Comunicado sobre funcionamento do clube social

Departamento de Comunicação

Seguindo o princípio de responsabilidade para com a sociedade, o Palmeiras informa que todas as dependências do clube social, incluindo áreas de lazer, alimentação e locais de aulas, treinos e jogos, não estarão funcionando por tempo indeterminado a partir deste sábado (14 de março).

Por recomendação do departamento médico alviverde e das autoridades de saúde municipal, estadual e federal, a medida visa combater a propagação do coronavírus e assegurar o bem-estar e a saúde de associados, atletas, funcionários e frequentadores.

Ressaltamos que não há nenhum caso identificado de COVID-19 no clube. Tratam-se, portanto, de ações preventivas.

Recomendamos seguir as orientações de cuidados do Ministério da Saúde. Evite locais de aglomeração e contato pessoal.

Comunicaremos periodicamente atualizações relativas a esse assunto.

Agradecemos a compreensão de todos.

Sociedade Esportiva Palmeiras

 

Atletas paralímpicos do Verdão são medalhistas do German Open de Judô

Priscila Pedroso
Departamento de Comunicação

Os judocas Alana Maldonado e Thiego Marques se destacaram em mais uma competição internacional com a Seleção Brasileira de judô paralímpico e garantiram no último sábado (8) as medalhas de ouro e bronze, respectivamente, no German Open, em Heidelberg, na Alemanha.

Atletas do Verdão se preparam para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 (Foto: CBDV)

No primeiro torneio depois de se recuperar de uma lesão no joelho, Alana ficou no lugar mais alto do pódio na categoria até 70kg após vencer as cinco lutas que disputou. A atleta se sagrou tricampeã da competição (2016, 2017 e 2020).

Thiego conquistou a segunda medalha de bronze no ano na categoria até 60kg. O judoca alviverde também ficou com o terceiro lugar no Judo Americas Championship, torneio considerado o Pan-Americano da modalidade, em Montreal, no Canadá.

O Aberto da Alemanha não conta pontos para o ranking mundial, mas faz parte de mais uma etapa de preparação dos atletas rumo aos Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020. Agora, a delegação brasileira está período de treinamento em Madri, na Espanha.

Palmeiras realiza peneira de judô para selecionar novos atletas de competição

Departamento de Comunicação

O Palmeiras vai realizar no mês de fevereiro uma seletiva de judô para captar novos atletas para as equipes de competição, no 2° andar do Prédio Multiuso do clube social. A avaliação é destinada para homens e mulheres, podendo ou não serem associados da sede social.

Para participar da peneira, que atende as categorias Sub-11, Sub-13, Sub-15, Sub-18 e Sub-21, basta encaminhar um e-mail para [email protected] até o dia 31 de janeiro com o nome completo, RG, data de nascimento e telefone do atleta.

No dia da avaliação, os judocas menores de idade devem estar acompanhados de um responsável maior de 18 anos. Os dados do acompanhante também devem ser enviados no ato da inscrição por e-mail.

Informações:

04 a 06/02
Sub-11, Sub-13 e Sub-15 – 18h às 19h15
Sub-18 e Sub-21 – 19h30 às 21h

10 e 11/02
Sub-11, Sub-13 e Sub-15 – 18h às 19h15
Sub-18 e Sub-21 – 19h30 às 21h

Local: Clube Social (2° andar do Prédio Multiuso)

Endereço: Avenida Francisco Matarazzo, 1705 (Portaria ao lado do Shopping Bourbon) – Perdizes – São Paulo/SP.

Thiego Marques conquista bronze em torneio de judô paralímpico no Canadá

O judoca paralímpico Thiego Marques conquistou no último domingo (12) a medalha de bronze no Judo Americas Championship, torneio considerado o Pan-Americano da modalidade, realizado em Montreal, no Canadá.

Divulgação _ Thiego (primeiro da direita para a esquerda) é um dos brasileiros cotados aos Jogos Paralímpicos de Tóquio

O atleta palestrino, que compete na categoria dos pesos ligeiros masculinos (até 60kg), venceu duas das três lutas que disputou durante o torneio que inaugurou as competições oficiais da categoria na temporada 2020.

Para o judoca, esse foi mais um torneio importante na carreira. “Foi uma experiência muito boa, todos os adversários foram difíceis e tive a oportunidade de conhecer outros oponentes que estarão nos Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020”, destaca.

No total, o Brasil contou com 12 atletas na delegação e encerrou a competição com nove medalhas. A também judoca do Verdão, Alana Maldonado, foi convocada para o torneio, mas não pôde participar por conta do tratamento de uma lesão no joelho.

O próximo compromisso de Thiego será o German Open, disputado no mês de fevereiro, na Alemanha. O atleta ainda vai competir na Inglaterra, Japão e Cazaquistão antes dos Jogos Paralímpicos.

Uma das décadas mais vitoriosas dos esportes do Palmeiras se encerra em 2019 com hegemonias, conquistas e feitos históricos em diversas modalidades. No ano que antecede a disputa dos Jogos Olímpicos de Tóquio, no Japão, o Verdão mostrou que pode ter atletas de alto rendimento no principal evento esportivo do mundo.

Divulgação _ O boxe do Palmeiras faturou medalhas no Campeonato Brasileiro Juvenil e de Elite

Nos Jogos Pan e Parapan-Americanos de Lima, no Peru, o esporte alviverde contou com alguns representantes. Entre eles, Cosme Nascimento, um dos principais pugilistas super pesados (acima de 91kg) do país e integrante da Seleção Brasileira. O boxe palestrino, inclusive, fez bonito no ano principalmente com o time juvenil, campeão paulista e da Copa Talento Open.

Já no judô, o Verdão teve no torneio esportivo continental a presença de Alana Maldonado, vice-campeã do Parapan e melhor paratleta do mundo na categoria até 70kg feminina, e Thiego Marques, premiado na competição pela primeira vez na carreira ao faturar o bronze. Alana, por sua vez, conquistou seis medalhas em 2019, sendo três de ouro e três de prata.

Ale Cabral/CPB _ Alana faturou o troféu 'Atleta da Galera' no Prêmio Paralímpicos 2019

As conquistas das artes marciais alviverdes não pararam por aí. No karate, além de receber treinos do Projeto Olímpico da FPK no clube, o Verdão obteve títulos individuais no Brasileiro e no Paulista Open – todos na categoria Master, além de um ouro na etapa paulista dos Jogos Universitários Brasileiros.

Nos esportes de quadra, hegemonias foram prolongadas. No futsal, por exemplo, o time Sub-16 se sagrou tricampeão metropolitano e estadual sob o comando do vitorioso técnico Valdir de Freitas, o Val. Ele, inclusive, esteve também à frente da equipe campeã inédita da Taça Brasil de Clubes Sub-11. Outro título inédito para o futsal alviverde em 2019 veio diante do maior rival no Torneio União de Clubes com a treinadora multicampeã Fernanda Grande.

Priscila Pedroso/Palmeiras _ O time Sub-16 de futsal do Verdão faturou seis títulos nos últimos três anos

No basquete, além de subir ao pódio em pelo menos uma categoria no ano, o Verdão faturou o bicampeonato da Copa Brasil de Clubes Sub-16, além de vencer a Copa Sul-Americana com as equipes Sub-12 e Sub-15. O clube também teve representantes com participação direta na campanha da Seleção Brasileira Sub-17 campeã continental.

As conquistas no hóquei in line palmeirense vieram tanto na base quanto na equipe principal. Ao todo, foram três títulos: Campeonato Brasileiro Sub-10, Tour Cup Brasil Sub-14 e Torneio Nacional Adulto. O Verdão, inclusive, teve atletas entre os destaques da Seleção Brasileira que disputou o World Roller Games, principal torneio de esportes sobre rodas do mundo. O tênis, por sua vez, sagrou-se vice-campeão interclubes da FPT na categoria Especial Masculina (EM).

CBHP/Divulgação _ O hóquei do Verdão teve até 'participação americana' na conquista do Torneio Nacional

Nas ginásticas, o Palmeiras obteve um título brasileiro de aeróbica na categoria trio juvenil. Já a patinação alviverde retomou a participação em torneios após a reforma do rinque do clube e conquistou medalhas estaduais, nacionais e continentais, sendo 15 de ouro na temporada.

Divulgação _ As meninas da patinação do Palmeiras fizeram bonito em 2019

Maior campeão nacional com cinco taças, o futebol de mesa alviverde ampliou sua galeria de prêmios em 2019 com diversos títulos individuais, além das conquistas do Torneio Início da FPFM sobre o Corinthians e do tetra do Sul-Americano por equipes contra o Vasco da Gama. Já o tênis de mesa do Verdão faturou pela primeira vez em 14 anos um título na modalidade com o atleta Diego Duarte, vencedor da Liga Nipo-Brasileira na categoria Infantil Masculino A.

Divulgação _ A equipe de futebol de mesa do Verdão é uma das maiores campeãs continentais

A equipe de tiro com arco do Palmeiras encerrou o ano com medalhas por onde passou. Ao todo, foram 23 prêmios obtidos em torneios nacionais e internacionais, com nove ouros, cinco pratas e nove bronzes. O futebol americano, por sua vez, faturou a divisão sudeste da Copa Brasil de Flag 5×5 Feminino, e o atletismo contou com o retorno do maratonista Gilson Miranda às principais competições de rua paulistanas.

Flagfootball.com.br _ As meninas do flag palmeirense disputaram a superfinal do torneio nacional em 2019

A judoca palmeirense Alana Maldonado foi eleita a “Atleta da Galera” de 2019 no Prêmio Paralímpicos, promovido pelo Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) nesta segunda-feira (17), em São Paulo-SP. Líder do ranking global e atual campeã mundial da categoria até 70kg feminino, este foi seu quarto ano seguido como premiada do evento.

Para conquistar o título individual, Alana recebeu 34% dos votos do público, seguida da velocista Verônica Hipólito (26%), da nadadora Carol Santiago (15%), do velocista Petrúcio Ferreira (14%) e do jogador de bocha José Carlos Chagas (11%).

Ale Cabral/CPB _ Alana recebeu 34% dos votos da galera

Em 2017 e em 2018, a palestrina recebeu o troféu de melhor atleta feminina da temporada. Além disso, ela também foi eleita como melhor expoente do judô paralímpico, assim como em 2016. Alana, inclusive, está convocada pela Seleção Brasileira para a disputa do IBSA Judo Americas Championship, no Canadá, em janeiro – primeira competição oficial de 2020.

O saldo de títulos da paratleta em 2019 é extremamente positivo: são três medalhas de ouro (Grand Prix IBSA TashkentAberto da Alemanha e GP Internacional) e três de prata (IBSA Judo QualifierGrand Prix IBSA Baku e Jogos Parapan-Americanos) conquistadas.

“Estou muito feliz com essa conquista. Parabenizo a todos que concorreram comigo e demais homenageados. Esse prêmio é muito importante para nós, paratletas, pois é o reconhecimento do trabalho da temporada. Só tenho a agradecer a todos que votaram em mim. Esse troféu também é de vocês”, declarou a judoca palmeirense.

Fã das artes marciais desde o berço, Alana iniciou a carreira no judô aos quatro anos, sob forte influência da família e principalmente dos avós. No entanto, aos 14, descobriu que era portadora da doença de Stargardt, causadora de perda progressiva da visão central, mas que não afeta a visão periférica do indivíduo.

A judoca compete pela categoria B2 para deficientes visuais (consegue ver vultos e distinguir o formato de uma mão). Desde sua primeira convocação à Seleção Brasileira, em 2015, ela nunca ficou de fora do pódio em competições internacionais. Alana, inclusive, é uma das cotadas a representar o Brasil nos Jogos Paralímpicos de Tóquio, em 2020.

Alana Maldonado e Thiego Marques, judocas paralímpicos do Palmeiras, foram convocados na última quarta-feira (04) para a Seleção Brasileira ao IBSA Judo Americas Championship, em janeiro, no Canadá. O torneio é considerado o Pan-Americano da modalidade e conta pontos para o ranking mundial que define os classificados aos Jogos Paralímpicos de Tóquio.

Divulgação _ Alana e Thiego estão entre os principais nomes do judô paralímpico brasileiro

Esta será a primeira competição oficial da categoria na temporada 2020. Ao todo, foram chamados 13 atletas para a Seleção Brasileira, quase todos com participação no último Grand Prix, realizado sábado (30), no CT Paralímpico, em São Paulo.

Thiego, inclusive, sagrou-se campeão da competição nacional na categoria até 66kg masculina com três ippons. Alana, por sua vez, não participou do torneio por estar em tratamento de lesão no joelho. A atleta é a atual líder do ranking e campeã mundial na categoria até 70kg.

Os atletas recentemente representaram o Verdão nos Jogos Parapan-Americanos de Lima. Alana ficou com a medalha de prata, enquanto Thiego faturou o bronze inédito na carreira.

Mesmo subdivididos em peso, os judocas deficientes visuais possuem três classificações: B1 (completamente cego e não consegue ver nem distinguir o formato de uma mão, visto ter percepção luminosa nula), B2 (consegue ver vultos e distinguir o formato de uma mão) e B3 (capaz de definir imagens).

Alana Maldonado celebra um ano do título mundial: ‘Dia mais feliz da minha vida’

Departamento de Comunicação

Danilo M. Yoshioka _ Alana foi a 1ª brasileira a faturar o ouro no Mundial de Judô ParalímpicoAlana Maldonado, judoca paralímpica do Palmeiras, celebrou um ano da conquista da medalha de ouro no Mundial da categoria no último domingo (17). Disputado em Portugal no ano passado, o torneio teve pela primeira vez na história uma brasileira no lugar mais alto do pódio.

Atual medalhista de prata dos Jogos Parapan-Americanos, realizado neste ano em Lima, no Peru, a palmeirense relembrou momentos cruciais da conquista. "Foi o dia mais feliz da minha vida. Por tudo que envolveu a conquista. Tive uma grave lesão ano passado, mas não perdi a fé em nenhum momento. Sabia que poderia dar a volta por cima”, declarou.

Desde sua chegada ao Palmeiras, em 2018, Alana coleciona diversas conquistas importantes. Só neste ano foram seis medalhas: Grand Prix IBSA Tashkent (ouro), Grand Prix CBDV (ouro), German Open (ouro), Grand Prix IBSA Baku (prata), IBSA Judo International Qualifier (prata) e Jogos Parapan-Americanos de Lima (prata).

Uma das favoritas à conquista do ouro entre judocas de pesos médios (até 70kg) nos Jogos Paralímpicos de Tóquio, no Japão, a atleta aproveitará o resto da atual temporada para entrar com tudo em 2020 e fazer bonito na competição – a paratleta foi medalhista de prata na última edição das Paralimpíadas, disputada no Rio de Janeiro, em 2016.

 "Com certeza minha meta é vencer as Paralimpíadas. Na Rio 2016 eu bati na trave e fiquei com a prata. Agora estou trabalhando muito pra tentar mais uma conquista inédita para o Brasil", disse.

Fã das artes marciais desde o berço, Alana iniciou a carreira no judô aos quatro anos, sob forte influência da família e principalmente dos avós. No entanto, aos 14, descobriu que era portadora da doença de Stargardt, causadora de perda progressiva da visão central, mas que não afeta a visão periférica do indivíduo.

A judoca compete pela categoria B2 para deficientes visuais (consegue ver vultos e distinguir o formato de uma mão). Desde sua primeira convocação à Seleção Brasileira, em 2015, ela nunca ficou de fora do pódio em competições internacionais.

Palmeiras encerra a XXXI Olimpíada da Criança após 5 dias de competições

Vítor Ferreira
Departamento de Comunicação

No último domingo (27), foi encerrada a XXXI Olimpíada da Criança, realizada durante os dias 19, 20, 25, 26 e 27 de outubro, nos mais diversos espaços do clube social. Foram dois finais de semana repletos de competição e aprendizado para cerca de mil associados mirins que participaram das atividades.

A competição é organizada anualmente desde 1989 pela Coordenadoria Sócio-Desportiva do clube e tem como objetivo difundir a prática esportiva entre os jovens associados do Verdão. A prova disso é que o evento contou com 17 modalidades, como adaptação aquática, basquete, futebol de mesa, futebol society, ginásticas aeróbica, artística e acrobática, handebol, hóquei in line, judô, karate, natação, Palmeiras Kids, taekwondo, tênis, tênis de mesa e vôlei.

O sucesso já era previsto depois da grande cerimônia de abertura, realizada na sexta-feira (18), no ginásio poliesportivo, com a presença do goleiro Weverton, do meio-campista Gustavo Scarpa e do lateral-esquerdo Victor Luis, atletas do Departamento de Futebol e padrinhos desta edição, além do corpo diretivo da Sociedade Esportiva Palmeiras.

De acordo com os coordenadores da CSD, Regina Braiani e Divanir Guimarães, a edição deste ano da Olimpíada foi muito especial. "Além do fato de ser uma competição que integra famílias e associados cada vez mais com o clube, todos os funcionários, professores e coordenadores trabalharam de forma muito empenhada, todos felizes e extremamente satisfeitos em ver a alegria dos associados mirins participantes e as respectivas famílias”.

O primeiro final de semana de competições, realizado nos dias 19 e 20 deste mês, contou com disputas no futsal, judô e ginásticas aeróbica e acrobática, pela manhã, tanto no sábado, quanto no domingo. Já no período da tarde, jogos de vôlei e futebol society aconteceram no Prédio Poliesportivo, com a presença das crianças do Palmeiras Kids. Além disso, tivemos competições no tênis e tênis de mesa.

Para o segundo e último final de semana (26 e 27), ficaram reservadas as disputas no basquete, ginástica esportiva, karate e futebol de mesa, todas realizadas no período da manhã, nas alamedas do clube social. Já no período da tarde, tivemos os jogos do futsal feminino, além das disputas de handebol e society.

> Clique aqui e confira as fotos do evento.

Confira a cerimônia de abertura do evento no vídeo da TV Palmeiras/FAM:

Alana Maldonado é campeã do Grand Prix IBSA e volta à liderança do ranking mundial

Angelo Salvioni
Departamento de Comunicação

Divulgação _ Alana é a melhor atleta do mundo em sua categoriaAlana Maldonado, judoca paralímpica do Palmeiras, obteve mais um prêmio internacional na carreira. Nesta terça-feira (24), em Tashkent, no Uzbequistão, a palmeirense conquistou a medalha de ouro do Grand Prix IBSA e retornou à liderança do ranking mundial na categoria médio feminino (até 70kg).

Para chegar ao lugar mais alto do pódio, a brasileira estreou com vitória contra Zulfiyya Huseynova, do Azerbaijão. Nas semifinais, superou Raziye Ulucam, da Turquia, por ippon. Já a decisão do título foi contra a uzbeque Vasila Aliboeva, adversária da judoca alviverde na final do Mundial de 2018, e Alana precisou de um minuto para vencer e ficar com o ouro.

A competição foi a última da judoca fora do Brasil na temporada 2019. O saldo, por sua vez, é extremamente positivo: são três medalhas de ouro (Grand Prix IBSA Tashkent, Aberto da Alemanha e GP Internacional) e três de prata (IBSA Judo Qualifier, Grand Prix IBSA Baku e Jogos Parapan-Americanos) até aqui. Vale lembrar que Alana não sabe o que é ficar de fora do pódio em torneios internacionais desde sua estreia na Seleção Brasileira, em 2015.

“Estou muito feliz por mais essa conquista. Encerrar o calendário de competições internacionais com um ouro é importante, pois faltam apenas 11 meses para os Jogos de Tóquio. Só tenho a agradecer a todos que torcem por mim, por acreditarem no meu trabalho. Agora devemos focar em cavar um lugar nas Paralimpíadas neste tempo que resta”, declarou.

O Grand Prix IBSA recebeu este nome em 2019 como substituição à Copa do Mundo, competição que Alana foi ao pódio pela quarta vez na carreira. A paratleta soma agora dois ouros (2017 e 2019) e duas pratas (2018 e 2019).

Mesmo subdivididos em peso, os judocas deficientes visuais possuem três classificações: B1 (completamente cego e não consegue ver nem distinguir o formato de uma mão, visto ter percepção luminosa nula), B2 (consegue ver vultos e distinguir o formato de uma mão – categoria de Alana) e B3 (capaz de definir imagens).

Angelo Salvioni
Departamento de Comunicação

Alexandre Schneider/EXEMPLUS/CPB _ Alana foi ao pódio em todos os torneios internacionais da carreiraAlana Maldonado, judoca do Palmeiras, conquistou a medalha de prata nos Jogos Parapan-Americanos de Lima, no Peru, neste domingo, na disputa da categoria feminina até 70kg. Vice-líder do ranking global e atual campeã mundial, a palmeirense foi ao pódio do torneio pela segunda vez na carreira, já que também foi prata nos Jogos de Toronto, no Canadá, em 2015.

Logo no primeiro combate, Alana teve pela frente a mexicana Lenia Alvarez, algoz nos últimos campeonatos. O duelo, um dos mais aguardados do Parapan, foi bastante equilibrado nos primeiros instantes. No entanto, a arbitragem viu falta de combatividade da brasileira durante a luta, e, por conta disso, a paratleta levou três punições, fato que deu a vitória à adversária.

Nos embates seguintes, a palmeirense derrotou por ippon logo nos primeiros segundos de luta as adversárias Christella Garcia, dos Estados Unidos, Nadia Boggiano, da Argentina, e Cynthia Simon, também dos EUA. Ela, inclusive, levou menos de um minuto para vencer os combates.

A judoca compete pela categoria B2 para deficientes visuais (consegue ver vultos e distinguir o formato de uma mão) e, desde sua chegada à Seleção Brasileira, em 2015, ela nunca ficou de fora do pódio em competições internacionais. A escrita foi mantida, e seu próximo compromisso com a Seleção Brasileira será o Grand Prix IBSA, em setembro, no Uzbequistão.

Com o encerramento das competições de judô, o Palmeiras foi ao pódio com seus dois representantes nos Jogos Parapan-Americanos. Além de Alana, Thiego Marques, dos pesos ligeiros masculinos (até 60kg), foi medalhista de bronze em sua primeira participação no torneio.

Angelo Salvioni
Departamento de Comunicação

Alexandre Schneider/EXEMPLUS/CPB _ Esta é a primeira participação de Thiego nos Jogos Parapan-AmericanosAs cores do Palmeiras estiveram muito bem representadas no primeiro dia de competições dos Jogos Parapan-Americanos de Lima, no Peru. Neste sábado (24), o judoca palmeirense Thiego Marques faturou a medalha de bronze nos pesos ligeiros masculinos (até 60kg) em sua primeira participação na história do torneio.

Para chegar ao pódio, o paratleta do Verdão enfrentou adversários duros e derrotou na disputa do bronze o canadense Justin Karn com um Waza-ari, em combate que durou quatro minutos. Antes da briga pelo prêmio, Thiego derrotou na estreia da categoria Ronald Hawthorne, dos EUA. Nas semifinais, acabou superado por Henry Borges, do Uruguai.

“As lutas foram muito boas. Bati na trave para chegar à final, mas é gratificante subir ao pódio na minha primeira participação nos Jogos Parapan-Americanos. Só tenho a agradecer a todos que me apoiaram nesse caminho. O trabalho continua, e o foco está em Tóquio e nos torneios que antecedem as Paralimpíadas”, declarou o judoca.

Thiego ingressou ao judô alviverde nesta temporada após grandes exibições em torneios universitários e convocação precoce à Seleção Brasileira com apenas 18 anos. O paratleta compete na categoria B3 para deficientes visuais (capaz de definir imagens).

Natural de Parauapebas, cidade localizada a 709 quilômetros da capital paraense Belém, o paratleta, atualmente com 20 anos, é portador do albinismo, mutação genética que inibe a produção de melanina, responsável pela cor da pele e dos cabelos. Uma das consequências deste distúrbio é a perda de visão, da qual o judoca conta com menos de 30% da capacidade.

O Palmeiras também será representado nos Jogos Parapan-Americanos de Lima neste domingo (25), com a judoca Alana Maldonado, atual campeã mundial paralímpica dos pesos médios femininos (até 70kg). Em sistema de todas contra todas nesta categoria, a paratleta enfrenta na competição Lenia Fabiola Alvarez (México), Nadia Boggiano (Argentina), Cynthia Simon (EUA) e Christella Garcia (EUA) em busca do ouro inédito.

Alexandre Schneider/EXEMPLUS/CPB _ Para ficar com o bronze, Thiego derrotou o canadense Justin Karn na disputa de terceiro lugar

Angelo Salvioni
Departamento de Comunicação

Um dos principais clubes do país, o Palmeiras tradicionalmente contribui para o esporte brasileiro com atletas que, inclusive, fizeram história no esporte nacional. Entre as diversas convocações ao Pan-Americano ao longo do tempo, o Verdão passou a ter representantes a nível internacional também no paradesporto, sobretudo nos Jogos Parapan-Americanos.

Em 2019, o Alviverde terá dois representantes no Parapan de Lima, no Peru. Ambos judocas: Alana Maldonado, campeã mundial da categoria de peso médio feminino (-70kg) e vice-líder do ranking mundial, e Thiego Marques, promessa do judô paralímpico brasileiro na categoria ligeiro masculino (-60kg) contratado pelo Verdão neste ano.

Fã das artes marciais desde o berço, Alana iniciou a carreira no judô aos quatro anos, sob forte influência da família e principalmente dos avós. No entanto, aos 14, descobriu que era portadora da doença de Stargardt, causadora de perda progressiva da visão central, mas que não afeta a visão periférica do indivíduo.

A judoca compete pela categoria B2 para deficientes visuais (consegue ver vultos e distinguir o formato de uma mão) e, desde sua chegada à Seleção Brasileira, em 2015, ela nunca ficou de fora do pódio em competições internacionais. No Parapan de Toronto, por exemplo, Alana foi medalhista de prata, e não falta empenho à paratleta para a busca do ouro inédito no torneio.

“O Parapan é a competição mais importante do ano. Quero o meu primeiro ouro para ajudar a colocar o Brasil onde ele merece, que é sempre no topo”, declarou a palmeirense, que foi eleita a atleta do ano pelo Comitê Paralímpico Brasileiro em 2018.

Federação Portuguesa de Judô _ Para ficar com o ouro no Mundial Paralímpico de Judô, Alana derrotou a uzbeque Vasila Aliboeva na decisão

Além do título mundial, a paratleta ostenta conquistas importantes desde sua chegada ao Palmeiras, em 2018, como dois ouros no German Open, dois vices-campeonatos da Copa do Mundo IBSA e o bicampeonato do GP Internacional, disputado neste ano em São Paulo. Com 24 anos recém-completados, Alana acumula outras conquista expressivas na carreira, como a medalha de prata nos Jogos Paralímpicos Rio 2016.

A judoca do Verdão estreia nos Jogos Parapan-Americanos de Lima neste domingo (05), em combate com a mexicana Lenia Fabiola Alvarez, algoz nos últimos campeonatos. Em sistema de todas contra todas, Alana ainda terá pela frente mais três adversárias pelo ouro nos pesos médios femininos: Nadia Boggiano (Argentina), Cynthia Simon (EUA) e Christella Garcia (EUA).

“Conheço a maioria das judocas que vão disputar o Parapan. Eu me preparei bastante, não só fisicamente, mas também estudando minhas principais adversárias. Chego a Lima 100% preparada para buscar o primeiro lugar”, completou a judoca.

Thiego, por sua vez, ingressou ao judô alviverde nesta temporada após grandes exibições em torneios universitários e convocação precoce à Seleção Brasileira com apenas 18 anos. O paratleta participa pela primeira vez dos Jogos Parapan-Americanos e vê o torneio como o mais importante da carreira.

“É muito gratificante participar do Parapan principalmente por se assemelhar bastante aos Jogos Paralímpicos. Estive no Japão e a sensação é bastante parecida, seja pela presença de uma vila de atletas, pela reunião da delegação brasileira. Tive contato com gente de esportes que eu não imaginava ter, e todos torcem por todos. Isso faz bastante diferença”, disse.

Divulgação _ Thiego e Alana dividem o tatame no Palmeiras

Natural de Parauapebas, cidade localizada a 709 quilômetros da capital paraense Belém, o paratleta, atualmente com 20 anos, é portador do albinismo, mutação genética que inibe a produção de melanina, responsável pela cor da pele e dos cabelos. Uma das consequências deste distúrbio é a perda de visão, da qual o judoca conta atualmente com menos de 30% da capacidade. O tema era motivo de bullying na escola durante a infância, e o judô o ajudou a dar a volta por cima por meio do esporte.

Uma de suas grandes referências na concentração do Parapan é o judoca Antônio Tenório, único tetracampeão paralímpico consecutivo da história. O experiente paratleta, atualmente com 48 anos, tem sido um dos “mentores” de Thiego na preparação ao torneio.

“Essa integração com atletas mais experientes é muito proveitosa. Nós dividimos quarto na concentração e ele é uma grande pessoa, além de vencedor. Trocamos muitas palavras, ideias, experiências, dicas de treino, concentração. Conviver com alguém com este currículo é um privilégio para minha carreira”, comentou o palmeirense.

A estreia de Thiego nos Jogos Parapan-Americanos entre os ligeiros masculinos (-60kg) será neste sábado (04), contra Ronald Hawthorne, dos Estados Unidos, nas quartas de final. O paratleta está incluído na categoria B3 para deficientes visuais (capaz de definir imagens).

Palmeiras no Parapan

O primeiro paratleta da história do clube a disputar os Jogos Parapan-Americanos foi Júlio César de Oliveira, em Toronto, no ano de 2015. Na ocasião, o arqueiro ficou na quinta colocação geral do certame e foi o melhor brasileiro nas disputas de tiro com arco.

Priscila Pedroso
Departamento de Comunicação

A Sociedade Esportiva Palmeiras promoveu neste sábado (17) a 51ª edição do Torneio Periquito de Judô, evento de artes marciais realizado desde 1968, e que está entre as atividades mais tradicionais do clube desde a fundação.

O evento teve início com a apresentação da equipe de cheerleaders do Verdão, que animou o público com uma série de acrobacias. Depois da exibição, o vice-presidente da Federação Paulista de Judô (FPJ) e mestre da cerimônia, José Jantália, cumprimentou a mesa e desejou boas-vindas às academias presentes.

A mesa foi composta pelo diretor de esportes não-profissionais, Gilson Marques, os diretores do judô, Ademar Baeta Filho e Alexandre Gaspar, os senseis Antônio Inácio e Tadeu Uehara, o cônsul do Japão no Brasil, Yoshihiro Kikuta, entre outros membros da diretoria alviverde e importantes personalidades do esporte no Brasil.

A competição contou com a participação de 1.200 atletas de 90 academias. As lutas foram realizadas nas categorias Sub-9, Sub-11, Sub-13, Sub-15, Sub-18, Sub-21, Sênior, Master e Judô Para Todos, classe formada por portadores de necessidades especiais (PNE). As premiações foram distribuídas aos atletas classificados em primeiro, segundo e terceiro lugares. Já na competição por equipes, as onze primeiras colocadas receberam troféus.

Um dos momentos mais emocionantes do torneio foi a homenagem prestada a dois atletas que fizeram parte da consolidação do judô alviverde no país, o campeão mundial Marco Aurélio Trinca, e Marcelo Almeida, o famoso baianinho. As esposas dos atletas, Célia Trinca e Mara Almeida, receberam buquês de flores e duas placas das mãos dos representantes do judô. Os agradecimentos também se estenderam ao presidente Maurício Galiotte por meio de uma medalha da competição.

A novidade da edição de 2019 ficou por conta dos alunos de judô da categoria infantil da Coordenadoria Sócio-Desportiva (CSD). As crianças deram um show nos tatames e mostraram tudo o que aprendem nas aulas ministradas no clube social, como o aquecimento, fundamentos básicos, técnicas em pé e no chão, além da luta. Todos os participantes da atividade foram premiados com medalhas.

Apesar de ser tradicional e sinônimo de sucesso, o Torneio Periquito de Judô continua trazendo novas emoções a cada ano. “Eu me arrepio quando falo do judô do Palmeiras. É muito gratificante ver o torneio chegando a sua 51° edição. O trabalho é árduo, mas temos a recompensa, que é ter a oportunidade de ver tantos convidados. O evento é uma tradição muito grande que nós nunca deixaremos acabar”, disse o diretor do judô Alexandre Gaspar.

A 51ª edição do Torneio Periquito de Judô contou com o apoio dos parceiros Treviolo Café, Casella Pizzas & Pastas, Rêve D’or Sport, Sacolão Lapa, Fantastic Brindes e Lunch Break.

>> Clique aqui e veja a classificação geral do 51º Torneio Periquito de Judô
>> Clique aqui e confira os vencedores por categoria
>> Clique aqui e confira as fotos do evento

Marylha Maieru
Departamento de Comunicação

Este sábado (10) foi marcado pelo Giro Esportivo, promovido pela Coordenadoria e aconteceu a partir das 10h, com uma programação diversificada de atividades físicas para todos os associados que queriam se movimentar nesta manhã.

Divulgação_Os associados praticaram diversas atividades físicas no Giro Esportivo, neste sábado (10)

O treino começou no ginásio poliesportivo intercalando as modalidades de basquete, caminhada, handebol, futsal e técnicas do judô adaptadas para o giro. Após duas horas suando a camisa, os associados foram para a quadra do society, no 6º andar do Prédio Poliesportivo para mais uma etapa da atividade.

Os participantes só tiveram descanso após a terceira e última parte do desafio: o vôlei de areia. A Quadra do Parquinho foi palco de um show que os associados deram com toques, manchetes e exercícios aeróbicos.

Para não perder nenhuma novidade do clube social do Palmeiras fique de olho na página do Facebook e no aplicativo Palmeiras Clube Social, disponível para plataformas iOS e Android.

Divulgação_Uma das etapas do Giro Esportivo foi na quadra de society

>> Clique aqui e confira as fotos do evento.

Angelo Salvioni
Departamento de Comunicação

A judoca alviverde Alana Maldonado faturou o vice-campeonato do torneio de qualificação da Federação Internacional de Desportos para Cegos (IBSA), que teve a final da categoria de peso médio feminino (-70kg) disputada nesta quinta-feira (04) em Indiana, nos Estados Unidos.

Divulgação _ Alana é um dos principais nomes do judô paralímpico mundial

Com lutas rápidas, a palmeirense chegou rapidamente à final da categoria após vitórias por ippon contra Kazusa Ogawa, do Japão, e Ping Wang, da China. Já na decisão do ouro, combate duríssimo com a mexicana Lenia Fabiola Alvarez, pedra no sapato de Alana nas últimas disputas. Após mais de quatro minutos de combate, a adversária levou a melhor por ter um Waza-ari de diferença para a brasileira, que sofreu duas penalidades.

Com a medalha, a paratleta do Verdão manteve a incrível escrita de não ficar de fora do pódio em competições internacionais pela Seleção Brasileira. O torneio de qualificação da IBSA é considerado o mais importante da temporada e conta pontos para o ranking mundial e faz parte do ciclo paralímpico dos Jogos de Tóquio, em 2020.

Em 2019, Alana já se sagrou tetracampeã do Grand Prix Internacional, medalhista de ouro do German Open e de prata no Grand Prix IBSA. A paratleta é a atual campeã mundial e vice-líder do ranking na categoria de peso médio (até 70kg).

Após o torneio nos Estados Unidos, a delegação brasileira embarca para o Japão, onde realiza aclimatação e treinos como parte do ciclo paralímpico até o final do mês de julho. Quem também estará com a equipe é o palmeirense Thiego Marques, que ficou com a quinta colocação na competição da IBSA na categoria ligeiro masculino (-60kg).

Departamento de Comunicação

Clique aqui e confira o regulamento.

Clique aqui e baixe o termo de inscrição.

Angelo Salvioni
Departamento de Comunicação

Um dos principais nomes do judô paralímpico brasileiro, a palmeirense Alana Maldonado disputa entre os dias 01 e 05 de julho um torneio de qualificação da Federação Internacional de Desportos para Cegos (IBSA), sediado em Indiana, nos Estados Unidos. A competição conta pontos para o ranking mundial e faz parte do ciclo paralímpico dos Jogos de Tóquio, em 2020.

Divulgação _ Alana é um dos principais nomes do Brasil na modalidade

Prata nos Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro, em 2016, a judoca do Verdão celebra a possibilidade de completar um ciclo de quatro anos de treinos antes de Tóquio, já que sua estreia na Seleção Brasileira ocorreu em 2015 – justamente no torneio de qualificação da IBSA, na Coreia do Sul. Naquela oportunidade, Alana foi medalhista de bronze.

“A categoria cresceu muito de 2015 para cá. Com um ano para o início dos Jogos, muita coisa pode acontecer. Estou bastante confiante principalmente por ter a chance de completar o ciclo preparatório para as Paralimpíadas e tenho a expectativa de trazer o ouro para casa, pois será o torneio mais importante da temporada”, declarou a palmeirense.

Em 2019, Alana já se sagrou tetracampeã do Grand Prix Internacional, medalhista de ouro do German Open e de prata no Grand Prix IBSA. Desde sua chegada à Seleção, em 2015, ela nunca ficou de fora do pódio em competições internacionais. A paratleta é a atual campeã mundial e vice-líder do ranking na categoria de peso médio (até 70kg).

Após o torneio nos Estados Unidos, a delegação brasileira embarca para o Japão, onde realizará aclimatação e treinos como parte do ciclo paralímpico até o final do mês de julho. Quem também estará com a equipe é o palmeirense Thiego Marques, reforço contratado pelo judô do Verdão neste ano e um dos principais talentos do masculino na categoria ligeiro (até 60kg).

Alana visitou recentemente a Academia de Futebol e foi tietada pelos jogadores do Verdão. Confira o vídeo especial feito pela TV Palmeiras/FAM: 

Angelo Salvioni
Departamento de Comunicação

Divulgação _ Gabrielly foi campeã de sua categoriaO judô do Palmeiras obteve bons resultados nas fases finais do Campeonato Paulista, disputadas no último final de semana no ginásio Milton Olaio Filho, em São Carlos (SP). Nos combates válidos pela categoria Aspirante, o Verdão obteve seu melhor desempenho, com uma medalha de ouro e duas de bronze.

Gabrielly Silva, atleta Sub-13 da categoria meio-pesado, sagrou-se campeã, enquanto os judocas Lucas Santana (Sub-13 – meio-leve) e Livia Correa (Sub-13 – médio) ficaram em terceiro lugar. Já pela disputa Sub-15, Luan Almeida (meio-leve) e João Yatabe (leve) terminaram a fase final do torneio estadual na quinta colocação.

Na disputa Senior, o Verdão esteve representado por Vitor Hugo Delgado (meio-leve), quinto lugar, e Marco Aurélio Trinca (meio-médio), que encerrou a competição em sétimo. A equipe palmeirense ainda disputa as fases finais do Paulista Sub-9, Sub-11 e Sub-21, programadas para este mês de junho.

Outros torneios

Os judocas alviverdes também disputaram recentemente o III Open de Aspirantes, com vitória do atleta Pedro Abreu (Sub-11 – médio), e o Paulista de Veteranos, com três medalhas: Paulo Ferreira (Master 7 – meio-médio – ouro), Maurício Gonçalves (Master 6 – médio – prata) e Niverci Ferreira (Master 7 – pesado – prata).

Angelo Salvioni
Departamento de Comunicação

O judô paralímpico do Palmeiras subiu ao pódio mais uma vez em 2019. Alana Maldonado, segunda melhor judoca paralímpica do mundo na categoria até 70kg, sagrou-se medalhista de prata do Grand Prix IBSA nesta terça-feira (14), em Baku, no Azerbaijão. Este foi o terceiro prêmio da atleta alviverde na temporada, já que foi campeã do Grand Prix Internacional e do Aberto da Alemanha – ambos no mês de março.

Gabriela Sabau/IJF _ Ao lado das brasileiras Meg Emmerich e Rebeca Souza, Alana exibe mais uma conquista na carreira

Para chegar à final, Alana derrotou as judocas Theodora Paschalidou (Grécia), número 13 do ranking mundial da categoria, e Vasila Aliboeva (Uzbequistão), número 3. Na grande decisão, a palmeirense foi superada pela mexicana Lenia Ruvalcaba Alvarez, algoz na disputa do ouro nos Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro, em 2016.

“Saio de Baku de cabeça erguida e com uma medalha de prata no peito. O ouro não veio por muito pouco, mas o que vale mesmo é ter mais uma grande experiência na bagagem. A temporada será bastante cheia, e o foco de agora é conseguir vaga nos Jogos Paralímpicos de Tóquio”, declarou Alana, que não sabe o que é ficar de fora do pódio em competições paralímpicas internacionais pela Seleção Brasileira desde sua primeira aparição, em 2015.

O Grand Prix IBSA recebeu este nome em 2019 como substituição à Copa do Mundo, competição que Alana foi ao pódio pela terceira vez na carreira. A atleta soma agora um ouro (2017) e duas pratas (2018 e 2019).

Quem também representou o Verdão no Grand Prix IBSA foi Thiego Marques, reforço adquirido pelo clube nesta temporada. Competidor da categoria até 60kg, o paraense derrotou na estreia o japonês Takaaki Hirai, mas foi superado na fase seguinte pelo georgiano Zurab Zurabiani.

Mesmo subdivididos em peso, os judocas deficientes visuais possuem três classificações: B1 (completamente cego e não consegue ver nem distinguir o formato de uma mão, visto ter percepção luminosa nula), B2 (consegue ver vultos e distinguir o formato de uma mão) e B3 (capaz de definir imagens).

Angelo Salvioni
Departamento de Comunicação

A equipe de judô do Palmeiras fez bonito na fase Inter Regional do Campeonato Paulista, disputada neste final de semana, em São Paulo (SP). Os judocas alviverdes entraram nos tatames pelas categorias Aspirantes (Sub-9, Sub-11 e Sub-13), Sub-15 e Sênior e foram premiados com 12 medalhas, sendo quatro ouros, quatro pratas e quatro bronzes.

Divulgação _ Os judocas da escolinha alviverde fizeram bonito no Clube Esportivo da Penha

Os campeões pelo Verdão foram Isabelle Alves (Sub-13 – meio-médio), Luan Almeida (Sub-15 – meio-leve), João Yatabe (Sub-15 – leve) e Ivonaldo Rodrigues (Sênior – ligeiro). Já as medalhas de prata foram conquistadas por Pedro Villani (Sub-11 – meio-pesado), Lucas Pereira (Sub-15 – médio), Caio Ferreira (Sênior – ligeiro) e Humberto Di Rienzo (Sênior – meio-médio).

Por fim, as medalhas de bronze do Palmeiras vieram com os judocas Jefferson Delgado (Sub-15 – ligeiro), Carlos Antunes (Sub-15 – meio-pesado), Adalberto Figueiredo (Sênior – ligeiro) e Marco Aurelio Trinca (Sênior – meio-médio).

Campeões e vice-campeões dos Aspirantes (Sub-9, Sub-11 e Sub-13), além dos quatro melhores colocados das disputas Sub-15 e Sênior, garantiram vaga na fase final do torneio estadual em suas respectivas categorias. As decisões estão marcadas para o mês de junho.

Palmeiras conquista quatro medalhas nas finais do Paulista Sub-18 de Judô

Angelo Salvioni
Departamento de Comunicação

A equipe Sub-18 de judô do Palmeiras subiu ao pódio quatro vezes nas finais do Campeonato Paulista, disputada neste sábado (04), no Centro de Especialidades Eliel Gomes, em Hortolândia (SP). Representado por 11 atletas, o Verdão faturou uma prata e três bronzes.

Boletim Osotogari _ Vinicius Ardina (prata) e Matheus Akio (bronze) fizeram dobradinha na categoria leve

Os atletas alviverdes premiados na etapa final do estadual foram Gabriel Santos (super ligeiro), Rogger Carvalho (meio-leve), Vinicius Ardina (leve) e Matheus Akio (leve). O palmeirense Pedro Santos, também da categoria leve, ficou na quinta colocação. A equipe foi acompanhada de perto pelo sensei palmeirense Antonio Inácio.

Também representaram o Verdão na decisão do Campeonato Paulista Sub-18 os atletas Matheus Cardoso (meio-médio), Victor Romero (meio-médio), Victor Sambatti (leve), Livia Barbosa (pesado), Soraya Oliveira (médio) e Helley Arruda (médio). Os judocas garantiram vaga na fase final graças aos desempenhos nas etapas Regional e Inter Regional da competição.

Pratique judô no Palmeiras

O Palmeiras promove aulas de escolinha de judô para associados de diversas faixas etárias, de terças a sextas, em diversos horários. Clique aqui para acessar a página voltada aos sócios no site oficial e confira a programação completa de atividades no clube.

Angelo Salvioni
Departamento de Comunicação

Divulgação _ O Verdão foi bem representado na categoria Sub-15Judocas da Sociedade Esportiva Palmeiras subiram cinco vezes ao pódio no Ajinomoto Open São Paulo, competição disputada no último final de semana, em São Paulo (SP). Ao todo, a equipe alviverde faturou cinco medalhas, sendo três de prata e duas de bronze.

Foram vice-campeões da competição pelo Verdão os atletas João Yatabe (Sub-15 – leve), Gabriel Santos (Sub-18 – super-ligeiro) e Vinicius Ardina (Sub-18 – leve). Já os bronzes vieram com Julia Sousa (Sub-21 – médio) e Luan Almeida (Sub-15 – meio-leve). Os palmeirenses Pedro Santos (Sub-18 – leve), José Iasbech (Sub-21 – leve) e Adalberto Figueiredo (Senior – ligeiro) ficaram com a quinta colocação de suas categorias.

O próximo compromisso do judô alviverde será a disputa da fase final do Campeonato Paulista Sub-18, marcada para os dias 3 e 4 de maio, em Hortolândia (SP). O Verdão será representado na competição por 11 atletas.

Pratique judô no Palmeiras

O Palmeiras promove aulas de escolinha de judô para associados de diversas faixas etárias, de terças a sextas, em diversos horários. Clique aqui para acessar a página voltada aos sócios no site oficial e confira a programação completa de atividades no clube.

Angelo Salvioni
Departamento de Comunicação

Divulgação _ O Verdão obteve 19 medalhas nas fases regional e inter-regional do PaulistaA equipe de judô do Palmeiras teve um final de semana repleto de pódios e medalhas na disputa das fases Regional e Inter-Regional do Campeonato Paulista, em São Paulo (SP), e do Campeonato Brasileiro da Região V (Sul e Sudeste), em Brusque (SC). Somadas as competições, o Verdão obteve 23 medalhas, sendo oito ouros, seis pratas e nove bronzes.

No Paulista Inter-Regional, os judocas palestrinos somaram 15 medalhas. Subiram ao lugar mais alto do pódio Helley Arruda (Sub-18 – médio), Rogger Carvalho (Sub-18 – meio-leve), Victor Sambatti (Sub-18 – leve), Matheus Novais (Sub-18 – meio-médio), Victor Amorim (Sub-21 – médio) e João Villalba (Sub-21 – pesado). Já as pratas vieram com Livia Barbosa (Sub-18 – pesado), Victor Romero (Sub-18 – meio-médio) e Willian Mota (Sub-21 – médio).

Os bronzes do Verdão na fase inter-regional estadual foram conquistados por Soraya Souza (Sub-18 – médio), Fernanda Santos (Sub-21 – leve), Julia Sousa (Sub-21 – médio), Pedro Santos (Sub-18 – leve), Luiz Batista (Sub-21 – meio-leve) e Juan Bispo (Sub-21 – meio-médio). Os medalhistas de ouro e prata já garantiram vaga na fase final do Paulista em suas categorias.

Na fase regional do Paulista, voltada para atletas iniciantes (Sub-9, Sub-11 e Sub-13), o Palmeiras obteve quatro medalhas, todas com judocas Sub-13: duas de ouro, com Gabrielly de Freitas (meio-pesado) e Kauan Perez (Sub-13 – leve), uma prata, com Livia Barasine (Sub-13 – médio), e um bronze, com Lucas Theodoro (Sub-13 – meio-leve). Os pequenos palestrinos são oriundos das escolinhas de judô do clube.

Já pelo Campeonato Brasileiro da Região V, os judocas alviverdes trouxeram quatro medalhas para São Paulo. Foram premiados com a prata na competição Isabelle Alves (Sub-13 meio-médio) e Vinícius Ardina (Sub-18 – leve), enquanto Vitor Hugo Carvalho (Sênior – meio-leve) e José Iasbech (Sub-21 – leve) faturaram o bronze.

O próximo compromisso dos judocas do Verdão será a disputa do Open São Paulo (Divisão Especial), marcada para o dia 27 de abril (sábado), em São Paulo (SP). O torneio contempla as categorias Sub-15, Sub-18, Sub-21 e Sênior.

Federação Catarinense de Judô _ O palmeirense Vitor Hugo Carvalho foi bronze pelos meio-leves da categoria Sênior

Angelo Salvioni
Departamento de Comunicação

Alana Maldonado, judoca paralímpica do Palmeiras, vive excelente fase. No último sábado (30), a paratleta alviverde se sagrou bicampeã dos pesos médios femininos (-70kg) no Aberto da Alemanha, disputado na cidade de Heidelberg, e chegou à segunda medalha de ouro na temporada, já que também venceu o Grand Prix Internacional Paralímpico neste ano.

Divulgação _ É a segunda vez seguida que a paratleta alviverde vence a competição

Para chegar ao segundo título consecutivo do torneio, a palmeirense venceu suas cinco adversárias por ippon: Natalie Greenhough (Grã-Bretanha), Matilde Lauria (Itália), Kazusa Ogawa (Japão), Elena Popova (Rússia) e Olga Zabrodskaya (Rússia), atual líder do ranking mundial da categoria. Alana é a vice-líder da lista e divide o topo constantemente com a russa.

“Estou muito feliz, pois sei que fiz um ótimo campeonato. A equipe brasileira no todo fez um grande torneio, com diversas medalhas. O ano será bastante cheio, e temos de focar agora na disputa da Copa do Mundo”, declarou Alana. Ao todo, a Seleção Brasileira faturou três ouros, duas pratas e um bronze.

Mesmo subdivididos em peso, os judocas deficientes visuais possuem três classificações: B1 (completamente cego e não consegue ver nem distinguir o formato de uma mão, visto ter percepção luminosa nula), B2 (consegue ver vultos e distinguir o formato de uma mão) e B3 (capaz de definir imagens). Alana, assim como suas adversárias, pertence à categoria B2.

Contratada pelo Verdão no ano passado e de contrato renovado até o fim de 2019, a judoca ostenta outras conquistas importantes na carreira, como os títulos do Mundial, da Copa do Mundo e do GP Internacional e o vice nos Jogos Paralímpicos Rio 2016. A atleta está com a Seleção Brasileira em Bordeaux, na França, para treinos preparatórios ao Grand Prix IBSA, marcado para acontecer no mês de maio, no Azerbaijão.

Angelo Salvioni
Departamento de Comunicação

O judô paralímpico da Sociedade Esportiva Palmeiras recebeu um reforço de peso para a temporada 2019. Atual medalhista de ouro do Grand Prix Internacional e número 17 do mundo na categoria ligeiro (-60kg), o paraense Thiego Marques se junta à Alana Maldonado, campeã mundial da modalidade em 2018, para defender as cores Verdão ao longo do ano.

Angelo Salvioni/Palmeiras _ Thiego e Alana foram trazidos ao Verdão por Denilson Lourenço, professor de judô do clube

Natural de Parauapebas, cidade localizada a 709km de distância da capital paraense Belém, o paratleta tem sido destaque da modalidade desde a adolescência com a conquista de diversas competições de idade escolar, como as Paralimpíadas Escolares, o Grand Prix e, principalmente, o vice-campeonato mundial de jovens, em 2013, nos Estados Unidos. Thiego celebrou a oportunidade de defender o judô alviverde e exaltou a grandeza do clube no esporte nacional.

“Reprensentar o Palmeiras é o mesmo que buscar o equilíbrio de uma balança. É uma honra grandiosa representar esse escudo, que vem também com a responsabilidade de defender um dos maiores times do país ao lado de uma campeã mundial paralímpica. Sei que tenho de dar o meu melhor para representar as cores do clube tanto no Brasil quanto no mundo”, declarou.

Com 20 anos de idade atualmente, o judoca é portador do albinismo, mutação genética que inibe a produção de melanina, responsável pela cor da pele e dos cabelos. Uma das consequências deste distúrbio é a perda de visão, da qual o paratleta conta atualmente com menos de 30% da capacidade. O tema era motivo de bullying na escola durante a infância, e o judô ajudou o paraense a dar a volta por cima através do esporte.

“Tive dificuldades para estudar e ter contato com outras pessoas. Isso acabou me afastando do pessoal. Eu também fazia parte de uma escola especial para deficientes visuais, e alguns colegas praticavam judô. Uma vez, eles me convidaram para participar e não saí mais. Peguei gosto pela coisa. Isso me ajudou a perder a timidez e ser incluído socialmente. Se não fosse o esporte, acredito que não teria as perspectivas e oportunidades que tenho hoje”, contou.

Descoberto no Pará pelo professor Antônio Sérgio Soares, que acumula participações na delegação da Seleção Brasileira de Judô Paralímpico, Thiego chamou a atenção pelo desempenho nas competições escolares e passou a participar de treinos com a equipe principal do Brasil. Já pelo time adulto, em 2017, foi bronze do Parapan-Americano e quinto lugar da Copa do Mundo, feitos que comprovaram o talento do garoto paraense na modalidade.

O próximo compromisso do palmeirense em competições paralímpicas é a Copa do Mundo de Baku, no Azerbaijão, em maio. Ele, assim como Alana Maldonado, representa a Seleção Brasileira em busca de sua primeira medalha de ouro em competições adultas fora do Brasil. Ambos são fortes candidatos a defender o país nos Jogos Parapan-Americanos de Lima, no Peru, no mês de agosto.

ELE SUPEROU O BULLYING E VIROU INSPIRAÇÃO NO PALMEIRAS

Angelo Salvioni
Departamento de Comunicação

A equipe do judô do Palmeiras obteve bom desempenho na Copa São Paulo de Veteranos, disputada no último domingo (24), no ginásio Adib Moysés Dib, em São Bernardo do Campo (SP). Sétimo colocado geral do torneio, que teve centenas de agremiações participantes, o Verdão faturou dois ouros, duas pratas e dois bronzes.

Divulgação _ Os veteranos do judô alviverde eram os atuais vice-campeões do torneio

As medalhas douradas do Alviverde foram conquistadas por Mauricio Gonçalves (Master 6 – médio) e Paulo Ferreira (Master 7 – meio-médio). Já as pratas vieram com os judocas Ricardo Simões (Master 4 – pesado) e Niverci Ferreira (Master 7 – pesado), enquanto os bronzes vieram com Humberto Di Rienzo (Master 2 – meio-médio) e Nelson Grandini (Master 6 – meio-médio).

O evento no ABC Paulista também contou com a disputa da modalidade “Judô Para Todos”, que tem como objetivo promover a inclusão, o bem-estar e o desenvolvimento de atletas portadores de deficiência. Os judocas palestrinos Felippe Reis e Caio Camargo subiram ao pódio com medalhas de ouro e bronze, respectivamente.

Em reformulação, o judô do Palmeiras também faturou medalhas na Copa São Paulo das categorias Sub-11, Sub-13, Sub-15, Sub-18, Sub-21 e Sênior. Ao todo, a equipe palestrina obteve sete medalhas, sendo três pratas e quatro bronzes.

Pratique judô no Palmeiras

O Palmeiras promove aulas de escolinha de judô para associados de diversas faixas etárias, de terças a sextas, em diversos horários. Clique aqui para acessar a página voltada aos sócios no site oficial e confira a programação completa de atividades no clube.

Angelo Salvioni
Departamento de Comunicação

A judoca palmeirense Alana Maldonado fez história mais uma vez. No último sábado (16), no CT Paralímpico, em São Paulo (SP), a paratleta do Verdão se sagrou campeã do Grand Prix Internacional pela quarta vez na carreira nos pesos médios femininos (-70kg), fazendo jus ao posto de melhor atleta do mundo em sua categoria.

CBDV/Divulgação _ Alana reencontrou adversárias da edição de 2018 do Grand Prix na disputa deste ano

Esta foi a primeira competição oficial de Alana na temporada 2019. Para ficar com a medalha de ouro, a atual campeã mundial paralímpica desbancou todas as suas adversárias por ippon: Karoline Duarte (ADESUL-CE), Brenda Freitas (CEIBC-RJ) e Érika Zoaga (ISMAC-MS).

Com o resultado, a paratleta segue sem saber o que é ficar de fora do pódio no torneio desde sua primeira participação, em 2015. Ao todo, são quatro títulos (2015, 2016, 2018 e 2019) e um vice-campeonato (2017) conquistados, além de um lugar na Seleção Brasileira.

“Este foi apenas o primeiro campeonato de um ano que será bastante movimentado. Daqui 15 dias estarei com a Seleção para mais um torneio. Estou bastante feliz com a conquista de mais um Grand Prix e espero conseguir trazer mais uma medalha internacional para o Brasil neste mês”, avaliou a judoca, que disputa no fim de março o German Open, na Alemanha.

Fã das artes marciais desde o berço, Alana Maldonado iniciou a carreira no judô aos quatro anos, sob forte influência da família e principalmente dos avós. No entanto, aos 14, descobriu que era portadora da doença de Stargardt, causadora de perda progressiva da visão central, mas que não afeta a visão periférica do indivíduo.

Contratada pelo Verdão no ano passado e de contrato renovado até o fim de 2019, Alana ostenta conquistas importantes desde sua chegada ao clube, como os ouros no Mundial e no GP Internacional e a prata na Copa do Mundo Paralímpica. Além disso, ela também foi vice-campeã dos Jogos Paralímpicos Rio 2016 e faturou os títulos da Copa do Mundo 2017, no Uzbequistão, e do German Open 2018, na Alemanha (todos na categoria 70kg).

Angelo Salvioni
Departamento de Comunicação

Divulgação _ Alana busca sua quarta medalha de ouro na história da competiçãoAtual campeã mundial de judô paralímpico, a palmeirense Alana Maldonado disputa a partir deste sábado (16) o Grand Prix Internacional de Judô Paralímpico, sediado no Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo (SP).

Melhor atleta feminina do planeta nos pesos médios (-70kg), a judoca é a atual campeã do GP em sua categoria. Para chegar ao lugar mais alto do pódio em 2018, Alana superou Erika Zoaga, da Associação Rondonopolitana de Deficientes Visuais (ARDV), Natalie Greenhough, da Grã-Bretanha, e Karoline Duarte, da APAE Leopoldina (MG) – todas por ippon.

Em treinamento com a Seleção Brasileira no CT Paralímpico desde o dia 7 de março, a palmeirense se vê preparada para brigar por pódio em todas as competições do ano. “É o primeiro campeonato de 2019. Será um ano bastante intenso, com diversos torneios principalmente fora do país, mas estou me sentindo muito bem e preparada para dar o meu melhor nos tatames”, declarou.

Curiosamente, Alana nunca ficou de fora do pódio do Grand Prix Internacional de Judô Paralímpico desde quando começou a disputar o torneio, em 2015 – mesmo ano em que foi convocada pela primeira vez à Seleção Brasileira. Desde então, são três medalhas de ouro (2015, 2016 e 2018) e uma de prata (2017).

Fã das artes marciais desde o berço, Alana Maldonado iniciou a carreira no judô aos quatro anos, sob forte influência da família e principalmente dos avós. No entanto, aos 14, descobriu que era portadora da doença de Stargardt, causadora de perda progressiva da visão central, mas que não afeta a visão periférica do indivíduo.

Contratada pelo Verdão no ano passado e de contrato renovado até o fim de 2019, Alana ostenta conquistas importantes desde sua chegada ao clube, como os ouros no Mundial e no GP Internacional e a prata na Copa do Mundo Paralímpica. Além disso, ela também foi vice-campeã dos Jogos Paralímpicos Rio 2016 e faturou os títulos da Copa do Mundo 2017, no Uzbequistão, e do German Open 2018, na Alemanha (todos na categoria 70kg).

Angelo Salvioni
Departamento de Comunicação

O judô do Palmeiras iniciou a temporada de 2019 com bons resultados no Torneio Yokichi Kimura, tradicional competição da modalidade disputada no último domingo (24), em Mogi das Cruzes (SP). De equipe renovada, o Verdão conquistou a sétima colocação geral, com quatro ouros, quatro pratas e cinco bronzes.

Divulgação _ A equipe palmeirense melhorou seu desempenho em relação ao ano passado

As medalhas douradas palestrinas vieram com os judocas João Yatabe (Sub-15 – leve), José Iasbech (Sub-21 – leve), Vitor Delgado (Sênior – meio-leve) e Gabrielly Silva (Sub-13 – meio-pesado). Já as pratas foram faturadas pelos atletas Rogger Carvalho (Sub-18 – meio-leve), Matheus Akio (Sub-18 – leve), Adalberto Figueiredo (Sênior – ligeiro) e Alecsander Medeiros (Sênior – médio).

Por fim, os bronzes do Verdão foram conquistados por Vinicius Ardina (Sub-18 – leve), Wallace Pereira (Sub-21 – ligeiro), Willian Mota (Sub-21 – médio), Caio Ferreira (Sênior – ligeiro) e Lívia Correa (Sub-13 – médio). As 13 medalhas obtidas pelos judocas palestrinos melhoraram o desempenho do clube no torneio em relação ao ano passado – em 2018, o Alviverde subiu ao pódio 12 vezes e ficou com o oitavo lugar geral.

A grande novidade do judô palmeirense para 2019 é a inclusão de judocas nas categorias Sub-9, Sub-11 e Sub-13 em competições chanceladas pela Federação Paulista de Judô. Os pequenos atletas são oriundos das escolinhas da modalidade para associados do clube, e a participação dos garotos em torneios oficiais visa estimular a formação de novos talentos das artes marciais alviverdes.

Já o destaque da temporada fica por conta de Alana Maldonado, atual campeã mundial paralímpica e eleita “Atleta do Ano” pelo Comitê Paralímpico Brasileiro. A judoca alviverde renovou seu vínculo com o clube até o fim de 2019 e, atualmente, lidera o ranking global de sua categoria (-70kg).

Campeã mundial, Alana Maldonado concorre ao prêmio de melhor atleta das Américas

Angelo Salvioni
Departamento de Comunicação

Alana Maldonado, judoca paralímpica do Palmeiras, é uma das candidatas ao prêmio de melhor atleta das Américas. Os concorrentes foram anunciados pelo Comitê Paralímpico das Américas na tarde desta quarta-feira (16), e o grande vencedor será definido pelo público até o dia 30 de janeiro (clique aqui e vote).

Federação Portuguesa de Judô _ Alana bateu na final do Campeonato Mundial a cazaque Vasila Aliboeva

Depois de temporada impecável em 2018, a paratleta alviverde foi indicada ao prêmio graças à conquista do Campeonato Mundial para Deficientes Visuais, em Portugal, entre judocas de peso médio (-70kg). Ela é a líder do ranking global de sua categoria e, inclusive, foi eleita “atleta do ano” pelo Comitê Paralímpico Brasileiro.

A palestrina concorre ao prêmio com Alberto Abarza, nadador chileno, Alejandro Perea Arango, ciclista colombiano, Camila Haase, nadadora costarriquenha, Fernando Fuentes, nadador salvadorenho, Gabriel Cuadra, do atletismo da Nicarágua, Gustavo Villafane, do basquete em cadeira de rodas da Argentina, Jose de Jesus Castillo, halterofilista mexicano, a canadense Mollie Jepsen e a americana Oksana Masters, ambas dos esportes na neve, e Pilar Jauregui, do badminton do Peru. 

Fã das artes marciais desde o berço, Alana Maldonado iniciou a carreira no judô aos quatro anos, sob forte influência da família e principalmente dos avós. No entanto, aos 14, descobriu que era portadora da doença de Stargardt, causadora de perda progressiva da visão central, mas que não afeta a visão periférica do indivíduo.

Com apenas 23 anos, a judoca vem em ascensão meteórica na modalidade e já acumula grandes feitos na carreira, como a medalha de prata nos Jogos Paralímpicos Rio 2016 e os ouros na Copa do Mundo 2017, no Uzbequistão, e no Open 2018, na Alemanha (todos na categoria 70kg).

Contratada pelo Verdão no ano passado e de contrato renovado até o fim de 2019, Alana ostenta conquistas importantes desde sua chegada ao clube, como a medalha de prata na Copa do Mundo Paralímpica e o ouro no Grand Prix Internacional Paralímpico após derrotar todas as adversárias por ippon.

Palmeiras promove peneira de judô e seleciona atletas para competirem pelo clube

Departamento de Comunicação

Para efetuar sua inscrição, acesse aqui o termo de inscrição e isenção de responsabilidade. O mesmo deve ser impresso, preenchido, assinado e rubricado em todas as páginas. O documento deve ser digitalizado e enviado para o e-mail [email protected] 

O atleta será considerado inscrito no momento em que receber a resposta por e-mail referente à confirmação da sua inscrição.

Documentos a serem entregues no dia do teste:

• Atestado Médico;
• Cópia do RG ou Certidão de Nascimento;
• Cópia do RG dos pais ou responsável legal;
• Cópia da carterinha do plano de saúde e/ou cópia do cartão do SUS;
• Ficha de inscrição e termo – assinados e com rubrica em todas as páginas.

Observação: o Palmeiras não disponibiliza alojamento para os atletas aprovados nas seletivas.

Esportes coroam melhor ano do clube no século com conquistas inéditas

Departamento de Comunicação

Em sintonia com as diversas conquistas obtidas em todas as categorias do futebol na temporada, os esportes do Palmeiras fizeram história em 2018. Além dos 17 títulos coletivos em sete modalidades diferentes, o Verdão reforçou o status de potência esportiva do Brasil com a conquista de inúmeras premiações individuais expressivas com atletas que representaram o país em diversas competições nacionais e internacionais.

A principal vitória palmeirense no ano veio dos tatames e de forma inédita, com a quebra de paradigmas relacionados ao protagonismo do esporte olímpico nas competições. Alana Maldonado, judoca paralímpica do clube, conquistou a medalha de ouro do Campeonato Mundial para deficientes visuais e se tornou a primeira da história do país a obter o prêmio máximo do torneio.

Fabio Menotti/Ag. Palmeiras/Divulgação_Alana conquistou dois ouros e uma prata desde sua chegada ao Verdão neste ano

Melhor judoca paralímpica do mundo nos pesos médios (-70kg), ela descobriu aos 14 anos ser portadora da doença de Stargardt – patologia que afeta a visão central, mas não prejudica a visão periférica do indivíduo –, mas já praticava desde os quatro o judô regular. Alana, inclusive, recebeu do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) o prêmio de atleta feminina do ano.

Também pelo judô, a transição para a categoria adulta das palmeirenses Ellen Froner, dos médios (-70kg), e Ketelyn Nascimento, dos leves (-57kg), tem ocorrido de forma memorável. As meninas do Verdão faturaram quase tudo o que disputaram e são as atuais campeãs pan-americanas, brasileiras, estaduais e da Taça Brasil em suas respectivas faixas de peso na Sub-21.

Divulgação_Cosme (esq.) e João (dir.) estão entre os melhores pugilistas do Brasil

No boxe, os atletas Cosme Nascimento, pugilista da categoria superpesado de Elite (+91kg) da Seleção Brasileira, João Victor Gomes, boxeador juvenil pesado (-91kg), e Kaian Reis, competidor cadete de peso leve (-60kg), levaram o nome do Verdão ao lugar mais alto do pódio com a conquista da medalha de ouro do Campeonato Brasileiro em suas respectivas categorias. O karate, por sua vez, teve boas apresentações individuais no Brasileiro e no Paulista.

Fora do país, a ginástica aeróbica esportiva alviverde honrou o manto e trouxe para o Brasil a conquista inédita da Copa Pan-Americana, no Peru, pela categoria infantojuvenil – o grupo é o atual vice-nacional. A força da equipe nas competições não é de hoje, já que o Verdão se sagrou campeão estadual geral da modalidade pela 13ª vez consecutiva. A ginástica do clube também foi ao pódio no ano na acrobática (Brasileiro) e na artística (Copa São Paulo).

Ivan Carvalho/Reprodução_As meninas desbancaram ginastas do Peru e da Argentina ao longo da competição pan-americana

No futsal, o Palmeiras obteve cinco conquistas de base, sendo quatro sobre o maior rival – uma metropolitana e três estaduais. A restante, inédita, veio com o Sub-9, campeão invicto da Taça Brasil – ao todo, a modalidade subiu ao pódio dez vezes na temporada. Além disso, o Alviverde teve dois representantes no título inédito dos Jogos Olímpicos da Juventude conquistado pela Seleção Brasileira Sub-18: o goleiro Mateus Barbosa e o ala Matheus Moura.

Ainda no futebol, mas no de mesa, o Alviverde chegou em 2018 ao heptacampeonato paulista, sendo um dos maiores ganhadores do torneio. O time palestrino ainda se sagrou vice-campeão mundial e sul-americano da modalidade e manteve a escrita de estar no pódio das principais competições de futmesa da temporada.

Bruno Basila/Divulgação_O Alviverde foi campeão estadual de hóquei in line adulto pela quarta vez na história

Os esportes de quadra também tiveram desempenho positivo no hóquei in line com a conquista do título estadual adulto e do vice-brasileiro, além de dois torneios na categoria júnior – Copa São Paulo e Tour Cup. Já o tênis alviverde levou a melhor no Paulista Interclubes na categoria Especial Masculina após final eletrizante contra o São Paulo.

O basquete palestrino, por sua vez, foi destaque principalmente pela dobradinha de títulos do time Sub-16, que se sagrou campeão estadual e nacional. Além disso, o Sub-14 faturou o caneco metropolitano, enquanto o plantel Sub-19 foi vice-paulista e terceiro colocado na Liga de Desenvolvimento (LDB) – melhor colocação da história do clube no torneio de base. Ao todo, o Verdão obteve dez pódios no ano na modalidade.

Nos campos, o Palmeiras Locomotives, time de futebol americano do Verdão, teve ano de destaque na modalidade flag (não equipado). A equipe feminina se sagrou vice-campeã estadual após grande campanha no título da Conferência Metropolis, além de chegar à final do Circuito Nacional 5×5. Já o time masculino disputou pela primeira vez na história o Austral Bowl e conquistou a medalha de bronze do torneio.

Sob as orientações das lendas Biriba e Hugo Hoyama, o tênis de mesa palmeirense elevou o nível de seus atletas e obteve conquistas individuais ao longo da temporada pelo Circuito Fedeesp – com uma das etapas realizadas no Palestra Italia – e pela Liga Nipo Brasileira. O tiro com arco alviverde, por sua vez, ostenta o posto de melhor trio do Brasil na categoria Composto Masculino Outdoor e 4º das Américas na categoria Indoor.

Divulgação_O trio formado por Rogério “Zero” de Lima, Fabio Tassinari e César Hideki é o melhor do Brasil no tiro com arco

Angelo Salvioni
Departamento de Comunicação

Divulgação _ Alana (esq.) e Denilson (dir.) foram os premiados do Verdão na noiteAtual campeã mundial de judô na categoria de peso médio (-70kg) para deficientes visuais, a palmeirense Alana Maldonado foi eleita a atleta do ano no Prêmio Paralímpicos, evento promovido pelo Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) na noite desta quarta-feira (12), no CT Paralímpico, em São Paulo (SP).

Este foi o segundo ano consecutivo em que a palestrina conquistou o prêmio de melhor atleta feminina da temporada. Além disso, ela também foi eleita como melhor expoente do judô paralímpico no ano. Também do Verdão, o sensei Denilson Lourenço recebeu o troféu de melhor técnico individual, já que é o responsável pelos treinamentos de Alana.

“Este prêmio foi para fechar o ano com chave de ouro. Foi uma noite incrível, de reconhecimento por todo o trabalho realizado na temporada. A alegria acabou sendo dobrada pelo Denilson também. É um grande técnico e que está nessa caminhada comigo há bastante tempo. Ele merece muito”, celebrou a judoca.

Fã das artes marciais desde o berço, Alana iniciou a carreira no judô aos quatro anos, sob forte influência da família e principalmente dos avós. No entanto, aos 14, descobriu que era portadora da doença de Stargardt, causadora de perda progressiva da visão central, mas que não afeta a visão periférica do indivíduo.

Além do título mundial e da liderança no ranking da IBSA (Federação Internacional dos Desportos para Cegos) em sua faixa de peso, a judoca ostenta conquistas importantes desde sua chegada ao Palmeiras, como a medalha de prata na Copa do Mundo Paralímpica e o ouro no Grand Prix Internacional Paralímpico após derrotar todas as adversárias por ippon.

Destaque do judô nacional nos últimos tempos, Alana, com apenas 23 anos, vem em ascensão meteórica na carreira e soma outros grandes feitos, como a medalha de prata nos Jogos Paralímpicos Rio 2016 e os ouros na Copa do Mundo 2017, no Uzbequistão, e no Open 2018, na Alemanha (todos na categoria 70kg).

Atletas do Palmeiras conquistam nove medalhas no Torneio Bioleve de Judô

Angelo Salvioni
Departamento de Comunicação

A equipe de judô do Palmeiras teve boa apresentação na 21ª edição do Torneio Bioleve, disputada no último final de semana, em Lindoia (SP). Representado por atletas de diversas categorias, o Alviverde subiu ao pódio nove vezes e faturou a nona colocação geral da competição, com quatro ouros, cinco pratas e um bronze.

As medalhas de ouro do Verdão vieram com Ellen Froner (Sênior – meio-pesado), atual melhor do mundo na categoria Sub-21 de peso médio, Wallace Pereira (Sub-18 – meio-leve), Fernando Nobrega (Sub-21 – médio) e José Guilherme Iasbech (Sênior- meio-médio).

Já as pratas foram conquistadas por Isabelle Alves (Sub-13 – leve), Anne Caroline Nogueira (Sênior – meio-pesado), Vinicius Ardina (Sub-18 – meio-médio), Juan Victor Bispo (Sub-21 – médio) e Ivonaldo Rodrigues (Sênior – ligeiro), e a medalha de bronze veio com o atleta João Paulo Villalba (Sub-21 – bronze).

Judokanbosch/Divulgação _ José Guilherme Iasbech foi um dos atletas palmeirenses a faturar o ouro

Pratique judô no Palmeiras

O Palmeiras promove aulas de escolinha de judô para associados de diversas faixas etárias, de terças a sextas, em diversos horários. Clique aqui para acessar a página voltada aos sócios no site oficial e confira a programação completa de atividades no clube.

Atletas do Verdão dão volta olímpica no Allianz Parque e exibem conquistas da temporada

Angelo Salvioni
Departamento de Comunicação

Os esportes do Palmeiras vivem grande fase em 2018. Na noite desta quarta-feira (21), às vésperas do jogo contra o América-MG, no Allianz Parque, pela 36ª rodada do Campeonato Brasileiro, atletas alviverdes do basquete, futsal e judô deram a volta olímpica na arena e exibiram à torcida suas conquistas que entraram para a galeria vitoriosa do clube.
[album]

O histórico cântico palmeirense "com o pé e com a mão, o Palestra é campeão", entoado pela primeira vez na década de 30, encaixou-se perfeitamente aos atletas do basquete e do futsal. A modalidade da bola laranja se sagrou campeã invicta do Brasileiro Interclubes Sub-16, com seis vitórias em seis partidas. Já o time Sub-14 palestrino faturou o título metropolitano de base e disputa a partir desta sexta-feira (23) o quadrangular do Estadual da categoria.

O futsal palestrino, por sua vez, tem se consolidado nos últimos anos como melhor base de São Paulo. Os resultados em quadra nas últimas quatro temporadas são incontestáveis e, em 2018, o time Sub-9 venceu pela primeira vez na história a Taça Brasil de Clubes, com cinco vitórias em cinco partidas, 30 gols marcados (melhor ataque) e três sofridos (defesa menos vazada), além do posto de time mais disciplinado da competição.

Nos tatames, a paratleta Alana Maldonado entrou para a história do paradesporto brasileiro ao conquistar de forma inédita para o país a medalha de ouro do Campeonato Mundial de Judô na categoria de peso médio (até 70kg). Foi o terceiro e mais importante pódio da judoca desde sua chegada ao Verdão, em 2018, já que ela também foi prata na Copa do Mundo Paralímpica e campeã do Grand Prix Internacional Paralímpico após derrotar todas as adversárias por ippon.

Destaque do judô nacional nos últimos anos, Alana, que tem apenas 23 anos e é treinada no Verdão pelo sensei Denilson Lourenço, vem em ascensão meteórica e soma outras grandes conquistas na carreira, como a medalha de prata nos Jogos Paralímpicos Rio 2016 e os ouros na Copa do Mundo 2017, no Uzbequistão, e no Open 2018, na Alemanha (todos na categoria 70kg).

As modalidades competitivas da Sociedade Esportiva Palmeiras Palmeiras têm feito história em 2018 com conquistas estaduais, nacionais e internacionais de expressão. Clique aqui e fique por dentro da página voltada às notícias e à agenda dos eventos esportivos do Verdão!

Confira a volta olímpica dos esportivas alviverdes pelas lentes da TV Palmeiras/FAM:

Clube social tem sábado recheado de atrações e magia do Natal

Marylha Maieru
Departamento de Comunicação

Os associados que estavam no clube neste sábado (17) puderam escolher entre diversas atrações para curtir o pré-feriado.

O dia começou às 9h30 para quem estava disposto a encarar o Giro Esportivo. No ginásio poliesportivo, os professores da Coordenadoria organizaram um circuito de modalidades de futsal, pilates e jump só para começar. A turma foi dividida em equipes e, após cada uma participar de cada modalidade, se reuniram para uma aula experimental de karatê, finalizando com ioga. Ainda no Giro Esportivo, os associados saíram da quadra e foram direto para a piscina semiolímpica curtir uma aula de hidroginástica. Clique aqui e confira as galeria de fotos do evento!

Divulgação_O Giro Esportivo movimentou a manhã de sábado (17) na sede social

Mas o que todos estavam esperando aconteceu às 11h30: a chegada do Papai Noel. Os associados fizeram fila para tirar fotos e as crianças ganharam presentes de Natal adiantado. Com um traje verde e muita simpatia, o nosso bom velhinho atendeu a todos e ouviu diversos pedidos para o dia 25 de dezembro.

> Palmeiras promove ação de solidariedade em chegada do Papai Noel no clube. Veja como foi!

Após todas essas atrações, o associado também teve a opção de almoçar uma bela feijoada no clube com uma boa música no evento Samba com Feijoada, realizado no Terraço Palestra Italia, até às 16h30.

Há quem estendeu a feijoada e já ficou para o Karaokê na SEP, além dos associados que vieram apenas prestigiar mais uma edição do evento. Clássicos como Evidências e Vou Festejar foram cantados pelos participantes, no Restaurante Jardim Suspenso.

Lembrando que o clube social estará aberto nesta segunda-feira (19), com horário de funcionamento das 6h às 19h.

Angelo Salvioni
Departamento de Comunicação

Divulgação _ Este foi o terceiro título internacional da atleta desde sua chegada ao VerdãoAlana Maldonado, judoca paralímpica do Palmeiras, fez mais uma vez história na modalidade. Neste sábado (17), a paratleta conquistou a medalha de ouro no Campeonato Mundial de Judô Paralímpico, para deficientes visuais, em Lisboa, Portugal. Líder do ranking internacional na categoria de peso médio (-70kg), a palestrina venceu todas as suas lutas na competição.

O caminho até o topo do pódio não foi fácil. Por ser cabeça de chave, Alana folgou na primeira rodada e estreou com triunfo sobre Zulfiyya Huseynova, do Azerbaijão. Em seguida, já pelas semifinais, venceu por ippon Lucija Breskovic, da Croácia, número oito do mundo.

Na decisão do ouro, a oponente foi a uzbeque Vasila Aliboeva, sexta colocada no ranking mundial. O combate foi duro para Alana, que perdia nas punições até os 28 segundos finais de luta. No entanto, a palmeirense conseguiu imobilizar a adversária e, assim, garantir o título da competição internacional de forma emocionante.

“Valeu a pena todo o esforço, tanto é que fiquei bem exausta no final. Ainda não caiu a ficha do peso dessa medalha do Mundial, mas, felizmente, deu tudo certo. Tive um ano difícil principalmente por conta da lesão, mas o resultado positivo veio”, declarou a atleta, recuperada de grave lesão no joelho a tempo de disputar o torneio mundial.

Este foi o terceiro título internacional da paratleta desde sua chegada ao clube alviverde nesta temporada. Além do ouro no Mundial, Alana foi prata na Copa do Mundo Paralímpicacampeã do Grand Prix Internacional Paralímpico, disputado no mês de março, em São Paulo (SP), após derrotar todas as adversárias por ippon.

Destaque do judô nacional nos últimos anos, Alana, com apenas 23 anos, vem em ascensão meteórica e soma outras grandes conquistas na carreira, como a medalha de prata nos Jogos Paralímpicos Rio 2016 e os ouros na Copa do Mundo 2017, no Uzbequistão, e no Open 2018, na Alemanha (todos na categoria 70kg).

Mesmo subdivididos em peso, os judocas deficientes visuais são classificados em três níveis: B1 (completamente cego e não consegue ver nem distinguir o formato de uma mão, visto ter percepção luminosa nula), B2 (consegue ver vultos e distinguir o formato de uma mão e B3 (capaz de definir imagens). Alana é portadora da doença de Stargardt (que degenera a visão central do indivíduo) desde os 14 anos e, por conta disso, pertence à categoria B2, já que a enfermidade não prejudica a visão periférica da paratleta.

Angelo Salvioni
Departamento de Comunicação

Alana Maldonado, principal paratleta feminina brasileira de 2017, participa nos dias 16, 17 e 18 de novembro do Campeonato Mundial Paralímpico de Judô, principal competição da modalidade após os Jogos Paralímpicos com sede em Lisboa, Portugal. A judoca disputa a premiação na categoria de peso médio (-70kg) para deficientes visuais.

Divulgação _ A atleta recebeu neste ano o 2º Dan, graduação concedida aos judocas pelo tempo de faixa preta

Assista ao vivo às lutas da competição clicando aqui e aqui.

Recuperada de lesão no joelho, a judoca teve outro feito recente para comemorar: ela segue na liderança do ranking mundial de sua faixa de peso, com 850 pontos. Alana é seguida de perto na lista pela russa Olga Zabrodskaia, algoz na final da Copa do Mundo da Turquia, com 840 pontos. No Mundial, a palmeirense disputa também a premiação por equipes.

Presença constante na Seleção Brasileira em competições internacionais, Alana mostra otimismo com a oportunidade de trazer mais uma medalha para o Brasil. “Estou bem feliz de ir ao Mundial. É uma grande conquista, pois venho de lesão e me dediquei ao máximo para conseguir integrar a equipe. A recuperação foi incrível tanto da parte médica quanto da fisioterapia. Tive bastante apoio de todos os lados e isso me deixou ainda mais confiante para buscar um lugar no pódio”, disse.

Mesmo subdivididos em peso, os judocas deficientes visuais são classificados em três níveis: B1 (completamente cego e não consegue ver nem distinguir o formato de uma mão, visto ter percepção luminosa nula), B2 (consegue ver vultos e distinguir o formato de uma mão – caso de Alana) e B3 (capaz de definir imagens).

Este é o terceiro torneio internacional da paratleta desde sua chegada ao clube alviverde nesta temporada. Além da prata na Copa do Mundo Paralímpica, Alana foi campeã do Grand Prix Internacional Paralímpico, disputado no mês de março, em São Paulo (SP), após derrotar todas as adversárias por ippon.

Destaque do judô nacional nos últimos anos, Alana vem em ascensão meteórica e soma outras grandes conquistas na carreira, como a medalha de prata nos Jogos Paralímpicos Rio 2016 e os ouros na Copa do Mundo 2017, no Uzbequistão, e no Open 2018, na Alemanha (todos na categoria 70kg).

Alviverdes são vice-campeãs mundiais por equipes pela Seleção Sub-21 de Judô

Angelo Salvioni
Departamento de Comunicação

Duas judocas do Palmeiras subiram ao pódio no Campeonato Mundial Sub-21, disputado na última semana em Nassau, nas Bahamas. Ketelyn Nascimento, dos pesos leves (-57kg), e Ellen Froner, dos médios (-70kg), faturaram a medalha de prata na modalidade por equipes pela Seleção Brasileira no último domingo (21) e coroaram a boa fase na temporada.

Marina Mayorova/IJF.org _ Ellen (azul) derrotou nas quartas da disputa por equipes a russa Madina Taimazova

A competição coletiva reuniu sete países. O Brasil estreou diante da Rússia e, com o placar apertado de 5 a 4, avançou às semifinais contra o Cazaquistão. Nesta fase, vitória expressiva por 5 a 1, com direito a grande exibição das palmeirenses, e vaga na final diante do Japão, que levou o ouro.

As meninas do judô palestrino também lutaram pelas suas respectivas categorias. Ellen, que ficou na quinta colocação, é a melhor atleta Júnior do mundo em sua faixa de peso, e Ketelyn é a número dois entre judocas Sub-21 de peso leve.

Mesmo com idades para disputas Júnior, as atletas palestrinas têm aparecido com frequência em torneios adultos organizados pela Confederação Brasileira de Judô (CBJ) como parte do processo de transição para a categoria Sênior. Elas, inclusive, podem figurar na Seleção Brasileira que disputará o Grand Prix em Haia, na Holanda, e o Grand Slam em Osaka, no Japão – ambos em novembro.

Atuais campeãs do Pan-Americano Sub-21, as meninas também conquistaram neste ano o Campeonato Brasileiro, a Taça Brasil e o Estadual em suas faixas etárias nesta temporada. O próximo compromisso pela categoria será o Campeonato Brasileiro Interclubes – Seletiva Nacional, marcado para os dias 1 e 2 de dezembro, em Curitiba (PR).

Gabriela Sabau/IJF.org _ Com um ippon, Ketelyn (branco) venceu a cazaque Aiida Karchayeva nas semifinais por equipes

Primeiro dia da XXX Olimpíada da Criança reúne esportes e muita animação

Marylha Maieru
Departamento de Comunicação

O clube social começou o sábado (20) movimentado desde às 9h para o primeiro dia de jogos da XXX Olimpíada da Criança. Com muita ansiedade e animação, as crianças se preparavam para as competições das modalidades.

Divulgação_No primeiro dia da Olimpíada, os pequenos associados participaram de demonstrações e competições de judô

A ginástica aeróbica deu o “start” nas disputas, no ginásio poliesportivo. As ginastas se dividiram em grupos e fizeram apresentações de 30 segundos cada. Para os associados que estavam no local e que não assistiram à abertura da olimpíada, foi possível ver um “replay” da dança das atletas federadas do Palmeiras. As famílias de cada participante foram convidadas para entrarem em quadra e, com muita emoção, entregarem as medalhas.  

> Para saber como foi a abertura da XXX Olimpíada da Criança clique aqui.

Saindo do ginásio e indo para o 2º andar do Prédio Multiuso, diversas competições aconteciam ali: futebol de mesa, judô e taekwondo. Na sala de judô, as crianças participantes de até 7 anos fizeram demonstrações de golpes da modalidade a todos os pais que estavam prestigiando-os. Após 40 minutos de apresentação, os menores deram lugar aos inscritos de até 13 anos, que foram divididos em equipes e duplas para lutarem.

Subindo um andar, no 3º do Prédio Multiuso, as meninas da ginástica artística também deram um show nas apresentações e todas foram medalhistas.

O Palmeiras Kids foi a atração do dia. A grande turminha se dividiu em três equipes que passaram por três modalidades preparadas pelos professores: atletismo, arremesso de peso e salto. Todos os alunos participaram e ganharam medalhas.

O dia seguiu com competições de futsal, futsal feminino, tênis de mesa, tênis, vôlei e society. Os próximos dias com jogos da XXX Olimpíada da Criança são 26 e 27 de outubro com apresentações das modalidades de hóquei, natação, karatê, basquete e handebol.

Clique aqui e confira as fotos do primeiro dia de jogos da XXX Olimpíada da Criança.

Judocas Sub-21 do Verdão são medalhistas de bronze no Brasileiro Sênior

Angelo Salvioni
Departamento de Comunicação

As judocas Sub-21 palestrinas Ketelyn Nascimento, de peso leve feminino (-57kg), e Ellen Froner, dos médios (-70kg), faturaram medalhas de bronze no Campeonato Brasileiro Sênior, torneio que teve suas finais disputadas nesta quarta-feira (10), no Centro Pan-Americano de Judô, em Lauro de Freitas (BA).

Divulgação _ Ellen e Ketelyn estão entre as principais atletas Júnior do mundo

Número dois do ranking mundial Júnior, Ketelyn, que recentemente foi bronze no Troféu Brasil Interclubes com direito a vitória sobre a campeã olímpica Rafaela Silva, derrotou na disputa de terceiro lugar Milena Matias, do Clube Rocha, número quatro do ranking nacional Sênior.

Já Ellen, melhor atleta Sub-21 do mundo em sua faixa de peso e atual campeã da Copa Pan-Americana e do Sul-Americano Sênior, teve pela frente na decisão do bronze Bruna da Silva, do Grêmio Náutico União, e levou a melhor.

Mesmo com idades para disputas Júnior, as atletas palestrinas têm aparecido com frequência em torneios adultos organizados pela Confederação Brasileira de Judô (CBJ) como parte do processo de transição para a categoria Sênior.

Atuais campeãs do Pan-Americano Sub-21, as meninas também conquistaram neste ano o Campeonato Brasileiro, a Taça Brasil e o Estadual em suas faixas etárias nesta temporada. As atletas ainda disputam o Campeonato Mundial Júnior, em Nassau, nas Bahamas, no período de 17 a 21 de outubro.

Morre Marco Trinca, atleta multicampeão master pelo judô do Palmeiras

Departamento de Comunicação

Divulgação _ Trinca conquistou recentemente os ouros nos torneios continentaisFaleceu na noite desta segunda-feira (24), na cidade de Suzano (SP), Marco Aurélio Trinca, judoca master multicampeão pela Sociedade Esportiva Palmeiras. Atual medalhista de ouro do Pan e do Sul-Americano da categoria, o atleta de 53 anos se preparava para o Mundial de Veteranos, marcado para o mês de outubro, quando sofreu uma parada cardiorrespiratória.

Trinca chegou ao clube alviverde em 2005 e, ao longo de décadas, acumula inúmeras conquistas individuais pela categoria Master, como três títulos mundiais, dois pan-americanos, dois sul-americanos, oito brasileiros, dez paulistas, cinco Copas São Paulo, três Open São Paulo, entre outros tantos. Além disso, foi duas vezes campeão mundial master por equipes.

O velório de Marco Aurélio Trinca será realizado no Complexo Poliesportivo Paulo Portela, na Rua Barão de Jaceguai, 375, em Suzano (SP), a partir das 16h de hoje. Já o enterro está marcado para o Cemitério São Sebastião nesta quarta-feira (26), às 16h, na mesma cidade.

O eterno judoca palestrino deixa a mulher Célia e dois filhos: Marco Aurélio e Yasmin. A Sociedade Esportiva Palmeiras se solidariza com familiares e amigos do atleta, que levou o nome do clube inúmeras vezes ao lugar mais alto do pódio ao longo de sua vitoriosa carreira.

Judocas alviverdes vão ao pódio no Paulista por Faixas e no IV Open de Veteranos

Angelo Salvioni
Departamento de Comunicação

Os judocas do Palmeiras entraram nos tatames no último final de semana para a disputa do Campeonato Paulista por Faixas, sediado em Itapecerica da Serra (SP). Participaram da competição faixas marrons Sub-18 e acima, que, se campeões de suas respectivas categorias, seriam promovidos à faixa preta, e o Verdão teve três atletas contemplados com o primeiro lugar da competição.

Pelo feminino, Ellen Froner, número um do ranking mundial Sub-21 na categoria médio (-70kg), conquistou o topo após superar na final Pamela Palma, do Paineiras. No masculino, o Sub-18 Victor Hugo “Colossus” Nascimento, dos meio-médios (-73kg), foi premiado depois de vencer Wilgner Mendes, do Centro Olímpico. Por fim, Juan Bispo, da mesma faixa etária, derrotou na decisão dos médios (-81kg) Gabriel Arevalo, da Associação Rogério Sampaio.

Ainda pela equipe palestrina, Ivonaldo Rodrigues, dos ligeiros (-60kg), e José Guilherme Iasbech, dos leves (-73kg), ficaram na terceira colocação da competição, mas não conquistaram a troca de faixa.

Já o no IV Open de Veteranos, também disputado em Itapecerica da Serra (SP), o Palmeiras teve três medalhistas. Faturaram ouro Marco Aurélio Trinca, na categoria Master 5 (meio-médio), e Niverci Ferreira, na Master 7 (pesado). Já a prata foi conquistada por Lucimar Rocha, na Master 6 (meio-médio).

Divulgação _ Victor Hugo Nascimento foi um dos palmeirenses campeões do torneio de faixas

Judoca Sub-21 do Palmeiras é convocada para o Mundial Sênior pela Seleção

Angelo Salvioni
Departamento de Comunicação

Ellen Froner, judoca Sub-21 do Palmeiras e líder do ranking mundial feminino entre atletas de peso médio (-70kg), foi convocada pela primeira vez na carreira para integrar a equipe da Seleção Brasileira que disputará o Campeonato Mundial Sênior entre os dias 20 a 27 de setembro, em Baku, no Azerbaijão.

A atleta do Verdão se apresenta à Confederação Brasileira de Judô (CBJ) já neste sábado (1) para cinco dias de treinamento de campo em Pindamonhangaba (SP). Depois disso, entre os dias 12 e 18 de setembro, a seleção nacional fará a concentração final para a competição em Sainte-Généviève de Bois, cidade localizada nos arredores de Paris, na França.

A judoca palmeirense vive ascensão meteórica no judô nacional desde 2015 e, nesta temporada, já se sagrou campeã Sub-21 europeia, brasileira, estadual e da Taça Brasil, além de faturar o Pan e o Sul-Americano Sênior em Lima, no Peru. Ela ainda tem presença garantida no Mundial Junior, marcado para o mês de outubro, nas Bahamas.

Em transição para a categoria adulta pela Seleção Brasileira, a judoca lidera também os rankings nacional e paulista de sua faixa de peso e, assim como a palmeirense Ketelyn Nascimento, segunda melhor atleta Sub-21 do mundo nos leves (-57kg), é um dos potenciais nomes aos Jogos Pan-Americanos de 2019 e às Olimpíadas do Japão, em 2020.

Judo Perú _ Ellen conquistou nesta temporada a Copa Pan-Americana, um dos primeiros títulos adultos da carreira

Angelo Salvioni
Departamento de Comunicação

A Sociedade Esportiva Palmeiras promoveu neste sábado (25) a celebração dos 50 anos do Torneio Periquito de Judô, um dos eventos de artes marciais mais tradicionais do Brasil, repleto de emoção, muitos combates e homenagens àqueles que fizeram da competição uma das mais importantes do calendário esportivo do clube ao longo de cinco décadas.

Realizado desde 1968 de forma consecutiva, o torneio deste ano seguiu à risca a tradição histórica: mais de 1000 atletas de 70 academias lotaram o ginásio do Palestra Italia, recém-reformado para receber eventos de grande porte. O ponto alto do Periquito de Judô foi a presença de Nobuharu Harada e Yoshihiro Kikuta, cônsules do Japão no Brasil, em forma de homenagem aos 110 anos da imigração japonesa no país.

Fabio Menotti/Ag. Palmeiras/Divulgação _ O presidente Maurício Galiotte esteve com Yoshihiro Kikuta, um dos cônsules japoneses homenageados

Tradição há pelo menos 20 anos, a cerimônia de abertura teve como mestre José Jantália, vice-presidente da Federação Paulista de Judô, que deu as boas-vindas às academias presentes e saudou o Palmeiras, organizador do evento. Antes do discurso, a equipe de cheerleaders do Verdão animou o público com exibições acrobáticas.

Além dos cônsules japoneses, que puderam ouvir o hino do Japão na cerimônia de abertura, foram condecorados à mesa Enrique Guillen e Gilson Marques, diretores de esportes olímpicos, Silvio Katsuragi, diretor de relações externas, Guilherme Ribeiro, diretor social, Ademar Baeta Filho e Alexandre Gaspar, diretores do judô, Antônio Inácio, Tadeu Uehara e Denilson Lourenço, senseis do judô alviverde, entre outros membros da diretoria alviverde e de demais clubes.

“É uma honra muito grande chegar ao torneio de número 50. Reunir nomes do passado e do presente que fizeram e fazem parte dessa história é algo único. Dói um pouco ver os atletas lutando, pois dá saudade e muita vontade de colocar o quimono e lutar. Felizmente existem muitas pessoas que auxiliam na manutenção dessa tradição e esperamos realizar ainda muitas edições do Periquito daqui para frente”, declarou Alexandre.

O dia também foi repleto de homenagens. Além do troféu presenteado ao presidente Maurício Galiotte, nomes que fizeram e fazem parte da consolidação do judô alviverde como um dos mais importantes do país foram lembrados. Entre os pioneiros, Eduardo Murta, Carlos “Fuscão” Pacheco, Domingos Silvestrini e Fernando Kojima, integrantes da primeira turma de judô da história do Palmeiras, e Moacyr Daré, diretor do judô palestrino nas décadas de 80 e 90.

Gabriel Cabrera, do Sub-11, e Catarina Dizioli, do Sub-15, receberam a medalha especial em alusão ao futuro do judô palmeirense, que conta atualmente com grandes nomes no cenário internacional, como Ellen Froner, líder do ranking mundial Sub-21 feminino nos pesos médios (-70kg), e Ketelyn Nascimento, segunda melhor judoca Junior do mundo nos leves (-57kg).

Fabio Menotti/Ag. Palmeiras/Divulgação _ O torneio lotou as dependências do ginásio poliesportivo do Verdão

As lutas foram realizadas nas categorias Sub-9, Sub-11, Sub-13, Sub-15, Sub-18, Sub-21, Sênior, Master e Judô Para Todos – categoria que tem como objetivo promover a inclusão, o bem-estar e o desenvolvimento de portadores de necessidades especiais (PNE). As premiações foram distribuídas aos judocas classificados em primeiro, segundo e terceiro lugares de cada classe, e o Palmeiras não concorreu ao troféu por equipes em decorrência da inscrição de número ilimitado de atletas. A 50ª edição do Torneio Periquito contou com o apoio dos parceiros Bioleve, Treviolo Café, Casella Pizzas & Pastas, Rêve D'or Sport, Sacolão Lapa e Fantastic Brindes.

Clique aqui e confira os vencedores por categoria

Clique aqui e veja a classificação geral do 50º Torneio Periquito de Judô

Clique aqui e confira as fotos do evento

Angelo Salvioni
Departamento de Comunicação

Um dos maiores berços de grandes atletas do judô nacional, a Sociedade Esportiva Palmeiras recebe neste sábado (25), a partir das 8h, a 50ª edição do Torneio Periquito, um dos mais tradicionais do país, no ginásio poliesportivo do clube. São previstos mais de 1000 participantes de 66 academias no evento, que celebra também os 110 anos da imigração japonesa ao Brasil.

Acervo Histórico _ A primeira turma do clube que disputou o Periquito em 1968 reuniu o sensei Fukyio Nakano e o diretor Luiz Wallace Nigro na primeira fila (esq. para dir.)

Com sua tradição cinquentenária, o Torneio Periquito de Judô é organizado consecutivamente pelo Palmeiras desde a fundação do antigo Departamento de Defesa Pessoal do clube, em 1968, sob a gestão do então presidente em exercício Delfino Facchina e tutela diretiva de Luiz Wallace Nigro, que reunia anteriormente três artes marciais: judô, karatê e boxe.

Em meados dos anos 70, o judô palmeirense contava com mais de dois mil atletas registrados, recebendo o posto de maior departamento da modalidade do Estado de São Paulo. Por sua vez, o Torneio Periquito realçava a importância do Verdão para o esporte nacional e teve como uma das pioneiras a faixa preta Maria de Abreu, campeã sul-americana pelo Brasil entre os anos 60 e 70.

De lá para cá, o judô alviverde registra em seu departamento um volume de taças e troféus por equipes e individuais que ultrapassa a marca das duas mil conquistas, nas mais diversas categorias, um recorde entre os clubes que desenvolvem esta modalidade. Além disso, alguns nomes importantes para a modalidade passaram pelas fileiras do Palmeiras nestes 50 anos de história:

Sergio Pessoa: Detentor de inúmeros títulos por todo o mundo, ele iniciou sua carreira no Alviverde e conseguiu quebrar a hegemonia oriental ao conquistar a medalha de ouro na Copa Kodokan, no Japão, em 1987. Atualmente é técnico da Seleção de Base Nacional do Canadá e, inclusive, promove intercâmbios anuais no Brasil com participação de atletas do Palmeiras.
 

Daniel Hernandes: Campeão pan-americano em 2003 pela Seleção Brasileira e medalhista de prata em Winnipeg (1999), o judoca iniciou a carreira nas fileiras do Palmeiras e fez parte da equipe do Brasil durante os Jogos Olímpicos de Sydney, em 2000, e de Atenas, em 2004.

 

Rogério Sampaio: Campeão olímpico em Barcelona (1992) na categoria meio-leve, o atleta participou do Torneio Periquito de Judô entre os anos 80 e 90 e consolidou seu nome no cenário nacional após ser medalhista de ouro em sua única participação nos Jogos.
 

 

Novidades da edição número 50

Cada academia pode inscrever 40 judocas no total, entre masculino e feminino. As lutas serão realizadas nas seguintes categorias: Sub-9, Sub-11, Sub-13, Sub-15, Sub-18, Sub-21, Sênior, Máster e Judô Para Todos – categoria que tem como objetivo promover a inclusão, o bem-estar e o desenvolvimento das pessoas portadoras de necessidades especiais (PNE).

Neste ano, as classes femininas Sub-21 e Sênior serão unificadas, bem como a categoria Máster será dividida em quatro critérios: Masculino A (classes M1, M2, M3 e M4), Masculino B (M5, M6, M7 e acima), Feminino A (F1, F2 e F3) e Feminino B (F4 e acima). Os limites de idade e peso serão de acordo com as determinações da Confederação Brasileira de Judô (CBJ).

Os atletas serão sorteados pelo sistema de computador para o preenchimento das chaves, logo após a pesagem, com sistema simples e sem repescagem. Os judocas classificados em primeiro, segundo e terceiro lugares de cada classe receberão medalhas especiais do evento. Serão premiadas as associações de acordo com a classificação geral (pontuação) até o décimo colocado, na somatória de todas as categorias. O Palmeiras não concorre aos troféus por poder inscrever número ilimitado de atletas – clique aqui e confira o regulamento completo da competição.

Importância da imigração japonesa no Brasil

Berço do judô graças à iniciativa do mestre Jigoro Kano, em 1882, o Japão tem laços estreitos com o Brasil desde a chegada do navio de imigrantes Kasato Maru no Porto de Santos (SP), em 18 de junho de 1908, há exatos 110 anos. Desde então, a população se expandiu pelos quatro cantos do país, levando inúmeras manifestações e ensinamentos culturais, artísticos e esportivos aos brasileiros.

Enaltecer a rica cultura japonesa é lembrar diretamente daqueles que ajudaram a construir e modernizar o Brasil. Tal feito chegou ao ponto de concentrar em solo verde e amarelo a maior comunidade dessa nação fora da terra do sol nascente, com quase dois milhões de descendentes.
[album]

Palmeirense é campeão sul-americano e pan-americano Master de Judô na Argentina

Angelo Salvioni
Departamento de Comunicação

Divulgação _ Trinca faturou os dois torneios com pontuação máximaMarco Aurélio Trinca, judoca veterano de peso médio (-81kg) da Sociedade Esportiva Palmeiras, sagrou-se campeão em dose dupla no último final de semana ao faturar de uma vez os títulos do Sul-Americano e do Pan-Americano Master, torneios disputados em Buenos Aires, na Argentina.

Para chegar ao título do Pan, Trinca enfrentou pela categoria Master 5 dois adversários argentinos e venceu ambos por ippon: Marcelo Molina e Antonio Vera. O judoca do Verdão encarou os atletas também no Sul-Americano e, mais uma vez, levou a melhor com pontuação máxima.

Desde 2005 no Palmeiras, Marco Aurélio Trinca acumula diversas conquistas na carreira, como três títulos mundiais individuais, dois pan-americanos, dois sul-americanos, oito brasileiros e dez paulistas, além de títulos de copas e torneios espalhados pelo país. As duas conquistas credenciaram o palmeirense a lutar o Mundial de Veteranos no mês de outubro, em Cancun, no México.

Neste ano, Trinca e outros judocas veteranos do Verdão levaram o clube ao vice-campeonato da Copa São Paulo com oito medalhas conquistadas (três ouros, duas pratas e três bronzes). Além disso, foi vencedor do Paulista da categoria, disputado no mês de julho.

Judoca alviverde vence campeã olímpica e fatura bronze no Troféu Brasil Interclubes

Angelo Salvioni
Departamento de Comunicação

Divulgação _ Ketelyn teve a companhia do sensei Denilson Lourenço no torneioA judoca palmeirense Ketelyn Nascimento, de apenas 20 anos, fez história mais uma vez na modalidade. Medalhista de bronze do Troféu Brasil Interclubes nesta quinta-feira (16), em Canoas (RS), a atleta do Verdão derrotou em uma das lutas da competição nada mais nada menos que Rafaela Silva, campeã olímpica nos jogos Rio 2016 e atual vencedora do Grand Prix de Budapeste na categoria leve (57kg).

As atletas se encontraram logo na primeira luta da competição, voltada para judocas da categoria Sênior. Após luta acirrada no tempo normal, o combate foi para o Golden Score (desempate), e Ketelyn encaixou um ippon para superar a atual campeã olímpica e avançar de fase.

"Enfrentar a Rafaela logo de cara não é fácil para ninguém. É uma excelente judoca, reconhecida internacionalmente pelos seus títulos. Vencê-la após mais de seis minutos de luta bastante pegada me deixou super feliz! Ainda não caiu a ficha. Espero manter este ritmo para os próximos torneios da temporada e, principalmente, para o Mundial Sub-21", disse a medalhista de bronze, que também disputa competições Sênior como parte do processo de transição para a categoria.

Nas etapas seguintes, a atleta alviverde superou Amanda Culato, atual campeã paulista Sênior da categoria, e caiu nas semifinais para Kamilla Silva após dez minutos de luta e desempate no Golden Score. Na disputa do bronze, venceu Vitória Andrade, do Esporte Clube Pinheiros, por ippon.

Natural da capital paulista, Ketelyn Nascimento iniciou no judô ainda na infância e chegou ao clube em 2012 após mostrar seus talentos na modalidade em uma competição no Sul do país. A judoca ingressou na Seleção Brasileira pela primeira vez em 2014 e, desde então, não saiu mais, chegando ao posto de segunda melhor atleta Sub-21 do mundo na categoria leve (57kg).

Ainda pelo Troféu Brasil Interclubes de Judô, Ellen Froner, número 1 do planeta entre atletas Sub-21 de peso médio (70kg), também conquistou a medalha de bronze após superar Gabriela Fontes na disputa pelo terceiro lugar. Ainda representaram o Verdão no torneio os judocas Vitor Hugo Delgado (66kg) e Marco Trinca (81kg).

Atuais campeãs do Pan-Americano Sub-21, as meninas também conquistaram neste ano o Campeonato Brasileiro, a Taça Brasil e o Estadual em suas idades nesta temporada. Ellen ainda acumula o título da Copa Pan-Americana e do Sul-Americano – ambos torneios adultos. As atletas disputam o Campeonato Mundial Júnior, em Nassau, nas Bahamas, no período de 17 a 21 de outubro.

CONFIRA A LUTA DE KETELYN PELAS LENTES DA TV PALMEIRAS/FAM:

Angelo Salvioni
Departamento de Comunicação

Os judocas do Palmeiras obtiveram grandes resultados no Torneio de Judô Morada do Sol, disputado no último domingo (5), em Itaquaquecetuba (SP). Ao todo, a equipe alviverde ficou na quarta colocação geral do torneio, com 19 medalhas conquistadas – 14 ouros, três pratas e dois bronzes.
[album]

Nas categorias de base, os campeões individuais do Verdão na competição foram Catarina Dizioli (Sub-15 – leve), Vinicius Ardina (Sub-18 – leve), Matheus Roberto (Sub-18 – meio-médio), Vitor Hugo Nascimento (Sub-18 – médio), Juan Bispo (Sub-18 – meio-pesado) e João Villalba (Sub-18 – pesado).

Já as lutas na Sub-21 foram mescladas às da categoria Sênior, e o Alviverde teve oito campeões: Ivonaldo Rodrigues (ligeiro), Adalberto Batista (meio-leve), Vitor Hugo Delgado (meio-leve), Ketelyn Araújo (leve), José Guilherme Iasbech (leve), Madson Oliveira (meio-médio), Anne Caroline Nogueira (meio-pesado) e Gustavo Cardoso (meio-pesado).

Isabelle Alves (Sub-13 – meio-leve), Ellen Froner (Sub-21/Sênior – médio) e Rafael Fuzita (Sênior – meio-médio) conquistaram a prata. Por fim, João Yatabe (Sub-15 – meio-leve) e Luan Carlos (Sub-15 – ligeiro) medalhistas de bronze, completam a lista dos atletas palestrinos premiados.

Aspirantes faturam dois ouros na fase inter-regional do Paulista

Divulgação _ Lucas e Gabriel estão nas finais do EstadualOs atletas Gabriel Cabrera Vicente (Sub-11 – médio) e Lucas Theodoro Santana (Sub-13 – ligeiro) foram campeões de suas categorias na fase inter-regional do Campeonato Paulista de Aspirantes, disputada no último final de semana na AABB, em São Paulo (SP). O título colocou os meninos na final da competição, prevista para o mês de setembro, em São Bernardo do Campo (SP).

Associado do clube, Gabriel derrotou na decisão de sua categoria Cassius Santana, da Academia UNIBES. Já Lucas superou Victor Hideki, da Associação de Judô Vila Sônia, para ficar com a medalha de ouro. Os garotos fazem parte da recém-formada turma de judocas aspirantes do clube em parceria com a Coordenadoria Sócio-Desportiva.