele fechou sua participação no torneio com cinco bolas na rede – marcados em seus últimos sete jogos disputados na competição –, sagrando-se assim o principal artilheiro do Verdão no Continental, ao lado de Luiz Adriano. O camisa 11 também coroou a edição campeã sendo o garçom máximo da edição 2020 do Continental, dentre todos os clubes, com oito passes a gol, além de ser também o líder isolado em participação em gols no torneio sul-americano, com 13 ações (ou seja, gols e assistências somadas – no caso, oito passes a gol e cinco bolas na rede).

E como deu assistência pela Libertadores, no jogo do título, somada às oito que já possuía (uma delas pelo Brasileiro, as outras todas pela Libertadores), Rony chegou a nove assistências na temporada atual e, com isso, atualmente é o vice-líder no quesito, atrás de Gabriel Menino, com dez, e à frente de Viña (com oito) e de Zé Rafael e Gustavo Scarpa (ambos com sete).

Dentre o elenco palmeirense, o atleta chegou a 18 participações, com dez gols e oito assistências – é o quarto melhor colocado no quesito, atrás só de Raphael Veiga (com 20, 18 gols e duas assistências), de Luiz Adriano e Willian, ambos com 24 (Luiz Adriano tem 20 gols e quatro passes, enquanto Willian soma 18 gols e seis passes).

Na atual temporada, ele é o segundo atleta que mais acerta a meta adversária, com 41 finalizações certas, atrás de Willian, com 46, e o segundo que mais dribla, com 31 fintas completas, atrás só de Zé Rafael, líder no quesito, com 41. Desde que estreou, em fevereiro de 2020, pelo Campeonato Paulista, ele participou de 45 dos últimos 61 jogos, sendo 35 como titular e dez acionado do banco de reservas.

WESLEY: RECUPERADO APÓS TRÊS MESES FORA; QUARTO EM DRIBLES, QUINTO EM FINALIZAÇÕES CERTAS E SEXTO EM ASSISTÊNCIAS NA ATUAL TEMPORADA

Cria da Academia promovida na temporada atual (início de 2020), o atacante Wesley passou por cirurgia no joelho esquerdo e, com isso, ficou de fora das últimas 28 partidas disputadas pelo time: seu último jogo foi em 05 de novembro, contra o Red Bull Bragantino, partida em que precisou ser substituído aos 18 minutos após se lesionar – aquele jogo, pelas oitavas de final da Copa do Brasil, foi a estreia de Abel Ferreira e valeu classificação às quartas do Nacional (o Verdão venceu por 1 a 0 no Allianz Parque).

Wesley passou por cirurgia no joelho esquerdo e ficou de fora das últimas 28 partidas (Fabio Menotti/Palmeiras)

Apesar do tempo fora do time, o jogador ainda domina algumas estatísticas individuais. Wesley é o quarto colocado em dribles dentre os palmeirenses na temporada atual, com 27 fintas, o quinto que mais finalizou corretamente, com 24 chutes a gol, ao lado de Gabriel Menino, e o sexto com mais assistências, com seis passes para que seus companheiros pudessem marcar, assim como Willian Bigode.

Natural de Salvador, o jogador de 21 anos foi captado em 2016, quando atuava pelo Jacuipense-BA, para reforçar o Sub-17. Na temporada seguinte, subiu para o Sub-20, categoria pela qual conquistou o Campeonato Brasileiro em 2018, a Copa do Brasil em 2019 e o tricampeonato paulista em 2017, 2018 e 2019. Emprestado ao Vitória-BA em maio do ano passado para adquirir experiência disputando a Série B do Brasileiro, teve bom desempenho: anotou cinco gols, deu três assistências, foi o segundo maior driblador da competição e o sexto jogador mais caçado.

RAPHAEL VEIGA: TEMPORADA MAIS ARTILHEIRA DA CARREIRA, VICE-ARTILHEIRO DO TIME NA TEMPORADA; TERCEIRO ARTILHEIRO DO ATUAL ELENCO; ARTILHEIRO DO TIME ISOLADO NO BRASILEIRO E NA COPA DO BRASIL; TERCEIRO PALMEIRENSE QUE MAIS DRIBLA NA TEMPORADA

De volta de ao time após cumprir suspensão pelo acúmulo do terceiro cartão amarelo na rodada anterior (32ª do Brasileiro, diante do Ceará, fora de casa, em 24 de janeiro), Veiga foi poupado no jogo seguinte pelo Nacional: empate por 1 a 1 contra o Vasco – depois, atuou na final da Libertadores contra o Santos como titular (campeão) e, outra vez, foi poupado do jogo seguinte: 1 a 1 contra o Botafogo no Allianz Parque, 33ª rodada do Brasileiro até voltar a campo como titular pela Copa do Mundo de Clubes da FIFA Catar 2020 nos dois jogos em que o Palmeiras fez pela competição.

Uma atuação para recordar foi diante do Corinthians, quando o jogador foi autor de duas bolas na rede na goleada por 4 a 0, no Allianz Parque.

O camisa 23 Raphael Veiga tem um retrospecto com bons números pelo Verdão: em seus últimos 21 jogos disputados, Veiga marcou dez gols (média de 0,47 neste período).

Ao todo, neste ano, Raphael Veiga soma 18 bolas na rede na temporada e, com isso, superou os nove gols que acumulou em 2018 pelo Athletico-PR e fez de 2020, de forma disparada, a temporada mais artilheira de sua carreira – neste quesito, na atual temporada, está ao lado de Willian, com os mesmos 18 gols, e atrás só de Luiz Adriano (com 20).

Raphael Veiga, aliás, é um dos três palmeirenses a ter marcado em todas as competições regulares disputadas em 2020 – os outros são Luiz Adriano e Gustavo Gómez. Ele pontuou uma vez no Paulista, 11 no Brasileiro até aqui (sendo o artilheiro do time na competição, seguido de Luiz Adriano, com dez), duas na Libertadores e outras quatro na Copa do Brasil (que também faz dele o artilheiro do time no torneio nacional), enquanto Luiz Adriano fez três gols pelo Estadual, dez pelo Brasileirão, cinco pela Libertadores e dois na Copa do Brasil, e Gustavo Gómez fez um pelo Paulista, um pelo Brasileiro, um pela Copa do Brasil e dois pela Libertadores.

Profissionalizado no futebol em 2016, pelo Coritiba, marcou três gols em 24 jogos em sua primeira temporada no Coxa. Em 2017, seu primeiro ano no Palmeiras, fez dois gols em 22 partidas (à época, muitos meio-campistas experientes não possibilitaram que o jogador tivesse sequência). Emprestado ao Athletico-PR em 2018, quando foi campeão da Copa Sul-Americana, fez 48 jogos e nove gols (até então sua temporada mais artilheira); em 2019, voltou de empréstimo e jogou 31 vezes pelo Verdão, marcando cinco gols.

O fato de ter chegado a 18 gols na temporada faz de Veiga o terceiro jogador com mais participações diretas em gols (ou seja, gols e assistências somadas): são 20 participações (sendo 18 gols e duas assistências), atrás só de Luiz Adriano e de Willian, ambos com 24 (Luiz Adriano tem 20 gols e quatro passes, enquanto Bigode possui 18 bolas na rede e serviu seus companheiros seis vezes).

Com os 25 gols que possui, ele é o terceiro artilheiro geral do atual elenco, atrás só de Luiz Adriano, com 27 de ao todo, e de Willian Bigode, com 56. Além disso, mais uma estatística do camisa 23 chama a atenção: ele é o terceiro jogador do atual elenco palmeirense que mais dribla, com 40 fintas ao longo da temporada, atrás só de Rony, com 41, e de Willian, com 46 – os dados são do Footstats.

LUCAS LIMA: LÍDER EM ASSISTÊNCIAS PARA FINALIZAÇÃO EM 2020, PRESENTE EM 22 DOS ÚLTIMOS 30 JOGOS E VICE-GARÇOM GERAL DO ELENCO

Presente como titular no jogo mais recente do time, contra o Coritiba, pelo Brasileirão, fora de casa, Lucas Lima balançou as redes na vitória por 3 a 0 sobre o Fortaleza uma rodada antes (marcou o segundo da partida), e chegou ao seu terceiro tento na temporada – o primeiro foi na competição amistosa da Florida Cup contra o New York City-EUA; depois, voltou a balançar as redes em 22 de janeiro de 2020, na estreia do Palmeiras no Campeonato Paulista, na vitória por 4 a 0 sobre o Ituano.

Presente em 22 das últimas 30 partidas (sendo 16 destas como titular), Lucas Lima se destaca não só pela assiduidade. Em suas últimas exibições, o jogador vem fazendo a diferença junto ao time: na atual temporada, ele é o líder em passe para finalizações: foram 69, seguido de Gabriel Menino, com 57 (números do Footstats que não incluem os passes que resultaram em bola na rede). Ele também é o sexto colocado na lista dos maiores garçons do Allianz Parque, com nove passes(atrás de Robinho e Róger Guedes, com dez, de Willian com 11 assistências, e de Marcos Rocha, vice-líder, com 13, todos atrás de Dudu, com 35).

E não é só isso. O meia vem ajudando o time em construção de jogadas de gols e também em passes para que seus companheiros pudessem chegar às redes. No dia 24 do último mês, contra o Ceará, fora de casa, pelo Brasileiro, ele deu a assistência para o gol de Gabriel Veron; antes, no duelo mais recente da Copa do Brasil, cobrou a falta que originou o segundo gol do Palmeiras sobre o América-MG fora de casa, na vitória por 2 a 0 (gol este que selou a classificação à final do torneio nacional). A falta, cobrada pelo lado esquerdo, aos 40 minutos do segundo tempo, entre o escanteio e a grande área, foi na medida para Mayke finalizar e o goleiro adversário rebater. Na sobra, Rony balançou as redes – o primeiro gol da partida havia sido marcado por Luiz Adriano minutos antes.

Antes disso, há alguns jogos, Lucas Lima havia sido o responsável pela cobrança do corner que originou o gol de Willian Bigode, o segundo do Verdão sobre o Peixe, em rodada do Brasileiro, em 05/12 – a bola ainda desviou em Zé Rafael antes de o camisa 29 balançar as redes. Já no jogo de volta das oitavas de final da Libertadores (vitória sobre o Delfín-EQU por 5 a 0 e classificação), Lucas Lima chutou de longe e a pelota explodiu na zaga, sobrando para Patrick de Paula dominar e também chutar de longe e marcar um golaço, abrindo o placar.

Ainda um jogo antes, no triunfo sobre o Athletico-PR por 3 a 0, em 28/11, no Allianz Parque, pelo Brasileiro, ele havia concedido o passe para o primeiro gol do Palmeiras, também marcado por Patrick de Paula e, com isso, chegou a 20 assistências no total desde que chegou ao Palmeiras em 2018. Desta forma, Lucas Lima passou a ser o líder de passes a gol do atual elenco, ao lado de Willian Bigode, com as mesmas 20 assistências e também Marcos Rocha.

E em outro duelo anterior, no jogo de ida das oitavas da Libertadores, contra o Delfín-EQU (vitória por 3 a 1 fora de casa), em 25 de novembro, Lucas também teve papel imprescindível no resultado favorável. Foi dele que originou-se o lance do pênalti que ocasionou o segundo gol do Verdão no duelo com os equatorianos (convertido por Rony) – na ocasião, o meia chutou de perto da entrada da grande área e a bola foi desviada pela zaga com o braço.

Este não foi o único penal que o atleta favoreceu o Palmeiras nos tempos recentes: em outros dois compromissos, estes pelo Brasileiro (diante do Vasco, em 08/11, e contra o Fluminense, em 14/11), ele sofreu ambas as penalidades – diante do time cruz-matino, a infração valeu o gol da vitória, marcado por Luiz Adriano no rebote após defesa do goleiro Fernando Miguel e, diante do Tricolor Carioca, o tiro foi cobrado por Raphael Veiga e abriu caminho para o triunfo por 2 a 0 sobre o time das Laranjeiras.

GUSTAVO SCARPA: QUARTO ARTILHEIRO GERAL DO ELENCO, JOGADOR MAIS ACIONADO DO BANCO DE RESERVAS NA TEMPORADA 2020 E POLIVALENTE; PRESENTE EM 21 DOS ÚLTIMOS 24 DUELOS

Autor de um gol de falta na vitória mais recente do time (por 3 a 0 contra o Fortaleza, no último domingo, 14), próximo à meia lua, Scarpa acertou o gol de Felipe Alves, que nem se mexeu. Há muito tempo, o Palmeiras não fazia um gol de falta: o último havia sido com o ex-camisa 10 do time Moisés, em 22/05/2019, diante do Sampaio Corrêa-MA, na vitória do Palmeiras por 1 a 0 na casa do adversário pela Copa do Brasil.

Scarpa detém curiosa estatística: é o jogador que mais sai do banco de reservas para ajudar seus companheiros na temporada atual, tendo sido acionado 24 vezes nos últimos 57 jogos. Scarpa esteve presente em 21 dos últimos 24 duelos do Verdão e, apesar da marca de ser o jogador que mais sai do banco para ajudar a equipe, foi titular em 13 destes 21 duelos disputados, inclusive nos cinco mais recentes pelo Brasileiro.

Apenas na Libertadores, torneio conquistado pelo Verdão no dia 30 do último mês, Gustavo Scarpa foi autor de três assistências: a última delas no torneio continental foi para o terceiro gol do Palmeiras no duelo de ida da semifinal da Libertadores, vitória por 3 a 0 fora de casa sobre o River Plate-ARG, no último dia 05.

Scarpa faz parte de um seleto grupo de jogadores com 100 ou mais jogos pelo Palmeiras: hoje são 115. Desta forma, ao alcançar essa expressiva marca, o meia integra um grupo com outros jogadores do elenco que possuem três dígitos de jogos. São eles: Raphael Veiga (106), Gustavo Gómez (113), Mayke (116), Luan (127), Marcos Rocha (141), Weverton (155), Lucas Lima (160), Felipe Melo (177) e Willian (216). Zé Rafael, com 99 jogos, é postulante a entrar em breve nesta lista.

Meio-campista de origem, o camisa 14 tem a polivalência como uma de suas características. Durante o período em que o lateral-esquerdo titular Matías Viña estava com a Seleção Uruguaia e, depois, tornou-se desfalque pelo fato de ter contraído Covid-19, e o suplente Lucas Esteves estava lesionado, o meia canhoto Gustavo Scarpa, assim como o lateral-direito Mayke, foi testado de forma improvisada na ala esquerda: contra o Ceará (11/11) e o Fluminense (14/11), vitórias por 3 a 0 e 2 a 0, pela Copa do Brasil e Brasileiro, respectivamente, ambas no Allianz Parque, o jogador foi titular da posição, além de ter feito um gol (o primeiro da partida) logo em seu primeiro jogo na nova função. As atuações mais recentes na lateral-esquerda voltou foram no dia 23/12, no jogo de ida contra o América-MG pela semifinal da Copa do Brasil (1 a 1) quando Scarpa iniciou o duelo na ala esquerda enquanto Viña começou no banco e entrou no segundo tempo e, novamente, no último dia 24, no revés contra o Ceará, em Fortaleza (2 a 1 pelo Brasileiro, fora de casa).

O jogador é o quarto principal artilheiro do elenco (23 gols, atrás de Raphael Veiga, com 25, de Luiz Adriano, com 27, e de Willian, com 56) – em 2019, ele foi o goleador do time, ao lado de Dudu, com 13 – e o quarto colocado no ranking dos maiores garçons do plantel (13 passes para gol desde que chegou ao clube, em 2018, atrás apenas de Marcos Rocha, Lucas Lima e Willian, líderes, com 20) – além de sete assistências na temporada atual, o camisa 14 foi o segundo maior garçom do time em 2019, ao lado de Marcos Rocha, com sete passes a gol, atrás só de Dudu, com 18.

ZÉ RAFAEL: IRÁ COMPLETAR 100 JOGOS SE ENTRAR EM CAMPO; LÍDER EM DRIBLES, SEGUNDO EM DESARMES E QUARTO EM ASSISTÊNCIAS NA TEMPORADA

Zé Rafael soma 99 jogos pelo Palmeiras e, se entrar em campo, irá se juntar a um gurpo de outros nove jogadores que já ultrapassaram a barreira dos três dígitos de jogos. São eles: Raphael Veiga (106), Gustavo Gómez (113), Mayke (116), Luan (127), Marcos Rocha (141), Weverton (155), Lucas Lima (160), Felipe Melo (177) e Willian (216).

O camisa 8 vem acumulando ótimas atuações na temporada. Nos 4 a 0 sobre o Corinthians, foi responsável por participar de dois dos quatro gols do Palmeiras na goleada por 4 a 0 sobre o Corinthians no Derby, pelo Campeonato Brasileiro, vitória mais recente em que esteve presente no Allianz Parque, Zé Rafael, que passou a bola para Willian conceder assistência no segundo e no terceiro gol do Verdão naquela partida (de Luiz Adriano e Raphael Veiga), após receber, respectivamente, de Danilo e de Luan, foi titular em sete dos 12 jogos mais recentes da equipe.

Na ocasião de seu retorno, Zé Rafael havia jogado contra o River pela Libertadores, na vitória por 3 a 0 fora de casa, no dia 05 do último mês, pela CONMEBOL Libertadores, jogo de ida das semifinais do torneio continental, após ter entrado aos 21 do segundo tempo no lugar de Danilo, Zé Rafael, que esteve fora dos dois duelos anteriores do Verdão (vitórias sobre o Red Bull Bragantino 1×0, pelo Brasileiro, e América-MG, 2×0, pela Copa do Brasil) devido a uma infecção no pé esquerdo, vem acumulando participações importantes no time palmeirense nos jogos atuais.

O meia iniciou a construção de um dos gols recentes do Verdão, contra o Grêmio (empate por 1 a 1 no Allianz Parque no último dia 15), quando, do meio-de-campo, lançou bola para Willian na esquerda, que brigou com o marcador pelo domínio da pelota e tocou para a grande área, até Viña desviar e Raphael Veiga marcar de pé esquerdo, dentro da área, diante do Corinthians.

Em dezembro de 2020, ele concedeu assistência após desviar, de cabeça, cobrança de escanteio de Lucas Lima para Willian Bigode marcar, diante do Santos, no dia 05/12, empate por 2 a 2 pelo Brasileirão (depois disso, o Alviverde tornou a jogar pela competição nacional e venceu o Bahia por 3 a 0, em casa, mas Zé estava suspenso).

Antes disso, ele também foi quem havia iniciado a construção das jogadas de três dos quatro gols mais recentes da equipe à época, pois, além da assistência diante do Santos (segundo da partida), um jogo antes, contra o Delfín-EQU, pela Libertadores, no Allianz Parque – duelo que valeu classificação às quartas de final do Continental – o camisa 8 iniciou a construção da jogada dos dois últimos gols daquela goleada do Verdão por 5 a 0, marcados por Gabriel Veron e Danilo, respectivamente.

Na atu