Departamento de Comunicação

As categorias de base do Palmeiras têm dado alegrias e mais alegrias aos torcedores nos últimos anos com títulos nacionais e internacionais. A reformulação e o investimento na formação de talentos alviverdes consolidaram a colheita de bons frutos na equipe profissional, sobretudo com garotos protagonistas em competições de alto nível.

Um exemplo mais que evidente é a conquista do bicampeonato da Libertadores. Parte dos pincéis que coloriram a América do Sul de verde e branco estiveram nas mãos do zagueiro Renan, do lateral-esquerdo Lucas Esteves, dos meio-campistas Danilo, Gabriel Menino e Patrick de Paula e dos atacantes Gabriel Veron, Wesley e Gabriel Silva (veja abaixo o perfil completo e as estatísticas de cada um).

As Crias são campeãs da América! (Crédito: Instagram/Divulgação)

Para efeito de comparação, na conquista da Libertadores em 1999, sete atletas formados na base palmeirense integraram o elenco campeão: os goleiros Marcos, Velloso e Sérgio, o lateral-esquerdo Rubens Junior, o zagueiro Roque Junior e os meio-campistas Galeano e Juliano. Desses, somente Sérgio não atuou pelo torneio continental à época.

Aliás, diversos momentos marcantes foram escritos pelas Crias da Academia no torneio. O ápice, para muitos, foi a escalação do trio Patrick de Paula, Danilo e Gabriel Menino no meio-campo da partida de ida das semifinais, contra o River Plate, na Argentina. Com atuação impecável, o time comandado por Abel Ferreira venceu por 3 a 0.

Brilha, garotada! (Foto: Staff Images/Conmebol)

Acostumados à quebra de recordes atrás de recordes na base, os garotos também escreveram marcas importantes pela equipe profissional. Veron, por exemplo, tornou-se o mais jovem palmeirense a marcar pela Libertadores, com 18 anos, um mês e 19 dias, enquanto Gabriel Menino, 19 anos, 11 meses e 16 dias, assumiu a terceira posição no ranking, atrás de Gabriel Jesus.

Vale lembrar que, dos oito atletas formados na base com pelo menos um jogo na Libertadores de 2020, somente Patrick de Paula e Wesley estouraram a idade para atuar no time Sub-20, pois nasceram em 1999. Em resumo: heróis também são formados em casa.

Além dos atletas ativos na campanha do título continental, o CFA alviverde teve a participação de mais garotos na lista dos inscritos, já que a Conmebol autorizou 50 inscritos para esta edição por conta da pandemia da covid-19. São eles os goleiros Vinicius, Mateus, Lucas Bergantin e Bruno Carcaioli, os defensores Garcia, Jhow, Ramon Rocha e Vanderlan, os meio-campistas Jonathan, Ramon Cesar, Vitinho, Pluas, Fabinho e Juninho e os atacantes Robinho, Marcelinho, Giovani (mais novo da lista com 17 anos), Ruan Ribeiro, Anibal, Fabricio e Pedro Acácio.

A molecada alviverde ao lado de João Paulo Sampaio, coordenador das categorias de base do Palmeiras (Foto: Cesar Greco)

Temporada de consolidação

O ano é mais que especial para o Centro de Formação de Atletas: 13 garotos formados pelo Verdão estrearam no profissional nesta temporada, número jamais visto desde o primeiro cômputo da participação de garotos da base palestrina no elenco principal, em 1988. Na ordem, foram a campo Patrick de Paula, Gabriel Menino, Wesley, Alan, Angulo (emprestado ao Botafogo), Gabriel Silva, Danilo, Renan, Aníbal, Marcelinho, Fabrício, Pedro Acácio e Vanderlan.

Juntos, eles somam 187 jogos e fizeram da temporada atual a que o Palmeiras mais colocou jovens estreantes da base para atuar no século, superando as 103 partidas de também 11 pratas da casa debutantes em 2010. Gabriel Menino lidera a lista dos estreantes em 2020-21 com 55 jogos, seguido por Patrick de Paula (44), Danilo (30), Wesley (23), Gabriel Silva (16), Renan (7), Fabricio (3), Pedro Acácio (3), Marcelinho (2), Alan (2), Angulo (1), Anibal (1) e Vanderlan (1).

Veja abaixo o perfil das Crias da Academia campeãs da Libertadores

 

RENAN

(Foto: Cesar Greco)

Revelado pelas categorias de base do Palmeiras, o atleta participou da vitória por 3 a 1 sobre o Delfín-EQU, no Equador, pelas oitavas de final. O jovem, que atua como zagueiro e lateral-esquerdo, foi muito importante durante o período em que boa parte do elenco palestrino havia testado positivo para a Covid-19, emplacando grandes atuações com o manto alviverde também pelo Campeonato Brasileiro.

O atleta de 18 anos conquistou importantes títulos pela base do Palmeiras e da Seleção Brasileira desde o Sub-15 – entre eles, o bicampeonato paulista sub-15 (2016 e 2017), o Campeonato Paulista Sub-17 (2018), a Copa do Brasil Sub-17 (2019), a Supercopa do Brasil Sub-17 (2019) e o bicampeonato do Mundial de Clubes Sub-17 (2018 e 2019), pelo Verdão, além da Copa do Mundo Sub-17 em 2019, pelo Brasil. Ele chegou ao Palmeiras em 2015, aos 13 anos de idade, começou a jogar de lateral-esquerdo no início de 2019 por decisão do técnico Artur Itiro e agradou. Ganhou a polivalência como uma de suas características.

Números gerais:
> 7 jogos (6 como titular) pelo Palmeiras
> 7 jogos (6 como titular) na temporada 2020
> 1 jogo (0 como titular) pela Libertadores 2020

Jogos na Libertadores 2020:
Delfín-EQU 1×3 Palmeiras (Oitavas de final – ida)

ESTEVES

(Crédito: Divulgação/Instagram)

O jovem lateral-esquerdo foi mais um atleta das categorias de base palmeirense a participar da campanha do título da Libertadores 2020. O jogador entrou ao longo da vitória por 3 a 1 sobre o Delfín-EQU, no Equador, em duelo válido pelas oitavas de final do torneio.

Cria da Academia, o jogador está no Palmeiras desde 2014, quando passou a integrar o elenco Sub-15, o jovem de 20 anos foi um dos destaques de uma geração que conquistou títulos inéditos e importantes pela base do clube, como a Copa do Brasil Sub-17 (2017), o Brasileiro Sub-20 (2018), a Copa RS Sub-20 (2018), a Copa do Brasil Sub-20 (2019) e o Bi Paulista Sub-20 (2018 e 2019), além de dezenas de taças no exterior. Em 2019, pelo Sub-20, Esteves disputou 38 partidas e marcou sete gols.

Números gerais:
> 9 jogos (4 como titular) pelo Palmeiras
> 8 jogos (4 como titular) na temporada de 2020
> 1 jogo (0 como titular) pela Libertadores 2020

Jogos na Libertadores 2020:
Delfín-EQU 1×3 Palmeiras (Oitavas de final – ida)

DANILO

(Foto: Cesar Greco)

Uma das principais revelações do clube em 2020, Danilo é o típico volante que sabe defender e atacar. Discreto, porém muito eficiente, o jovem jogou como gente grande no triunfo palestrino por 3 a 0 diante do River Plate-ARG, na Argentina, formando com Patrick de Paula e Gabriel Menino um meio de campo totalmente criado nas categorias de base do Verdão. O camisa 28 terminou a Libertadores com 11 jogos (oito como titular), um gol e duas assistências.

Uma partida em especial da Libertadores ficará marcada para sempre na história de Danilo. Além de marcar o seu primeiro gol como profissional na goleada por 5 a 0 diante do Delfín-EQU, no Allianz Parque, pelas oitavas de final, o jovem também deu passe para Gabriel Veron anotar um dos tentos do Verdão na partida e acabou sendo decisivo para o triunfo palestrino. Nos 3 a 0 contra o River Plate-ARG, fora de casa, foi de Danilo a assistência para a arrancada inesquecível de Luiz Adriano rumo à meta adversária, que culminou no segundo gol alviverde. A final contra o Santos, no Maracanã, também foi marcante para o jovem, já que foi a sua estreia como jogador no estádio.

Figura constante nas convocações da Seleção Brasileira Sub-20, o jovem de 19 anos é o jogador oriundo da base que está há menos tempo no elenco profissional do Palmeiras – chamou a atenção da comissão técnica durante os treinos do Sub-20 na Academia de Futebol no início do segundo semestre e, desde então, não voltou mais para a base.

Meio-campista versátil que atua na contenção e na armação de jogadas, Danilo participou de alguns projetos sociais na sua cidade natal, Salvador (BA), e foi vice-campeão da segunda divisão do Campeonato Baiano pelo Cajazeiras, aos 16 anos, antes de chegar ao Palmeiras em 2018, quando foi captado para integrar o elenco Sub-17 e naquela mesma temporada já conquistou o título paulista da categoria. No Sub-20, o canhoto de 19 anos ganhou espaço ao final de 2019, contribuindo para a conquista de mais um título paulista. Foi ainda titular da equipe na Copa São Paulo deste ano, na qual disputou cinco jogos e marcou um gol.

Números gerais:
> 31 jogos (17 como titular), 1 gol e 2 assistências pelo Palmeiras
> 31 jogos (17 como titular), 1 gol e 2 assistências na temporada de 2020
> 11 jogos (8 como titular), 1 gol e 2 assistências pela Libertadores 2020

Jogos na Libertadores 2020:
Bolívar-BOL 1×2 Palmeiras (3ª rodada – fase de grupos)
Guaraní-PAR 0x0 Palmeiras (4ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 5×0 Bolívar-BOL (5ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 5×0 Tigre-ARG (6ª rodada – fase de grupos)
Delfín-EQU 1×3 Palmeiras (Oitavas de final – ida)
Palmeiras 5×0 Delfín-EQU (Oitavas de final – volta)
Libertad-PAR 1×1 Palmeiras (Quartas de final – ida)
Palmeiras 3×0 Libertad-PAR (Quartas de final – volta)
River Plate-ARG 0x3 Palmeiras (Semifinal – ida)
Palmeiras 0x2 River Plate-ARG (Semifinal – volta)
Palmeiras 1×0 Santos (Final – jogo único)

Gols na Libertadores 2020:
Palmeiras 5×0 Delfín-EQU (Oitavas de final – volta): primeiro gol

PATRICK DE PAULA

(Foto: Cesar Greco)

Autor da última cobrança de pênalti que deu o título do Campeonato Paulista 2020 ao Palmeiras, Patrick de Paula também contribuiu para o bicampeonato do clube na Libertadores desta temporada. Com um golaço de fora da área, o jovem abriu o marcador na goleada por 5 a 0 sobre o Delfín-EQU, resultado que colocou o Verdão nas quartas de final da competição. Contra o River Plate-ARG, na Argentina, fez bonito na vitória palmeirense por 3 a 0 ao formar um trio de respeito com Danilo e Gabriel Menino.

Captado pelo Palmeiras em 2017 quando atuava no futebol amador do Rio de Janeiro, sua cidade natal, Patrick fazia inicialmente a função de meia, mas assumiu o protagonismo na base quando passou a jogar mais recuado, como primeiro volante (atuou até improvisado como zagueiro em algumas partidas). Campeão brasileiro Sub-20 em 2018, faturou ainda a Copa do Brasil Sub-20 em 2019 e quatro títulos paulistas seguidos (2017, 2018 e 2019 pelo Sub-20 e 2020 pelo Profissional) no clube.

Números gerais:
> 44 jogos (32 como titular), 5 gols e 1 assistência pelo Palmeiras
> 44 jogos (32 como titular), 5 gols e 1 assistência na temporada de 2020
> 6 jogos (4 como titular) e 1 gol pela Libertadores 2020

Jogos na Libertadores 2020:
Palmeiras 3×1 Guaraní-PAR (2ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 5×0 Bolívar-BOL (5ª rodada – fase de grupos)
Delfín-EQU 1×3 Palmeiras (Oitavas de final – ida)
Palmeiras 5×0 Delfín-EQU (Oitavas de final – volta)
River Plate-ARG 0x3 Palmeiras (Semifinal – ida)
Palmeiras 1×0 Santos (Final – jogo único)

Gols na Libertadores 2020:
Palmeiras 5×0 Delfín-EQU (Oitavas de final – volta): primeiro gol

GABRIEL MENINO

(Foto: Cesar Greco)

De Menino, apenas o sobrenome. Gabriel foi uma das principais figuras do Palmeiras na histórica campanha da Libertadores 2020, com destaque para a atuação impecável na vitória por 3 a 0 sobre o River Plate-ARG, na Argentina. O camisa 25 deu trabalho ao rival argentino e impressionou a todos com a sua vontade e qualidade técnica durante o triunfo palmeirense. Contra o Bolívar-BOL, na Bolívia, ainda pela fase de grupos, marcou um dos gols mais bonitos desta edição do torneio e foi decisivo para a vitória do Verdão por 2 a 1. Ao todo, foram 12 jogos (11 como titular), três gols e uma assistência.

O gol contra o Bolívar-BOL, em setembro, foi o primeiro do camisa 25 como profissional, selando a vitória por 2 a 1, em La Paz, e o colocou como o terceiro jogador mais jovem a balançar a rede pelo Verdão na Libertadores: 19 anos, 11 meses e 16 dias, desbancando Keirrison, que em 2009 marcou contra o Real Potosí-BOL aos 20 anos, 1 mês e 26 dias – o recorde é de Gabriel Veron, que com 18 anos, um mês e 19 dias deixou sua marca contra o Tigre-ARG, em 21/10/2020, enquanto Gabriel Jesus é o segundo colocado com o gol aos 18 anos, 10 meses e 13 dias contra o River Plate-URU em 2016.

Contra o Delfín-EQU, no duelo de ida das oitavas, no Equador (vitória por 3 a 1), o camisa 25 também deixou a sua marca ao fazer o gol que abriu o placar. A Cria da Academia fez mais um na vitória por 3 a 0 diante do Libertad-PAR, em casa – jogo este que valeu a classificação às semifinais do Continental. Menino soma três gols pelo Verdão, todos pela Libertadores.

Natural de Morungaba (SP), ele foi captado pela base do Palmeiras em 2017, quando atuava no Guarani, e logo se destacou, inclusive sendo convocado para defender a Seleção Brasileira Sub-20 no Sul-Americano de 2019. Campeão brasileiro Sub-20 em 2018, faturou também a Copa do Brasil Sub-17 em 2017 e três títulos paulistas seguidos (2018 e 2019 pelo Sub-20 e 2020 pelo Profissional) no clube.

Números gerais:
> 54 jogos (47 como titular), 3 gols e 9 assistências pelo Palmeiras
> 54 jogos (47 como titular), 3 gols e 9 assistências na temporada de 2020
> 12 jogos (11 como titular), 3 gols e 1 assistência pela Libertadores 2020

Jogos na Libertadores 2020:
Tigre-ARG 0x2 Palmeiras (1ª rodada – fase de grupos)
Bolívar-BOL 1×2 Palmeiras (3ª rodada – fase de grupos)
Guaraní-PAR 0x0 Palmeiras (4ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 5×0 Bolívar-BOL (5ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 5×0 Tigre-ARG (6ª rodada – fase de grupos)
Delfín-EQU 1×3 Palmeiras (Oitavas de final – ida)
Palmeiras 5×0 Delfín-EQU (Oitavas de final – volta)
Libertad-PAR 1×1 Palmeiras (Quartas de final – ida)
Palmeiras 3×0 Libertad-PAR (Quartas de final – volta)
River Plate-ARG 0x3 Palmeiras (Semifinal – ida)
Palmeiras 0x2 River Plate-ARG (Semifinal – volta)
Palmeiras 1×0 Santos (Final – jogo único)

Gols na Libertadores 2020:
Bolívar-BOL 1×2 Palmeiras (3ª rodada – fase de grupos): primeiro gol
Delfín-EQU 1×3 Palmeiras (Oitavas de final – ida): segundo gol
Palmeiras 3×0 Libertad-PAR (Quartas de final – volta): terceiro gol

GABRIEL VERON

(Crédito: Divulgação/Instagram)

Cria da Academia e uma das grandes esperanças para o futuro alviverde, Gabriel Veron mostrou-se uma arma importante para o treinador Abel Ferreira na campanha vitoriosa da Libertadores. Com sete jogos (cinco como titular), três gols e uma assistência, o jovem conquistou o seu segundo troféu com a equipe profissional do Verdão – o primeiro foi o Campeonato Paulista.

Promovido ao elenco profissional no final da temporada passada, Gabriel Veron já está marcado na história do clube como o palmeirense mais jovem a fazer gol em Campeonato Brasileiro, Copa Libertadores e Copa do Brasil. Na competição continental, alcançou o recorde no dia 21/10/2020, ao fazer o quarto gol na vitória por 5 a 0 sobre o Tigre-ARG com 18 anos, um mês e 19 dias, superando Gabriel Jesus, que tinha 18 anos, 10 meses e 13 dias quando foi às redes no empate por 2 a 2 diante do River Plate-URU, em 16/02/2016. Veron voltou a marcar duas vezes pelo torneio sul-americano na goleada por 5 a 0 contra o Delfín-EQU, no Allianz Parque, pelas oitavas de final.

Natural de Assú-RN, Veron está no Palmeiras desde o Sub-15 e soma títulos por todas as categorias de base – inclusive, foi campeão paulista Sub-15, Sub-17, Sub-20 e Profissional pelo Verdão. Em 2018, foi também campeão mundial interclubes Sub-17 pelo Palmeiras, marcando gol na vitória por 4 a 2 sobre o Real Madrid na decisão e terminando a competição como o artilheiro e eleito o melhor jogador. Em 2019, sagrou-se bicampeão mundial com a vitória por 2 a 1 sobre o Leganés-ESP, além de campeão das Copas do Brasil Sub-17 e Sub-20. Com a Seleção Brasileira, conquistou a Copa do Mundo Sub-17 em 2019 e, mais uma vez, levou o prêmio de melhor jogador para casa.

Números gerais:
> 40 jogos (18 como titular), 11 gols e 6 assistências pelo Palmeiras
> 37 jogos (18 como titular), 9 gols e 5 assistências na temporada de 2020
> 7 jogos (5 como titular), 3 gols e 1 assistência pela Libertadores 2020

Jogos na Libertadores 2020:
Tigre-ARG 0x2 Palmeiras (1ª rodada – fase de grupos)
Bolívar-BOL 1×2 Palmeiras (3ª rodada – fase de grupos)
Guaraní-PAR 0x0 Palmeiras (4ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 5×0 Tigre-ARG (6ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 5×0 Delfín-EQU (Oitavas de final – volta)
Libertad-PAR 1×1 Palmeiras (Quartas de final – ida)
Palmeiras 3×0 Libertad-PAR (Quartas de final – volta)

Gols na Libertadores 2020:
Palmeiras 5×0 Tigre-ARG (6ª rodada – fase de grupos): primeiro gol
Palmeiras 5×0 Delfín-EQU (Oitavas de final – volta): segundo e terceiro gols

WESLEY

(Crédito: Divulgação/Instagram)

Apesar de ter sido prejudicado por uma grave lesão no meio da temporada, o atacante Wesley foi decisivo quando entrou em campo pela competição mais importante da América do Sul. Sempre ágil e habilidoso, ele realizou três jogos durante a campanha do Alviverde, com um gol e três assistências – duas no triunfo por 5 a 0 contra o Bolívar-BOL, no Allianz Parque, e uma nos 5 a 0 contra o Tigre-ARG, novamente na arena alviverde, ambos os duelos pela fase de grupos.

Natural de Salvador, o jogador de 21 anos foi captado em 2016, quando atuava pelo Jacuipense-BA, para reforçar o Sub-17. Na temporada seguinte, subiu para o Sub-20, categoria pela qual conquistou o Campeonato Brasileiro em 2018, a Copa do Brasil em 2019 e o tricampeonato paulista em 2017, 2018 e 2019. Emprestado ao Vitória-BA em maio do ano passado para adquirir experiência disputando a Série B do Brasileiro, teve bom desempenho: anotou cinco gols, deu três assistências, foi o segundo maior driblador da competição e o sexto jogador mais caçado.

Números gerais:
> 23 jogos (13 como titular), 4 gols e 6 assistências pelo Palmeiras
> 23 jogos (13 como titular), 4 gols e 6 assistências na temporada de 2020
> 3 jogos (2 como titular),1 gol e 3 assistências pela Libertadores 2020

Jogos na Libertadores 2020:
Guaraní-PAR 0x0 Palmeiras (4ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 5×0 Bolívar-BOL (5ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 5×0 Tigre-ARG (6ª rodada – fase de grupos)

Gols na Libertadores 2020:
Palmeiras 5×0 Bolívar-BOL (5ª rodada – fase de grupos): primeiro gol

GABRIEL SILVA

(Crédito: Alexandre Neto)

O jovem atacante de 18 anos, relevado pelas categorias de base do Palmeiras, fez três jogos pela Libertadores 2020, dando, inclusive, uma assistência para gol. Apesar da pouca idade, o palmeirense mostrou personalidade ao ser acionado pelo treinador Abel Ferreira.

Gabriel Silva chegou ao clube aos 13 anos, em 2015, e tem no currículo dois títulos do Mundial de Clubes Sub-17 – nas duas finais, aliás, ele deixou sua marca: primeiro na vitória por 4 a 2 sobre o Real Madrid na decisão de 2018, na Espanha, e depois na vitória por 2 a 1 sobre o Leganés-ESP em 2019, também na Espanha. Campeão paulista Sub-15, Sub-17, Sub-20 e Profissional pelo Verdão, marcou 40 gols em 46 jogos atuando pelo Sub-17 e pelo Sub-20 em 2019 e se destacou também por balançar as redes em todas as finais nacionais que disputou na temporada passada: Paulista Sub-17 (vice-campeão), Copa do Brasil Sub-17 (campeão), Supercopa do Brasil Sub-17 (campeão), Paulista Sub-20 (campeão), Brasileiro Sub-20 (vice-campeão) e Supercopa do Brasil Sub-20 (vice-campeão). Neste ano, tem seis gols em sete jogos entre Brasileiro Sub-20 e Copa do Brasil Sub-20.

Números gerais:
> 16 jogos (2 como titular) e 1 assistência pelo Palmeiras
> 16 jogos (2 como titular) e 1 assistência na temporada de 2020
> 3 jogos (0 como titular) e 1 assistência pela Libertadores 2020

Jogos na Libertadores 2020:
Delfín-EQU 1×3 Palmeiras (Oitavas de final – ida)
Palmeiras 5×0 Delfín-EQU (Oitavas de final – volta)
Libertad-PAR 1×1 Palmeiras (Quartas de final – ida)

Departamento de Comunicação

Contratado em outubro de 2020, Abel Ferreira não precisou de muito tempo para entrar para a história do Palmeiras. Campeão da Conmebol Libertadores com apenas 26 jogos no comando da equipe, o treinador só não conquistou um título mais precocemente neste século do que Vanderlei Luxemburgo, que faturou o Paulista de 2020 com 20 partidas à frente do time – no Paulista de 2008, o mesmo Luxa precisou de 27 jogos para levantar a taça; na Copa do Brasil de 2012, Felipão já acumulava 140 duelos em sua segunda passagem pelo Verdão; na Copa do Brasil de 2015, Marcelo Oliveira estava em sua 39ª partida; no Brasileiro de 2016, Cuca tinha 50 jogos; e no Brasileiro de 2018, Felipão somava 29 confrontos em sua terceira passagem.

Neste sábado (30), inclusive, o comandante português fez sua estreia no emblemático estádio do Maracanã. “É uma emoção muito grande. Só o fato de ouvir ‘Glória Eterna’ já é algo inacreditável. Aconteça o que acontecer, ficaremos na história e seremos eternos. Hoje gravamos e conseguimos a Glória Eterna, é algo muito poderoso”, declarou o treinador, que se tornou ainda o primeiro técnico estrangeiro a conquistar um título pelo Verdão desde 1965, quando o argentino Filpo Nuñez se sagrou campeão do Torneio Rio São Paulo e do Torneio Internacional IV Centenário do Rio de Janeiro – finalista da Copa do Brasil, Abel tem a chance de faturar mais de um troféu nesta temporada e, assim, repetir o feito de Filpo Nuñez há 56 anos.

A comissão técnica portuguesa, formada ainda pelos auxiliares Vitor Castanheira, João Martins e Carlos Marinho e o analista de desempenho Tiago Costa, soma pelo Maior Campeão do Brasil 26 jogos, 15 vitórias, seis empates e cinco derrotas, com 45 gols marcados e 18 sofridos. Na Libertadores, eles assumiram a equipe antes do início da fase de mata-mata e disputaram sete jogos, com cinco vitórias, um empate e uma derrota, 16 gols marcados e quatro sofridos. “A palavra que mais passa em minha cabeça é ‘obrigado’. Agradeço todos os jogadores que eu treinei, em especial aos jogadores do Palmeiras. Não há bons treinadores sem bons jogadores. Quando eu peguei a equipe, o Palmeiras estava em todas as competições, há um trabalho do Vanderlei Luxemburgo também, não é só meu. Hoje a minha alegria não foi levantar a taça, mas ver os jogadores felizes, todos que trabalham na Academia felizes e saber que eles receberão um salário extra. Quando saímos do CT (centro de treinamento) eles (funcionários) nos apoiaram”, disse. “Quero agradecer ao Brasil, em especial ao Palmeiras e à Família Palmeiras”, destacou Abel.

Dono de um discurso ponderado, confiante e respeitoso, o treinador encantou todos os palestrinos logo de cara também por implantar, mesmo com pouco ou nenhum tempo para ensaio, um estilo de jogo rápido, eficaz e vitorioso. “De forma simples, eles (jogadores) foram agarrando a ideia. Hoje não foi uma final brilhante em termos de jogo por vários motivos, como o calor… Sabíamos que era só um jogo e a equipe que fizesse o primeiro gol sairia em vantagem. Estávamos preparados para tudo, pênaltis, bola parada, substituições… É fruto de trabalho de muita gente, mais uma vez quero agradecer de forma especial e carinhosa aos meus jogadores”, concluiu.

1º PORTUGUÊS, 8º EUROPEU E 23º ESTRANGEIRO A COMANDAR O PALMEIRAS

Abel Ferreira é o primeiro português, o oitavo europeu e o 23º estrangeiro a assumir o comando do Maior Campeão do Brasil na história. Uma das principais revelações da atual geração de jovens técnicos da Europa, Abel jogou como lateral-direito em quatro clubes portugueses antes de iniciar a carreira de treinador na equipe sub-19 do Sporting Lisboa-POR em 2011/2012, conquistando o título nacional da categoria já em sua primeira experiência no cargo.

Subiu para o time B do Sporting na temporada 2013/2014 e foi contratado pelo Braga B em 2015. Dois anos depois, foi promovido a treinador da equipe principal do Braga e, logo na temporada de estreia na elite do Campeonato Português, em 2017/2018, levou o time à quarta posição com uma campanha recorde em pontos (75), gols (74) e vitórias (24) – tornou-se o técnico com maior percentagem de vitórias na história do clube (64%). Depois de novamente alcançar a quarta colocação com o Braga, transferiu-se ao PAOK-GRE e obteve o vice-campeonato nacional em 2019/2020, garantindo vaga para a fase eliminatória da Liga dos Campeões da Europa.

O último treinador alviverde nascido na Europa tinha sido o italiano Caetano De Domenico, que conquistou o Campeonato Paulista de 1940 e permaneceu no Palestra Italia até 1941, portanto ainda antes da mudança do nome do clube, em 1942 (o penúltimo, o húngaro Eugênio Medgyessy, também sagrou-se campeão, no estadual de 1932). Já o mais recente comandante de fora do país era o argentino Ricardo Gareca, em 2014.

O primeiro técnico estrangeiro foi o italiano Adriano Merlo, que trabalhou em um jogo da campanha do título paulista de 1920, o primeiro da história alviverde, e conduziu a equipe ao bi estadual em 1926, em parceria com Ítalo Bosetti. Ainda na época do Palestra Italia, o uruguaio Humberto Cabelli ficou marcado pela conquista do único tricampeonato paulista do clube (alcançou o título invicto em 1932, levou a taça pela segunda vez seguida em 1933 e deixou o time por um breve período em 1934, mas voltou no mesmo ano e se sagrou campeão com apenas uma derrota).

Presente no tricampeonato paulista de 1932, 1933 e 1934 como jogador, o também uruguaio Ventura Cambon se tornou o treinador estrangeiro com mais partidas disputadas pelo Verdão (é o quarto no geral com 294 jogos) e o técnico que mais vezes assumiu o comando da equipe, de maneira interina ou efetiva, independentemente da nacionalidade, em todos os tempos (15 no total). Campeão paulista em 1944 dividindo o cargo com o ídolo Bianco, Cambon teve seu melhor momento no início da década de 50, quando, já em janeiro de 1951, pegou o time na reta final de um Paulistão praticamente nas mãos do São Paulo e conseguiu levar o Palmeiras ao título estadual de 1950. Meses depois, era ele o treinador na conquista do mais importante troféu da história do clube, o Mundial Interclubes de 1951, e faturou ainda o Torneio Rio-São Paulo daquele ano.

Outro estrangeiro de sucesso foi o argentino Filpo Nuñez, grande maestro da Academia de Futebol do Palmeiras, que brilhou na campanha vitoriosa do Rio-São Paulo de 1965. Além de praticar um jogo coletivo e envolvente, o time alviverde era uma máquina ofensiva: foram 12 vitórias em 16 jogos, apenas uma derrota, e uma média de três gols por partida (49 bolas na rede), com direito a goleadas de 7 a 1 no Santos, 5 a 0 no São Paulo e 4 a 1 no Vasco e no Flamengo. Filpo ostenta até hoje o feito de ser o único técnico nascido fora do país a comandar a Seleção Brasileira, quando o Brasil foi inteiramente representado pelo Palmeiras na partida inaugural do Estádio Mineirão, também em 1965, e venceu a seleção do Uruguai por 3 a 0.

Jogos desde a chegada de Abel na Libertadores 2020:
Delfín-EQU 1×3 Palmeiras (Oitavas de final – ida)
Palmeiras 5×0 Delfín-EQU (Oitavas de final – volta)
Libertad-PAR 1×1 Palmeiras (Quartas de final – ida)
Palmeiras 3×0 Libertad-PAR (Quartas de final – volta)
River Plate-ARG 0x3 Palmeiras (Semifinal – ida)
Palmeiras 0x2 River Plate-ARG (Semifinal – volta)
Palmeiras 1×0 Santos (Final – jogo único)

Departamento de Comunicação

Em sua 17ª partida pelo Verdão, porém, apenas a sexta como titular, o atacante Breno Lopes fez um dos gols mais importantes dos 106 anos de história do Verdão. Ele fez, nos minutos finais, o gol que deu o título do bicampeonato da Libertadores da América ao Palmeiras, aos 53 minutos do segundo tempo, nos acréscimos, quando a partida parecia que seria decidia na prorrogação ou nas penalidades – o detalhe é que o jogador havia entrado minutos antes, no lugar de Gabriel Menino, cerca de dez minutos antes.

Recém-chegado do Juventude-RS, Breno Lopes relembrou o atacante Betinho, que também era um ilustre desconhecido no elenco palmeirense em 2012 quando fez o gol do título da Copa do Brasil de 2012, contra o Coritiba – Betinho era novato no clube à época e jogou poucas partidas, mas ficou marcado pelo gol heroico.

“A partir do momento que aceitei esse desafio tem de estar preparado para todas as coisas. O estafe do Palmeiras me deu confiança. Havia muita desconfiança no meio nome e hoje estou provando que tenho condição de jogar aqui. Minha mãe está chorando demais, meu pai… É um dia inesquecível. É só comemorar”, disse o atacante, emocionado, após a conquista do título.

Breno chegou ao Palmeiras há cerca de apenas três meses e, até suas 15 primeiras partidas, ainda não havia marcado um gol. Desencantou ao pontuar pela primeira vez com a camisa do Verdão no jogo anterior, diante do Vasco da Gama, após receber passe em profundidade de Gustavo Scarpa, ganhar a velocidade da marcação e invadir a grande área, chutando com a perna direita, no contrapé do goleiro Fernando Miguel, vazando a equipe do Vasco no empate por 1 a 1 pelo Brasileirão, no Allianz Parque, na última terça-feira (26) – Breno, aliás, foi quem abriu o placar, aos 30 minutos do primeiro tempo (o Vasco empatou aos 34, com Benítez).

O camisa 39 (usa a 19 na Libertadores) já havia chegado perto do gol algumas vezes, mas esbarrou na falta de sorte. Diante do Corinthians, na goleada por 4 a 0 no último dia 18, chegou a balançar as redes, fazendo um belo gol, mas estava impedido (seria o quinto do Verdão no clássico). Antes, logo em um de seus primeiros jogos pelo clube palmeirense, diante do Sport, em 09/01, e depois repetiu o feito sobre o Grêmio, em 15/01, o jogador chegou a carimbar a trave! Também quase marcou contra o Bahia, em 12/12.

O jogador detém uma curiosa estatística: é o atleta do time palmeirense com a maior sequência atual de jogos no Brasileirão: são 11 jogos seguidos, sendo que, dos últimos 13, atuou em 12 (só não jogou a 22ª rodada porque estava com Covid, após estrear na 21ª). O fato é incomum, pois, muitos atletas não conseguem atingir tal série de jogos em meio a um campeonato tão disputado quanto o Brasileiro pelo fato do cumprimento das suspensões automáticas ou até mesmo eventuais lesões e suspensões por cartão vermelho, STJD ou ainda atletas que são preservados para jogos em outras competições.

Mineiro de Belo Horizonte-MG, Breno Lopes foi revelado pelo Joinville-SC, time pelo qual se profissionalizou em 2016. No mesmo ano, foi emprestado ao Juventus de Jaraguá do Sul-SC e retornou mais experiente em 2017. A partir de então, ganhou minutos em campo e marcou gols pelo Joinville, sobretudo na Série C, chamando a atenção do Juventude-RS. Em 2019, disputou a Série C pelo Juventude-RS e a Série B pelo Figueirense-SC.

Em 2020, após um empréstimo ao Athletico Paranaense, regressou ao Juventude-RS e vinha se destacando neste segundo semestre até chegar ao Verdão: foram, ao todo, nove bolas na rede em 19 partidas na Série B, atrás apenas do líder da artilharia, Caio Dantas, do Sampaio Corrêa-MA, com dez tentos.

Departamento de Comunicação

WEVERTON

Eficiente e decisivo, o goleiro foi fundamental durante a campanha vitoriosa do Verdão na Conmebol Libertadores 2020, atuando em todas as 13 partidas da competição – foi um dos atletas do elenco que mais jogaram, ao lado de Gustavo Gómez – e sofrendo apenas seis gols no total. No histórico triunfo por 3 a 0 contra o River Plate-ARG, na Argentina, pela partida de ida das semifinais, o arqueiro deu novo rumo ao duelo com defesas importantes antes do primeiro gol palestrino, marcado pelo atacante Rony, e a partir dali o Verdão tomou conta do confronto. Já no jogo da volta, pela primeira vez na temporada ele precisou fazer dez defesas em uma mesma partida e, assim, impediu que os argentinos devolvessem o placar de Buenos Aires.

Na grande decisão, Weverton mostrou a habitual segurança embaixo das traves e apareceu bem em pelo menos duas oportunidades do Santos. Ao final, repetiu o feito realizado com o Brasil nos Jogos Olímpicos do Rio 2016 e levantou mais um troféu no estádio do Maracanã, seu terceiro pelo Palmeiras em três anos de clube – os outros foram o Campeonato Paulista de 2020 (defendendo duas cobranças na disputa de pênaltis contra o Corinthians na final) e o Campeonato Brasileiro de 2018 (conquistando a Bola de Prata e, inclusive, completando nove jogos sem tomar gols durante a temporada (884 minutos com acréscimos e 812 sem), feito que lhe rendeu a segunda melhor marca da história do Palmeiras neste quesito, atrás apenas de Zetti, com 12 jogos (1.238 minutos sem acréscimos), em 1987). De quebra, Weverton tornou-se também o primeiro acreano campeão na história do Brasileirão desde 1959.

Recordes

Weverton é o 10º goleiro que mais jogou pelo Verdão em todos os tempos, com 151 partidas desde que estreou pelo clube em 2018 – o ranking é encabeçado por Emerson Leão, com 621 jogos, seguido por Marcos (533), Valdir de Morais (480), Velloso (458), Oberdan (353), Sérgio (333), Gilmar (290), Fernando Prass (274) e Primo (185).

Recentemente, o goleiro bateu uma marca que não era atingida havia 23 anos: chegou à terceira temporada consecutiva com 20 ou mais jogos sem sofrer gols, algo que não acontecia desde que Velloso não foi vazado por 28 partidas em 1995, 24 em 1996 e 27 em 1997. Foram 21 jogos sem ser vazado em 2018 e 26 em 2019, até então recorde de um arqueiro palmeirense em um mesmo ano neste século 21, mas, na atual temporada, o camisa 21 (usa a 1 na Libertadores) chegou a 30, batendo seu próprio recorde.

Com um total de 78 jogos sem levar gols desde que chegou ao Verdão, Weverton fica na terceira posição do ranking de goleiros com mais partidas sem ser vazado neste século, atrás apenas de Marcos (107) e Fernando Prass (101). Ele ainda ostenta a terceira menor média de gols sofridos na história do Palmeiras: vazado apenas 97 vezes em 151 jogos, o jogador tem índice de 0,64 gol por partida, está atrás só do paraguaio Benítez, com 0,54 (13 gols sofridos em 24 jogos em 1978), e do também paraguaio Gato Fernández, com 0,62 (22 gols em 35 jogos em 1994).

Atleta que soma mais minutos em campo na temporada atual, Weverton atuou em 62 dos 67 jogos do Palmeiras em 2020/21, mesmo números de Willian, presente em 62 dos 67 compromissos do time alviverde.

Números gerais:
> 151 jogos (151 como titular) pelo Palmeiras
> 62 jogos (62 como titular) na temporada 2020
> 13 jogos (13 como titular) pela Libertadores 2020

Jogos na Libertadores 2020:
Tigre-ARG 0x2 Palmeiras (1ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 3×1 Guaraní-PAR (2ª rodada – fase de grupos)
Bolívar-BOL 1×2 Palmeiras (3ª rodada – fase de grupos)
Guaraní-PAR 0x0 Palmeiras (4ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 5×0 Bolívar-BOL (5ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 5×0 Tigre-ARG (6ª rodada – fase de grupos)
Delfín-EQU 1×3 Palmeiras (Oitavas de final – ida)
Palmeiras 5×0 Delfín-EQU (Oitavas de final – volta)
Libertad-PAR 1×1 Palmeiras (Quartas de final – ida)
Palmeiras 3×0 Libertad-PAR (Quartas de final – volta)
River Plate-ARG 0x3 Palmeiras (Semifinal – ida)
Palmeiras 0x2 River Plate-ARG (Semifinal – volta)
Palmeiras 1×0 Santos (Final – jogo único)

LUAN

Com passagem pelo Vasco da Gama, Luan sente-se em casa jogando no Rio de Janeiro, e isso foi comprovado mais uma vez na grande decisão contra o Santos. Depois de ajudar a levar o Brasil à medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de 2016, com a grande final também sendo realizada no Maracanã, o defensor contribuiu bastante para o Palmeiras erguer o troféu da principal competição entre clubes das Américas novamente no estádio carioca.

Ao longo da campanha alviverde na Libertadores 2020, Luan marcou presença em oito das 13 partidas do clube, sendo cinco como titular da equipe. Ao lado do paraguaio Gustavo Gómez, o jogador formou uma zaga titular segura e bastante elogiada pelo técnico Abel Ferreira, começando pelo difícil compromisso com o Bolívar-BOL, na Bolívia, que terminou com vitória palmeirense por 2 a 1.

Ao lado de Gustavo Gómez, inclusive, Luan perdeu só uma vez na temporada e tem retrospecto geral de 59 jogos, 38 vitórias, 15 empates e só seis derrotas, com 28 gols sofridos (média de 0,47 gol sofrido por partida). Em 2019, Luan e Gómez atingiram a expressiva marca de 1081 minutos consecutivos sem sofrer gols (sem considerar os acréscimos), segunda maior sequência instransponível de uma dupla de zagueiros na história do Palmeiras – o recorde ainda pertence a Marcio e Vágner Bacharel, que, em 1987, garantiram que o time ficasse sem levar gols por exatos 1.148 minutos (sem acréscimos). Um ano antes, durante a campanha do decacampeonato brasileiro de 2018, eles já haviam contribuído para estabelecer o recorde palmeirense de menos gols sofridos na história do Brasileirão de pontos corridos: apenas 26 tentos tomados (a marca anterior era de 32, na caminhada do título de 2016).

Números gerais:
> 125 jogos (112 como titular), 5 gols e 1 assistência pelo Palmeiras
> 43 jogos (31 como titular) na temporada 2020
> 8 jogos (5 como titular) pela Libertadores 2020

Jogos na Libertadores 2020:
Tigre-ARG 0x2 Palmeiras (1ª rodada – fase de grupos)
Bolívar-BOL 1×2 Palmeiras (3ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 5×0 Bolívar-BOL (5ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 5×0 Delfín-EQU (Oitavas de final – volta)
Libertad-PAR 1×1 Palmeiras (Quartas de final – ida)
Palmeiras 3×0 Libertad-PAR (Quartas de final – volta)
Palmeiras 0x2 River Plate-ARG (Semifinal – volta)
Palmeiras 1×0 Santos (Final – jogo único)

GUSTAVO GÓMEZ

Sempre aguerrido e com uma capacidade de liderança fora do comum dentro das quatro linhas, Gustavo Gómez foi novamente decisivo em um título do Verdão, assim como já havia acontecido nas conquistas do Campeonato Brasileiro 2018 e do Campeonato Paulista 2020. O paraguaio foi titular em todas as partidas do time na Libertadores 2020, marcando, inclusive, dois gols ao longo da trajetória palmeirense – um deles contra o Libertad-PAR, clube formador do atleta, no primeiro encontro das quartas de final, no Paraguai.

Nas primeiras rodadas do torneio, o camisa 15 formou dupla principalmente com Felipe Melo, que havia mudado de posição com o técnico Vanderlei Luxemburgo, passando de volante para zagueiro. Após uma grave contusão no tornozelo, o Pitbull abriu espaço para Luan assumir a titularidade ao lado do paraguaio a partir da goleada por 5 a 0 sobre o Delfín-EQU, na partida de volta das oitavas de final.

A zaga Gómez e Luan foi derrotada só uma vez no ano (20 partidas, 13 vitórias, seis empates, uma derrota e apenas dez gols sofridos) e tem retrospecto geral de 59 jogos, 38 vitórias, 15 empates e só seis derrotas, com 28 gols sofridos (média de 0,47 gol sofrido por partida). Em 2019, Gómez e Luan atingiram a expressiva marca de 1081 minutos consecutivos sem sofrer gols (sem considerar os acréscimos), segunda maior sequência instransponível de uma dupla de zagueiros na história do Palmeiras – o recorde ainda pertence a Marcio e Vágner Bacharel, que, em 1987, garantiram que o time ficasse sem levar gols por exatos 1.148 minutos (sem acréscimos). Um ano antes, durante a campanha do decacampeonato brasileiro de 2018, eles já haviam contribuído para estabelecer o recorde palmeirense de menos gols sofridos na história do Brasileirão de pontos corridos: apenas 26 tentos tomados (a marca anterior era de 32, na caminhada do título de 2016).

Ao lado de Weverton, Gustavo Gómez foi o jogador do elenco com mais partidas na Libertadores 2020: 13 jogos. Apesar de ser constantemente convocado para a Seleção do Paraguai, ele também aparece como o jogador de linha que tem mais tempo em campo entre os jogadores do Verdão na temporada: somando os minutos do Paulista, da Copa do Brasil, da Libertadores e do Brasileiro, além dos amistosos (Florida Cup) – apenas o goleiro Weverton supera Gómez neste quesito.

Números gerais:
> 110 Jogos (107 como titular), 13 gols e 1 assistência pelo Palmeiras
> 51 jogos (50 como titular), 5 gols e 1 assistência na temporada 2020
> 13 jogos (13 como titular) e 2 gols pela Libertadores 2020

Jogos na Libertadores 2020:
Tigre-ARG 0x2 Palmeiras (1ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 3×1 Guaraní-PAR (2ª rodada – fase de grupos)
Bolívar-BOL 1×2 Palmeiras (3ª rodada – fase de grupos)
Guaraní-PAR 0x0 Palmeiras (4ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 5×0 Bolívar-BOL (5ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 5×0 Tigre-ARG (6ª rodada – fase de grupos)
Delfín-EQU 1×3 Palmeiras (Oitavas de final – ida)
Palmeiras 5×0 Delfín-EQU (Oitavas de final – volta)
Libertad-PAR 1×1 Palmeiras (Quartas de final – ida)
Palmeiras 3×0 Libertad-PAR (Quartas de final – volta)
River Plate-ARG 0x3 Palmeiras (Semifinal – ida)
Palmeiras 0x2 River Plate-ARG (Semifinal – volta)
Palmeiras 1×0 Santos (Final – jogo único)

Gols na Libertadores 2020:
Palmeiras 5×0 Tigre-ARG (6ª rodada – fase de grupos): primeiro gol
Libertad-PAR 1×1 Palmeiras (Quartas de final – ida): segundo gol

EMERSON SANTOS

Com poucas oportunidades no começo de 2020, Emerson Santos passou a ganhar destaque no time palmeirense após a chegada de Abel Ferreira. Na Libertadores 2020, o defensor entrou em campo seis vezes, com uma oportunidade de iniciar entre os titulares, na vitória por 3 a 1 sobre o Delfín-EQU, no Equador, pelo duelo de ida das oitavas de final. Como volante, função nova promovida pelo treinador português, o jogador também fez bonito nos confrontos com o River Plate-ARG, pelas semifinais.

O atual camisa 3 estreou pelo clube em 2018, justamente em um jogo de Libertadores (entrou aos 42 minutos do segundo tempo contra o Alianza Lima-PER, quando o Palmeiras já vencia por 3 a 1). O duelo seguinte à sua estreia foi na vitória por 3 a 1 diante do Junior Barranquilla-COL, também pela Libertadores de 2018 – nesta partida, ele atuou por 90 minutos pela primeira vez (ao lado de Luan).

Números gerais:
> 25 jogos (14 como titular) pelo Palmeiras
> 21 jogos (13 como titular) na temporada 2020
> 6 jogos (1 como titular) pela Libertadores 2020

Jogos na Libertadores 2020:
Palmeiras 5×0 Tigre-ARG (6ª rodada – fase de grupos)
Delfín-EQU 1×3 Palmeiras (Oitavas de final – ida)
Libertad-PAR 1×1 Palmeiras (Quartas de final – ida)
Palmeiras 3×0 Libertad-PAR (Quartas de final – volta)
River Plate-ARG 0x3 Palmeiras (Semifinal – ida)
Palmeiras 0x2 River Plate-ARG (Semifinal – volta)

EMPEREUR

Contratado ao longo da temporada 2020, Alan Empereur ganhou destaque na Libertadores 2020 ao ter uma atuação memorável na histórica vitória por 3 a 0 sobre o River Plate-ARG, no primeiro jogo das semifinais. Por conta de uma lesão de última hora de Luan, o jogador ganhou a oportunidade de fazer dupla com Gustavo Gómez e não decepcionou. Antes disso, o palestrino já havia participado da goleada por 5 a 0 sobre o Delfín-EQU, entrando no lugar de Gustavo Scarpa. Na final contra o Santos, ele fez a sua primeira partida da carreira no estádio do Maracanã.

Números gerais:
> 13 jogos (7 como titular) pelo Palmeiras
> 13 jogos (7 como titular) na temporada de 2020
> 4 jogos (2 como titular) pela Libertadores

Jogos na Libertadores 2020:
Palmeiras 5×0 Delfín-EQU (Oitavas de final – volta)
River Plate-ARG 0x3 Palmeiras (Semifinal – ida)
Palmeiras 0x2 River Plate-ARG (Semifinal – volta)
Palmeiras 1×0 Santos (Final – jogo único)

KUSCEVIC

O jovem defensor chileno foi muito importante no segundo encontro com o River Plate-ARG, no Allianz Parque, no embate de volta das semifinais, o primeiro dele na Libertadores 2020. Kuscevic entrou na lateral direita ao longo da partida, no lugar de Marcos Rocha, e colaborou bastante para o Verdão garantir a vaga na grande decisão da competição.

Números gerais:
> 8 jogos (5 como titular) pelo Palmeiras
> 8 jogos (5 como titular) na temporada de 2020
> 1 jogo (0 como titular) pela Libertadores 2020

Jogos na Libertadores 2020:
Palmeiras 0x2 River Plate-ARG (Semifinal – volta)

RENAN

Revelado pelas categorias de base do Palmeiras, o atleta participou da vitória por 3 a 1 sobre o Delfín-EQU, no Equador, pelas oitavas de final. O jovem, que atua como zagueiro e lateral-esquerdo, foi muito importante durante o período em que boa parte do elenco palestrino havia testado positivo para a Covid-19, emplacando grandes atuações com o manto alviverde também pelo Campeonato Brasileiro.

O atleta de 18 anos conquistou importantes títulos pela base do Palmeiras e da Seleção Brasileira desde o Sub-15 – entre eles, o bicampeonato paulista sub-15 (2016 e 2017), o Campeonato Paulista Sub-17 (2018), a Copa do Brasil Sub-17 (2019), a Supercopa do Brasil Sub-17 (2019) e o bicampeonato do Mundial de Clubes Sub-17 (2018 e 2019), pelo Verdão, além da Copa do Mundo Sub-17 em 2019, pelo Brasil. Ele chegou ao Palmeiras em 2015, aos 13 anos de idade, começou a jogar de lateral-esquerdo no início de 2019 por decisão do técnico Artur Itiro e agradou. Ganhou a polivalência como uma de suas características.

Números gerais:
> 7 jogos (6 como titular) pelo Palmeiras
> 7 jogos (6 como titular) na temporada 2020
> 1 jogo (0 como titular) pela Libertadores 2020

Jogos na Libertadores 2020:
Delfín-EQU 1×3 Palmeiras (Oitavas de final – ida)

VITOR HUGO

Campeão da Copa do Brasil 2015, do Campeonato Brasileiro 2016 e do Campeonato Paulista 2020, Vitor Hugo também fez parte da campanha do segundo título do Verdão na Libertadores. Foram três jogos do defensor nesta edição da competição sul-americana, todas com vitória do Alviverde. Além de ser importante dentro de campo, o atleta foi decisivo fora dele pela liderança e bom relacionamento com os companheiros de elenco.

Números gerais:
> 161 Jogos (157 como titular), 13 gols e 3 assistências pelo Palmeiras
> 10 jogos (6 como titular) na temporada 2020
> 3 jogos (0 como titular) pela Libertadores 2020

Jogos na Libertadores 2020:
Palmeiras 3×1 Guaraní-PAR (2ª rodada – fase de grupos)
Bolívar-BOL 1×2 Palmeiras (3ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 5×0 Bolívar-BOL (5ª rodada – fase de grupos)

MARCOS ROCHA

Marcos Rocha participou de nove jogos do Palmeiras na Libertadores 2020, todos como titular e registrando uma assistência, no gol de Rony durante a vitória por 3 a 0 sobre o Libertad-PAR, pelas quartas de final. Campeão do torneio sul-americano com o Atlético-MG, em 2013, o agora palestrino foi peça-chave na campanha vitoriosa do Verdão, pela qualidade dentro de campo e pela experiência vivida na competição.

Na marcante vitória por 3 a 0 sobre o River Plate-ARG, uma das mais importantes da história do clube na Libertadores, Rocha cumpriu com perfeição as suas funções táticas na estratégia montada pelo treinador Abel Ferreira, atuando como um terceiro zagueiro. Este é o terceiro título do lateral com o manto do Palmeiras – os outros são o Campeonato Brasileiro 2018 e o Campeonato Paulista 2020.

Números gerais:
> 138 jogos (132 como titular), 6 gols e 20 assistências pelo Palmeiras
> 46 jogos (42 como titular), 2 gols e 5 assistências na temporada 2020
> 9 jogos (9 como titular) e 1 assistência pela Libertadores 2020

Jogos na Libertadores 2020:
Palmeiras 3×1 Guaraní-PAR (2ª rodada – fase de grupos)
Bolívar-BOL 1×2 Palmeiras (3ª rodada – fase de grupos)
Guaraní-PAR 0x0 Palmeiras (4ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 5×0 Bolívar-BOL (5ª rodada – fase de grupos)
Delfín-EQU 1×3 Palmeiras (Oitavas de final – ida)
Palmeiras 3×0 Libertad-PAR (Quartas de final – volta)
River Plate-ARG 0x3 Palmeiras (Semifinal – ida)
Palmeiras 0x2 River Plate-ARG (Semifinal – volta)
Palmeiras 1×0 Santos (Final – jogo único)

MAYKE

Titular na vitória por 3 a 1 sobre o Delfín-EQU, no Equador, Mayke mostrou comprometimento e polivalência ao atuar como lateral-esquerdo naquela partida – sempre rápido em suas chegadas ofensivas, o palmeirense deu conta do recado e ajudou o Verdão a conquistar um resultado importante fora de casa pelas oitavas de final. Mayke faz parte do grupo de jogadores que também levantaram os troféus do Campeonato Brasileiro 2018 e do Campeonato Paulista 2020.

Números gerais:
> 112 jogos (93 como titular), 2 gols e 8 assistências pelo Palmeiras
> 30 jogos (17 como titular) e 1 assistência na temporada 2020
> 4 jogos (1 como titular) pela Libertadores 2020

Jogos na Libertadores 2020:
Palmeiras 5×0 Tigre-ARG (6ª rodada – fase de grupos)
Delfín-EQU 1×3 Palmeiras (Oitavas de final – ida)
Palmeiras 5×0 Delfín-EQU (Oitavas de final – volta)
Palmeiras 3×0 Libertad-PAR (Quartas de final – volta)

MATÍAS VIÑA

Eficiente defensivamente, Viña também mostrou força ofensiva ao longo da campanha vitoriosa do Palmeiras na Libertadores 2020, marcando dois gols e dando três assistências. Titular nas 12 partidas em que foi relacionado, o jogador não poupou energia para ajudar o Alviverde na principal competição de clubes da América do Sul. Foi dele o terceiro gol palestrino na vitória por 3 a 0 sobre o River Plate-ARG, na Argentina, após jogada ensaiada que pegou de surpresa a defesa rival.

Os três passes a gol feitos por Viña aconteceram nas vitórias por 5 a 0 contra Bolívar-BOL e Tigre-ARG, ambos realizados no Allianz Parque, pela fase de grupos. Contra os bolivianos, o lateral ajudou Wesley e Raphael Veiga a balançarem as redes adversárias, já contra o rival argentino foi Rony o beneficiado.

O uruguaio é um reforço que chegou neste ano do Nacional-URU e, apesar das poucas partidas pelo Verdão (43 ao todo), está na história do clube como o quinto uruguaio que mais defendeu a equipe em todos os tempos – completam a lista: Ventura Cambon (4º, com 53), Héctor Silva (3º, com 80), Villadoniga (2º, com 138) e Diogo (líder do ranking, com 146).

Números gerais:
> 44 jogos (43 como titular), 2 gols e 8 assistências pelo Palmeiras
> 44 jogos (43 como titular), 2 gols e 8 assistências na temporada 2020
> 12 jogos (12 como titular), 2 gols e 3 assistências pela Libertadores 2020

Jogos na Libertadores 2020:
Tigre-ARG 0x2 Palmeiras (1ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 3×1 Guaraní-PAR (2ª rodada – fase de grupos)
Bolívar-BOL 1×2 Palmeiras (3ª rodada – fase de grupos)
Guaraní-PAR 0x0 Palmeiras (4ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 5×0 Bolívar-BOL (5ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 5×0 Tigre-ARG (6ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 5×0 Delfín-EQU (Oitavas de final – volta)
Libertad-PAR 1×1 Palmeiras (Quartas de final – ida)
Palmeiras 3×0 Libertad-PAR (Quartas de final – volta)
River Plate-ARG 0x3 Palmeiras (Semifinal – ida)
Palmeiras 0x2 River Plate-ARG (Semifinal – volta)
Palmeiras 1×0 Santos (Final – jogo único)

Gols na Libertadores 2020:
Palmeiras 5×0 Bolívar-BOL (5ª rodada – fase de grupos): primeiro gol
River Plate-ARG 0x3 Palmeiras (Semifinal – ida): segundo gol

ESTEVES

O jovem lateral-esquerdo foi mais um atleta das categorias de base palmeirense a participar da campanha do título da Libertadores 2020. O jogador entrou ao longo da vitória por 3 a 1 sobre o Delfín-EQU, no Equador, em duelo válido pelas oitavas de final do torneio.

Cria da Academia, o jogador está no Palmeiras desde 2014, quando passou a integrar o elenco Sub-15, o jovem de 20 anos foi um dos destaques de uma geração que conquistou títulos inéditos e importantes pela base do clube, como a Copa do Brasil Sub-17 (2017), o Brasileiro Sub-20 (2018), a Copa RS Sub-20 (2018), a Copa do Brasil Sub-20 (2019) e o Bi Paulista Sub-20 (2018 e 2019), além de dezenas de taças no exterior. Em 2019, pelo Sub-20, Esteves disputou 38 partidas e marcou sete gols.

Números gerais:
> 9 jogos (4 como titular) pelo Palmeiras
> 8 jogos (4 como titular) na temporada de 2020
> 1 jogo (0 como titular) pela Libertadores 2020

Jogos na Libertadores 2020:
Delfín-EQU 1×3 Palmeiras (Oitavas de final – ida)

FELIPE MELO

Volante durante quase toda a carreira como jogador, Felipe Melo encarou um novo desafio em 2020: atuar como zagueiro. Ao lado de Gustavo Gómez, o Pitbull formou uma zaga de respeito na fase de grupos da Libertadores e acabou sendo um dos destaques do time, mesmo estando em uma nova função. O camisa 30, contudo, interrompeu a boa sequência no torneio por conta de uma grave lesão no tornozelo, deixando de disputar as fases de oitavas de final, quartas de final e semifinal, retornando apenas na grande decisão contra o Santos. Foram seis jogos com o atleta durante a campanha.

Apesar do período longe dos gramados, Felipe Melo segue como o atleta que mais vezes vestiu a braçadeira de capitão na temporada: foram 30 vezes iniciando uma partida com o adereço de autoridade máxima em seu braço, seguido de Gustavo Gómez, com 18.

Do atual elenco, Felipe Melo é o vice-líder em jogos no geral, atrás só de Willian. Na semifinal do Paulista diante da Ponte Preta, quando alcançou sua 155ª partida pela equipe, ele fez do Palmeiras o clube que mais defendeu na carreira (pelo Galatasaray-TUR, foram 154).

Números gerais:
> 173 jogos (164 como titular), 12 gols e 6 assistências pelo Palmeiras
> 34 jogos (32 como titular), 1 gol e 1 assistência na temporada 2020
> 6 jogos (5 como titular) pela Libertadores 2020

Jogos na Libertadores 2020:
Tigre-ARG 0x2 Palmeiras (1ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 3×1 Guaraní-PAR (2ª rodada – fase de grupos)
Guaraní-PAR 0x0 Palmeiras (4ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 5×0 Bolívar-BOL (5ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 5×0 Tigre-ARG (6ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 1×0 Santos (Final – jogo único)

DANILO

Uma das principais revelações do clube em 2020, Danilo é o típico volante que sabe defender e atacar. Discreto, porém muito eficiente, o jovem jogou como gente grande no triunfo palestrino por 3 a 0 diante do River Plate-ARG, na Argentina, formando com Patrick de Paula e Gabriel Menino um meio de campo totalmente criado nas categorias de base do Verdão. O camisa 28 terminou a Libertadores com 11 jogos (oito como titular), um gol e duas assistências.

Uma partida em especial da Libertadores ficará marcada para sempre na história de Danilo. Além de marcar o seu primeiro gol como profissional na goleada por 5 a 0 diante do Delfín-EQU, no Allianz Parque, pelas oitavas de final, o jovem também deu passe para Gabriel Veron anotar um dos tentos do Verdão na partida e acabou sendo decisivo para o triunfo palestrino. Nos 3 a 0 contra o River Plate-ARG, fora de casa, foi de Danilo a assistência para a arrancada inesquecível de Luiz Adriano rumo à meta adversária, que culminou no segundo gol alviverde. A final contra o Santos, no Maracanã, também foi marcante para o jovem, já que foi a sua estreia como jogador no estádio.

Figura constante nas convocações da Seleção Brasileira Sub-20, o jovem de 19 anos é o jogador oriundo da base que está há menos tempo no elenco profissional do Palmeiras – chamou a atenção da comissão técnica durante os treinos do Sub-20 na Academia de Futebol no início do segundo semestre e, desde então, não voltou mais para a base.

Meio-campista versátil que atua na contenção e na armação de jogadas, Danilo participou de alguns projetos sociais na sua cidade natal, Salvador (BA), e foi vice-campeão da segunda divisão do Campeonato Baiano pelo Cajazeiras, aos 16 anos, antes de chegar ao Palmeiras em 2018, quando foi captado para integrar o elenco Sub-17 e naquela mesma temporada já conquistou o título paulista da categoria. No Sub-20, o canhoto de 19 anos ganhou espaço ao final de 2019, contribuindo para a conquista de mais um título paulista. Foi ainda titular da equipe na Copa São Paulo deste ano, na qual disputou cinco jogos e marcou um gol.

Números gerais:
> 31 jogos (17 como titular), 1 gol e 2 assistências pelo Palmeiras
> 31 jogos (17 como titular), 1 gol e 2 assistências na temporada de 2020
> 11 jogos (8 como titular), 1 gol e 2 assistências pela Libertadores 2020

Jogos na Libertadores 2020:
Bolívar-BOL 1×2 Palmeiras (3ª rodada – fase de grupos)
Guaraní-PAR 0x0 Palmeiras (4ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 5×0 Bolívar-BOL (5ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 5×0 Tigre-ARG (6ª rodada – fase de grupos)
Delfín-EQU 1×3 Palmeiras (Oitavas de final – ida)
Palmeiras 5×0 Delfín-EQU (Oitavas de final – volta)
Libertad-PAR 1×1 Palmeiras (Quartas de final – ida)
Palmeiras 3×0 Libertad-PAR (Quartas de final – volta)
River Plate-ARG 0x3 Palmeiras (Semifinal – ida)
Palmeiras 0x2 River Plate-ARG (Semifinal – volta)
Palmeiras 1×0 Santos (Final – jogo único)

Gols na Libertadores 2020:
Palmeiras 5×0 Delfín-EQU (Oitavas de final – volta): primeiro gol

PATRICK DE PAULA

Autor da última cobrança de pênalti que deu o título do Campeonato Paulista 2020 ao Palmeiras, Patrick de Paula também contribuiu para o bicampeonato do clube na Libertadores desta temporada. Com um golaço de fora da área, o jovem abriu o marcador na goleada por 5 a 0 sobre o Delfín-EQU, resultado que colocou o Verdão nas quartas de final da competição. Contra o River Plate-ARG, na Argentina, fez bonito na vitória palmeirense por 3 a 0 ao formar um trio de respeito com Danilo e Gabriel Menino.

Captado pelo Palmeiras em 2017 quando atuava no futebol amador do Rio de Janeiro, sua cidade natal, Patrick fazia inicialmente a função de meia, mas assumiu o protagonismo na base quando passou a jogar mais recuado, como primeiro volante (atuou até improvisado como zagueiro em algumas partidas). Campeão brasileiro Sub-20 em 2018, faturou ainda a Copa do Brasil Sub-20 em 2019 e quatro títulos paulistas seguidos (2017, 2018 e 2019 pelo Sub-20 e 2020 pelo Profissional) no clube.

Números gerais:
> 44 jogos (32 como titular), 5 gols e 1 assistência pelo Palmeiras
> 44 jogos (32 como titular), 5 gols e 1 assistência na temporada de 2020
> 6 jogos (4 como titular) e 1 gol pela Libertadores 2020

Jogos na Libertadores 2020:
Palmeiras 3×1 Guaraní-PAR (2ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 5×0 Bolívar-BOL (5ª rodada – fase de grupos)
Delfín-EQU 1×3 Palmeiras (Oitavas de final – ida)
Palmeiras 5×0 Delfín-EQU (Oitavas de final – volta)
River Plate-ARG 0x3 Palmeiras (Semifinal – ida)
Palmeiras 1×0 Santos (Final – jogo único)

Gols na Libertadores 2020:
Palmeiras 5×0 Delfín-EQU (Oitavas de final – volta): primeiro gol

GABRIEL MENINO

De Menino, apenas o sobrenome. Gabriel foi uma das principais figuras do Palmeiras na histórica campanha da Libertadores 2020, com destaque para a atuação impecável na vitória por 3 a 0 sobre o River Plate-ARG, na Argentina. O camisa 25 deu trabalho ao rival argentino e impressionou a todos com a sua vontade e qualidade técnica durante o triunfo palmeirense. Contra o Bolívar-BOL, na Bolívia, ainda pela fase de grupos, marcou um dos gols mais bonitos desta edição do torneio e foi decisivo para a vitória do Verdão por 2 a 1. Ao todo, foram 12 jogos (11 como titular), três gols e uma assistência.

O gol contra o Bolívar-BOL, em setembro, foi o primeiro do camisa 25 como profissional, selando a vitória por 2 a 1, em La Paz, e o colocou como o terceiro jogador mais jovem a balançar a rede pelo Verdão na Libertadores: 19 anos, 11 meses e 16 dias, desbancando Keirrison, que em 2009 marcou contra o Real Potosí-BOL aos 20 anos, 1 mês e 26 dias – o recorde é de Gabriel Veron, que com 18 anos, um mês e 19 dias deixou sua marca contra o Tigre-ARG, em 21/10/2020, enquanto Gabriel Jesus é o segundo colocado com o gol aos 18 anos, 10 meses e 13 dias contra o River Plate-URU em 2016.

Contra o Delfín-EQU, no duelo de ida das oitavas, no Equador (vitória por 3 a 1), o camisa 25 também deixou a sua marca ao fazer o gol que abriu o placar. A Cria da Academia fez mais um na vitória por 3 a 0 diante do Libertad-PAR, em casa – jogo este que valeu a classificação às semifinais do Continental. Menino soma três gols pelo Verdão, todos pela Libertadores.

Natural de Morungaba (SP), ele foi captado pela base do Palmeiras em 2017, quando atuava no Guarani, e logo se destacou, inclusive sendo convocado para defender a Seleção Brasileira Sub-20 no Sul-Americano de 2019. Campeão brasileiro Sub-20 em 2018, faturou também a Copa do Brasil Sub-17 em 2017 e três títulos paulistas seguidos (2018 e 2019 pelo Sub-20 e 2020 pelo Profissional) no clube.

Números gerais:
> 54 jogos (47 como titular), 3 gols e 9 assistências pelo Palmeiras
> 54 jogos (47 como titular), 3 gols e 9 assistências na temporada de 2020
> 12 jogos (11 como titular), 3 gols e 1 assistência pela Libertadores 2020

Jogos na Libertadores 2020:
Tigre-ARG 0x2 Palmeiras (1ª rodada – fase de grupos)
Bolívar-BOL 1×2 Palmeiras (3ª rodada – fase de grupos)
Guaraní-PAR 0x0 Palmeiras (4ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 5×0 Bolívar-BOL (5ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 5×0 Tigre-ARG (6ª rodada – fase de grupos)
Delfín-EQU 1×3 Palmeiras (Oitavas de final – ida)
Palmeiras 5×0 Delfín-EQU (Oitavas de final – volta)
Libertad-PAR 1×1 Palmeiras (Quartas de final – ida)
Palmeiras 3×0 Libertad-PAR (Quartas de final – volta)
River Plate-ARG 0x3 Palmeiras (Semifinal – ida)
Palmeiras 0x2 River Plate-ARG (Semifinal – volta)
Palmeiras 1×0 Santos (Final – jogo único)

Gols na Libertadores 2020:
Bolívar-BOL 1×2 Palmeiras (3ª rodada – fase de grupos): primeiro gol
Delfín-EQU 1×3 Palmeiras (Oitavas de final – ida): segundo gol
Palmeiras 3×0 Libertad-PAR (Quartas de final – volta): terceiro gol

ZÉ RAFAEL

Apelidado carinhosamente de “trem” pelos companheiros de elenco, Zé Rafael contribuiu bastante com o Palmeiras ao utilizar a sua força física e qualidade técnica para liderar o meio de campo do time nas 12 partidas da Libertadores 2020 em que esteve presente, sendo seis como titular. Ele marcou duas vezes ao longo do torneio, na goleada por 5 a 0 sobre o Tigre-ARG, no Allianz Parque, pela fase de grupos, e no triunfo por 3 a 1 sobre o Delfín-EQU, fora de casa, pelas oitavas de final.

Números gerais:
> 98 jogos (75 como titular), 12 gols e 12 assistências pelo Palmeiras
> 59 jogos (42 como titular), 5 gols e 7 assistências na temporada de 2020
> 12 jogos (7 como titular) e 2 gols pela Libertadores 2020

Jogos na Libertadores 2020:
Tigre-ARG 0x2 Palmeiras (1ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 3×1 Guaraní-PAR (2ª rodada – fase de grupos)
Bolívar-BOL 1×2 Palmeiras (3ª rodada – fase de grupos)
Guaraní-PAR 0x0 Palmeiras (4ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 5×0 Tigre-ARG (6ª rodada – fase de grupos)
Delfín-EQU 1×3 Palmeiras (Oitavas de final – ida)
Palmeiras 5×0 Delfín-EQU (Oitavas de final – volta)
Libertad-PAR 1×1 Palmeiras (Quartas de final – ida)
Palmeiras 3×0 Libertad-PAR (Quartas de final – volta)
River Plate-ARG 0x3 Palmeiras (Semifinal – ida)
Palmeiras 0x2 River Plate-ARG (Semifinal – volta)
Palmeiras 1×0 Santos (Final – jogo único)

Gols na Libertadores 2020:
Palmeiras 5×0 Tigre-ARG (6ª rodada – fase de grupos): primeiro gol
Delfín-EQU 1×3 Palmeiras (Oitavas de final – ida): segundo gol

RAPHAEL VEIGA

Raphael Veiga tem sido um dos protagonistas do meio de campo do Palmeiras após a chegada do técnico Abel Ferreira, participando ativamente das jogadas ofensivas do time, inclusive com gols decisivos. O jogador já soma 18 gols na temporada 2020, sendo dois deles na Libertadores 2020 (nas goleadas por 5 a 0 contra Bolívar-BOL e Tigre-ARG, ambas no Allianz Parque), marca que o coloca na vice-artilharia da equipe, ao lado de Willian e atrás apenas de Luiz Adriano, com 20.

Ao ter entrado em campo no clássico contra o Corinthians, no Allianz Parque, o meia Raphael Veiga completou 100 jogos pelo Palmeiras e fez dois gols no duelo. Em 102 jogos desde janeiro de 2017, ele marcou 25 gols e concedeu seis assistências – em seus últimos 18 jogos disputados, Veiga marcou dez gols (média de 0,55 neste período). Ao todo, neste ano, Raphael Veiga soma 18 bolas na rede na temporada e, com isso, superou os nove gols que acumulou em 2018 pelo Athletico-PR e fez de 2020, de forma disparada, a temporada mais artilheira de sua carreira.

Além disso, com os 25 gols que possui, ele é, de forma isolada, o terceiro colocado dentre os principais artilheiros gerais do elenco atual, atrás só de Luiz Adriano, com 27, e de Willian Bigode, com 56.

Números gerais:
> 102 jogos (57 como titular), 25 gols e 4 assistências pelo Palmeiras
> 49 jogos (35 como titular), 18 gols e 2 assistências na temporada de 2020
> 10 jogos (6 como titular), 2 gols e 1 assistência pela Libertadores 2020

Jogos na Libertadores 2020:
Bolívar-BOL 1×2 Palmeiras (3ª rodada – fase de grupos)
Guaraní-PAR 0x0 Palmeiras (4ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 5×0 Bolívar-BOL (5ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 5×0 Tigre-ARG (6ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 5×0 Delfín-EQU (Oitavas de final – volta)
Libertad-PAR 1×1 Palmeiras (Quartas de final – ida)
Palmeiras 3×0 Libertad-PAR (Quartas de final – volta)
River Plate-ARG 0x3 Palmeiras (Semifinal – ida)
Palmeiras 0x2 River Plate-ARG (Semifinal – volta)
Palmeiras 1×0 Santos (Final – jogo único)

Gols na Libertadores 2020:
Palmeiras 5×0 Bolívar-BOL (5ª rodada – fase de grupos): primeiro gol
Palmeiras 5×0 Tigre-ARG (6ª rodada – fase de grupos): segundo gol

LUCAS LIMA

Sempre uma opção importante para cadenciar o jogo e dar qualidade nos passes para finalização, Lucas Lima entrou em campo quatro vezes nesta edição da Libertadores, com três participações como titular da equipe de Abel Ferreira. Campeão brasileiro em 2018 e paulista em 2020, o meia levantou a sua terceira taça pelo Verdão, a primeira em âmbito internacional.

Conhecido por sua técnica apurada e boa visão de jogo, Lucas Lima possui 21 assistências no total desde que chegou ao Palmeiras em 2018. Desta forma, ele é o vice-líder de passes a gol do atual elenco, atrás de Willian. Na atual temporada, ele é o líder em passe para finalizações.

Números gerais:
> 157 jogos (108 como titular), 10 gols e 21 assistências pelo Palmeiras
> 50 jogos (34 como titular), 2 gols e 5 assistências na temporada de 2020
> 4 jogos (3 como titular) pela Libertadores 2020

Jogos na Libertadores 2020:
Guaraní-PAR 0x0 Palmeiras (4ª rodada – fase de grupos)
Delfín-EQU 1×3 Palmeiras (Oitavas de final – ida)
Palmeiras 5×0 Delfín-EQU (Oitavas de final – volta)
Libertad-PAR 1×1 Palmeiras (Quartas de final – ida)

GUSTAVO SCARPA

Pouco utilizado no primeiro semestre, o meia Gustavo Scarpa viu a sua situação no Palmeiras mudar completamente após a chegada do técnico Abel Ferreira. Além de ser mais acionado, o jogador viveu a experiência de atuar como lateral-esquerdo. E o palmeirense não decepcionou, tendo boas chegadas ao ataque com cruzamentos perfeitos e arremates certeiros ao gol adversário.

As assistências de Scarpa resultaram em três gols do Palmeiras na Libertadores: o tentos de Gustavo Gómez no empate em 1 a 1 com o Libertad-PAR, fora de casa, e de Gabriel Menino na vitória por 3 a 0, novamente contra o rival paraguaio, desta vez no Allianz Parque, ambos duelos pelas quarta de final, além do gol de cabeça marcado por Viña contra o River Plate-ARG, na Argentina, pelas semifinais, após jogada ensaiada que pegou de surpresa os defensores rivais. Foi o terceiro do Verdão na ocasião.

Números gerais:
> 110 jogos (60 como titular), 22 gols e 15 assistências pelo Palmeiras
> 39 jogos (15 como titular), 3 gols e 6 assistências na temporada de 2020
> 6 jogos (5 como titular) e 3 assistências pela Libertadores 2020

Jogos na Libertadores 2020:
Bolívar-BOL 1×2 Palmeiras (3ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 5×0 Delfín-EQU (Oitavas de final – volta)
Libertad-PAR 1×1 Palmeiras (Quartas de final – ida)
Palmeiras 3×0 Libertad-PAR (Quartas de final – volta)
River Plate-ARG 0x3 Palmeiras (Semifinal – ida)
Palmeiras 0x2 River Plate-ARG (Semifinal – volta)

Gols na Libertadores 2020:
Palmeiras 3×0 Libertad-PAR (Quartas de final – volta): primeiro gol

RAMIRES

Multicampeão no futebol europeu e com o cobiçado título da Champions League na bagagem, Ramires também colaborou para a conquista palmeirense na Libertadores 2020, torneio de clubes mais importantes das Américas. Foram sete jogos no total, com quatro aparições na equipe titular.

Números gerais:
> 45 jogos (20 como titular) e 1 gol pelo Palmeiras
> 39 jogos (18 como titular) e 1 gol na temporada de 2020
> 7 jogos (4 como titular) pela Libertadores 2020

Jogos na Libertadores 2020:
Tigre-ARG 0x2 Palmeiras (1ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 3×1 Guaraní-PAR (2ª rodada – fase de grupos)
Bolívar-BOL 1×2 Palmeiras (3ª rodada – fase de grupos)
Guaraní-PAR 0x0 Palmeiras (4ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 5×0 Bolívar-BOL (5ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 5×0 Tigre-ARG (6ª rodada – fase de grupos)
Delfín-EQU 1×3 Palmeiras (Oitavas de final – ida)

BRUNO HENRIQUE

Capitão do Palmeiras no título do Campeonato Brasileiro 2018 e presente na conquista do Campeonato Paulista 2020, o volante Bruno Henrique esteve em cinco partidas da atual edição da Libertadores, sendo três como titular, todas elas durante a fase de grupos do torneio sul-americano. Apesar de ter mudado de equipe antes das oitavas de final, o atleta também faz parte da lista de campeões da Libertadores 2020.

Números gerais:
> 175 jogos (141 como titular), 28 gols e 12 assistências pelo Palmeiras
> 32 jogos (17 como titular) e 1 assistência na temporada de 2020
> 5 jogos (3 como titular) pela Libertadores 2020

Jogos na Libertadores 2020:
Tigre-ARG 0x2 Palmeiras (1ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 3×1 Guaraní-PAR (2ª rodada – fase de grupos)
Bolívar-BOL 1×2 Palmeiras (3ª rodada – fase de grupos)
Guaraní-PAR 0x0 Palmeiras (4ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 5×0 Bolívar-BOL (5ª rodada – fase de grupos)

RONY

Um dos principais nomes do Palmeiras na Libertadores 2020, Rony superou todas as expectativas ao marcar cinco gols e dar oito assistências ao longo das 11 partidas em que esteve presente na competição, além de ser eleito pela Conmebol como Melhor Jogador da Partida em quatro oportunidades. Um destes cinco tentos, inclusive, foi fundamental para o Verdão conquistar a histórica vitória por 3 a 0 sobre o River Plate-ARG, na Argentina. O camisa 11 abriu o marcador na casa do rival, dando início a uma noite que se tornou inesquecível para os palestrinos.

Rony é o principal artilheiro do Verdão na Libertadores 2020 com cinco bolas na rede, ao lado de Luiz Adriano. O camisa 11 marcou contra Bolívar-BOL (vitória por 5 a 0, em casa), Tigre-ARG (vitória por 5 a 0, em casa), Delfín-EQU (vitória por 3 a 1, fora), Libertad-PAR (vitória por 3 a 0, em casa) e River Plate-ARG (vitória por 3 a 0, fora).

O atacante também é o garçom máximo da edição 2020 da competição internacional, dentre todos os clubes, com oito passes a gol, além de ser também o líder isolado em participação em gols no torneio sul-americano, com 13 ações (ou seja, oito assitências e cinco bolas na rede). Os passes a gol de Rony foram para Willian contra o Tigre-ARG (vitória por 2 a 0, fora), Luiz Adriano contra o Guaraní-PAR (vitória por 3 a 1, em casa), Gabriel Menino contra o Bolívar-BOL (vitória por 2 a 1, fora), Gabriel Veron contra o Tigre-ARG (vitória por 5 a 0, em casa), Gabriel Menino e Zé Rafael contra o Delfín-EQU (vitória por 3 a 1, fora) e Gustavo Scarpa contra o Libertad-PAR (vitória por 3 a 0, em casa).

Números gerais:
> 45 jogos (34 como titular), 10 gols e 9 assistências pelo Palmeiras
> 45 jogos (34 como titular), 10 gols e 9 assistências na temporada de 2020
> 11 jogos (10 como titular), 5 gols e oito assistências pela Libertadores 2020

Jogos na Libertadores 2020:
Tigre-ARG 0x2 Palmeiras (1ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 3×1 Guaraní-PAR (2ª rodada – fase de grupos)
Bolívar-BOL 1×2 Palmeiras (3ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 5×0 Bolívar-BOL (5ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 5×0 Tigre-ARG (6ª rodada – fase de grupos)
Delfín-EQU 1×3 Palmeiras (Oitavas de final – ida)
Libertad-PAR 1×1 Palmeiras (Quartas de final – ida)
Palmeiras 3×0 Libertad-PAR (Quartas de final – volta)
River Plate-ARG 0x3 Palmeiras (Semifinal – ida)
Palmeiras 0x2 River Plate-ARG (Semifinal – volta)
Palmeiras 1×0 Santos (Final – jogo único)

Gols na Libertadores 2020:
Palmeiras 5×0 Bolívar-BOL (5ª rodada – fase de grupos): primeiro gol
Palmeiras 5×0 Tigre-ARG (6ª rodada – fase de grupos): segundo gol
Delfín-EQU 1×3 Palmeiras (Oitavas de final – ida): terceiro gol
Palmeiras 3×0 Libertad-PAR (Quartas de final – volta): quarto gol
River Plate-ARG 0x3 Palmeiras (Semifinal – ida): quinto gol

GABRIEL VERON

Cria da Academia e uma das grandes esperanças para o futuro alviverde, Gabriel Veron mostrou-se uma arma importante para o treinador Abel Ferreira na campanha vitoriosa da Libertadores. Com sete jogos (cinco como titular), três gols e uma assistência, o jovem conquistou o seu segundo troféu com a equipe profissional do Verdão – o primeiro foi o Campeonato Paulista.

Promovido ao elenco profissional no final da temporada passada, Gabriel Veron já está marcado na história do clube como o palmeirense mais jovem a fazer gol em Campeonato Brasileiro, Copa Libertadores e Copa do Brasil. Na competição continental, alcançou o recorde no dia 21/10/2020, ao fazer o quarto gol na vitória por 5 a 0 sobre o Tigre-ARG com 18 anos, um mês e 19 dias, superando Gabriel Jesus, que tinha 18 anos, 10 meses e 13 dias quando foi às redes no empate por 2 a 2 diante do River Plate-URU, em 16/02/2016. Veron voltou a marcar duas vezes pelo torneio sul-americano na goleada por 5 a 0 contra o Delfín-EQU, no Allianz Parque, pelas oitavas de final.

Natural de Assú-RN, Veron está no Palmeiras desde o Sub-15 e soma títulos por todas as categorias de base – inclusive, foi campeão paulista Sub-15, Sub-17, Sub-20 e Profissional pelo Verdão. Em 2018, foi também campeão mundial interclubes Sub-17 pelo Palmeiras, marcando gol na vitória por 4 a 2 sobre o Real Madrid na decisão e terminando a competição como o artilheiro e eleito o melhor jogador. Em 2019, sagrou-se bicampeão mundial com a vitória por 2 a 1 sobre o Leganés-ESP, além de campeão das Copas do Brasil Sub-17 e Sub-20. Com a Seleção Brasileira, conquistou a Copa do Mundo Sub-17 em 2019 e, mais uma vez, levou o prêmio de melhor jogador para casa.

Números gerais:
> 40 jogos (18 como titular), 11 gols e 6 assistências pelo Palmeiras
> 37 jogos (18 como titular), 9 gols e 5 assistências na temporada de 2020
> 7 jogos (5 como titular), 3 gols e 1 assistência pela Libertadores 2020

Jogos na Libertadores 2020:
Tigre-ARG 0x2 Palmeiras (1ª rodada – fase de grupos)
Bolívar-BOL 1×2 Palmeiras (3ª rodada – fase de grupos)
Guaraní-PAR 0x0 Palmeiras (4ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 5×0 Tigre-ARG (6ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 5×0 Delfín-EQU (Oitavas de final – volta)
Libertad-PAR 1×1 Palmeiras (Quartas de final – ida)
Palmeiras 3×0 Libertad-PAR (Quartas de final – volta)

Gols na Libertadores 2020:
Palmeiras 5×0 Tigre-ARG (6ª rodada – fase de grupos): primeiro gol
Palmeiras 5×0 Delfín-EQU (Oitavas de final – volta): segundo e terceiro gols

WESLEY

Apesar de ter sido prejudicado por uma grave lesão no meio da temporada, o atacante Wesley foi decisivo quando entrou em campo pela competição mais importante da América do Sul. Sempre ágil e habilidoso, ele realizou três jogos durante a campanha do Alviverde, com um gol e três assistências – duas no triunfo por 5 a 0 contra o Bolívar-BOL, no Allianz Parque, e uma nos 5 a 0 contra o Tigre-ARG, novamente na arena alviverde, ambos os duelos pela fase de grupos.

Natural de Salvador, o jogador de 21 anos foi captado em 2016, quando atuava pelo Jacuipense-BA, para reforçar o Sub-17. Na temporada seguinte, subiu para o Sub-20, categoria pela qual conquistou o Campeonato Brasileiro em 2018, a Copa do Brasil em 2019 e o tricampeonato paulista em 2017, 2018 e 2019. Emprestado ao Vitória-BA em maio do ano passado para adquirir experiência disputando a Série B do Brasileiro, teve bom desempenho: anotou cinco gols, deu três assistências, foi o segundo maior driblador da competição e o sexto jogador mais caçado.

Números gerais:
> 23 jogos (13 como titular), 4 gols e 6 assistências pelo Palmeiras
> 23 jogos (13 como titular), 4 gols e 6 assistências na temporada de 2020
> 3 jogos (2 como titular),1 gol e 3 assistências pela Libertadores 2020

Jogos na Libertadores 2020:
Guaraní-PAR 0x0 Palmeiras (4ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 5×0 Bolívar-BOL (5ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 5×0 Tigre-ARG (6ª rodada – fase de grupos)

Gols na Libertadores 2020:
Palmeiras 5×0 Bolívar-BOL (5ª rodada – fase de grupos): primeiro gol

WILLIAN

Vice-artilheiro do Palmeiras na Libertadores 2020 com quatro gols, atrás apenas de Rony e Luiz Adriano (ambos com cinco), Willian foi, mais uma vez, um dos destaques do clube na temporada. Experiente e com um total de 31 partidas no torneio internacional com o manto palestrino, o camisa 29 atuou em 10 jogos (cinco como titular) nesta edição. Os quatro gols de Willian na Libertadores 2020 foram anotados contra o Tigre-ARG (vitória por 2 a 0, fora), o Bolívar-BOL (vitória por 2 a 1, fora), novamente o Bolívar-BOL (vitória por 5 a 0, em casa) e o Delfín-EQU (vitória por 5 a 0, em casa).

Contra o River Plate-ARG, no jogo de ida, vitória por 3 a 0 fora de casa (não atuou no duelo de volta), ele chegou a 31 partidas pela competição continental e superou o volante Cesar Sampaio na lista dos atletas palmeirenses com mais jogos pela Libertadores em todos os tempos, se isolando na 5ª colocação – completam a lista o atacante Dudu (4º, com 34 jogos), o volante Galeano (3º, com 38 jogos), o meia Alex (2º, com 39 jogos) e o goleiro Marcos (líder da lista, com 57 jogos).

Willian segue como o atleta mais assíduo do Verdão na atual temporada, ao lado de Weverton: atuou em 62 dos 67 compromissos possíveis, assim como o goleiro. Além disso, Willian é o vice-artilheiro do time na temporada, atrás apenas de Luiz Adriano. O atacante é também o segundo maior goleador do Palmeiras neste século com 56 tentos (atrás só de Dudu, com 70) e aparece na 47ª posição da lista dos maiores artilheiros da história alviverde, ao lado de Zinho.

Jogador do atual elenco com mais partidas, gols e assistências, Willian é o 68º no ranking dos atletas com mais jogos na história do clube e o 6º entre os que têm mais vitórias neste século, com 114 triunfos – completam o ranking Márcio Araújo (5º, com 118), Valdivia (4º, com 122), Fernando Prass (3º, com 151), Dudu (2º colocado, com 174) e Marcos (líder com 182 vitórias).

As 211 partidas de Willian, inclusive, o colocam também no top 10 de palmeirenses com mais partidas neste século, na 6ª colocação, ao lado do volante Corrêa – completam o ranking o meia Valdivia (5º, com 241), o volante Márcio Araújo (4º, com 252), o goleiro Fernando Prass (3º, com 274), o atacante Dudu (2º, com 305) e o goleiro Marcos (líder no quesito, com 392).

Números gerais:
> 211 jogos (143 como titular), 56 gols e 22 assistências pelo Palmeiras
> 62 jogos (35 como titular), 18 gols e 6 assistências na temporada de 2020
> 10 jogos (5 como titular), 4 gols e 1 assistência pela Libertadores 2020

Jogos na Libertadores 2020:
Tigre-ARG 0x2 Palmeiras (1ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 3×1 Guaraní-PAR (2ª rodada – fase de grupos)
Bolívar-BOL 1×2 Palmeiras (3ª rodada – fase de grupos)
Guaraní-PAR 0x0 Palmeiras (4ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 5×0 Bolívar-BOL (5ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 5×0 Tigre-ARG (6ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 5×0 Delfín-EQU (Oitavas de final – volta)
Libertad-PAR 1×1 Palmeiras (Quartas de final – ida)
Palmeiras 3×0 Libertad-PAR (Quartas de final – volta)
River Plate-ARG 0x3 Palmeiras (Semifinal – ida)

Gols na Libertadores 2020:
Tigre-ARG 0x2 Palmeiras (1ª rodada – fase de grupos): primeiro gol
Bolívar-BOL 1×2 Palmeiras (3ª rodada – fase de grupos): segundo gol
Palmeiras 5×0 Bolívar-BOL (5ª rodada – fase de grupos): terceiro gol
Palmeiras 5×0 Delfín-EQU (Oitavas de final – volta): quarto gol

LUIZ ADRIANO

Ao lado de Rony, Luiz Adriano foi o principal artilheiro do Palmeiras nesta edição da Libertadores com cinco gols marcados. Com uma categoria diferenciada, o jogador também mostrou um arranque imparável no primeiro jogo contra o River Plate-ARG, pelas semifinais: Foi dele o segundo tento do Verdão no triunfo por 3 a 0, após disparar do meio de campo até a meta adversária. Ao todo, foram sete jogos, todos como titular.

Logo de cara, na primeira rodada da fase de grupos, o camisa 10 já deixou a sua marca na vitória por 2 a 0 sobre o Tigre-ARG, na Argentina. No duelo seguinte, com o Guaraní-PAR, no Allianz Parque, o atacante foi decisivo novamente e acrescentou mais um hat-trick na carreira ao marcar três vezes na vitória por 3 a 1 sobre os paraguaios.

Luiz Adriano figura, de forma isolada, na artilharia do time na atual temporada, com 20 gols, seguido de Willian Bigode e Raphael Veiga, ambos com 18. Além dos números absolutos, Adriano possui também a melhor média: 0,40 (20 gols em 49 jogos) contra 0,36 de Raphael Veiga (18 gols em 49 partidas). Com 27 gols desde que chegou ao Verdão, em 2019, o jogador é ainda o vice-goleador do elenco no geral, seguido de Raphael Veiga, com 25, e atrás só de Willian, com 56 bolas na rede.

Números gerais:
> 64 jogos (55 como titular), 27 gols e 5 assistências pelo Palmeiras
> 49 jogos (42 como titular), 20 gols e 4 assistências na temporada de 2020
> 7 jogos (7 como titular) e 5 gols pela Libertadores 2020

Jogos na Libertadores 2020:
Tigre-ARG 0x2 Palmeiras (1ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 3×1 Guaraní-PAR (2ª rodada – fase de grupos)
Guaraní-PAR 0x0 Palmeiras (4ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 5×0 Tigre-ARG (6ª rodada – fase de grupos)
River Plate-ARG 0x3 Palmeiras (Semifinal – ida)
Palmeiras 0x2 River Plate-ARG (Semifinal – volta)
Palmeiras 1×0 Santos (Final – jogo único)

Gols na Libertadores 2020:
Tigre-ARG 0x2 Palmeiras (1ª rodada – fase de grupos): primeiro gol
Palmeiras 3×1 Guaraní-PAR (2ª rodada – fase de grupos): segundo, terceiro e quarto gols
River Plate-ARG 0x3 Palmeiras (Semifinal – ida): quinto gol

BRENO LOPES

Apesar de não ter iniciado nenhuma partida entre os titulares, Breno Lopes foi uma opção interessante para Abel Ferreira dar velocidade ao ataque palestrino nas etapas finais dos jogos. E foi assim também na final: o atacante entrou aos 39 minutos do segundo tempo e marcou o gol do título nos acréscimos, aos 53.

Destaque no Campeonato Brasileiro da Série B com o Juventude, o atleta chegou ao Verdão em 2020 e colaborou para a conquista sul-americana, participando de cinco duelos: os dois com o Libertad-PAR, pelas quartas de final, os dois com o River Plate-ARG, pelas semifinais, e a finalíssima contra o Santos, no Maracanã, que, inclusive, marcou a estreia do jogador no estádio carioca.

Números gerais:
> 17 jogos (6 como titular) pelo Palmeiras, 2 gols
> 17 jogos (6 como titular) na temporada de 2020, 2 gols
> 5 jogos (0 como titular) pela Libertadores 2020, 1 gol

Jogos na Libertadores 2020:
Libertad-PAR 1×1 Palmeiras (Quartas de final – ida)
Palmeiras 3×0 Libertad-PAR (Quartas de final – volta)
River Plate-ARG 0x3 Palmeiras (Semifinal – ida)
Palmeiras 0x2 River Plate-ARG (Semifinal – volta)
Palmeiras 1×0 Santos (Final – jogo único)

GABRIEL SILVA

O jovem atacante de 18 anos, relevado pelas categorias de base do Palmeiras, fez três jogos pela Libertadores 2020, dando, inclusive, uma assistência para gol. Apesar da pouca idade, o palmeirense mostrou personalidade ao ser acionado pelo treinador Abel Ferreira.

Gabriel Silva chegou ao clube aos 13 anos, em 2015, e tem no currículo dois títulos do Mundial de Clubes Sub-17 – nas duas finais, aliás, ele deixou sua marca: primeiro na vitória por 4 a 2 sobre o Real Madrid na decisão de 2018, na Espanha, e depois na vitória por 2 a 1 sobre o Leganés-ESP em 2019, também na Espanha. Campeão paulista Sub-15, Sub-17, Sub-20 e Profissional pelo Verdão, marcou 40 gols em 46 jogos atuando pelo Sub-17 e pelo Sub-20 em 2019 e se destacou também por balançar as redes em todas as finais nacionais que disputou na temporada passada: Paulista Sub-17 (vice-campeão), Copa do Brasil Sub-17 (campeão), Supercopa do Brasil Sub-17 (campeão), Paulista Sub-20 (campeão), Brasileiro Sub-20 (vice-campeão) e Supercopa do Brasil Sub-20 (vice-campeão). Neste ano, tem seis gols em sete jogos entre Brasileiro Sub-20 e Copa do Brasil Sub-20.

Números gerais:
> 16 jogos (2 como titular) e 1 assistência pelo Palmeiras
> 16 jogos (2 como titular) e 1 assistência na temporada de 2020
> 3 jogos (0 como titular) e 1 assistência pela Libertadores 2020

Jogos na Libertadores 2020:
Delfín-EQU 1×3 Palmeiras (Oitavas de final – ida)
Palmeiras 5×0 Delfín-EQU (Oitavas de final – volta)
Libertad-PAR 1×1 Palmeiras (Quartas de final – ida)

DUDU

Um dos grandes nomes do Palmeiras nos últimos anos, o atacante Dudu não poderia ficar de fora da campanha do bicampeonato da Libertadores. Foram apenas duas partidas do jogador na atual edição do torneio (já que se transferiu para o futebol do exterior no meio da temporada), mas todas como titular e com direito a duas assistências para gol. Com isso, o eterno camisa 7 acumula cinco conquistas pelo Alviverde: Copa do Brasil 2015, Campeonato Brasileiro 2016 e 2018 e Campeonato Paulista 2020, além da Libertadores.

Números gerais:
> 305 jogos (285 como titular), 70 gols e 78 assistências pelo Palmeiras
> 12 jogos (11 como titular), 2 gols e 3 assistências na temporada de 2020
> 2 jogos (2 como titular) e 2 assistências pela Libertadores 2020

Jogos na Libertadores 2020:
Tigre-ARG 0x2 Palmeiras (1ª rodada – fase de grupos)
Palmeiras 3×1 Guaraní-PAR (2ª rodada – fase de grupos)

Departamento de Comunicação

Campeão em 1999, o Palmeiras repetiu a façanha de vencer a Libertadores da América, edição 2020, neste sábado (30), no Maracanã, em jogo único pela final do Continental, ao superar o Santos com gol nos últimos minutos de acréscimo do segundo tempo, marcado por Breno Lopes, de cabeça, após assistência precisa de Rony.

Clique aqui para ver a ficha técnica, estatísticas e tudo sobre o jogo!

Em duelo equilibrado, as equipes iam empatando por 0 a 0 nos 90 minutos iniciais, e o jogo ia se encaminhando para a prorrogação. Após o técnico santista Cuca discutir com Marcos Rocha por uma bola na área técnica, na qual o lateral palmeirense ia cobrar rapidamente. O treinador Cuca foi expulso e Marcos Rocha recebeu cartão amarelo. Logo em seguida, Breno Lopes fez o gol do título e o Maior Campeão do Brasil sagrou-se campeão da Libertadores da América pela segunda vez em sua história, em sua quinta final.

PALMEIRAS VEM DE DEZ VITÓRIAS SEGUIDAS EM JOGOS DE MATA-MATA (100% NA TEMPORADA ATUAL)

Desde que disputou o seu primeiro jogo de caráter eliminatório na temporada 2020 (valendo avanço de fase ou título), o Palmeiras emplacou nove vitórias seguidas. O primeiro deles foi em 29/07/2020, pelas quartas de final do Paulista, quando passou pelo Santo André-SP; depois, na semifinal do Estadual, em 29/07, despachou a Ponte Preta; na decisão do Paulista, sagrou-se campeão sobre o Corinthians, em 08/08; mais tarde, em 05/11, despachou o Red Bull Bragantino pelas oitavas da Copa do Brasil; em 18/11, foi a vez de eliminar o Ceará pelas quartas de final da Copa do Brasil; em 02/12, passou pelo Delfín-EQU nas oitavas de final da Libertadores; em 15/12, despachou o Libertad-PAR nas quartas do Continental; em 30/12, voltou a jogar pela Copa do Brasil, semifinais, quando eliminou o América-MG; por último, em 12/01, mesmo perdendo em casa, eliminou o River Plate-ARG nas semifinais da Libertadores. E agora, sagrou-se campeão em final única diante do Santos.

Portanto, no total, são dez duelos de mata-mata em três diferentes competições, dois títulos conquistados (Libertadores e Paulista) e mais uma final em curso (Copa do Brasil). Aproveitamento de 100%. A última derrota do Palmeiras em um jogo de mata-mata foi em 27/08/2019, na Libertadores daquele ano, para o Grêmio, nas quartas de final.

QUASE 70% DOS GOLS DO VERDÃO NA LIBERTADORES SAEM NO SEGUNDO TEMPO

A exemplo do gol de Breno Lopes, nos acréscimos da etapa final, o Palmeiras balançou as redes adversárias nessa Libertadores muito mais no segundo tempo. Dos 33 gols marcados pelo time alviverde na CONMEBOL Libertadores 2020, 23 deles (ou seja, 69,69%) foram anotados na etapa final, enquanto os outros dez (30,31%) aconteceram nos primeiros 45 minutos.

LIBERTADORES 2020 TEM PALMEIRAS COM MELHOR PERCENTUAL DE VITÓRIAS EM TODAS AS SUAS PARTICIPAÇÕES

Na atual edição, o Verdão atingiu o seu melhor percentual de vitórias em todas as suas de Libertadores: em 13 jogos, acumula dez vitórias e, com isso, foi a um percentual de 77%. O ano de 1979 está logo atrás, com 73%, seguido de 1995 e 2000, ambos com 70%.

Os 33 gols que o Palmeiras acumula na atual edição da Libertadores até aqui (em 13 jogos) já fazem da edição de 2020 a disputa em que o time alviverde mais somou gols em todas as suas 20 participações do torneio continental (a primeira vez foi em 1961), superando o ano de 2000, antigo recordista, com 32 bolas na rede (porém, em 14 partidas – ou seja, a edição atual tem média até superior). Ao ter balançado as redes do Alvinegro Praiano, neste sábado (30), o time impôs, de forma isolada, o seu melhor ataque de todos os tempos na Libertadores da América.

EDIÇÃO DE 2020 TEM MELHOR MÉDIA DE GOLS DO VERDÃO NA HISTÓRIA DA LIBERTADORES

O Palmeiras alcançou a sua melhor média de gols em todas as edições disputadas da Libertadores CONMEBOL, com 2,5, e, com isso, igualou o ano de 1979, que registra os mesmos  2,5 gols por partida. Na atual temporada, são 33 gols em 13 jogos, enquanto em 1979 foram 15 gols em seis partidas.

LIBERTADORES DE 2020 REGISTRA SEGUNDO ANO COM MAIS VITÓRIAS GERAIS DO VERDÃO EM TODA A SUA HISTÓRIA NO TORNEIO

O Palmeiras atingiu a segunda marca de mais vitórias em uma mesma edição de Libertadores em toda a sua história – em 13 partidas, o Maior Campeão do Brasil, saiu vitorioso em dez (empatou outras duas e perdeu só uma). O ano de 1968 tem a melhor marca geral na Libertadores: venceu 11 dos 15 duelos disputados.

EDIÇÃO DE 2020 REGISTRA SEGUNDA MELHOR DEFESA GERAL DO PALMEIRAS COMPARANDO COM TODAS SUAS PARTICIPAÇÕES ANTERIORES

As equipes adversárias só balançaram as redes do Palmeiras em apenas seis oportunidades nos 13 duelos disputados. Essa é a melhor marca do Verdão desde sua primeira participação, em 1961. Em 2019, o time chegou às quartas de final e alcançou a melhor marca: cinco gols sofridos (em dez jogos).

RECORDE: NA LIBERTADORES 2020, PALMEIRAS ALCANÇOU SUA MAIOR INVENCIBILDIADE GERAL NA LIBERTADORES

Ao longo de todas as suas participações na CONMEBOL Libertadores desde 1961, quando, logo de cara foi finalista (vale lembrar que o torneio fora instituído em 1960), o Verdão havia atingido, no máximo, dez jogos de invencibilidade: em 2001, com três vitórias e sete empates. Na edição atual da Libertadores, o Verdão passou seus 11 jogos primeiros jogos sem perder (nove vitórias e dois empates – números correspondentes justamente aos da campanha do Alviverde na edição de 2020 antes da derrota para o River Plate, nas semifinais) e, com isso, superou o antigo recorde de 2001, de dez partidas sem sofrer revés, estabelecendo novo recorde invicto ao longo de todas as suas participações.

Vale lembrar ainda que, nesta edição, o Palmeiras também estabeleceu, após bater o River Plate-ARG nos domínios adversários, em seu compromisso mais recente como visitante pelo Continental, a maior série invicta como mandante fora de casa de toda a sua história na Libertadores: agora são nove jogos sem perder longe de seu território.

BRASILEIRO COM MAIS GOLS NO GERAL, COMO MANDANTE E COMO VISITANTE NA HISTÓRIA DA LIBERTADORES

Na edição de 2020, o Palmeiras se tornou o clube brasileiro com mais bolas na rede na condição de mandante na história da Libertadores, chegando a 216 gols e ultrapassando o Cruzeiro, antigo recordista com 201. Assim, o Alviverde, que também é o brasileiro com mais gols como visitante, com 148 tentos anotados fora de casa, se mantém como o que mais balançou as redes no geral, com 363 gols, que o colocam na 7ª posição do ranking de todos os clubes*:

1º – River Plate-ARG: 605 gols em 362 jogos
2º – Peñarol-URU: 555 gols em 369 jogos
3º – Nacional-URU: 549 gols em 393 jogos
4º – Boca Juniors-ARG: 464 gols em 297 jogos
5º – Olimpia-PAR: 442 gols em 311 jogos
6º – Cerro Porteño-PAR: 401 gols em 309 jogos
7º – Palmeiras-BRA: 363 gols em 197 jogos
8º – Bolívar-BOL: 345 gols em 237 jogos
9º – Universidad Católica-CHI: 337 gols em 222 jogos
10º – Colo-Colo-CHI: 336 gols em 241 jogos
*números atualizados até o jogo de volta das semifinais

BRASILEIRO COM MAIS VITÓRIAS NA LIBERTADORES

Com 108 triunfos ao longo de suas 20 participações na Libertadores, o Palmeiras, nesta edição, ultrapassou o Grêmio em número de vitorias e passou a ser o clube brasileiro que mais venceu no torneio continental – o Tricolor, que já tinha 106 vitórias, perdeu para o Santos o seu duelo mais recente e foi eliminado. Neste quesito, tanto Verdão quanto o Imortal estão à frente do Cruzeiro, terceiro colocado, com 95 triunfos pela Libertadores.

Melhor ainda é o retrospecto com visitante. O Palmeiras é o brasileiro com mais vitórias fora de casa na história da Libertadores: são 40 triunfos longe de seus domínios, seis a mais do que o Cruzeiro, segundo colocado com 34. Nas últimas 15 vezes em que atuou no campo do adversário pela competição, o Verdão venceu 11, empatando duas e perdendo outras duas – a série atual de nove jogos sem derrota como visitante, iniciada em abril do ano passado, é a maior do clube em todos os tempos na Libertadores.

MELHOR ATAQUE DA LIBERTADORES 2020

O Palmeiras fechou a edição de 2020 com o melhor ataque: 33 gols marcados. E também com a melhor defesa: seis gols sofridos. Ao ter vazado o Santos neste sábado (30), portanto, o Verdão terminou a Libertadores com o melhor ataque geral. Os artilheiros do time na competição foram Rony e Luiz Adriano, ambos com cinco bolas na rede.

Números gerais do Palmeiras na Libertadores:
Retrospecto geral: 197 jogos, 108 vitórias, 36 empates, 53 derrotas, 363 gols marcados e 208 gols sofridos
Mandante: 97 jogos, 67 vitórias, 17 empates, 13 derrotas, 215 gols marcados e 77 gols sofridos
Visitante: 98 jogos, 40 vitórias, 19 empates, 39 derrotas, 147 gols marcados e 129 gols sofridos
Neutro: 2 jogos, 1 vitória, 1 derrota, 1 gol marcado e 2 gols sofridos

Primeiro jogo: 04/05/1961 – Independiente-ARG 0x2 Palmeiras (gols de Gildo e Zequinha) – Estádio Presidente Perón (Avellaneda-ARG)
Maior série de vitórias no geral: seis, entre 07/02/1971 e 14/04/1971
Maior série de vitórias em casa: nove, entre 05/05/1999 e 06/06/2000
Maior série de vitórias fora de casa: cinco, entre 01/03/2018 e 20/09/2018

Maior série invicta no geral: 11 jogos, de 06/03/2019 até hoje
Maior série invicta em casa: 34 jogos, entre 12/04/1979 e 12/05/2005
Maior série invicta fora de casa: nove jogos, de 25/04/2019 até hoje

Maior goleada no geral e em casa: 04/05/1995 – Palmeiras 7×0 El Nacional-EQU (gols de Edmundo duas vezes, Válber duas vezes, Rivaldo duas vezes e Paulo Isidoro) – Estádio Palestra Italia (São Paulo-SP)

Maior goleada fora de casa: 25/04/2019 – Melgar-PER 0x4 Palmeiras (gols de Gustavo Gómez, Gustavo Scarpa duas vezes e Moisés) – Monumental de la Unsa (Arequipa-PER)

ATAQUE EM BOA FASE: 58 GOLS NAS ÚLTIMAS 29 PARTIDAS

O Palmeiras anotou 58 gols em seus 29 jogos mais recentes, registrando ótima média de 2,0 tentos por duelo. No total das 68 partidas do ano, em apenas 12 o Verdão passou em branco no placar – desde a conquista do título paulista sobre o Corinthians, foram disputados 48 jogos (sendo 32 de Brasileiro, dez de Libertadores e seis de Copa do Brasil, além da decisão estadual), e a equipe só não marcou gol em seis.

VERDÃO ULTRAPASSA MARCA DE 110 GOLS NA TEMPORADA

O Palmeiras acumula 113 bolas na rede durante a temporada – este dado contabiliza também os gols anotados na Florida Cup, torneio amistoso realizado nos Estados Unidos. Destes, 45 gols foram pelo Campeonato Brasileiro, 33 pela Libertadores (melhor ataque do torneio), 21 pelo Paulista, 12 pela Copa do Brasil e outros dois pela Florida Cup, no início da temporada.

MELHOR DEFESA ENTRE TODOS OS CLUBES NA TEMPORADA

No geral da temporada, a média de 0,73 gol sofrido por partida de campeonato (48 gols em 66 jogos, sem contar torneios amistosos) coloca o Verdão na primeira posição entre os clubes com menor índice de gols sofridos no ano, superando o Internacional, com 0,82 (51 gols em 62 jogos).

Considerando as partidas da Florida Cup, na pré-temporada, foram 49 gols sofridos em 68 jogos no total, média de 0,72 por partida, que coloca a atual temporada em 10º lugar no ranking dos anos com menor média de gols sofridos na história do Palmeiras, atrás de 1974, com 0,71 (56 gols sofridos em 78 jogos); a temporada de 1972 é a líder no quesito, com apenas 0,54 tento cedido por partida (44 gols sofridos em 81 partidas).

O Verdão tem ainda a segunda melhor defesa da atual temporada como visitante, com média de 0,79 gol sofrido por jogo (26 em 33 partidas), atrás apenas do Grêmio, com 0,73 (24 em 33). Além disso, passou 43,7% dos jogos fora de casa sem sofrer gols (14 de 32) – é o terceiro melhor índice entre todos os clubes, atrás do Grêmio, com 54,5% (18 de 33 jogos), e do Ceará, com 46,8% (15 de 32 jogos).

Palmeiras: Weverton, Marcos Rocha, Luan, Gustavo Gómez e Matías Viña; Danilo e Zé Rafael (Patrick de Paula, 32’/2ºT); Gabriel Menino (Breno Lopes, 39’/2ºT), Raphael Veiga (Alan Empereur, 56’/2ºT) e Rony (Felipe Melo, 56’/2ºT); Luiz Adriano. Técnico: Abel Ferreira.

Cartões amarelos (SEP): Marcos Rocha, Gustavo Gómez e Viña

Gol: Breno Lopes, aos 53′ do 2ºT.

Departamento de Comunicação

Pré-jogo: Palmeiras x Santos l CONMEBOL Libertadores (Final – jogo único)
Data e hora: 30/01/2021 (sábado) l 17h (horário de Brasília)
Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Transmissão: CONMEBOL TV, SBT e FOX Sports
Retorno de Suspensão: Patrick de Paula;
Em tratamento: Wesley (cirurgia no joelho esquerdo) e Luan Silva (cirurgia no joelho esquerdo)
Escalação do último jogo: (Palmeiras 1×1 Vasco, em 26/01/2021): Jailson; Mayke, Kuscevic, Alan Empereur e Renan; Felipe Melo (Patrick de Paula, 12’/2ºT) e Gustavo Scarpa; Breno Lopes (Gabriel Veron, 31’/2ºT), Lucas Lima (Vanderlan, 12’/2ºT) e Lucas Esteves; Gabriel Silva (Fabrício, 19’/2ºT).

Campeão da Libertadores da América em 1999, o Palmeiras busca o seu bicampeonato do torneio continental neste sábado (30), no Maracanã, às 17h, diante do Santos, em partida válida pela final da competição – jogo único, de 90 minutos, em campo neutro, podendo ser prorrogado para 120 minutos (dois tempos extras de 15 minutos) em caso de empate – caso a igualdade persista, o título será decidido nos pênaltis.

Na atual edição da Libertadores, o Palmeiras tem ótimo aproveitamento: soma nove vitórias, dois empates e uma única derrota nos 12 jogos disputados, além de 32 gols marcados (segundo melhor ataque, atrás só do River Plate-ARG, com 33) e seis sofridos. Esta é a quinta vez em que o Verdão chega a esta etapa do Continental: já foi finalista em 1961, 1968, 1999 (campeão) e 2000.

Dono da melhor campanha da fase de grupos da Libertadores 2020, o Palmeiras alcançou o feito pela terceira edição seguida, sendo o único clube do continente a registrar o melhor desempenho na fase de classificação em três anos seguidos neste século. Em 2020, o Palmeiras repetiu os mesmos 16 pontos registrados em 2018, com cinco vitórias e um empate, enquanto em 2019 obteve 15 pontos, com cinco triunfos e uma derrota. Na fase de grupos da atual edição, o Verdão registrou também o segundo melhor ataque entre todos os 32 participantes, com 17 gols marcados contra 21 do River Plate-ARG, e a segunda melhor defesa, com dois gols sofridos contra um do Boca Juniors-ARG.

A trajetória alviverde nesta Libertadores começou com vitórias sobre Tigre-ARG (2 a 0 na Argentina), Guaraní-PAR (3 a 1 no Allianz Parque) e Bolívar-BOL (2 a 1 na Bolívia). O Palmeiras não iniciava uma Libertadores com três vitórias consecutivas desde 1968, quando obteve cinco triunfos antes de empatar o sexto jogo – desde então, foram 17 edições e, no máximo, duas vitórias em sequência a partir da estreia. Nos confrontos seguintes da fase de classificação, empatou com o Guaraní-PAR (0 a 0 no Paraguai) e goleou Bolívar-BOL e Tigre-ARG, ambos no Allianz Parque e ambos por 5 a 0.

Os triunfos diante de bolivianos e argentinos, inclusive, passaram a dividir a
 terceira posição na lista das maiores goleadas do Verdão em Libertadores na história (atrás apenas do 6 a 1 sobre o Boca Juniors-ARG, em 1994, e do 7 a 0 sobre o El Nacional-EQU, em 1995) e se tornaram a maior goleada do Allianz Parque no geral, igualando os 5 a 0 aplicados sobre o Grêmio Novorizontino pelo Campeonato Paulista de 2018.

Nas oitavas de final, o Verdão passou após vencer o Delfín-EQU por 3 a 1 fora de casa, em Jocay, no Equador, e por 5 a 0 em casa. Já nas quartas de final, passou pelo Libertad-PAR, com empate por 1 a 1 fora de casa (Defensores del Chaco, em Assunção-PAR) e vitória por 3 a 0 em casa, no Allianz Parque. E no compromisso mais recente pelo Continental, pelas semifinais, goleou o River Plate-ARG fora de casa por 3 a 0 e sofreu derrota no jogo de volta, no Allianz Parque, por 2 a 0, mas ainda assim se classificou para a final devido à vantagem construída no jogo anterior.

Tradicional na competição, o Palmeiras é um dos três clubes brasileiros com mais edições de Libertadores disputadas: esta é a 20ª, assim como Grêmio e São Paulo, sendo a quinta vez consecutiva, feito inédito na história alviverde. O Palmeiras ainda carrega a honra de ter sido o primeiro brasileiro a disputar uma final de Libertadores: em 1961, logo na segunda edição do torneio, quando enfrentou o Peñarol-URU na grande decisão e ficou com o vice-campeonato. O Alviverde chegou à final em 1968, 1999 (campeão) e 2000.

O elenco alviverde encerrou a preparação para a decisão da Libertadores no Estádio Nilton Santos; clique aqui e saiba mais (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

PALMEIRAS VEM DE NOVE VITÓRIAS SEGUIDAS EM JOGOS DE MATA-MATA (100% NA TEMPORADA ATUAL)

Desde que disputou o seu primeiro jogo de caráter eliminatório na temporada 2020 (valendo avanço de fase ou título), o Palmeiras emplacou nove vitórias seguidas. O primeiro deles foi em 29/07/2020, pelas quartas de final do Paulista, quando passou pelo Santo André-SP; depois, na semifinal do Estadual, em 29/07, despachou a Ponte Preta; na decisão do Paulista, sagrou-se campeão sobre o Corinthians, em 08/08; mais tarde, em 05/11, despachou o Red Bull Bragantino pelas oitavas da Copa do Brasil; em 18/11, foi a vez de eliminar o Ceará pelas quartas de final da Copa do Brasil; em 02/12, passou pelo Delfín-EQU nas oitavas de final da Libertadores; em 15/12, despachou o Libertad-PAR nas quartas do Continental; em 30/12, voltou a jogar pela Copa do Brasil, semifinais, quando eliminou o América-MG; por último, em 12/01, mesmo perdendo em casa, eliminou o River Plate-ARG nas semifinais da Libertadores.

Portanto, no total, são nove duelos de mata-mata em três diferentes competições, um título conquistado (Paulista) e duas finais em curso (Libertadores e Copa do Brasil) e um aproveitamento de 100%. A última derrota do Palmeiras em um jogo de mata-mata foi em 27/08/2019, na Libertadores daquele ano, para o Grêmio, nas quartas de final.

QUASE 70% DOS GOLS DO VERDÃO NA LIBERTADORES SAEM NO SEGUNDO TEMPO

Dos 32 gols marcados pelo Palmeiras na CONMEBOL Libertadores 2020, 22 deles (ou seja, 68,75%) foram anotados na etapa final, enquanto os outros dez (31,25%) aconteceram nos primeiros 45 minutos.

LIBERTADORES 2020 TEM PALMEIRAS COM MELHOR PERCENTUAL DE VITÓRIAS EM TODAS AS SUAS PARTICIPAÇÕES

Na atual edição, o Verdão atingiu o seu melhor percentual de vitórias em todas as suas de Libertadores: em 12 jogos, acumula nove vitórias e, com isso, foi a um percentual de 75%. O ano de 1979 está logo atrás, com 73%, seguido de 1995 e 2000, ambos com 70%.

EDIÇÃO DE 2020 JÁ REGISTRA MELHOR ATAQUE GERAL DO PALMEIRAS COMPARANDO COM TODAS SUAS PARTICIPAÇÕES ANTERIORES

Com cinco gols cada, Luiz Adriano e Rony são os artilheiros do Palmeiras na Conmebol Libertadores (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

Os 32 gols que o Palmeiras acumula na atual edição da Libertadores até aqui (em 12 jogos) já fazem da edição de 2020 a disputa em que o time alviverde mais somou gols em todas as suas 20 participações do torneio continental (a primeira vez foi em 1961), ao lado do ano de 2000, com as mesmas 32 bolas na rede (porém, em 14 partidas – ou seja, a edição atual tem média até superior). Caso balance as redes do Santos neste sábado (30), o time pode ter, de forma isolada, o seu melhor ataque de todos os tempos na Libertadores da América.

EDIÇÃO DE 2020 TEM MELHOR MÉDIA DE GOLS DO VERDÃO NA HISTÓRIA DA LIBERTADORES

O Palmeiras alcançou a sua melhor média de gols em todas as edições disputadas da Libertadores CONMEBOL, com 2,6, e, com isso, ultrapassou o ano de 1979, que registra 2,5 gols por partida (até então a média recordista na história palmeirense). Na atual temporada, são 32 gols em 12 jogos, enquanto em 1979 foram 15 gols em seis partidas.

LIBERTADORES DE 2020 REGISTRA SEGUNDO ANO COM MAIS VITÓRIAS GERAIS DO VERDÃO EM TODA A SUA HISTÓRIA NO TORNEIO

O Palmeiras atingiu a segunda marca de mais vitórias em uma mesma edição de Libertadores em toda a sua história – em 12 partidas, o Maior Campeão do Brasil, saiu vitorioso em nove (empatou outras duas e perdeu só uma). O ano de 1968 tem a melhor marca geral na Libertadores: venceu 11 dos 15 duelos disputados.

EDIÇÃO DE 2020 REGISTRA SEGUNDA MELHOR DEFESA GERAL DO PALMEIRAS COMPARANDO COM TODAS SUAS PARTICIPAÇÕES ANTERIORES

As equipes adversárias só balançaram as redes do Palmeiras em apenas seis oportunidades nos 12 duelos disputados. Essa é a melhor marca do Verdão desde sua primeira participação, em 1961. Em 2019, o time chegou às quartas de final e alcançou a melhor marca: cinco gols sofridos (em dez jogos).

RECORDE: NA LIBERTADORES 2020, PALMEIRAS ALCANÇOU SUA MAIOR INVENCIBILDIADE GERAL NA LIBERTADORES

Ao longo de todas as suas participações na CONMEBOL Libertadores desde 1961, quando, logo de cara foi finalista (vale lembrar que o torneio fora instituído em 1960), o Verdão havia atingido, no máximo, dez jogos de invencibilidade: em 2001, com três vitórias e sete empates. Na edição atual da Libertadores, o Verdão passou seus 11 jogos primeiros jogos sem perder (nove vitórias e dois empates – números correspondentes justamente aos da campanha do Alviverde na edição de 2020 antes da derrota para o River Plate, nas semifinais) e, com isso, superou o antigo recorde de 2001, de dez partidas sem sofrer revés, estabelecendo novo recorde invicto ao longo de todas as suas participações.

Vale lembrar ainda que, nesta edição, o Palmeiras também estabeleceu, após bater o River Plate-ARG nos domínios adversários, em seu compromisso mais recente como visitante pelo Continental, a maior série invicta como mandante fora de casa de toda a sua história na Libertadores: agora são nove jogos sem perder longe de seu território.

BRASILEIRO COM MAIS GOLS NO GERAL, COMO MANDANTE E COMO VISITANTE NA HISTÓRIA DA LIBERTADORES

Na edição de 2020, o Palmeiras se tornou o clube brasileiro com mais bolas na rede na condição de mandante na história da Libertadores, chegando a 215 gols e ultrapassando o Cruzeiro, antigo recordista com 201. Assim, o Alviverde, que também é o brasileiro com mais gols como visitante, com 147 tentos anotados fora de casa, se mantém como o que mais balançou as redes no geral, com 362 gols, que o colocam na 7ª posição do ranking de todos os clubes*:

1º – River Plate-ARG: 605 gols em 362 jogos
2º – Peñarol-URU: 555 gols em 369 jogos
3º – Nacional-URU: 549 gols em 393 jogos
4º – Boca Juniors-ARG: 464 gols em 297 jogos
5º – Olimpia-PAR: 442 gols em 311 jogos
6º – Cerro Porteño-PAR: 401 gols em 309 jogos
7º – Palmeiras-BRA: 362 gols em 196 jogos
8º – Bolívar-BOL: 345 gols em 237 jogos
9º – Universidad Católica-CHI: 337 gols em 222 jogos
10º – Colo-Colo-CHI: 336 gols em 241 jogos
*números atualizados até o jogo de volta das semifinais

BRASILEIRO COM MAIS VITÓRIAS NA LIBERTADORES

Com 107 triunfos ao longo de suas 20 participações na Libertadores, o Palmeiras ultrapassou o Grêmio em número de vitorias e passou a ser o brasileiro, o que mais venceu no torneio continental – o Tricolor, que já tinha 106 vitórias, perdeu para o Santos o seu duelo mais recente e foi eliminado. Neste quesito, tanto Verdão quanto o Imortal estão à frente do Cruzeiro, terceiro colocado, com 95 triunfos pela Libertadores.

Melhor ainda é o retrospecto com visitante. O Palmeiras é o brasileiro com mais vitórias fora de casa na história da Libertadores: são 40 triunfos longe de seus domínios, seis a mais do que o Cruzeiro, segundo colocado com 34. Nas últimas 15 vezes em que atuou no campo do adversário pela competição, o Verdão venceu 11, empatando duas e perdendo outras duas – a série atual de nove jogos sem derrota como visitante, iniciada em abril do ano passado, é a maior do clube em todos os tempos na Libertadores.

SEGUNDO MELHOR ATAQUE DA LIBERTADORES 2020

O Palmeiras tem o segundo melhor ataque da edição de 2020, com 32 gols marcados, um a menos do que o River Plate-ARG, com 33. Se vazar o Santos neste sábado (30), portanto, tem a chance de terminar a Libertadores com o melhor ataque geral. Os artilheiros do time na competição são Rony e Luiz Adriano, ambos com cinco bolas na rede na atual edição.

Números gerais do Palmeiras na Libertadores:

Retrospecto geral: 196 jogos, 107 vitórias, 36 empates, 53 derrotas, 362 gols marcados e 208 gols sofridos
Mandante: 97 jogos, 67 vitórias, 17 empates, 13 derrotas, 215 gols marcados e 77 gols sofridos
Visitante: 98 jogos, 40 vitórias, 19 empates, 39 derrotas, 147 gols marcados e 129 gols sofridos
Neutro: 1 jogo, 1 derrota e 2 gols sofridos

Primeiro jogo: 04/05/1961 – Independiente-ARG 0x2 Palmeiras (gols de Gildo e Zequinha) – Estádio Presidente Perón (Avellaneda-ARG)
Maior série de vitórias no geral: seis, entre 07/02/1971 e 14/04/1971
Maior série de vitórias em casa: nove, entre 05/05/1999 e 06/06/2000
Maior série de vitórias fora de casa: cinco, entre 01/03/2018 e 20/09/2018

Maior série invicta no geral: 11 jogos, de 06/03/2019 até hoje
Maior série invicta em casa: 34 jogos, entre 12/04/1979 e 12/05/2005
Maior série invicta fora de casa: nove jogos, de 25/04/2019 até hoje

Maior goleada no geral e em casa: 04/05/1995 – Palmeiras 7×0 El Nacional-EQU (gols de Edmundo duas vezes, Válber duas vezes, Rivaldo duas vezes e Paulo Isidoro) – Estádio Palestra Italia (São Paulo-SP)
Maior goleada fora de casa: 25/04/2019 – Melgar-PER 0x4 Palmeiras (gols de Gustavo Gómez, Gustavo Scarpa duas vezes e Moisés) – Monumental de la Unsa (Arequipa-PER)

ATAQUE EM BOA FASE: 58 GOLS NAS ÚLTIMAS 29 PARTIDAS

O Palmeiras anotou 58 gols em seus 29 jogos mais recentes, registrando ótima média de 2,0 tentos por duelo. No total das 68 partidas do ano, em apenas 12 o Verdão passou em branco no placar – desde a conquista do título paulista sobre o Corinthians, foram disputados 48 jogos (sendo 32 de Brasileiro, dez de Libertadores e seis de Copa do Brasil, além da decisão estadual), e a equipe só não marcou gol em seis.

VERDÃO ULTRAPASSA MARCA DE 110 GOLS NA TEMPORADA

O Palmeiras acumula 112 bolas na rede durante a temporada – este dado contabiliza também os gols anotados na Florida Cup, torneio amistoso realizado nos Estados Unidos. Destes, 45 gols foram pelo Campeonato Brasileiro, 32 pela Libertadores (melhor ataque do torneio), 21 pelo Paulista, 12 pela Copa do Brasil e outros dois pela Florida Cup, no início da temporada.

MELHOR DEFESA ENTRE TODOS OS CLUBES NA TEMPORADA

No geral da temporada, a média de 0,73 gol sofrido por partida de campeonato (48 gols em 66 jogos, sem contar torneios amistosos) coloca o Verdão na primeira posição entre os clubes com menor índice de gols sofridos no ano, superando o Internacional, com 0,82 (51 gols em 62 jogos).

Considerando as partidas da Florida Cup, na pré-temporada, foram 49 gols sofridos em 68 jogos no total, média de 0,72 por partida, que coloca a atual temporada em 10º lugar no ranking dos anos com menor média de gols sofridos na história do Palmeiras, atrás de 1974, com 0,71 (56 gols sofridos em 78 jogos); a temporada de 1972 é a líder no quesito, com apenas 0,54 tento cedido por partida (44 gols sofridos em 81 partidas).

O Verdão tem ainda a segunda melhor defesa da atual temporada como visitante, com média de 0,81 gol sofrido por jogo (26 em 32 partidas), atrás apenas do Grêmio, com 0,73 (24 em 33). Além disso, passou 43,7% dos jogos fora de casa sem sofrer gols (14 de 32) – é o terceiro melhor índice entre todos os clubes, atrás do Grêmio, com 54,5% (18 de 33 jogos), e do Ceará, com 46,8% (15 de 32 jogos).

A defesa alviverde é a melhor desta temporada, com média de 0,73 gol sofrido por partida (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

SEGUNDO MELHOR APROVEITAMENTO ENTRE TODOS OS CLUBES NA TEMPORADA

O Palmeiras possui o segundo melhor aproveitamento de pontos entre todos os clubes da elite do país nesta temporada: 63,1% (66 jogos de campeonato, 35 vitórias, 20 empates e 11 derrotas) – em primeiro lugar, aparece o Flamengo, com 68,7% (64 jogos, 40 vitórias, 12 empates e 12 derrotas). Como visitante, o Verdão tem o terceiro melhor aproveitamento: 54,1% (32 jogos, 14 vitórias, dez empates e oito derrotas) – antes, aparece o Flamengo, com 66,6% (32 jogos, 19 vitórias, sete empates e seis derrotas), e o Ceará, com 58,3% (32 jogos, 16 vitórias, oito empates e oito derrotas).

TIME COM MENOS DERROTAS ENTRE TODOS OS CLUBES NA TEMPORADA

Excluindo amistosos e torneios amistosos e somando todas as partidas de campeonato disputadas pelos participantes da Série A na temporada atual, o Palmeiras é o clube com o menor número de derrotas no ano (11), juntamente com Atlético-MG e Grêmio, e possui também o menor percentualao lado do Grêmio(16,6% – 11 revezes em 66 jogos).

Até o tropeço diante do Botafogo, no início de outubro, o Palmeiras vinha de 20 jogos sem perder, registrando a maior invencibilidade do clube nos últimos oito anos e a terceira maior série invicta de um time a partir da estreia em uma edição de pontos corridos do Campeonato Brasileiro, com 12 partidas seguidas sem derrota, atrás apenas do Flamengo de 2011, com 15, e do Corinthians de 2017, com 19.

NÚMEROS GERAIS NA TEMPORADA
J: 68
V: 35
E: 22
D: 11
GP: 112
GC: 49

NÚMEROS NO BRASILEIRO
J: 32
V: 14
E: 10
D: 7
GP: 45
GC: 31

NÚMERO NA LIBERTADORES
J: 12
V: 9
E: 2
D: 1
GP: 32
GC: 6

NÚMEROS NA COPA DO BRASIL
J: 6
V: 4
E: 2
D: 0
GP: 12
GC: 4

NÚMEROS NO PAULISTA
J: 16
V: 8
E: 6
D: 2
GP: 21
GC: 7

NÚMEROS NA FLORIDA CUP
J: 2
V: 1
E: 1
D: 0
GP: 2
GC: 1

SANTOS É A MAIOR VÍTIMA DA HISTÓRIA DO PALMEIRAS

O Santos é a segunda equipe que o Palmeiras mais enfrentou em toda a sua história: foram 339 jogos – neste quesito, o clássico Palmeiras x Santos só fica atrás de Palmeiras x Corinthians, pois o Derby foi disputado em 377 ocasiões. Apesar de ter disputado mais jogos contra o Corinthians, curiosamente, o Alvinegro Praiano é o time que o Verdão mais venceu e mais fez gols em toda sua existência (são, ao todo, 142 triunfos e 568 gols marcados, contra 133 vitórias e 531 gols sobre o Corinthians).

GLÓRIAS HISTÓRICAS SOBRE O SANTOS

O Maior Campeão do Brasil acumula feitos memoráveis em jogos contra o Santos, como os 8 a 0 aplicados em 1932 (a maior goleada estabelecida no confronto em todos os tempos), além do título da Copa do Brasil de 2015, conquistado em disputa por penalidades, com gol de Fernando Prass, e dos Paulistas de 1927, 1947, 1959 (por 2 a 1 de virada, com Pelé em campo) e 1996 (por 2 a 0, sendo que nesta mesma campanha vitoriosa havia goleado o rival anteriormente por 6 a 0 em plena Vila Belmiro).

Vale ressaltar, entretanto, que os títulos de 1927, 1947 e 1996 foram partidas válidas por disputas de pontos corridos, nas quais os respectivos jogos dos títulos ocasionalmente aconteceram diante do Peixe, ao contrário de 1959 e 2015, por exemplo.

INVICTO CONTRA O SANTOS NA TEMPORADA ATUAL

Neste ano, por qualquer competição, as equipes cruzaram seus caminhos três vezes: uma pelo Paulista e duas Brasileiro, e o Verdão não perdeu nenhuma delas. O primeiro duelo, pela primeira fase do Estadual, foi empate sem gols no Pacaembu; no duelo seguinte (primeiro turno do Brasileirão), o Alviverde superou o rival por 2 a 1, no Morumbi (como mandante), com gols de Luiz Adriano e Patrick de Paula; já no duelo mais recente, as equipes empataram por 2 a 2 na Vila Belmiro: Diego Pituca abriu o placar para os donos da casa, o Verdão chegou a virar com Raphael Veiga e Willian, mas, no fim, Marinho deixou tudo igual.

– Retrospecto geral contra o Santos: 339 jogos, 142 vitórias, 91 empates, 106 derrotas, 568 gols marcados e 478 gols sofridos
– Primeira vitória: 24/09/1916 – Palestra Italia 4×2 Santos (dois gols de Severino, um Bertolini e um de Bianco Gambini) – Chácara da Floresta (SP) – Campeonato Paulista– Último jogo: 05/12/2020 – Santos 2×2 Palmeiras – Vila Belmiro (Santos-SP) – Campeonato Brasileiro.
– Última vitória: 23/08/2020 – Palmeiras 2×1 Santos – Morumbi (SP) – Campeonato Brasileiro.
– Maior sequência invicta: 
Palmeiras (16 jogos, entre 08/07/1917 e 05/12/1926)
– Maior série de vitórias: Palmeiras (9 vitórias, entre 22/05/1921 e 06/06/1926 e entre 14/07/1940 e 16/08/1942)
– Maior sequência sem sofrer gols: 
Palmeiras e Santos, ambos por três jogos – o Verdão alcançou o feito três vezes (1922 a 1923, 1940 e 1944 a 1945), enquanto o Peixe o fez em outras três ocasiões (1968 a 1969, 1980 a 1981 e 1987 a 1988)
– Maior goleada: 11/12/1932 – Palestra Italia 8×0 Santos – Ponte Grande (São Paulo-SP) – Campeonato Paulista
– Jogador com mais jogos: Ademir da Guia (45)
– Jogador do atual elenco com mais jogos: 
Willian (11)
– Jogador com mais gols: 
Heitor (15 gols)
– Jogador do atual elenco com mais gols: 
Willian (3)
– Técnico que mais dirigiu o Palmeiras: 
Oswaldo Brandão (28 jogos)

PALMEIRAS JÁ FOI CAMPEÃO BRASILEIRO E MUNDIAL NO MARACANÃ

Inaugurado em 1950 para receber a primeira Copa do Mundo no Brasil, o Estádio Mário Filho, Maracanã, já foi palco de duas grandes conquistas da Sociedade Esportiva Palmeiras. A primeira foi em 1951, quando o Verdão resgatou a honra do futebol brasileiro ao se tornar o primeiro clube campeão mundial, em torneio que contou com a organização da Fifa (até então, algo inédito na história do esporte). O jogo decisivo do Torneio Internacional de Clubes Campeões foi um empate por 2 a 2 com a Juventus de Turim-ITA (o triunfo por 1 a 0 no jogo de ida garantiu a taça).

Em 1951, jogando no Maracanã, o Palmeiras se tornou o primeiro clube campeão mundial (Foto: Acervo Histórico/Palmeiras)

Mais tarde, em 1967, foi a vez de enfrentar a equipe do Náutico no jogo de desempate da final do Campeonato Brasileiro daquele ano (Taça Brasil). Após ter vencido o jogo de ida por 3 a 1 na Ilha do Retiro (Recife-PE) e ter perdido o duelo de volta por 2 a 1 no Pacaembu (São Paulo-SP), o Verdão ergueu o seu terceiro título brasileiro ao vencer por 2 a 0, com gols de César Maluco e Ademir da Guia.

EM 1965, PALMEIRAS CONQUISTOU TÍTULO INTERNACIONAL NO MARACANÃ

Apesar do cunho amistoso, o Palmeiras pode se considerar campeão de outro torneio internacional no Maracanã, pois, em julho de 1965 o time alviverde conquistou o Torneio IV Centenário do Rio de Janeiro após golear a Seleção do Paraguai por 5 a 2 e, em seguida, ter empatado sem gols com o Peñarol-URU na decisão: foi campeão nos pênaltis após o goleiro Valdir de Morais fazer grande atuação pela equipe palestrina, defendendo duas penalidades: ambas de Pedro Rocha, pois, à época, a regra do torneio previa que o mesmo batedor cobrasse três tiros consecutivos – na terceira cobrança, Pedro Rocha desperdiçou chutando para fora, mas, se fosse na direção do gol, Valdir teria novamente defendido, pois, com elasticidade fora do comum, pulou para o canto certo. Desta forma, o embate nos penais só continuaria caso o Verdão desperdiçasse suas três chances. Entretanto, logo na primeira cobrança, coube a Rinaldo, ponta-esquerda do Alviverde, pontuar e garantir mais um caneco ao Maior Campeão do Brasil

Vale ressaltar que o uruguaio Pedro Rocha, além da fama de ótimo batedor de pênalti, era um jogador que, à época, figurava na Seleção Uruguaia e, mais tarde, já veterano, em 1979, iria defender as cores do Verdão. Na ocasião em que disputou aquela partida que trouxe o título do Torneio IV Centenário do Rio de Janeiro, o Palmeiras já estava consolidado como uma das melhores equipes do Brasil e levava a fama de “Academia” pela forma com que dava aula de jogar futebol a cada jogo. Meses antes, inclusive, o time havia conquistado o importante Torneio Rio-São Paulo.

O estádio do Maracanã receberá seu primeiro clássico paulista

HÁ QUASE 56 ANOS: GOL MAIS RÁPIDO DO MARACANÃ FOI FEITO PELA ACADEMIA DO VERDÃO

O ponta-direita Gildo será sempre lembrado por ter feito o gol mais rápido da história do Palmeiras e, de quebra, da história do Maracanã. Foi na vitória alviverde por 4 a 1 sobre o Vasco da Gama, dia 07/03/1965, quando o atleta balançou as redes logo aos nove segundos do primeiro tempo (em jogada ensaiada a partir da saída de bola).

A goleada sobre o Vasco fez parte da campanha do título palmeirense no Torneio Rio-São Paulo daquela temporada, há quase 56 anos, consagrando a equipe comandada por Filpo Nuñez com a alcunha de Academia de Futebol. O retrospecto final foi de 12 vitórias, três empates e uma derrota, com direito a outras goleadas, como 4 a 1 sobre o Flamengo, também no Maracanã, 7 a 1 sobre o Santos, no Pacaembu, e 5 a 0 sobre o São Paulo, também no Pacaembu.

MARACANÃ JAMAIS RECEBEU UM CLÁSSICO PAULISTA

O confronto entre Palmeiras e Santos pela final da CONMEBOL Libertadores 2020, a ser disputada em jogo único no Maracanã neste sábado (30), irá registrar um acontecimento inédito na história do futebol brasileiro. O Estádio Mário Filho (o Maracanã) nunca antes recebeu um clássico paulista.

PALMEIRAS E SANTOS JÁ SE ENFRENTARAM TRÊS VEZES EM CIDADES QUE NÃO SEJAM A CAPITAL PAULISTA OU A BAIXADA

Fora do eixo São Paulo-Santos, os rivais já se enfrentaram três vezes em palcos inusitados na história, e o Verdão leva vantagem: duas vitórias e um empate. O primeiro jogo em outra cidade foi em 1994, pela Copa Bandeirante, no Estádio Bruno José Daniel, município de Santo André (SP). Depois, as equipes voltaram a se enfrentar outras duas vezes em palco incomum: ambas no Prudentão, na cidade de Presidente Prudente (interior de SP), e o Maior Campeão do Brasil saiu vitorioso nas duas ocasiões – primeiro, venceu por 1 a 0, com gol do lateral Cafu, pelo Torneio Rio-São Paulo de 1997 e, depois, em 2012, pelo Campeonato Paulista daquele ano, bateu o Peixe por 2 a 1 de virada após Neymar abrir o placar e os palmeirenses Fernandão e Juninho pontuarem.

EM 2018, PALMEIRAS SAGROU-SE DECACAMPEÃO BRASILEIRO NO RIO DE JANEIRO

A Cidade Maravilhosa foi palco de um dos títulos recentes do Verdão: o Campeonato Brasileiro de 2018. Na ocasião, o Palmeiras conquistou o Nacional com uma rodada de antecedência (a 37ª), quando enfrentou o Vasco da Gama no Estádio São Januário e, com gol de Deyverson, aos 27 minutos do segundo tempo, após assistência heroica de Willian Bigode, conquistou o décimo título brasileiro de sua história (sendo o 14º título nacional de expressão, considerando também as três Copas do Brsail, de 1998, 2012 e 2015, e a Copa do Campeões de 2000).

7 MAIORES JOGOS DO PALMEIRAS NO MARACANÃ:


22/07/1951: PALMEIRAS 2×2 JUVENTUS-ITA

– Conquista do Mundial Interclubes, após o Maracanazzo no ano anterior, resgatando o orgulho e a auto-estima do futebol brasileiro.


07/03/1965: VASCO 1×4 PALMEIRAS

– Pelo Torneio Rio-São Paulo, o ponta-direita Gildo abriu o placar apenas aos nove segundos de bola rolando, em jogada ensaiada pelo técnico argentino Filpo Nuñez. Este, até hoje, é o gol mais rápido da história do Palmeiras e também do Maracanã.


09/07/1965: PALMEIRAS 5×2 SELEÇÃO DO PARAGUAI

– Maior goleada do Palmeiras no estádio, em partida válida pelo Torneio Internacional IV Centenário do Rio de Janeiro, conquistada pelo alviverde que ficou conhecido como a Primeira Academia de Futebol.


11/07/1965: PALMEIRAS 0 (1) x (0) 0 PEÑAROL-URU

– Campeão do Torneio Internacional IV Centenário do Rio de Janeiro com grande atuação de Valdir de Morais, que defendeu duas penalidades de Pedro Rocha (a terceira foi para fora) e foi campeão após o ponta-esquerda Rinaldo converter sua cobrança.


29/12/1967: PALMEIRAS 2×0 NÁUTICO-PE

– Decisão do Campeonato Brasileiro, numa melhor de três jogos. Verdão campeão Brasileiro com gols de César Maluco e Ademir da Guia.


09/12/1979: FLAMENGO 1×4 PALMEIRAS

– Maior goleada sofrida pelo grande time de Zico e companhia atuando no Maracanã: gols de Jorge Mendonça, Carlos Alberto Seixas, Pedrinho e Zé Mário, no forte esquadrão comandado por Telê Santana, time que também contava com outros craques como Jorginho Putinatti, Beto Fuscão, Baroninho, Rosemiro e o goleiro Gilmar.


26/02/2000: VASCO 1×2 PALMEIRAS

– Primeiro jogo da final do Torneio Rio São Paulo, diante do Vasco de Romário e companhia.

– Retrospecto geral no Maracanã: 146 jogos, 51 vitórias, 34 empates, 61 derrotas, 204 gols marcados e 227 gols sofridos
– Primeiro jogo no Maracanã: 30/01/1951 – Bangu 3×0 Palmeiras – Torneio Início do Rio-SP
– Último jogo no Maracanã: 12/08/2020 – Fluminense 1×1 Palmeiras (gol de Luiz Adriano) – Campeonato Brasileiro
– Última vitória no Maracanã: 24/09/2017 – Fluminense 0x1 Palmeiras (gol de Egídio) – Maracanã – Campeonato Brasileiro

– Títulos no Maracanã: Mundial de Clubes 1951, Torneio IV Centenário do Rio de Janeiro 1965 e Campeonato Brasileiro de 1967 (Taça Brasil)
– Maior série invicta no Maracanã: 10 jogos (8 vitórias e 2 empates), entre 24/03/1963 e 11/07/1965
– Maior sequência de vitórias no Maracanã: 6 vitórias, entre 07/03/1963 e 09/07/1965
– Maior série sem sofrer gol no Maracanã: 5 jogos, entre 23/04/1967 e 16/10/1968
– Maior goleada no Maracanã: 12/05/1955 – Fluminense 2×5 Palmeiras – Torneio Rio-São Paulo e 09/07/1965 – Palmeiras 5×2 Peñarol-URU – Torneio IV Centenário do Rio de Janeiro
– Maiores vítimas no Maracanã: Fluminense (16 vitórias em 41 jogos)
– Adversário mais frequente no Maracanã: Flamengo-RJ (42 jogos)
– Placar mais frequente no Maracanã: 1×0 e 0x0 (14 vezes)
– Maior público no Maracanã: 112.047 (09/11/1979 – Flamengo 1×4 Palmeiras – Campeonato Brasileiro)

– Jogador que mais atuou no Maracanã: Ademir da Guia (37 jogos)
– Jogador que mais fez gols no Maracanã: Liminha (11 gols)
– Treinador que mais comandou no Maracanã: Oswaldo Brandão (18 jogos)

PALMEIRAS NO MARACANÃ PELA LIBERTADORES
3 J
1 V
0 E
2 D
4 GP
5 GC

10/03/1971 – Fluminense 1×3 Palmeiras (Gols SEP: César Maluco, Héctor Silva e Pio); Árbitro: Arnaldo César Coelho

10/03/1973 – Botafogo-RJ 2×0 Palmeiras; Árbitro: Arnaldo César Coelho

29/03/1973 – Botafogo-RJ 2×1 Palmeiras (Gol SEP: Ademir da Guia); Árbitro: Ramón Barreto

ABEL FERREIRA: 100% DE APROVEITAMENTO EM MATA-MATA

Abel Ferreira assumiu o comando da equipe do Palmeiras justamente em um decisivo: valia classificação para as quartas de final da Copa do Brasil – portanto, enfrentou, pelas oitavas do Nacional o Red Bull Bragantino no duelo de volta após o interino Andrey Lopes (o Cebola) ter dirigido a equipe no jogo de ida. Com o triunfo por 1 a 0 no jogo de volta já com Abel estreante (após ter vencido por 3 a 1 na ida, fora de casa, com Cebola), o Palmeiras obteve a primeira classificação na era do novo treinador, em 05/11.

Depois, vieram outros cinco avanços de fase (quatro com Abel e um com o auxiliar Vitor Castanheira). Em 18/11, foi a vez de eliminar o Ceará pelas quartas de final da Copa do Brasil (este, com Castanheira); os outros quatro, todos com Abel, foram: em 02/12, quando passou pelo Delfín-EQU nas oitavas de final da Libertadores; em 15/12, quando despachou o Libertad-PAR nas quartas do Continental; em 30/12, ao voltar a jogar pela Copa do Brasil, nas semifinais, e eliminar o América-MG e, mais recentemente, em 12/01, mesmo perdendo em casa, eliminou o River Plate-ARG nas semifinais da Libertadores.

Abel Ferreira pode conquistar o primeiro título de sua carreira como técnico (Foto: CONMEBOL Libertadores)

Considerando toda a era Abel Ferreira (incluindo jogos comandados pelos auxiliares, nos quais, ou o treinador esteve fora por ter contraído Covid-19 ou por estar suspenso), foram 25 partidas disputadas: 15 vitórias, cinco empates e cinco derrotas. Os jogos comandados pelos auxiliares foram: Ceará 2×2 Palmeiras no Castelão, em 18/11, resultado que valeu classificação do Verdão às semifinais da Copa do Brasil, com Vitor Castanheira (na ocasião, Abel Ferreira estava suspenso e João Martins, substituto imediato de Abel, estava infectado com coronavírus); depois, em 05/12 (empate por 2 a 2 com o Santos, fora de casa, Brasileiro), em 08/12 (empate por 1 a 1 com o Libertad-PAR, fora de casa, Libertadores) e em 12/12 (vitória por 3 a 0 contra o Bahia, em casa, Brasileiro), foi João Martins quem dirigiu o time, nestes três jogos seguidos, pois Abel Ferreira estava com Covid-19.

Vale destacar que, sozinho, Abel comandou o Palmeiras em cinco jogos de Libertadores (no total dos seis em sua era, o único empate foi dirigido pelo auxiliar João Martins, com o Libertad-PAR) e venceu quatro destes cinco, perdendo apenas um.

Abel é o primeiro português, o oitavo europeu e o 23º estrangeiro a assumir o comando do Maior Campeão do Brasil na história. O último treinador alviverde nascido na Europa tinha sido o italiano Caetano De Domenico, que conquistou o Campeonato Paulista de 1940 e permaneceu no Palestra Italia até 1941, portanto ainda antes da mudança do nome do clube, em 1942 (o penúltimo, o húngaro Eugênio Medgyessy, também sagrou-se campeão, no estadual de 1932). Já o mais recente comandante de fora do país era o argentino Ricardo Gareca, em 2014.

O primeiro técnico estrangeiro foi o italiano Adriano Merlo, que trabalhou em um jogo da campanha do título paulista de 1920, o primeiro da história alviverde, e conduziu a equipe ao bi estadual em 1926, em parceria com Ítalo Bosetti. Ainda na época do Palestra Italia, o uruguaio Humberto Cabelli ficou marcado pela conquista do único tricampeonato paulista do clube (alcançou o título invicto em 1932, levou a taça pela segunda vez seguida em 1933 e deixou o time por um breve período em 1934, mas voltou no mesmo ano e se sagrou campeão com apenas uma derrota).

Presente no tricampeonato paulista de 1932, 1933 e 1934 como jogador, o também uruguaio Ventura Cambon se tornou o treinador estrangeiro com mais partidas disputadas pelo Verdão (é o quarto no geral com 294 jogos) e o técnico que mais vezes assumiu o comando da equipe, de maneira interina ou efetiva, independentemente da nacionalidade, em todos os tempos (15 no total). Campeão paulista em 1944 dividindo o cargo com o ídolo Bianco, Cambon teve seu melhor momento no início da década de 50, quando, já em janeiro de 1951, pegou o time na reta final de um Paulistão praticamente nas mãos do São Paulo e conseguiu levar o Palmeiras ao título estadual de 1950. Meses depois, era ele o treinador na conquista do mais importante troféu da história do clube, o Mundial Interclubes de 1951, e faturou ainda o Torneio Rio-São Paulo daquele ano.

Outro estrangeiro de sucesso foi o argentino Filpo Nuñez, grande maestro da Academia de Futebol do Palmeiras, que brilhou na campanha vitoriosa do Rio-São Paulo de 1965. Além de praticar um jogo coletivo e envolvente, o time alviverde era uma máquina ofensiva: foram 12 vitórias em 16 jogos, apenas uma derrota, e uma média de três gols por partida (49 bolas na rede), com direito a goleadas de 7 a 1 no Santos, 5 a 0 no São Paulo e 4 a 1 no Vasco e no Flamengo. Filpo ostenta até hoje o feito de ser o único técnico nascido fora do país a comandar a Seleção Brasileira, quando o Brasil foi inteiramente representado pelo Palmeiras na partida inaugural do Estádio Mineirão, também em 1965, e venceu a seleção do Uruguai por 3 a 0.

ÚLTIMO TÉCNICO ESTRANGEIRO FINALISTA PELO PALMEIRAS: Alfredo Gonzalez (argentino), finalista da Libertadores da América em 1968.

ÚLTIMO TÉCNICO ESTRANGEIRO CAMPEÃO PELO PALMEIRAS: Filpo Nunez (argentino), campeão do Torneio Rio São Paulo e do Torneio Internacional IV Centenário do Rio de Janeiro, ambos em 1965.

#CRIASDAACADEMIA: ATUAL TEMPORADA É A MAIOR EM TERMOS DE UTILIZAÇÃO DE ESTREANTES DA BASE NO SÉCULO

Além dos 27 jogadores que compõem o elenco profissional atualmente, dois jovens do Sub-20 também vêm sendo aproveitados com frequência: o zagueiro Renanque foi relacionado para 30 dos 39 jogos mais recentes e atuou em sete (seis como titular, inclusive no jogo mais recente, porém como lateral-esquerdo), e o atacante Gabriel Silva, relacionado para 37 dos últimos 52 jogos e presente em campo em 16 (inclusive no mais recente, como titular).

Ao todo, considerando também os atletas que estão efetivados no plantel principal, 13 Crias da Academia estrearam pelo Palmeiras na temporada atual. Na ordem, foram a campo Patrick de Paula, Gabriel Menino, Wesley, Alan, Angulo (emprestado ao Botafogo), Gabriel Silva, Danilo, Renan, Aníbal, Marcelinho, Fabrício, Pedro Acácio e Vanderlan. Juntos, eles somam 184 jogos e fizeram da temporada atual a que o Palmeiras mais colocou jovens estreantes da base para atuar no século, superando as 103 partidas de também 11 pratas da casa debutantes em 2010.

Diante do Coritiba, em outubro de 2020, pelo Campeonato Brasileiro, cinco Crias da Academia foram escaladas no time titular: Renan, Esteves, Patrick de Paula, Gabriel Menino e Gabriel Veron – isso não acontecia desde 2015. Já contra o Delfín-EQU, na partida de ida das oitavas de final da Libertadores, os 11 suplentes eram oriundos do Centro de Formação de Atletas do Verdão, feito inédito na história do clube.

Durante o mês de novembro de 2020, dez Crias da Academia foram relacionadas pela primeira vez: os goleiros Mateus e Leandro, o zagueiro Helder, o lateral-esquerdo Vanderlan, os meio-campistas Quiñonez e Juninho e os atacantes Marino, Aníbal, Pedro Acácio e Fabricio. Eles se juntaram ao meio-campista Vitinho e ao atacante Marcelinho, que já haviam sido convocados ao longo do ano, além de Renan e Gabriel Silva. Para o clássico do dia 05 de dezembro, contra o Santos, Ramon Cesar e Ramon Rocha foram acrescentados à lista, somando 16 no total.

Nesta temporada, 13 Crias da Academia estrearam pela equipe profissional (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

>> Gabriel Silva: titular pela primeira vez no time profissional do Verdão há dois joos, diante do Ceará, 32ª rodada do Brasileiro (revés por 2×1 fora de casa), o atacante de 18 anos voltou a ser escalado dentre os 11 principais no compromisso mais recente do time, contra o Vasco, na última terça-feira (26). Ele chegou ao clube aos 13 anos, em 2015, e tem no currículo dois títulos do Mundial de Clubes Sub-17 – nas duas finais, aliás, ele deixou sua marca: primeiro na vitória por 4 a 2 sobre o Real Madrid na decisão de 2018, na Espanha, e depois na vitória por 2 a 1 sobre o Leganés-ESP em 2019, também na Espanha. Campeão paulista Sub-15, Sub-17, Sub-20 e Profissional pelo Verdão, marcou 40 gols em 46 jogos atuando pelo Sub-17 e pelo Sub-20 em 2019 e se destacou também por balançar as redes em todas as finais nacionais que disputou na temporada passada: Paulista Sub-17 (vice-campeão), Copa do Brasil Sub-17 (campeão), Supercopa do Brasil Sub-17 (campeão), Paulista Sub-20 (campeão), Brasileiro Sub-20 (vice-campeão) e Supercopa do Brasil Sub-20 (vice-campeão). Neste ano, tem seis gols em sete jogos entre Brasileiro Sub-20 e Copa do Brasil Sub-20.

>> Renan: o jovem de 18 anos conquistou importantes títulos pela base do Palmeiras e da Seleção Brasileira desde o Sub-15 – entre eles, o bicampeonato paulista sub-15 (2016 e 2017), o Campeonato Paulista Sub-17 (2018), a Copa do Brasil Sub-17 (2019), a Supercopa do Brasil Sub-17 (2019) e o bicampeonato do Mundial de Clubes Sub-17 (2018 e 2019), pelo Verdão, além da Copa do Mundo Sub-17 em 2019, pelo Brasil. Ele chegou ao Palmeiras em 2015, aos 13 anos de idade, começou a jogar de lateral-esquerdo no início de 2019 por decisão do técnico Artur Itiro e agradou. Ganhou a polivalência como uma de suas características.

Números individuais na temporada:

– Mais jogos no geral: Willian (211); Felipe Melo (172); Lucas Lima (157); Weverton (150); Marcos Rocha (137); Luan (124)
– Mais jogos na temporada atual: Willian (62); Weverton (61); Zé Rafael (58); Raphael Veiga (54); Gabriel Menino (53); Gustavo Gómez (50); Lucas Lima (49); e Luiz Adriano (48)
– Mais jogos no Brasileiro 2020: Willian (28); Weverton (26)
– Mais jogos na Libertadores 2020: Weverton e Gustavo Gómez (12)
– Mais jogos na Copa do Brasil 2020: Raphael Veiga e Willian (6)

– Mais gols no geral:
 Willian (56); Luiz Adriano (27); Raphael Veiga (25); Gustavo Scarpa (22); Gustavo Gómez (13); Felipe Melo e Zé Rafael (12); Gabriel Veron (11); Rony e Lucas Lima (10)
– Mais gols na temporada atual: Luiz Adriano (20); Raphael Veiga e Willian (18); Rony (10); Gabriel Veron (9); Zé Rafael, Gustavo Gómez e Patrick de Paula (5); Wesley (4); Gustavo Scarpa e Gabriel Menino (3); Viña, Marcos Rocha, Lucas Lima e Dudu (2); Ramires, Felipe Melo, Breno Lopes e Danilo (1)
– Mais gols no Brasileiro 2020: Raphael Veiga (11); Luiz Adriano (10); Willian (7); Rony e Gabriel Veron (4); Patrick de Paula (3); Zé Rafael e Wesley (2); Breno Lopes e Gustavo Gómez (1)
– Mais gols na Libertadores 2020: Rony e Luiz Adriano (5); Willian (4); Gabriel Menino e Gabriel Veron (3); Raphael Veiga, Zé Rafael, Gustavo Gómez e Viña (2); Wesley, Patrick de Paula, Danilo e Gustavo Scarpa (1)
– Mais gols na Copa do Brasil 2020: Raphael Veiga (4); Gabriel Veron e Luiz Adriano (2); Gustavo Scarpa, Wesley, Gustavo Gómez e Rony (1)

– Mais assistências no geral: Willian (22); Lucas Lima (21); Marcos Rocha (20); Gustavo Scarpa (15) e Zé Rafael (12)
– Mais assistências na temporada atual: Gabriel Menino (9); Rony e Viña (8); Zé Rafael (7); Willian, Gustavo Scarpa e Wesley (6); Marcos Rocha, Gabriel Veron e Lucas Lima (5); Luiz Adriano (4); Dudu (3); Raphael Veiga e Danilo (2); Bruno Henrique, Gustavo Gómez, Patrick de Paula, Gabriel Silva, Felipe Melo e Mayke (1)
– Mais assistências no Brasileiro 2020: Gabriel Menino (6); Willian (4); Zé Rafael, Luiz Adriano, Gustavo Scarpa e Viña (3); Gabriel Veron, Lucas Lima e Wesley (2); Raphael Veiga, Mayke, Gustavo Gómez e Patrick de Paula (1)
– Mais assistências na Libertadores 2020: Rony (7); Wesley, Gustavo Scarpa e Viña (3), Danilo e Dudu (2); Willian, Gabriel Menino, Gabriel Veron, Raphael Veiga, Gabriel Silva e Marcos Rocha (1)
– Mais assistências na Copa do Brasil 2020: Zé Rafael (2); Viña, Lucas Lima, Gabriel Veron, Felipe Melo, Rony e Marcos Rocha (1)

– Mais vezes capitão do time na temporada atual: Felipe Melo (30); Gustavo Gómez (17); Weverton (8); Willian (7); Luiz Adriano (4); e Bruno Henrique (2)
– Último hat-trick: Luiz Adriano (10/03/2020 – Palmeiras 3×1 Guaraní-PAR – Allianz Parque, em São Paulo-SP – Libertadores)
– Último gol de falta: Moisés (22/05/2019 – Sampaio Corrêa-MA 0x1 Palmeiras – Estádio Castelão, em São Luiz-MA – Copa do Brasil)
– Último gol de pênalti em tempo regulamentar: Raphael Veiga (12/12/2020 – Palmeiras 3×0 Bahia – Allianz Parque – Campeonato Brasileiro)
– Último gol de pênalti em disputa de penais: Patrick de Paula (08/08/2020 – Palmeiras 1 (4)x(3) 1 Corinthians – Allianz Parque, em São Paulo-SP – Campeonato Paulista)
– Última defesa de pênalti em tempo regulamentar: Weverton (02/11/2019 – Palmeiras 1×0 Ceará – Allianz Parque, em São Paulo-SP – Campeonato Brasileiro)
– Última defesa de pênalti em disputa de penais: Weverton (08/08/2020 – Palmeiras 1 (4)x(3) 1 Corinthians – Allianz Parque, em São Paulo-SP – Campeonato Paulista

WILLIAN: ARTILHEIRO MÁXIMO DO ATUAL ELENCO E VICE DA TEMPORADA; JOGADOR MAIS ASSÍDUO NA TEMPORADA; LÍDER PALMEIRENSE EM PARTICIPAÇÕES

O atacante Willian participou de 62 dos 68 jogos da temporada (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

Willian segue como o atleta mais assíduo do Verdão na atual temporada: atuou em 62 dos 68 compromissos possíveis, seguido de Weverton, com 61 atuações – no Brasileiro, também é quem mais jogou: 28 das 32 partidas possíveis até aqui, seguido de Weverton, com 26 duelos no Nacional.

Além disso, Willian é o vice-artilheiro do time na temporada (são 18 gols, ao lado de Raphael Veiga, ambos atrás de Luiz Adriano, com 20); é o terceiro artilheiro do time no Campeonato Brasileiro (sete, atrás de Luiz Adriano, com dez, e de Raphael Veiga, com 11) e o líder em participações diretas nos gols da temporada (24, somando-se 18 bolas na rede e seis assistências, ao lado de Luiz Adriano, com 24 – 20 gols e quatro passes).

Segundo maior artilheiro do Verdão na era dos pontos corridos com 28 bolas na rede (atrás apenas de Dudu, com 41) ele já entrou no top 10 dos que mais marcaram gols pelo clube em Brasileiro em todos os tempos (atualmente na 9ª posição, ao lado de Evair), o atacante é o segundo maior goleador do Palmeiras neste século com 56 tentos (atrás só de Dudu, com 70) e aparece na 47ª posição da lista dos maiores artilheiros da história alviverde, ao lado de Zinho.

Jogador do atual elenco com mais partidas (211, seguido por Felipe Melo, com 171), gols (56, seguido por Luiz Adriano, com 27, e por Raphael Veiga, 25) e assistências (22, seguido de Lucas Lima, com 21), Willian é o 68º no ranking dos atletas com mais jogos na história do clube e o 6º entre os que têm mais vitórias neste século, com 114 triunfos – completam o ranking: Márcio Araújo (5º, com 118), Valdivia (4º, com 122), Fernando Prass (3º, com 151), Dudu (2º colocado, com 174) e Marcos (líder com 182 vitórias).

As 211 partidas de Willian, inclusive, o colocam também no top 10 de palmeirenses com mais partidas neste século, na 6ª colocação, ao lado do volante Corrêa. Completam o ranking: o meia Valdivia (5º, com 241), o volante Márcio Araújo (4º, com 252), o goleiro Fernando Prass (3º, com 274), o atacante Dudu (2º, com 305) e o goleiro Marcos (líder no quesito, com 392).

Contra o River Plate-ARG, no jogo de ida das semifinais, vitória por 3 a 0 fora de casa (não atuou no duelo de volta), ele chegou a 31 partidas pela competição continental e superou o volante Cesar Sampaio na lista dos atletas palmeirenses com mais jogos pela Libertadores em todos os tempos, se isolando na 5ª colocação; completam a lista: o atacante Dudu (4º, com 34 jogos), o volante Galeano (3º, com 38 jogos), o meia Alex (2º, com 39 jogos) e o goleiro Marcos (líder da lista, com 57 jogos).

Na Libertadores 2020, aliás, Willian marcou quatro vezes: na estreia do Verdão na atual edição, contra o Tigre-ARG, diante do Bolívar-BOL, na terceira rodada; novamente, ante a equipe boliviana (desta vez no jogo de volta da primeira fase, na quinta rodada) e, mais recentemente, sobre o Delfín-EQU (jogo de volta). Com esses quatro gols no mais importante torneio das Américas, é o vice-artilheiro do Palmeiras na atual edição, atrás só de Luiz Adriano e Rony, ambos com cinco gols.

No Allianz Parque, Willian é o vice-artilheiro, com 21 bolas na rede na arena alviverde, só está de Dudu neste quesito, com 33; o terceiro em jogos (86, ao lado de Fernando Prass, e atrás só de Dudu, com 127) e o terceiro em assistências (11, uma a menos que Marcos Rocha, com 12 – ambos atrás de Dudu, com 35).

LUIZ ADRIANO: ARTILHEIRO DA TEMPORADA ATUAL; VICE-ARTILHEIRO DO ELENCO E VICE-GOLEADOR DO TIME NO BRASILEIRÃO; ARTILHEIRO PALMEIRENSE NA LIBERTADORES E LÍDER EM PARTICIPAÇÕES EM 2020

Autor de dois gols da vitória por 4 a 0 sobre o Corinthians, no Allianz Parque (18/01), penúltima partida em que atuou antes de ser preservado para a final da Libertadores (jogou contra o Flamengo, no dia 21, e ficou de fora dos jogos contra o Ceará e Vasco, nos dias 24 e 25) –, Luiz Adriano passou a figurar, de forma isolada, na artilharia do time na atual temporada, com 20 gols, seguido de Willian Bigode e Raphael Veiga, ambos com 18. Além dos números absolutos, Adriano possui também a melhor média: 0,41 (20 gols em 48 jogos) – considera-se 2020 os jogos disputados no início deste 2021 que ainda são válidos pelas competições vigentes do ano anterior).

O camisa 10 do Verdão também é líder em participações na temporada (ou seja, gols e assistências somadas), com 24 ações (20 gols e quatro passes), ao lado de Willian Bigode, com as mesmas 24 (18 gols e seis passes). Além disso, na atual temporada, ele também é o terceiro atleta que mais acerta a meta adversária, ao lado de Rony, com 38 finalizações certas, atrás de Raphael Veiga (40) e Willian (45).

Luiz Adriano é um dos três palmeirenses a ter marcado em todas as competições regulares disputadas nas competições oficiais da temporada atual – os outros são Raphael Veiga e Gustavo Gómez. Ele marcou três vezes no Paulista, dez no Brasileiro (vice-artilheiro do time na edição, atrás de Raphael Veiga, com 11), cinco na Libertadores (artilheiro palmeirense no torneio, ao lado de Rony) e duas na Copa do Brasil, enquanto o camisa 23 fez um gol pelo Estadual, 11 pelo Brasileirão, dois pela Libertadores e quatro na Copa do Brasil. E Gustavo Gómez balançou as redes uma vez pelo Paulista, uma pelo Brasileiro, uma pela Copa do Brasil e duas pela Libertadores.

Luiz Adriano soma nove gols em seus últimos 15 jogos disputados – média de 0,6 por partida – marcou duas vezes na vitória por 3 a 0 contra o Atlético-GO, em Goiânia, pelo Brasileiro, em 25/10; no triunfo por 3 a 1 diante do RB Bragantino pelo jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil, em Bragança Paulista-SP, em 29/10; e, mais recentemente, diante do Vasco, em 08/11, antes de ficar de fora por desgaste muscular, voltar por mais duas partidas e, em seguida, se lesionar (ficando de fora por oito jogos em um mês). Em sua volta, entrou no segundo tempo diante do América-MG (jogo de ida pela Copa do Brasil, no Allianz Parque); e nos dois duelos seguintes, marcou gol: pelo Brasileiro, fez o tento da vitória por 1 a 0 diante do RB Bragantino, pela 27ª rodada do Brasileiro (no Allianz Parque); abriu caminho para a vitória do Palmeiras fora de casa, no segundo tempo, contra o América-MG pela Copa do Brasil (jogo que valeu vaga na final); também deixou sua marca na vitória por 3 a 0 diante do River Plate-ARG fora de casa, no jogo de ida das semifinais da Libertadores; mais recentemente, marcou duas vezes na goleada no Derby por 4 a 0 pelo Brasileiro.

Com 27 gols desde que chegou ao Verdão, em 2019, o jogador é ainda o vice-goleador do elenco no geral, seguido de Raphael Veiga, com 25, e atrás só de Willian, com 56 bolas na rede.

Contratado em agosto de 2019, tem média de 0,41 gol por partida na temporada atual (20 em 48 jogos), ante 0,46 da sua temporada de estreia (sete em 15), superando os 13 gols dos artilheiros do time em 2019, Dudu e Scarpa, e igualando os 20 gols de Borja, artilheiro em 2018.

No Allianz Parque, Luiz Adriano ostenta a melhor média de gols da história da arena, com índice de 0,54 bola na rede por jogo (13 gols em 24 jogos) – completam o top 10: Borja (2º com 0,38 – 19 gols em 50 jogos), Cristaldo (3º com 0,34 – 11 gols em 32 jogos), Leandro Pereira (4º com 0,33 – 7 gols em 21 jogos), Gabriel Jesus (5º com 0,32 – 11 gols em 34 jogos), Deyverson (6º com 0,30 –13 gols em 42 jogos), Rafael Marques (7º com 0,28 – 12 gols em 42 jogos), Barrios (8º com 0,26 – 5 gols em 19 jogos) e quatro atletas empatados em 9º, com 0,25, que são Dudu (33 gols em 127 jogos), Keno (9 gols em 35 jogos) e Alecsandro (6 gols em 24 jogos).

Os 13 gols anotados no Allianz Parque também já colocam Luiz Adriano no top 5 de artilheiros da arena palmeirense, ocupando a 5ª posição, ao lado de Deyverson – completam o ranking: Raphael Veiga (4º, com 15), Borja (3º, com 19), Willian (2º, com 21) e Dudu (1º, com 33).

Por duas vezes na casa palestrina, Luiz Adriano deixou o gramado com três bolas na rede no mesmo jogo: diante do Fluminense, no Brasileirão de 2019, e do Guaraní-PAR, na Libertadores deste ano. Fora do Brasil, já havia alcançado o mesmo feito em outras três oportunidades, além de uma vez em que marcou cinco gols pelo Shakhtar Donetsk-UCR (sendo quatro só no primeiro tempo), clube onde é o maior artilheiro da história com 130 gols. Ele é também o 7º maior goleador brasileiro na história da Champions League, com 21 tentos – neste ranking, apenas Neymar, Kaká, Rivaldo, Jardel, Élber e Mazzola, revelado pelo Verdão, balançaram mais vezes as redes pela maior competição continental do planeta.

RONY: ARTILHEIRO DO PALMEIRAS NA LIBERTADORES; SEGUNDO COLOCADO EM DRIBLES E ASSISTÊNCIAS DA TEMPORADA 2020 DENTRE OS PALMEIRENSES; TERCEIRO EM FINALIZAÇÕES CERTAS

Rony vem acumulando ótimas participações em suas partidas mais recentes pelo time palmeirense: em 30/12, diante do América-MG, jogo que valeu classificação à final da Copa do Brasil após vitória por 2 a 0, no Estádio Independência (Belo Horizonte-MG) – deu uma assistência para o primeiro gol (de Luiz Adriano) e fez o segundo gol; e foi titular diante do River Plate-ARG, fora de casa, marcando o gol que abriu caminho para a vitória por 3 a 0 fora de casa pelo jogo de ida das semifinais do torneio continental. Na vitória mais recente do time pelo Brasileiro fora de casa, 1 a 0 fora de casa diante do Sport, ele participou ao entrar no segundo tempo.

O jogador, aliás, vem de bons números: fez nove gols em suas últimas 20 partidas disputadas (média de 0,45 por jogo neste período). Com dez bolas na rede na temporada atual, Rony é o quarto principal artilheiro do Alviverde em 2020, atrás só de Willian e Raphael Veiga (18) e Luiz Adriano (20). No Brasileirão, ele possui quatro gols e é o quarto principal artilheiro do Verdão no torneio, atrás só de Willian (sete), e de Luiz Adriano (dez) e Raphael Veiga (11).

Na Libertadores ele tem cinco bolas na rede – marcados nos últimos seis jogos disputados no torneio –, sendo o principal artilheiro do Verdão no Continental, ao lado de Luiz Adriano. O camisa 11 também é o garçom máximo da edição 2020 do Continental, dentre todos os clubes, com sete passes a gol, além de ser também o líder isolado em participação em gols no torneio sul-americano, com 12 ações (ou seja, gols e assistências somadas – no caso, sete passes a gol e cinco bolas na rede).

E como deu assistência no último jogo pela Copa do Brasil, somada às sete que já possuía pela Libertadores, totalizando oito, Rony chegou a oito assistências na temporada atual, ficando na segunda posição dentre os principais garçons do Verdão, ao lado de Viña (oito), atrás só de Gabriel Menino (com nove) e seguido de Zé Rafael (sete).

Dentre o elenco palmeirense, o atleta chegou a 18 participações, com dez gols e oito assistências – é o quarto melhor colocado no quesito, atrás só
 de Raphael Veiga (com 20, 18 gols e duas assistências), de Luiz Adriano e Willian, ambos com 24 (Luiz Adriano tem 20 gols e quatro passes, enquanto Willian soma 18 gols e seis passes).

Na atual temporada, ele é o terceiro atleta que mais acerta a meta adversária, ao lado de Luiz Adriano, com 38 finalizações certas, atrás de Raphael Veiga (40) e Willian (45), e o segundo que mais dribla, com 30 fintas completas, atrás só de Zé Rafael, líder no quesito (39). Desde que estreou, em fevereiro de 2020, pelo Campeonato Paulista, ele participou de 44 dos últimos 59 jogos, sendo 34 como titular e dez acionado do banco de reservas.

GABRIEL VERON: PALMEIRENSE MAIS JOVEM A FAZER GOL NA HISTÓRIA DO BRASILEIRO, DA LIBERTADORES E DA COPA DO BRASIL

Autor de um gol recente do Verdão, há duas partidas, diante do Ceará, fora de casa, no último dia 24, pelo Brasileirão, Gabriel Veron, promovido ao elenco profissional no final da temporada passada, já está marcado na história do clube como o palmeirense mais jovem a fazer gol em Campeonato Brasileiro, em Copa Libertadores e Copa do Brasil.

No Brasileiro, na goleada por 5 a 1 sobre o Goiás em 05/12/2019 (sua segunda partida pelo time principal do Verdão – a primeira havia sido diante do Fluminense, duas rodadas antes), o feito o tornou também o segundo atleta mais jovem a balançar as redes pelo Palmeiras em todos os tempos, com 17 anos, três meses e dois dias. O atacante fez dois gols e desbancou Mazzola, que marcou (também duas vezes) com 17 anos, seis meses e cinco dias em um amistoso em 29/01/1956 vencido contra o Catanduva – o recorde segue sendo de Juliano, que em 19/08/1998 balançou as redes do Nacional-URU, pela Copa Mercosul, com 16 anos, 11 meses e 23 dias.

Já na competição continental, alcançou o recorde no dia 21/10/2020, ao fazer o quarto gol na vitória por 5 a 0 sobre o Tigre-ARG com 18 anos, um mês e 19 dias, superando também Gabriel Jesus, que tinha 18 anos,10 meses e 13 dias quando foi às redes no empate por 2 a 2 diante do River Plate-URU, em 16/02/2016. E na Copa do Brasil, alcançou o recorde na partida do último dia 5, ao balançar as redes na vitória sobre o Red Bull Bragantino por 1 a 0 aos 18 anos, 2 meses, e 3 dias, superando Gabriel Jesus, que havia marcado aos 18 anos, 3 meses, e 13 dias, em 15/07/2015, quando fez o único gol do Verdão na vitória por 1 a 0 sobre o ASA-AL.

Com nove bolas na rede no ano, ele ocupa a quinta posição da lista de artilheiros do time, atrás só de Rony (10), de Raphael Veiga e Willian (ambos com 18) e de Luiz Adriano (20) – quatro dos gols foram no Campeonato Brasileiro, outros dois pela Copa do Brasil e mais três na Libertadores.

O atacante perdeu as 12 primeiras partidas do Palmeiras no segundo semestre de 2020 devido a uma lesão na coxa direita, e voltou contra o Bragantino, na vitória por 2 a 1 em Bragança, pelo Brasileiro, em 02/09, saindo do banco de reservas. Depois disso, engatou mais seis partidas: as quatro primeiras saindo do banco e as duas últimas como titular (contra o Guaraní-PAR e Flamengo, em 23/09 e 27/09, respectivamente). Após essa sequência, ficou duas partidas fora por entorse no tornozelo (contra Bolívar-BOL e Ceará).

Após as duas partidas fora por lesão, engatou outra sequência, desta vez de cinco duelos: Botafogo fora (reserva), São Paulo em casa (reserva), Coritiba em casa (titular e marcou gol), Fortaleza fora (reserva) e Tigre-Argentina em casa (titular e marcou gol), mas tornou a ficar por outras duas partidas de fora, desta vez por estar integrando a Seleção Brasileira Sub-20, assim como o companheiro Danilo, volante. Desde o seu retorno do time canarinho atuou em cinco jogos (vitórias sobre o Atlético-MG fora, Bragantino, em casa, pela Copa do Brasil – marcando o único gol da partida –, Vasco, fora, pelo Brasileiro, Ceará, em casa, pela Copa do Brasil, e Fluminense, em casa, pelo Brasileiro, sendo titular nestes três últimos e marcando diante do Vozão).

Após o duelo contra o Flu, Veron contraiu o novo coronavírus e ficou de fora da equipe por três partidas até voltar a figurar no último dia 28, no triunfo sobre o Athletico-PR por 3 a 0, no Allianz Parque, pelo Brasileiro – entrou aos 17 minutos do segundo tempo no lugar de Rony. Depois, teve sequência de oito partidas: (Delfín-Equador, Santos, Libertad-PAR, duas vezes, Internacional, América-MG, Bragantino e Sport) até voltar a ter problemas de lesão (desta vez, na coxa esquerda) antes de retornar na partida diante do Ceará, no último domingo (24) e seguir atuando no jogo seguinte, diante do Vasco (empate por 1 a 1 em casa, na última terça, 26).

Natural de Assú-RN, Veron está no Palmeiras desde o Sub-15 e soma títulos por todas as categorias de base – inclusive, foi campeão paulista Sub-15, Sub-17, Sub-20 e Profissional pelo Verdão. Em 2018, foi também campeão mundial interclubes Sub-17 pelo Palmeiras, marcando gol na vitória por 4 a 2 sobre o Real Madrid na decisão e terminando a competição como o artilheiro e eleito o melhor jogador. Em 2019, sagrou-se bicampeão mundial com a vitória por 2 a 1 sobre o Leganés-ESP, além de campeão das Copas do Brasil Sub-17 e Sub-20. Com a Seleção Brasileira, conquistou a Copa do Mundo Sub-17 em 2019 e, mais uma vez, levou o prêmio de melhor jogador para casa.

O meio-campista Raphael Veiga marcou 18 gols em 2020/21 (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

RAPHAEL VEIGA: TEMPORADA MAIS ARTILHEIRA DA CARREIRA, VICE-ARTILHEIRO DO TIME NA TEMPORADA; TERCEIRO ARTILHEIRO DO ATUAL ELENCO; ARTILHEIRO DO TIME ISOLADO NO BRASILEIRO E NA COPA DO BRASIL

De volta de ao time após cumprir suspensão pelo acúmulo do terceiro cartão amarelo na rodada anterior (32ª do Brasileiro, diante do Ceará, fora de casa), Veiga foi autor de duas bolas na rede na goleada por 4 a 0 sobre o Corinthians, partida mais recente do Verdão no Allianz Parque, Raphael Veiga tem um retrospecto com ótimos números pelo Verdão: em seus últimos 18 jogos disputados, Veiga marcou dez gols (média de 0,55 neste período).

Ao todo, neste ano, Raphael Veiga soma 18 bolas na rede na temporada e, com isso, superou os nove gols que acumulou em 2018 pelo Athletico-PR e fez de 2020, de forma disparada, a temporada mais artilheira de sua carreira – neste quesito, na atual temporada, está ao lado de Willian, com os mesmos 18 gols, e atrás só de Luiz Adriano (com 20), e é o artilheiro da equipe no Brasileirão, com 11 gols, seguido de Luiz Adriano, com dez, e na Copa do Brasil, com quatro, isolado.

Profissionalizado no futebol em 2016, pelo Coritiba, marcou três gols em 24 jogos em sua primeira temporada no Coxa. Em 2017, seu primeiro ano no Palmeiras, fez dois gols em 22 partidas (à época, muitos meio-campistas experientes não possibilitaram que o jogador tivesse sequência). Emprestado ao Athletico-PR em 2018, quando foi campeão da Copa Sul-Americana, fez 48 jogos e nove gols (até então sua temporada mais artilheira); em 2019, voltou de empréstimo e jogou 31 vezes pelo Verdão, marcando cinco gols.

O fato de ter chegado a 18 gols na temporada faz de Veiga o terceiro jogador com mais participações diretas em gols (ou seja, gols e assistências somadas): são 20 participações (sendo 18 gols e duas assistências), atrás só de Luiz Adriano e de Willian, ambos com 24 (Luiz Adriano tem 20 gols e quatro passes, enquanto Bigode possui 18 bolas na rede e serviu seus companheiros seis vezes).

Além disso, com os 25 gols que possui, ele é o terceiro artilheiro geral do atual elenco, atrás só de Luiz Adriano, com 27 de ao todo, e de Willian Bigode, com 56.

Raphael Veiga, aliás, é um dos três palmeirenses a ter marcado em todas as competições regulares disputadas em 2020 – os outros são Luiz Adriano e Gustavo Gómez. Ele pontuou uma vez no Paulista, 11 no Brasileiro até aqui (sendo o artilheiro do time na competiçã, seguido de Luiz Adriano, com dez), duas na Libertadores até o momento e outras quatro na Copa do Brasil (que também faz dele o artilheiro do time no torneio nacional), enquanto o camisa 10 fez três gols pelo Estadual, dez pelo Brasileirão, cinco pela Libertadores e dois na Copa do Brasil. E Gustavo Gómez balançou as redes uma vez pelo Paulista, uma pelo Brasileiro, uma pela Copa do Brasil e duas pela Libertadores.

LUCAS LIMA: LÍDER EM ASSISTÊNCIAS PARA FINALIZAÇÃO EM 2020, PRESENTE EM 19 DOS ÚLTIMOS 24 JOGOS E VICE-GARÇOM GERAL DO ELENCO

Presente em 19 das últimas 24 partidas (sendo 13 destas como titular – inclusive na partida mais recente do time), Lucas Lima se destaca não só pela assiduidade. Em suas mais últimas exibições, o jogador vem fazendo a diferença junto ao time: no último dia 24, contra o Ceará, fora de casa, pelo Brasileiro, ele deu a assistência para o gol de Gabriel Veron; antes disso, no duelo mais recente da Copa do Brasil, cobrou a falta que originou o segundo gol do Palmeiras sobre o América-MG fora de casa, na vitória por 2 a 0 (gol este que selou a classificação à final do torneio nacional). A falta, cobrada pelo lado esquerdo, aos 40 minutos do segundo tempo, entre o escanteio e a grande área, foi na medida para Mayke finalizar e o goleiro adversário rebater. Na sobra, Rony balançou as redes – o primeiro gol da partida havia sido marcado por Luiz Adriano minutos antes.

Antes disso, há alguns jogos, Lucas Lima foi o responsável pela cobrança do corner que originou o gol de Willian Bigode, o segundo do Verdão sobre o Peixe, em rodada do Brasileiro, em 05/12 – a bola ainda desviou em Zé Rafael antes de o camisa 29 balançar as redes. Já no jogo de volta das oitavas de final da Libertadores (vitória sobre o Delfín-EQU por 5 a 0 e classificação), Lucas Lima chutou de longe e a pelota explodiu na zaga, sobrando para Patrick de Paula dominar e também chutar de longe e marcar um golaço, abrindo o placar.

Um jogo antes, no triunfo sobre o Athletico-PR por 3 a 0, em 28/11, no Allianz Parque, pelo Brasileiro, ele havia concedido o passe para o primeiro gol do Palmeiras, também marcado por Patrick de Paula e, com isso, chegou a 20 assistências no total desde que chegou ao Palmeiras em 2018. Desta forma, Lucas Lima passou a ser o líder de passes a gol do atual elenco, ao lado de Willian Bigode, com as mesmas 20 assistências e também Marcos Rocha.

E em outro duelo anterior, no jogo de ida das oitavas da Libertadores, contra o Delfín-EQU (vitória por 3 a 1 fora de casa), em 25 de novembro, Lucas também teve papel imprescindível no resultado favorável. Foi dele que originou-se o lance do pênalti que ocasionou o segundo gol do Verdão no duelo com os equatorianos (convertido por Rony) – na ocasião, o meia chutou de perto da entrada da grande área e a bola foi desviada pela zaga com o braço.

Este não foi o único penal que o atleta favoreceu o Palmeiras nos tempos recentes: em outros dois compromissos, estes pelo Brasileiro (diante do Vasco, em 08/11, e contra o Fluminense, em 14/11), ele sofreu ambas as penalidades – diante do time cruz-matino, a infração valeu o gol da vitória, marcado por Luiz Adriano no rebote após defesa do goleiro Fernando Miguel e, diante do Tricolor Carioca, o tiro foi cobrado por Raphael Veiga e abriu caminho para o triunfo por 2 a 0 sobre o time das laranjeiras.

Na atual temporada, ele é o líder em passe para finalizações – proporcionou 66 chutes a gol dos seus companheiros, seguido de Gabriel Menino, com 57 (números do Footstats que não incluem os passes que resultaram em bola na rede). É também o sexto colocado na lista dos maiores garçons do Allianz Parque, com nove passes (atrás de Robinho e Róger Guedes, com dez, de Willian com 11 assistências, e de Marcos Rocha, vice-líder, com 12, todos atrás de Dudu, com 35).

GUSTAVO SCARPA: QUARTO ARTILHEIRO GERAL DO ELENCO, JOGADOR MAIS ACIONADO DO BANCO DE RESERVAS EM 2020 E POLIVALENTE; PRESENTE EM 14 DOS ÚLTIMOS 16 DUELOS

Improvisado na lateral-esquerda contra o Ceará no último domingo (24), Scarpa voltou a ser titular no jogo seguinte, mas, dessa vez, no meio-campo, contra o Vasco, e foi quem deu o passe para Breno Lopes marcar o gol do empate por 1 a 1 com o Vasco; com isso, o camisa 14 chegou a seis assistências na temporada.

Apenas na Libertadores, Gustavo Scarpa foi autor de três assistências: a mais recente para o terceiro gol do Palmeiras no duelo de ida da semifinal da Libertadores, vitória por 3 a 0 fora de casa sobre o River Plate-ARG, no último dia 05.

Ele faz parte de um seleto grupo de jogadores com 100 ou mais jogos pelo Verdão: hoje são 110. Desta forma, ao alcançar essa expressiva marca, o meia integra um grupo com outros jogadores do elenco que possuem três dígitos de jogos. São eles: Raphael Veiga (101, o mais recente do grupo), Gustavo Gómez (109), Mayke (112), Luan (124), Marcos Rocha (137), Weverton (150), Lucas Lima (157), Felipe Melo (172) e Willian (211).

Presente em 14 dos últimos 16 duelos do Verdão (titular em oito deles, inclusive nos dois mais recentes), o camisa 14 ostenta uma curiosa estatística na atual temporada: é o jogador que mais vezes sai do banco de reservas para auxiliar a equipe na temporada atual, tendo sido acionado 22 vezes nos últimos 51 jogos, a exemplo de como foi nos dois duelos mais recentes, contra o Grêmio e o Corinthians, empate por 1 a 1 e vitória por 4 a 0, quando, respectivamente entrou aos 34 do segundo tempo no lugar de Willian e aos 36 do segundo tempo, quando entrou no lugar de Matías Viña no Derby.

Meio-campista de origem, o camisa 14 tem a polivalência como uma de suas características. Durante o período em que o lateral-esquerdo titular Matías Viña estava com a Seleção Uruguaia e, depois, tornou-se desfalque pelo fato de ter contraído Covid-19, e o suplente Lucas Esteves estava lesionado, o meia canhoto Gustavo Scarpa, assim como o lateral-direito Mayke, foi testado de forma improvisada na ala esquerda: contra o Ceará (11/11) e o Fluminense (14/11), vitórias por 3 a 0 e 2 a 0, pela Copa do Brasil e Brasileiro, respectivamente, ambas no Allianz Parque, o jogador foi titular da posição, além de ter feito um gol (o primeiro da partida) logo em seu primeiro jogo na nova função. A atuação na lateral-esquerda voltou a se repetir pela no último dia 23/12, quando Scarpa iniciou o duelo na ala esquerda enquanto Viña começou no banco e entrou no segundo tempo e, novamente, no último domingo (24), no revés contra o Ceará, em Fortaleza (2 a 1 pelo Brasileiro).

O jogador é o quarto principal artilheiro do elenco (22 gols, atrás de Raphael Veiga, com 23, de Luiz Adriano, com 25, e de Willian, com 56) – em 2019, ele foi o goleador do time, ao lado de Dudu, com 13 – e o quarto colocado no ranking dos maiores garçons do plantel (13 passes para gol desde que chegou ao clube, em 2018, atrás apenas de Marcos Rocha, Lucas Lima e Willian, líderes, com 20) – além de quatro assistências em 2020 (sendo duas nos dois jogos mais recentes pela Libertadores e outras duas no ano de estreia), o camisa 14 foi o segundo maior garçom do time em 2019, ao lado de Marcos Rocha, com sete passes a gol, atrás só de Dudu, com 18.

ZÉ RAFAEL: LÍDER EM DRIBLES, SEGUNDO EM DESARMES E QUARTO EM ASSISTÊNCIAS NA TEMPORADA

Com 39 dribles, Zé Rafael é o líder do elenco no quesito (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

Responsável por participar de dois dos quatro gols do Palmeiras na goleada por 4 a 0 sobre o Corinthians no Derby, pelo Campeonato Brasileiro, Zé Rafael, que passou a bola para Willian conceder assistência no segundo e no terceiro gol do Verdão na partida (de Luiz Adriano e Raphael Veiga), após receber, respectivamente, de Danilo e de Luan, foi titular em quatro dos seis jogos mais recentes da equipe (Grêmio, empate por 1 a 1 em casa, River Plate-ARG, derrota por 2 a 0, porém, com classificação garantida, Sport, vitória por 1 a 0 fora de casa, e Corinthians, 4 a 0 no Allianz Parque) – só ficou de fora da derrota contra o Ceará, fora de casa, por 2 a 1, no último dia 24, e, agora, ;

Na ocasião de seu retorno, Zé Rafael havia jogou contra o River pela Libertadores, na vitória por 3 a 0 fora de casa, no último dia 05, pela CONMEBOL Libertadores, jogo de ida das semifinais do torneio continental, após ter entrado aos 21 do segundo tempo no lugar de Danilo, Zé Rafael, que esteve fora dos dois duelos anteriores do Verdão (vitórias sobre o Red Bull Bragantino 1×0, pelo Brasileiro, e América-MG, 2×0, pela Copa do Brasil) devido a uma infecção no pé esquerdo, vem acumulando participações importantes no time palmeirense nos jogos atuais.

O camisa 8 iniciou a construção de um dos gols recentes do Verdão, contra o Grêmio (empate por 1 a 1 no Allianz Parque no último dia 15), quando, do meio-de-campo, lançou bola para Willian na esquerda, que brigou com o marcador pelo domínio da pelota e tocou para a grande área, até Viña desviar e Raphael Veiga marcar de pé esquerdo, dentro da área, diante do Corinthians.

No início do último mês, ele concedeu assistência após desviar, de cabeça, cobrança de escanteio de Lucas Lima para Willian Bigode marcar, diante do Santos, no dia 05/12, empate por 2 a 2 pelo Brasileirão (depois disso, o Alviverde tornou a jogar pela competição nacional e venceu o Bahia por 3 a 0, em casa, mas Zé estava suspenso).

Antes disso, ele também foi quem havia iniciado a construção das jogadas de três dos quatro gols mais recentes da equipe à época, pois, além da assistência diante do Santos (segundo da partida), um jogo antes, contra o Delfín-EQU, pela Libertadores, no Allianz Parque – duelo que valeu classificação às quartas de final do Continental – o camisa 8 iniciou a construção da jogada dos dois últimos gols daquela goleada do Verdão por 5 a 0, marcados por Gabriel Veron e Danilo, respectivamente.

Na atual temporada, o camisa 8 é o quarto colocado do time em assistências no ano, com sete passes a gol, atrás de Viña e de Rony, vice-líderes, com oito, e do líder Gabriel Menino, com nove. No Brasileirão de 2019, ele foi o vice-líder do time com cinco passes a gol, atrás apenas de Dudu, com 11.

Apenas na Copa do Brasil 2020, foram dois passes a gol, o que faz dele o líder isolado no quesito na atual edição do torneio, à frente de Viña, Gabriel Veron, Lucas Lima, Marcos Rocha e Felipe Melo, todos com um passe a gol cada na competição.

O meio-campista também aparece bem em outro quesito: na atual temporada, está no top 6 da artilharia do clube, na sexta colocação, com cinco gols, ao lado de Patrick de Paula e de Gustavo Gómez, atrás apenas de Gabriel Veron (9), Rony (10), Raphael Veiga e Willian Bigode (18) e Luiz Adriano (20).

O meia se destaca também em três fundamentos individuais na temporada atual. É o líder isolado em dribles com 39 fintas completas, seguido de Rony, com 30; segundo colocado no ranking de desarmes com 104 roubos de bola, atrás de Marcos Rocha, com 112.

DANILO: CRIA DA ACADEMIA MAIS RECENTE NO ELENCO PROFISISONAL; PRESENTE EM 14 DOS ÚLTIMOS 19 JOGOS E TITULAR EM 11; TOP 10 EM INTERCEPTAÇÕES DO ELENCO NA TEMPORADA ATUAL

Presente em 29 dos últimos 42 jogos desde que estreou e titular em 14 (nos últimos 19, atuou em 14 e foi titular em 11), Danilo concedeu assistência para o segundo gol do Verdão no compromisso mais recente fora de casa pela Libertadores, vitória por 3 a 0 diante do River Plate-ARG, jogo de ida das semifinais do torneio continental: deu o passe para Luiz Adriano sair em arrancada, invadir a área rival e balançar as redes.

Essa foi a segunda assistência de Danilo pelo Palmeiras e também na Libertadores, já que a outra foi justamente em um jogo do Continental: na vitória por 5 a 0 sobre o Delfín-EQU, ele deu o passe para o segundo gol do duelo, de Gabriel Veron, e fechou a contagem marcando o seu primeiro tento pelo time principal do Verdão, aos 48 do segundo tempo, no Allianz Parque, no duelo que valeu classificação às quartas de final do Continental.

Nos últimos 18 jogos do Verdão, Danilo atuou em 14. Os quatro jogos em que não esteve foram diante do Santos (empate por 2 a 2 pelo Brasileiro, fora de casa, quando esteve suspenso), Bahia (vitória por 3 a 0 em casa no mais recente compromisso do time pelo torneio nacional – quando foi preservado da partida), Grêmio (empate por 1 a 1 – ficou fora por uma entorse no tornozelo direito) e, mais recentemente, o Ceará (revés por 2 a 1 fora de casa, pois esteve preservado pelo técnico Abel Ferreira). E dos 14 jogos mais recentes em que disputou pelo Verdão, 11 destes foram como titular.

O camisa 28 figura no top 10 de jogadores palmeirenses com mais interceptações em 2020, impedindo passes, cruzamentos ou lançamentos de adversários em 17 oportunidades (diferentemente de um desarme, quando a bola é roubada dos pés do jogador rival), ocupando a 8ª colocação, ao lado de Felipe Melo e de Mayke. Completam o ranking: Zé Rafael (7º, com 18), Luan (6º, com 20), Marcos Rocha (5º, com 21), Gustavo Gómez (4º, com 22), Patrick de Paula (3º, com 26), Viña (2º, com 28) e Gabriel Menino (líder no quesito, com 30);

Figura constante nas convocações da Seleção Brasileira Sub-20, o jovem de 19 anos é o jogador oriundo da base que está há menos tempo no elenco profissional do Palmeiras – chamou a atenção da comissão técnica durante os treinos do Sub-20 na Academia de Futebol no início do segundo semestre e, desde então, não voltou mais para a base.

Meio-campista versátil que atua na contenção e na armação de jogadas, Danilo participou de alguns projetos sociais na sua cidade natal, Salvador (BA), e foi vice-campeão da segunda divisão do Campeonato Baiano pelo Cajazeiras, aos 16 anos, antes de chegar ao Palmeiras em 2018, quando foi captado para integrar o elenco Sub-17 e naquela mesma temporada já conquistou o título paulista da categoria. No Sub-20, o canhoto de 19 anos ganhou espaço ao final de 2019, contribuindo para a conquista de mais um título paulista. Foi ainda titular da equipe na Copa São Paulo deste ano, na qual disputou cinco jogos e marcou um gol.

PATRICK DE PAULA: TOP 5 EM DESARMES DO TIME E TOP 3 EM INTERCEPTAÇÕES NA TEMPORADA

Titular nos dois compromissos mais recentes do time (Ceará 2×1 Palmeiras e Palmeiras 1×1 Vasco), Patrick de Paula havia lesionado a coxa direita no fim de 2020 e perdeu seis partidas nesse período, voltando em 27/12, pelo Brasileirão, e, logo em sua volta, diante do Red Bull Bragantino (vitória por 1 a 0 no Allianz Parque), foi o responsável por iniciar a construção da jogada que culminou no gol da vitória naquela partida: dominou bola de rebote na frente da zaga, na meia lua, acionou Gabriel Menino passando pela ponta que, por sua vez, lançou Luiz Adriano no centro da grande área para marcar de cabeça.

E também esteve presente, após sair do banco de reservas no segundo tempo, na partida mais recente do Verdão pela Copa do Brasil, em 30/12, diante do América-MG, jogo que valeu classificação à final do Nacional de mata-mata após vitória por 2 a 0, no Estádio Independência (Belo Horizonte-MG).

Antes de ser impedido de jogar devido à lesão, Patrick vinha de uma sequência de sete jogos até o início de dezembro, sendo que os últimos seis duelos foram como titular. Neste período, o jogador marcou duas vezes – justamente em seus dois mais recentes duelos pelo Verdão (em 28/11, na vitória por 3 a 0 sobre o Athletico-PR em casa, pelo Brasileiro, e 02/12, no jogo de volta das oitavas de final pela Libertadores contra o Delfín-EQU).

Patrick de Paula registrou no segundo semestre de 2020 suas três maiores sequências de titularidade: uma de seis jogos e duas de sete. No Brasileirão, disputou 21 das 32 partidas do time, sendo 20 como titular.

Incorporado ao elenco principal do Verdão em janeiro, a Cria da Academia disputa sua primeira Libertadores como profissional – nesta edição, já atuou três vezes e venceu todas: contra Guaraní-PAR, por 3 a 1 no Allianz Parque (fase de grupos), Bolívar-BOL, por 5 a 0, também no Allianz Parque (fase de grupos), e contra o Delfín-EQU, no jogo de ida das oitavas de final, sendo que em dois destes jogos o volante participou de gols do Verdão: no jogo contra o time paraguaio, pela segunda rodada, iniciou a construção da jogada, passando a bola para Dudu, que, por sua vez, concedeu a assistência para Luiz Adriano marcar o seu terceiro no jogo; e contra o time boliviano, também começou o lance do gol, encontrando Wesley, que concedeu passe para Rony marcar de cabeça na quinta rodada e fechar a goleada por 5 a 0.

O jogador, na atual temporada, é o terceiro colocado na lista de palmeirenses com mais interceptações de jogadas adversárias em 2020 (ou seja, quando o passe, lançamento ou cruzamento rival é impedido no meio do caminho) com 26 ao todo, atrás de Viña, com 28, e de Gabriel Menino, líder, com 30, e também aparece bem no quesito desarmes: é o quinto colocado do time na temporada, com 72 roubos de bola, atrás apenas de Gabriel Menino (81), de Viña (98), de Zé Rafael (104),  e do líder Marcos Rocha (112).

Autor do gol que abriu caminho para a vitória por 3 a 0 sobre o Athletico-PR pelo Brasileiro, em casa, no primeiro turno, e no jogo seguinte, na vitória por 5 a 0 diante do Delfín-EQU, também em casa (jogo que valeu classificação às quartas de Libertadores), o camisa 5 também havia marcado no empate por 1 a 1 com o Flamengo no primeiro turno do Nacional e feito os gols que garantiram as vitórias por 2 a 1 sobre o Santos, também pelo Brasileiro, e por 1 a 0 sobre a Ponte Preta, na semifinal do Paulista, o garoto de 21 anos foi o responsável pela quinta cobrança do Verdão na disputa de pênaltis na final do Paulista, garantindo o 23º título estadual da história do clube.

Captado pelo Palmeiras em 2017 quando atuava no futebol amador do Rio de Janeiro, sua cidade natal, Patrick fazia inicialmente a função de meia, mas assumiu o protagonismo na base quando passou a jogar mais recuado, como primeiro volante (atuou até improvisado como zagueiro em algumas partidas). Campeão brasileiro Sub-20 em 2018, faturou ainda a Copa do Brasil Sub-20 em 2019 e quatro títulos paulistas seguidos (2017, 2018 e 2019 pelo Sub-20 e 2020 pelo Profissional) no clube.

Gabriel Menino tem três gols pelo Palmeiras, todos eles marcados na Conmebol Libertadores (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

GABRIEL MENINO: CRIA DA ACADEMIA COM MAIS JOGOS EM 2020 E MAIS MINUTOS NO BRAISLEIRO E NA LIBERTADORES, GARÇOM DO TIME NA TEMPORADA E NO BRASILEIRO; TERCEIRO EM DRIBLES E EM PASSES PARA FINALIZAÇÕES GERAIS; LÍDER EM INTERCEPTAÇÕES

Gabriel Menino é a Cria da Academia que fez mais jogos na temporada (54, contra 43 de Patrick de Paula). No segundo semestre de 2020, ele chegou a emplacar uma sequência de 17 partidas de titularidade, também a maior de um prata da casa na temporada atual. Ele também é a Prata da Casa com mais minutos em campo na temporada atual (3905), no Brasileiro (1687) e na Libertadores (969).

Alçado ao elenco profissional no início de 2020, o jovem de 20 anos tem a polivalência como característica, tanto que já foi utilizado em todas as posições do meio-campo e como ala – inclusive, foi escalado na lateral direita em nove dos últimos 18 jogos em que atuou como titular e registrou cinco assistências, passando a ser o garçom isolado do Verdão na temporada atual, com nove passes ao todo, seguido de Rony e de Viña, ambos com oito. No Brasileiro, é o garçom da equipe, isolado, com seis passes a gol.

Na atual temporada, Menino aparece como o segundo que mais proporciona chutes a gol, com 57 assistências para finalizações, atrás só de Lucas Lima, com 67 (números do Footstats, que não incluem os passes que resultaram em bola na rede), o primeiro que mais intercepta jogadas adversárias (ou seja, quando o passe, lançamento ou cruzamento rival é impedido no meio do caminho) com 30 intervenções, seguido de Vinã, com 28; além disso, figura ainda no top 5 de jogadores do Palmeiras que mais desarmam na temporada, na quarta posição, com 84 roubos de bola, e é o terceiro do time em dribles na temporada, com 28 fintas, atrás de Rony, 30, e Zé Rafael (líder, com 39).

Contra o Bolívar-BOL, em setembro, o camisa 25 anotou o seu primeiro gol como profissional, selando a vitória por 2 a 1 em La Paz, e aparece como o terceiro jogador mais jovem a balançar a rede pelo Verdão na Libertadores: 19 anos, 11 meses e 16 dias, desbancando Keirrison, que em 2009 marcou contra o Real Potosí-BOL aos 20 anos, 1 mês e 26 dias – o recorde é de Gabriel Veron, que com 18 anos, um mês e 19 dias deixou sua marca contra o Tigre-ARG, em 21/10/2020, enquanto Gabriel Jesus é o segundo colocado com o gol aos 18 anos, 10 meses e 13 dias contra o River Plate-URU em 2016. Contra o Delfín-EQU, no duelo de ida das oitavas, no Equador (vitória por 3 a 1), o camsa 25 também deixou sua marca ao fazer o gol que abriu o placar – o fez novamente no jogo mais recente do time, pela Libertadores, vitória por 3 a 0 diante do Libertad-PAR, em casa – jogo este que valeu a classificação às semifinais do Continental, quando fechou a contagem em 3 a 0 – Menino agora soma três gols pelo Verdão, todos pela Libertadores.

Natural de Morungaba (SP), Menino foi captado pela base do Palmeiras em 2017, quando atuava no Guarani, e logo se destacou, inclusive sendo convocado para defender a Seleção Brasileira Sub-20 no Sul-Americano de 2019. Campeão brasileiro Sub-20 em 2018, faturou também a Copa do Brasil Sub-17 em 2017 e três títulos paulistas seguidos (2018 e 2019 pelo Sub-20 e 2020 pelo Profissional) no clube.

MARCOS ROCHA: LÍDER EM DESARMES E TERCEIRO EM PASSES PARA FINALIZAÇÕES NA TEMPORADA; TOP 5 EM INTERCEPTAÇÕES; TERCEIRO GARÇOM GERAL DO ATUAL ELENCO E VICE-GARÇOM DA HISTÓRIA DO ALLIANZ PARQUE

Preservado nos últimos dois jogos para a final da Libertadores, Marcos Rocha tem dado sua contribuição para o time palmeirense nos mais diversos setores do campo: defensivo e ofensivo, com desarmes, interceptações e até assistências para gols.

Responsável pela assistência em arremesso lateral para o gol de Gustavo Gómez no fim do primeiro tempo do jogo de ida pelas semifinais da Copa do Brasil contra o América-MG, em 23 de dezembro, quando o Verdão chegou ao gol e deixou tudo igual (depois se classificou no jogo de volta ao bater o Coelho por 2 a 0 fora de casa, garantindo vaga na final), Marcos Rocha chegou a 20 assistências desde que chegou ao Verdão em 2018 e, com este número, atualmente, é o terceiro garçom geral do elenco atual, atrás de Lucas Lima, com 21, e de Willian, com 22.

No Allianz Parque, palco do próximo duelo do Verdão, Rocha soma 12 assistências – no geral da recente história do estádio, com essa configuração atual, inaugurado em 2014, ele é o segundo maior garçom, atrás só de Dudu, com 35 assistências, seguido de Willian, com 11, de Róger Guedes de Robinho (ambos com 10) e de Lucas Lima (com nove). O camisa 2 foi o segundo maior garçom de 2019 ao lado de Gustavo Scarpa, ambos com sete passes a gol, atrás apenas de Dudu, com 18.

Além disso, Marcos Rocha é o líder do time em desarmes na atual temporada, com 112 bolas neutralizadas, seguido Zé Rafael, com 104 (números do Footstats) – em 2019, o camisa 2 fechou o Campeonato Brasileiro como o atleta que mais desarmou jogadas na competição, com 103 interceptações, à frente de Gregore, do Bahia, vice com 102, e do ex-palmeirense Diogo Barbosa, terceiro com 80.

Rocha também é o terceiro colocado em assistência para finalizações na temporada, com 54 passes para conclusões de jogadas, atrás só de Gabriel Menino, com 57, e do líder Lucas Lima, com 67 (números do Footstats que não incluem os passes que resultaram em bola na rede), além de ser o quinto colocado em interceptações, com 21 ações (ou seja, quando passes, lançamentos e cruzamentos são evitados no meio do caminho), atrás só de Gustavo Gómez (22), Patrick de Paula (26), Viña (28) e Gabriel Menino (30).

MAYKE: POLIVALENTE E TOP 10 EM INTERCEPTAÇÕES EM 2020

Titular nas duas partidas mais recentes do time após voltar de suspensão, Mayke vem dividindo o protagonismo da lateral-direita ao lado de Marcos Rocha. O camisa 12 tem a polivalência como uma de suas características, já que, nesta temporada, chegou a atuar improvisado algumas vezes como lateral-esquerdo e como meio-campista, como foi o caso, por exemplo, nas partidas diante do Ceará, em 18/11, pela Copa do Brasil (quando o lateral-esquerdo Viña estava com Covid e Lucas Esteves, reserva imediato, lesionado), diante do Goiás, pelo Brasileiro, em 21/11 (foi escalado como meio-campista) e em 21/11, diante do Delfín-EQU, pela Libertadores (quando atuou novamente na ala esquerda).

O jogador figura no top 10 de palmeirenses com mais interceptações em 2020, impedindo passes, cruzamentos ou lançamentos de adversários em 15 oportunidades (diferentemente de um desarme, quando a bola é roubada dos pés do jogador rival), ocupando a 8ª colocação, ao lado de Felipe Melo e Danilo. Completam o ranking: Zé Rafael (7º, com 18), Luan (6º, com 20), Marcos Rocha (5º, com 21), Gustavo Gómez (4º, com 22), Patrick de Paula (3º, com 26), Viña (2º, com 28) e Gabriel Menino (líder no quesito, com 30).

MATÍAS VIÑA: SEGUNDO EM INTERCEPTAÇÕES E EM ASSISTÊNCIAS; TERCEIRO EM DESARMES DO TIME NA TEMPORADA; JOGADOR DE LINHA COM MAIS MINUTOS NA LIBERTADORES

O lateral-esquerdo Matías Viña é o jogador de linha do elenco com mais minutos em campo na Libertadores 2020  (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

Preservado no duelo mais recente do time, diante do Ceará, no domingo (24), Viña é figura constantemente presente nas convocações da Seleção Uruguaia. O lateral-esquerdo do Verdão vem bem na temporada atual na estatística defensiva de interceptações (ou seja, quando o passe, lançamento ou cruzamento rival é impedido no meio do caminho). São 28 ao todo e, desta forma, aparecia como o segundo colocado no quesito, atrás só de Gabriel Menino (30). Além disso, é um dos jogadores com mais desarmes no atual elenco, sendo o terceiro colocado na temporada neste quesito, com 98 roubos de bola (atrás só de Zé Rafael, 104, e de Marcos Rocha, com 112).

Viña é dono de uma estatística curiosa. Apesar de ter jogado 11 vezes nesta Libertadores (um jogo a menos do que Weverton e Gustavo Gómez), Viña aparece com mais minutos em campo do que Gómez (atrás apenas de Weverton) e, com isso, é o jogador de linha que mais tempo esteve jogando pelo Verdão neste Continental: foram 1026 minutos, seguido de Gómez, com 1003; Weverton lidera com 1165.

Além dos atributos defensivos, o jogador também dá sua contribuição no ataque: fez o último gol na vitória por 3 a 0 no compromisso do Verdão fora de casa diante do River Plate-ARG, no último dia 05, pela CONMEBOL Libertadores, jogo de ida das semifinais do torneio continental – foi o seu segundo tento pelo Verdão e também na competição sul-americana (o gol foi importante para que o time se classificasse mesmo perdendo na volta por 2 a 0).

Além disso, por praticamente metade desta temporada, o uruguaio liderou o quesito de atleta com mais assistências no time na temporada atual. Entretanto, com três passes a gol recentes de Gabriel Menino (dois diante do Athletico-PR, vitória por 3 a 0, em 28/11, e outro sobre o RB Bragantino, em 27/12), e outro de Rony, foi ultrapassado e, agora, com oito passes a gol, é o segundo colocado em assistências gerais na temporada, ao lado de Rony (oito) e atrás só de Gabriel Menino (líder no quesito, com nove).

O uruguaio é um reforço que chegou neste ano do Nacional-URU e, apesar das poucas partidas pelo Verdão (43 ao todo), está na história do clube como o quinto uruguaio que mais defendeu a equipe em todos os tempos; completam a lista: Ventura Cambon (4º, com 53), Héctor Silva (3º, com 80), Villadoniga (2º, com 137) e Diogo (líder do ranking, com 146).

LUCAS ESTEVES: MULTICAMPEÃO NA BASE; TITULAR NO JOGO MAIS RECENTE DO BRASILEIRO

Titular do time na vitória mais recente do Verdão pelo Brasileiro fora de casa, diante do Sport, por 1 a 0, no último dia 09, após não atuar nos 11 jogos anteriores devido o retorno do companheiro de posição Matías Viña da Seleção Uruguaia, depois, de Covid-19, Lucas Esteves voltou a figurar na equipe no último domingo (25), revés por 2 a 1 para o Ceará fora de casa, após Gustavo Scarpa iniciar a partida na lateral esquerda (o jogador entrou e deu conta do recado) e, depois, entrou novamente no jogo mais recente do time, porém como atacante, improvisado na ponta-esquerda contra o Vasco, como titular (empate por 1×1 em casa) – a chance nessa nova posição, muito se deve, é claro, ao fato de o time principal ter sido preservado para a final da Libertadores.

Antes disso, Esteves havia tido sequência em novembro, quando enfrentou o Ceará, 18/11, Goiás, 21/11, e Delfín-EQU, 25/11 – na oportunidade, Viña estava com Covid-19. O lateral-esquerdo estreou pelo Palmeiras em março de 2019, pelo Campeonato Paulista, contra a Ponte Preta, no Allianz Parque, com vitória por 1 a 0 (gol de Raphael Veiga). Naquela ocasião, o técnico Luiz Felipe Scolari mandou a campo: Fernando Prass; Marcos Rocha, Edu Dracena, Vitão (Raphael Veiga, 25’/2ºT) e Diogo Barbosa; Jean e Thiago Santos; Felipe Pires, Lucas Lima e Zé Rafael (Lucas Esteves, 43’/2ºT); Carlos Eduardo (Leo Passos, 36’/1ºT).

Após ter treinado com frequência e ter estreado pelo time principal em 2019, o jogador ganhou oportunidade no time de cima novamente em 2020, quando foi definitivamente alçado ao elenco profissional do Verdão nesta temporada: as primeiras atuações do atleta já foram como titular em outubro, já que, naquela ocasião, o time vivia desfalques na posição com Viña na Seleção Uruguaia e as recentes saídas de Victor Luis (para o Botafogo) e Diogo Barbosa (Grêmio) – inclusive, logo depois que Mayke, lateral-direito de origem, fez a função de lateral-esquerdo improvisado pela primeira vez.

Foi então que Esteves surgiu como titular do Palmeiras diante do São Paulo, em 10/10, fazendo sua primeira partida em 2020 e a primeira de Campeonato Brasileiro pelo clube, e voltou a sair jogando no duelo seguinte, diante do Coritiba, em 14/10, no mesmo Allianz Parque, também pelo Brasileirão, mas acabou sendo substituído no primeiro tempo devido a uma lesão muscular. Após pouco mais de um mês de recuperação, o jogador voltou a atuar e emplacou a recente série de três partidas seguidas (diante do Ceará, 18/11, Goiás, 21/11, e Delfín-EQU, 25/11).

Mais uma Cria da Academia, o jogador está no Palmeiras desde 2014, quando passou a integrar o elenco Sub-15, o jovem de 20 anos foi um dos destaques de uma geração que conquistou títulos inéditos e importantes pela base do clube, como a Copa do Brasil Sub-17 (2017), o Brasileiro Sub-20 (2018), a Copa RS Sub-20 (2018), a Copa do Brasil Sub-20 (2019) e o Bi Paulista Sub-20 (2018 e 2019), além de dezenas de taças no exterior. Em 2019, pelo Sub-20, Esteves disputou 38 partidas e marcou sete gols.

GUSTAVO GÓMEZ: A UM GOL DE ENTRAR PARA LISTA DE ZAGUEIROS COM MAIS TENTOS NESTE SÉCULO E TOP 5 EM INTERCEPTAÇÕES EM 2020; JOGADOR DE LINHA COM MAIS MINUTOS NA TEMPORADA 2020

Gómez soma 109 jogos pelo Verdão e, com isso, integra um seleto grupo de jogadores com 100 ou mais jogos que atuaram pelo Alviverde. São eles: Raphael Veiga (101, mais novo integrante desta lista), Gustavo Scarpa (110), Mayke (112), Luan (124), Marcos Rocha (137), Weverton (150), Lucas Lima (157), Felipe Melo (172) e Willian (211). Ele é o jogador, ao lado de Weverton, com mais partidas na Libertadores 2020 (atuou nos 12 jogos possíveis).

Gómez atuou em 50 dos 68 jogos do Verdão na temporada atual e ficou no top 5 de jogadores com mais interceptações na temporada, na quarta colocação (ou seja, quando o passe, lançamento ou cruzamento rival é impedido no meio do caminho) com 22, intervenções, atrás só de Patrick de Paula, com 26, de Viña, com 28, e de Gabriel Menino, líder, com 30.

Na temporada de 2020, dentre os palmeirenses, Gustavo Gómez aparece como o jogador de linha que tem mais tempo em campo: somando os minutos do Paulista, da Copa do Brasil, da Libertadores e do Brasileiro, além dos amistosos (Florid Cup), são 4145 minutos em campo – tempo este que nenhum outro jogador de linha time passou em atividade. Apenas o goleiro Weverton supera Gómez neste quesito: 5883 minutos ao todo.

No ataque, o zagueiro também tem dado a sua contribuição. Com 13 gols pela agremiação palestrina desde que chegou (sendo o 7º artilheiro do atual elenco, atrás só de Willian, com 56, de Luiz Adriano, com 27, Raphael Veiga, 25 de Veiga e Gustavo Scarpa, com 22, e à frente de Felipe Melo e de Zé Rafael, ambos com 12), o paraguaio está a uma bola na rede do top 5 de estrangeiros com mais gols pelo Palmeiras na era dos pontos corridos do Brasileirão: é o sexto da lista, com seis tentos (ao lado compatriota Lucas Barrios, do colombiano Mina e do venezuelano Guerra), um a menos do que o atacante argentino Gioino, com sete – completam a lista o também argentino Cristaldo, com nove; o colombiano Borja, com dez; mais um argentino, Barcos, com 14; e o chileno Valdivia, com 15. O zagueiro, aliás, nunca passou uma temporada em branco desde que chegou ao Palmeiras: além de cinco gols de 2020, marcou cinco vezes em 2019 e outras três vezes em 2018.

No geral, com seus 13 gols, Gómez precisa de apenas mais uma bola na rede para entrar no top 10 de zagueiros-artilheiros do Verdão em todos os tempos, igualando Nen e Henrique na 9ª posição (ambos com 14 gols). Completam o ranking Júnior Baiano e Roque Júnior (16 gols), Daniel (18), Bianco Gambini (20), Cléber (21), Vágner Bacharel (22), Loschiavo (33) e Luis Pereira (36).

O paraguaio teve Felipe Melo como seu companheiro de zaga mais frequente em 2020: 20 jogos, 12 vitórias, sete empates e somente uma derrota, com apenas nove gols sofridos (média de 0,45 gol sofrido por partida). Já a zaga Gómez e Luan foi derrotada só uma vez no ano (19 partidas, 12 vitórias, seis empates, uma derrota e apenas dez gols sofridos) e tem retrospecto geral de 58 jogos, 37 vitórias, 15 empates e só seis derrotas, com 28 gols sofridos (média de 0,48 gol sofrido por partida).

No dia 21 de novembro, quando o técnico Abel Ferreira escalou uma linha defensiva composta por três zagueiros, Gómez iniciou uma partida ao lado de Renan e de Emerson Santos pela primeira vez e, nos dois jogos seguintes, contra o Delfín-EQU, vitória por 3 a 1 fora de casa pelo jogo de ida das oitavas de final da Libertadores, e mais recentemente Athletico-PR, no triunfo por 3 a 0 em casa pelo Brasileiro, o time voltou a ter uma dupla de zaga no esquema tático e Gómez fez parceria com Emerson Santos, algo que voltou a acontecer no empate por 1 a 1 contra o América-MG pela Copa do Brasil, em casa  portanto, ao lado do camisa 3 são quatro jogos, duas vitórias, duas derrotas e três gols sofridos.

Em 2019, Gómez e Luan atingiram a expressiva marca de 1081 minutos consecutivos sem sofrer gols (sem considerar os acréscimos), segunda maior sequência instransponível de uma dupla de zagueiros na história do Palmeiras – o recorde ainda pertence a Marcio e Vágner Bacharel, que, em 1987, garantiram que o time ficasse sem levar gols por exatos 1.148 minutos (sem acréscimos). Um ano antes, durante a campanha do decacampeonato brasileiro de 2018, eles já haviam contribuído para estabelecer o recorde palmeirense de menos gols sofridos na história do Brasileirão de pontos corridos: apenas 26 tentos tomados (a marca anterior era de 32, na caminhada do título de 2016).

Com Kuscevic, na vitória do Verdão pelo Brasileiro por 3 a 0 sobre o Bahia, em 12/12, Gómez protagonizou dupla de zaga inédita. O duelo diante do Tricolor foi o primeiro no qual o time iniciou a escalação com uma dupla de zaga gringa (formada pelo paraguaio Gustavo Gómez e pelo chileno Benjamin Kuscevic) – e não sofreu nenhum gol. Antes disso, a última zaga estrangeira havia sido formada pelo argentino Tobio e pelo uruguaio Victorino, em setembro de 2014 – vitória por 1 a 0 sobre o Criciúma-SC no Pacaembu, com gol de Cristaldo. Essa foi a única vez até aqui em que Gómez e Kuscevic jogaram juntos iniciando uma partida – sendo essa a primeira dupla de zaga estrangeira da história do Allianz Parque, inaugurado em novembro de 2014.

FELIPE MELO: DE VOLTA COMO TITULAR, CAPITÃO, E SEGUNDO JOGADOR DO ELENCO COM MAIS JOGOS E VITÓRIAS; SÉTIMO EM TRIUNFOS NO SÉCULO

Sem atuar desde 08/11/2020, quando sofreu fratura no tornozelo esquerdo e precisou passar por cirurgia, na vitória sobre o Vasco por 1 a 0 em São Januário pelo Campeonato Brasileiro, Felipe Melo, recuperado de lesão, retornou ao time no último dia 18, no clássico por 4 a 0 diante do Corinthians após ter sido relacionado para o banco de reservas (mas não entrou em campo), porém, só entrou em campo no jogo mais recente do time, no último domingo (24), diante do Ceará. A primeira vez em que entrou como titular, entretanto, foi no compromisso mais recente do time, contra o Vasco, empate por 1 a 1 no Allianz Parque, na última terça-feira (26).

Apesar do tempo longe dos gramados, ele segue como o atleta que mais vezes vestiu a braçadeira de capitão na temporada: foram 30 vezes iniciando uma partida com o adereço do autoridade máxima em seu braço, seguido de Gustavo Gómez, com 17.

Segundo jogador do atual elenco com mais vitórias com a camisa alviverde, Felipe Melo chegou a 106 triunfos pelo Palmeiras em seu último jogo e, com isso ocupa a sétima colocação na lista dos que mais venceram pelo clube neste século, atrás apenas de Willian (6º, com 115), Márcio Araújo (5º colocado com 118), Valdivia (4º com 122), Fernando Prass (3º com 151), Dudu (2º com 174) e Marcos (1º com 182).

Do atual elenco, Felipe Melo é o vice-líder em jogos, com 172 partidas, atrás só de Willian (211). Na semifinal do Paulista diante da Ponte Preta, quando alcançou sua 155ª partida pela equipe, ele fez do Palmeiras o clube que mais defendeu na carreira (pelo Galatasaray-TUR, foram 154). Além disso, o defensor ocupa a quarta colocação entre os palmeirenses que mais atuaram no Allianz Parque com 75 jogos, ao lado de Vitor Hugo, e atrás só de Willian e Fernando Prass (empatados em 2º, com 86) e de Dudu (1º com 127).

Felipe Melo tem 172 partidas e 106 vitórias pelo clube (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

Recuado para a zaga no início de 2020, o camisa 30, no último compromisso do Verdão atuou, quando se lesionou, havia sido volante pela quarta vez na temporada (de forma consecutiva – mesma posição em que atuou no último dia 24, contra o Ceará e, depois, novamente, contra o Vasco, no jogo mais recente do time, no dia 26, terça).

Como volante na temporada atual, logo no primeiro duelo em que voltou a atuar contra Red Bull Bragantino (pelo jogo de ida das quartas de final da Copa do Brasil), no dia 29 de outubro, algumas partidas antes da lesão. Na oportunidade, o jogador já registrou sua primeira assistência no ano: lançamento para o gol de Wesley, o segundo na vitória por 3 a 1. E no duelo seguinte, frente o Atlético-MG, pelo Brasileiro, em 02 de novembro, também participou de um dos gols, após iniciar a jogada do primeiro tento da partida – foi dos pés dele que a bola encontrou Wesley que, em seguida, tocou para Zé Rafael, do meio-campo, ajeitar para a esquerda para o uruguaio Viña – este, por sua vez, concedeu a assistência ao camisa 23, que mergulhou de cabeça para abrir o placar.

Uma estatística do Pitbull, aliás, chama a atenção: apesar do tempo fora, ele está no top 10 dentre jogadores do elenco que mais interceptam jogadas em 2020 (ou seja, quando o passe, lançamento ou cruzamento rival é impedido no meio do caminho), com 17 ações, na oitava colocação, ao lado de Danilo e de Mayke, e atrás só de Zé Rafael (7º, com 18), Luan (6º, com 20), Marcos Rocha (5º, com 21), Gustavo Gómez (4º, com 22), Patrick de Paula (3º, com 26), Viña (2º, com 28) e Gabriel Menino (líder no quesito, com 30);

LUAN: TOP 10 DE PALMEIRENSES COM MAIS INTERCEPTAÇÕES NA TEMPORADA ATUAL; TITULAR EM NOVE DOS ÚLTIMOS 13 JOGOS; JOGADOR PALMEIRENSE DE LINHA COM MAIS MINUTOS NO BRASILEIRÃO

Titular em nove dos últimos 14 jogos do time (ficou de fora dos últimos dois duelos, pois foi preservado para a final da Libertadores), Luan aparece na temporada atual no top 10 de interceptações no ano (ou seja, quando passes, lançamentos e cruzamentos são evitados no meio do caminho) com 20 ações ao todo, ocupando a sexta posição, atrás só de Marcos Rocha (5º, com 21), Gustavo Gómez (4º, com 22), Patrick de Paula (3º, com 26), Viña (2º, com 28) e Gabriel Menino (líder no quesito, com 30); Mayke, Danilo e Felipe Melo estão empatados em oitavos, com 17 e, com isso, fecham o top 10.

O camisa 13 é um dos atletas do elenco que já ultrapassaram a marca de 100 jogos pelo clube (são 124 ao todo), atrás apenas de Marcos Rocha, com 137, Weverton, com 150, Lucas Lima, com 157, Felipe Melo, com 172, e Willian, com 211, e à frente de Raphael Veiga, com 101, mais novo integrante deste grupo, Gustavo Gómez (109), Gustavo Scarpa (110) e Mayke (112). No Brasileirão 2020, Luan soma 1709 minutos em campo em 24 partidas, sendo o líder dentre os atletas de linha em minutos em campo, seguido de Gabriel Menino (1687) – neste quesito, apenas o goleiro Weverton supera o camisa 13: 2167 minutos em campo no Nacional.

Luan formou a zaga com Felipe Melo só três vezes (uma vitória, duas derrotas e quatro gols sofridos), enquanto que, ao lado de Gustavo Gómez, Luan perdeu só uma vez no ano – 2 a 0 para o Inter no Beira Rio (19 partidas, 12 vitórias, seis empates, uma derrota e apenas dez gols sofridos) e tem retrospecto geral de 58 jogos, 37 vitórias, 15 empates e só seis derrotas, com 28 gols sofridos (média de 0,48 gol sofrido por partida).

Em 2019, Luan e Gómez atingiram a expressiva marca de 1081 minutos consecutivos sem sofrer gols (sem considerar os acréscimos), segunda maior sequência instransponível de uma dupla de zagueiros na história do Palmeiras – o recorde ainda pertence a Marcio e Vágner Bacharel, que, em 1987, garantiram que o time ficasse sem levar gols por exatos 1.148 minutos (sem acréscimos). Um ano antes, durante a campanha do decacampeonato brasileiro de 2018, eles já haviam contribuído para estabelecer o recorde palmeirense de menos gols sofridos na história do Brasileirão de pontos corridos: apenas 26 tentos tomados (a marca anterior era de 32, na caminhada do título de 2016).

Com Emerson Santos, Luan formou dupla titular uma única vez, na vitória por 3 a 1 sobre o Junior Barranquilla-COL pela Libertadores de 2018. Eles jogaram juntos também em parte dos amistosos contra Deportivo Árabe Unido-PAN e Liga Alajuelense-COS, em 2018, e contra o Atlético Nacional-COL, pela Florida Cup 2020, todos sem sofrer gols. Ao lado de Alan Empereur, atuou três vezes: em 05/12/2020, diante do Santos (empate por 2 a 2 fora de casa, pelo Brasileiro), em 27/12/2020 (vitória por 1 a 0 sobre o Bragantino, em casa, pelo Brasileiro) e em 15/01/2021 (empate com o Grêmio por 1 a 1). Com Kuscevic, são dois jogos: uma vitória e um revés (Luan atuou pela primeira vez lado a lado do chileno no último dia 09, vitória por 1 a 0 sobre o Sport, fora de casa, pelo Brasileiro, e voltou a jogar no revés diante do Flamengo, como visitante, no Mané Garrincha, por 2 a 0). Já com Renan, jamais atuou iniciando um duelo.

WEVERTON: 150 JOGOS PELO VERDÃO; JOGADOR DO TIME COM MAIS MINUTOS EM CAMPO NA TEMPORADA, NO BRASILEIRO E NA LIBERTADORES; RECORDES ALCANÇADOS

Atleta que soma mais minutos em campo na temporada atual (5483), Weverton atuou em 61 dos 68 jogos do Palmeiras no ano e, neste quesito, só perde para Willian, presente em 62 dos 68 compromissos do time alviverde. No Brasileiro, Weverton soma 2167 minutos, sendo o líder no quesito, seguido do zagueiro Luan (1709). Na Libertadores, atuou em todos os 12 jogos possíveis até aqui, assim como Gustavo Gómez, e é o líder em minutos em campo no Continental, com 1165 minutos em campo, seguido de Viña, com 1026, e de Gustavo Gómez, com 1003.

Na partida mais recente do Verdão em que esteve em campo, em 21/01/2021, pelo Brasileirão, diante do Flamengo, Weverton ampliou ainda mais sua marca como 10º goleiro que mais jogou pelo Verdão em todos os tempos, ao ter chegado a 150 jogos pelo Palmeiras desde que estreou pelo clube em 2018 – o ranking é encabeçado por Leão, com 621 jogos, seguido por Marcos (533), Valdir de Morais (480), Velloso (458), Oberdan (353), Sérgio (333), Gilmar (290), Fernando Prass (274) e Primo (185).

Este não é o único top 10 do qual Weverton passou a fazer parte na temporada atual. Ele também está entre os dez que mais jogaram no Palestra Italia/Allianz Parque em todos os tempos: são 62 jogos. Completam a lista: Valdir de Morais, 9º, com 63 jogos; Nascimento, 8º, com 67 jogos; Jurandyr, 7º, 74 jogos; Fernando Prass, 6º, com 86 jogos; Primo, 5º, com 90 jogos; Sérgio, 4º, com 131 jogos; Leão, 3º, com 137 jogos; Velloso, 2º, com 153 jogos; e Marcos, líder em jogos do Palestra Italia, com 212 jogos.

Este, inclusive, não foi o primeiro feito numérico surpreendente alcançado por Weverton na temporada atual. Recentemente, o goleiro bateu uma marca que não era atingida havia 23 anos: chegou à terceira temporada consecutiva com 20 ou mais jogos sem sofrer gols, algo que não acontecia desde que Velloso não foi vazado por 28 partidas em 1995, 24 em 1996 e 27 em 1997. Em 2018, seu ano de estreia, e 2019, Weverton ficou por 21 e 26 jogos, respectivamente, sem ser vazado, e temporada 2020 já são 29 duelos: número que, aliás, é o recorde de um goleiro com mais partidas sem sofrer gols dentro de uma única temporada no Século XXI.

Com um total de 77 jogos sem levar gols desde que chegou ao Verdão, ele fica na terceira posição do ranking de goleiros com mais jogos sem ser vazado neste século, atrás apenas de Marcos (107) e Fernando Prass (101).

O camisa 21 (usa a 1 na Libertadores) ainda ostenta a terceira menor média de gols sofridos na história do Palmeiras. Vazado apenas 97 vezes em 150 jogos, o jogador tem índice de 0,64 gol por partida, atrás só do paraguaio Benítez, com 0,54 (13 gols sofridos em 24 jogos em 1978), e do também paraguaio Gato Fernández, com 0,62 (22 gols em 35 jogos em 1994). São considerados somente goleiros com ao menos dez jogos disputados pelo clube.

O goleiro Weverton ostenta uma série de números positivos pelo Verdão (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

JAILSON: CAMPEÃO PAULISTA, DA COPA DO BRASIL E BI BRASILEIRO; 3ª MENOR MÉDIA DE GOLS SOFRIDOS NA HISTÓRIA DOS PONTOS CORRIDOS DA SÉRIE A E 4º JOGADOR MAIS EXPERIENTE DO BRASILEIRÃO

No Palmeiras desde 2014, Jailson, titular nos dois jogos mais recentes do time (Ceará 2×1 Palmeiras no último domingo, 24, e Palmeiras 1×1 Vasco, em casa, na última terça, 26) é o atleta mais antigo do elenco palmeirense – no Alviverde, o jogador já conquistou três títulos nacionais (Copa do Brasil de 2015 e Brasileiros de 2016 e de 2018), além do Paulista de 2020. Na Libertadores, esta é a quinta edição seguida para a qual o goleiro é inscrito para representar o Palmeiras. As outras foram 2016, 2017, 2018 e 2019, sendo que, em campo, Jailson esteve presente em duas delas: 2017 (uma partida, vitória por 1 a 0 sobre o Barcelona de Guayaquil-EQU e defendeu pênalti na disputa por penais, apesar da eliminação) e em 2018 (cinco jogos, com quatro vitórias e um empate). Desta forma, Jailson acumula, ao todo, seis jogos no Continental, com cinco vitórias, um empate e apenas dois gols sofridos – ou seja, está invicto!

Na atual temporada, Jailson atuou em nove partidas (três vitórias, três empates, três derrotas e seis gols sofridos): contra o Atletico Nacional-COL, empate em 0 a 0, e New York City-EUA, vitória alviverde por 2 a 1, ambas pela Florida Cup, no início da temporada – na primeira, além da ótima atuação, defendeu pênalti na decisão que valia ponto extra (ao final, o Verdão sagrou-se campeão com um ponto de vantagem sobre os colombianos); depois, participou de mais três jogos pelo Brasileiro, diante do Fluminense (1 a 1 fora de casa, na estreia do Verdão no Nacional), Botafogo (revés por 2 a 1 no Engenhão), São Paulo (derrota por 2 a 0 no Allianz Parque); diante do Ceará, na vitória por 3 a 0 pela Copa do Brasil, no último dia 11 e, por último, outra vez contra o Fluminense, pelo segundo do Brasileiro, no último dia 14 (essas duas mais recentes no Allianz Parque). Mais recentemente, esteve em campo nos dois jogos mais recentes do time, diante do Ceará (revés por 2 a 1 fora de casa) e do Vasco (empate por 1 a 1 em casa).

Vale ressaltar que, reforço vindo do Ceará em 2014, Jailson só jogou a Série A pela primeira vez no Verdão, em 2016, já veterano, com 35 anos completos.  Desta forma, sagrou-se Campeão Brasileiro de 2016 sem perder nenhuma vez em 19 partidas e ainda levando a Bola de Prata. Jailson, aliás, só foi conhecer sua primeira derrota pela competição em 2018, após 27 duelos invictos, fato que lhe rendeu o segundo lugar no ranking dos jogadores que tiveram as maiores invencibilidades no Brasileirão pelo Palmeiras em todos os tempos, superando craques como Ademir da Guia, Eurico, Leão, Ronaldo e Zeca, todos com 26, e ficando atrás apenas de Edu Bala, que registra incríveis 34 jogos consecutivos sem reveses no Brasileiro.

O guarda-redes ostenta uma curiosa estatística: ele detém a terceira menor média de gols sofridos dos pontos corridos. Em jogos do Nacional, foram, ao todo, 41 tentos sofridos em 47 partidas, média de 0,87 por jogo. Considerando apenas o período em que o Campeonato Brasileiro é disputado no sistema de pontos corridos, Jailson só fica atrás dos goleiros Marcelo Grohe, com média de 0,81 (167 gols sofridos em 205 partidas por qualquer clube) e Walter, média de 0,74 (43 gols sofridos em 58 partidas da Série A).

Na atual edição do Nacional, o arqueiro palmeirense ocupa o quarto posto de jogador mais experiente do Brasileirão, com 39 anos e sete meses, ao lado do meia Nenê, do Fluminense. Ambos só ficam atrás do meia argentino Lucho González, do Athletico-PR, com exatos 40 anos, do atacante Ricardo Oliveira, do Coritiba, com 40 anos e 11 meses, e do goleiro Fernando Prass, do Ceará, com 42 anos e sete meses.

Campeão da Copa do Brasil em 2015 pelo Palmeiras, Jailson – único remanescente daquele grupo – está disputando a competição nacional pela sexta vez no clube alviverde. Nas cinco edições anteriores, só não entrou em campo justamente na mais recente. Em 2015, atuou contra o Sampaio Corrêa-MA (empate por 1 a 1 em São Luis-MA); em 2016, jogou diante do Botafogo-PB (vitória por 3 a 0 no Allianz Parque) e duas vezes contra o Grêmio (revés por 2 a 1 fora e empate por 1 a 1 em casa); em 2017, enfrentou o Cruzeiro (vitória por 2 a 1 no Independência); e em 2018, atuou nos dois jogos frente o América-MG (2 a 1 no Independência e 1 a 1 no Allianz Parque). Na atual edição, jogou diante do Ceará, seu ex-clube, empate por 2 a 2 na Arena Castelão, no jogo que valeu classificação ao Palmeiras.

HISTÓRICO DO ELENCO

> GOLEIROS

22. JAILSON

> 86 Jogos (78 como titular) pelo Palmeiras
> 9 jogos (7 como titular) na temporada 2020
> 6 jogos (6 como titular) no Brasileiro 2020
> Ainda não jogou pela Libertadores 2020
> 1 jogo (1 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 17/01/2015 – Palmeiras 3×1 Shandong Luneng-CHI – Amistoso
Último jogo: 26/01/2021 – Palmeiras 1×1 Vasco – Brasileiro
Último como titular: 26/01/2021 – Palmeiras 1×1 Vasco – Brasileiro

24. VINICIUS SILVESTRE

> 1 jogo (como titular) pelo Palmeiras
> Ainda não jogou na temporada de 2020
> Ainda não jogou no Brasileiro 2020
> Ainda não jogou pela Libertadores 2020
Estreia: 29/10/2016 – Santos 1×0 Palmeiras – Brasileiro
Último jogo: 29/10/2016 – Santos 1×0 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 29/10/2016 – Santos 1×0 Palmeiras – Brasileiro

1. WEVERTON

> 150 jogos (150 como titular) pelo Palmeiras
> 61 jogos (61 como titular) na temporada 2020
> 26 jogos (26 como titular) no Brasileiro 2020
> 12 jogos (12 como titular) pela Libertadores 2020
> 5 jogos (5 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 11/03/2018 – Ituano 0x3 Palmeiras – Campeonato Paulista
Último jogo: 21/01/2021 – Flamengo 2×0 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 21/01/2021 – Flamengo 2×0 Palmeiras – Brasileiro

> ZAGUEIROS

6. ALAN EMPEREUR

> 12 jogos (7 como titular) pelo Palmeiras
> 12 jogos (7 como titular) na temporada de 2020
> 8 jogos (5 como titular) pelo Brasileiro 2020
> 3 jogos (2 como titular) pela Libertadores
> 1 jogo (0 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 11/11/2020 – Palmeiras 3×0 Ceará – Copa do Brasil
Último jogo: 26/01/2021 – Palmeiras 1×1 Vasco – Brasileiro
Último como titular: 26/01/2021 – Palmeiras 1×1 Vasco – Brasileiro

4. BENJAMÍN KUSCEVIC

> 8 jogos (5 como titular) pelo Palmeiras
> 8 jogos (5 como titular) na temporada de 2020
> 7 jogos (5 como titular) pelo Brasileiro 2020
> 1 jogo (0 como titular) pela Libertadores 2020
> Ainda não jogou pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 05/12/2020 – Santos 2×2 Palmeiras – Brasileiro
Último jogo: 26/01/2021 – Palmeiras 1×1 Vasco – Brasileiro
Último como titular: 26/01/2021 – Palmeiras 1×1 Vasco – Brasileiro

3. EMERSON SANTOS

> 25 jogos (14 como titular) pelo Palmeiras
> 21 jogos (13 como titular) na temporada 2020
> 11 jogos (9 como titular) no Brasileiro 2020
> 6 jogos (1 como titular) pela Libertadores 2020
> 3 jogos (3 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 03/05/2018 – Alianza Lima-PER 1×3 Palmeiras – Libertadores
Último jogo: 24/01/2021 – Ceará 2×1 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 14/11/2020 – Palmeiras 2×0 Fluminense – Brasileiro

15. GUSTAVO GÓMEZ

> 109 Jogos (106 como titular), 13 gols e 1 assistência pelo Palmeiras
> 50 jogos (49 como titular), 5 gols e 1 assistência na temporada 2020
> 18 jogos (18 como titular), 1 gol e 1 assistência no Brasileiro 2020
> 12 jogos (12 como titular) e 2 gols pela Libertadores 2020
> 5 jogos (4 como titular) e 1 gol pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 12/08/2018 – Palmeiras 1×0 Vasco – Brasileiro
Último jogo: 24/01/2021 – Ceará 2×1 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 14/11/2020 – Palmeiras 2×0 Fluminense – Brasileiro

13. LUAN

> 124 jogos (111 como titular), 5 gols e 1 assistência pelo Palmeiras
> 42 jogos (30 como titular) na temporada 2020
> 24 jogos (20 como titular) no Brasileiro 2020
> 7 jogos (4 como titular) pela Libertadores 2020
> 3 jogos (3 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 18/06/2017 – Bahia 2×4 Palmeiras – Brasileiro
Último jogo: 21/01/2021 – Flamengo 2×0 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 21/01/2021 – Flamengo 2×0 Palmeiras – Brasileiro

26. RENAN

> 7 jogos (6 como titular) pelo Palmeiras
> 7 jogos (6 como titular) na temporada 2020
> 4 jogos (4 como titular) no Brasileiro 2020
> 1 jogo (0 como titular) pela Libertadores 2020
> 2 jogos (2 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 14/10/2020 – Palmeiras 1×3 Coritiba – Brasileiro
Último jogo: 26/01/2021 – Palmeiras 1×1 Vasco – Brasileiro
Último como titular: 26/01/2021 – Palmeiras 1×1 Vasco – Brasileiro

> LATERAIS

2. MARCOS ROCHA

> 137 jogos (131 como titular), 6 gols e 20 assistências pelo Palmeiras
> 45 jogos (41 como titular), 2 gols e 5 assistências na temporada 2020
> 19 jogos (15 como titular) no Brasileiro 2020
> 8 jogos (8 como titular) e 1 assistência pela Libertadores 2020
> 4 jogos (4 como titular) e 1 assistência pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 18/01/2018 – Grêmio Novorizontino 0x3 Palmeiras – Campeonato Paulista
Último jogo: 21/01/2021 – Flamengo 2×0 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 21/01/2021 – Flamengo 2×0 Palmeiras – Brasileiro

12. MAYKE

> 112 jogos (93 como titular), 2 gols e 8 assistências pelo Palmeiras
> 30 jogos (17 como titular) e 1 assistência na temporada 2020
> 17 jogos (13 como titular) e 1 assistência no Brasileiro 2020
> 4 jogos (1 como titular) pela Libertadores 2020
> 3 jogos (1 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 27/05/2017 – São Paulo 2×0 Palmeiras – Brasileiro
Último jogo: 26/01/2021 – Palmeiras 1×1 Vasco – Brasileiro
Último como titular: 26/01/2021 – Palmeiras 1×1 Vasco – Brasileiro

16. LUCAS ESTEVES

> 9 jogos (4 como titular) pelo Palmeiras
> 8 jogos (4 como titular) na temporada de 2020
> 6 jogos (4 como titular) no Brasileiro 2020
> 1 jogo (0 como titular) pela Libertadores 2020
> 1 jogo (0 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Último jogo: 26/01/2021 – Palmeiras 1×1 Vasco – Brasileiro
Último como titular: 26/01/2021 – Palmeiras 1×1 Vasco – Brasileiro

17. MATÍAS VIÑA
> 43 jogos (42 como titular), 2 gols e 8 assistências pelo Palmeiras
> 43 jogos (42 como titular), 2 gols e 8 assistências na temporada 2020
> 21 jogos (21 como titular) e 3 assistências no Brasileiro 2020
> 11 jogos (11 como titular), 2 gols e 3 assistências pela Libertadores 2020
> 4 jogos (3 como titular) e 1 assistência pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 16/02/2020 – Palmeiras 3×1 Mirassol – Campeonato Paulista
Último jogo: 21/01/2021 – Flamengo 2×0 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 21/01/2021 – Flamengo 2×0 Palmeiras – Brasileiro

> MEIO-CAMPISTAS

28. DANILO

> 30 jogos (16 como titular), 1 gol e 2 assistências pelo Palmeiras
> 30 jogos (16como titular), 1 gol e 2 assistências na temporada de 2020
> 16 jogos (7 como titular) no Brasileiro 2020
> 10 jogos (7 como titular), 1 gol e 2 assistências pela Libertadores 2020
> 4 jogos (2 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 06/09/2020 – Red Bull Bragantino 1×2 Palmeiras – Brasileiro
Último jogo: 21/01/2021 – Flamengo 2×0 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 21/01/2021 – Flamengo 2×0 Palmeiras – Brasileiro

30. FELIPE MELO

> 172 jogos (164 como titular), 12 gols e 6 assistências pelo Palmeiras
> 33 jogos (32 como titular), 1 gol e 1 assistência na temporada 2020
> 11 jogos (10 como titular) no Brasileiro 2020
> 5 jogos (5 como titular) pela Libertadores 2020
> 2 jogos (2 como titular) e 1 assistência pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 21/01/2017 – Chapecoense 1×1 Palmeiras – Amistoso
Último jogo: 26/01/2021 – Palmeiras 1×1 Vasco – Brasileiro
Último como titular: 26/01/2021 – Palmeiras 1×1 Vasco – Brasileiro

25. GABRIEL MENINO

> 54 jogos (47 como titular), 3 gols e 9 assistências pelo Palmeiras
> 54 jogos (47 como titular), 3 gols e 9 assistências na temporada de 2020
> 25 jogos (24 como titular) e 6 assistências no Brasileiro 2020
> 12 jogos (10 como titular), 3 gols e 1 assistência pela Libertadores 2020
> 4 jogos (4 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 15/01/2020 – Palmeiras 0x0 Atlético Nacional de Medellín-COL – Florida Cup
Último jogo: 24/01/2021 – Ceará 2×1 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 14/11/2020 – Palmeiras 2×0 Fluminense – Brasileiro

14. GUSTAVO SCARPA

> 110 jogos (59 como titular), 22 gols e 15 assistências pelo Palmeiras
> 39 jogos (14 como titular), 3 gols e 6 assistências na temporada de 2020
> 20 jogos (5 como titular) e 3 assistências no Brasileiro 2020
> 6 jogos (5 como titular) e 3 assistências pela Libertadores 2020
> 5 jogos (2 como titular) 1 gol pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 29/10/2020 – Red Bull Bragantino 1×3 Palmeiras – Copa do Brasil
Último jogo: 26/01/2021 – Palmeiras 1×1 Vasco – Brasileiro
Último como titular: 26/01/2021 – Palmeiras 1×1 Vasco – Brasileiro

20. LUCAS LIMA

> 157 jogos (108 como titular), 10 gols e 21 assistências pelo Palmeiras
> 50 jogos (34 como titular), 2 gols e 5 assistências na temporada de 2020
> 26 jogos (19 como titular) e 2 assistências no Brasileiro 2020
> 4 jogos (3 como titular) pela Libertadores 2020
> 5 jogos (2 como titular) e 1 assistência pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 18/01/2018 – Palmeiras 3×1 Santo André – Campeonato Paulista
Último jogo: 26/01/2021 – Palmeiras 1×1 Vasco – Brasileiro
Último como titular: 26/01/2021 – Palmeiras 1×1 Vasco – Brasileiro

5. PATRICK DE PAULA

> 43 jogos (32 como titular), 5 gols e 1 assistência pelo Palmeiras
> 43 jogos (32 como titular), 5 gols e 1 assistência na temporada de 2020
> 22 jogos (18 como titular), 3 gols e 1 assistência no Brasileiro 2020
> 5 jogos (4 como titular) e 1 gol pela Libertadores 2020
> 3 jogos (1 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 15/01/2020 – Palmeiras 0x0 Atlético Nacional de Medellín-COL – Florida Cup
Último jogo: 26/01/2021 – Palmeiras 1×1 Vasco – Brasileiro
Último como titular:
 14/11/2020 – Palmeiras 2×0 Fluminense – Brasileiro

23. RAPHAEL VEIGA

> 101 jogos (56 como titular), 25 gols e 4 assistências pelo Palmeiras
> 48 jogos (34 como titular), 18 gols e 2 assistências na temporada de 2020
> 20 jogos (17 como titular), 11 gols e 1 assistência no Brasileiro 2020
> 9 jogos (5 como titular), 2 gols e 1 assistência pela Libertadores 2020
> 6 jogos (6 como titular) e 4 gols pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 21/01/2017 – Chapecoense 2×2 Palmeiras – Amistoso
Último jogo: 21/01/2021 – Flamengo 2×0 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 21/01/2021 – Flamengo 2×0 Palmeiras – Brasileiro

42. VANDERLAN

> 1 jogo (0 como titular) pelo Palmeiras
> 1 jogo (0 como titular) na temporada de 2020
> 1 jogo (0 como titular) no Brasileiro 2020
> Não jogou pela Libertadores 2020
> Não jogou pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 26/01/2021 – Palmeiras 1×1 Vasco – Brasileiro
Último jogo: 26/01/2021 – Palmeiras 1×1 Vasco – Brasileiro
Último como titular: Não jogou como titular

8. ZÉ RAFAEL

> 97 jogos (74 como titular), 12 gols e 12 assistências pelo Palmeiras
> 58 jogos (41 como titular), 5 gols e 7 assistências na temporada de 2020
> 24 jogos (20 como titular), 2 gols e 3 assistências no Brasileiro 2020
> 11 jogos (6 como titular) e 2 gols pela Libertadores 2020
> 5 jogos (5 como titular) e 2 assistências pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 23/01/2019 – Palmeiras 1×0 Botafogo-SP – Campeonato Paulista
Último jogo: 21/01/2021 – Flamengo 2×0 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 21/01/2021 – Flamengo 2×0 Palmeiras – Brasileiro

> ATACANTES

48. ANIBAL

> 1 jogo (1 como titular) pelo Palmeiras
> 1 jogo (1 como titular) na temporada de 2020
> Ainda não jogou pelo Brasileiro 2020
> Ainda não jogou pela Libertadores 2020
> 1 jogo (1 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 18/11/2020 – Ceará 2×2 Palmeiras – Copa do Brasil
Último jogo: 18/11/2020 – Ceará 2×2 Palmeiras – Copa do Brasil
Último como titular: 18/11/2020 – Ceará 2×2 Palmeiras – Copa do Brasil

19. BRENO LOPES

> 16 jogos (6 como titular) e 1 gol pelo Palmeiras
> 16 jogos (6 como titular) e 1 gol na temporada de 2020
> 15 jogos (6 como titular) e 1 gol no Brasileiro 2020
> 4 jogos (0 como titular) pela Libertadores 2020
> Não pode jogar pela Copa do Brasil 2020 pelo Palmeiras (atuou pelo Juventude)
Estreia: 14/11/2020 – Palmeiras 2×0 Fluminense – Brasileiro
Último jogo: 26/01/2021 – Palmeiras 1×1 Vasco – Brasileiro
Último como titular: 26/01/2021 – Palmeiras 1×1 Vasco – Brasileiro

49. FABRÍCIO

> 3 jogos (0 como titular) pelo Palmeiras
> 3 jogos (0 como titular) na temporada de 2020
> 3 jogos (0 como titular) pelo Brasileiro 2020
> Ainda não jogou pela Libertadores 2020
> Ainda não jogou pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 21/11/2020 – Goiás 1×0 Palmeiras – Brasileiro
Último jogo: 26/01/2021 – Palmeiras 1×1 Vasco – Brasileiro

7. GABRIEL SILVA

> 16 jogos (2 como titular) e 1 assistência pelo Palmeiras
> 16 jogos (2 como titular) e 1 assistência na temporada de 2020
> 11 jogos (2 como titular) no Brasileiro 2020
> 3 jogos (0 como titular) e 1 assistência pela Libertadores 2020
> 2 jogos (0 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 19/12/2020 – Internacional 2×0 Palmeiras – Brasileiro
Último jogo: 26/01/2021 – Palmeiras 1×1 Vasco – Brasileiro
Último como titular: 26/01/2021 – Palmeiras 1×1 Vasco – Brasileiro

27. GABRIEL VERON

> 40 jogos (18 como titular), 11 gols e 6 assistências pelo Palmeiras
> 37 jogos (18 como titular), 9 gols e 5 assistências na temporada de 2020
> 19 jogos (8 como titular), 4 gols e 2 assistência no Brasileiro 2020
> 7 jogos (5 como titular), 3 gols e 1 assistência pela Libertadores 2020
> 3 jogos (2 como titular), 2 gols e 1 assistência pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 28/11/2019 – Fluminense 1×0 Palmeiras – Brasileiro
Último jogo: 26/01/2021 – Palmeiras 1×1 Vasco – Brasileiro
Último como titular: 14/11/2020 – Palmeiras 2×0 Fluminense – Brasileiro

9. LUAN SILVA

> 1 jogo (1 como titular) pelo Palmeiras
> 1 jogo (1 como titular) na temporada de 2020
> Ainda não jogou no Brasileiro 2020
> Ainda não jogou pela Libertadores 2020
> Ainda não jogou pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 07/03/2020 – Palmeiras 1×1 Ferroviária – Campeonato Paulista
Último jogo:07/03/2020 – Palmeiras 1×1 Ferroviária – Campeonato Paulista
Último como titular: 07/03/2020 – Palmeiras 1×1 Ferroviária – Campeonato Paulista

10. LUIZ ADRIANO

> 63 jogos (54 como titular), 27 gols e 5 assistências pelo Palmeiras
> 48 jogos (41 como titular), 20 gols e 4 assistências na temporada de 2020
> 21 jogos (17 como titular), 10 gols e 3 assistências no Brasileiro 2020
> 6 jogos (6 como titular) e 5 gols pela Libertadores 2020
> 5 jogos (3 como titular) e 2 gols pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 11/08/2019 – Palmeiras 2×2 Bahia – Brasileiro
Último jogo: 21/01/2021 – Flamengo 2×0 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 21/01/2021 – Flamengo 2×0 Palmeiras – Brasileiro

38. MARCELINHO

> 2 jogos (1 como titular) pelo Palmeiras
> 2 jogos (1 como titular) na temporada de 2020
> 1 jogo (1 como titular) pelo Brasileiro 2020
> Ainda não jogou pela Libertadores 2020
> 1 jogo (0 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia:18/11/2020 – Ceará 2×2 Palmeiras – Copa do Brasil
Último jogo: 21/11/2020 – Goiás 1×0 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 21/11/2020 – Goiás 1×0 Palmeiras – Brasileiro

PEDRO ACÁCIO

> 3 jogos (0 como titular) pelo Palmeiras
> 3 jogos (0 como titular) na temporada de 2020
> 3 jogos (0 como titular) pelo Brasileiro 2020
> Ainda não jogou pela Libertadores 2020
> Ainda não jogou pela Copa do Brasil 2020
Estreia:18/01/2021 – Palmeiras 4×0 Corinthians– Brasileiro
Último jogo:  24/01/2021 – Ceará 2×1 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: Ainda não jogou como titular

11. RONY

> 44 jogos (33 como titular), 10 gols e 8 assistências pelo Palmeiras
> 44 jogos (33 como titular), 10 gols e 8 assistências na temporada de 2020
> 20 jogos (13 como titular) e 4 gols no Brasileiro 2020
> 10 jogos (9 como titular), 5 gols e 7 assistências pela Libertadores 2020
> 5 jogos (4 como titular), 1 gol e 1 assistência pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 29/02/2020 – Santos 0x0 Palmeiras – Campeonato Paulista
Último jogo: 18/01/2021 – Palmeiras 4×0 Corinthians– Brasileiro
Último como titular: 15/01/2021 – Palmeiras 1×1 Grêmio – Brasileiro

21. WESLEY

> 23 jogos (13 como titular), 4 gols e 6 assistências pelo Palmeiras
> 23 jogos (13 como titular), 4 gols e 6 assistências na temporada de 2020
> 13 jogos (8 como titular), 2 gols e 2 assistências no Brasileiro 2020
> 3 jogos (2 como titular),1 gol e 3 assistências pela Libertadores 2020
> 2 jogos (2 como titular) e 1 gol pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 15/01/2020 – Palmeiras 0x0 Atlético Nacional de Medellín-COL – Florida Cup
Último jogo: 05/11/2020 – Palmeiras 1×0 Red Bull Bragantino – Copa do Brasil
Último como titular: 05/11/2020 – Palmeiras 1×0 Red Bull Bragantino – Copa do Brasil

29. WILLIAN

> 211 jogos (143 como titular), 56 gols e 22 assistências pelo Palmeiras
> 62 jogos (35 como titular), 18 gols e 6 assistências na temporada de 2020
> 28 jogos (15 como titular), 7 gols e 4 assistências no Brasileiro 2020
> 10 jogos (5 como titular), 4 gols e 1 assistência pela Libertadores 2020
> 6 jogos (4 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 29/01/2017 – Palmeiras 1×1 Ponte Preta – Campeonato Paulista
Último jogo: 21/01/2021 – Flamengo 2×0 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 21/01/2021 – Flamengo 2×0 Palmeiras – Brasileiro

Departamento de Comunicação

O Verdão finalizou na tarde desta sexta-feira (29), no Estádio Nílton Santos, no Rio de Janeiro-RJ, a preparação para a final da CONMEBOL Libertadores contra o Santos, no sábado (30), às 17h, no Estádio do Maracanã.

O treino desta sexta-feira (29) foi no Estádio Nilton Santos (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

A comissão técnica de Abel Ferreira comandou, a principio, atividades posicionais e táticas. Foram ensaiados posicionamentos, transições, jogadas específicas etc. Na sequência, o elenco participou de um descontraído recreativo e, por fim, os jogadores aprimoraram lances de bola parada. Ao todo, as movimentações duraram quase uma hora e meia.

Antes do treino, o grupo palestrino realizou 15 minutos de reconhecimento no gramado do Maracanã. No palco da partida, Abel Ferreira e o zagueiro Gustavo Gómez concederam entrevistas coletivas oficiais da organizadora da competição.

Além das atividades posicionais e táticas, o elenco participou de um recreativo (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

Departamento de Comunicação

O técnico Abel Ferreira durante coletiva de imprensa no Maracanã. (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

A um dia da grande decisão da Conmebol Libertadores, que será disputada neste sábado (30), às 17h, contra o Santos, no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro-RJ, o técnico Abel Ferreira segue se preparando para um dos jogos mais importantes da história do Palmeiras. Em entrevista coletiva nesta sexta-feira (29), no local do jogo, o comandante português comentou sobre a finalíssima com o time alvinegro.

“Cada jogo tem uma história diferente, e eu farei o que sempre fiz em todos os jogos. Temos de preparar todos os jogadores, estar atento aos detalhes, seguir os mesmos rituais e acreditar nos protagonistas, que são os jogadores. Amanhã (sábado), mais do que nunca, temos de focar primeiramente em nós. Temos de ser fieis à nossa identidade e à nossa forma de atacar e de defender. Independentemente de como o adversário jogará, ficará a nossa identidade”, declarou o treinador, que não pretende alterar o estilo de jogo do Verdão no confronto decisivo deste fim de semana.

“Estamos aqui por conta dos jogos que fizemos. Não alteraremos a forma de pensar, a equipe que acreditamos nos trouxe até aqui. É midiático, é a primeira vez que tenho tantos jornalistas na minha frente. É diferente de um jogo normal, recebi mensagens de várias pessoas, mas nós, que somos profissionais, temos de ter o mesmo foco. Eu prefiro sentir toda essa emoção, ansiedade, do que estar em casa no sofá vendo as finais. Estamos aqui por méritos próprios, temos de desfrutar e viver isso com alegria, intensidade e prazer. Temos de fazer um jogo com prazer e equilibrados”, afirmou. “É um jogo único, mas o nosso objetivo, além de chegar à final, é chegar e ganhar”, emendou.

A taça da Libertadores pode ser, inclusive, a primeira da carreira de Abel Ferreira. “É uma oportunidade única, um desafio, uma emoção, um prazer e uma honra poder estar aqui hoje e amanhã disputar um título. O Maracanã significa isso para mim, o templo do futebol”, falou. “É a junção do talento, da sabedoria e da garra. Tenho certeza de que amanhã Portugal será do Palmeiras. É verdade que já teve um treinador que atravessou o Atlântico e abriu as portas para nós (treinadores portugueses), isso eu não esqueço”, completou.

Já sobre a possibilidade de utilizar Felipe Melo desde o início do embate, Abel foi direto. “Tenho sido honesto na comunicação feita com vocês, e o Felipe é o jogador mais titular do Palmeiras. Ele tem uma experiência grande, uma vibração enorme, ajuda dentro e fora do campo, e seguramente nos ajudará muito amanhã. Se será no início ou no decorrer do jogo, decidirei depois. Ele é um colecionador de títulos e, no que depender de mim, faremos de tudo para ter mais um”, concluiu o técnico.

‘O Maracanã significa isso para mim, o templo do futebol’, revelou o técnico português (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

Departamento de Comunicação

Titular em todas as partidas do Palmeiras na Conmebol Libertadores 2020, Gustavo Gómez tem sido um dos pilares do time comandado pelo técnico Abel Ferreira, e não será diferente na grande final deste sábado (30), às 17h, contra o Santos, no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro-RJ. Nesta sexta-feira (29), no local da partida, o zagueiro falou com os jornalistas sobre a emoção de participar da decisão do principal torneio de clubes das Américas.

“É um orgulho jogar uma final de Libertadores, é o sonho de cada jogador e poucos conseguem chegar à final. Quando eu cheguei aqui (ao Palmeiras), era o meu maior sonho conquistar uma Libertadores. Obviamente trato de fazer o meu melhor pelo meu país também, é um orgulho ser paraguaio. O Arce já fez história aqui, quero fazer também”, declarou o defensor, citando o compatriota Arce, que conquistou a Libertadores de 1999 com o Alviverde.

O técnico Abel Ferreira e o zagueiro Gustavo Gómez (à direita) durante coletiva de imprensa (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

“Estamos trabalhando e descansando bem para fazer um grande jogo. A ansiedade está aí, mas também temos de desfrutar o momento. É um momento único, poucos jogadores conseguem jogar a final da Libertadores. Tem pressão, ansiedade, mas a gente está desfrutando este momento”, falou. “O nosso time está preparado, estamos há alguns dias nos preparando para o jogo de amanhã. Estará quente, mas estamos nos hidratando, todos estão bem. Se Deus quiser, faremos um grande jogo”, completou.

Sobre a falta de torcedores no Maracanã, Gómez mostrou compreensão com o atual momento do mundo devido à pandemia de Covid-19. “Como todo mundo sabe, o melhor é ficar em casa e não fazer aglomeração. Não é o momento, temos de aceitar isso. Será uma final diferente, estamos mentalizando, focados. O nosso sonho está em 90 minutos”, concluiu o paraguaio.

A coletiva desta sexta-feira (29) foi no estádio do Maracanã (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

Departamento de Comunicação

O Palmeiras deu sequência na tarde desta quinta-feira (28), no Estádio Nilton Santos (o Engenhão), no Rio de Janeiro-RJ, à preparação para a final da CONMEBOL Libertadores contra o Santos, no sábado (30), às 17h, no estádio do Maracanã.

A equipe alviverde chegou ao estádio às 16h, e os atletas fizeram trabalhos preventivos e ativação muscular no vestiário até 17h.

Na sequência, a comissão técnica de Abel Ferreira comandou trabalhos técnicos e táticos. O treinador português e seus auxiliares orientaram bastante durante a movimentação. Por fim, separados em dois grupos, os atletas aprimoraram bolas aéreas (defensivas e ofensivas) e cobranças de faltas e pênaltis.

O auxiliar técnico João Martins e o atacante Willian (à direita) durante treinamento no Estádio Nilton Santos (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

Em tratamento de lesões, os atacantes Wesley e Luan Silva cumpriram cronograma com os profissionais do Núcleo de Saúde e Performance na lateral do gramado.

O Verdão treina novamente nesta sexta (29), no mesmo estádio, às 16h30, quando encerrará a preparação. Antes, às 14h45 haverá um reconhecimento no palco da partida.

Anterior ainda ao reconhecimento (às 14h15), Abel Ferreira e o zagueiro Gustavo Gómez concederão entrevista coletiva.

No Rio de Janeiro-RJ, o Verdão se prepara para a final da Conmebol Libertadores (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

Departamento de Comunicação

O Palmeiras empatou por 1 a 1 com o Vasco da Gama, nesta terça-feira (26), no Allianz Parque, em duelo válido pelo Campeonato Brasileiro – com o resultado, o Verdão chegou aos 52 pontos conquistados na competição nacional. O técnico Abel Ferreira avaliou a atuação da equipe palestrina no duelo com os cariocas.

“Hoje montei uma equipe que nunca havia jogado junto. Nunca vimos o Felipe Melo, o (Gustavo) Scarpa e o Lucas (Lima) juntos no meio. O Renan na lateral esquerda, o Gabriel Silva, que é um menino com muita qualidade, mas que tem muito caminho para andar. O Lucas Esteves como extremo… Isso me satisfaz. Como você consegue montar essa equipe e mostrar essa qualidade de jogo? É importante ver a identidade da equipe, fiquei contente por criarmos oportunidades, fazermos a circulação da bola. Temos de valorizar o empenho dos jogadores que entraram”, afirmou.

Já sobre a grande decisão da Libertadores contra o Santos, no Maracanã, o comandante foi direto. “É uma oportunidade que temos. O trabalho de toda a nossa vida é para chegarmos ao alto nível do futebol. Temos de trabalhar e desfrutar. Esta final é nada mais nada menos do que o fruto do trabalho que fizemos até aqui. Manteremos aquilo que é a nossa identidade. O que direi aos jogadores é muito simples… Desfrutem do momento e façam aquilo que sabem fazer: jogar futebol em alto nível”, concluiu o treinador.

O próximo compromisso do Palmeiras será contra o Santos, no sábado (30), às 17h, no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro-RJ, pela final da Conmebol Libertadores.

Confira abaixo a entrevista coletiva do técnico Abel Ferreira:

 

Departamento de Comunicação

A final única da CONMEBOL Libertadores 2020 entre Palmeiras e Santos, neste sábado (30), às 17h, no Maracanã, no Rio de Janeiro, terá venda de ingressos solidários. Por determinação das autoridades de saúde, não será permitida a entrada de público pagante no estádio, mas o bilhete simbólico servirá como uma lembrança especial e cumprirá um papel social. A campanha “Ingresso Solidário”, que foi desenvolvida em conjunto pelas equipes de marketing da CONMEBOL e dos dois clubes, distribuirá toda a renda obtida para nove instituições que trabalham com ações relacionadas à Covid-19.

A venda dos ingressos solidários começa nesta terça-feira (26), pela internet (www.futebolcard.com), por um valor simbólico de R$ 20,00 e não haverá carga limite de bilhetes vendidos. Os torcedores que participarem da campanha receberão por e-mail um ingresso virtual da final para guardarem como recordação e terão a chance de ganhar uma camisa autografada pelos jogadores: cada clube irá presentear 22 de seus fãs participantes com camisas oficiais.

“Será um legado que a final da CONMEBOL Libertadores deixará ao Rio de Janeiro e ao Brasil, que sempre nos recebeu muito bem, inclusive em um momento complicado como este que vivemos. A CONMEBOL apoia a ação impulsionada pelos clubes finalistas e que aponta a ajudar pessoas necessitadas que vivem no Rio. A final única deixa um legado muito mais amplo do que o âmbito esportivo”, explicou Alejandro Domínguez, presidente da CONMEBOL.

Todas as organizações sociais que foram escolhidas para a campanha têm impacto social comprovado e são reconhecidas pelo trabalho que realizam: CIEDS, Voz das Comunidades, Instituto Reação, Rede Cidadã, Viva Rio, Luta Pela Paz, Casa do Caminho, Fundação Doutor Amaral Carvalho e Lar Celeste Raio de Luz.

“Estar na final da CONMEBOL Libertadores é um momento muito especial para a história do Palmeiras. A torcida é a razão de existirmos como instituição e o que move esse esporte tão fascinante. A falta que eles fazem e farão nas arquibancadas no próximo dia 30 será grande, mas não será em vão. Ter a oportunidade de ressignificar esse momento desafiador que estamos passando, em uma ação que ajudará a sociedade como um todo através da renda dos ingressos virtuais, nos mostra que o legado desta final vai além das quatro linhas. Isso nos deixa ainda mais orgulhosos por fazer parte desta história”, disse o presidente da Sociedade Esportiva Palmeiras, Maurício Galiotte.

“A pandemia foi algo que transformou a vida de todas as pessoas em 2020. Poder usar nosso bom momento esportivo para impulsionar o combate a essa doença cumpre a função social do Santos. Estamos muito satisfeitos de fazer parte dessa ação, ainda mais mostrando claramente a união dos dois times e da Conmebol, no principal torneio da América, em prol de entidades sérias, que promovem iniciativas exemplares. Temos certeza de que nossos torcedores estarão conosco em pensamento, incentivando nosso time. Será um espetáculo diferente, com certeza, sem nossas arquibancadas lotadas, mas a Conmebol vem realizando um trabalho que visa a segurança de todos e isso deve ser enaltecido”, falou o presidente do Santos FC, Andres Rueda.

O trabalho das organizações sociais é focado em apoiar os grupos prioritários até que as vacinas cheguem nessas pessoas, oferecendo alimentos, água potável, materiais de higiene pessoal, máscaras, luvas e álcool em gel. Serão atendidas inicialmente pessoas com 60 anos ou mais que vivem em asilos ou instituições, pessoas com deficiência, em situação de rua e moradores de comunidades em extrema vulnerabilidade.

“Existem muitas pessoas que precisam da nossa ajuda, mesmo sendo do grupo prioritário. São os excluídos socialmente, aqueles que estão no final da fila de vacinação entre os que têm prioridade. Precisamos de apoio para cuidar deles até que estejam imunizados e uma ajuda como essa será muito importante para a continuidade do nosso trabalho”, explicou Vandré Brilhante, presidente do Cieds, organização que administra 93 residências terapêuticas públicas e 16 abrigos no Estado do Rio.

Segundo o ativista Rene Silva, fundador do Voz das Comunidades, as organizações que trabalham com comunidades mais pobres sofrem com uma queda no número de doações. Parte do dinheiro da renda da final será usado pela equipe do Voz para a compra de refeições, que serão distribuídas para as famílias que mais têm sofrido com os efeitos da pandemia.

“As pessoas não conseguem emprego e também não conseguem trabalhar nas ruas. O que a gente mais precisa nesse momento é de doação de alimentos”, declarou Rene Silva, que criou o projeto Prato das Comunidades para alimentar quem precisa, mas também para gerar empregos, movimentando restaurantes e entregadores, dando emprego e oportunidades pra cozinheiros, mototaxistas e funcionários.

Depois desse esforço emergencial, as organizações sociais focarão em ações de mitigação dos impactos causados pela Covid-19, com trabalhos de acesso a educação, integração social e cidadania. A final é única, mas o legado será duradouro.

 

Departamento de Comunicação

O Palmeiras premiará 11 sócios-torcedores Avanti com credenciais para assistirem à final da Conmebol Libertadores 2020, a ser realizada no dia 30 de janeiro (sábado), às 17h, contra o Santos, no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro-RJ.

Os critérios para a seleção dos sócios foram assiduidade nos jogos do Palmeiras, tempo de contribuição com o Avanti, além do esforço para manter a mensalidade em dia e estar com o Verdão durante a pandemia, período crítico para todos. Os nomes dos que estarão com o Alviverde na final serão divulgados nos próximos dias.

Os 11 sócios Avanti convocados para a decisão serão os representantes de todos os torcedores que sempre estão ao lado do clube. É um reconhecimento da Sociedade Esportiva Palmeiras àqueles que contribuíram para que a instituição honrasse com os diversos compromissos do departamento de futebol durante um dos momentos mais desafiadores da nossa história.

Ainda não é sócio-torcedor Avanti? Clique aqui e escolha o melhor plano para você!

O Palmeiras premiará 11 sócios-torcedores Avanti com credenciais para assistirem à final da Conmebol Libertadores 2020 (Divulgação)

Departamento de Comunicação

Apesar de ser superado pelo River Plate-ARG por 2 a 0, nesta terça-feira (12), no Allianz Parque, o Palmeiras se classificou para a grande final da Conmebol Libertadores – o primeiro encontro entre as equipes, na Argentina, terminou 3 a 0 para o Verdão. Após a classificação, o técnico Abel Ferreira analisou o rendimento de seus comandados.

“Este jogo era muito mental. Se o Rony faz o gol na primeira bola, matávamos o nosso adversário definitivamente. Nós fizemos três gols lá (na Argentina), mas poderíamos ter feito quatro ou cinco, e aí teríamos matado a eliminatória. Tivemos de sofrer e conseguimos esta qualificação muito pelo jogo que fizemos na Argentina. No primeiro jogo, nós fomos muito superiores, e hoje o nosso adversário foi superior a nós. Hoje o que fez a diferença foi o fator psicológico”, declarou o treinador, valorizando o atual momento do clube na temporada.

“Quando você treina grandes clubes, você fica mais próximo de ganhar títulos. Quando eu aceitei o desafio de vir ao Palmeiras, sabia que o Palmeiras dava todas as condições de lutar por títulos. Nós estamos em duas finais e, no Campeonato Brasileiro, iremos grão a grão para encher o nosso bolso e, no fim, ver o que nos reserva. Eu não penso muito nisso, quero desfrutar agora as 24 horas, valorizar esta final que foi muito suada. Parabéns aos meus jogadores, são verdadeiros guerreiros com todas as dificuldades”, concluiu.

O próximo compromisso do Palmeiras será na sexta (15), às 21h30, contra o Grêmio, no Allianz Parque, pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro. Já na segunda (18), às 19h, o Verdão encara o Corinthians, novamente na arena palestrina, pelo Nacional.

Departamento de Comunicação

O Palmeiras recebeu a equipe do River Plate-ARG na noite desta terça-feira (12), no Allianz Parque, pelo jogo de volta da semifinal da CONMEBOL Libertadores. Na ida, o Verdão, que havia vencido por 3 a 0, tinha ampla vantagem. Tudo parecia sob controle; entretanto, o jogo ficou quente logo no primeiro tempo, quando a equipe argentina passou a atacar com veemência a defesa alviverde, marcando gols aos 28 minutos, com o zagueiro Robert Rojas, e aos 43, com atacante Borré. Desta forma, o River buscou 2 a 0 ainda nos 45 minutos iniciais, jogando toda a pressão para o lado palmeirense.

Clique aqui para ver a ficha técnica, estatísticas e tudo sobre o jogo!

No segundo tempo, porém, apesar de novos sustos e bastante trabalho da defesa (incluindo um gol anulado da equipe rival), o Palmeiras conseguiu conter o ímpeto do time visitante e passar sem ser vazado – principalmente após a expulsão de um jogador do River, o zagueiro Robert Rojas, que fez falta em Rony (saiu de campo aos 27 do segundo tempo), além de um pênalti de marcado contra o Verdão em um primeiro momento, aos 33 da etapa final. Exatamente no último minuto de jogo, um suposto pênalti a favor do River foi avaliado pelo VAR, mas, convicto, o árbitro uruguaio Esteban Ostojich não marcou a infração ao rever o lance na tela, para alívio da torcida palmeirense que não pôde estar nas arquibancadas, como foi desde o início da pandemia do novo coronavírus, em março do ano passado (o futebol foi retomado em agosto de 2020 com portões fechados).

Desta forma, segurando o resultado e sem sofrer mais gol até o fim, o Palmeiras garantiu, de forma extremamente dramática, a classificação para a grande final. Na decisão, o Palmeiras enfrenta o vencedor de Boca Juniors e Santos, no Maracanã, no próximo dia 30, em jogo único.

Esta é a quinta vez que o Verdão chega à final do Continental: já foi finalista em 1961, 1968, 1999 (campeão) e 2000; isso, após passar pela Semifinal em oito ocasiões, incluindo eventuais triangulares finais, como acontecia antigamente e esteve na fase que precedeu a decisão: além de 2020, participou também das semifinais em 1961, 1968, 1971, 1999 (campeão), 2000, 2001 e 2018.

Invicto na campanha até então, o Palmeiras conheceu a sua primeira derrota na Libertadores 2020. Dono da melhor campanha da fase de grupos da Libertadores 2020, o Palmeiras alcançou o feito pela terceira edição seguida, sendo o único clube do continente a registrar o melhor desempenho na fase de classificação em três anos seguidos neste século. Em 2020, o Palmeiras repetiu os mesmos 16 pontos registrados em 2018, com cinco vitórias e um empate, enquanto em 2019 obteve 15 pontos, com cinco triunfos e uma derrota. Na fase de grupos da atual edição, o Verdão registrou também o segundo melhor ataque entre todos os 32 participantes, com 17 gols marcados contra 21 do River Plate-ARG, e a segunda melhor defesa, com dois gols sofridos contra um do Boca Juniors-ARG.

LIBERTADORES DE 2020 REGISTRA SEGUNDO ANO COM MAIS VITÓRIAS GERAIS DO VERDÃO EM TODA A SUA HISTÓRIA NO TORNEIO

Apesar de não ter vencido nesta noite, o Palmeiras atingiu a segunda marca de mais vitórias em uma mesma edição de Libertadores em toda a sua história – em 12 partidas, o Maior Campeão do Brasil, saiu vitorioso em nove (empatou outras duas e perdeu esta). O ano de 1968 tem a melhor marca geral na Libertadores: venceu 11 dos 15 duelos disputados. Portanto, neste século, esta é a melhor campanha.

EDIÇÃO DE 2020 JÁ REGISTRA MELHOR ATAQUE GERAL DO PALMEIRAS COMPARANDO COM TODAS SUAS PARTICIPAÇÕES ANTERIORES

Os 32 gols que o Palmeiras acumula na atual edição da Libertadores até aqui (em 12 jogos) já fazem de 2020 a disputa em que o time alviverde mais somou gols em todas as suas 20 participações do torneio continental (a primeira vez foi em 1961), ao lado do ano de 2000, com as mesmas 32 bolas na rede (porém, em 14 partidas – ou seja, a edição atual tem média até superior). Caso balance as redes na final, no Maracanã, em 30/01, o Palmeiras de 2020 irá deter essa marca de forma isolada.

BRASILEIRO COM MAIS GOLS NO GERAL, COMO MANDANTE E COMO VISITANTE NA HISTÓRIA DA LIBERTADORES

Na edição de 2020, o Palmeiras se tornou o clube brasileiro com mais bolas na rede na condição de mandante na história da Libertadores, chegando a 215 gols na sua última partida (pois nessa não computou gol), ultrapassando o Cruzeiro, antigo recordista com 201. Assim, o Alviverde, que também é o brasileiro com mais gols como visitante, com 147 tentos anotados fora de casa, se mantém como o que mais balançou as redes no geral, com 362 gols, que o colocam na 7ª posição do ranking de todos os clubes, com 362 gols em 195 jogos, atrás só do Cerro Porteño-PAR, com 401 gols em 309 jogos, do Olimpia-PAR, com 442 gols em 311 jogos, do Boca Juniors-ARG, com 464 gols em 296 jogos, do Nacional-URU, com 549 gols em 393 jogos, do Peñarol-URU, com 555 gols em 369 jogos, e do River Plate-ARG: 605 gols em 362 jogos.

BRASILEIRO COM MAIS VITÓRIAS NA LIBERTADORES

Mesmo não tendo vencido nesta noite, o Palmeiras soma 107 triunfos ao longo de suas 20 participações na Libertadores e, com isso ultrapassou o Grêmio nesta edição de 2020 em número de vitorias e passou a ser o brasileiro, agora à frente do time gaúcho, que mais venceu no torneio continental – o Tricolor, que já tinha 106 vitórias, perdeu para o Santos o seu duelo mais recente e foi eliminado. Neste quesito, tanto Verdão quanto o Imortal estão à frente do Cruzeiro, terceiro colocado, com 95 triunfos pela Libertadores.

Melhor ainda é o retrospecto com visitante. O Palmeiras é o brasileiro com mais vitórias fora de casa na história da Libertadores: são 40 triunfos longe de seus domínios, cinco a mais do que o Cruzeiro, segundo colocado com 34. Nas últimas 15 vezes em que atuou no campo do adversário pela competição, o Verdão venceu 11, empatando duas e perdendo outras duas – a série atual de oito jogos sem derrota como visitante, iniciada em abril do ano passado, é a maior do clube em todos os tempos na Libertadores.

DESTAQUES INDIVIDUAIS: ABEL FERREIRA (SEXTA CLASSIFICAÇÃO)

Individualmente, Abel Ferreira conseguiu sua sexta classificação em apenas três meses de trabalho no Verdão. Com 100% de aproveitamento. Abel Ferreira assumiu o comando da equipe do Palmeiras justamente em um jogo que valia classificação para Copa do Brasil, após o interino Andrey Lopes (o Cebola) ter dirigido a equipe no jogo de ida diante do Red Bull Bragantino – oitavas de final, em 05/11. Com o triunfo por 1 a 0 no jogo de volta já com Abel estreante (após ter vencido por 3 a 1 na ida, fora de casa), o Palmeiras obteve a primeira classificação na era do novo treinador. Depois desse, ainda conduziu o time à classificação em 18/11, quando o auxiliar Vítor Castanheira que dirigiu a equipe na classificação para as semifinais passando pelo Ceará nas quartas (empate por 2 a 2 fora de casa) – Abel estava suspenso. Depois, em 02/12, com Abel, foi a vez de passar pelo Delfín-EQU nas oitavas de final da Libertadores, rumo às quartas; mais tarde, em 15/12, o Alviverde passou pelo Libertad-PAR nas quartas de final, garantindo vaga às semifinais, também com o português Abel Ferreira; e por último, no dia 30/12, a vitória por 2 a 0 sobre o América-MG fora de casa (após empate por 1 a 1 em casa) garantiu acesso à final da Copa do Brasil 2020. Desta forma, agora, Abel chegou ao sexto avanço de fase em sua era.

Em seu trabalho no Alviverde (incluindo os jogos comandados pelos auxiliares), são 20 duelos disputados: 14 vitórias, quatro empates e duas derrotas, sendo que, sozinho, são 16 jogos (13 vitórias, um empate e duas derrotas).

PALMEIRAS: ​Weverton, Marcos Rocha (Kuscevic 35’/2ºT), Gustavo Gómez (Luan 40’/1ºT), Alan Empereur e Matías Viña; Danilo (Raphael Veiga 35’/2ºT), Zé Rafael (Emerson Santos 23’/2ºT) e Gabriel Menino; Rony, Gustavo Scarpa (Breno Lopes, INTERVALO) e Luiz Adriano. Técnico: Abel Ferreira.

Cartões amarelos (SEP): Danilo, Alan Empereur, Luan, Marcos Rocha e Weverton.

Departamento de Comunicação

Pré-jogo: Palmeiras x River Plate-ARG l CONMEBOL Libertadores (Semifinais – volta)
Data e hora: 12/01/2021 (terça-feira) l 21h30 (horário de Brasília)
Local: Allianz Parque, São Paulo (SP)
Transmissão: CONMEBOL TV e SBT
Suspenso: Patrick de Paula
Pendurado: Abel Ferreira
Retorno de Suspensão: Não há;
Desfalques: Mayke (Covid-19), Gabriel Veron (lesão muscular na coxa esquerda), Felipe Melo (cirurgia no tornozelo esquerdo), Wesley (cirurgia no joelho esquerdo) e Luan Silva (cirurgia no joelho esquerdo)
Escalação do último jogo: (Sport 0x1 Palmeiras, em 09/01/2021): Weverton, Emerson Santos, Luan Garcia, Kuscevic e Lucas Esteves (Danilo, 23’/2ºT); Zé Rafael (Patrick de Paula 13’/2ºT), Raphael Veiga (Alan Empereur 13’/2ºT), Lucas Lima (Rony 23’/2ºT); Gabriel Veron (Gabriel Menino, no intervalo), Willian e Breno Lopes.

Embalado por uma vitória no Campeonato Brasileiro fora de casa no último sábado (09), diante do Sport, o Palmeiras recebe o River Plate-ARG, no Allianz Parque, às 21h30 de Brasília, em duelo de volta da semifinal da CONMEBOL Libertadores 2020, após ter vencido a partida de ida pelo histórico placar de 3 a 0 fora de casa, com gols de Rony, Luiz Adriano e Viña. Caso avance de fase, o Palmeiras enfrenta o vencedor de Boca Juniors e Santos na final da competição continental, no Maracanã, no próximo dia 30, em jogo único.

Na atual edição da Libertadores, o Palmeiras tem ótimo aproveitamento: está invicto, com nove vitórias e dois empates em 11 jogos, além de 32 gols marcados (melhor ataque,  seguido do River Plate-ARG, com 31) e quatro sofridos. Caso avance à fase final, esta será a quinta vez que o Verdão chega a esta etapa do Continental: já foi finalista em 1961, 1968, 1999 (campeão) e 2000; vale lembrar que esta é a oitava vez que o Alviverde participa da fase semifinal da Libertadores, incluindo eventuais triangulares finais, como acontecia antigamente, e esteve na fase que precedeu a decisão em 1961, 1968, 1971, 1999 (campeão), 2000, 2001, 2018 e, agora, 2020.

Dono da melhor campanha da fase de grupos da Libertadores 2020, o Palmeiras alcançou o feito pela terceira edição seguida, sendo o único clube do continente a registrar o melhor desempenho na fase de classificação em três anos seguidos neste século. Em 2020, o Palmeiras repetiu os mesmos 16 pontos registrados em 2018, com cinco vitórias e um empate, enquanto em 2019 obteve 15 pontos, com cinco triunfos e uma derrota. Na fase de grupos da atual edição, o Verdão registrou também o segundo melhor ataque entre todos os 32 participantes, com 17 gols marcados contra 21 do River Plate-ARG, e a segunda melhor defesa, com dois gols sofridos contra um do Boca Juniors-ARG.

A trajetória alviverde nesta Libertadores começou com vitórias sobre Tigre-ARG (2 a 0 na Argentina), Guaraní-PAR (3 a 1 no Allianz Parque) e Bolívar-BOL (2 a 1 na Bolívia). O Palmeiras não iniciava uma Libertadores com três vitórias consecutivas desde 1968, quando obteve cinco triunfos antes de empatar o sexto jogo – desde então, foram 17 edições e, no máximo, duas vitórias em sequência a partir da estreia. Nos confrontos seguintes da fase de classificação, empatou com o Guaraní-PAR (0 a 0 no Paraguai) e goleou Bolívar-BOL e Tigre-ARG, ambos no Allianz Parque e ambos por 5 a 0.

Os triunfos diante de bolivianos e argentinos, inclusive, passaram a dividir a terceira posição na lista das maiores goleadas do Verdão em Libertadores na história (atrás apenas do 6 a 1 sobre o Boca Juniors-ARG, em 1994, e do 7 a 0 sobre o El Nacional-EQU, em 1995) e se tornaram a maior goleada do Allianz Parque no geral, igualando os 5 a 0 aplicados sobre o Grêmio Novorizontino pelo Campeonato Paulista de 2018.

Nas oitavas de final, o Verdão passou após vencer o Delfín-EQU por 3 a 1 fora de casa, em Jocay, no Equador, e por 5 a 0 em casa. E nas quartas de final passou pelo Libertad-PAR, com empate por 1 a 1 fora de casa (Defensores del Chaco, em Assunção-PAR) e vitória por 3 a 0 em casa, no Allianz Parque.

Tradicional na competição, o Palmeiras é um dos três clubes brasileiros com mais edições de Libertadores disputadas: esta é a 20ª, assim como Grêmio e São Paulo, sendo a quinta vez consecutiva, feito inédito na história alviverde. O Palmeiras ainda carrega a honra de ter sido o primeiro brasileiro a disputar uma final de Libertadores: em 1961, logo na segunda edição do torneio, quando enfrentou o Peñarol-URU na grande decisão e ficou com o vice-campeonato. O Alviverde chegou à final em 1968, 1999 (campeão) e 2000.

A equipe de Abel Ferreira encerrou a preparação para a semifinal da Conmebol Libertadores na segunda-feira (12); saiba mais  (Foto: Cesar Greco)

EDIÇÃO DE 2020 DO PALMEIRAS TEM 2º MELHOR APROVEITAMENTO DE PONTOS DA HISTÓRIA DA LIBERTADORES (DENTRE TODOS OS TIMES)

Os números do Palmeiras nesta Libertadores colocam a edição de 2020 como dona da segunda campanha de um time na história geral da competição desde 1960 em termos de aproveitamento dentre todos os clubes que já disputaram o Continental em todos os tempos. São 87,9% em 11 jogos e, com isso, fica atrás só do Estudiantes-ARG (1969), que teve 100% – porém em apenas quatro jogos disputados (pois, na ocasião, o time argentino venceu os quatro).

Melhores aproveitamentos na história da Libertadores (1960-2020):

100% – Estudiantes-ARG (1969) – 4 jogos
87,9% – Palmeiras (2020) – 11 jogos
87,2% – Cruzeiro (1976) – 13 jogos
85,7% – Boca Juniors-ARG (2015) – 7 jogos
83,3% – Estudiantes-ARG (1970) – 7 jogos
83,3% – Santos (1963) – 7 jogos
83,3% – Santos (2007) – 14 jogos

LIBERTADORES DE 2020 REGISTRA SEGUNDO ANO COM MAIS VITÓRIAS GERAIS DO VERDÃO EM TODA A SUA HISTÓRIA NO TORNEIO

O Palmeiras atingiu a segunda marca de mais vitórias em uma mesma edição de Libertadores em toda a sua história – em 11 partidas, o Maior Campeão do Brasil, saiu vitorioso em nove (empatou outras duas). O ano de 1968 tem a melhor marca geral na Libertadores: venceu 11 dos 15 duelos disputados. Caso ganhe os dois próximos jogos, o Verdão pode igualar 1968 e se tornar, ao lado daquela temporada vice-campeã, a mais vitoriosa (e com menos partidas, pois, se chegar na final, o time fecha a edição com 13 partidas disputadas – ou seja, a média será superior à de 1968).

LIBERTADORES 2020 TEM PALMEIRAS COM MELHOR PERCENTUAL DE VITÓRIAS, DISPARADAMENTE, EM TODAS AS SUAS PARTICIPAÇÕES

Na atual edição, o Verdão atingiu o seu melhor percentual de vitórias em todas as suas de Libertadores: em 11 jogos, disparou com 82%! O ano de 1979 está logo atrás, com 73%, seguido de 1995 e 2000, ambos com 70%.

LIBERTADORES 2020 SEGUE COMO A ÚNICA NA QUAL O PALMEIRAS PASSOU UMA EDIÇÃO INTEIRA SEM SER DERROTADO

Considerando todas as disputas de Libertadores, o ano de 2020 é o único, até aqui, em que o Palmeiras passou uma edição inteira sem ser derrotado, pois, atualmente, acumula nove vitórias e dois empates nas 11 partidas disputadas. Antes da atual, a edição que fechou com o menor número de derrotas foi a de 2001: apenas um revés sofrido em 12 duelos.

EDIÇÃO DE 2020 JÁ REGISTRA MELHOR ATAQUE GERAL DO PALMEIRAS COMPARANDO COM TODAS SUAS PARTICIPAÇÕES ANTERIORES

Os 32 gols que o Palmeiras acumula na atual edição da Libertadores até aqui (em 11 jogos) já fazem de 2020 a disputa em que o time alviverde mais somou gols em todas as suas 20 participações do torneio continental (a primeira vez foi em 1961), ao lado do ano de 2000, com as mesmas 32 bolas na rede (porém, em 14 partidas – ou seja, a edição atual tem média até superior). Caso balance as redes do River Plate-ARG nesta terça-feira (12), o time pode ter, de forma isolada, o seu melhor ataque de todos os tempos na Libertadores da América.

No último jogo do Palmeiras pela Libertadores no Allianz Parque, o time venceu o Libertad-PAR por  3 a 0 (Foto: Mauro Horita/Staff Images Conmebol)

EDIÇÃO DE 2020 REGISTRA MELHOR DEFESA GERAL DO PALMEIRAS COMPARANDO COM TODAS SUAS PARTICIPAÇÕES ANTERIORES

As equipes adversárias só balançaram as redes do Palmeiras em apenas quatro oportunidades nos 11 duelos disputados. Essa é a melhor marca do Verdão desde sua primeira participação, em 1961. Em 2019, o time chegou às quartas de final e alcançou sua segunda melhor marca: cinco gols sofridos em dez jogos.

EDIÇÃO DE 2020 TEM MELHOR MÉDIA DE GOLS DO VERDÃO NA HISTÓRIA DA LIBERTADORES

O Palmeiras alcançou a sua melhor média de gols em todas as edições disputadas da Libertadores CONMEBOL, com 2,9, e, com isso, ultrapassou o ano de 1979, que registra 2,5 gols por partida (até então a média recordista na história palmeirense). Na atual temporada, são 32 gols em 11 jogos, enquanto em 1979 foram 15 gols em seis partidas.

LIBERTADORES DE 2020 REGISTRA SEGUNDO ANO COM MAIS VITÓRIAS GERAIS DO VERDÃO EM TODA A SUA HISTÓRIA NO TORNEIO

Os 32 gols que o Palmeiras acumula na atual edição da Libertadores até aqui (em 11 jogos) já fazem de 2020 a disputa em que o time alviverde mais somou gols em todas as suas 20 participações do torneio continental (a primeira vez foi em 1961), ao lado do ano de 2000, com as mesmas 32 bolas na rede (porém, em 14 partidas – ou seja, a edição atual tem média até superior). Caso balance as redes do River Plate-ARG nesta terça-feira (12), o time pode ter, de forma isolada, o seu melhor ataque de todos os tempos na Libertadores da América.

PALMEIRAS TEM, DE FORMA ISOLADA, MAIOR INVENCIBILIDADE GERAL DE SUA HISTÓRIA NA LIBERTADORES

Ao longo de todas as suas participações na CONMEBOL Libertadores desde 1961, quando, logo de cara foi finalista (vale lembrar que o torneio fora instituído em 1960), o Verdão havia atingido, no máximo, dez jogos de invencibilidade: em 2001, com três vitórias e sete empates. Mas a série atual, de 11 jogos (nove vitórias e dois empates – números correspondentes justamente aos da campanha do Alviverde na edição de 2020) superou esta marca e se tornou o novo recorde invicto ao longo de suas participações.

Se passar sem ser derrotado pelo River Plate-ARG neste jogo de ida, o Maior Campeão do Brasil, irá chegar, portanto, ao inédito 12º duelo sem ser derrotado ao longo de sua jornada na competição mais importante das Américas, ampliando ainda mais a maior invencibilidade de sua história no torneio continental.

O Palmeiras também estabeleceu na atual edição, após bater o River Plate-ARG nos domínios adversários, em seu compromisso mais recente como visitante pelo Continental, a maior série invicta como mandante fora de casa de toda a sua história na Libertadores: agora são nove jogos sem perder longe de seu território.

VERDÃO PODE CHEGAR À 5ª FINAL DISPUTADA NA HISTÓRIA DA LIBERTADORES

Levando em conta os jogos eliminatórios da penúltima etapa do Continental desde 1960 (ano em que surgiu o torneio), o Palmeiras, que disputou sua primeira Libertadores em 1961, esteve nessa etapa em quatro ocasiões. Os anos em que a COMNMEBOL Libertadores teve o Verdão como finalista foram: 1961, 1968, 1999 e 2000, além de ter alcançado a fase semifinal também em 1971, 2001, 2018 e, agora, 2020.

BRASILEIRO COM MAIS GOLS NO GERAL, COMO MANDANTE E COMO VISITANTE NA HISTÓRIA DA LIBERTADORES

Na edição de 2020, o Palmeiras se tornou o clube brasileiro com mais bolas na rede na condição de mandante na história da Libertadores, chegando a 215 gols e ultrapassando o Cruzeiro, antigo recordista com 201. Assim, o Alviverde, que também é o brasileiro com mais gols como visitante, com 147 tentos anotados fora de casa, se mantém como o que mais balançou as redes no geral, com 362 gols, que o colocam na 7ª posição do ranking de todos os clubes*:

1º – River Plate-ARG: 603 gols em 361 jogos
2º – Peñarol-URU: 555 gols em 369 jogos
3º – Nacional-URU: 549 gols em 393 jogos
4º – Boca Juniors-ARG: 464 gols em 296 jogos
5º – Olimpia-PAR: 442 gols em 311 jogos
6º – Cerro Porteño-PAR: 401 gols em 309 jogos
7º – Palmeiras-BRA: 362 gols em 195 jogos
8º – Bolívar-BOL: 345 gols em 237 jogos
9º – Universidad Católica-CHI: 337 gols em 222 jogos
10º – Colo-Colo-CHI: 336 gols em 241 jogos
*números atualizados até o jogo de ida das oitavas de final

BRASILEIRO COM MAIS VITÓRIAS NA LIBERTADORES

Com 107 triunfos ao longo de suas 20 participações na Libertadores, o Palmeiras ultrapassou o Grêmio em número de vitorias e passou a ser o brasileiro, ao lado do time gaúcho, que mais venceu no torneio continental – o Tricolor, que já tinha 106 vitórias, perdeu para o Santos o seu duelo mais recente e foi eliminado. Neste quesito, tanto Verdão quanto o Imortal estão à frente do Cruzeiro, terceiro colocado, com 95 triunfos pela Libertadores.

Melhor ainda é o retrospecto com visitante. O Palmeiras é o brasileiro com mais vitórias fora de casa na história da Libertadores: são 39 triunfos longe de seus domínios, cinco a mais do que o Cruzeiro, segundo colocado com 34. Nas últimas 15 vezes em que atuou no campo do adversário pela competição, o Verdão venceu 11, empatando duas e perdendo outras duas – a série atual de oito jogos sem derrota como visitante, iniciada em abril do ano passado, é a maior do clube em todos os tempos na Libertadores.

MELHOR ATAQUE DA LIBERTADORES 2020

O Palmeiras tem o melhor ataque da edição de 2020, com 32 gols marcados, um a mais do que o River Plate-ARG, com 31. Os artilheiros do time na competição são Rony e Luiz Adriano, ambos com cinco bolas na rede na atual edição.

Números gerais do Palmeiras na Libertadores:

Retrospecto geral: 195 jogos, 107 vitórias, 36 empates, 52 derrotas, 362 gols marcados e 206 gols sofridos
Mandante: 96 jogos, 67 vitórias, 17 empates, 12 derrotas, 215 gols marcados e 75 gols sofridos
Visitante: 98 jogos, 40 vitórias, 19 empates, 39 derrotas, 147 gols marcados e 129 gols sofridos
Neutro: 1 jogo, 1 derrota e 2 gols sofridos

Primeiro jogo
: 04/05/1961 – Independiente-ARG 0x2 Palmeiras (gols de Gildo e Zequinha) – Estádio Presidente Perón (Avellaneda-ARG)
Maior série de vitórias no geral: seis, entre 07/02/1971 e 14/04/1971
Maior série de vitórias em casa: nove, entre 05/05/1999 e 06/06/2000
Maior série de vitórias fora de casa: cinco, entre 01/03/2018 e 20/09/2018

Maior série invicta no geral: 11 jogos, de 06/03/2019 até hoje
Maior série invicta em casa: 34 jogos, entre 12/04/1979 e 12/05/2005
Maior série invicta fora de casa: nove jogos, de 25/04/2019 até hoje

Maior goleada no geral e em casa: 04/05/1995 – Palmeiras 7×0 El Nacional-EQU (gols de Edmundo duas vezes, Válber duas vezes, Rivaldo duas vezes e Paulo Isidoro) – Estádio Palestra Italia (São Paulo-SP)
Maior goleada fora de casa: 25/04/2019 – Melgar-PER 0x4 Palmeiras (gols de Gustavo Gómez, Gustavo Scarpa duas vezes e Moisés) – Monumental de la Unsa (Arequipa-PER)

ATAQUE EM BOA FASE: 51 GOLS NAS ÚLTIMAS 23 PARTIDAS

O Palmeiras anotou 51 gols em seus 23 jogos mais recentes, registrando ótima média de 2,21 tentos por duelo. No total das 62 partidas do ano, em apenas dez o Verdão passou em branco no placar – desde a conquista do título paulista sobre o Corinthians, foram disputados 42 jogos (sendo 27 de Brasileiro, nove de Libertadores e seis de Copa do Brasil, além da decisão estadual), e a equipe só não marcou gol em quatro.

VERDÃO ULTRAPASSA A MARCA DE 100 GOLS NA TEMPORADA

O Palmeiras acumula 105 bolas na rede durante a temporada – este dado contabiliza também os gols anotados na Florida Cup, torneio amistoso realizado nos Estados Unidos. Destes, 38 gols foram pelo Campeonato Brasileiro, 32 pela Libertadores (melhor ataque do torneio), 21 pelo Paulista, 12 pela Copa do Brasil e outros dois pela Florida Cup, no início da temporada.

MELHOR DEFESA ENTRE TODOS OS CLUBES NA TEMPORADA

No geral da temporada, a média de 0,67 gol sofrido por partida de campeonato (40 gols em 60 jogos, sem contar torneios amistosos) coloca o Verdão na primeira posição entre os clubes com menor índice de gols sofridos no ano, superando o Grêmio, com 0,76 (47 gols em 62 jogos).

Considerando as partidas da Florida Cup, na pré-temporada, foram 41 gols sofridos em 62 jogos no total, média de 0,66 por partida, que coloca a atual temporada em 5º lugar no ranking dos anos com menor média de gols sofridos na história do Palmeiras, atrás de de 1976 e 2018, empatados na terceira colocação, ambos com 0,63; em segundo lugar vem o ano de 1989, com 0,6 gol sofrido por jogo e, por fim, a temporada de 1972, líder, com apenas 0,54 tento cedido por partida.

O Verdão tem ainda a segunda melhor defesa da atual temporada como visitante, com média de 0,73 gol sofrido por jogo (22 em 30 partidas), atrás apenas do Grêmio, com 0,68 (21 em 31). Além disso, passou 46,6% dos jogos fora de casa sem sofrer gols (14 de 30) – é o segundo melhor índice entre todos os clubes, atrás do Grêmio, com 58% (18 de 31 jogos).

MENOS DERROTAS ENTRE TODOS OS CLUBES NA TEMPORADA

Excluindo amistosos e torneios amistosos e somando todas as partidas de campeonato disputadas pelos participantes da Série A na temporada atual, o Palmeiras é o clube com o menor número de derrotas no ano (oito) e possui também o menor percentual (13,3% – oito revezes em 60 jogos – contra 14,5% do segundo colocado Grêmio – nove em 62).

Até o tropeço diante do Botafogo, no início de outubro, o Palmeiras vinha de 20 jogos sem perder, registrando a maior invencibilidade do clube nos últimos oito anos e a terceira maior série invicta de um time a partir da estreia em uma edição de pontos corridos do Campeonato Brasileiro, com 12 partidas seguidas sem derrota, atrás apenas do Flamengo de 2011, com 15, e do Corinthians de 2017, com 19.

SEGUNDO MELHOR APROVEITAMENTO ENTRE TODOS OS CLUBES NA TEMPORADA

O Palmeiras possui o segundo melhor aproveitamento de pontos entre todos os clubes da elite do país nesta temporada: 66,6% (60 jogos de campeonato, 34 vitórias, 18 empates e oito derrotas) – em primeiro lugar, aparece o Flamengo, com 68,3% (60 jogos, 37 vitórias, 12 empates e 11 derrotas). Como visitante, o Verdão tem o segundo melhor aproveitamento: 57,7% (30 jogos, 14 vitórias, dez empates e seis derrotas) – antes, aparece o Flamengo, com 66,6% (29 jogos, 17 vitórias, sete empates e cinco derrotas).

SEGUNDO MELHOR APROVEITAMENTO COMO MANDANTE ENTRE TODOS OS CLUBES NA TEMPORADA

Invicto em seu estádio nos últimos 11 jogos, com dez vitórias e um único empate (sendo, neste percurso, nove vitórias seguidas sem sofrer um único gol sequer), o Palmeiras tem o segundo melhor aproveitamento de pontos como mandante em 2020. Somando as partidas realizadas na Arena da Fonte Luminosa (Palmeiras 0x0 São Paulo, pelo Paulista), no Pacaembu (Palmeiras 4×0 Oeste, pelo Paulista) e no Morumbi (Palmeiras 2×1 Santos, pelo Brasileiro), além das que foram disputadas no Allianz Parque, são 30 jogos, 20 vitórias, oito empates e duas derrotas, com 63 gols marcados e 18 sofridos – aproveitamento de 75,5%. O líder no quesito é o Atlético-MG, com 78,7% (22 jogos, 16 vitórias, quatro empates e duas derrotas). Palmeiras e Atlético-MG são também os times que menos perderam em casa nesta temporada, com duas derrotas cada.

Só no Allianz Parque, são 27 jogos, 18 vitórias, sete empates e duas derrotas, com 57 gols marcados e 17 sofridos neste ano. Venceu Mirassol (3×1 – inauguração do gramado sintético), Guarani (1×0), Água Santa (2×1), Santo André (2×0) e Ponte Preta (1×0), pelo Paulista; Guaraní-PAR (3×1), Bolívar-BOL (5×0), Tigre-ARG (5×0), Delfín-EQU (5×0) e Libertad-PAR (3×0), pela Libertadores; Ceará (2×1), Atlético-MG (3×0), Fluminense (2×0), Athletico-PR (3×0), Bahia (3×0) e Red Bull Bragantino (1×0), pelo Brasileiro; e Red Bull Bragantino (1×0) e Ceará (3×0), pela Copa do Brasil; empatou com Ferroviária (1×1) e Corinthians (1×1), pelo Paulista; Goiás (1×1), Internacional (1×1), Sport (2×2) e Flamengo (1×1), pelo Brasileiro; e América-MG (1×1), pela Copa do Brasil – os únicos reveses aconteceram diante do São Paulo (0x2) e do Coritiba (1×3), ambos pelo Brasileiro – aproveitamento de 75,3% na arena.

Em 2019, o Verdão registrou sua melhor temporada no Allianz Parque: 26 jogos, 18 vitórias, cinco empates e apenas três derrotas (com 42 gols marcados e 12 sofridos), aproveitamento de 76% contra 75% de 2017, 73% de 2016, 71% de 2015 e 2018 e 17% de 2014. Foi ainda o ano com maior índice de vitórias (69%, ao lado de 2016 – em 2020, são 66,6%), o menor percentual de derrotas (12%, contra 14% de 2017 – em 2020, é 7,4%) e a menor média de gols sofridos (0,46, seguido de 2016, com 0,66 – em 2020, é 0,62).

TEMPORADA DE 2020 REGISTRA MELHOR MÉDIA DE GOLS DA HISTÓRIA DO ALLIANZ PARQUE

Com 57 bolas na rede em 27 partidas referentes ao ano de 2020 no Allianz Parque, o Palmeiras tem a melhor média de gols em sua arena desde que o estádio fora inaugurado com a atual configuração em 2014. São 2,1 gols por partida, contra 1,9 de 2018 e de 2017 (61 gols em 31 jogos).

Nesta temporada, o Verdão marca em média 2,1 gols por partida no seu estádio (Foto: Mauro Horita/Staff Images Conmebol)

TEMPORADA DE 2020 REGISTRA MENOR PERCENTUAL DE DERROTAS DA HISTÓRIA DO ALLAINZ PARQUE

Inaugurado em 2014 com visual moderno, de arena, o Allianz Parque tem o Palmeiras de 2020 como o time que menos perdeu na recente história do estádio considerando uma única temporada: são apenas 7% de reveses em relação ao todo dos jogos que disputou (somente dois de 27), contra 12% de 2019 (três de 26).

TEMPORADA DE 2020 REGISTRA SEGUNDA MENOR MÉDIA DE GOLS DA HISTÓRIA DO ALLIANZ PARQUE

Se o Palmeiras de 2020 tem, na média, o melhor ataque da história de sua arena, o sistema defensivo não fica para trás. A temporada atual contabiliza a baixa média de 0,62 gol sofrido por partida (17 gols sofridos em 27 partidas), ficando atrás só da temporada de 2019, quando, no Allianz Parque, o Verdão daquele ano registrou média de apenas 0,46 gol sofrido por jogo (12 em 26).

TEMPORADA DE 2020 REGISTRA TERCEIRO MELHOR PERCENTUAL DE VITÓRIAS DO ALLIANZ PARQUE

O Palmeiras de 2020, em sua casa, está colado nas temporadas que lideram o melhor desempenho de vitórias em um único ano. Na atual temporada, são 67% de vitórias em sua casa, com 18 vitórias em 27 jogos (assim como 2015, 24 triunfos em 36 partidas, e 2016, com os mesmos 18 resultados positivos em 27 duelos), contra 69% dos anos de 2017 (20 vitórias em 29 jogos) e de 2019 (18 vitórias em 26 jogos). Levando em conta as competições vigentes de 2020 que o Alviverde ainda disputará neste início de 2021, a temporada de 2020, portanto, tem a chance de terminar como líder também neste quesito.

– Retrospecto do Palmeiras no Allianz Parque: 178 jogos, 118 vitórias, 34 empates, 26 derrotas, 334 gols marcados e 131 gols sofridos
Amistosos: 3 jogos – 2 vitórias, 1 empate e nenhuma derrota (7 gols marcados e 4 gols sofridos)
Campeonato Brasileiro: 92 jogos – 57 vitórias, 19 empates e 16 derrotas (166 gols marcados e 77 gols sofridos)
Campeonato Paulista: 44 jogos – 29 vitórias, 6 empates e 7 derrotas (73 gols marcados e 26 gols sofridos)
Copa do Brasil: 17 jogos – 11 vitórias, 5 empates e 1 derrota (31 gols marcados e 13 gols sofridos)
Libertadores: 22 jogos – 18 vitórias, 2 empates e 2 derrotas (54 gols marcados e 10 gols sofridos)

– Primeiro jogo:
 19/11/2014 – Palmeiras 0x2 Sport-PE – Campeonato Brasileiro
– Último jogo: 27/12/2020 – Palmeiras 1×0 Red Bull Bragantino (gol de Luiz Adriano) – Campeonato Brasileiro
Na ocasião, o técnico Abel Ferreira mandou a campo Weverton, Gabriel Menino, Alan Empereur, Luan, Viña, Patrick de Paula (Emerson Santos, 25’/2ºT), Danilo, Breno Lopes (Marcos Rocha, 32’/2ºT), Lucas Lima (Raphael Veiga, 15’/2ºT), Gabriel Veron (Gustavo Scarpa, 16’/2ºT), Luiz Adriano (Willian, 16’/2ºT).
– Maior série invicta: 28 jogos (21 vitórias e sete empates), entre 07/08/2016 e 28/06/2017
– Maior sequência de vitórias: nove jogos (entre 21/10/2020 e 15/12/2020)
– Maior série sem sofrer gols: 11 jogos (entre 12/03/2019 e 10/07/2019)
– Adversário mais frequente: São Paulo (10 jogos)
– Maiores vítimas: São Paulo (8 vitórias, 1 empate e 1 derrota em 10 jogos) e Fluminense (7 vitórias em 7 jogos)
– Maiores goleadas: 5 a 0, quatro vezes: 21/03/2018 – Palmeiras 5×0 Novorizontino (gols de Bruno Henrique, Keno, Willian, Dudu e Papagaio) – Campeonato Paulista; 30/09/2020 – Palmeiras 5×0 Bolívar-BOL (gols de Willian, Wesley, Matías Viña, Raphael Veiga e Rony) – Libertadores; 21/10/2020 – Palmeiras 5×0 Tigre-ARG (gols de Raphael Veiga, Gustavo Gómez, Zé Rafael, Gabriel Veron e Rony) – Libertadores; e 02/12/2020 – Palmeiras 5×0 Delfín-EQU (gols de Patrick de Paula, Gabriel Veron, Willian, Gabriel Veron e Danilo)
– Gol mais cedo:
 Moisés (dia 22/07/2018, aos 2min, Palmeiras 3×2 Atlético-MG, pelo Brasileiro)
– Gol mais tardio: Fabiano (dia 12/04/2017, aos 99min, Palmeiras 3×2 Peñarol-URU, pela Libertadores)
– Placar mais frequente: 1×0 para o Palmeiras (28 vezes)
– Maior público: 41.256 pessoas, dia 02/12/2018, pela última rodada do Campeonato Brasileiro.
– Jogador que mais atuou: Dudu (127 jogos)
– Jogador que mais atuou do atual elenco: Willian (84 jogos, atrás apenas de Fernando Prass, com 86, e Dudu)
– Jogador que mais fez gols: Dudu (33 gols)
– Jogador que mais fez gols do atual elenco: Willian (21 gols, atrás só de Dudu)
– Jogador que mais deu assistência: Dudu (35 assistências)
– Jogador que mais deu assistência do atual elenco: Marcos Rocha (12, à frente de Willian e Lucas Lima, com nove)
– Treinador que mais comandou: Cuca (35 jogos)

– Retrospecto do Palmeiras no Parque Antarctica/Palestra Italia/Allianz Parque: 1748 jogos, 1183 vitórias, 351 empates, 214 derrotas, 4027 gols marcados e 1616 gols sofridos

NÚMEROS GERAIS NA TEMPORADA
J: 62
V: 34
E: 20
D: 8
GP: 105
GC: 41

NÚMEROS NO BRASILEIRO
J: 27
V: 13
E: 8
D: 5
GP: 38
GC: 25

NÚMEROS NA LIBERTADORES
J: 11
V: 9
E: 2
D: 0
GP: 32
GC: 4

NÚMEROS NA COPA DO BRASIL
J: 6
V: 4
E: 2
D: 0
GP: 12
GC: 4

NÚMEROS NO PAULISTA
J: 16
V: 8
E: 6
D: 2
GP: 21
GC: 7

NÚMEROS NA FLORIDA CUP
J: 2
V: 1
E: 1
D: 0
GP: 2
GC: 1

PALMEIRAS DEFENDE INVENCIBILIDADE DE 21 ANOS CONTRA O RIVER PLATE-ARG

Desde que se enfrentaram, coincidentemente, na fase semifinal da CONMEBOL Libertadores de 1999, Palmeiras e River Plate-ARG disputaram outros cinco jogos (já contando o da Libertadores 2020), e o Verdão não perdeu nenhum, somando seis duelos invictos no total – o primeiro da sequência foi ainda pelo jogo de volta da semi contra o adversário argentino, em 1999 (já a última derrota foi no jogo de ida, no Monumental de Nuñez, em Buenos Aires-ARG). No total dos seis jogos que está invicto, o Alviverde soma três vitórias e três empates entre os anos de 1999 e 2001 e, agora, 2021 (válido pela Libertadores de 2020).

PALMEIRAS DEFENDE INVENCIBILIDADE DE SEIS JOGOS CONTRA ARGENTINOS

O Palmeiras não perde para times argentinos há seis jogos. Foi derrotado pela última vez em março de 2019, por 1 a 0, pela equipe do San Lorenzo, no Estádio Nuevo Gasometro (em Buenos Aires-ARG), no jogo de ida da fase de grupos – o Verdão ganhou o jogo de volta por 1 a 0 no Allianz Parque e deu início à sua invencibilidade. Após isso, acumulou um empate (2 a 2, fora de casa, contra o Godoy Cruz) e quatro vitórias seguidas (Godoy Cruz, por 4 a 0, em 2019, Tigre, duas vezes – 2 a 0 fora e 5 a 0 em casa -, ambas em 2020, e River Plate – 3 a 0, fora de casa -, em 2021, mas em duelo válido pela Libertadores de 2020). No saldo total dos seis jogos invictos, portanto, são cinco vitórias e um empate. Todos estes duelos foram disputados pela Libertadores.

COMO MANDANTE, PALMEIRAS NUNCA PERDEU TIMES PARA ARGENTINOS NA LIBERTADORES

Em toda a sua história, o Palmeiras jamais foi derrotado por uma equipe argentina na condição de mandante pela Libertadores da América, incluindo jogos no Morumbi (1j, 1e), Pacaembu (3j, 3v) e Palestra Italia/Allianz Parque (12j, 8v e 4e), totalizando 16 jogos invictos, com 11 vitórias e cinco empates diante da equipe do país vizinho (39 gols marcados e contra sofridos).

Os adversários argentinos que o Verdão enfrentou como mandante pela Libertadores foram: Atlético Tucumán (1j, 1v), o Boca Juniors (5j, 1 & 4e), o Estudiantes de La Plata (1j, 1v), o Godoy Cruz (1j, 1v), o Independiente (1j, 1v), o River Plate (1j, 1v), o Rosário Central (2j, 1v & 1e), o San Lorenzo (1j, 1v), o Tigre (2j, 2v) e o Vélez Sarsfield (1j, 1v).

– Retrospecto geral contra o River Plate: 13 jogos, 4 vitórias, 3 empates, 6 derrotas, 22 gols marcados e 25 gols sofridos
– Primeiro jogo: 21/02/1935 – Palestra Italia 1×2 River Plate-ARG (gol de Mendes) – Estádio Palestra Italia – Amistoso
– Último jogo: 05/01/2021 – River Plate 0×3 Palmeiras (gols de Rony, Luiz Adriano e Viña) – Estádio Libertadores da América (em Avellaneda, grande Buenos Aires-ARG) – Libertadores 2020
Na ocasião, o técnico Abel Ferreira mandou a campo: Weverton, Marcos Rocha, Alan Empereur, Gustavo Gómez e Viña; Danilo (Zé Rafael 21’/2ºT), Patrick de Paula (Emerson Santos 32’/2ºT) e Gabriel Menino; Gustavo Scarpa (Raphael Veiga 25’/2ºT), Rony (Breno Lopes 24’/2ºT) e Luiz Adriano (Willian 32’/2ºT).
– Maior sequência invicta: Palmeiras, seis jogos (com três vitórias e três empates desde 26/05/1999)

– Retrospecto contra o River Plate pela Libertadores: 3 jogos, 2 vitórias, 1 derrota, 6 gols marcados e 1 gol sofrido
– Primeiro jogo: 19/05/1999 – River Plate 1×0 Palmeiras – Monumental de Nuñez (Buenos Aires-ARG)
– Último jogo: 05/01/2021 – River Plate 0×3 Palmeiras (gols de Rony, Luiz Adriano e Viña) – Estádio Libertadores da América (em Avellaneda, grande Buenos Aires-ARG)

– Retrospecto contra o River Plate como mandante: 6 jogos, 3 vitória, 1 empate, 2 derrotas, 12 gols marcados e 7 gols sofridos
– Primeiro jogo: 21/02/1935 – Palestra Italia 1×2 River Plate – Estádio Palestra Italia – Amistoso
– Último jogo: 28/07/2001 – Palmeiras 2×2 River Plate (gols de Muñoz e Lopes) – Estádio Palestra Italia – Copa Mercosul

– Retrospecto contra o River Plate como mandante pela Libertadores: 1 jogos, 1 vitória e 3 gols marcados
– Jogo: 26/05/1999 – Palmeiras 3×0 River Plate-ARG (gols de Roque Júnior e Alex, duas vezes) – Estádio Palestra Italia

– Retrospecto contra times argentinos: 98 jogos, 47 vitórias, 27 empates, 24 derrotas, 184 gols marcados e 121 gols sofridos
– Primeiro jogo: 19/03/1925 – Seleção da Argentina 3×1 Palestra Italia (gol de Feitiço) – Campo do Racing (Estádio Presidente Perón, em Avellaneda, grande Buenos Aires-ARG) – Amistoso
– Primeira vitória: 26/01/1930 – Palestra Italia 4×1 Seleção Tucumán (gols de Lara, Ministrinho, duas vezes, e Osses) – Estádio Palestra Italia (SP) – Amistoso
– Último jogo: 05/01/2021 – River Plate 0×3 Palmeiras (gols de Rony, Luiz Adriano e Viña) – Estádio Libertadores da América (em Avellaneda, grande Buenos Aires-ARG) – Libertadores

– Retrospecto contra times argentinos como mandante: 54 jogos, 35 vitórias, 11 empates, 8 derrotas, 124 gols marcados e 55 gols sofridos
– Primeiro jogo: 21/04/1929 – Palestra Italia 2×2 Barracas-Argentina (gols de Heitor e Mathias – Estádio Palestra Italia – Taça J. Dias Caputo
– Primeira vitória: 26/01/1930 – Palestra Italia 4×1 Seleção Tucumán (gols de Lara, Ministrinho, duas vezes, e Osses) – Estádio Palestra Italia (SP) – Amistoso
– Último jogo: 21/10/2020 – Palmeiras 5×0 Tigre (gols de Raphael Veiga – Gustavo Gómez – Zé Rafael – Gabriel Veron – Rony) – Allianz Parque – Libertadores

– Retrospecto contra times argentinos na Libertadores: 34 jogos, 15 vitórias, 11 empates, 8 derrotas, 62 gols marcados e 33 gols sofridos
– Primeiro jogo: 04/05/1961 – Independiente-ARG 0x2 Palmeiras (gols de Gildo e Zequinha) – Estádio Presidente Perón (Avellaneda-ARG)
– Último jogo: 05/01/2021 – River Plate 0×3 Palmeiras (gols de Rony, Luiz Adriano e Viña) – Estádio Libertadores da América (em Avellaneda, grande Buenos Aires-ARG)

– Retrospecto contra times argentinos na Libertadores como mandante: 16 jogos, 11 vitória, 5 empates, 39 gols marcados e 9 gols sofridos
– Primeiro jogo: 11/05/1961 – Palmeiras 1×0 Independiente (gol de Geraldo II) – Pacaembu (SP)
– Último jogo: 21/10/2020 – Palmeiras 5×0 Tigre (gols de Raphael Veiga – Gustavo Gómez – Zé Rafael – Gabriel Veron – Rony) – Allianz Parque – Libertadores

ABEL FERREIRA: INVICTO NO ALLIANZ PARQUE, 100% DE APROVEITAMENTO NA LIBERTADORES E EM BUSCA DA 6ª CLASSIFICAÇÃO EM SUA ERA

Abel Ferreira assumiu o comando da equipe do Palmeiras justamente em um jogo que valia classificação para Copa do Brasil, após o interino Andrey Lopes (o Cebola) ter dirigido a equipe no jogo de ida diante do Red Bull Bragantino – oitavas de final, em 05/11. Com o triunfo por 1 a 0 no jogo de volta já com Abel estreante (após ter vencido por 3 a 1 na ida, fora de casa), o Palmeiras obteve a primeira classificação na era do novo treinador.

Em apenas 19 jogos no comando da equipe (contando também os jogos dos auxiliares), outros quatro duelos classificatórios foram disputados além daquele de sua estreia . E no total dos cinco, são 100% de aproveitamento: em 18/11, foi o auxiliar Vítor Castanheira que dirigiu a equipe na classificação para as semifinais passando pelo Ceará nas quartas (empate por 2 a 2 fora de casa) – Abel estava suspenso. Depois, em 02/12, com Abel, foi a vez de passar pelo Delfín-EQU nas oitavas de final da Libertadores, rumo às quartas; mais tarde, em 15/12, o Alviverde passou pelo Libertad-PAR nas quartas de final, garantindo vaga às semifinais, também com o português Abel Ferreira; e por último, no dia 30/12, a vitória por 2 a 0 sobre o América-MG fora de casa (após empate por 1 a 1 em casa) garantiu acesso à final da Copa do Brasil 2020. Desta forma, agora, Abel persegue o sexto avanço de fase em sua era.

Com bom retrospecto em seu início no Palmeiras (12 vitórias em 15 jogos, um empate e duas derrotas sofridas), o português Abel Ferreira ficou de fora de quatro compromissos do Verdão desde que assumiu o comando do time – um em 18/11, quando esteve suspenso pela Copa do Brasil diante do Ceará, jogo que rendeu classificação às semifinais (o auxiliar e compatriota Vitor Castanheira comandou em seu lugar); depois, em três partidas seguidas, já mês de dezembro, não pôde dirigir a equipe por ter sido infectado pelo novo coronavírus. Desta vez, o outro auxiliar, João Martins, também português, dirigiu a equipe em todos estes compromissos (empates por 2 a 2 com o Santos, em 05/12, pelo Brasileiro, por 1 a 1, com o Libertad-PAR, em 08/12 pela Libertadores, e triunfo diante do Bahia, por 3 a 0, em 12/12, pelo Brasileiro). Em casa, o retrospecto de Abel é ainda melhor: oito jogos e nenhuma derrota! Sete vitórias um empate, com um único gol sofrido (no 1 a 1 diante do América-MG, em casa, pelas semifinais da Copa do Brasil).

Desta forma, ao todo em seu trabalho no Alviverde (incluindo os jogos comandados pelos auxiliares), são 19 duelos disputados: 13 vitórias, quatro empates e duas derrotas, sendo que, sozinho, são 15 jogos (12 vitórias, um empate e duas derrotas).

Vale destacar que, sozinho, Abel comandou o Palmeiras em quatro jogos de Libertadores (no total dos cinco em sua era, o único empate foi dirigido pelo auxiliar João Martins, com o Libertad-PAR) e venceu todos os quatro que disputou, com aproveitamento de 100%:

Abel é o primeiro português, o oitavo europeu e o 23º estrangeiro a assumir o comando do Maior Campeão do Brasil na história. O último treinador alviverde nascido na Europa tinha sido o italiano Caetano De Domenico, que conquistou o Campeonato Paulista de 1940 e permaneceu no Palestra Italia até 1941, portanto ainda antes da mudança do nome do clube, em 1942 (o penúltimo, o húngaro Eugênio Medgyessy, também sagrou-se campeão, no estadual de 1932). Já o mais recente comandante de fora do país era o argentino Ricardo Gareca, em 2014.

O primeiro técnico estrangeiro foi o italiano Adriano Merlo, que trabalhou em um jogo da campanha do título paulista de 1920, o primeiro da história alviverde, e conduziu a equipe ao bi estadual em 1926, em parceria com Ítalo Bosetti. Ainda na época do Palestra Italia, o uruguaio Humberto Cabelli ficou marcado pela conquista do único tricampeonato paulista do clube (alcançou o título invicto em 1932, levou a taça pela segunda vez seguida em 1933 e deixou o time por um breve período em 1934, mas voltou no mesmo ano e se sagrou campeão com apenas uma derrota).

Presente no tricampeonato paulista de 1932, 1933 e 1934 como jogador, o também uruguaio Ventura Cambon se tornou o treinador estrangeiro com mais partidas disputadas pelo Verdão (é o quarto no geral com 294 jogos) e o técnico que mais vezes assumiu o comando da equipe, de maneira interina ou efetiva, independentemente da nacionalidade, em todos os tempos (15 no total). Campeão paulista em 1944 dividindo o cargo com o ídolo Bianco, Cambon teve seu melhor momento no início da década de 50, quando, já em janeiro de 1951, pegou o time na reta final de um Paulistão praticamente nas mãos do São Paulo e conseguiu levar o Palmeiras ao título estadual de 1950. Meses depois, era ele o treinador na conquista do mais importante troféu da história do clube, o Mundial Interclubes de 1951, e faturou ainda o Torneio Rio-São Paulo daquele ano.

Outro estrangeiro de sucesso foi o argentino Filpo Nuñez, grande maestro da Academia de Futebol do Palmeiras, que brilhou na campanha vitoriosa do Rio-São Paulo de 1965. Além de praticar um jogo coletivo e envolvente, o time alviverde era uma máquina ofensiva: foram 12 vitórias em 16 jogos, apenas uma derrota, e uma média de três gols por partida (49 bolas na rede), com direito a goleadas de 7 a 1 no Santos, 5 a 0 no São Paulo e 4 a 1 no Vasco e no Flamengo. Filpo ostenta até hoje o feito de ser o único técnico nascido fora do país a comandar a Seleção Brasileira, quando o Brasil foi inteiramente representado pelo Palmeiras na partida inaugural do Estádio Mineirão, também em 1965, e venceu a seleção do Uruguai por 3 a 0.

O zagueiro Renan foi relacionado para 24 dos 33 jogos mais recentes do Alviverde (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

#CRIASDAACADEMIA: ATUAL TEMPORADA É A MAIOR EM TERMOS DE UTILIZAÇÃO DE ESTREANTES DA BASE NO SÉCULO

Além dos 27 jogadores que compõem o elenco profissional atualmente, dois jovens do Sub-20 também vêm sendo aproveitados com frequência: o zagueiro Renanque foi relacionado para 24 dos 33 jogos mais recentes e atuou em seis (cinco como titular), e o atacante Gabriel Silva, relacionado para 34 dos últimos 47 jogos e presente em campo em 13.

Ao todo, considerando também os atletas que estão efetivados no plantel principal, 11 Crias da Academia estrearam pelo Palmeiras na temporada atual. Na ordem, foram a campo Patrick de Paula, Gabriel Menino, Wesley, Alan, Angulo (emprestado ao Botafogo), Gabriel Silva, Danilo, Renan, Aníbal, Marcelinho e Fabrício. Juntos, eles somam 166 jogos e fizeram da temporada atual a que o Palmeiras mais colocou jovens estreantes da base para atuar no século, superando as 103 partidas de também 11 partas da casa debutantes em 2010.

Diante do Coritiba, em outubro de 2020, pelo Campeonato Brasileiro, cinco Crias da Academia foram escaladas no time titular: Renan, Esteves, Patrick de Paula, Gabriel Menino e Gabriel Veron – isso não acontecia desde 2015. Já contra o Delfín-EQU, na partida de ida das oitavas de final da Libertadores, os 11 suplentes eram oriundos do Centro de Formação de Atletas do Verdão, feito inédito na história do clube.

Durante o mês de novembro de 2020, dez Crias da Academia foram relacionadas pela primeira vez: os goleiros Mateus e Leandro, o zagueiro Helder, o lateral-esquerdo Vanderlan, os meio-campistas Quiñonez e Juninho e os atacantes Marino, Aníbal, Pedro Acácio e Fabricio. Eles se juntaram ao meio-campista Vitinho e ao atacante Marcelinho, que já haviam sido convocados ao longo do ano, além de Renan e Gabriel Silva. Para o clássico do dia 05 de dezembro, contra o Santos, Ramon Cesar e Ramon Rocha foram acrescentados à lista, somando 16 no total.

>> Gabriel Silva: o atacante de 18 anos chegou ao clube aos 13, em 2015, e tem no currículo dois títulos do Mundial de Clubes Sub-17 – nas duas finais, aliás, ele deixou sua marca: primeiro na vitória por 4 a 2 sobre o Real Madrid na decisão de 2018, na Espanha, e depois na vitória por 2 a 1 sobre o Leganés-ESP em 2019, também na Espanha. Campeão paulista Sub-15, Sub-17, Sub-20 e Profissional pelo Verdão, marcou 40 gols em 46 jogos atuando pelo Sub-17 e pelo Sub-20 em 2019 e se destacou também por balançar as redes em todas as finais nacionais que disputou na temporada passada: Paulista Sub-17 (vice-campeão), Copa do Brasil Sub-17 (campeão), Supercopa do Brasil Sub-17 (campeão), Paulista Sub-20 (campeão), Brasileiro Sub-20 (vice-campeão) e Supercopa do Brasil Sub-20 (vice-campeão). Neste ano, tem seis gols em sete jogos entre Brasileiro Sub-20 e Copa do Brasil Sub-20.

>> Renan: o jovem de 18 anos conquistou importantes títulos pela base do Palmeiras e da Seleção Brasileira desde o Sub-15 – entre eles, o bicampeonato paulista sub-15 (2016 e 2017), o Campeonato Paulista Sub-17 (2018), a Copa do Brasil Sub-17 (2019), a Supercopa do Brasil Sub-17 (2019) e o bicampeonato do Mundial de Clubes Sub-17 (2018 e 2019), pelo Verdão, além da Copa do Mundo Sub-17 em 2019, pelo Brasil. Ele chegou ao Palmeiras em 2015, aos 13 anos de idade, começou a jogar de lateral-esquerdo no início de 2019 por decisão do técnico Artur Itiro e agradou. Ganhou a polivalência como uma de suas características.

Números individuais na temporada:

– Mais jogos no geral: Willian (208); Felipe Melo (170); Lucas Lima (153); Weverton (146); Marcos Rocha (134); Luan (120)
– Mais jogos na temporada atual: Willian (59); Weverton (57); Zé Rafael (54); Gabriel Menino (50); Gustavo Gómez (48); e Lucas Lima (45)
– Mais jogos no Brasileiro 2020: Willian (24); Weverton (22)
– Mais jogos na Libertadores 2020: Weverton e Gustavo Gómez (11)
– Mais jogos na Copa do Brasil 2020: Raphael Veiga e Willian (6)

– Mais gols no geral: Willian (56); Luiz Adriano (25); Gustavo Scarpa e Raphael Veiga (22); Gustavo Gómez (13); Felipe Melo e Zé Rafael (12); Rony, Gabriel Veron e Lucas Lima (10)
– Mais gols na temporada atual: Luiz Adriano e Willian (18); Raphael Veiga (15); Rony (10); Gabriel Veron (8); Zé Rafael, Gustavo Gómez e Patrick de Paula (5); Wesley (4); Gustavo Scarpa e Gabriel Menino (3); Viña, Marcos Rocha, Lucas Lima e Dudu (2); Ramires, Felipe Melo e Danilo (1)
– Mais gols no Brasileiro 2020: Luiz Adriano e Raphael Veiga (8); Willian (7); Rony (4); Gabriel Veron e Patrick de Paula (3); Zé Rafael e Wesley (2); Gustavo Gómez (1)
– Mais gols na Libertadores 2020: Rony e Luiz Adriano (5); Willian (4); Gabriel Menino e Gabriel Veron (3); Raphael Veiga, Zé Rafael, Gustavo Gómez e Viña (2); Wesley, Patrick de Paula, Danilo e Gustavo Scarpa (1)
– Mais gols na Copa do Brasil 2020: Raphael Veiga (4); Gabriel Veron e Luiz Adriano (2); Gustavo Scarpa, Wesley, Gustavo Gómez e Rony (1)

– Mais assistências no geral: Willian, Marcos Rocha e Lucas Lima (20); Gustavo Scarpa (14) e Zé Rafael (12)
– Mais assistências na temporada atual: Gabriel Menino (9); Rony (8); Zé Rafael e Viña (7); Wesley (6); Marcos Rocha, Gabriel Veron e Gustavo Scarpa (5); Willian e Lucas Lima (4); Luiz Adriano e Dudu (3); Raphael Veiga e Danilo (2); Bruno Henrique, Gustavo Gómez, Patrick de Paula, Gabriel Silva, Felipe Melo e Mayke (1)
– Mais assistências no Brasileiro 2020: Gabriel Menino (6); Zé Rafael (3); Luiz Adriano, Viña, Willian, Gustavo Scarpa, Gabriel Veron e Wesley (2); Raphael Veiga, Mayke, Gustavo Gómez, Lucas Lima e Patrick de Paula (1)
– Mais assistências na Libertadores 2020: Rony (7); Wesley, Gustavo Scarpa e Viña (3), Danilo e Dudu (2); Willian, Gabriel Menino, Gabriel Veron, Raphael Veiga, Gabriel Silva e Marcos Rocha (1)
– Mais assistências na Copa do Brasil 2020: Zé Rafael (2); Viña, Lucas Lima, Gabriel Veron, Felipe Melo, Rony e Marcos Rocha (1)

– Mais vezes capitão do time na temporada atual: Felipe Melo (29); Gustavo Gómez (15); Weverton e Willian (7); Luiz Adriano e Bruno Henrique (2)
– Último hat-trick: Luiz Adriano (10/03/2020 – Palmeiras 3×1 Guaraní-PAR – Allianz Parque, em São Paulo-SP – Libertadores)
– Último gol de falta: Moisés (22/05/2019 – Sampaio Corrêa-MA 0x1 Palmeiras – Estádio Castelão, em São Luiz-MA – Copa do Brasil)
– Último gol de pênalti em tempo regulamentar: Raphael Veiga (12/12/2020 – Palmeiras 3×0 Bahia – Allianz Parque – Campeonato Brasileiro)
– Último gol de pênalti em disputa de penais: Patrick de Paula (08/08/2020 – Palmeiras 1 (4)x(3) 1 Corinthians – Allianz Parque, em São Paulo-SP – Campeonato Paulista)
– Última defesa de pênalti em tempo regulamentar: Weverton (02/11/2019 – Palmeiras 1×0 Ceará – Allianz Parque, em São Paulo-SP – Campeonato Brasileiro)
– Última defesa de pênalti em disputa de penais: Weverton (08/08/2020 – Palmeiras 1 (4)x(3) 1 Corinthians – Allianz Parque, em São Paulo-SP – Campeonato Paulista

WILLIAN: ARTILHEIRO MÁXIMO DO ATUAL ELENCO E DA TEMPORADA; JOGADOR MAIS ASSÍDUO NA TEMPORADA; TOP 5 EM NÚMERO DE JOGOS PELA LIBERTADORS NA HISTÓRIA DO PALMEIRAS

Willian segue como o atleta mais assíduo do Verdão na atual temporada: atuou em 59 dos 62 compromissos possíveis, seguido de Weverton, com 56 atuações – no Brasileiro, também é quem mais jogou: 25 das 27 partidas possíveis até aqui, seguido de Weverton, com 23 duelos no Nacional.

Além disso, com o gol na partida mais recente, pelo Brasileiro (1×0 sobre o Sport, fora de casa), Willian voltou a ser o artilheiro do Palmeiras na temporada (são 18 gols, ao lado de Luiz Adriano, ambos seguidos por Raphael Veiga, com 15); é o terceiro artilheiro do time no Campeonato Brasileiro (sete, atrás de Raphael Veiga e de Luiz Adriano, ambos com oito) e o líder em participações diretas nos gols da temporada (22, somando-se 18 bolas na rede e quatro assistências, seguido de Luiz Adriano, com 21 – 18 gols e três passes).

Segundo maior artilheiro do Verdão na era dos pontos corridos com 28 bolas na rede (atrás apenas de Dudu, com 41) ele já entrou no top 10 dos que mais marcaram gols pelo clube em Brasileiro em todos os tempos (atualmente na 9ª posição, ao lado de Evair), o atacante é o segundo maior goleador do Palmeiras neste século com 56 tentos (atrás só de Dudu, com 70) e aparece na 47ª posição da lista dos maiores artilheiros da história alviverde, ao lado de Zinho.

Jogador do atual elenco com mais partidas (208, seguido por Felipe Melo, com 170), gols (56, seguido por Luiz Adriano, com 25, e por Raphael Veiga e Gustavo Scarpa, ambos com 22) e assistências (20, ao lado de Marcos Rocha e de Lucas Lima), Willian é o 72º no ranking dos atletas com mais jogos na história do clube e o 6º entre os que têm mais vitórias neste século, com 114 triunfos – completam o ranking: Márcio Araújo (5º, com 118), Valdivia (4º, com 122), Fernando Prass (3º, com 151), Dudu (2º colocado, com 174) e Marcos (líder com 182 vitórias).

As 208 partidas de Willian, inclusive, o colocam também no top 10 de palmeirenses com mais partidas neste século
, na 7ª colocação. Completam o ranking: o meio-campista Corrêa (6º, com 209), o meia Valdivia (5º, com 241), o volante Márcio Araújo (4º, com 252), o goleiro Fernando Prass (3º, com 274), o atacante Dudu (2º, com 305) e o goleiro Marcos (líder no quesito, com 392).

Contra o River Plate-ARG, na mais recente partida do Verdão pela competição continental, ele chegou a 31 partidas pela competição continental e superou o volante Cesar Sampaio na lista dos atletas palmeirenses com mais jogos pela Libertadores em todos os tempos, se isolando na 5ª colocação; completam a lista: o atacante Dudu (4º, com 34 jogos), o volante Galeano (3º, com 38 jogos), o meia Alex (2º, com 39 jogos) e o goleiro Marcos (líder da lista, com 57 jogos).

Na Libertadores 2020, aliás, Willian marcou quatro vezes: na estreia do Verdão na atual edição, contra o Tigre-ARG, diante do Bolívar-BOL, na terceira rodada; novamente, ante a equipe boliviana (desta vez no jogo de volta da primeira fase, na quinta rodada) e, mais recentemente, sobre o Delfín-EQU (jogo de volta). Com esses quatro gols no mais importante torneio das Américas, é o vice-artilheiro do Palmeiras na atual edição, atrás só de Luiz Adriano e Rony.

No Allianz Parque, Willian é o vice-artilheiro, com 21 bolas na rede na arena alviverde, só está de Dudu neste quesito, com 33; o terceiro em jogos (83, a frente de Vitor Hugo, com 75, e de Felipe Melo, com 74, e atrás apenas de Fernando Prass, com 86, e Dudu, com 127) e o quinto em assistências (nove, ao lado de Lucas Lima e uma a menos que Robinho e Róger Guedes, com dez, e três a menos que Marcos Rocha, com 12 – todos atrás de Dudu, com 35).

LUIZ ADRIANO: VICE-ARTILHEIRO DO ELENCO E ARTILHEIRO DA TEMPORADA ATUAL; ARTILHEIRO DO TIME NA LIBERTADORES E NO BRASILEIRÃO 2020

Com 18 gols, Luiz Adriano é o artilheiro palmeirense na temporada (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

Autor de um dos gols da vitória no compromisso mais recente do Verdão pela Libertadores, por 3 a 0 fora de casa, diante do River Plate-ARG, na última terça-feira (05), jogo de ida das semifinais do torneio continental, Luiz Adriano, que também havia marcado nos dois jogos anteriores, pela Copa do Brasil diante do América-MG – que rendeu classificação à final – e pelo Campeonato Brasileiro, diante do Red Bull Bragantino (vitória por 1 a 0 no Allianz Parque), voltou a figurar na artilharia do time na atual temporada, agora de forma isolada, com 18 gols, agora ao lado de Willian Bigode, ambos com 18 gols, seguidos de Raphael Veiga, com 15.

Luiz Adriano é um dos três palmeirenses a ter marcado em todas as competições regulares disputadas nas competições oficiais da temporada atual – os outro são Raphael Veiga e Gustavo Gómez. Ele marcou três vezes no Paulista, oito no Brasileiro (artilheiro do time na edição, ao lado de Raphael Veiga), cinco na Libertadores (artilheiro palmeirense no torneio, ao lado de Rony) e duas na Copa do Brasil, enquanto o camisa 23 fez um gol pelo Estadual, oito pelo Brasileirão, dois pela Libertadores e quatro na Copa do Brasil. Com o gol que fez pelo Brasileiro na partida mais recente pela competição (o oitavo), aliás, voltou a ser artilheiro do time na competição, ao lado de Raphael Veiga. E Gustavo Gómez balançou as redes uma vez pelo Paulista, uma pelo Brasileiro, uma pela Copa do Brasil e duas pela Libertadores.

Luiz Adriano soma sete gols em seus últimos 11 jogos disputados – média de 0,63 por partida – marcou duas vezes na vitória por 3 a 0 contra o Atlético-GO, em Goiânia, pelo Brasileiro, em 25/10; no triunfo por 3 a 1 diante do RB Bragantino pelo jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil, em Bragança Paulista-SP, em 29/10; e, mais recentemente, diante do Vasco, em 08/11, antes de ficar de fora por desgaste muscular, voltar por mais duas partidas e, em seguida, se lesionar (ficando de fora por oito jogos em um mês). Em sua volta, entrou no segundo tempo diante do América-MG (jogo de ida pela Copa do Brasil, no Allianz Parque); e nos dois duelos seguintes, marcou gol: pelo Brasileiro, fez o tento da vitória por 1 a 0 diante do RB Bragantino, pela 27ª rodada do Brasileiro (no Allianz Parque); abriu caminho para a vitória do Palmeiras fora de casa, no segundo tempo, contra o América-MG pela Copa do Brasil (jogo que valeu vaga na final) e também deixou sua marca na vitória por 3 a 0 diante do River Plate-ARG fora de casa, no jogo de ida das semifinais da Libertadores.

Com 25 gols desde que chegou ao Verdão, em 2019, o jogador é ainda o vice-goleador do elenco no geral, seguido de Raphael Veiga e de Gustavo Scarpa (empatados na terceira colocação, com 22), e atrás só de Willian, com 55 bolas na rede.

Contratado em agosto de 2019, tem média de 0,40 gol por partida (18 em 44 jogos), ante 0,46 da sua temporada de estreia (sete em 15), superando os 13 gols dos artilheiros do time em 2019, Dudu e Scarpa, e está a dois de Borja, artilheiro em 2018.

No Allianz Parque, Luiz Adriano ostenta a melhor média de gols da história da arena, com índice de 0,5 bola na rede por jogo (11 gols em 22 jogos) – completam o top 10: Borja (2º com 0,38 – 19 gols em 50 jogos), Cristaldo (3º com 0,34 – 11 gols em 32 jogos), Leandro Pereira (4º com 0,33 – 7 gols em 21 jogos), Gabriel Jesus (5º com 0,32 – 11 gols em 34 jogos), Deyverson (6º com 0,30 –13 gols em 42 jogos), Rafael Marques (7º com 0,28 – 12 gols em 42 jogos), Barrios (8º com 0,26 – 5 gols em 19 jogos) e quatro atletas empatados em 9º, com 0,25, que são Dudu (33 gols em 127 jogos), Keno (9 gols em 35 jogos) e Alecsandro (6 gols em 24 jogos).

Os 11 gols anotados no Allianz Parque também já colocam Luiz Adriano no top 10 de artilheiros da arena palmeirense, ocupando a 7ª posição com um gol a mais do que Keno, 11º colocado – completam o ranking: Cristaldo, Gabriel Jesus e Bruno Henrique (empatados na 6ª colocação com 11), Raphael Veiga e Rafael Marques (empatados em 5º, com 12), Deyverson (4º, com 13), Borja (3º, com 19), Willian (2º, com 20) e Dudu (1º, com 33).

Por duas vezes na casa palestrina, Luiz Adriano deixou o gramado com três bolas na rede no mesmo jogo: diante do Fluminense, no Brasileirão de 2019, e do Guaraní-PAR, na Libertadores deste ano. Fora do Brasil, já havia alcançado o mesmo feito em outras três oportunidades, além de uma vez em que marcou cinco gols pelo Shakhtar Donetsk-UCR (sendo quatro só no primeiro tempo), clube onde é o maior artilheiro da história com 130 gols. Ele é também o 7º maior goleador brasileiro na história da Champions League, com 21 tentos – neste ranking, apenas Neymar, Kaká, Rivaldo, Jardel, Élber e Mazzola, revelado pelo Verdão, balançaram mais vezes as redes pela maior competição continental do planeta.

RONY: INVICTO HÁ 16 JOGOS; SEGUNDO COLOCADO EM DRIBLES E ASSISTÊNCIAS DA TEMPORADA 2020 DENTRE OS PALMEIRENSES E TERCEIRO EM FINALIZAÇÕES CERTAS; GARÇOM GERAL DA LIBERTADORES 2020 E ARTILHEIRO PALMEIRENSE NO TORNEIO

Preservado no penúltimo jogo do time no Brasileirão, de 27/12, diante do Red Bull Bragantino (vitória por 1 a 0 no Allianz Parque), Rony voltou a entrar em campo nas duas partidas seguintes do Verdão: em 30/12, diante do América-MG, jogo que valeu classificação à final da Copa do Brasil após vitória por 2 a 0, no Estádio Independência (Belo Horizonte-MG) – deu uma assistência para o primeiro gol (de Luiz Adriano) e fez o segundo gol; e foi titular diante do River Plate-ARG, fora de casa, marcando o gol que abriu caminho para a vitória por 3 a 0 fora de casa pelo jogo de ida das semifinais do torneio continental. No jogo mais recente do time, vitória por 1 a 0 fora de casa diante do Sport, pelo Brasileiro, participou ao entrar no segundo tempo.

Como o Palmeiras ganhou o duelo mais recente (Sport, 1×0, fora de casa), ele somou mais um jogo invicto: agora são 16 partidas em que o camisa 11 não sabe o que é perder. A marca curiosa se deve muito ao fato de, coincidentemente, ele ter ficado de fora justamente nos poucos tropeços em que o Verdão sofreu em tempos recentes, como os reveses para o Goiás e Inter, ambos fora de casa, em 21/11 e 19/12, respectivamente. Ao todo, são 14 vitórias e dois empates na série invicta atual do atacante. O jogador, aliás, vem de bons números: fez nove gols em suas últimas 16 partidas disputadas (média de 0,56 por jogo neste período).

Com dez bolas na rede na temporada atual, Rony é o quarto principal artilheiro do Alviverde em 2020, atrás só de Raphael Veiga (15), e de Willian e Luiz Adriano (18). No Brasileirão, ele possui quatro gols e é o quarto principal artilheiro do Verdão no torneio, atrás só de Willian (sete), e de Raphael Veiga e Luiz Adriano (ambos com oito);

Na Libertadores ele tem cinco bolas na rede – marcados nos últimos seis jogos disputados no torneio –, sendo o principal artilheiro do Verdão no Continental, ao lado de Luiz Adriano. O camisa 11 também o garçom máximo da edição 2020 do Continental, dentre todos os clubes, com sete passes a gol, além de ser também o líder isolado em participação em gols no torneio sul-americano, com 12 ações (ou seja, gols e assistências somadas – no caso, sete passes a gol e cinco bolas na rede).

No duelo de ida contra o River Plate-ARG pela Conmebol Libertadores, Rony foi eleito o melhor jogador da partida (Foto: Staff Images Conmebol)

E como deu assistência no último jogo pela Copa do Brasil, somada às sete que já possuía pela Libertadores, totalizando oito, Rony chegou a oito assistências na temporada atual, ficando na segunda posição dentre os principais garçons do Verdão, atrás só de Gabriel Menino (com nove) e seguido de Zé Rafael e Viña (ambos com sete).

Dentre o elenco palmeirense, o atleta chegou a 18 participações, com dez gols e oito assistências, e se isolou na terceira posição do time, superando as 17 ações de Raphael Veiga (15 gols e duas assistências), ficando atrás só de Luiz Adriano, com 21 (18 gols e três passes) e de Willian, 22 (18 gols e quatro assistências).

Na atual temporada, até antes de entrar em campo pela última partida do Verdão, diante do Sport, Rony ocupava o terceiro atleta que mais acerta a meta adversária, com 35 finalizações certas, atrás de Luiz Adriano (36) e de Willian (40) e o segundo que mais dribla, com 27 fintas completas, ao lado de Wesley e de Gabriel Menino, e atrás só de Zé Rafael, líder no quesito (34). Desde que estreou, em fevereiro de 2020, pelo Campeonato Paulista, ele participou de 41 dos últimos 53 jogos, sendo 32 como titular e nove acionado do banco de reservas.

LUCAS LIMA: LÍDER EM ASSISTÊNCIAS PARA FINALIZAÇÃO EM 2020 E PRESENTE EM 15 DOS ÚLTIMOS 18 JOGOS

Presente em 15 das últimas 18 partidas (sendo 11 destas como titular – inclusive no mais recente), Lucas Lima se destaca não só pela assiduidade. Em suas mais últimas exibições, o jogador vem fazendo a diferença junto ao time: no duelo mais recente da Copa do Brasil (antepenúltimo no geral), cobrou a falta que originou o segundo gol do Palmeiras sobre o América-MG fora de casa, na vitória por 2 a 0 (gol este que selou a classificação à final do torneio nacional). A falta, cobrada pelo lado esquerdo, aos 40 minutos do segundo tempo, entre o escanteio e a grande área, foi na medida para Mayke finalizar e o goleiro adversário rebater. Na sobra, Rony balançou as redes – o primeiro gol da partida havia sido marcado por Luiz Adriano minutos antes.

Antes disso, há alguns jogos, Lucas Lima foi o responsável pela cobrança do corner que originou o gol de Willian Bigode, o segundo do Verdão sobre o Peixe, em rodada do Brasileiro, em 05/12 – a bola ainda desviou em Zé Rafael antes de o camisa 29 balançar as redes. Já no jogo de volta das oitavas de final da Libertadores (vitória sobre o Delfín-EQU por 5 a 0 e classificação), Lucas Lima chutou de longe e a pelota explodiu na zaga, sobrando para Patrick de Paula dominar e também chutar de longe e marcar um golaço, abrindo o placar.

Um jogo antes, no triunfo sobre o Athletico-PR por 3 a 0, em 28/11, no Allianz Parque, pelo Brasileiro, ele havia concedido o passe para o primeiro gol do Palmeiras, também marcado por Patrick de Paula e, com isso, chegou a 20 assistências no total desde que chegou ao Palmeiras em 2018. Desta forma, Lucas Lima passou a ser o líder de passes a gol do atual elenco, ao lado de Willian Bigode, com as mesmas 20 assistências e também Marcos Rocha.

E em outro duelo anterior, no jogo de ida das oitavas da Libertadores, contra o Delfín-EQU (vitória por 3 a 1 fora de casa), em 25 de novembro, Lucas também teve papel imprescindível no resultado favorável. Foi dele que originou-se o lance do pênalti que ocasionou o segundo gol do Verdão no duelo com os equatorianos (convertido por Rony) – na ocasião, o meia chutou de perto da entrada da grande área e a bola foi desviada pela zaga com o braço.

Este não foi o único penal que o atleta favoreceu o Palmeiras nos tempos recentes: em outros dois compromissos, estes pelo Brasileiro (diante do Vasco, em 08/11, e contra o Fluminense, em 14/11), ele sofreu ambas as penalidades – diante do time cruz-matino, a infração valeu o gol da vitória, marcado por Luiz Adriano no rebote após defesa do goleiro Fernando Miguel e, diante do Tricolor Carioca, o tiro foi cobrado por Raphael Veiga e abriu caminho para o triunfo por 2 a 0 sobre o time das laranjeiras.

Na atual temporada, até antes de entrar em campo no jogo mais recente do time, vitória por 1 a 0 contra o Sport, fora de casa, o camisa 20 era o líder em passe para finalizações – proporcionou 63 chutes a gol dos seus companheiros, seguido de Gabriel Menino, com 54 (números do Footstats que não incluem os passes que resultaram em bola na rede). É também o quinto colocado na lista dos maiores garçons do Allianz Parque (ao lado de Willian com nove assistências, três a menos que Marcos Rocha, vice-líder, com 12, e uma a menos do que Robinho e Róger Guedes, com dez, todos atrás de Dudu, com 35).

RAPHAEL VEIGA: TEMPORADA MAIS ARTILHEIRA DA CARREIRA, TERCEIRO ARTILHEIRO DO TIME NA TEMPORADA E DO ATUAL ELENCO; ARTILHEIRO DO TIME NO BRASILEIRO E NA COPA DO BRASIL

Raphael Veiga tem um retrospecto com ótimos números pelo Verdão: em seus últimos 14 jogos disputados, Veiga marcou sete gols (média de 0,5 neste período). Ao todo, neste ano, Raphael Veiga soma 15 bolas na rede na temporada e, com isso, superou os nove gols que acumulou em 2018 pelo Athletico-PR e fez de 2020, de forma disparada, a temporada mais artilheira de sua carreira – neste quesito, na atual temporada, está atrás só dos atacantes Willian e Luiz Adriano (ambos com 18), e é o artilheiro da equipe no Brasileirão, com oito gols, ao lado de Luiz Adriano, e na Copa do Brasil, com quatro, isolado.

Profissionalizado no futebol em 2016, pelo Coritiba, marcou três gols em 24 jogos em sua primeira temporada no Coxa. Em 2017, seu primeiro ano no Palmeiras, fez dois gols em 22 partidas (à época, muitos meio-campistas experientes não possibilitaram que o jogador tivesse sequência). Emprestado ao Athletico-PR em 2018, quando foi campeão da Copa Sul-Americana, fez 48 jogos e nove gols (até então sua temporada mais artilheira); em 2019, voltou de empréstimo e jogou 31 vezes pelo Verdão, marcando cinco gols.

O fato de ter chegado a 15 gols na temporada faz de Veiga o quarto jogador com mais participações diretas em gols (ou seja, gols e assistências somadas): são 17 participações (sendo 15 gols e duas assistências), atrás de Rony (dez gols e oito assistências), de Luiz Adriano, com 21 (18 gols e três assistências) e de Willian, 22 (18 tentos e quatro passes).

Além disso, com os 22 gols que possui, assim como Gustavo Scarpa, ele é o terceiro artilheiro geral do atual elenco, atrás só de Luiz Adriano, com 25 de ao todo, e de Willian Bigode, com 56.

Raphael Veiga, aliás, é um dos três palmeirenses a ter marcado em todas as competições regulares disputadas em 2020 – os outros são Luiz Adriano e Gustavo Gómez. Ele marcou uma vez no Paulista, oito no Brasileiro até aqui (sendo o artilheiro do time na competição ao lado de Luiz Adriano), duas na Libertadores até o momento e outras quatro na Copa do Brasil (que também faz dele o artilheiro do time no torneio nacional), enquanto o camisa 10 fez três gols pelo Estadual, oito pelo Brasileirão, cinco pela Libertadores e dois na Copa do Brasil. E Gustavo Gómez balançou as redes uma vez pelo Paulista, uma pelo Brasileiro, uma pela Copa do Brasil e duas pela Libertadores.

Os meio-campistas Zé Rafael e Gustavo Scarpa (à direita) durante treinamento na Academia de Futebol (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

GUSTAVO SCARPA: TERCEIRO ARTILHEIRO GERAL DO ELENCO, JOGADOR MAIS ACIONADO DO BANCO DE RESERVAS EM 2020 E POLIVALENTE; PRESENTE EM DEZ DOS ÚLTIMOS 12 DUELOS

Autor da assistência para o terceiro gol do Palmeiras no duelo mais recente do time pela Libertadores, vitória por 3 a 0 fora de casa, diante do River Plate-ARG, na última terça-feira (05), pela CONMEBOL Libertadores, jogo de ida das semifinais do torneio continental, Gustavo Scarpa, que no duelo anterior a este pela Libertadores (Palmeiras 3×0 Libertad-PAR, em casa, pelas quartas de final, jogo que valeu classificação às semifinais do Continental), também havia sido autor de um gol e de uma assistência naquele partida. Desta forma, Scarpa vem em uma crescente no time do Verdão. Ele faz parte de um seleto grupo de jogadores com 100 ou mais jogos pelo Verdão: hoje são 105. Desta forma, ao alcançar essa expressiva marca, o meia se juntou a outros oito jogadores do elenco que possuem três dígitos de jogos. São eles: Gustavo Gómez e Mayke (ambos com 107), Luan (120), Marcos Rocha (134), Weverton (146), Lucas Lima (153), Felipe Melo (170) e Willian (208).

Presente em dez dos últimos 12 duelos do Verdão (titular em seis deles), o camisa 14 ostenta uma curiosa estatística na atual temporada: é o jogador que mais vezes sai do banco de reservas para auxiliar a equipe na temporada atual, tendo sido acionado 20 vezes nos últimos 46 jogos, apesar de ter sido titular no compromisso mais recente que atuou pelo Verdão, diante do River Plate-ARG. O jogo mais recente em que o meia saiu do banco para ajudar o time foi em 30/12, diante do América-MG, jogo que valeu classificação à final da Copa do Brasil após vitória por 2 a 0, no Estádio Independência (Belo Horizonte-MG).

Meio-campista de origem, o camisa 14 tem a polivalência como uma de suas características. Durante o período em que o lateral-esquerdo titular Matías Viña estava com a Seleção Uruguaia e, depois, tornou-se desfalque pelo fato de ter contraído Covid-19, e o suplente Lucas Esteves estava lesionado, o meia canhoto Gustavo Scarpa, assim como o lateral-direito Mayke, foi testado de forma improvisada na ala esquerda e se saiu bem: contra o Ceará (11/11) e o Fluminense (14/11), vitórias por 3 a 0 e 2 a 0, pela Copa do Brasil e Brasileiro, respectivamente, ambas no Allianz Parque, o jogador foi titular da posição, além de ter feito um gol (o primeiro da partida) logo em seu primeiro jogo na nova função. A atuação na lateral-esquerda se repetiu pela última vez no último dia 23/12, quando Scarpa iniciou o duelo na ala esquerda enquanto Viña começou no banco e entrou no segundo tempo.

O jogador é o terceiro principal artilheiro do elenco (22 gols, ao lado de Raphael Veiga, e atrás de Luiz Adriano, com 25, e de Willian, com 56) – em 2019, ele foi o goleador do time, ao lado de Dudu, com 13 – e o quarto colocado no ranking dos maiores garçons do plantel (13 passes para gol desde que chegou ao clube, em 2018, atrás apenas de Marcos Rocha, Lucas Lima e Willian, líderes, com 20) – além de quatro assistências em 2020 (sendo duas nos dois jogos mais recentes pela Libertadores e outras duas no ano de estreia), o camisa 14 foi o segundo maior garçom do time em 2019, ao lado de Marcos Rocha, com sete passes a gol, atrás só de Dudu, com 18.

ZÉ RAFAEL: LÍDER EM DRIBLES, TERCEIRO EM DESARMES E EM ASSISTÊNCIAS NA TEMPORADA

Titular no jogo mais recente do Palmeiras, vitória por 1 a 0 sobre o Sport, fora de casa, Zé Rafael havia retornado ao time justamente no compromisso mais recente pela Libertadores, vitória por 3 a 0 fora de casa, diante do River Plate-ARG, na última terça-feira (05), pela CONMEBOL Libertadores, jogo de ida das semifinais do torneio continental, após ter entrado aos 21 do segundo tempo no lugar de Danilo, Zé Rafael, que esteve fora dos dois duelos anteriores do Verdão (vitórias sobre o Red Bull Bragantino 1×0, pelo Brasileiro, e América-MG, 2×0, pela Copa do Brasil) devido a uma infecção no pé esquerdo, vem acumulando participações importantes no time palmeirense nos jogos atuais.

Responsável por uma assistência em rodada recente do Brasileirão, após desviar de cabeça cobrança de escanteio de Lucas Lima para Willian Bigode marcar, diante do Santos, no dia 05/12, empate por 2 a 2 (depois disso, o Alviverde tornou a jogar pela competição nacional e venceu o Bahia por 3 a 0, em casa, mas Zé estava suspenso),ele também foi quem havia iniciado a construção das jogadas de três dos quatro gols mais recentes da equipe à época, pois, além da assistência diante do Santos (segundo da partida), um jogo antes, contra o Delfín-EQU, pela Libertadores, no Allianz Parque – duelo que valeu classificação às quartas de final do Continental – o camisa 8 iniciou a construção da jogada dos dois últimos gols daquela goleada do Verdão por 5 a 0, marcados por Gabriel Veron e Danilo, respectivamente.

Na atual temporada, o camisa 8 é um dos terceiros colocados do time em assistências no ano, com sete passes a gol, ao lado de Viña, e atrás só do vice-líder Rony, com oito, e do líder Gabriel Menino, com nove. No Brasileirão de 2019, ele foi o vice-líder do time com cinco passes a gol, atrás apenas de Dudu, com 11.

Apenas na Copa do Brasil 2020, foram dois passes a gol, o que faz dele o líder isolado no quesito na atual edição do torneio, à frente de Viña, Gabriel Veron, Lucas Lima, Marcos Rocha e Felipe Melo, todos com um passe a gol cada na competição.

O meio-campista também aparece bem em outro quesito: na atual temporada, está no top 6 da artilharia do clube, na sexta colocação, com cinco gols, ao lado de Patrick de Paula e de Gustavo Gómez, atrás apenas de Gabriel Veron (8), Rony (10), Raphael Veiga (15), Willian e Luiz Adriano (ambos com 18).

O meia se destaca também em três fundamentos individuais na temporada atual. Até antes de entrar em campo no jogo mais recente do time, vitória por 1 a 0 sobre o Sport, fora de casa, pelo Brasileiro, ele era o líder isolado em dribles com 34 fintas completas, seguido de Wesley, Rony e Gabriel Menino, todos com 27; terceiro colocado no ranking de desarmes com 94 roubos de bola, atrás de Viña, 95, e de Marcos Rocha, com 108; e o sexto que mais proporcionou chutes a gol, com 36 assistências para finalização, ao lado de Raphael Veiga, e atrás apenas de Willian (5º, com 37), de Gabriel Veron (4º, com 42), de Marcos Rocha (3º, com 52), de Gabriel Menino (2º, com 54) e de Lucas Lima (líder no quesito, com 63) – nesta estatística são considerados apenas passes para finalizações que não culminaram em gols.

DANILO: CRIA DA ACADEMIA MAIS RECENTE NO ELENCO PROFISISONAL; PRESENTE EM 11 DOS ÚLTIMOS 13 JOGOS E TITULAR EM OITO

Presente em 26 dos últimos 36 jogos desde que estreou e titular em 11, Danilo concedeu assistência para o segundo gol do Verdão no compromisso mais recente pela Libertadores, vitória por 3 a 0 fora de casa, diante do River Plate-ARG, na última terça-feira (05), jogo de ida das semifinais do torneio continental: deu o passe para Luiz Adriano sair em arrancada, invadir a área rival e balançar as redes. Essa foi a segunda assistência de Danilo pelo Palmeiras e também na Libertadores, já que a outra foi justamente em um jogo do Continental: na vitória por 5 a 0 sobre o Delfín-EQU, ele deu o passe para o segundo gol do duelo, de Gabriel Veron, e fechou a contagem marcando o seu primeiro tento pelo time principal do Verdão, aos 48 do segundo tempo, no Allianz Parque, no duelo que valeu classificação às quartas de final do Continental.

Nos últimos 13 jogos do Verdão, Danilo atuou em 11. Os dois jogos em que não esteve foram diante do Santos (empate por 2 a 2 pelo Brasileiro, fora de casa, quando esteve suspenso) e Bahia (vitória por 3 a 0 em casa no mais recente compromisso do time pelo torneio nacional – quando foi preservado da partida). E dos 11 jogos mais recentes em que disputou pelo Verdão, oito destes foram como titular.

Figura constante nas convocações da Seleção Brasileira Sub-20, o jovem de 19 anos é o jogador oriundo da base que está há menos tempo no elenco profissional do Palmeiras – chamou a atenção da comissão técnica durante os treinos do Sub-20 na Academia de Futebol no início do segundo semestre e, desde então, não voltou mais para a base.

Meio-campista versátil que atua na contenção e na armação de jogadas, Danilo participou de alguns projetos sociais na sua cidade natal, Salvador (BA), e foi vice-campeão da segunda divisão do Campeonato Baiano pelo Cajazeiras, aos 16 anos, antes de chegar ao Palmeiras em 2018, quando foi captado para integrar o elenco Sub-17 e naquela mesma temporada já conquistou o título paulista da categoria. No Sub-20, o canhoto de 19 anos ganhou espaço ao final de 2019, contribuindo para a conquista de mais um título paulista. Foi ainda titular da equipe na Copa São Paulo deste ano, na qual disputou cinco jogos e marcou um gol.

GABRIEL MENINO: CRIA DA ACADEMIA COM MAIS JOGOS EM 2020, GARÇOM DO TIME NA TEMPORADA E NO BRASILEIRO; VICE-LÍDER EM PASSES PARA FINALIZAÇÕES GERAIS E DRIBLES; LÍDER EM INTERCEPTAÇÕES; 3º PALMEIRENSE MAIS JOVEM A FAZER GOL PELA LIBERTADORES

Um dos responsáveis por participar da construção da jogada do primeiro gol do Palmeiras no compromisso mais recente pela Libertadores, vitória por 3 a 0 fora de casa, diante do River Plate-ARG, na última terça-feira (05), pela CONMEBOL Libertadores, jogo de ida das semifinais do torneio continental – recebeu bola de Patrick de Paula e cruzou na grande área até que a zaga rival tentou afastar a bola, que sobrou para Rony finalizar com maestria e abrir o placar –, Gabriel Menino é a Cria da Academia que fez mais jogos na temporada (50, contra 41 de Patrick de Paula). No segundo semestre de 2020, ele chegou a emplacar uma sequência de 17 partidas de titularidade, também a maior de um prata da casa na temporada atual.

Alçado ao elenco profissional no início de 2020, o jovem de 20 anos tem a polivalência como característica, tanto que já foi utilizado em todas as posições do meio-campo e como ala – inclusive, foi escalado na lateral direita em nove dos últimos 15 jogos em que atuou como titular e registrou cinco assistências, passando a ser o garçom isolado do Verdão na temporada atual, com nove passes ao todo, seguido de Rony, com oito. No Brasileiro, é o garçom da equipe, isolado, com seis passes a gol.

Na atual temporada, até antes do duelo mais recente do time, contra o Sport, vitória por 1 a 0 fora de casa pelo Brasileiro, Menino aparecia como o segundo que mais proporciona chutes a gol, com 54 assistências para finalizações, atrás só de Lucas Lima, com 63 (números do Footstats, que não incluem os passes que resultaram em bola na rede), o primeiro que mais intercepta jogadas adversárias (ou seja, quando o passe, lançamento ou cruzamento rival é impedido no meio do caminho) com 29 intervenções, seguido de Vinã, com 26; além disso, figura ainda no top 5 de jogadores do Palmeiras que mais desarmam na temporada, na quarta posição, com 79 roubos de bola, e é o vice-líder do time em dribles na temporada, com 27 fintas, ao lado de Rony e Wesley, atrás só de Zé Rafael (líder, com 34).

Contra o Bolívar-BOL, em setembro, o camisa 25 anotou o seu primeiro gol como profissional, selando a vitória por 2 a 1 em La Paz, e aparece como o terceiro jogador mais jovem a balançar a rede pelo Verdão na Libertadores: 19 anos, 11 meses e 16 dias, desbancando Keirrison, que em 2009 marcou contra o Real Potosí-BOL aos 20 anos, 1 mês e 26 dias – o recorde é de Gabriel Veron, que com 18 anos, um mês e 19 dias deixou sua marca contra o Tigre-ARG, em 21/10/2020, enquanto Gabriel Jesus é o segundo colocado com o gol aos 18 anos, 10 meses e 13 dias contra o River Plate-URU em 2016. Contra o Delfín-EQU, no duelo de ida das oitavas, no Equador (vitória por 3 a 1), o camisa 25 também deixou sua marca ao fazer o gol que abriu o placar – o fez novamente no jogo mais recente do time, pela Libertadores, vitória por 3 a 0 diante do Libertad-PAR, em casa – jogo este que valeu a classificação às semifinais do Continental, quando fechou a contagem em 3 a 0 – Menino agora soma três gols pelo Verdão, todos pela Libertadores.

Natural de Morungaba (SP), Menino foi captado pela base do Palmeiras em 2017, quando atuava no Guarani, e logo se destacou, inclusive sendo convocado para defender a Seleção Brasileira Sub-20 no Sul-Americano de 2019. Campeão brasileiro Sub-20 em 2018, faturou também a Copa do Brasil Sub-17 em 2017 e três títulos paulistas seguidos (2018 e 2019 pelo Sub-20 e 2020 pelo Profissional) no clube.

Gabriel Menino foi um dos destaques alviverdes no primeiro jogo da semifinal (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

MARCOS ROCHA: LÍDER EM DESARMES E TERCEIRO EM PASSES PARA FINALIZAÇÕES NA TEMPORADA; GARÇOM MÁXIMO DO ATUAL ELENCO NO GERAL E NO ALLAINZ PARQUE

Responsável pela assistência em arremesso lateral para o gol de Gustavo Gómez no fim do primeiro tempo do jogo de ida contra o América-MG pela Copa do Brasil, há quatro partidas, quando o Verdão chegou ao gol e deixou tudo igual no jogo nas semifinais (depois se classificou no jogo de volta ao bater o Coelho por 2 a 0 fora de casa, garantindo vaga na final), Marcos Rocha chegou a 20 assistências desde que chegou ao Verdão em 2018 e voltou a ser um dos líderes gerais do elenco neste quesito, ao lado de Willian e Lucas Lima; no Allianz Parque, Rocha ampliou seu saldo como maior garçom da arena do atual elenco, com 12 assistências – no geral da recente história do estádio, com essa configuração atual, inaugurado em 2014, ele é o segundo maior garçom, atrás só de Dudu, com 35 assistências, seguido de Róger Guedes e Robinho (ambos com 10) e de Willian e Lucas Lima (com nove). O camisa 2 foi o segundo maior garçom de 2019 ao lado de Gustavo Scarpa, ambos com sete passes a gol, atrás apenas de Dudu, com 18.

Além disso, Marcos Rocha, até antes da partida mais recente do time (1×0 sobre o Sport, fora de casa, pelo Brasileiro – jogo do qual foi preservado) aparecia como o líder do time em desarmes na atual temporada, com 108 bolas neutralizadas, seguido de Viña, com 95 (números do Footstats) – em 2019, o camisa 2 fechou o Campeonato Brasileiro como o atleta que mais desarmou jogadas na competição, com 103 interceptações, à frente de Gregore, do Bahia, vice com 102, e do ex-palmeirense Diogo Barbosa, terceiro com 80.

Rocha aparecia também como o terceiro colocado em assistência para finalizações na temporada, com 52 passes para conclusões de jogadas, atrás só de Gabriel Menino, com 54, e do líder Lucas Lima, com 63 (números do Footstats que não incluem os passes que resultaram em bola na rede), além de ser o quinto colocado em interceptações, com 19 ações (ou seja, quando passes, lançamentos e cruzamentos são evitados no meio do caminho), atrás só de Gustavo Gómez (20), Patrick de Paula (25), Viña (26) e Gabriel Menino (29).

MATÍAS VIÑA: SEGUNDO EM INTERCEPTAÇÕES E EM DESARMES DO TIME NA TEMPORADA; TERCEIRO EM ASSISTÊNCIAS

Figura constantemente presente nas convocações da Seleção Uruguaia, o lateral-esquerdo do Verdão vem bem na temporada atual na estatística defensiva de interceptações (ou seja, quando o passe, lançamento ou cruzamento rival é impedido no meio do caminho). Até antes do jogo diante do Sport, triunfo por 1×0 fora de casa, pelo Brasileiro, foram 26 ao todo e, desta forma, aparecia como o segundo colocado no quesito, atrás só de Gabriel Menino (29). Além disso, é um dos jogadores com mais desarmes no atual elenco, sendo o segundo colocado na temporada neste quesito, com 95 roubos de bola (atrás só de Marcos Rocha, com 108).

Além dos atributos defensivos, o jogador também dá sua contribuição no ataque: fez o último gol na vitória por 3 a 0 no compromisso mais recente do Verdão, fora de casa, diante do River Plate-ARG, na última terça-feira (05), pela CONMEBOL Libertadores, jogo de ida das semifinais do torneio continental – foi o seu segundo tento pelo Verdão e também na competição sul-americana. Além disso, por praticamente metade desta temporada, o uruguaio liderou o quesito de atleta com mais assistências no time na temporada atual. Entretanto, com três passes a gol recentes de Gabriel Menino (dois diante do Athletico-PR, vitória por 3 a 0, em 28/11, e outro sobre o RB Bragantino, em 27/12), e outro de Rony, foi ultrapassado e, agora, com sete passes a gol, é o terceiro colocado em assistências gerais na temporada, ao lado de Zé Rafael, atrás só de Rony (oito) e Gabriel Menino (líder no quesito, com nove).

O uruguaio é um reforço que chegou neste ano do Nacional-URU e, apesar das poucas partidas pelo Verdão (40 ao todo), está na história do clube como o quinto uruguaio que mais defendeu a equipe em todos os tempos; completam a lista: Ventura Cambon (4º, com 53), Héctor Silva (3º, com 80), Villadoniga (2º, com 138) e Diogo (líder do ranking, com 146).

LUCAS ESTEVES: MULTICAMPEÃO NA BASE

Titular do time no jogo mais recente do Verdão, diante do Sport, na vitória por 1 a 0 fora de casa, pelo Brasileiro, no último sábado (09), após não atuar nos 11 jogos devido o retorno do companheiro de posição Matías Viña, Lucas Esteves havia tido sequência pela última vez nos três duelos anteriores ao retorno do uruguaio (Esteves jogou diante do Ceará, 18/11, Goiás, 21/11, e Delfín-EQU, 25/11). O lateral-esquerdo estreou pelo Palmeiras em março de 2019, pelo Campeonato Paulista, contra a Ponte Preta, no Allianz Parque, com vitória por 1 a 0 (gol de Raphael Veiga). Naquela ocasião, o técnico Luiz Felipe Scolari mandou a campo: Fernando Prass; Marcos Rocha, Edu Dracena, Vitão (Raphael Veiga, 25’/2ºT) e Diogo Barbosa; Jean e Thiago Santos; Felipe Pires, Lucas Lima e Zé Rafael (Lucas Esteves, 43’/2ºT); Carlos Eduardo (Leo Passos, 36’/1ºT).

Após ter treinado com frequência e ter estreado pelo time principal em 2019, o jogador ganhou oportunidade no time de cima novamente em 2020, quando foi definitivamente alçado ao elenco profissional do Verdão nesta temporada: as primeiras atuações do atleta já foram como titular em outubro, já que, naquela ocasião, o time vivia desfalques na posição com Viña na Seleção Uruguaia e as recentes saídas de Victor Luis (para o Botafogo) e Diogo Barbosa (Grêmio) – inclusive, logo depois que Mayke, lateral-direito de origem, fez a função de lateral-esquerdo improvisado pela primeira vez.

Foi então que Esteves surgiu como titular do Palmeiras diante do São Paulo, em 10/10, fazendo sua primeira partida em 2020 e a primeira de Campeonato Brasileiro pelo clube, e voltou a sair jogando no duelo seguinte, diante do Coritiba, em 14/10, no mesmo Allianz Parque, também pelo Brasileirão, mas acabou sendo substituído no primeiro tempo devido a uma lesão muscular. Após pouco mais de um mês de recuperação, o jogador voltou a atuar e emplacou a recente série de três partidas seguidas (diante do Ceará, 18/11, Goiás, 21/11, e Delfín-EQU, 25/11).

Mais uma Cria da Academia, o jogador está no Palmeiras desde 2014, quando passou a integrar o elenco Sub-15, o jovem de 20 anos foi um dos destaques de uma geração que conquistou títulos inéditos e importantes pela base do clube, como a Copa do Brasil Sub-17 (2017), o Brasileiro Sub-20 (2018), a Copa RS Sub-20 (2018), a Copa do Brasil Sub-20 (2019) e o Bi Paulista Sub-20 (2018 e 2019), além de dezenas de taças no exterior. Em 2019, pelo Sub-20, Esteves disputou 38 partidas e marcou sete gols.

GUSTAVO GÓMEZ: A UM GOL DE ENTRAR PARA LISTA DE ZAGUEIROS COM MAIS TENTOS NESTE SÉCULO E TOP 5 EM INTERCEPTAÇÕES NA TEMPORADA; PRESENTE EM TODAS AS 11 PARTIDAS POSSÍVEIS DO VERDÃO NA LIBERTADORES 2020

Gómez soma 107 jogos pelo Verdão e, com isso, integra um seleto grupo de jogadores com 100 ou mais jogos que atuaram pelo Alviverde. São eles: Gustavo Scarpa (104), Mayke (também com 107, assim como Gómez), Luan (119), Marcos Rocha (134), Weverton (145), Lucas Lima (152), Felipe Melo (170) e Willian (207). Além de ser o jogador, ao lado de Weverton, com mais partidas na Libertadores 2020 (atuou nos 11 jogos possíveis), ele é o atleta de linha palmeirense com mais minutos em campo: 963. Apenas Weverton, goleiro, esteve mais minutos em campo: 1062 (isso porque não foi substituído, expulso e tampouco entrou no decorrer da partida).

Gómez atuou em 48 dos 62 jogos do Verdão na temporada atual e, até antes do duelo contra o Sport, pelo Brasileiro, vitória por 1 a 0 fora de casa (jogo do qual Gómez foi poupado), o paraguaio aparecia no top 5 de jogadores com mais interceptações na temporada, na quarta colocação (ou seja, quando o passe, lançamento ou cruzamento rival é impedido no meio do caminho) com 20 intervenções, atrás apenas de Patrick de Paula, com 25, de Viña, com 26, e de Gabriel Menino, líder, com 29.

No ataque, o zagueiro também tem dado a sua contribuição. Com 13 gols pela agremiação palestrina desde que chegou (sendo o 7º artilheiro do atual elenco, atrás só de Willian, com 55, de Luiz Adriano, com 25, Raphael Veiga e Gustavo Scarpa, ambos com 22, e à frente de Felipe Melo e de Zé Rafael, ambos com 12), o paraguaio está a uma bola na rede do top 5 de estrangeiros com mais gols pelo Palmeiras na era dos pontos corridos do Brasileirão: é o sexto da lista, com seis tentos (ao lado compatriota Lucas Barrios, do colombiano Mina e do venezuelano Guerra), um a menos do que o atacante argentino Gioino, com sete – completam a lista o também argentino Cristaldo, com nove; o colombiano Borja, com dez; mais um argentino, Barcos, com 14; e o chileno Valdivia, com 15. O zagueiro, aliás, nunca passou uma temporada em branco desde que chegou ao Palmeiras: além de cinco gols na temporada atual, marcou cinco vezes em 2019 e outras três vezes em 2018.

No geral, com seus 13 gols, Gómez precisa de apenas mais uma bola na rede para entrar no top 10 de zagueiros-artilheiros do Verdão em todos os tempos, igualando Nen e Henrique na 9ª posição (ambos com 14 gols). Completam o ranking Júnior Baiano e Roque Júnior (16 gols), Daniel (18), Bianco Gambini (20), Cléber (21), Vágner Bacharel (22), Loschiavo (33) e Luis Pereira (36).

E no geral do elenco, ele é o quarto artilheiro isolado, pois superou os 12 gols de Zé Rafael e Felipe Melo, com quem antes estava empatado, e segue atrás apenas de Luiz Adriano (vice-artilheiro, com 24), Gustavo Scarpa e Raphael Veiga (terceiros, ambos com 22 gols) e de Willian (artilheiro do grupo no total, com 55 bolas na rede).

Gustavo Gómez está perto de entrar para o top 10 de zagueiros-artilheiros do Verdão (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

O paraguaio teve Felipe Melo como seu companheiro de zaga mais frequente na temporada atual: 20 jogos, 12 vitórias, sete empates e somente uma derrota, com apenas nove gols sofridos (média de 0,45 gol sofrido por partida). Já a zaga Gómez e Luan foi derrotada só uma vez no ano (19 partidas, 12 vitórias, seis empates, uma derrota e apenas dez gols sofridos) e tem retrospecto geral de 58 jogos, 37 vitórias, 15 empates e só seis derrotas, com 28 gols sofridos (média de 0,48 gol sofrido por partida). No dia 21 de novembro, quando o técnico Abel Ferreira escalou uma linha defensiva composta por três zagueiros, Gómez iniciou uma partida ao lado de Renan e de Emerson Santos pela primeira vez e, nos dois jogos seguintes, contra o Delfín-EQU, vitória por 3 a 1 fora de casa pelo jogo de ida das oitavas de final da Libertadores, e mais recentemente Athletico-PR, no triunfo por 3 a 0 em casa pelo Brasileiro, o time voltou a ter uma dupla de zaga no esquema tático e Gómez fez parceria com Emerson Santos, algo que voltou a acontecer no empate por 1 a 1 contra o América-MG, pela Copa do Brasil, em casa – portanto, ao lado do camisa 3 são quatro jogos, duas vitórias, duas derrotas e três gols sofridos.

No compromisso mais recente do time pela Libertadores, vitória por 3 a 0 fora de casa, diante do River Plate-ARG, na última terça-feira (05), pela CONMEBOL Libertadores, jogo de ida das semifinais do torneio continental, Gustavo Gómez, pela primeira vez, formou dupla de zaga junto ao recém chegado Alan Empereur – quem iria atuar era Luan, mas, devido a dores lombares no aquecimento, o camisa 13 foi cortado e Empereur entrou de última hora.

Em 2019, Gómez e Luan atingiram a expressiva marca de 1081 minutos consecutivos sem sofrer gols (sem considerar os acréscimos), segunda maior sequência instransponível de uma dupla de zagueiros na história do Palmeiras – o recorde ainda pertence a Marcio e Vágner Bacharel, que, em 1987, garantiram que o time ficasse sem levar gols por exatos 1.148 minutos (sem acréscimos). Um ano antes, durante a campanha do decacampeonato brasileiro de 2018, eles já haviam contribuído para estabelecer o recorde palmeirense de menos gols sofridos na história do Brasileirão de pontos corridos: apenas 26 tentos tomados (a marca anterior era de 32, na caminhada do título de 2016).

Com Kuscevic, na vitória do Verdão pelo Brasileiro por 3 a 0 sobre o Bahia, em 12/12, Gómez protagonizou dupla de zaga inédita. O duelo diante do Tricolor foi o primeiro no qual o time iniciou a escalação com uma dupla de zaga gringa (formada pelo paraguaio Gustavo Gómez e pelo chileno Benjamin Kuscevic) – e não sofreu nenhum gol. Antes disso, a última zaga estrangeira havia sido formada pelo argentino Tobio e pelo uruguaio Victorino, em setembro de 2014 – vitória por 1 a 0 sobre o Criciúma-SC no Pacaembu, com gol de Cristaldo. Portanto, essa foi a primeira vez em que uma dupla de zaga estrangeira jogou no Allianz Parque, inaugurado em novembro de 2014.

LUAN: TOP 10 DE PALMEIRENSES COM MAIS INTERCEPTAÇÕES NA TEMPORADA ATUAL; TITULAR EM SEIS DOS ÚLTIMOS OITO JOGOS

Cortado de última hora da partida mais recente do time pela Libertadores, vitória por 3 a 0 fora de casa, diante do River Plate-ARG, na última terça-feira, 05, pela, jogo de ida das semifinais do torneio continental, após ter sentido dores lombares no aquecimento e ter ficado de fora da partida, dando lugar a Alan Empereur, que saiu jogando ao lado de Gustavo Gómez, Luan foi titular em seis dos últimos oito jogos do time, inclusive no mais recente – vitória por 1 a 0 sobre o Sport, fora de casa, pelo Brasileiro, no último sábado (09).

Até antes de entrar em campo contra o Sport, Luan aparecia na temporada atual no top 10 de interceptações no ano (ou seja, quando passes, lançamentos e cruzamentos são evitados no meio do caminho) com 17 ações ao todo, ocupando a sexta posição, ao lado de Felipe Melo, e à frente de Raphael Veiga (10º com 14), Mayke e Zé Rafael (empatados em 8º, com 15), e atrás de de Marcos Rocha (5º, com 19), Gustavo Gómez (4º, com 20), Patrick de Paula (3º, com 25), Viña (2º, com 26) e Gabriel Menino (líder no quesito, com 29).

O camisa 13 é um dos nove atletas do elenco que já ultrapassaram a marca de 100 jogos pelo clube (são 120 ao todo), atrás apenas de Marcos Rocha, com 134, Weverton, com 146, Lucas Lima, com 153, Felipe Melo, com 170, e Willian, com 208, e à frente de Mayke e de Gustavo Gómez, ambos com 107, e de Gustavo Scarpa, com 105.

Luan formou a zaga com Felipe Melo só três vezes (uma vitória, duas derrotas e quatro gols sofridos), enquanto que, ao lado de Gustavo Gómez, Luan perdeu só uma vez no ano – 2 a 0 para o Inter no Beira Rio (19 partidas, 12 vitórias, seis empates, uma derrota e apenas dez gols sofridos) e tem retrospecto geral de 58 jogos, 37 vitórias, 15 empates e só seis derrotas, com 28 gols sofridos (média de 0,48 gol sofrido por partida). Com Alan Empereur, foram dois jogos lado a lado, no dia 05 de dezembro, empate por 2 a 2 contra o Santos, pelo Brasileiro (na Vila Belmiro), e no dia 27 de dezembro (vitória por 1 a 0 contra o RB Bragantino no Allianz Parque).

Em 2019, Luan e Gómez atingiram a expressiva marca de 1081 minutos consecutivos sem sofrer gols (sem considerar os acréscimos), segunda maior sequência instransponível de uma dupla de zagueiros na história do Palmeiras – o recorde ainda pertence a Marcio e Vágner Bacharel, que, em 1987, garantiram que o time ficasse sem levar gols por exatos 1.148 minutos (sem acréscimos). Um ano antes, durante a campanha do decacampeonato brasileiro de 2018, eles já haviam contribuído para estabelecer o recorde palmeirense de menos gols sofridos na história do Brasileirão de pontos corridos: apenas 26 tentos tomados (a marca anterior era de 32, na caminhada do título de 2016).

Com Emerson Santos, Luan formou dupla titular uma única vez
, na vitória por 3 a 1 sobre o Junior Barranquilla-COL pela Libertadores de 2018. Eles jogaram juntos também em parte dos amistosos contra Deportivo Árabe Unido-PAN e Liga Alajuelense-COS, em 2018, e contra o Atlético Nacional-COL, pela Florida Cup 2020, todos sem sofrer gols. Ao lado de Alan Empereur, atuou duas vezes: em 05/12/2020, diante do Santos (empate por 2 a 2 fora de casa, pelo Brasileiro) e em 27/12/2020 (vitória por 1 a 0 sobre o Bragantino, em casa, pelo Brasileiro). Com Kuscevic, Luan atuou pela primeira vez lado a lado no útlimo sábado (09), vitória por 1 a 0 sobre o Sport, fora de casa, pelo Brasileiro. Já com Renan, jamais atuou iniciando um duelo.

EMERSON SANTOS: PRESENTE EM 14 DOS ÚLTIMOS 17 JOGOS; POLIVALENTE ESTREOU NA LIBERTADORES DE 2018

Presente no banco de reservas no duelo de volta contra o Delfín-EQU, vitória por 5 a 0 pela Libertadores (02/12), Internacional, revés por 2 a 0 pelo Brasileiro (19/12) e América-MG (30/12), estes foram os únicos compromissos que Emerson nos Santos não entrou em campo últimos 17 jogos, sendo que, nas outras 14 ocasiões em que esteve em campo, em dez delas ele foi titular (saiu do banco para ajudar o time nos dois jogos, de ida e de volta, diante do Libertad-PAR, pela Libertadores, em 08/12 e 15/12, e também no jogo mais recente do time pela Libertadores, vitória por 3 a 0 fora de casa, diante do River Plate-ARG, na última terça-feira, 05, jogo de ida das semifinais do torneio continental).

Diante do Santos, pelo Brasileiro, na Vila Belmiro, no dia 05/12, e no dia 12/12, contra o Bahia, vitória por 3 a 0, ambos pelo Brasileiro, o jogador foi escalado na titularidade como volante. Após um jogo fora, contra o Internacional, Emerson Santos voltou à zaga no último jogo do time pela Copa do Brasil (empate por 1 a 1 com o América-MG em casa). Já na partida mais recente do Verdão pelo Brasileiro, o jogador foi acionado no banco de reservas e entrou no segundo tempo, no lugar de Patrick de Paula, e atuou como volante. E na partida mais recente do Verdão, o jogador deu mostra de que é ainda mais polivalente: foi escalado por Abel Ferrreira na vitória por 1 a 0 sobre o Sport, fora de casa, pelo Brasileiro, como lateral-direito titular.

O atual camisa 3 estreou pelo clube em 2018, em um jogo de Libertadores (entrou aos 42 minutos do segundo tempo contra o Alianza Lima-PER, quando o Palmeiras já vencia por 3 a 1). O jogo seguinte à sua estreia foi na vitória por 3 a 1 diante do Junior Barranquilla-COL, também pela Libertadores de 2018 – nesta partida, ele atuou por 90 minutos pela primeira vez (ao lado de Luan).

Depois, devido à grande concorrência na posição, o zagueiro só fez mais duas partidas em 2018 (nos amistosos contra o panamense Club Deportivo Árabe Unido, 2 a 0 a favor do Verdão no Panamá, e contra o costa-riquenho Liga Alajuelense, 6 a 0 para o Palmeiras na Costa Rica, entre junho e julho), antes de ser emprestado ao Internacional, pelo qual disputou o Brasileiro daquele ano e de 2019.

O goleiro Weverton acumula 1062 minutos em campo na Conmebol Libertadores (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

WEVERTON: JOGADOR DO TIME COM MAIS MINUTOS EM CAMPO NA TEMPORADA E NA LIBERTADORES; RECORDES ALCANÇADOS; PRESENTE EM TODOS OS 11 JOGOS POSSÍVEIS DO VERDÃO NA LIBERTADORES 2020

Na partida mais recente do Verdão pela, em 09/01/2021, vitória por 1 a 0 fora de casa, diante do Sport, no último sábado (09), pelo Brasileiro, Weverton ampliou ainda mais um recorde que já pertencia a ele mesmo. Em 2018, seu ano de estreia, e 2019, Weverton ficou por 21 e 26 jogos, respectivamente, sem ser vazado. As 26 partidas sem sofrer gols de 2019 – não necessariamente ininterruptamente – eram, até então, o recorde do Século XXI levando em conta uma única temporada. Diante do América-MG (jogo de volta) o camisa 21 (usa a 1 na Libertadores) chegou a 27 partidas sem ser vazado em 2020 e superou a própria marca, e ampliou para 28 jogos este seu recorde sem sofrer gols em uma mesma temporada após passar ileso diante do River Plate-ARG, fora de casa, pela Libertadores e, depois, para 29 duelos no último sábado (09).

Este não foi o primeiro feito numérico surpreendente alcançado por Weverton na temporada atual. Recentemente, o goleiro atingiu uma marca que já durava 23 anos: chegou à terceira temporada consecutiva com 20 ou mais jogos sem sofrer gols, algo que não acontecia desde que Velloso não foi vazado por 28 partidas em 1995, 24 em 1996 e 27 em 1997. O segue com 27 jogos limpos em 56 partidas disputadas na temporada atual, contra 26 em 2019 e 21 em 2018. E com um total de, agora, 76 jogos sem levar gols desde que chegou ao Verdão, ele fica na terceira posição do ranking de goleiros com mais jogos sem ser vazado neste século, atrás apenas de Marcos (107) e Fernando Prass (101).

Além disso, ao ter entrado em campo no jogo mais recente da equipe palmeirense, no Allianz Parque, diante do RB Bragantino, o guarda-redes ultrapassou o lendário Oberdan Cattani (arqueiro dos anos 40 e 50) na lista dos goleiros que mais jogaram no Palestra Italia em todos os tempos – Oberdan soma 58 jogos no local, enquanto Weverton, agora, se isolou no top 10 com 59 jogos; completam a lista: Valdir de Morais, 9º, com 63 jogos; Nascimento, 8º, com 67 jogos; Jurandyr, 7º, 74 jogos; Fernando Prass, 6º, com 86 jogos; Primo, 5º, com 90 jogos; Sérgio, 4º, com 131 jogos; Leão, 3º, com 137 jogos; Velloso, 2º, com 153 jogos; e Marcos, líder em jogos do Palestra Italia, com 212 jogos.

Presença constante nas listas de convocados para a Seleção Brasileira, Weverton, com seu mais recente jogo, atingiu 146 jogos pelo Palmeiras desde que chegou ao clube, em 2018, e ampliou ainda mais o seu saldo como décimo colocado na lista dos dez goleiros que mais defenderam o Verdão em toda a história (este foi outro top 10 histórico que passou a integrar neste segundo semestre) – o ranking é encabeçado por Leão, com 621 jogos, seguido por Marcos (533), Valdir de Morais (480), Velloso (458), Oberdan (353), Sérgio (333), Gilmar (290), Fernando Prass (274) e Primo (185).

O camisa 21 (usa a 1 na Libertadores) ainda ostenta a terceira menor média de gols sofridos na história do Palmeiras. Vazado apenas 92 vezes em 146 jogos, o jogador tem índice de 0,63 gol por partida, atrás só do paraguaio Benítez, com 0,54 (13 gols sofridos em 24 jogos em 1978), e do também paraguaio Gato Fernández, com 0,62 (22 gols em 35 jogos em 1994). São considerados somente goleiros com ao menos dez jogos disputados pelo clube.

Atleta que soma mais minutos em campo na temporada atual (5488), Weverton atuou em 57 dos 62 jogos do Palmeiras no ano e, neste quesito, só perde para Willian, presente em 59 dos 62 compromissos do time alviverde. Ele também é quem mais acumula minutos no Brasileirão, com 1978 ao todo, na Copa do Brasil, com 493, e na Libertadores, com 1062.

JAILSON: CAMPEÃO PAULISTA, DA COPA DO BRASIL E BI BRASILEIRO; INVICTO EM JOGOS DE LIBERTADORES

No Palmeiras desde 2014, Jailson é o atleta mais antigo do elenco palmeirense – no Alviverde, o jogador já conquistou três títulos nacionais (Copa do Brasil de 2015 e Brasileiros de 2016 e de 2018), além do Paulista de 2020. Ao ter entrado em campo com o Verdão e saído vitorioso diante do Fluminense, por 2 a 0, da última vez em que atuou (último dia 14), o camisa 42 atingiu o seu triunfo de número 50 em 84 jogos disputados pelo clube, além de 23 empates e 11 derrotas – foram 66 gols sofridos – ótima média de 0,78 por partida). Após esse duelo, Jailson foi diagnosticado com Covid-19.

Na Libertadores, esta é a quinta edição seguida para a qual o goleiro é inscrito para representar o Palmeiras. As outras foram 2016, 2017, 2018 e 2019, sendo que, em campo, Jailson esteve presente em duas delas: 2017 (uma partida, vitória por 1 a 0 sobre o Barcelona de Guayaquil-EQU e defendeu pênalti na disputa por penais, apesar da eliminação) e em 2018 (cinco jogos, com quatro vitórias e um empate). Desta forma, Jailson acumula, ao todo, seis jogos no Continental, com cinco vitórias, um empate e apenas dois gols sofridos – ou seja, está invicto!

Na atual temporada, Jailson atuou em sete partidas (três vitórias, dois empates, duas derrotas e três gols sofridos): contra o Atletico Nacional-COL, empate em 0 a 0, e New York City-EUA, vitória alviverde por 2 a 1, ambas pela Florida Cup, no início da temporada – na primeira, além da ótima atuação, defendeu pênalti na decisão que valia ponto extra (ao final, o Verdão sagrou-se campeão com um ponto de vantagem sobre os colombianos); depois, participou de mais três jogos pelo Brasileiro, diante do Fluminense (1 a 1 fora de casa, na estreia do Verdão no Nacional), Botafogo (revés por 2 a 1 no Engenhão), São Paulo (derrota por 2 a 0 no Allianz Parque); diante do Ceará, na vitória por 3 a 0 pela Copa do Brasil, no último dia 11 e, por último, outra vez contra o Fluminense, pelo segundo do Brasileiro, no último dia 14 (essas duas mais recentes no Allianz Parque).

Vale ressaltar que, reforço vindo do Ceará em 2014, Jailson só jogou a Série A pela primeira vez no Verdão, em 2016, já veterano, com 35 anos completos.  Desta forma, sagrou-se Campeão Brasileiro de 2016 sem perder nenhuma vez em 19 partidas e ainda levando a Bola de Prata. Jailson, aliás, só foi conhecer sua primeira derrota pela competição em 2018, após 27 duelos invictos, fato que lhe rendeu o segundo lugar no ranking dos jogadores que tiveram as maiores invencibilidades no Brasileirão pelo Palmeiras em todos os tempos, superando craques como Ademir da Guia, Eurico, Leão, Ronaldo e Zeca, todos com 26, e ficando atrás apenas de Edu Bala, que registra incríveis 34 jogos consecutivos sem reveses no Brasileiro.

O guarda-redes ostenta uma curiosa estatística em Brasileiros: ele detém a terceira menor média de gols sofridos dos pontos corridos. Em jogos do Nacional, foram, ao todo, 38 tentos sofridos em 45 partidas, média de 0,84 por jogo. Considerando apenas o período em que o Campeonato Brasileiro é disputado no sistema de pontos corridos, Jailson só fica atrás dos goleiros Marcelo Grohe, com média de 0,81 (167 gols sofridos em 205 partidas por qualquer clube) e Walter, média de 0,77 (43 gols sofridos em 56 partidas da Série A).

Na atual edição do Nacional, o arqueiro palmeirense ocupa o quarto posto de jogador mais experiente do Brasileirão, com 39 anos e cinco meses, ao lado do meia Nenê, do Fluminense. Ambos só ficam atrás do meia argentino Lucho González, do Athletico-PR, com 39 anos e dez meses, do atacante Ricardo Oliveira, do Coritiba, com 40 anos e sete meses, e do goleiro Fernando Prass, do Ceará, com 42 anos e cinco meses.

Campeão da Copa do Brasil em 2015 pelo Palmeiras, Jailson – único remanescente daquele grupo – está disputando a competição nacional pela sexta vez no clube alviverde. Nas cinco edições anteriores, só não entrou em campo justamente na mais recente. Em 2015, atuou contra o Sampaio Corrêa-MA (empate por 1 a 1 em São Luis-MA); em 2016, jogou diante do Botafogo-PB (vitória por 3 a 0 no Allianz Parque) e duas vezes contra o Grêmio (revés por 2 a 1 fora e empate por 1 a 1 em casa); em 2017, enfrentou o Cruzeiro (vitória por 2 a 1 no Independência); e em 2018, atuou nos dois jogos frente o América-MG (2 a 1 no Independência e 1 a 1 no Allianz Parque). Na atual edição, jogou diante do Ceará, seu ex-clube, empate por 2 a 2 na Arena Castelão, no jogo que valeu classificação ao Palmeiras.

HISTÓRICO DO ELENCO

> GOLEIROS

22. JAILSON

> 84 Jogos (76 como titular) pelo Palmeiras
> 7 jogos (5 como titular) na temporada 2020
> 4 jogos (4 como titular) no Brasileiro 2020
> Ainda não jogou pela Libertadores 2020
> 1 jogo (1 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 17/01/2015 – Palmeiras 3×1 Shandong Luneng-CHI – Amistoso
Último jogo: 14/11/2020 – Palmeiras 2×0 Fluminense – Brasileiro
Último como titular: 14/11/2020 – Palmeiras 2×0 Fluminense – Brasileiro

24. VINICIUS SILVESTRE

> 1 Jogo (como titular) pelo Palmeiras
> Ainda não jogou na temporada de 2020
> Ainda não jogou no Brasileiro 2020
> Ainda não jogou pela Libertadores 2020
Estreia: 29/10/2016 – Santos 1×0 Palmeiras – Brasileiro
Último jogo: 29/10/2016 – Santos 1×0 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 29/10/2016 – Santos 1×0 Palmeiras – Brasileiro

1. WEVERTON

> 146 jogos (146 como titular) pelo Palmeiras
> 57 jogos (57 como titular) na temporada 2020
> 23 jogos (23 como titular) no Brasileiro 2020
> 11 jogos (11 como titular) pela Libertadores 2020
> 5 jogos (5 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 11/03/2018 – Ituano 0x3 Palmeiras – Campeonato Paulista
Último jogo: 09/01/2021 – Sport 0×1 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 09/01/2021 – Sport 0×1 Palmeiras – Brasileiro

> ZAGUEIROS

6. ALAN EMPEREUR

> 8 jogos (3 como titular) pelo Palmeiras
> 8 jogos (3 como titular) na temporada de 2020
> 5 jogos (2 como titular) pelo Brasileiro 2020
> 2 jogos (1 como titular) pela Libertadores
> 1 jogo (0 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 11/11/2020 – Palmeiras 3×0 Ceará – Copa do Brasil
Último jogo: 09/01/2021 – Sport 0×1 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 05/01/2021 – River Plate-ARG 0×3 Palmeiras – Libertadores

4. BENJAMÍN KUSCEVIC

> 3 jogos (2 como titular) pelo Palmeiras
> 3 jogos (2 como titular) na temporada de 2020
> 3 jogos (2 como titular) pelo Brasileiro 2020
> Ainda não jogou pela Libertadores 2020
> Ainda não jogou pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 05/12/2020 – Santos 2×2 Palmeiras – Brasileiro
Último jogo: 09/01/2021 – Sport 0×1 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 09/01/2021 – Sport 0×1 Palmeiras – Brasileiro

3. EMERSON SANTOS

> 21 jogos (12 como titular) pelo Palmeiras
> 17 jogos (11 como titular) na temporada 2020
> 8 jogos (7 como titular) no Brasileiro 2020
> 5 jogos (1 como titular) pela Libertadores 2020
> 3 jogos (3 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 03/05/2018 – Alianza Lima-PER 1×3 Palmeiras – Libertadores
Último jogo: 09/01/2021 – Sport 0×1 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 09/01/2021 – Sport 0×1 Palmeiras – Brasileiro

15. GUSTAVO GÓMEZ

> 107 Jogos (104 como titular), 13 gols e 1 assistência pelo Palmeiras
> 48 jogos (47 como titular), 5 gols e 1 assistência na temporada 2020
> 17 jogos (17 como titular), 1 gol e 1 assistência no Brasileiro 2020
> 11 jogos (11 como titular) e 2 gols pela Libertadores 2020
> 5 jogos (4 como titular) e 1 gol pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 12/08/2018 – Palmeiras 1×0 Vasco – Brasileiro
Último jogo: 05/01/2021 – River Plate-ARG 0×3 Palmeiras – Libertadores
Último como titular: 05/01/2021 – River Plate-ARG 0×3 Palmeiras – Libertadores

13. LUAN

> 120 jogos (108 como titular), 5 gols e 1 assistência pelo Palmeiras
> 38 jogos (27 como titular) na temporada 2020
> 21 jogos (17 como titular) no Brasileiro 2020
> 6 jogos (4 como titular) pela Libertadores 2020
> 3 jogos (3 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 18/06/2017 – Bahia 2×4 Palmeiras – Brasileiro
Último jogo: 09/01/2021 – Sport 0×1 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 09/01/2021 – Sport 0×1 Palmeiras – Brasileiro

26. RENAN

> 6 jogos (5 como titular) pelo Palmeiras
> 6 jogos (5 como titular) na temporada 2020
> 3 jogos (3 como titular) no Brasileiro 2020
> 1 jogo (0 como titular) pela Libertadores 2020
> 2 jogos (2 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 14/10/2020 – Palmeiras 1×3 Coritiba – Brasileiro
Último jogo: 25/11/2020 – Delfín-EQU 1×3 Palmeiras – Libertadores
Último como titular:
 21/11/2020 – Goiás 1×0 Palmeiras – Brasileiro

> LATERAIS

2. MARCOS ROCHA

> 134 jogos (128 como titular), 6 gols e 20 assistências pelo Palmeiras
> 42 jogos (38 como titular), 2 gols e 5 assistências na temporada 2020
> 17 jogos (13 como titular) no Brasileiro 2020
> 7 jogos (7 como titular) e 1 assistência pela Libertadores 2020
> 4 jogos (4 como titular) e 1 assistência pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 18/01/2018 – Grêmio Novorizontino 0x3 Palmeiras – Campeonato Paulista
Último jogo: 05/01/2021 – River Plate-ARG 0×3 Palmeiras – Libertadores
Último como titular: 05/01/2021 – River Plate-ARG 0×3 Palmeiras – Libertadores

12. MAYKE

> 108 jogos (90 como titular), 2 gols e 8 assistências pelo Palmeiras
> 26 jogos (14 como titular) e 1 assistência na temporada 2020
> 13 jogos (10 como titular) e 1 assistência no Brasileiro 2020
> 4 jogos (1 como titular) pela Libertadores 2020
> 3 jogos (1 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 27/05/2017 – São Paulo 2×0 Palmeiras – Brasileiro
Último jogo: 30/12/2020 – América-MG 0×2 Palmeiras – Copa do Brasil
Último como titular: 12/12/2020 – Palmeiras 3×0 Bahia – Brasileiro

16. LUCAS ESTEVES

> 7 jogos (3 como titular) pelo Palmeiras
> 6 jogos (3 como titular) na temporada de 2020
> 4 jogos (3 como titular) no Brasileiro 2020
> 1 jogo (0 como titular) pela Libertadores 2020
> 1 jogo (0 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Último jogo: 09/01/2021 – Sport 0×1 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 09/01/2021 – Sport 0×1 Palmeiras – Brasileiro

17. MATÍAS VIÑA

> 39 jogos (38 como titular), 2 gols e 7 assistências pelo Palmeiras
> 39 jogos (38 como titular), 2 gols e 7 assistências na temporada 2020
> 18 jogos (18 como titular) e 2 assistências no Brasileiro 2020
> 10 jogos (10 como titular), 2 gols e 3 assistências pela Libertadores 2020
> 4 jogos (3 como titular) e 1 assistência pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 16/02/2020 – Palmeiras 3×1 Mirassol – Campeonato Paulista
Último jogo: 05/01/2021 – River Plate-ARG 0×3 Palmeiras – Libertadores
Último como titular: 05/01/2021 – River Plate-ARG 0×3 Palmeiras – Libertadores

> MEIO-CAMPISTAS

28. DANILO

> 27 jogos (13 como titular), 1 gol e 2 assistências pelo Palmeiras
> 27 jogos (13 como titular), 1 gol e 2 assistências na temporada de 2020
> 14 jogos (5 como titular) no Brasileiro 2020
> 9 jogos (6 como titular), 1 gol e 2 assistências pela Libertadores 2020
> 4 jogos (2 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 06/09/2020 – Red Bull Bragantino 1×2 Palmeiras – Brasileiro
Último jogo: 09/01/2021 – Sport 0×1 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 05/01/2021 – River Plate-ARG 0×3 Palmeiras – Libertadores

30. FELIPE MELO

> 170 jogos (163 como titular), 12 gols e 6 assistências pelo Palmeiras
> 31 jogos (31 como titular), 1 gol e 1 assistência na temporada 2020
> 9 jogos (9 como titular) no Brasileiro 2020
> 5 jogos (5 como titular) pela Libertadores 2020
> 2 jogos (2 como titular) e 1 assistência pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 21/01/2017 – Chapecoense 1×1 Palmeiras – Amistoso
Último jogo: 08/11/2020 – Vasco 0×1 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 08/11/2020 – Vasco 0×1 Palmeiras – Brasileiro

25. GABRIEL MENINO

> 50 jogos (43 como titular), 3 gols e 9 assistências pelo Palmeiras
> 50 jogos (43 como titular), 3 gols e 9 assistências na temporada de 2020
> 22 jogos (21 como titular) e 6 assistências no Brasileiro 2020
> 10 jogos (9 como titular), 3 gols e 1 assistência pela Libertadores 2020
> 4 jogos (4 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 15/01/2020 – Palmeiras 0x0 Atlético Nacional de Medellín-COL – Florida Cup
Último jogo: 09/01/2021 – Sport 0×1 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 05/01/2021 – River Plate-ARG 0×3 Palmeiras – Libertadores

14. GUSTAVO SCARPA

> 104 jogos (57 como titular), 22 gols e 14 assistências pelo Palmeiras
> 33 jogos (12 como titular), 3 gols e 5 assistências na temporada de 2020
> 15 jogos (4 como titular) e 2 assistências no Brasileiro 2020
> 5 jogos (4 como titular) e 3 assistências pela Libertadores 2020
> 5 jogos (2 como titular) 1 gol pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 29/10/2020 – Red Bull Bragantino 1×3 Palmeiras – Copa do Brasil
Último jogo: 05/01/2021 – River Plate-ARG 0×3 Palmeiras – Libertadores
Último como titular: 05/01/2021 – River Plate-ARG 0×3 Palmeiras – Libertadores

20. LUCAS LIMA

> 153 jogos (106 como titular), 10 gols e 20 assistências pelo Palmeiras
> 46 jogos (32 como titular), 2 gols e 4 assistências na temporada de 2020
> 22 jogos (17 como titular) e 1 assistência no Brasileiro 2020
> 4 jogos (3 como titular) pela Libertadores 2020
> 5 jogos (2 como titular) e 1 assistência pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 18/01/2018 – Palmeiras 3×1 Santo André – Campeonato Paulista
Último jogo: 09/01/2021 – Sport 0×1 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 09/01/2021 – Sport 0×1 Palmeiras – Brasileiro

5. PATRICK DE PAULA

> 41 jogos (31 como titular), 5 gols e 1 assistência pelo Palmeiras
> 41 jogos (31 como titular), 5 gols e 1 assistência na temporada de 2020
> 20 jogos (17 como titular), 3 gols e 1 assistência no Brasileiro 2020
> 5 jogos (4 como titular) e 1 gol pela Libertadores 2020
> 3 jogos (1 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 15/01/2020 – Palmeiras 0x0 Atlético Nacional de Medellín-COL – Florida Cup
Último jogo: 09/01/2021 – Sport 0×1 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 05/01/2021 – River Plate-ARG 0×3 Palmeiras – Libertadores

23. RAPHAEL VEIGA

> 97 jogos (53 como titular), 22 gols e 4 assistências pelo Palmeiras
> 44 jogos (31 como titular), 15 gols e 2 assistências na temporada de 2020
> 19 jogos (14 como titular), 8 gols e 1 assistência no Brasileiro 2020
> 8 jogos (5 como titular), 2 gols e 1 assistência pela Libertadores 2020
> 6 jogos (6 como titular) e 4 gols pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 21/01/2017 – Chapecoense 2×2 Palmeiras – Amistoso
Último jogo: 09/01/2021 – Sport 0×1 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 09/01/2021 – Sport 0×1 Palmeiras – Brasileiro

8. ZÉ RAFAEL

> 93 jogos (70 como titular), 12 gols e 12 assistências pelo Palmeiras
> 54 jogos (37 como titular), 5 gols e 7 assistências na temporada de 2020
> 21 jogos (17 como titular), 2 gols e 3 assistências no Brasileiro 2020
> 10 jogos (5 como titular) e 2 gols pela Libertadores 2020
> 5 jogos (5 como titular) e 2 assistências pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 23/01/2019 – Palmeiras 1×0 Botafogo-SP – Campeonato Paulista
Último jogo: 09/01/2021 – Sport 0×1 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 09/01/2021 – Sport 0×1 Palmeiras – Brasileiro

> ATACANTES

48. ANIBAL

> 1 jogo (1 como titular) pelo Palmeiras
> 1 jogo (1 como titular) na temporada de 2020
> Ainda não jogou pelo Brasileiro 2020
> Ainda não jogou pela Libertadores 2020
> 1 jogo (1 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 18/11/2020 – Ceará 2×2 Palmeiras – Copa do Brasil
Último jogo: 18/11/2020 – Ceará 2×2 Palmeiras – Copa do Brasil
Último como titular: 18/11/2020 – Ceará 2×2 Palmeiras – Copa do Brasil

19. BRENO LOPES

> 10 jogos (3 como titular) pelo Palmeiras
> 10 jogos (3 como titular) na temporada de 2020
> 10 jogos (3 como titular) no Brasileiro 2020
> 3 jogos (0 como titular) pela Libertadores 2020
> Não pode jogar pela Copa do Brasil 2020 pelo Palmeiras (atuou pelo Juventude)
Estreia: 14/11/2020 – Palmeiras 2×0 Fluminense – Brasileiro
Último jogo: 09/01/2021 – Sport 0×1 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 09/01/2021 – Sport 0×1 Palmeiras – Brasileiro

49. FABRÍCIO

> 1 jogo (0 como titular) pelo Palmeiras
> 1 jogo (0 como titular) na temporada de 2020
> 1 jogo (0 como titular) pelo Brasileiro 2020
> Ainda não jogou pela Libertadores 2020
> Ainda não jogou pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 21/11/2020 – Goiás 1×0 Palmeiras – Brasileiro
Último jogo: 21/11/2020 – Goiás 1×0 Palmeiras – Brasileiro

7. GABRIEL SILVA

> 13 jogos (0 como titular) e 1 assistência pelo Palmeiras
> 13 jogos (0 como titular) e 1 assistência na temporada de 2020
> 8 jogos (0 como titular) no Brasileiro 2020
> 3 jogos (0 como titular) e 1 assistência pela Libertadores 2020
> 2 jogos (0 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 19/12/2020 – Internacional 2×0 Palmeiras – Brasileiro
Último jogo: 23/12/2020 – Palmeiras 1×1 América-MG – Copa do Brasil

27. GABRIEL VERON

> 38 jogos (17 como titular), 10 gols e 6 assistências pelo Palmeiras
> 35 jogos (17 como titular), 8 gols e 5 assistências na temporada de 2020
> 17 jogos (7 como titular), 3 gols e 2 assistência no Brasileiro 2020
> 7 jogos (5 como titular), 3 gols e 1 assistência pela Libertadores 2020
> 3 jogos (2 como titular), 2 gols e 1 assistência pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 28/11/2019 – Fluminense 1×0 Palmeiras – Brasileiro
Último jogo: 09/01/2021 – Sport 0×1 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 09/01/2021 – Sport 0×1 Palmeiras – Brasileiro

9. LUAN SILVA

> 1 jogo (1 como titular) pelo Palmeiras
> 1 jogo (1 como titular) na temporada de 2020
> Ainda não jogou no Brasileiro 2020
> Ainda não jogou pela Libertadores 2020
> Ainda não jogou pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 07/03/2020 – Palmeiras 1×1 Ferroviária – Campeonato Paulista
Último jogo:07/03/2020 – Palmeiras 1×1 Ferroviária – Campeonato Paulista
Último como titular: 07/03/2020 – Palmeiras 1×1 Ferroviária – Campeonato Paulista

10. LUIZ ADRIANO

> 59 jogos (51 como titular), 25 gols e 4 assistências pelo Palmeiras
> 44 jogos (38 como titular), 18 gols e 3 assistências na temporada de 2020
> 18 jogos (15 como titular), 8 gols e 2 assistências no Brasileiro 2020
> 5 jogos (5 como titular) e 5 gols pela Libertadores 2020
> 5 jogos (3 como titular) e 2 gols pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 11/08/2019 – Palmeiras 2×2 Bahia – Brasileiro
Último jogo: 05/01/2021 – River Plate-ARG 0×3 Palmeiras – Libertadores
Último como titular: 05/01/2021 – River Plate-ARG 0×3 Palmeiras – Libertadores

38. MARCELINHO

> 2 jogos (1 como titular) pelo Palmeiras
> 2 jogos (1 como titular) na temporada de 2020
> 1 jogo (1 como titular) pelo Brasileiro 2020
> Ainda não jogou pela Libertadores 2020
> 1 jogo (0 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia:18/11/2020 – Ceará 2×2 Palmeiras – Copa do Brasil
Último jogo: 21/11/2020 – Goiás 1×0 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 21/11/2020 – Goiás 1×0 Palmeiras – Brasileiro

11. RONY

> 41 jogos (31 como titular), 10 gols e 8 assistências pelo Palmeiras
> 41 jogos (31 como titular), 10 gols e 8 assistências na temporada de 2020
> 18 jogos (12 como titular) e 4 gols no Brasileiro 2020
> 9 jogos (8 como titular), 5 gols e 7 assistências pela Libertadores 2020
> 5 jogos (4 como titular), 1 gol e 1 assistência pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 29/02/2020 – Santos 0x0 Palmeiras – Campeonato Paulista
Último jogo: 09/01/2021 – Sport 0×1 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 05/01/2021 – River Plate-ARG 0×3 Palmeiras – Libertadores

21. WESLEY

> 23 jogos (13 como titular), 4 gols e 6 assistências pelo Palmeiras
> 23 jogos (13 como titular), 4 gols e 6 assistências na temporada de 2020
> 13 jogos (8 como titular), 2 gols e 2 assistências no Brasileiro 2020
> 3 jogos (2 como titular),1 gol e 3 assistências pela Libertadores 2020
> 2 jogos (2 como titular) e 1 gol pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 15/01/2020 – Palmeiras 0x0 Atlético Nacional de Medellín-COL – Florida Cup
Último jogo: 05/11/2020 – Palmeiras 1×0 Red Bull Bragantino – Copa do Brasil
Último como titular: 05/11/2020 – Palmeiras 1×0 Red Bull Bragantino – Copa do Brasil

29. WILLIAN

> 208 jogos (140 como titular), 56 gols e 20 assistências pelo Palmeiras
> 59 jogos (32 como titular), 18 gols e 4 assistências na temporada de 2020
> 25 jogos (12 como titular), 7 gols e 2 assistências no Brasileiro 2020
> 10 jogos (5 como titular), 4 gols e 1 assistência pela Libertadores 2020
> 6 jogos (4 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 29/01/2017 – Palmeiras 1×1 Ponte Preta – Campeonato Paulista
Último jogo: 09/01/2021 – Sport 0×1 Palmeiras – Brasileiro
Último como titular: 09/01/2021 – Sport 0×1 Palmeiras – Brasileiro

Departamento de Comunicação

O Palmeiras venceu o River Plate-ARG por 3 a 0, nesta terça-feira (05), em Buenos Aires-ARG, e conquistou uma importante vantagem na briga por uma vaga na grande final da Conmebol Libertadores, a ser disputada no dia 30 de janeiro, no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro-RJ. Após o ótimo resultado fora de casa, o técnico Abel Ferreira elogiou a atuação de seus comandados na Argentina.

“Quero dar parabéns aos meus jogadores, que usaram a parte mental a nosso favor. Seguimos o plano e a estratégia do jogo. Do outro lado, jogamos contra uma grande equipe que é o River, uma das melhores equipes sul-americanas, com um treinador que está na equipe há cinco anos com um trabalho sensacional e uma forma de jogar muito difícil de marcar”, declarou.

O comandante, contudo, mostrou muita cautela com o futuro do Verdão no torneio internacional. “Eu havia falado para os jogadores que, independentemente do resultado que conseguíssemos aqui, este jogo tinha duas mãos, ida e volta. Continuaremos focados. Temos esta vantagem, mas, assim como nós fizemos três gols aqui, é possível o River fazer três lá. Temos de estar alertas e preparados para fazer outro grande jogo”, concluiu o treinador português.

O próximo compromisso do Palmeiras será no sábado (09), às 19h, contra o Sport, em Recife-PE, pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro. Já na terça (12), às 21h30, o Verdão reencontra o River Plate-ARG, no Allianz Parque, pelo jogo de volta das semifinais da Conmebol Libertadores.

Departamento de Comunicação

Ao ter marcado o gol que abriu caminho para a vitória do Palmeiras por 3 a 0 no jogo de ida da semifinal da Libertadores 2020, Rony chegou a um total de 12 participações na CONMEBOL Libertadores 2020 (ou seja, gols e assistências somados). São agora cinco bolas na rede e sete passes decisivos. Nenhum outro jogador dentre todos os clubes que disputam o mais importante torneio das Américas tem um números tão vastos quanto os do camisa 11 do Palmeiras.

As cinco bolas na rede de Rony no Continental, aliás, fazem dele o artilheiro do time na Libertadores, ao lado de Luiz Adriano, que também marcou nesta noite (fez o segundo da vitória por 3 a 0 – Viña completou o placar). No geral da Libertadores 2020, apenas o meia Salvio, do Boca Juniors-ARG (com seis gols), o atacante Borré, do River Plate-ARG (também com seis) e Fidel Martínez, do Barcelona de Guayaquil-EQU (com oito) possuem mais tentos na competição.

E em relação às assistências na Libertadores, ninguém concedeu mais passes a gol do que Rony: com seus sete passes que culminaram em bola na rede, ele é o garçom geral do torneio. Somados aos cinco gols, são 12 ações ao todo – número que também o coloca, de forma isolada, como o jogador do Continental com mais participações na competição.

Dentre o elenco palmeirense, o atleta chegou a 18 participações – ou seja, gols e assistências somadas, com dez gols e oito assistências, e se isolou na terceira posição do time, superando as 17 ações de Raphael Veiga (15 gols e duas assistências), ficando atrás só dos líderes Luiz Adriano e Willian, ambos com 21 (Luiz Adriano tem 18 gols e três passes, enquanto Willian acumula 17 tentos e serviu seus companheiros quatro vezes.

Vale lembrar que Rony possui cinco gols em seus últimos seis jogos que fez pela Libertadores. Desde que marcou pela primeira vez contra o Club Bolívar-BOL, no triunfo por 5 a 0, atuou em outros cinco duelos, deixando sua marca diante do Tigre-ARG (fez um gol na vitória por 5 a 0, em casa), Delfín-EQU (um gol no triunfo por 3 a 1, fora de casa), Libertad-PAR (um tento no triunfo por 3 a 0 em casa, jogo de volta das quartas de final) e, agora, River Plate-ARG (um gol no resultado positivo fora de casa por 3 a 0 fora de casa, jogo de ida das semifinais); só não marcou diante do Libertad-PAR, no jogo de ida das quartas de final, empate por 1 a 1 fora de casa (no Defensores del Chaco, em Assunção-PAR). Em sua partida anterior da Libertadores, aliás, jogo que valeu classificação às semifinais (vitória por 3 a 0 sobre o Libertad-PAR, em casa), Rony marcou gol e ainda concedeu uma assistência.

Departamento de Comunicação

O Palmeiras visitou a equipe do River Plate-ARG na noite desta terça-feira (05) pelo jogo de ida da semifinal da CONMEBOL Libertadores e, pela contagem de 3 a 0, superou a equipe argentina, no Estádio Libertadores da América (do Independiente de Avellaneda, em Avellaneda, Grande Buenos Aires-ARG, pois o estádio do River, o Monumental de Nuñez, passa por reforma) com gols de Rony, no primeiro tempo, e de Luiz Adriano e Viña, na etapa final. Desta forma, o Verdão tem vantagem no jogo de volta do torneio continental, que acontece na próxima terça-feira (12), às 21h30 de Brasília, no Allianz Parque. O time que avançar de fase enfrenta na finalíssima o vencedor de Santos e Boca Juniors-ARG.

Clique aqui para ver a ficha técnica, estatísticas e tudo sobre o jogo!

Na atual edição da Libertadores, o Palmeiras tem ótimo aproveitamento: é o único clube invicto, com nove vitórias e dois empates em 11 jogos, além de 32 gols marcados (melhor ataque, seguido do próprio River Plate-ARG, com 31) e quatro sofridos. Caso avance à fase final, esta será a quinta vez que o Verdão chega a esta etapa do Continental: já foi finalista em 1961, 1968, 1999 (campeão) e 2000; vale lembrar que esta é a oitava vez que o Alviverde participa da fase semifinal da Libertadores, incluindo eventuais triangulares finais, como acontecia antigamente, e esteve na fase que precedeu a decisão em 1961, 1968, 1971, 1999 (campeão), 2000, 2001, 2018 e, agora, 2020.

Dono da melhor campanha da fase de grupos da Libertadores 2020, o Palmeiras alcançou o feito pela terceira edição seguida, sendo o único clube do continente a registrar o melhor desempenho na fase de classificação em três anos seguidos neste século. Em 2020, o Palmeiras repetiu os mesmos 16 pontos registrados em 2018, com cinco vitórias e um empate, enquanto em 2019 obteve 15 pontos, com cinco triunfos e uma derrota. Na fase de grupos da atual edição, o Verdão registrou também o segundo melhor ataque entre todos os 32 participantes, com 17 gols marcados contra 21 do River Plate-ARG, e a segunda melhor defesa, com dois gols sofridos contra um do Boca Juniors-ARG.

A trajetória alviverde nesta Libertadores começou com vitórias sobre Tigre-ARG (2 a 0 na Argentina), Guaraní-PAR (3 a 1 no Allianz Parque) e Bolívar-BOL (2 a 1 na Bolívia). O Palmeiras não iniciava uma Libertadores com três vitórias consecutivas desde 1968, quando obteve cinco triunfos antes de empatar o sexto jogo – desde então, foram 17 edições e, no máximo, duas vitórias em sequência a partir da estreia. Nos confrontos seguintes da fase de classificação, empatou com o Guaraní-PAR (0 a 0 no Paraguai) e goleou Bolívar-BOL e Tigre-ARG, ambos no Allianz Parque e ambos por 5 a 0.

Os triunfos diante de bolivianos e argentinos, inclusive, passaram a dividir a terceira posição na lista das maiores goleadas do Verdão em Libertadores na história (atrás apenas do 6 a 1 sobre o Boca Juniors-ARG, em 1994, e do 7 a 0 sobre o El Nacional-EQU, em 1995) e se tornaram a maior goleada do Allianz Parque no geral, igualando os 5 a 0 aplicados sobre o Grêmio Novorizontino pelo Campeonato Paulista de 2018.

Nas oitavas de final, o Verdão passou após vencer o Delfín-EQU por 3 a 1 fora de casa, em Jocay, no Equador, e por 5 a 0 em casa. E nas quartas de final passou pelo Libertad-PAR, com empate por 1 a 1 fora de casa (Defensores del Chaco, em Assunção-PAR) e vitória por 3 a 0 em casa, no Allianz Parque.

Tradicional na competição, o Palmeiras é um dos três clubes brasileiros com mais edições de Libertadores disputadas: esta é a 20ª, assim como Grêmio e São Paulo, sendo a quinta vez consecutiva, feito inédito na história alviverde. O Palmeiras ainda carrega a honra de ter sido o primeiro brasileiro a disputar uma final de Libertadores: em 1961, logo na segunda edição do torneio, quando enfrentou o Peñarol-URU na grande decisão e ficou com o vice-campeonato. O Alviverde chegou à final em 1968, 1999 (campeão) e 2000.

PALMEIRAS ALCANÇA, DE FORMA ISOLADA, SUA MAIOR INVENCIBILIDADE GERAL DE SUA HISTÓRIA NA LIBERTADORES

Ao longo de todas as suas participações na CONMEBOL Libertadores desde 1961, quando, logo de cara foi finalista (vale lembrar que o torneio fora instituído em 1960), o Verdão atingiu, no máximo, dez jogos de invencibilidade: em 2001, com três vitórias e sete empates, e a série atual, de oito vitórias e dois empates, correspondente justamente à campanha do Alviverde na edição de 2020. Ao ter passado sem ser derrotado pelo River Plate-ARG nesta noite, o Maior Campeão do Brasil chegou ao inédito 11º duelo sem ser derrotado ao longo de sua jornada na competição mais importante das Américas.

PALMEIRAS ALCANÇA INÉDITO 9º JOGO INVICTO SEGUIDO FORA DE CASA PELA LIBERTADORES

Se independentemente do mando de campo o Palmeiras obteve sua maior invencibilidade na história da Libertadores (ao ter passado pelo River sem ser derrotado, chegou ao 11º duelo sem reveses), especificamente no cenário visitante, o Verdão também ampliou a maior série invicta que já alcançou fora de casa pelo Continental – atualmente soma nove jogos sem conhecer derrota (seis vitórias e três empates) e esta já é a maior sem ser vencido fora de casa, chegando ao 9º duelo sem ser superado fora de seus domínios.

BRASILEIRO COM MAIS VITÓRIAS NA LIBERTADORES

Com 107 triunfos ao longo de suas 20 participações na Libertadores, o Palmeiras ampliou seu saldo de brasileiro com mais vitórias na competição continental (havia igualado as 106 vitórias do Grêmio em seu duelo anterior, contra o Libertad-PAR); em segundo lugar, aparece o Tricolor Gaúcho, com 106 vitórias, e o Cruzeiro, com 95 triunfos pela Libertadores, terceiro colocado.

EDIÇÃO DE 2020 REGISTROU MELHOR ATAQUE DO VERDÃO PELA LIBERTADORES NESTE SÉCULO

Considerando as disputas de Libertadores neste século, o Verdão, com seu triunfo mais recente, por 3 a 0 sobre o River Plate-ARG, ampliou ainda mais o seu saldo com a maior quantidade de gols marcados em uma única edição: são 32 gols em 2020 contra 26 tentos em 2001, antigo recorde no século, quando a equipe chegou à semifinal da competição.

EDIÇÃO DE 2020 REGISTROU MAIOR NÚMERO DE VITÓRIAS DO VERDÃO PELA LIBERTADORES NESTE SÉCULO

O Palmeiras também atingiu a marca de mais vitórias em uma mesma edição de Libertadores neste século. Agora são nove triunfos na Libertadores 2020, superando os oito obtidos (em 12 duelos) no ano de 2018 – antigo recorde no século.

PALMEIRAS MANTÉM INVENCIBILIDADE DE 21 ANOS CONTRA O RIVER PLATE-ARG

De quebra, o Palmeiras manteve uma longeva invencibilidade diante do rival argentino. Desde que se enfrentaram, coincidentemente, na fase semifinal da CONMEBOL Libertadores de 1999, Palmeiras e River Plate-ARG disputaram outros quatro jogos, e o Verdão não perdeu nenhum, somando seis duelos invictos no total – o primeiro da sequência foi ainda pelo jogo de volta da semi contra o adversário argentino, em 1999 (já a última derrota foi justamente no jogo de ida, no Monumental de Nuñez, em Buenos Aires-ARG). No total dos seis duelos em que está invicto, o Alviverde soma três vitórias e três empates.

ASPECTOS INDIVIDUAIS

Individualmente, o técnico Abel Ferreira busca a sua sexta classificação em jogos de mata-mata desde que assumiu o time. Abel Ferreira assumiu o comando da equipe do Palmeiras justamente em um jogo que valia classificação para Copa do Brasil, após o interino Andrey Lopes (o Cebola) ter dirigido a equipe no jogo de ida diante do Red Bull Bragantino – oitavas de final. Com o triunfo por 1 a 0 no jogo de volta já com Abel (após ter vencido por 3 a 1 na ida, fora de casa), o Palmeiras obteve a primeira classificação na era do novo treinador. Em apenas 18 jogos no comando da equipe, outros cinco duelos classificatórios já foram disputados. E no total dos cinco, são 100% de aproveitamento: em 18/11, foi o auxiliar Vítor Castanheira que dirigiu a equipe na classificação para as semifinais passando pelo Ceará nas quartas (empate por 2 a 2 fora de casa) – Abel estava suspenso. Depois, em 02/12, novamente com Abel, foi a vez de passar pelo Delfín-EQU nas oitavas de final da Libertadores, rumo às quartas; mais tarde, em 15/12, o Alviverde passou pelo Libertad-PAR nas quartas de final, garantindo vaga às semifinais, também com o português Abel Ferreira; e por último, no dia 30/12, a vitória por 2 a 0 sobre o América-MG fora de casa (após empate por 1 a 1 em casa) garantiu acesso à final da Copa do Brasil 2020.

Com bom retrospecto em seu início no Palmeiras (11 vitórias em 14 jogos, um empate e duas derrotas sofridas), o português Abel Ferreira ficou de fora de quatro compromissos do Verdão desde que assumiu o comando do time – um há pouco mais de um mês, quando esteve suspenso pela Copa do Brasil diante do Ceará, jogo que rendeu classificação às semifinais (o auxiliar e compatriota Vitor Castanheira comandou em seu lugar); depois, em três partidas mais recentes, já no último mês (dezembro), não pôde dirigir a equipe por ter sido infectado pelo novo coronavírus. Desta vez, o outro auxiliar, João Martins, também português, dirigiu a equipe em todos estes compromissos (empates por 2 a 2 com o Santos, pelo Brasileiro, por 1 a 1, com o Libertad-PAR, pela Libertadores, e triunfo diante do Bahia por 3 a 0 pelo Brasileiro). Em casa, o retrospecto de Abel é ainda melhor: oito jogos e nenhuma derrota! Sete vitórias um empate, com um único gol sofrido (no 1 a 1 diante do América-MG, em casa, pelas semifinais da Copa do Brasil). Desta forma, ao todo em seu trabalho no Alviverde (incluindo os jogos comandados pelos auxiliares), são 18 duelos disputados: 12 vitórias, quatro empates e duas derrotas.

Palmeiras: Weverton, Marcos Rocha, Alan Empereur, Gustavo Gómez e Viña; Danilo (Zé Rafael 21’/2ºT), Patrick de Paula (Emerson Santos 32’/2ºT) e Gabriel Menino; Gustavo Scarpa (Raphael Veiga 25’/2ºT), Rony (Breno Lopes 24’/2ºT) e Luiz Adriano (Willian 32’/2ºT). Técnico: Abel Ferreira.

Gols: Rony, 26’/1ºT (0-1), Luiz Adriano, 1’/2ºT (0-2) e Viña, 16’/2ºT (0-3)

Cartões amarelos (SEP): Abel Ferreira (treinador); Gustavo Gómez, Patrick de Paula, Emerson Santos e Danilo.

Departamento de Comunicação

Pré-jogo: River Plate-ARG x Palmeiras l CONMEBOL Libertadores (Semifinais – ida)
Data e hora: 05/01/2021 (terça-feira) l 21h30 (horário de Brasília)
Local: Estádio Libertadores da América, em Avellaneda, Grande Buenos Aires (Argentina)
Transmissão: CONMEBOL TV e SBT
Suspenso: Não há;
Retorno de Suspensão: Lucas Lima
Pendurados: Patrick de Paula
Desfalques: Felipe Melo (cirurgia no tornozelo esquerdo), Wesley (cirurgia no joelho esquerdo) e Luan Silva (cirurgia no joelho esquerdo)
Escalação do último jogo: (América-MG 0×2 Palmeiras, em 30/12): Weverton; Marcos Rocha, Gustavo Gómez, Luan e Viña; Danilo e Gabriel Menino (Patrick de Paula, 15’/2ºT); Rony, Raphael Veiga (Lucas Lima, 15’/ 2ºT) e Willian (Gustavo Scarpa, 15’/2ºT); Luiz Adriano (Mayke, 35’/2ºT).

O primeiro compromisso do Verdão em 2021, válido pela Libertadores da temporada de 2020, será fora de casa, nesta terça-feira (05), às 21h30 de Brasília, no Estádio Libertadores de América, casa do Independiente de Avellaneda, pois o Monumental de Nuñez, casa do River, passa por reforma. Finalista da Copa do Brasil em sua última partida, em 30/12, após passar pelo América-MG, e no G6 do Brasileirão, com 44 pontos (venceu a quinta seguida em casa no seu compromisso mais recente no Nacional, pela 27ª rodada), o Palmeiras inicia agora a busca por uma vaga na final da CONMEBOL Libertadores: o adversário desta semifinal é o River Plate-ARG. O clube que avançar para a final, irá enfrentar o vencedor de Santos e Boca Juniors-ARG.

Na atual edição da Libertadores, o Palmeiras tem ótimo aproveitamento: está invicto, com oito vitórias e dois empates em dez jogos, além de 29 gols marcados (segundo melhor ataque, atrás só do River Plate-ARG, com 31) e quatro sofridos (melhor defesa). Caso avance à fase final, esta será a quinta vez que o Verdão chega a esta etapa do Continental: já foi finalista em 1961, 1968, 1999 (campeão) e 2000; vale lembrar que esta é a oitava vez que o Alviverde participa da fase semifinal da Libertadores, incluindo eventuais triangulares finais, como acontecia antigamente, e esteve na fase que precedeu a decisão em 1961, 1968, 1971, 1999 (campeão), 2000, 2001, 2018 e, agora, 2020.

Dono da melhor campanha da fase de grupos da Libertadores 2020, o Palmeiras alcançou o feito pela terceira edição seguida, sendo o único clube do continente a registrar o melhor desempenho na fase de classificação em três anos seguidos neste século. Em 2020, o Palmeiras repetiu os mesmos 16 pontos registrados em 2018, com cinco vitórias e um empate, enquanto em 2019 obteve 15 pontos, com cinco triunfos e uma derrota. Na fase de grupos da atual edição, o Verdão registrou também o segundo melhor ataque entre todos os 32 participantes, com 17 gols marcados contra 21 do River Plate-ARG, e a segunda melhor defesa, com dois gols sofridos contra um do Boca Juniors-ARG.

A trajetória alviverde nesta Libertadores começou com vitórias sobre Tigre-ARG (2 a 0 na Argentina), Guaraní-PAR (3 a 1 no Allianz Parque) e Bolívar-BOL (2 a 1 na Bolívia). O Palmeiras não iniciava uma Libertadores com três vitórias consecutivas desde 1968, quando obteve cinco triunfos antes de empatar o sexto jogo – desde então, foram 17 edições e, no máximo, duas vitórias em sequência a partir da estreia. Nos confrontos seguintes da fase de classificação, empatou com o Guaraní-PAR (0 a 0 no Paraguai) e goleou Bolívar-BOL e Tigre-ARG, ambos no Allianz Parque e ambos por 5 a 0.

Os triunfos diante de bolivianos e argentinos, inclusive, passaram a dividir a terceira posição na lista das maiores goleadas do Verdão em Libertadores na história (atrás apenas do 6 a 1 sobre o Boca Juniors-ARG, em 1994, e do 7 a 0 sobre o El Nacional-EQU, em 1995) e se tornaram a maior goleada do Allianz Parque no geral, igualando os 5 a 0 aplicados sobre o Grêmio Novorizontino pelo Campeonato Paulista de 2018.

Nas oitavas de final, o Verdão passou após vencer o Delfín-EQU por 3 a 1 fora de casa, em Jocay, no Equador, e por 5 a 0 em casa. E nas quartas de final passou pelo Libertad-PAR, com empate por 1 a 1 fora de casa (Defensores del Chaco, em Assunção-PAR) e vitória por 3 a 0 em casa, no Allianz Parque.

Tradicional na competição, o Palmeiras é um dos três clubes brasileiros com mais edições de Libertadores disputadas: esta é a 20ª, assim como Grêmio e São Paulo, sendo a quinta vez consecutiva, feito inédito na história alviverde. O Palmeiras ainda carrega a honra de ter sido o primeiro brasileiro a disputar uma final de Libertadores: em 1961, logo na segunda edição do torneio, quando enfrentou o Peñarol-URU na grande decisão e ficou com o vice-campeonato. O Alviverde chegou à final em 1968, 1999 (campeão) e 2000.

O Verdão finalizou nesta segunda-feira (04) a preparação para o primeiro jogo da semifinal contra o River Plate-ARG; clique aqui e saiba mais (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

PALMEIRAS PODE TER, DE FORMA ISOLADA, MAIOR INVENCIBILIDADE GERAL DE SUA HISTÓRIA NA LIBERTADORES

Ao longo de todas as suas participações na CONMEBOL Libertadores desde 1961, quando, logo de cara foi finalista (vale lembrar que o torneio fora instituído em 1960), o Verdão atingiu, no máximo, dez jogos de invencibilidade: em 2001, com três vitórias e sete empates, e a série atual, de oito vitórias e dois empates, correspondente justamente à campanha do Alviverde na edição de 2020. Se passar sem ser derrotado pelo River Plate-ARG neste jogo de ida, o Maior Campeão do Brasil, irá chegar, portanto, ao inédito 11º duelo sem ser derrotado ao longo de sua jornada na competição mais importante das Américas.

PALMEIRAS PODE ALCANÇAR INÉDITO 9º JOGO INVICTO SEGUIDO FORA DE CASA PELA LIBERTADORES

Se independentemente do mando de campo o Palmeiras pode obter sua maior invencibilidade na história da Libertadores (caso passe pelo River sem ser derrotado irá chegar ao 11º duelo sem reveses), especificamente no cenário visitante, o Verdão também pode ampliar a maior série invicta que já alcançou fora de casa pelo Continental – atualmente soma oito jogos sem conhecer derrota (cinco vitórias e três empates) e esta já é a maior sem ser vencido fora de casa, podendo chegar ao inédito 9º duelo sem ser superado e ampliar esta marca.

VERDÃO PODE CHEGAR À 5ª FINAL DISPUTADA NA HISTÓRIA DA LIBERTADORES

Levando em conta os jogos eliminatórios da penúltima etapa do Continental desde 1960 (ano em que surgiu o torneio), o Palmeiras, que disputou sua primeira Libertadores em 1961, esteve nessa etapa em quatro ocasiões. Os anos em que a COMNMEBOL Libertadores teve o Verdão como finalista foram: 1961, 1968, 1999 e 2000, além de ter alcançado a fase semifinal também também em 1971, 2001, 2018 e, agora, 2020.

BRASILEIRO COM MAIS GOLS NO GERAL, COMO MANDANTE E COMO VISITANTE NA HISTÓRIA DA LIBERTADORES

Na edição de 2020, o Palmeiras se tornou o clube brasileiro com mais bolas na rede na condição de mandante na história da Libertadores, chegando a 215 gols e ultrapassando o Cruzeiro, antigo recordista com 201. Assim, o Alviverde, que também é o brasileiro com mais gols como visitante, com 144 tentos anotados fora de casa, se mantém como o que mais balançou as redes no geral, com 359 gols, que o colocam na 7ª posição do ranking de todos os clubes*:

1º – River Plate-ARG: 603 gols em 360 jogos
2º – Peñarol-URU: 555 gols em 369 jogos
3º – Nacional-URU: 549 gols em 393 jogos
4º – Boca Juniors-ARG: 464 gols em 295 jogos
5º – Olimpia-PAR: 442 gols em 311 jogos
6º – Cerro Porteño-PAR: 401 gols em 309 jogos
7º – Palmeiras-BRA: 359 gols em 194 jogos
8º – Bolívar-BOL: 345 gols em 237 jogos
9º – Universidad Católica-CHI: 337 gols em 222 jogos
10º – Colo-Colo-CHI: 336 gols em 241 jogos
*números atualizados até o jogo de ida das oitavas de final

BRASILEIRO COM MAIS VITÓRIAS NA LIBERTADORES

Com 106 triunfos ao longo de suas 20 participações na Libertadores, o Palmeiras alcançou o Grêmio em número de vitorias e passou a ser o brasileiro, ao lado do time gaúcho, que mais venceu no torneio continental – o Tricolor, que já tinha 106 vitórias, perdeu para o Santos o seu duelo mais recente e foi eliminado. Neste quesito, tanto Verdão quanto o Imortal estão à frente do Cruzeiro, terceiro colocado, com 95 triunfos pela Libertadores.

Melhor ainda é o retrospecto com visitante. O Palmeiras é o brasileiro com mais vitórias fora de casa na história da Libertadores: são 39 triunfos longe de seus domínios, cinco a mais do que o Cruzeiro, segundo colocado com 34. Nas últimas 15 vezes em que atuou no campo do adversário pela competição, o Verdão venceu 11, empatando duas e perdendo outras duas – a série atual de oito jogos sem derrota como visitante, iniciada em abril do ano passado, é a maior do clube em todos os tempos na Libertadores.

EDIÇÃO DE 2020 REGISTROU MELHOR ATAQUE DO VERDÃO PELA LIBERTADORES NESTE SÉCULO

Considerando as disputas de Libertadores neste século, o Verdão, com seu triunfo mais recente, por 3 a 0 sobre o Libertad-PAR, superou sua maior quantidade de gols marcados em uma única edição: são 29 gols em 2020 contra 26 tentos em 2001, antigo recorde no século, quando a equipe chegou à semifinal da competição.

EDIÇÃO DE 2020 REGISTROU MAIOR NÚMERO DE VITÓRIAS DO VERDÃO PELA LIBERTADORES NESTE SÉCULO

O Palmeiras também atingiu a marca de mais vitórias em uma mesma edição de Libertadores neste século. Em sua última partida, chegou a oito triunfos na Libertadores 2020, igualando os oito obtidos (em 12 duelos) no ano de 2018. O Verdão, portanto, tem a chance de chegar ao inédito nono resultado positivo em uma mesma edição do Continental.

SEGUNDO MELHOR ATAQUE DA LIBERTADORES 2020


O Palmeiras tem o melhor ataque da edição de 2020, com 29 gols marcados, dois a menos do que o River Plate-ARG, com 31. Os artilheiros do time na competição são Willian Bigode, Rony e Luiz Adriano, ambos com quatro bolas na rede na atual edição.

Números gerais do Palmeiras na Libertadores:

Retrospecto geral: 194 jogos, 106 vitórias, 36 empates, 52 derrotas, 359 gols marcados e 206 gols sofridos
Mandante: 96 jogos, 67 vitórias, 17 empates, 12 derrotas, 215 gols marcados e 75 gols sofridos
Visitante: 97 jogos, 39 vitórias, 19 empates, 39 derrotas, 144 gols marcados e 129 gols sofridos
Neutro: 1 jogo, 1 derrota e 2 gols sofridos

Primeiro jogo: 04/05/1961 – Independiente-ARG 0x2 Palmeiras (gols de Gildo e Zequinha) – Estádio Presidente Perón (Avellaneda-ARG)
Maior série de vitórias no geral: seis, entre 07/02/1971 e 14/04/1971
Maior série de vitórias em casa: nove, entre 05/05/1999 e 06/06/2000
Maior série de vitórias fora de casa: cinco, entre 01/03/2018 e 20/09/2018

Maior série invicta no geral: dez jogos, entre 16/05/2001 e 16/03/2005
Maior série invicta em casa: 34 jogos, entre 12/04/1979 e 12/05/2005
Maior série invicta fora de casa: oito jogos, de 25/04/2019 até hoje

Maior goleada no geral e em casa: 04/05/1995 – Palmeiras 7×0 El Nacional-EQU (gols de Edmundo duas vezes, Válber duas vezes, Rivaldo duas vezes e Paulo Isidoro) – Estádio Palestra Italia (São Paulo-SP)
Maior goleada fora de casa: 25/04/2019 – Melgar-PER 0x4 Palmeiras (gols de Gustavo Gómez, Gustavo Scarpa duas vezes e Moisés) – Monumental de la Unsa (Arequipa-PER)

ATAQUE EM BOA FASE: 47 GOLS NAS ÚLTIMAS 21 PARTIDAS

O Palmeiras anotou 47 gols em seus 21 jogos mais recentes, registrando ótima média de 2,23 tentos por duelo. No total das 60 partidas do ano, em apenas dez o Verdão passou em branco no placar – desde a conquista do título paulista sobre o Corinthians, foram disputados 40 jogos (sendo 26 de Brasileiro, oito de Libertadores e seis de Copa do Brasil, além da decisão estadual), e a equipe só não marcou gol em quatro.

MELHOR TEMPORADA DO PALMEIRAS NO SÉCULO XXI

As competições regulares ainda não terminaram, mas no período de 365 dias, o Verdão teve o seu melhor desempenho do Século XXI em alguns aspectos. O Maior Campeão do Brasil encerrou ano com o melhor desempenho defensivo neste século (ou seja, considerando partidas desde 2001): foram concedidos 41 gols aos seus adversários em 60 jogos.

Além disso, o Verdão perdeu apenas oito vezes em 60 partiadas. A última em que o time havia ficado abaixo de dez derrotas no período de 365 dias foi em 2003 (oito reveses em 54 duelos disputados derrotas).

VERDÃO ULTRAPASSA A MARCA DE 100 GOLS NA TEMPORADA

O Palmeiras acumula 101 bolas na rede durante a temporada – este dado contabiliza também os gols anotados na Florida Cup, torneio amistoso realizado nos Estados Unidos. Destes, 37 gols foram pelo Campeonato Brasileiro, 29 pela Libertadores (melhor ataque do torneio), 21 pelo Paulista, 12 pela Copa do Brasil e outros dois pela Florida Cup, no início da temporada.

MELHOR DEFESA ENTRE TODOS OS CLUBES EM 2020

No geral da temporada, a média de 0,69 gol sofrido por partida de campeonato (40 gols em 58 jogos, sem contar torneios amistosos) coloca o Verdão na primeira posição entre os clubes com menor índice de gols sofridos no ano, superando o Grêmio, com 0,76 (46 gols em 60 jogos).

Considerando as partidas da Florida Cup, na pré-temporada, foram 41 gols sofridos em 60 jogos no total, média de 0,68 por partida, que coloca 2020 em 8º lugar no ranking dos anos com menor média de gols sofridos na história do Palmeiras, atrás de 1990, com 0,67.

O Verdão tem ainda a segunda melhor defesa de 2020 como visitante, com média de 0,81 gol sofrido por jogo (22 em 27 partidas), atrás apenas do Grêmio, com 0,72 (21 em 29). Além disso, passou 42,8% dos jogos fora de casa sem sofrer gols (12 de 28) – é o quarto melhor índice entre todos os clubes, atrás do Grêmio, com 56,6% (17 de 30 jogos), do Ceará, com 43,3% (13 de 30 jogos).

MENOS DERROTAS ENTRE TODOS OS CLUBES EM 2020

Excluindo amistosos e torneios amistosos e somando todas as partidas de campeonato disputadas pelos participantes da Série A na temporada 2020, o Palmeiras é o clube com o menor número de derrotas no ano (oito) e possui também o menor percentual (13,7% – oito revezes em 58 jogos – contra 15% do segundo colocado Grêmio – nove em 60).

Até o tropeço diante do Botafogo, no início de outubro, o Palmeiras vinha de 20 jogos sem perder, registrando a maior invencibilidade do clube nos últimos oito anos e a terceira maior série invicta de um time a partir da estreia em uma edição de pontos corridos do Campeonato Brasileiro, com 12 partidas seguidas sem derrota, atrás apenas do Flamengo de 2011, com 15, e do Corinthians de 2017, com 19.

SEGUNDO MELHOR APROVEITAMENTO ENTRE TODOS OS CLUBES EM 2020

O Palmeiras possui o segundo melhor aproveitamento de pontos entre todos os clubes da elite do país nesta temporada: 65,5% (58 jogos de campeonato, 32 vitórias, 18 empates e oito derrotas) – em primeiro lugar, aparece o Flamengo, com 70,6% (58 jogos, 37 vitórias, 12 empates e nove derrotas). Como visitante, o Verdão tem o quarto melhor aproveitamento: 54,7% (28 jogos, 12 vitórias, dez empates e seis derrotas) – antes, aparecem Flamengo, com 66,6% (29 jogos, 17 vitórias, sete empates e cinco derrotas), Grêmio, com 55,5% (30 jogos, 12 vitórias, 11 empates e sete derrotas), e Ceará, também com 55,5% (30 jogos, 14 vitórias, oito empates e oito derrotas).

NÚMEROS GERAIS NA TEMPORADA 2020

J: 60
V: 32
E: 20
D: 8
GP: 101
GC: 41

NÚMEROS NO BRASILEIRO 2020
J: 26
V: 12
E: 8
D: 5
GP: 37
GC: 25

NÚMEROS NA LIBERTADORES 2020
J: 10
V: 8
E: 2
D: 0
GP: 29
GC: 4

NÚMEROS NA COPA DO BRASIL 2020
J: 6
V: 4
E: 2
D: 0
GP: 12
GC: 4

NÚMEROS NO PAULISTA 2020
J: 16
V: 8
E: 6
D: 2
GP: 21
GC: 7

NÚMEROS NA FLORIDA CUP 2020
J: 2
V: 1
E: 1
D: 0
GP: 2
GC: 1

PALMEIRAS DEFENDE INVENCIBILIDADE DE 21 ANOS CONTRA O RIVER PLATE-ARG

Desde que se enfrentaram, coincidentemente, na fase semifinal da CONMEBOL Libertadores de 1999, Palmeiras e River Plate-ARG disputaram outros quatro jogos, e o Verdão não perdeu nenhum, somando cinco duelos invictos no total – o primeiro da sequência foi ainda pelo jogo de volta da semi contra o adversário argentino, em 1999 (já a última derrota foi justamente no jogo de ida, no Monumental de Nuñez, em Buenos Aires-ARG). No total dos cinco jogos que está invicto, o Alviverde soma duas vitórias e três empates entre os anos de 1999 e 2001, quando os clubes se enfrentaram pela última vez.

VERDÃO TEM 100% DE APROVEITAMENTO NO ESTÁDIO LIBERTADORES DA AMÉRICA

Palco do próximo jogo, o Estádio Libertadores da América, cujo dono é o Independiente de Avellaneda, já recebeu o time palmeirense em duas ocasiões: em 16/09/1998 e 30/08/2000, ambas as vezes pela Copa Mercosul, justamente contra o dono da casa. Nos dois duelos, o Alviverde saiu vitorioso: 3 a 0 e 2 a 1, respectivamente, sendo que na Copa Mercosul de 1998 ainda foi campeão ao fim do torneio. O River Plate-ARG irá receber o Palmeiras no Estádio Libertadores da América, pois, sua casa, o Monumental de Nuñez, passa por reformas.

– Retrospecto geral contra o River Plate: 12 jogos, 3 vitórias, 3 empates, 6 derrotas, 19 gols marcados e 25 gols sofridos
– Primeiro jogo: 21/02/1935 – Palestra Italia 1×2 River Plate-ARG (gol de Mendes) – Estádio Palestra Italia – Amistoso
– Último jogo: 26/09/2001 – River Plate 3×3 Palmeiras (gols de Lopes, Basílio e Magrão) – Monumental de Nuñez (Buenos Aires-ARG) – Copa Mercosul
Na ocasião, o técnico Celso Rothmandou a campo: Marcos; Arce, Alexandre, Leonardo e Misso (Taddei); Galeano, Fernando IV e Magrão; Lopes, Muñoz (Basílio) e Tuta (Fábio Júnior)
– Maior sequência invicta: ambos os times, com cinco jogos (a do Palmeiras é a atual, com duas vitórias e três empates desde 26/05/1999)

– Retrospecto contra o River Plate pela Libertadores: 2 jogos, 1 vitória, 1 derrota, 3 gols marcados e 1 gol sofrido
– Primeiro jogo: 19/05/1999 – River Plate 1×0 Palmeiras – Monumental de Nuñez (Buenos Aires-ARG)
– Último jogo: 26/05/1999 – Palmeiras 3×0 River Plate (gols de Roque Júnior e Alex, duas vezes) – Estádio Palestra Italia (SP)

– Retrospecto do Palmeiras no Estádio Libertadores da América (contra qualquer adversário): 2 jogos, 2 vitórias, 5 gols marcados e 1 gol sofrido
– Primeiro jogo: 16/09/1998 – Independiente 0×3 Palmeiras (gols de Paulo Nunes e Alex, duas vezes) – Copa Mercosul
– Último jogo:
 30/08/2000 – Independiente 1×2 Palmeiras (gols de Adriano e Lopes) – Copa Mercosul

ABEL FERREIRA: EM BUSCA DA SEXTA CLASSIFICAÇÃO EM SUA ERA

Abel Ferreira assumiu o comando da equipe do Palmeiras justamente em um jogo que valia classificação para Copa do Brasil, após o interino Andrey Lopes (o Cebola) ter dirigido a equipe no jogo de ida diante do Red Bull Bragantino – oitavas de final. Com o triunfo por 1 a 0 no jogo de volta já com Abel (após ter vencido por 3 a 1 na ida, fora de casa), o Palmeiras obteve a primeira classificação na era do novo treinador.

Em apenas 17 jogos no comando da equipe, outros quatro duelos classificatórios já foram disputados. E no total dos cinco, são 100% de aproveitamento: em 18/11, foi o auxiliar Vítor Castanheira que dirigiu a equipe na classificação para as semifinais passando pelo Ceará nas quartas (empate por 2 a 2 fora de casa) – Abel estava suspenso. Depois, em 02/12, novamente com Abel, foi a vez de passar pelo Delfín-EQU nas oitavas de final da Libertadores, rumo às quartas; mais tarde, em 15/12, o Alviverde passou pelo Libertad-PAR nas quartas de final, garantindo vaga às semifinais, também com o português Abel Ferreira; e por último, no dia 30/12, a vitória por 2 a 0 sobre o América-MG fora de casa (após empate por 1 a 1 em casa) garantiu acesso à final da Copa do Brasil 2020.

Com bom retrospecto em seu início no Palmeiras (dez vitórias em 13 jogos, um empate e duas derrotas sofridas), o português Abel Ferreira ficou de fora de quatro compromissos do Verdão desde que assumiu o comando do time – um há pouco mais de um mês, quando esteve suspenso pela Copa do Brasil diante do Ceará, jogo que rendeu classificação às semifinais (o auxiliar e compatriota Vitor Castanheira comandou em seu lugar); depois, em três partidas mais recentes, já no último mês (dezembro), não pôde dirigir a equipe por ter sido infectado pelo novo coronavírus. Desta vez, o outro auxiliar, João Martins, também português, dirigiu a equipe em todos estes compromissos (empates por 2 a 2 com o Santos, pelo Brasileiro, por 1 a 1, com o Libertad-PAR, pela Libertadores, e triunfo diante do Bahia por 3 a 0 pelo Brasileiro). Em casa, o retrospecto de Abel é ainda melhor: oito jogos e nenhuma derrota! Sete vitórias um empate, com um único gol sofrido (no 1 a 1 diante do América-MG, em casa, pelas semifinais da Copa do Brasil).

Desta forma, ao todo em seu trabalho no Alviverde (incluindo os jogos comandados pelos auxiliares), são 17 duelos disputados: 11 vitórias, quatro empates e duas derrotas.

Abel é o primeiro português, o oitavo europeu e o 23º estrangeiro a assumir o comando do Maior Campeão do Brasil na história. O último treinador alviverde nascido na Europa tinha sido o italiano Caetano De Domenico, que conquistou o Campeonato Paulista de 1940 e permaneceu no Palestra Italia até 1941, portanto ainda antes da mudança do nome do clube, em 1942 (o penúltimo, o húngaro Eugênio Medgyessy, também sagrou-se campeão, no estadual de 1932). Já o mais recente comandante de fora do país era o argentino Ricardo Gareca, em 2014.

O primeiro técnico estrangeiro foi o italiano Adriano Merlo, que trabalhou em um jogo da campanha do título paulista de 1920, o primeiro da história alviverde, e conduziu a equipe ao bi estadual em 1926, em parceria com Ítalo Bosetti. Ainda na época do Palestra Italia, o uruguaio Humberto Cabelli ficou marcado pela conquista do único tricampeonato paulista do clube (alcançou o título invicto em 1932, levou a taça pela segunda vez seguida em 1933 e deixou o time por um breve período em 1934, mas voltou no mesmo ano e se sagrou campeão com apenas uma derrota).

Presente no tricampeonato paulista de 1932, 1933 e 1934 como jogador, o também uruguaio Ventura Cambon se tornou o treinador estrangeiro com mais partidas disputadas pelo Verdão (é o quarto no geral com 294 jogos) e o técnico que mais vezes assumiu o comando da equipe, de maneira interina ou efetiva, independentemente da nacionalidade, em todos os tempos (15 no total). Campeão paulista em 1944 dividindo o cargo com o ídolo Bianco, Cambon teve seu melhor momento no início da década de 50, quando, já em janeiro de 1951, pegou o time na reta final de um Paulistão praticamente nas mãos do São Paulo e conseguiu levar o Palmeiras ao título estadual de 1950. Meses depois, era ele o treinador na conquista do mais importante troféu da história do clube, o Mundial Interclubes de 1951, e faturou ainda o Torneio Rio-São Paulo daquele ano.

Outro estrangeiro de sucesso foi o argentino Filpo Nuñez, grande maestro da Academia de Futebol do Palmeiras, que brilhou na campanha vitoriosa do Rio-São Paulo de 1965. Além de praticar um jogo coletivo e envolvente, o time alviverde era uma máquina ofensiva: foram 12 vitórias em 16 jogos, apenas uma derrota, e uma média de três gols por partida (49 bolas na rede), com direito a goleadas de 7 a 1 no Santos, 5 a 0 no São Paulo e 4 a 1 no Vasco e no Flamengo. Filpo ostenta até hoje o feito de ser o único técnico nascido fora do país a comandar a Seleção Brasileira, quando o Brasil foi inteiramente representado pelo Palmeiras na partida inaugural do Estádio Mineirão, também em 1965, e venceu a seleção do Uruguai por 3 a 0.

Gabriel Silva foi relacionado 33 dos últimos 45 jogos do Palmeiras (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

#CRIASDAACADEMIA: 2020 É O ANO DE MAIOR UTILIZAÇÃO DE ESTREANTES DA BASE NO SÉCULO

Além dos 27 jogadores que compõem o elenco profissional atualmente, dois jovens do Sub-20 também vêm sendo aproveitados com frequência: o zagueiro Renanque foi relacionado para 23 dos 31 jogos mais recentes e atuou em seis (cinco como titular), e o atacante Gabriel Silva, relacionado para 33 dos últimos 45 jogos e presente em campo em 13.

Ao todo, considerando também os atletas que estão efetivados no plantel principal, 11 Crias da Academia estrearam pelo Palmeiras em 2020. Na ordem, foram a campo Patrick de Paula, Gabriel Menino, Wesley, Alan, Angulo (emprestado ao Botafogo), Gabriel Silva, Danilo, Renan, Aníbal, Marcelinho e Fabrício. Juntos, eles somam 160 jogos e fizeram da temporada de 2020 a que o Palmeiras mais colocou jovens estreantes da base para atuar no século, superando as 103 partidas de também 11 partas da casa debutantes em 2010.

Diante do Coritiba, em outubro de 2020, pelo Campeonato Brasileiro, cinco Crias da Academia foram escaladas no time titular: Renan, Esteves, Patrick de Paula, Gabriel Menino e Gabriel Veron – isso não acontecia desde 2015. Já contra o Delfín-EQU, na partida de ida das oitavas de final da Libertadores, os 11 suplentes eram oriundos do Centro de Formação de Atletas do Verdão, feito inédito na história do clube.

Durante o mês de novembro de 2020, dez Crias da Academia foram relacionadas pela primeira vez: os goleiros Mateus e Leandro, o zagueiro Helder, o lateral-esquerdo Vanderlan, os meio-campistas Quiñonez e Juninho e os atacantes Marino, Aníbal, Pedro Acácio e Fabricio. Eles se juntaram ao meio-campista Vitinho e ao atacante Marcelinho, que já haviam sido convocados ao longo do ano, além de Renan e Gabriel Silva. Para o clássico do dia 05 de dezembro, contra o Santos, Ramon Cesar e Ramon Rocha foram acrescentados à lista, somando 16 no total.

>> Gabriel Silva: o atacante de 18 anos chegou ao clube aos 13, em 2015, e tem no currículo dois títulos do Mundial de Clubes Sub-17 – nas duas finais, aliás, ele deixou sua marca: primeiro na vitória por 4 a 2 sobre o Real Madrid na decisão de 2018, na Espanha, e depois na vitória por 2 a 1 sobre o Leganés-ESP em 2019, também na Espanha. Campeão paulista Sub-15, Sub-17, Sub-20 e Profissional pelo Verdão, marcou 40 gols em 46 jogos atuando pelo Sub-17 e pelo Sub-20 em 2019 e se destacou também por balançar as redes em todas as finais nacionais que disputou na temporada passada: Paulista Sub-17 (vice-campeão), Copa do Brasil Sub-17 (campeão), Supercopa do Brasil Sub-17 (campeão), Paulista Sub-20 (campeão), Brasileiro Sub-20 (vice-campeão) e Supercopa do Brasil Sub-20 (vice-campeão). Neste ano, tem seis gols em sete jogos entre Brasileiro Sub-20 e Copa do Brasil Sub-20.

>> Renan: o jovem de 18 anos conquistou importantes títulos pela base do Palmeiras e da Seleção Brasileira desde o Sub-15 – entre eles, o bicampeonato paulista sub-15 (2016 e 2017), o Campeonato Paulista Sub-17 (2018), a Copa do Brasil Sub-17 (2019), a Supercopa do Brasil Sub-17 (2019) e o bicampeonato do Mundial de Clubes Sub-17 (2018 e 2019), pelo Verdão, além da Copa do Mundo Sub-17 em 2019, pelo Brasil. Ele chegou ao Palmeiras em 2015, aos 13 anos de idade, começou a jogar de lateral-esquerdo no início de 2019 por decisão do técnico Artur Itiro e agradou. Ganhou a polivalência como uma de suas características.

Números individuais na temporada:

– Mais jogos no geral: Willian (206); Felipe Melo (170); Lucas Lima (152); Weverton (144); Marcos Rocha (133); Luan (119)
– Mais jogos em 2020: Willian (56); Weverton (54); Zé Rafael (52); Gabriel Menino e Gustavo Gómez (47); e Lucas Lima (44)
– Mais jogos no Brasileiro 2020: Willian (23); Weverton (21)
– Mais jogos na Libertadores 2020: Weverton e Gustavo Gómez (10)
– Mais jogos na Copa do Brasil 2020: Raphael Veiga e Willian (6)

– Mais gols no geral: Willian (55); Luiz Adriano (24); Gustavo Scarpa e Raphael Veiga (22); Gustavo Gómez (13); Felipe Melo e Zé Rafael (12); Gabriel Veron e Lucas Lima (10)
– Mais gols em 2020: Willian e Luiz Adriano (17); Raphael Veiga (15); Rony (9); Gabriel Veron (8); Zé Rafael, Gustavo Gómez e Patrick de Paula (5); Wesley (4); Gustavo Scarpa e Gabriel Menino (3); Marcos Rocha, Lucas Lima e Dudu (2); Ramires, Felipe Melo, Danilo e Viña (1)
– Mais gols no Brasileiro 2020: Luiz Adriano e Raphael Veiga (8); Willian (6); Rony (4); Gabriel Veron e Patrick de Paula (3); Zé Rafael e Wesley (2); Gustavo Gómez (1)
– Mais gols na Libertadores 2020: Willian, Rony e Luiz Adriano (4); Gabriel Menino e Gabriel Veron (3); Raphael Veiga, Zé Rafael, Gustavo Gómez (2); Viña, Wesley, Patrick de Paula, Danilo e Gustavo Scarpa (1)
– Mais gols na Copa do Brasil 2020: Raphael Veiga (4); Gabriel Veron e Luiz Adriano (2); Gustavo Scarpa, Wesley, Gustavo Gómez e Rony (1)

– Mais assistências no geral: Willian, Marcos Rocha e Lucas Lima (20); Gustavo Scarpa (13) e Zé Rafael (12)
– Mais assistências em 2020: Gabriel Menino (9); Rony (8); Zé Rafael e Viña (7); Wesley (6); Marcos Rocha (5); Willian, Gabriel Veron, Gustavo Scarpa e Lucas Lima (4); Luiz Adriano e Dudu (3); Raphael Veiga (2); Bruno Henrique, Gustavo Gómez, Patrick de Paula, Danilo, Gabriel Silva, Felipe Melo e Mayke (1)
– Mais assistências no Brasileiro 2020: Gabriel Menino (6); Zé Rafael (3); Luiz Adriano, Viña, Willian, Gustavo Scarpa e Wesley (2); Raphael Veiga, Mayke, Gustavo Gómez, Gabriel Veron, Lucas Lima e Patrick de Paula (1)
– Mais assistências na Libertadores 2020: Rony (7); Wesley e Viña (3); Gustavo Scarpa e Dudu (2); Willian, Gabriel Menino, Danilo, Gabriel Veron, Raphael Veiga, Gabriel Silva e Marcos Rocha (1)
– Mais assistências na Copa do Brasil 2020: Zé Rafael (2); Viña, Lucas Lima, Gabriel Veron, Felipe Melo, Rony e Marcos Rocha (1)

– Mais vezes capitão do time em 2020: Felipe Melo (29); Gustavo Gómez (14); Weverton (7); Willian (6); Luiz Adriano e Bruno Henrique (2)
– Último hat-trick: Luiz Adriano (10/03/2020 – Palmeiras 3×1 Guaraní-PAR – Allianz Parque, em São Paulo-SP – Libertadores)
– Último gol de falta: Moisés (22/05/2019 – Sampaio Corrêa-MA 0x1 Palmeiras – Estádio Castelão, em São Luiz-MA – Copa do Brasil)
– Último gol de pênalti em tempo regulamentar: Raphael Veiga (12/12/2020 – Palmeiras 3×0 Bahia – Allianz Parque – Campeonato Brasileiro)
– Último gol de pênalti em disputa de penais: Patrick de Paula (08/08/2020 – Palmeiras 1 (4)x(3) 1 Corinthians – Allianz Parque, em São Paulo-SP – Campeonato Paulista)
– Última defesa de pênalti em tempo regulamentar: Weverton (02/11/2019 – Palmeiras 1×0 Ceará – Allianz Parque, em São Paulo-SP – Campeonato Brasileiro)
– Última defesa de pênalti em disputa de penais: Weverton (08/08/2020 – Palmeiras 1 (4)x(3) 1 Corinthians – Allianz Parque, em São Paulo-SP – Campeonato Paulista)’’

WILLIAN: ARTILHEIRO MÁXIMO DO ATUAL ELENCO, PRINCIPAL GOLEADOR PALMEIRENSE EM 2020 E JOGADOR MAIS ASSÍDUO NA TEMPORADA; UM DOS ARTILHEIROS PALMEIRENSES NA LIBERTADORES 2020

Com 55 gols, o atacante Willian é o maior artilheiro do elenco (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

Willian fechou 2020 como o atleta mais assíduo nesse ano: atuou em 57 dos 60 compromissos possíveis, seguido de Weverton, com 55 atuações – no Brasileiro, também é quem mais jogou: 24 das 26 partidas possíveis até aqui, seguido de Weverton, com 22 duelos no Nacional.

Além disso, Willian fechou 2020 sendo o artilheiro do Palmeiras no ano (foram 17 gols, ao lado de Luiz Adriano, seguidos de Raphael Veiga, com 15 – e com esse número supera os tentos de Dudu e Gustavo Scarpa em 2019, artilheiros do time no ano passado, com 13 gols); é o terceiro artilheiro do time no Campeonato Brasileiro (seis, atrás de Raphael Veiga e de Luiz Adriano, ambos com oito) e o líder em participações diretas nos gols da temporada (21, somando-se 17 bolas na rede e quatro assistências, seguido de Luiz Adriano, com 20 – 17 gols e três passes, e a dupla Raphael Veiga e Rony, ambos com 17, sendo, respectivamente, 15 gols e duas assistências e nove gols e oito assistências).

Segundo maior artilheiro do Verdão na era dos pontos corridos com 27 bolas na rede (atrás apenas de Dudu, com 41) ele já entrou no top 10 dos que mais marcaram gols pelo clube em Brasileiro em todos os tempos (atualmente na 10ª posição, ao lado de Edu Bala), o atacante é o segundo maior goleador do Palmeiras neste século com 55 tentos (atrás só de Dudu, com 70) e aparece na 48ª posição da lista dos maiores artilheiros da história alviverde.

Jogador do atual elenco com mais partidas (206, seguido por Felipe Melo, com 170), gols (55, seguido por Luiz Adriano, com 24, Raphael Veiga e Gustavo Scarpa, todos com 22) e assistências (20, ao lado de Marcos Rocha e de Lucas Lima), Willian é o 74º no ranking dos atletas com mais jogos na história do clube e o 6º entre os que têm mais vitórias neste século, com 112 triunfos – completam o ranking: Márcio Araújo (5º, com 118), Valdivia (4º, com 122), Fernando Prass (3º, com 151), Dudu (2º colocado, com 174) e Marcos (líder com 182 vitórias).

As 206 partidas de Willian, inclusive, o colocam também no top 10 de palmeirenses com mais partidas neste século, na 7ª colocação. Completam o ranking: o meio-campista Corrêa (6º, com 209), o meia Valdivia (5º, com 241), o volante Márcio Araújo (4º, com 252), o goleiro Fernando Prass (3º, com 274), o atacante Dudu (2º, com 305) e o goleiro Marcos (líder no quesito, com 392).

Contra o Libertad-PAR, na mais recente partida do Verdão pela competição continental, ele superou os meio-campistas Ademir da Guia e Dudu na lista dos atletas palmeirenses com mais jogos pela Libertadores em todos os tempos e igualou o volante Cesar Sampaio (5º, com 30 jogos); completam a lista: o atacante Dudu (4º, com 34 jogos), o volante Galeano (3º, com 38 jogos), o meia Alex (2º, com 39 jogos) e o goleiro Marcos (líder da lista, com 57 jogos).

Na Libertadores 2020, aliás, Willian marcou quatro vezes: na estreia do Verdão na atual edição, contra o Tigre-ARG, diante do Bolívar-BOL, na terceira rodada; novamente, ante a equipe boliviana (desta vez no jogo de volta da primeira fase, na quinta rodada) e, mais recentemente, sobre o Delfín-EQU (jogo de volta). Com esses quatro gols no mais importante torneio das Américas, é um dos artilheiros do Palmeiras na atual edição, ao lado de Luiz Adriano e Rony.

No Allianz Parque, Willian é o vice-artilheiro, com 21 bolas na rede na arena alviverde, só está de Dudu neste quesito, com 33; o terceiro em jogos (83, a frente de Vitor Hugo, com 75, e de Felipe Melo, com 74, e atrás apenas de Fernando Prass, com 86, e Dudu, com 127) e o quinto em assistências (nove, ao lado de Lucas Lima e uma a menos que Robinho e Róger Guedes, com dez, e três a menos que Marcos Rocha, com 12 – todos atrás de Dudu, com 35).

LUIZ ADRIANO: VICE-ARTILHEIRO DO ELENCO E GOLS EM TODAS AS COMPETIÇÕES EM 2020

Autor de um dos gols da vitória na partida mais recente do Verdão, em 30/12, diante do América-MG, jogo que valeu classificação à final da Copa do Brasil após vitória por 2 a 0, no Estádio Independência (Belo Horizonte-MG), Luiz Adriano, que também havia marcado no jogo anterior, pelo Campeonato Brasileiro, diante do Red Bull Bragantino (vitória por 1 a 0 no Allianz Parque), voltou a figurar na artilharia do time em 2020 e fechou o ano como o goleador máximo da equipe em 2020, ao lado de Willian Bigode, ambos com 17 gols, seguidos de Raphael Veiga, com 15.

Luiz Adriano é um dos três palmeirenses a ter marcado em todas as competições regulares disputadas nas competições oficiais da temporada atual – os outros foram Raphael Veiga e Gustavo Gómez. Ele marcou três vezes no Paulista, oito no Brasileiro (artilheiro do time na edição, ao lado de Raphael Veiga), quatro na Libertadores (artilheiro palmeirense no torneio, ao lado de Rony e Willian) e duas na Copa do Brasil, enquanto o camisa 23 fez um gol pelo Estadual, oito pelo Brasileirão, dois pela Libertadores e quatro na Copa do Brasil. Com o gol que fez pelo Brasileiro na partida mais recente pela competição (o oitavo), aliás, voltou a ser artilheiro do time na competição, ao lado de Raphael Veiga. E Gustavo Gómez balançou as redes uma vez pelo Paulista, uma pelo Brasileiro, uma pela Copa do Brasil e duas pela Libertadores.

Luiz Adriano soma seis gols em seus últimos dez jogos disputados – média de 0,60 por partida – marcou duas vezes na vitória por 3 a 0 contra o Atlético-GO, em Goiânia, pelo Brasileiro, em 25/10; no triunfo por 3 a 1 diante do RB Bragantino pelo jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil, em Bragança Paulista-SP, em 29/10; e, mais recentemente, diante do Vasco, em 08/11, antes de ficar de fora por desgaste muscular, voltar por mais duas partidas e, em seguida, se lesionar (ficando de fora por oito jogos em um mês). Em sua volta, entrou no segundo tempo diante do América-MG (jogo de ida pela Copa do Brasil, no Allianz Parque); e nos dois duelos seguintes, marcou gol: pelo Brasileiro, fez o tento da vitória por 1 a 0 diante do RB Bragantino, pela 27ª rodada do Brasileiro (no Allianz Parque) e abriu caminho para a vitória do Palmeiras fora de casa, no segundo tempo, contra o América-MG pela Copa do Brasil (jogo que valeu vaga na final).

Com 24 gols desde que chegou ao Verdão, em 2019, o jogador é ainda o vice-goleador do elenco no geral, seguido de Raphael Veiga e de Gustavo Scarpa (empatados na terceira colocação, com 22), e atrás só de Willian, com 55 bolas na rede.

Contratado em agosto de 2019, fechou 2020 com média de 0,39 gol por partida (17 em 43 jogos), ante 0,46 da sua temporada de estreia (sete em 15), superando os 13 gols dos artilheiros do time em 2019, Dudu e Scarpa.

No Allianz Parque, Luiz Adriano ostenta a melhor média de gols da história da arena, com índice de 0,5 bola na rede por jogo (11 gols em 22 jogos) – completam o top 10: Borja (2º com 0,38 – 19 gols em 50 jogos), Cristaldo (3º com 0,34 – 11 gols em 32 jogos), Leandro Pereira (4º com 0,33 – 7 gols em 21 jogos), Gabriel Jesus (5º com 0,32 – 11 gols em 34 jogos), Deyverson (6º com 0,30 –13 gols em 42 jogos), Rafael Marques (7º com 0,28 – 12 gols em 42 jogos), Barrios (8º com 0,26 – 5 gols em 19 jogos) e quatro atletas empatados em 9º, com 0,25, que são Dudu (33 gols em 127 jogos), Keno (9 gols em 35 jogos) e Alecsandro (6 gols em 24 jogos).

Os 11 gols anotados no Allianz Parque também já colocam Luiz Adriano no top 10 de artilheiros da arena palmeirense, ocupando a 7ª posição com um gol a mais do que Keno, 11º colocado – completam o ranking: Cristaldo, Gabriel Jesus e Bruno Henrique (empatados na 6ª colocação com 11), Raphael Veiga e Rafael Marques (empatados em 5º, com 12), Deyverson (4º, com 13), Borja (3º, com 19), Willian (2º, com 20) e Dudu (1º, com 33).

Por duas vezes na casa palestrina, Luiz Adriano deixou o gramado com três bolas na rede no mesmo jogo: diante do Fluminense, no Brasileirão de 2019, e do Guaraní-PAR, na Libertadores deste ano. Fora do Brasil, já havia alcançado o mesmo feito em outras três oportunidades, além de uma vez em que marcou cinco gols pelo Shakhtar Donetsk-UCR (sendo quatro só no primeiro tempo), clube onde é o maior artilheiro da história com 130 gols. Ele é também o 7º maior goleador brasileiro na história da Champions League, com 21 tentos – neste ranking, apenas Neymar, Kaká, Rivaldo, Jardel, Élber e Mazzola, revelado pelo Verdão, balançaram mais vezes as redes pela maior competição continental do planeta.

RONY: INVICTO HÁ 14 JOGOS, SEGUNDO COLOCADO EM DRIBLES E ASSISTÊNCIAS DA TEMPORADA 2020 NO ATUAL ELENCO E TERCEIRO EM FINALIZAÇÕES CERTAS; 4 GOLS NOS ÚLTIMOS 5 JOGOS DA LIBERTADORES

Preservado no jogo de 27/12, pelo Brasileirão, diante do Red Bull Bragantino (vitória por 1 a 0 no Allianz Parque), Rony voltou a entrar em campo na partida mais recente do Verdão, em 30/12, diante do América-MG, jogo que valeu classificação à final da Copa do Brasil após vitória por 2 a 0, no Estádio Independência (Belo Horizonte-MG) –deu uma assistência para o primeiro gol (de Luiz Adriano) e fez o segundo gol.

Como o Palmeiras ganhou o duelo mais recente (América-MG, 2×0, fora de casa), ele somou mais um jogo invicto: agora são 14 partidas em que o camisa 11 não sabe o que é perder. A marca curiosa se deve muito ao fato de, coincidentemente, ele ter ficado de fora justamente nos poucos tropeços em que o Verdão sofreu em tempos recentes, como os reveses para o Goiás e Inter, ambos fora de casa, em 21/11 e 19/12, respectivamente. Ao todo, são 12 vitórias e dois empates na série invicta atual do atacante. O jogador, aliás, vem de bons números: fez oito gols em suas últimas 14 partidas disputadas (média de 0,53 por jogo neste período).

Com nove bolas na rede no ano, Rony foi o quarto principal artilheiro do Alviverde em 2020, atrás só de Raphael Veiga (15), e de Luiz Adriano e Willian (ambos com 17).

Após balançar as redes pela primeira vez na Copa do Brasil, no Brasileiro, ele possui quatro gols e é o quarto principal artilheiro do Verdão no torneio, atrás só de Willian (seis), e de Raphael Veiga e Luiz Adriano (ambos com oito);

Na Libertadores ele tem o mesmo número de gols: quatro bolas na rede – marcados nos últimos cinco jogos –, sendo o principal artilheiro do Verdão no Continental, ao lado de Willian e de Luiz Adriano. Na última partida pela Libertadores, aliás, diante do Libertad-PAR, Rony fez um gol e concedeu uma assistência na vitória por 3 a 0.

O camisa 11 também o garçom máximo da edição 2020 do Continental, dentre todos os clubes, com sete passes a gol, além de ser também o líder isolado em participação em gols no torneio sul-americano, com 11 ações (ou seja, gols e assistências somadas).

E como deu assistência no último jogo pela Copa do Brasil, somada às sete que já possuía pela Libertadores, totalizando oito, Rony fechou 2020 na segunda posição dentre os principais garçons do Verdão, atrás só de Gabriel Menino (com nove) e seguido de Zé Rafael e Viña (ambos com sete).

Rony fechou 2020 como o terceiro atleta que mais acerta a meta adversária, com 34 finalizações certas, atrás de Luiz Adriano (35) e de Willian (40) e o segundo que mais dribla, com 27 fintas completas, ao lado de Wesley, e atrás só de Zé Rafael, líder no quesito (34). Desde que estreou, em fevereiro, pelo Campeonato Paulista, ele participou de 39 dos últimos 51 jogos, sendo 31 como titular e oito acionado do banco de reservas.

Com Rony em campo, o Verdão não é derrotado há 14 partidas (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

LUCAS LIMA: LÍDER EM ASSISTÊNCIAS PARA FINALIZAÇÃO EM 2020 E PRESENTE EM 14 DOS ÚLTIMOS 16 JOGOS

Presente em 14 das últimas 16 partidas (sendo dez destas como titular), Lucas Lima se destaca não só pela assiduidade. Em suas mais recentes exibições, o jogador vem fazendo a diferença junto ao time: no duelo mais recente da equipe, cobrou a falta que originou o segundo gol do Palmeiras sobre o América-MG fora de casa, na vitória por 2 a 0 (gol este que selou a classificação à final do torneio nacional). A falta, cobrada pelo lado esquerdo, aos 40 minutos do segundo tempo, entre o escanteio e a grande área, foi na medida para Mayke finalizar e o goleiro adversário rebater. Na sobra, Rony balançou as redes – o primeiro gol da partida havia sido marcado por Luiz Adriano minutos antes.

Antes disso, há alguns jogos, Lucas Lima foi o responsável pela cobrança do corner que originou o gol de Willian Bigode, o segundo do Verdão sobre o Peixe, em rodada do Brasileiro, em 05/12 – a bola ainda desviou em Zé Rafael antes de o camisa 29 balançar as redes. Já no jogo de volta das oitavas de final da Libertadores (vitória sobre o Delfín-EQU por 5 a 0 e classificação), Lucas Lima chutou de longe e a pelota explodiu na zaga, sobrando para Patrick de Paula dominar e também chutar de longe e marcar um golaço, abrindo o placar.

Um jogo antes, no triunfo sobre o Athletico-PR por 3 a 0, em 28/11, no Allianz Parque, pelo Brasileiro, ele havia concedido o passe para o primeiro gol do Palmeiras, também marcado por Patrick de Paula e, com isso, chegou a 20 assistências no total desde que chegou ao Palmeiras em 2018. Desta forma, Lucas Lima passou a ser o líder de passes a gol do atual elenco, ao lado de Willian Bigode, com as mesmas 20 assistências e também Marcos Rocha.

E em outro duelo anterior, no jogo de ida das oitavas da Libertadores, contra o Delfín-EQU (vitória por 3 a 1 fora de casa), em 25 de novembro, Lucas também teve papel imprescindível no resultado favorável. Foi dele que originou-se o lance do pênalti que ocasionou o segundo gol do Verdão no duelo com os equatorianos (convertido por Rony) – na ocasião, o meia chutou de perto da entrada da grande área e a bola foi desviada pela zaga com o braço.

Este não foi o único penal que o atleta favoreceu o Palmeiras nos tempos recentes: em outros dois compromissos, estes pelo Brasileiro (diante do Vasco, em 08/11, e contra o Fluminense, em 14/11), ele sofreu ambas as penalidades – diante do time cruz-matino, a infração valeu o gol da vitória, marcado por Luiz Adriano no rebote após defesa do goleiro Fernando Miguel e, diante do Tricolor Carioca, o tiro foi cobrado por Raphael Veiga e abriu caminho para o triunfo por 2 a 0 sobre o time das laranjeiras.

O camisa 20 fechou 2020 como líder em passe para finalizações – desde o começo do ano passado, até o último jogo da temporada, proporcionou 63 chutes a gol dos seus companheiros, seguido de Gabriel Menino, com 53 (números do Footstats que não incluem os passes que resultaram em bola na rede). É também o quinto colocado na lista dos maiores garçons do Allianz Parque (ao lado de Willian com nove assistências, três a menos que Marcos Rocha, vice-líder, com 12, e uma a menos do que Robinho e Róger Guedes, com dez, todos atrás de Dudu, com 35).

RAPHAEL VEIGA: TEMPORADA MAIS ARTILHEIRA DA CARREIRA, TERCEIRO ARTILHEIRO DO TIME EM 2020, DO ATUAL ELENCO

Raphael Veiga tem um retrospecto com ótimos números pelo Verdão: em seus últimos 12 jogos disputados, Veiga marcou sete gols. Ao todo, neste ano, Raphael Veiga soma 15 bolas na rede na temporada e, com isso, superou os nove gols que acumulou em 2018 pelo Athletico-PR e fez de 2020, de forma disparada, a temporada mais artilheira de sua carreira – neste quesito, na atual temporada, está atrás só dos atacantes Luiz Adriano e Willian (ambos com 17 gols) e é o artilheiro da equipe no Brasileirão, com oito gols, ao lado de Luiz Adriano, e na Copa do Brasil, com quatro, isolado.

Profissionalizado no futebol em 2016, pelo Coritiba, marcou três gols em 24 jogos em sua primeira temporada no Coxa. Em 2017, seu primeiro ano no Palmeiras, fez dois gols em 22 partidas (à época, muitos meio-campistas experientes não possibilitaram que o jogador tivesse sequência). Emprestado ao Athletico-PR em 2018, quando foi campeão da Copa Sul-Americana, fez 48 jogos e nove gols (até então sua temporada mais artilheira, superada no último sábado); em 2019, voltou de empréstimo e jogou 31 vezes pelo Verdão, marcando cinco gols.

O fato de ter chegado a 15 gols no ano, fez com que Veiga, passasse a ser o terceiro jogador com mais participações diretas em gols (ou seja, gols e assistências somadas): são 17 participações (sendo 15 gols e duas assistências), ao lado de Rony (nove gols e oito assistências), atrás só de Luiz Adriano, com 20 ações (17 gols e três assistências), e de Willian, líder no quesito, com 21 (17 gols e quatro passes decisivos).

Além disso, com 22 gols que possui, assim como Gustavo Scarpa, ele é o terceiro artilheiro geral do atual elenco, atrás só de Luiz Adriano, com 24 de ao todo, e de Willian Bigode, com 55.

Raphael Veiga, aliás, é um dos três palmeirenses a ter marcado em todas as competições regulares disputadas em 2020 – os outros são Luiz Adriano e Gustavo Gómez. Ele marcou uma vez no Paulista, oito no Brasileiro até aqui (sendo o artilheiro do time na competição ao lado de Luiz Adriano), duas na Libertadores até o momento e outras quatro na Copa do Brasil (que também faz dele o artilheiro do time no torneio nacional), enquanto o camisa 10 fez três gols pelo Estadual, oito pelo Brasileirão, quatro pela Libertadores e dois na Copa do Brasil. E Gustavo Gómez balançou as redes uma vez pelo Paulista, uma pelo Brasileiro, uma pela Copa do Brasil e duas pela Libertadores.

GUSTAVO SCARPA: TERCEIRO ARTILHEIRO GERAL DO ELENCO, JOGADOR MAIS ACIONADO DO BANCO DE RESERVAS EM 2020 E POLIVALENTE; PRESENTE EM NOVE DOS ÚLTIMOS DEZ DUELOS

Autor de um gol e de uma assistência na mesma partida, no jogo mais recente do Verdão pela Libertadores, vitória por 3 a 0 diante do Libertad-PAR, em casa – duelo este que valeu a classificação às semifinais do Continental –, Gustavo Scarpa vem em uma crescente no time do Verdão. Da última vez que esteve em campo pelo Brasileiro como titular (revés para o Inter no último sábado, por 2 a 0, fora de casa, pelo Brasileiro) completou 100 partidas com a camisa do Palmeiras desde que chegou em 2018 (hoje são 103. Desta forma, ao alcançar essa expressiva marca, o meia se juntou a um seleto grupo de outros oito jogadores do elenco com 100 jogos ou mais. São eles: Gustavo Gómez (106), Mayke (107), Luan (119), Marcos Rocha (133), Weverton (144), Lucas Lima (152), Felipe Melo (170) e Willian (206).

Presente em nove dos últimos dez duelos do Verdão (titular em seis deles), o camisa 14 ostenta uma curiosa estatística na atual temporada: é o jogador que mais vezes sai do banco de reservas para auxiliar a equipe em campo em 2020, tendo sido acionado 20 vezes nos últimos 45 jogos, inclusive na partida mais recente do time, em 30/12, diante do América-MG, jogo que valeu classificação à final da Copa do Brasil após vitória por 2 a 0, no Estádio Independência (Belo Horizonte-MG)

Meio-campista de origem, o camisa 14 tem a polivalência como uma de suas características. Durante o período em que o lateral-esquerdo titular Matías Viña estava com a Seleção Uruguaia e, depois, tornou-se desfalque pelo fato de ter contraído Covid-19, e o suplente Lucas Esteves estava lesionado, o meia canhoto Gustavo Scarpa, assim como o lateral-direito Mayke, foi testado de forma improvisada na ala esquerda e se saiu bem: contra o Ceará (11/11) e o Fluminense (14/11), vitórias por 3 a 0 e 2 a 0, pela Copa do Brasil e Brasileiro, respectivamente, ambas no Allianz Parque, o jogador foi titular da posição, além de ter feito um gol (o primeiro da partida) logo em seu primeiro jogo na nova função. A atuação na lateral-esquerda se repetiu pela última vez no último dia 23/12, quando Scarpa iniciou o duelo na ala esquerda enquanto Viña começou no banco e entrou no segundo tempo.

O jogador é o terceiro principal artilheiro do elenco (22 gols, ao lado de Raphael Veiga, e atrás de Luiz Adriano, com 24, e de Willian, com 55) – em 2019, ele foi o goleador do time, ao lado de Dudu, com 13 – e o quarto colocado no ranking dos maiores garçons do plantel (13 passes para gol desde que chegou ao clube, em 2018, atrás apenas de Marcos Rocha, Lucas Lima e Willian, líderes, com 20) – além de quatro assistências em 2020 (sendo duas nos dois jogos mais recentes pela Libertadores e outras duas no ano de estreia), o camisa 14 foi o segundo maior garçom do time em 2019, ao lado de Marcos Rocha, com sete passes a gol, atrás só de Dudu, com 18.

Zé Rafael concedeu sete assistências para seus companheiros nesta temporada (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

ZÉ RAFAEL: LÍDER EM DRIBLES, VICE-LÍDER EM DESARMES E TERCEIRO EM ASSISTÊNCIAS EM 2020

Fora dos últimos dois duelos mais recentes do Verdão por uma infecção no pé esquerdo e dúvida para a partida desta terça-feira (05), Zé Rafael vem acumulando participações importantes no time palmeirense nos jogos atuais. Responsável por uma assistência em rodada recente do Brasileirão, após desviar de cabeça cobrança de escanteio de Lucas Lima para Willian Bigode marcar, diante do Santos, no dia 05/12, empate por 2 a 2 (depois disso, o Alviverde tornou a jogar pela competição nacional e venceu o Bahia por 3 a 0, em casa, mas Zé estava suspenso),ele também foi quem havia iniciado a construção das jogadas de três dos quatro gols mais recentes da equipe à época, pois, além da assistência diante do Santos (segundo da partida), um jogo antes, contra o Delfín-EQU, pela Libertadores, no Allianz Parque – duelo que valeu classificação às quartas de final do Continental – o camisa 8 iniciou a construção da jogada dos dois últimos gols daquela goleada do Verdão por 5 a 0, marcados por Gabriel Veron e Danilo, respectivamente.

Ele fechou 2020 como um dos terceiros colocados do time em assistências no ano, com sete passes a gol, ao lado de Viña, e atrás só do vice-líder Rony, com oito, e do líder Gabriel Menino, com nove. No Brasileirão de 2019, ele foi o vice-líder do time com cinco passes a gol, atrás apenas de Dudu, com 11. Apenas na Copa do Brasil 2020, foram dois passes a gol, o que fazem dele o líder isolado no quesito na atual edição do torneio, à frente de Viña, Gabriel Veron, Lucas Lima, Marcos Rocha e Felipe Melo, todos com um passe a gol cada na competição.

O meio-campista também aparece bem em outro quesito: fechou 2020 no top 6 da artilharia do clube, na sexta colocação, com cinco gols, ao lado de Patrick de Paula e de Gustavo Gómez, atrás apenas de Gabriel Veron (8), Rony (9), Raphael Veiga (15), Luiz Adriano e Willian (ambos com 17).

O camisa 8 se destacou também em três fundamentos individuais em 2020. Foi o líder isolado em dribles com 34 fintas completas, seguido de Wesley e de Rony, com 27; vice-líder no ranking de desarmes com 94 roubos de bola, atrás de Marcos Rocha, com 106; e o sétimo que mais proporcionou chutes a gol, com 35 assistências para finalização, atrás de Raphael Veiga (6º, com 36), de Willian (5º, com 37), de Gabriel Veron (4º, com 42), de Marcos Rocha (3º, com 52), de Gabriel Menino (2º, com 53) e de Lucas Lima (líder no quesito, com 63).

DANILO: CRIA DA ACADEMIA MAIS RECENTE NO ELENCO PROFISISONAL; PRESENTE EM NOVE DOS ÚLTIMOS 11 JOGOS E TITULAR EM SETE

Presente em 24 dos últimos 34 jogos desde que estreou e titular em nove, Danilo teve a oportunidade de viver o momento único de marcar, recentemente, um gol pelo time principal do Verdão pela primeira vez (o seu primeiro como jogador profissional), aos 48 do segundo tempo, fechando a contagem em 5 a 0,  diante do Delfín-EQU, pela Libertadores, no Allianz Parque, no duelo que valeu classificação às quartas de final do Continental. Naquele dia, o jogador, pela primeira vez, também concedeu uma assistência pelo clube: foi para o primeiro gol de Gabriel Veron (segundo do duelo).

Nos últimos 11 jogos do Verdão, Danilo atuou em nove. Os dois jogos em que não esteve foram diante do Santos (empate por 2 a 2 pelo Brasileiro, fora de casa, quando esteve suspenso) e Bahia (vitória por 3 a 0 em casa no mais recente compromisso do time pelo torneio nacional – quando foi preservado da partida). E dos nove jogos mais recentes em que disputou pelo Verdão, sete destes foram como titular.

Figura constante nas convocações da Seleção Brasileira Sub-20, o jovem de 19 anos é o jogador oriundo da base que está há menos tempo no elenco profissional do Palmeiras – chamou a atenção da comissão técnica durante os treinos do Sub-20 na Academia de Futebol no início do segundo semestre e, desde então, não voltou mais para a base.

Meio-campista versátil que atua na contenção e na armação de jogadas, Danilo participou de alguns projetos sociais na sua cidade natal, Salvador (BA), e foi vice-campeão da segunda divisão do Campeonato Baiano pelo Cajazeiras, aos 16 anos, antes de chegar ao Palmeiras em 2018, quando foi captado para integrar o elenco Sub-17 e naquela mesma temporada já conquistou o título paulista da categoria. No Sub-20, o canhoto de 19 anos ganhou espaço ao final de 2019, contribuindo para a conquista de mais um título paulista. Foi ainda titular da equipe na Copa São Paulo deste ano, na qual disputou cinco jogos e marcou um gol.

PATRICK DE PAULA: TOP 5 EM DESARMES DO TIME E TOP 3 EM INTERCEPTAÇÕES NO ANO DE 2020; PRIMEIRA LIBERTADORES COMO PROFISSIONAL

Patrick de Paula retornou de lesão na coxa direita após seis partidas foraLogo em sua volta, no dia 27/12, pelo Brasileirão, diante do Red Bull Bragantino (vitória por 1 a 0 no Allianz Parque), foi responsável por iniciar a construção da jogada que culminou no gol da vitória: dominou bola de rebote na frente da zaga, na meia lua, acionou Gabriel Menino passando pela ponta que, por sua vez, lançou Luiz Adriano no centro da grande área para marcar de cabeça. E também esteve presente, após sair do banco de reservas no segundo tempo, na partida mais recente do Verdão, em 30/12, diante do América-MG, jogo que valeu classificação à final da Copa do Brasil após vitória por 2 a 0, no Estádio Independência (Belo Horizonte-MG).

Antes de ser impedido de jogar devido à lesão, Patrick vinha de uma sequência de sete jogos até o início de dezembro, sendo que os últimos seis duelos foram como titular. Neste período, o jogador marcou duas vezes – justamente em seus dois mais recentes duelos pelo Verdão (em 28/11, na vitória por 3 a 0 sobre o Athletico-PR em casa, pelo Brasileiro, e 02/12, no jogo de volta das oitavas de final pela Libertadores contra o Delfín-EQU).

Patrick de Paula registrou no segundo semestre de 2020 suas três maiores sequências de titularidade: uma de seis jogos e duas de sete. No Brasileirão, disputou 19 das 26 partidas do time, sendo 18 como titular, e apesar dos jogos recentes fora, segue sendo o líder de tempo em campo entre os jogadores de linha com 1570 minutos, seguido do zagueiro Gabriel Menino (1491) – neste quesito, só o goleiro Weverton possui mais (1875).

Incorporado ao elenco principal do Verdão em janeiro, a Cria da Academia disputa sua primeira Libertadores como profissional – nesta edição, já atuou três vezes e venceu todas: contra Guaraní-PAR, por 3 a 1 no Allianz Parque (fase de grupos), Bolívar-BOL, por 5 a 0, também no Allianz Parque (fase de grupos), e contra o Delfín-EQU, no jogo de ida das oitavas de final, sendo que em dois destes jogos o volante participou de gols do Verdão: no jogo contra o time paraguaio, pela segunda rodada, iniciou a construção da jogada, passando a bola para Dudu, que, por sua vez, concedeu a assistência para Luiz Adriano marcar o seu terceiro no jogo; e contra o time boliviano, também começou o lance do gol, encontrando Wesley, que concedeu passe para Rony marcar de cabeça na quinta rodada e fechar a goleada por 5 a 0.

O jogador fechou 2020 como o terceiro colocado na lista de palmeirenses com mais interceptações de jogadas adversárias em 2020 (ou seja, quando o passe, lançamento ou cruzamento rival é impedido no meio do caminho) com 24 ao todo, atrás de Viña, com 25, e de Gabriel Menino, líder, com 28, e também aparece bem no quesito desarmes: é o quinto colocado do time no ano com 69 roubos de bola, atrás apenas de Gabriel Menino (75), Viña (92), de Zé Rafael (94) e do líder Marcos Rocha (106).

Autor do gol que abriu caminho para a vitória por 3 a 0 sobre o Athletico-PR pelo Brasileiro, em casa, e no jogo seguinte, na vitória por 5 a 0 diante do Delfín-EQU, também em casa (jogo que valeu classificação às quartas de Libertadores), o camisa 5 também havia marcado no empate por 1 a 1 com o Flamengo no primeiro turno do Nacional e feito os gols que garantiram as vitórias por 2 a 1 sobre o Santos, também pelo Brasileiro, e por 1 a 0 sobre a Ponte Preta, na semifinal do Paulista, o garoto de 21 anos foi o responsável pela quinta cobrança do Verdão na disputa de pênaltis na final do Paulista, garantindo o 23º título estadual da história do clube.

Captado pelo Palmeiras em 2017 quando atuava no futebol amador do Rio de Janeiro, sua cidade natal, Patrick fazia inicialmente a função de meia, mas assumiu o protagonismo na base quando passou a jogar mais recuado, como primeiro volante (atuou até improvisado como zagueiro em algumas partidas). Campeão brasileiro Sub-20 em 2018, faturou ainda a Copa do Brasil Sub-20 em 2019 e quatro títulos paulistas seguidos (2017, 2018 e 2019 pelo Sub-20 e 2020 pelo Profissional) no clube.

GABRIEL MENINO: CRIA DA ACADEMIA COM MAIS JOGOS EM 2020, GARÇOM DO TIME EM 2020 E NO BRASILEIRO; VICE-LÍDER EM PASSES PARA FINALIZAÇÕES GERAIS E LÍDER EM INTERCEPTAÇÕES

Gabriel Menino marcou três gols na Conmebol Libertadores 2020 (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

Autor do gol mais recente do Palmeiras pela Libertadores (fez o terceiro da vitória por 3 a 0 contra o Libertad-PAR, resultado que selou classificação palmeirense às semifinais), Gabriel Menino é a Cria da Academia que fez mais jogos em 2020 (48, contra 39 de Patrick de Paula). No segundo semestre, ele chegou a emplacar uma sequência de 17 partidas de titularidade, também a maior de um prata da casa em 2020.

Alçado ao elenco profissional no início de 2020, o jovem de 20 anos tem a polivalência como característica, tanto que já foi utilizado em todas as posições do meio-campo e como ala – inclusive, foi escalado na lateral direita em nove dos últimos 13 jogos em que atuou como titular e registrou cinco assistências, passando a ser o garçom isolado do Verdão na temporada de 2020, com nove passes ao todo, seguido de Rony, com oito. No Brasileiro, é o garçom da equipe, isolado, com seis passes a gol.

Menino fechou 2020 também como o segundo que mais proporcionou chutes a gol com 53 assistências para finalizações, atrás só de Lucas Lima, com 63 (números do Footstats, que não incluem os passes que resultaram em bola na rede), o primeiro que mais interceptou jogadas adversárias (ou seja, quando o passe, lançamento ou cruzamento rival é impedido no meio do caminho) com 26 intervenções, seguido de Vinã, com 25; além disso, figurou ainda no top 5 de jogadores do Palmeiras que mais desarmam em 2020, na quarta posição, com 75 roubos de bola, e no top 5 dos que mais driblaram, também na quarta colocaçãocom 26 fintas completas.

Contra o Bolívar-BOL, em setembro, o camisa 25 anotou o seu primeiro gol como profissional, selando a vitória por 2 a 1 em La Paz, e aparece como o terceiro jogador mais jovem a balançar a rede pelo Verdão na Libertadores: 19 anos, 11 meses e 16 dias, desbancando Keirrison, que em 2009 marcou contra o Real Potosí-BOL aos 20 anos, 1 mês e 26 dias – o recorde é de Gabriel Veron, que com 18 anos, um mês e 19 dias deixou sua marca contra o Tigre-ARG, em 21/10/2020, enquanto Gabriel Jesus é o segundo colocado com o gol aos 18 anos, 10 meses e 13 dias contra o River Plate-URU em 2016. Contra o Delfín-EQU, no duelo de ida das oitavas, no Equador (vitória por 3 a 1), o camisa 25 também deixou sua marca ao fazer o gol que abriu o placar – o fez novamente no jogo mais recente do time, pela Libertadores, vitória por 3 a 0 diante do Libertad-PAR, em casa – jogo este que valeu a classificação às semifinais do Continental, quando fechou a contagem em 3 a 0 – Menino agora soma três gols pelo Verdão, todos pela Libertadores.

Natural de Morungaba (SP), Menino foi captado pela base do Palmeiras em 2017, quando atuava no Guarani, e logo se destacou, inclusive sendo convocado para defender a Seleção Brasileira Sub-20 no Sul-Americano de 2019. Campeão brasileiro Sub-20 em 2018, faturou também a Copa do Brasil Sub-17 em 2017 e três títulos paulistas seguidos (2018 e 2019 pelo Sub-20 e 2020 pelo Profissional) no clube.

MARCOS ROCHA: LÍDER EM DESARMES E TERCEIRO EM PASSES PARA FINALIZAÇÕES NA TEMPORADA DE 2020

Responsável pela assistência em arremesso lateral para o gol de Gustavo Gómez no fim do primeiro tempo do jogo de ida contra o América-MG pela Copa do Brasil, há três partidas, quando o Verdão chegou ao gol e deixou tudo igual no jogo nas semifinais (depois se classificou no jogo de volta ao bater o Coelho por 2 a 0 fora de casa, garantindo vaga na final), Marcos Rocha chegou a 20 assistências desde que chegou ao Verdão em 2018 e voltou a ser um dos líderes gerais do elenco neste quesito, ao lado de Willian e Lucas Lima; no Allianz Parque, Rocha ampliou seu saldo como maior garçom da arena do atual elenco, com 12 assistências – no geral da recente história do estádio, com essa configuração atual, inaugurado em 2014, ele é o segundo maior garçom, atrás só de Dudu, com 35 assistências, seguido de Róger Guedes e Robinho (ambos com 10) e de Willian e Lucas Lima (com nove). O camisa 2 foi o segundo maior garçom de 2019 ao lado de Gustavo Scarpa, ambos com sete passes a gol, atrás apenas de Dudu, com 18.

Além disso, Marcos Rocha fechou 2020 como o líder do time em desarmes, com 106 bolas neutralizadas, seguido de Zé Rafael, com 94 (números do Footstats) – em 2019, o camisa 2 fechou o Campeonato Brasileiro como o atleta que mais desarmou jogadas na competição, com 103 interceptações, à frente de Gregore, do Bahia, vice com 102, e do ex-palmeirense Diogo Barbosa, terceiro com 80.

Rocha é também o terceiro colocado em assistência para finalizações na temporada, com 52 passes para conclusões de jogadas, atrás só de Gabriel Menino, com 53, e do líder Lucas Lima, com 63 (números do Footstats que não incluem os passes que resultaram em bola na rede), além de ser o quinto colocado em interceptações, com 18 ações (ou seja, quando passes, lançamentos e cruzamentos são evitados no meio do caminho).

MATÍAS VIÑA: SEGUNDO EM INTERCEPTAÇÕES, TERCEIRO EM ASSISTÊNCIAS E  EM DESARMES DO TIME EM 2020

Figura constantemente presente nas convocações da Seleção Uruguaia, o lateral-esquerdo do Verdão foi bem em 2020 na estatística defensiva de interceptações (ou seja, quando o passe, lançamento ou cruzamento rival é impedido no meio do caminho). Foram 25 ao todo e, desta forma, ficou como o segundo colocado no quesito, atrás só de Gabriel Menino (28). Além disso, é um dos jogadores com mais desarmes no atual elenco, tendo sido o terceiro colocado no ano neste quesito, com 92 roubos de bola (atrás só de Zé Rafael, com 94, e de Marcos Rocha, com 106).

Além dos atributos defensivos, o jogador também dá sua contribuição no ataque. Além disso, por praticamente metade desta temporada, o uruguaio liderou o quesito de atleta com mais assistências no time na temporada atual. Entretanto, com três passes a gol recentes de Gabriel Menino (dois diante do Athletico-PR, vitória por 3 a 0, em 28/11, e outro sobre o RB Bragantino, em 27/12), e outro de Rony, foi ultrapassado e, agora, com sete passes a gol, é o terceiro colocado em assistências gerais na temporada, ao lado de Zé Rafael, atrás só de Rony (oito) e Gabriel Menino (líder no quesito, com nove).

O uruguaio é um reforço que chegou neste ano do Nacional-URU e, apesar das poucas partidas pelo Verdão (38 ao todo), está na história do clube como o quinto uruguaio que mais defendeu a equipe em todos os tempos; completam a lista: Ventura Cambon (4º, com 53), Héctor Silva (3º, com 80), Villadoniga (2º, com 138) e Diogo (líder do ranking, com 146).

LUCAS ESTEVES: MULTICAMPEÃO NA BASE

Mesmo sem atuar nos dez jogos mais recentes devido o retorno do companheiro de posição Matías Viña, Lucas Esteves foi figura presente nos três duelos anteriores ao retorno do uruguaio (Esteves jogou diante do Ceará, 18/11, Goiás, 21/11, e Delfín-EQU, 25/11). O lateral-esquerdo estreou pelo Palmeiras em março de 2019, pelo Campeonato Paulista, contra a Ponte Preta, no Allianz Parque, com vitória por 1 a 0 (gol de Raphael Veiga). Naquela ocasião, o técnico Luiz Felipe Scolari mandou a campo: Fernando Prass; Marcos Rocha, Edu Dracena, Vitão (Raphael Veiga, 25’/2ºT) e Diogo Barbosa; Jean e Thiago Santos; Felipe Pires, Lucas Lima e Zé Rafael (Lucas Esteves, 43’/2ºT); Carlos Eduardo (Leo Passos, 36’/1ºT).

Após ter treinado com frequência e ter estreado pelo time principal em 2019, o jogador ganhou oportunidade no time de cima novamente em 2020, quando foi definitivamente alçado ao elenco profissional do Verdão nesta temporada: as primeiras atuações do atleta já foram como titular em outubro, já que, naquela ocasião, o time vivia desfalques na posição com Viña na Seleção Uruguaia e as recentes saídas de Victor Luis (para o Botafogo) e Diogo Barbosa (Grêmio) – inclusive, logo depois que Mayke, lateral-direito de origem, fez a função de lateral-esquerdo improvisado pela primeira vez.

Foi então que Esteves surgiu como titular do Palmeiras diante do São Paulo, em 10/10, fazendo sua primeira partida em 2020 e a primeira de Campeonato Brasileiro pelo clube, e voltou a sair jogando no duelo seguinte, diante do Coritiba, em 14/10, no mesmo Allianz Parque, também pelo Brasileirão, mas acabou sendo substituído no primeiro tempo devido a uma lesão muscular. Após pouco mais de um mês de recuperação, o jogador voltou a atuar e emplacou a recente série de três partidas seguidas.

Mais uma Cria da Academia, o jogador está no Palmeiras desde 2014, quando passou a integrar o elenco Sub-15, o jovem de 20 anos foi um dos destaques de uma geração que conquistou títulos inéditos e importantes pela base do clube, como a Copa do Brasil Sub-17 (2017), o Brasileiro Sub-20 (2018), a Copa RS Sub-20 (2018), a Copa do Brasil Sub-20 (2019) e o Bi Paulista Sub-20 (2018 e 2019), além de dezenas de taças no exterior. No ano passado, pelo Sub-20, Esteves disputou 38 partidas e marcou sete gols.

GUSTAVO GÓMEZ: A UM GOL DE ENTRAR PARA LISTA DE ZAGUEIROS COM MAIS TENTOS NESTE SÉCULO E TOP 5 EM INTERCEPTAÇÕES EM 2020; JOGADOR DE LINHA COM MAIS MINUTOS NA ATUAL EDIÇÃO DA LIBERTADORES

Gómez soma 106 jogos pelo Verdão e, com isso, integra um seleto grupo de jogadores com 100 ou mais jogos que atuaram pelo Alviverde. São eles: Gustavo Scarpa (103), Mayke (107), Luan (119), Marcos Rocha (133), Weverton (144), Lucas Lima (152), Felipe Melo (170) e Willian (206). Além de ser o jogador, ao lado de Weverton, com mais partidas na Libertadores 2020 (atuou nos dez jogos possíveis), ele é o atleta de linha palmeirense com mais minutos em campo: 867. Apenas Weverton, goleiro, esteve mais munutos em campo: 966 (isso porque não foi substituído, expulso e tampouco entrou no decorrer da partida).

Gustavo Gómez está no Palmeiras desde 2018 e marcou 13 jogos pelo clube (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

Gómez atuou em 47 dos 60 jogos do Verdão em 2020 e ficou no top 5 de jogadores com mais interceptações na temporada, na quarta colocação (ou seja, quando o passe, lançamento ou cruzamento rival é impedido no meio do caminho) com 19 intervenções, atrás apenas de Patrick de Paula, com 24, de Viña, com 25, e de Gabriel Menino, líder, com 28.

No ataque, o zagueiro também tem dado a sua contribuição. Com 13 gols pela agremiação palestrina desde que chegou (sendo o 7º artilheiro do atual elenco, atrás só de Willian, com 55, de Luiz Adriano, com 24, Raphael Veiga e Gustavo Scarpa, ambos com 22, e à frente de Felipe Melo e de Zé Rafael, ambos com 12), o paraguaio está a uma bola na rede do top 5 de estrangeiros com mais gols pelo Palmeiras na era dos pontos corridos do Brasileirão: é o sexto da lista, com seis tentos (ao lado compatriota Lucas Barrios, do colombiano Mina e do venezuelano Guerra), um a menos do que o atacante argentino Gioino, com sete – completam a lista o também argentino Cristaldo, com nove; o colombiano Borja, com dez; mais um argentino, Barcos, com 14; e o chileno Valdivia, com 15. O zagueiro, aliás, nunca passou uma temporada em branco desde que chegou ao Palmeiras: além de cinco gols de 2020, marcou cinco vezes em 2019 e outras três vezes em 2018.

No geral, com seus 13 gols, Gómez precisa de apenas mais uma bola na rede para entrar no top 10 de zagueiros-artilheiros do Verdão em todos os tempos, igualando Nen e Henrique na 9ª posição (ambos com 14 gols). Completam o ranking Júnior Baiano e Roque Júnior (16 gols), Daniel (18), Bianco Gambini (20), Cléber (21), Vágner Bacharel (22), Loschiavo (33) e Luis Pereira (36).

E no geral do elenco, ele é o quarto artilheiro isolado, pois superou os 12 gols de Zé Rafael e Felipe Melo, com quem antes estava empatado, e segue atrás apenas de Luiz Adriano (vice-artilheiro, com 24), Gustavo Scarpa e Raphael Veiga (terceiros, ambos com 22 gols) e de Willian (artilheiro do grupo no total, com 55 bolas na rede).

O paraguaio teve Felipe Melo como seu companheiro de zaga mais frequente em 2020: 20 jogos, 12 vitórias, sete empates e somente uma derrota, com apenas nove gols sofridos (média de 0,45 gol sofrido por partida). Já a zaga Gómez e Luan foi derrotada só uma vez no ano (19 partidas, 12 vitórias, seis empates, uma derrota e apenas dez gols sofridos) e tem retrospecto geral de 58 jogos, 37 vitórias, 15 empates e só seis derrotas, com 28 gols sofridos (média de 0,48 gol sofrido por partida). No dia 21 de novembro, quando o técnico Abel Ferreira escalou uma linha defensiva composta por três zagueiros, Gómez iniciou uma partida ao lado de Renan e de Emerson Santos pela primeira vez e, nos dois jogos seguintes, contra o Delfín-EQU, vitória por 3 a 1 fora de casa pelo jogo de ida das oitavas de final da Libertadores, e mais recentemente Athletico-PR, no triunfo por 3 a 0 em casa pelo Brasileiro, o time voltou a ter uma dupla de zaga no esquema tático e Gómez fez parceria com Emerson Santos, algo que voltou a acontecer no empate por 1 a 1 contra o América-MG pela Copa do Brasil, em casa  portanto, ao lado do camisa 3 são quatro jogos, duas vitórias, duas derrotas e três gols sofridos.

Em 2019, Gómez e Luan atingiram a expressiva marca de 1081 minutos consecutivos sem sofrer gols (sem considerar os acréscimos), segunda maior sequência instransponível de uma dupla de zagueiros na história do Palmeiras – o recorde ainda pertence a Marcio e Vágner Bacharel, que, em 1987, garantiram que o time ficasse sem levar gols por exatos 1.148 minutos (sem acréscimos). Um ano antes, durante a campanha do decacampeonato brasileiro de 2018, eles já haviam contribuído para estabelecer o recorde palmeirense de menos gols sofridos na história do Brasileirão de pontos corridos: apenas 26 tentos tomados (a marca anterior era de 32, na caminhada do título de 2016).

Com Kuscevic, na vitória do Verdão pelo Brasileiro por 3 a 0 sobre o Bahia, em 12/12, Gómez protagonizou dupla de zaga inédita. O duelo diante do Tricolor foi o primeiro no qual o time iniciou a escalação com uma dupla de zaga gringa (formada pelo paraguaio Gustavo Gómez e pelo chileno Benjamin Kuscevic) – e não sofreu nenhum gol. Antes disso, a última zaga estrangeira havia sido formada pelo argentino Tobio e pelo uruguaio Victorino, em setembro de 2014 – vitória por 1 a 0 sobre o Criciúma-SC no Pacaembu, com gol de Cristaldo. Portanto, essa foi a primeira vez em que uma dupla de zaga estrangeira jogou no Allianz Parque, inaugurado em novembro de 2014.

LUAN: TOP 10 DE PALMEIRENSES COM MAIS INTERCEPTAÇÕES EM 2020; TITULAR EM CINCO DOS ÚLTIMOS SETE JOGOS

Titular em cinco dos últimos sete jogos do time, Luan fechou 2020 no top 10 de interceptações no ano (ou seja, quando passes, lançamentos e cruzamentos são evitados no meio do caminho) com 16 ações ao todo, ocupando a sétima posição, ao lado de Felipe Melo, e à frente de Raphael Veiga (10º com 14), Mayke e Zé Rafael (empatados em 8º, com 15), e atrás de de Marcos Rocha (5º, com 18), Gustavo Gómez (4º, com 19), Patrick de Paula (3º, com 24), Viña (2º, com 25) e Gabriel Menino (líder no quesito, com 28).

O camisa 13 é um dos nove atletas do elenco que já ultrapassaram a marca de 100 jogos pelo clube (são 119 ao todo), atrás apenas de Marcos Rocha, com 133, Weverton, com 144 Lucas Lima, com 152, Felipe Melo, com 170, e Willian, com 206, e à frente de Mayke, com 107, de Gustavo Gómez, com 106, e de Gustavo Scarpa, com 103.

Luan formou a zaga com Felipe Melo só três vezes (uma vitória, duas derrotas e quatro gols sofridos), enquanto que, ao lado de Gustavo Gómez, Luan perdeu só uma vez no ano – 2 a 0 para o Inter no Beira Rio (19 partidas, 12 vitórias, seis empates, uma derrota e apenas dez gols sofridos) e tem retrospecto geral de 58 jogos, 37 vitórias, 15 empates e só seis derrotas, com 28 gols sofridos (média de 0,48 gol sofrido por partida). Com Alan Empereur, foram dois jogos lado a lado, no dia 05 de dezembro, empate por 2 a 2 contra o Santos, pelo Brasileiro (na Vila Belmiro), e no dia 27 de dezembro (vitória por 1 a 0 contra o RB Bragantino no Allianz Parque).

Em 2019, Luan e Gómez atingiram a expressiva marca de 1081 minutos consecutivos sem sofrer gols (sem considerar os acréscimos), segunda maior sequência instransponível de uma dupla de zagueiros na história do Palmeiras – o recorde ainda pertence a Marcio e Vágner Bacharel, que, em 1987, garantiram que o time ficasse sem levar gols por exatos 1.148 minutos (sem acréscimos). Um ano antes, durante a campanha do decacampeonato brasileiro de 2018, eles já haviam contribuído para estabelecer o recorde palmeirense de menos gols sofridos na história do Brasileirão de pontos corridos: apenas 26 tentos tomados (a marca anterior era de 32, na caminhada do título de 2016).

Com Emerson Santos, Luan formou dupla titular uma única vez, na vitória por 3 a 1 sobre o Junior Barranquilla-COL pela Libertadores de 2018. Eles jogaram juntos também em parte dos amistosos contra Deportivo Árabe Unido-PAN e Liga Alajuelense-COS, em 2018, e contra o Atlético Nacional-COL, pela Florida Cup 2020, todos sem sofrer gols. Com Renan, jamais atuou iniciando um duelo.

EMERSON SANTOS: PRESENTE EM 12 DOS ÚLTIMOS 15 JOGOS; ESTREOU PELO VERDÃO NA LIBERTADORES DE 2018

O zagueiro Emerson Santos esteve em campo em 15 jogos nesta temporada (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

Presente no banco de reservas no duelo de volta contra o Delfín-EQU, vitória por 5 a 0 pela Libertadores (02/12), Internacional, revés por 2 a 0 pelo Brasileiro (19/12) e América-MG (30/12), estes foram os únicos compromissos que Emerson nos Santos não entrou em campo últimos 15 jogos, sendo que, nas outras 12 ocasiões em que esteve em campo, em nove delas ele foi titular (saiu do banco para ajudar o time nos dois jogos, de ida e de volta, diante do Libertad-PAR, pela Libertadores, em 08/12 e 15/12). Diante do Santos, pelo Brasileiro, na Vila Belmiro, no dia 05/12, e no dia 12/12, contra o Bahia, vitória por 3 a 0, ambos pelo Brasileiro, o jogador foi escalado na titularidade como volante. Após um jogo fora, contra o Internacional, Emerson Santos voltou à zaga no último jogo do time pela Copa do Brasil (empate por 1 a 1 com o América-MG em casa). Já na partida mais recente do Verdão pelo Brasileiro, o jogador foi acionado no banco de reservas e entrou no segundo tempo, no lugar de Patrick de Paula, e atuou como volante.

O atual camisa 3 estreou pelo clube em 2018, em um jogo de Libertadores (entrou aos 42 minutos do segundo tempo contra o Alianza Lima-PER, quando o Palmeiras já vencia por 3 a 1). O jogo seguinte à sua estreia foi na vitória por 3 a 1 diante do Junior Barranquilla-COL, também pela Libertadores de 2018 – nesta partida, ele atuou por 90 minutos pela primeira vez (ao lado de Luan).

Depois, devido à grande concorrência na posição, o zagueiro só fez mais duas partidas em 2018 (nos amistosos contra o panamense Club Deportivo Árabe Unido, 2 a 0 a favor do Verdão no Panamá, e contra o costa-riquenho Liga Alajuelense, 6 a 0 para o Palmeiras na Costa Rica, entre junho e julho), antes de ser emprestado ao Internacional, pelo qual disputou o Brasileiro daquele ano e de 2019.

De volta no início de 2020, o defensor reestreou na partida pela Florida Cup, contra o Nacional de Medellín-COL (empate sem gols e triunfo alviverde nos penais – o za