Palmeiras e Allianz Parque realizam arrecadação de brinquedos e alimentos para o Natal

Departamento de Comunicação

Os torcedores poderão levar as suas doações nos dias 21 e 22 de dezembro (das 10h às 18h), no Portão A do Allianz Parque, localizado na Rua Palestra Italia (Divulgação)

Palmeiras e Allianz Parque realizam, desde o último domingo (20), a campanha “Um Natal mais verde para todos”, que visa arrecadar brinquedos e alimentos não perecíveis e fazer o fim de ano de muitas famílias impactadas pela pandemia de COVID-19 mais feliz.

Os torcedores poderão levar as suas doações nos dias 21 e 22 de dezembro (das 10h às 18h), no Portão A do Allianz Parque, localizado na Rua Palestra Italia. Quem doar ganhará um livro sobre o centenário da Sociedade Esportiva Palmeiras.

“A nossa torcida é muito engajada e sempre participa de ações de doação, os números de outras campanhas mostram isso. Neste ano não será diferente, contamos com a participação de todos os torcedores para ajudarmos a trazer mais alegria para muitas famílias neste fim de ano”, disse o diretor executivo de marketing do Palmeiras, Roberto Trinas.

“O ano de 2020 se caracterizou, com certeza, como um ano atípico em todo o mundo. Poder participar junto com o nosso parceiro Palmeiras de uma ação como essa é gratificante para nós e reflete o nosso espírito de união e solidariedade, além de reforçar a nossa busca em transformar a época de Natal e Ano Novo em um período com muito mais esperança para essas famílias. A nossa casa está de portas abertas para quem queira fazer o bem”, complementou Felipe Borsoi, gerente de marketing do Allianz Parque.

O apoio a campanhas sociais, como a doação de brinquedos, é uma das iniciativas previstas pelo programa de responsabilidade institucional da Sociedade Esportiva Palmeiras “Por Um Futuro Mais Verde”. A iniciativa visa consolidar o clube como uma organização responsável, geradora de impacto positivo para o futebol e para a sociedade por meio da atuação integrada dos pilares econômico, social e ambiental.

Palmeiras promove 2ª edição de campanha de doação de sangue no Allianz Parque

Departamento de Comunicação

O Palmeiras, em parceria com a Associação Brasileira de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular (ABHH), a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e o Allianz Parque, realiza entre os dias 6 e 8 de outubro a segunda edição da campanha “Nosso Sangue Verde e Amarelo”, que possibilita a doação de sangue no estádio do Verdão.

A estrutura montada para a iniciativa permitirá atender cerca de 300 pessoas por dia, das 9h às 14h. Todo o processo de cadastro e análise dos doadores será feito por meio de um aplicativo de mesmo nome da campanha, disponível na Apple Store e no Google Play. No app, o doador escolherá data e horário da doação, de maneira que não ocorram aglomerações. Para baixar o aplicativo, clique aqui.

Além de ajudar os estoques de sangue da capital paulista, quem participar da campanha também terá a oportunidade de deixar algumas vacinas em dia, já que serão disponibilizadas doses de imunidade contra sarampo, caxumba, rubéola, antitetânica e difteria. O estacionamento no estádio também será gratuito aos doadores.

Estão aptos a doar aqueles que possuem entre 16 e 69 anos, mais de 50 kg, boas condições de saúde e que estejam alimentados e descansados. Todos doadores deverão apresentar documento oficial com foto no dia da coleta.

Realizada em todo o país, a ação, que já recebeu mais de 10 mil doações, foi idealizada em meados de abril, quando a pandemia de COVID-19 avançou pelo país e ameaçou os estoques de banco de sangue, situação que ainda ocorre em diversos hemonúcleos.

Campanhas de doação de sangue são uma das iniciativas que se enquadram no programa de Responsabilidade Institucional da Sociedade Esportiva Palmeiras “Por Um Futuro Mais Verde”. O programa visa consolidar o clube como uma organização responsável, geradora de impacto positivo para o futebol e para a sociedade por meio da atuação integrada dos pilares econômico, social e ambiental.

Brahma promove ação que levará a paixão da torcida palmeirense para o Allianz Parque

Departamento de Comunicação

Quem disse que o torcedor do Palmeiras não vai conseguir apoiar a equipe de perto nos próximos jogos? A Cervejaria Brahma levará os palmeirenses diretamente para as arquibancadas do Allianz Parque, mas de um jeito diferente: placas com fotos dos torcedores serão impressas e instaladas nas cadeiras do estádio. E, assim, não faltará apoio para os jogadores durante a disputa do Campeonato Brasileiro.

Os torcedores interessados em participar podem se inscrever pelo site do Clube Nº1 clicando aqui!

Para garantir a sua foto em uma cadeira nas próximas partidas do Verdão no Allianz Parque, o sócio-torcedor Avanti terá um preço especial: apenas R$ 15. Já quem não estiver inscrito em algum dos planos do programa pagará o valor de R$ 40.  A primeira partida com a “presença” dos torcedores será no próximo domingo (27), às 16h, contra o Flamengo, em duelo válido pela 12ª rodada do Nacional.

A marca e o clube encontraram a forma perfeita de homenagear os torcedores e ainda levar toda a paixão deles para perto dos jogadores.

“A Brahma sempre esteve ao lado dos clubes e torcedores, mesmo durante a pausa dos campeonatos. Sabemos que o estádio é um lugar que aflora a paixão e estreita a relação entre os torcedores e atletas, e, por isso, buscamos uma solução para conectá-los em mais um momento que ficará marcado na memória dos fãs de futebol”, afirmou Daniel Teixeira, gerente de marketing da Cervejaria Brahma.

“A parceria entre o Palmeiras e a Cervejaria Brahma é antiga e sólida. A ação da Brahma em levar os torcedores palmeirenses para o Allianz Parque nesse momento reforça ainda mais essa relação que traz benefícios para todos, principalmente o nosso torcedor”, ressaltou o diretor executivo de marketing do Palmeiras, Roberto Trinas.

Neste ano, a Brahma renovou o contrato de patrocínio com o Palmeiras. Cerveja oficial, a marca fortalece a cada dia sua ligação com o clube e a sua torcida.

Departamento de Comunicação

Duelo de Verdões na noite deste sábado (15), no Allianz Parque. O Palmeiras recebeu a equipe do Goiás pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro. Com gol de Gustavo Gómez no primeiro tempo, o Verdão abriu o placar, aos 17, após cobrança de escanteio de Gabriel Menino – o zagueiro cabeceou e fez 1 a 0. O gol de empate veio aos 39, com gol de Rafael Vaz em uma falta perto da entrada da área que não existiu). O Verdão soma dois pontos em dois jogos no torneio nacional e ainda tem uma rodada em atraso (não atuou pela estreia da competição devido ao fato de estar disputando a final do Estadual, da qual saiu campeão contra o Corinthians no último sábado, 08).

Clique aqui para ver a ficha técnica, estatísticas e tudo sobre o jogo!

Esta foi a primeira vez que o Allianz Parque recebeu um jogo de Brasileiro com o novo gramado sintético, inaugurado dia 16/02 (Palmeiras 3×1 Mirassol). Neste ano, o Verdão não sabe o que é perder em sua arena: são nove jogos, seis vitórias e três empates, com 15 gols marcados e seis gols sofridos. Pelo Paulista, venceu Mirassol (3×1), Guarani (1×0), Água Santa (2×1), Santo André (2×0) e Ponte Preta (1×0); e empatou com Ferroviária (1×1), Corinthians (1×1) e agora o Goiás (2×1); pela Libertadores, superou o Guaraní-PAR (3×1). Aproveitamento de 78% em sua arena.

O Alviverde está invicto também como mandante de forma geral em 2020. Somando as partidas transferidas para a Arena da Fonte Luminosa (Palmeiras 0x0 São Paulo) e para o Pacaembu (Palmeiras 4×0 Oeste) pelo Paulista, são 11 jogos, sete vitórias e quatro empates, com 19 gols marcados e seis sofridos – aproveitamento de 76%. Entre os que disputam Série A do Campeonato Brasileiro, apenas outros três times não perderam como mandante neste ano: Atlético-GO (7 v e 2e), Athletico-PR (10 v e 1 e) e Botafogo-RJ (6v e 1e).

Dentro de campo, pessoalmente, o técnico Vanderlei Luxemburgo ampliou sua série invicta de 15 para 16 jogos na casa palestrina (11 vitórias e cinco empates – a última derrota aconteceu há 11 anos, em 18/04/2009, por 2 a 1 para o Santos (gol de Pierre), pelo Campeonato Paulista (o duelo colocou dois lendários jogadores dos dois lados naquele dia: o veterano goleiro Marcos, pelo Verdão, e o jovem atacante Neymar, pelo Peixe).

Pelo Campeonato Brasileiro, a invencibilidade de Luxa é de quatro partidas seguidas (três vitórias e dois empates). A última das seis derrotas em 59 jogos pelo Brasileirão foi em 07/12/2008, por 1 a 0 para o Botafogo-RJ, enquanto a última vitória foi justamente na última vez em que comandou o time em casa naquela quarta passagem pelo clube, em 14/06/2009: 3 a 1 sobre o Cruzeiro (dois gols de Keirrison e um do zagueiro Marcão).

Luxemburgo ampliou também outra marca que pertence a ele próprio: a de ser o comandante com mais jogos e vitórias na história do Palestra Italia (independente da forma física que a casa palmeirense já possuiu outrora, inclusive a atual, como arena, desde 2014). Desde a estreia em 20/04/1993, no triunfo por 1 a 0 sobre o Vitória (gol de Maurílio), pela Copa do Brasil, Luxemburgo já dirigiu o Palmeiras 153 vezes no Estádio Palestra Italia / Allianz Parque, com o retrospecto extremamente favorável de 120 vitórias, 22 empates e apenas 11 derrotas. Nessa lista, em segundo lugar, vem Oswaldo Brandão, com 130 jogos e 96 vitórias.

Autor do gol, o zagueiro Gustavo Gómez, que marcou de cabeça após cobrança de escanteio batida por Gabriel Menino, chegou ao seu décimo gol pelo Palmeiras em 76 jogos. Este foi o segundo gol em 2020 (em 18 duelos). O outro gol de Gustavo Gómez neste ano havia sido diante do Mirassol, na vitória por 3 a 1, pela 6ª rodada do Campeonato Paulista, em 16 de fevereiro (os outros gols palmeirenses naquela partida foram anotados por Raphael Veiga e Luiz Adriano) – Rafael Silva fez o do Mirassol.

A presença de Gómez, aliás, ficou marcada pela dupla de zaga composta ao lado de Luan, titular na conquista do ouro olímpico de 2016 pela Seleção Brasileira. Juntos, em 2018, a dupla ficou por 1121 minutos sem sofrer sequer um gol (11 partidas), se aproximando do recorde na história palestrina sem tomar gol levando em conta uma dupla de zaga, que ainda pertence a Marcio e Vágner Bacharel, de 1987, com exatos 1148 minutos intransponível (sem acréscimo) – também 11 jogos.

Outro que alcançou um número expressivo ao sair do banco de reservas foi Diogo Barbosa. O lateral-esquerdo substituiu Viña no segundo tempo e se aproximou do 100º duelo pelo Palmeiras. Hoje com 99 jogos, o jogador soma 54 vitórias, 28 empates e 17 derrotas.

Menção também para Willian Bigode, que é um dos artilheiros do time em 2020, com oito gols (ao lado de Luiz Adriano), e chegou ao seu jogo de número 171 pelo Palmeiras – é o atleta do atual elenco com mais partidas. De quebra, o camisa 29 fez sua 67ª partida no Allianz Parque, mesmo número de Felipe Melo, que não atuou e, com isso, igualou o próprio Pitbull e também Zé Roberto, entrando no top 5 dos jogadores que mais atuaram na arena palmeirense desde que possui a atual configuração (a partir de 2014). Completam o ranking Thiago Santos (4º, com 71 partidas); Vitor Hugo (3º, com 73 jogos); Fernando Prass (2º, com 86 duelos); e o atacante Dudu (líder no quesito, com 127 jogos no local).

E quando o assunto é Allianz Parque, o atacante Wesley não pode ficar de fora. Um dos jogadores oriundos da base do Verdão promovidos ao time principal em 2020, o atacante de 21 anos fez, neste sábado, sua estreia na casa palestrina. O jogador já havia atuado em cinco partidas pelo time profissional anteriormente, no entanto, a única vez que teve o Verdão como mandante foi diante do Oeste (em 29/01), vitória por 4 a 0 pelo Paulista, e o duelo foi no Pacaembu.

Os outros duelos do jogador pelo clube foram nos jogos pelo torneio amistoso da Florida Cup, diante do Atlético Nacional de Medellín-COL (0x0) e do New York City-EUA (2×1 pró Verdão), em 15/01 e 18/01 respectivamente; contra o Bragantino (2×1 para o Alvinegro pelo Paulista, em 02/02) e Corinthians (1×0 para o rival pelo Estadual, em 22/07).

Ao todo, são seis jogos pelo Palmeiras no time de cima: duas vitórias, dois empates, duas derrotas e uma assistência para o gol de Willian, na goleada por 4 a 0 sobre o Oeste pela 3ª rodada do Paulista de 2020, torneio do qual sagrou-se campeão.

O JOGO

Após estrear no Brasileiro com um time misto em relação aos titulares que costumeiramente iniciavam a partida, o Verdão foi a campo, pode se dizer, com força máxima.

Vanderlei Luxemburgo escalou Weverton; Marcos Rocha, Luan, Gustavo Gómez e Matías Viña; Patrick de Paula, Gabriel Menino e Ramires; Zé Rafael, Luiz Adriano e Willian.

O time do Palmeiras iniciou a partida tecnicamente superior ao do adversário em campo – o Goiás, aliás, tinha 15 desfalques em seu elenco devido ao surto de Covid.

Mesmo sem nenhum lance que chamasse a atenção ou parecesse de fato levar perigo na partida, o Verdão chegou ao gol logo aos 17 minutos, em um escanteio cobrado por Gabriel Menino e cabeceado na área por Gustavo Gómez (Palmeiras 1×0 Goiás)

Até a reta final do primeiro tempo, o Verdão continuou criando investidas, mas dessa vez viu o duelo equilibrar no que diz respeito às finalizações – o goleiro Weverton precisou trabalhar forte duas vezes (aos 23 minutos em chute de Douglas Baggio e aos 31 em tentativa de Daniel Bessa).

Aos 39 minutos, o Goiás chega ao gol de empate oriundo de uma cobrança de falta que não existiu, mas que também não cabia prerrogativa ao VAR. Desta forma, o zagueiro Rafael Vaz, de perto da entrada da área, cobrou de pé esquerdo, por baixo da barreira, ludibriando a defesa palmeirense, e deixando tudo igual (Palmeiras 1×1 Goiás)

A partir daí, o que se viu foi um jogo sem muitas movimentações e jogadas interessantes por praticamente todo o resto da partida.

Destacam-se apenas alguns lances, como aos 3 minutos do segundo tempo, quando o zagueiro Luan fez passe na pedida para Luiz Adriano finalizar; ou então aos 26 minutos quando o time de Luxemburgo passou a pressionar, inclusive com linda jogada individual do meia Wesley (oriundo da base do Verdão), que invadiu a grande área aos 27 e driblou jogadores do Goiás, antes de passar a bola para Luiz Adriano que finalizou de cabeça, dividindo com Rafael Vaz.

Ou então quando o goleiro Marcelo Rangel salvou cabeçada venenosíssima de Rony no último minuto de jogo, quando o Palmeiras pressionava fortemente o adversário até os minutos finais na busca pela vitória – o camisa 11 do Verdão havia recebido passe de Marcos Rocha e por muito pouco não marcou seu gol.

As alterações no time palmeirense ao longo da partida foram: aos 13 minutos do segundo tempo, Lucas Lima, Diogo Barbosa e Rony, nos lugares de Ramires, Viña e Willian, respectivamente; e aos 24, Bruno Henrique e Wesley nas vagas de Gabriel Menino e Zé Rafael, nessa ordem.

Palmeiras: Weverton; Marcos Rocha, Luan, Gustavo Gómez e Matías Viña (Diogo Barbosa, 13′ do 2ºT); Patrick de Paula, Gabriel Menino (Bruno Henrique, 24′ do 2ºT) e Ramires (Lucas Lima, 13′ do 2ºT); Zé Rafael (Wesley, 24′ do 2ºT), Luiz Adriano e Willian (Rony, 13′ do 2ºT). Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

Gol: Gustavo Gómez, 17′ do 1 ºT;

Cartão amarelo (SEP): Lucas Lima.

Luxemburgo celebra quinto título paulista pelo clube e agradece homenagem da torcida

Departamento de Comunicação

Vanderlei Luxemburgo concedeu entrevista coletiva virtual nesta segunda-feira (10) (Divulgação)

Depois de 12 anos, o Palmeiras voltou a conquistar o título do Campeonato Paulista. E, assim como em 2008, quando o Verdão havia levantado o caneco pela última vez, o comandante da equipe foi Vanderlei Luxemburgo – o treinador também ganhou o troféu do Estadual pelo Alviverde em 1993, 1994 e 1996. Com tanta história dentro do clube, o técnico valorizou bastante o triunfo desta temporada na competição.

Veja também: Luxemburgo se isola como maior campeão da história do Palmeiras

“A conquista é sempre muito boa, e a última sempre é a melhor. O que ficou para trás, ficou para trás. As conquistas anteriores ficaram no currículo e essa é a melhor. Agora começaremos a pensar na próxima, que pode ser o Brasileiro, a Copa do Brasil ou a Libertadores. Começamos a trabalhar hoje, já tiramos o chip do Paulista”, afirmou Luxa, em entrevista coletiva virtual realizada nesta segunda-feira (10).

A trajetória vitoriosa de Vanderlei Luxemburgo no Maior Campeão do Brasil rendeu até um enorme mosaico nas arquibancadas do Allianz Parque durante a final do Paulista. “Eu fico gratificado. Quando vi aquele cara grande, tomei um susto e falei: ‘Não sou eu’, mas era eu mesmo (risos). Fico honrado pela Mancha (Alviverde) ter feito esta homenagem para mim. Tenho uma identificação forte com o Palmeiras desde 1993, quando ganhamos o título paulista. Fico feliz, mas sei que o futebol é muito emocional. Tenho de fazer um trabalho forte, sempre buscando títulos, porque eles cobram bastante”, disse o treinador, que revelou a conversa que teve com o elenco antes da disputa de pênaltis contra o Corinthians.

“Chamei o grupo e falei para eles que tínhamos o campeonato nas mãos, estava para nós, e calhou de o Corinthians achar um pênalti faltando poucos segundos, mas que o campeonato continuava sendo nosso porque temos um goleiro pegador de pênaltis e os treinamentos haviam sido muito bons. Falei para eles confiarem nisso, não se abaterem, porque aí sim ganharíamos o campeonato”, contou.

A confiança no trabalho de Weverton também foi um fator determinante para o discurso otimista do comandante. “Você está com o campeonato ganho e em 10 segundos vai para as penalidades máximas. Deixei o Weverton sozinho… Perguntei para ele: ‘E aí, como você está?’. Ele me respondeu: ‘Eu estou me concentrando, professor’. Ele ter percentual de 40% em pegar pênaltis, então é um pegador de pênaltis”, disse. “Quando você tem um goleiro pegador de pênaltis, o adversário já se sente inibido. O Weverton criou essa inibição no adversário e criou coragem para nós. Tudo aconteceu como deveria. Falei bem manso, bem calmo, para saberem que o meu semblante era de quem acreditava que poderíamos ganhar o campeonato”, completou.

Confira abaixo a entrevista coletiva do técnico Vanderlei Luxemburgo:

Departamento de Comunicação

Com gol do volante Patrick de Paula, aos 45 do primeiro tempo, o Palmeiras bateu a Ponte Preta por 1 a 0 e garantiu classificação à final do Campeonato Paulista 2020. Este foi o primeiro gol pelo time profissional do jogador de 20 anos de idade, já que o atleta foi promovido ao time principal no início de 2020 a pedido do técnico Luxemburgo, ao lado de outras #CriasdaAcademia, como Gabriel Menino, Gabriel Veron, Alan, Lucas Esteves e Wesley.

“A gente trabalha bastante para chegar aqui. É um prazer muito grande jogar ao lado de craques como Lucas Lima, Luan e Raphael Veiga. Estou muito feliz e trabalhei bastante para estar aqui, jogando de titular”, declarou Patrick de Paula após o término do primeiro tempo.

Desde o retorno do Campeonato Paulista, o volante foi escalado entre os titulares nos quatro jogos possíveis: contra Corinthians, Água Santa, Santo André e, agora, Ponte Preta.

Ao todo, o jogador já disputou 733 minutos em 12 partidas no ano de 2020 e, neste quesito, dentre os atletas oriundos da base, só fica atrás de Gabriel Menino, que atuou em 863 minutos em 13 jogos.

Patrick foi captado pelo Palmeiras enquanto atuava no futebol amador do Rio de Janeiro em 2017. Fazia, inicialmente, a função de meia armador e assumiu o protagonismo da equipe Sub-20 quando passou a jogar mais recuado, como primeiro volante (atuou até improvisado como zagueiro em algumas partidas das categorias de base).

As #CriasDaAcademia têm ganhado espaço no Palmeiras em 2020 – no total, todos os jogadores que vieram da base, somados, disputaram 2917 minutos neste ano.

ÚLTIMO GOL DE UM ATLETA DA BASE HAVIA SIDO DE GABRIEL VERON

Antes de Patrick de Paula, o jogador oriundo das categorias inferiores do Verdão a ter marcado um gol pelo time de cima foi Gabriel Veron, em 05 de dezembro de 2019, na goleada por 5 a 1 sobre o Goiás-GO, penúltima partida da temporada que marcou a despedida do zagueiro Edu Dracena do futebol, pelo Campeonato Brasileiro – o duelo foi comandado pelo então comandante interino Andrye Lopes. Naquela noite, no Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas, Veron deixou sua marca duas vezes na goleada (os outros tentos foram feitos por Zé Rafael e Dudu, duas vezes).

Vale lembrar que com o gol sobre o Goiás, naquela ocasião Gabriel Veron se tornou o segundo mais novo a balançar as redes pelo clube, aos 17 anos, três meses e dois dias – desbancando Mazzola, então o segundo mais jovem a atingir o feito, com 17 anos, seis meses e cinco dias em 29/01/1956. O recorde segue sendo de Juliano, que marcou aos 16 anos, 11 meses e 23 dias no dia 19/08/1998, contra o Nacional-Uruguai, pela Copa Mercosul.

O fato que chama a atenção é que apenas um jogador em toda a história palmeirense marcou um gol sendo ainda mais jovem do que Veron: trata-se de Juliano, que balançou as redes aos 16 anos, 11 meses e 23 dias, no dia 19/08/1998, contra o Nacional-Uruguai, pela Copa Mercosul. Gabriel Veron, hoje, possui 17 anos, três meses e dois dias – com isso, o jogador do atual elenco desbancou Mazzola, que era o segundo mais novo a marcar um gol, contra o Catanduva, em 29/01/1956 (amistoso), com 17 anos, seis meses e cinco dias.

Veron desfalca a equipe desde o retorno às atividades após a pausa da pandemia (cuja primeira partida desde então fora em 22/07) com uma lesão no músculo posterior da coxa direita – ele jogou por 469 em nove jogos na temporada.

Departamento de Comunicação

O Palmeiras recebeu a equipe da Ponte Preta na noite deste domingo (02), no Allianz Parque, pelo jogo único da semifinal do Campeonato Paulista 2020. Pelo placar de 1 a 0, gol do volante Patrick de Paula, aos 45 do primeiro tempo, o Verdão garantiu classificação à final do torneio estadual – o outro finalista é o Corinthians, que garantiu classificação no jogo das 16h após passar pelo Mirassol, vencendo por 1 a 0. Mais bem pontuado entre as equipes que ainda seguem na competição, o Alviverde terá o mando de campo na última das duas partidas finais.

Clique aqui para ver a ficha técnica, estatísticas e tudo sobre o jogo!

Este foi o 20º duelo decisivo de avanço de fase ou de disputa de título, por qualquer competição, na história do Allianz Parque, inaugurado em novembro de 2014. E na maioria das vezes, o Verdão levou a melhor: se classificou em 13 ocasiões, foi campeão em outra (Copa do Brasil 2015) e em apenas seis situações a equipe foi eliminada ou ficou com o vice-campeonato.

O fator casa, aliás, tem sido fundamental para que o Maior Campeão do Brasil viesse com esse bom desempenho nas fases decisivas: o clube não sabe o que é perder em sua arena. Por enquanto, são sete jogos com seis vitórias e um empate: pelo Paulista, venceu o Mirassol por 3 a 1 (em 16/02), o Guarani por 1 a 0 (em 20/02), o Água Santa por 2 a 1 (em 26/07), o Santo André por 2 a 0 (em 29/07) e, agora, a Ponte Preta (02/08), e empatou com a Ferroviária por 1 a 1 (em 07/03); pela Libertadores, superou o Guaraní-PAR por 3 a 1 (em 10/03). Aproveitamento de 90%.

Além dos jogos na arena, o Alviverde também está invicto neste ano como mandante de forma geral: considerando as partidas realizadas na Arena da Fonte Luminosa (Palmeiras 0x0 São Paulo) e no Pacaembu (Palmeiras 4×0 Oeste) pelo Paulista, incluindo o retrospecto no Allianz Parque citado no parágrafo anterior, o Palmeiras ostenta um aproveitamento de 83% na temporada (sete vitórias e dois empates, com 17 gols marcados e quatro sofridos).

Individualmente, destaque expressivo para o treinador Vanderlei Luxemburgo, que, com o duelo deste domingo, chegou a 237 vitórias e igualou Felipão no quesito, dividindo agora a 2ª posição na lista de treinadores que mais venceram pelo Maior Campeão do Brasil (Scolari possui 237 vitórias em 484 partidas). O líder deste ranking é Oswaldo Brandão, com 342 triunfos em 586 jogos.

Ao todo, Vanderlei Luxemburgo soma 391 partidas à frente do Palmeiras e, além das 237 vitórias que chegou nesta noite, possui ainda outros 86 empates e 68 derrotas. São 783 gols marcados e 352 gols sofridos.

Técnico que mais comandou o Palmeiras no Parque Antarctica (incluindo todas as formas físicas que a atual arena palmeirense, inaugurada em 2014, já possuiu outrora), com 151 partidas, Luxemburgo possui uma série invicta na casa esmeraldina de 14 jogos (11 vitórias e 3 empates). A última derrota aconteceu há 11 anos, na sua passagem anterior pelo clube, em 18/04/2009: foi para o Santos, pelo Campeonato Paulista, por 2 a 1, gol de Pierre. O duelo colocou dois lendários jogadores de diferentes lados naquele dia: o veterano goleiro Marcos, pelo Palmeiras, e o jovem atacante Neymar, pelo Peixe.

Em partidas de mata-mata, Vanderlei Luxemburgo também não fica para trás! Pelo Campeonato Paulista, foram seis duelos com o de hoje, com cinco vitórias (quartas de final de 2020, semifinais de 2008 e 2020 e dois títulos, nas finais de 2008 e 1993) e uma derrota (semifinal de 2009). No Campeonato Brasileiro, a vantagem também é expressiva: quatro vitórias (incluindo as finais de 1993 e 1994) e apenas uma derrota (quartas de final de 1996).

A própria estreia de Luxemburgo no Palmeiras foi em uma partida eliminatória. O jogo do dia 20/04/1993, quando o Verdão bateu o Vitória por 1 a 0, gol de Maurílio, colocou o time nas quartas de final da Copa do Brasil daquele ano.

Pode se dizer que o treinador é um especialista em campeonatos estaduais. Só no Verdão, ele conquistou quatro dos cinco Campeonatos Paulistas que disputou anteriormente com o Verdão (1993, 1994, 1996 e 2008, justamente os últimos quatro títulos estaduais do Palmeiras – só não ganhou em 2009), sendo o que mais levantou taças estaduais pelo clube, ao lado de Oswaldo Brandão (que faturou os de 1947, 1959, 1972 e 1974). Ambos também são os maiores campeões da história do clube, com sete títulos cada um (Luxa soma os Brasileiros de 1993 e 1994 e o Rio-São Paulo de 1993, enquanto Brandão levou os Brasileiros de 1969, 1972 e 1973).

Dentre os jogadores, destaque para o jovem talento Patrick de Paula, que vem se destacando com a camisa 5 do Verdão. Desde o retorno do Campeonato Paulista, o volante foi escalado entre os titulares nos quatro jogos possíveis: contra Corinthians, Água Santa, Santo André e, agora, Ponte Preta. O jogador já disputou 733 minutos em 12 partidas no ano de 2020. Patrick foi captado pelo Palmeiras enquanto atuava no futebol amador do Rio de Janeiro em 2017. Fazia, inicialmente, a função de meia armador e assumiu o protagonismo da equipe Sub-20 quando passou a jogar mais recuado, como primeiro volante (atuou até improvisado como zagueiro em algumas partidas das categorias de base).

Outro que merece ser citado é o camisa 1. O goleiro Weverton, eficiente quando acionado, se destacou por ter passado mais um jogo em branco. Vazado apenas 65 vezes em 107 jogos pelo Palmeiras, o goleiro Weverton detém a segunda menor média de gols sofridos na história do clube: 0,60, atrás só do paraguaio Benítez, com 0,54 (13 gols sofridos em 24 jogos em 1978); na terceira colocação, aparece o também paraguaio Gato Fernández, com 0,62 (22 gols em 35 jogos em 1994). São considerados somente goleiros com ao menos dez jogos disputados pelo Verdão.

Além disso, Weverton não sofreu gols em 58 partidas dessas 107 que jogou pelo Verdão, número que o coloca na terceira colocação do ranking de goleiros com mais jogos sem ser vazado no Século XXI, atrás apenas de Marcos (107 jogos) e Fernando Prass (101). Em uma única temporada, o atual camisa 1 é o recordista do Século XXI com 26 jogos sem sofrer gols em 2019.

Weverton fechou o ano de estreia, em 2018, com 21 jogos sem sofrer gols. Em 2019, foram 26. E neste ano, já são 11 partidas intransponível em 18 disputadas. Se sair de campo mais 9 vezes sem ser vazado nesta temporada, ele alcançará uma marca que não é atingida há 23 anos – o último goleiro a ficar três temporadas consecutivas sem sofrer gols em 20 ou mais jogos foi Velloso, em 1995 (28), 1996 (24) e 1997 (27).

No Verdão, Weverton já defendeu quatro penalidades, todas elas no ano de 2019: em amistoso diante do Guarani; pela Copa do Brasil diante do Internacional; pela Libertadores contra o Godoy Cruz-ARG; e ante o Ceará pelo Brasileirão. Vale lembrar que pela Seleção Brasileira Olímpica, defendeu uma cobrança na vitória por 5 a 4 nos pênaltis contra a Alemanha na final, ajudando a garantir o então inédito ouro olímpico ao Brasil.

Atleta com mais minutos em campo em 2020 (1459), Weverton atuou em todos os 18 jogos do Palmeiras neste ano, assim como Willian e Ze Rafael.

DADOS COLETIVOS DO TIME

O Palmeiras sofreu apenas seis gols nas 14 partidas disputadas até aqui no Campeonato Paulista, e detém, de forma isolada, a defesa menos vazada do certame – algo que se repete pela quarta temporada consecutiva. Nos anos anteriores, o Maior Campeão do Brasil também foi o menos vazado (levando em conta a fase de grupos – quando todos times têm 12 jogos), com somente oito em 2017, outros oito em 2018 e cinco em 2019.

Em média, como novamente passou em branco contra a Ponte Preta (como já havia sido diante do Santo André, na última quarta, 29), o Verdão tem a melhor defesa do Paulista no geral com 0,42 gol sofrido por jogo, contra 0,76 do Corinthians, segundo colocado (10 gols sofridos em 14 partidas).

PALMEIRAS FAZ 81,48% DOS GOLS DE 2020 NO SEGUNDO TEMPO

Contra a Ponte Preta, na noite deste domingo, o Palmeiras contrariou uma estatística que tem se tornado frequente no ano de 2020. Ao vencer por 1 a 0 com gol no primeiro tempo, o duelo diante da Macaca é um dos poucos que teve gol no primeiro tempo – dos 27 tentos palestrinos neste ano, 22 saíram na etapa final (81,48%) e apenas cinco no primeiro tempo (18,52%)

PALMEIRAS X PONTE PRETA: RETROSPECTO ATUALIZADO

Este foi o terceiro encontro entre Palmeiras e Ponte Preta em jogos eliminatórios. Nos dois anteriores, cada um se deu bem uma vez.

Em 2008, na final do Campeonato Paulista, o atual técnico alviverde Vanderlei Luxemburgo comandou a conquista do título com uma vitória por 5 a 0 no Estádio Palestra Italia (a partida de ida em Campinas havia sido 1 a 0 para o Alviverde). Naquele 04/05/2008, o Palmeiras foi a campo com Marcos (Diego Cavalieri); Élder Granja, Gustavo, Henrique e Leandro; Pierre, Martinez, Valdivia e Diego Souza; Kleber Gladiador (Denílson) e Alex Mineiro (Lenny). Os gols foram de Alex Mineiro (três), Valdivia e um contra.

O último confronto eliminatório antes desse, porém, foi favorável à Ponte. Na semifinal do Paulista de 2017, o time campineiro se classificou ao venceu o jogo de ida, no Moisés Lucarelli, por 3 a 0, e ser derrotado na partida de volta, no Allianz Parque, por 1 a 0 (gol de Felipe Melo). Naquele 22/04/2017, o Verdão de Eduardo Baptista entrou em seu estádio com Fernando Prass; Jean, Mina, Edu Dracena e Egídio (Keno); Felipe Melo, Tchê Tchê (Michel Bastos) e Guerra; Róger Guedes, Borja (Willian) e Dudu.

Neste noite, o Verdão ampliou uma série invicta para sete duelos com a Ponte no retrospecto geral: seis vitórias e um empate. O último triunfo campineiro aconteceu em 2017, justamente na semifinal do Paulista. Depois disso, foram dois jogos pelo Brasileiro, com duas vitórias alviverdes, e cinco jogos pelo Paulista, com quatro vitórias alviverdes e um empate.

Ao todo, Palmeiras e Ponte Preta já se enfrentaram em 133 ocasiões ao longo da história, e a vantagem é palestrina: 68 vitórias, 32 empates e 33 derrotas, com 216 gols marcados contra 138 gols sofridos.

No Parque Antarctica / Allianz Parque, palco do encontro de hoje, foram 47 encontros no total, com 29 triunfos palmeirenses, 11 empates, 7 derrotas, 95 gols marcados e 37 sofridos. O primeiro aconteceu em 08/01/1953, na vitória por 4 a 3 do Verdão sobre o visitante, com gols de Moacir, Liminha (duas vezes) e Juvenal, pelo Campeonato Paulista.

Levando em conta apenas o Allianz Parque, inaugurado em novembro 2014, agora o Verdão leva vantagem: três vitórias, contra duas do time pontepretano, e dois empates (balançou as redes seis vezes e sofreu cinco gols).

Especificamente em jogos de Paulista disputados no Parque Antarctica / Allianz Parque, foram 34 duelos já considerando o dessa semifinal, com 21 vitórias alviverdes, nove empates, quatro derrotas, 68 gols marcados e 25 sofridos. Seguindo o mesmo recorte (jogos de Paulista), agora restringindo apenas às partidas no Allianz Parque, foram quatro embates: uma vitória da Ponte Preta, em 2015, e três triunfos do Maior Campeão do Brasil, em 2017, 2019 e 2020, respectivamente. Os quatro jogos em questão terminaram com o placar de 1 a 0.

O JOGO

Para o duelo valendo vaga na final do Estadual de 2020, o técnico Vanderlei Luxemburgo conseguiu repetir a escalação do duelo anterior (diante do Santo André) e, desta forma, o time foi a campo com Weverton; Marcos Rocha, Felipe Melo e Gustavo Gómez; Patrick de Paula, Gabriel Menino e Ramires; Willian, Luiz Adriano e Rony.

No primeiro tempo, o Palmeiras iniciou predominando com duas chances de Rony logo de cara – a primeira delas, uma cabeçada quase a queima roupa sobre o goleiro Ivan, integrante da Seleção Olímpica.

O momento que parecia um gol certo também foi na cabeçada de Gustavo Gómez, após subir muito alto para aproveitar cobrança de escanteio. A bola explodiu no travessão, aos 17 minutos.

No decorrer ainda do primeiro tempo, Willian teve suas chances, assim como Rony voltou a ter outras. A Ponte Preta até reagiu e conseguiu finalizar algumas vezes.

Mas foi Patrick de Paula, aos 45 da etapa inicial, que inaugurou o marcador, chutando de pé esquerdo, de fora da área, após longo lançamento de Ramires do meio de campo (porém, na parte do campo do Verdão) em uma jogada iniciada por Gustavo Gómez. O chute do camisa 5 foi certeiro e não deu chance ao arqueiro Ivan, que vinha salvando a Macaca (Palmeiras 1×0 Ponte Preta)

O que se viu no primeiro tempo foi mesmo um Palmeiras superior, que finalizava mais e mantinha a posse da bola por mais tempo; que também havia fuzilado o rival nos minutos iniciais, mas não conseguira traduzir as chances em gols. Entretanto, o tento de Patrick de Paula fez com que o time de Luxemburgo passasse a jogar com mais tranquilidade, sem ter entrado no desespero em momento algum.

Para o segundo tempo, O Verdão voltou sem mudanças. Nos primeiros 15 minutos do segundo tempo, o Palmeiras voltou a ter chances, com Gabriel Menino, enquanto o time do técnico João Brigatti chegou com João Paulo e Moisés.

Aos 16 minutos, Luxemburgo decidiu mexer no time pela primeira vez. Agora com direito a cinco substituições desde o retorno às atividades após a pausa da pandemia de Covid-19, portanto, desde o dia 22/07 (últimos quatro jogos com este), o treinador palmeirense resolveu fazer duas alterações simultâneas: saiu Ramires para entrar Bruno Henrique e Willian para dar vez a Zé Rafael.

Não demorou muito após as alterações, o Palmeiras, com mais fôlego no meio de campo e mais fechado, passou a ficar mais produtivo e voltou a pressionar o adversário. Para incendiar de vez a partida, Luxa colocou Gustavo Scarpa, aos 26 minutos (saiu Gabriel Menino).

Na reta final da partida, o jogo esfriou moderadamente e Weverton ainda saiu bem do gol para fazer uma defesa em uma tentativa de Roger, em uma jogada puxada de contra-ataque. Àquela altura, o Palmeiras não poderia abrir brechas ao visitante.

Aos 32, Vanderlei Luxemburgo mexeu novamente na equipe: na zaga, saiu Felipe Melo, que já tinha cartão amarelo, para a entrada de Luan; na meia-ofensiva, saiu Rony para dar lugar a Lucas Lima.

O jogo ainda não estava terminado. O Palmeiras tentava buscar mais um gol para matar a partida e poder ficar ainda mais tranquilo, porém, o máximo que conseguiu foi um venenoso chute de Gustavo Scarpa, de fora da área, que acertou o travessão após a pelota desviar na zaga, aos 39 minutos. O camisa 14 ainda teve outras chances aos 46 e aos 47, mas não vingaram em gols.

Com quatro minutos de acréscimos, o jogo foi disputado até os 49, e nos minutos finalíssimos o time inteiro da Ponte Preta, que não tinha mais nada a perder (incluindo o goleiro Ivan), partiu para a área palmeirense na busca de igualar o placar e levar a partida para as penalidades. Entretanto, nada aconteceu e o Maior Campeão do Brasil saiu ileso, garantindo vaga na final para enfrentar o maior rival, Corinthians.

Palmeiras: Weverton; Marcos Rocha, Felipe Melo (Luan Garcia, 20′ do 2ºT), Gustavo Gómez e Diogo Barbosa; Patrick de Paula, Gabriel Menino (Gustavo Scarpa, 26’ do 2ºT) e Ramires (Bruno Henrique, 16′ do 2ºT); Willian (Zé Rafael, 16′ do 2ºT), Luiz Adriano e Rony (Lucas Lima, 32’ do 2ºT). Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

Cartão amarelo: Felipe Melo

Gol: Patrick de Paula (45’ do 1ºT)

Departamento de Comunicação

Depois de sair atrás no placar, o Palmeiras superou o Água Santa por 2 a 1, neste domingo (26), no Allianz Parque, e terminou a primeira fase do Campeonato Paulista na liderança do Grupo B com 22 pontos conquistados. Após a vitória, o técnico Vanderlei Luxemburgo valorizou a classificação em primeiro lugar na chave.

“Eu falei na palestra que o importante era ganhar, sem estar preocupado com o resultado. Com um resultado negativo do Santo André, o resultado seria importante para nós”, comentou o treinador, citando a importância do retorno do time ao Allianz Parque, mesmo sem a presença de público.

“Conhecemos cada espaço, o gramado é diferente, sintético, e o adversário pode sentir. A qualidade do jogo ficou igual para as duas equipes. O importante foi conseguir a vitória da maneira que conseguimos. O time do Água Santa jogou para não perder e está certo, não tem de se expor. Ele jogou atrás por uma bola, você não pode criticar um adversário que só tem essa possibilidade jogando contra nós aqui”, disse.

Luxemburgo também explicou a ausência do atacante Luiz Adriano na equipe titular. “O Luiz Adriano tinha uma dor em um músculo importante. Ele poderia jogar, mas poderia ter algum tipo de problema. Conversei com o departamento médico e me passaram que era melhor deixá-lo de fora. Mas, se fosse para o banco, ele poderia entrar, assim como entrou”, explicou o treinador.

Por fim, o palmeirense mostrou-se cauteloso com o futuro do Palmeiras na temporada. “(O nível de atuação ideal) está distante, é muito difícil. Estamos buscando, trabalhando, e o torcedor está chateado pela derrota contra o Corinthians, mas estamos trabalhando. Estamos no caminho certo”, finalizou.

O Palmeiras enfrentará o Santo André nas quartas de final do Campeonato Paulista.

Departamento de Comunicação

O Palmeiras foi a campo neste domingo (26), às 16h, para enfrentar a equipe do Água Santa, no Allianz Parque, pela 12ª rodada do Campeonato Paulista. O Palmeiras venceu por 2 a 1 na última rodada da primeira fase – gols no segundo tempo: de Lucas Silva (Água Santa), aos 17, e de Ramires (Palmeiras), aos 26, e de Luiz Adriano (Palmeiras), aos 42, após cobrar pênalti, o goleiro defender, e fazer no rebote!

Clique aqui para ver a ficha técnica, estatísticas e tudo sobre o jogo!

Em sua casa, o Verdão não sabe o que é perder neste ano. Por enquanto, são cinco jogos com este, sendo quatro vitórias e um empate: venceu o Mirassol por 3 a 1 (em 16/02), o Guarani-SP por 1 a 0 (em 20/02), o Água Santa por 2 a 1 (na tarde de hoje), empatou com a Ferroviária por 1 a 1 (em 07/03) – todos esses pelo Paulista – e superou o Guaraní-PAR por 3 a 1 (em 10/03), pela Libertadores.

Com o triunfo agregado ao revés do Santo André para o Ituano por 3 a 1, o Palmeiras encerrou a sua participação na primeira fase agora na liderança do Grupo B (e na segunda na classificação geral do campeonato), com 22 pontos (atrás apenas do Red Bull Bragantino, com 23). De quebra, o time do Água Santa terminou rebaixado no Estadual.

Já classificado para as quartas de final desde antes mesmo de entrar em campo pela 11ª rodada do Estadual, contra o Corinthians, na última quarta-feira (22), o Maior Campeão do Brasil irá encarar o próprio Santo André na fase de mata-mata, em jogo único, a ser disputado na casa palmeirense.

A data e o horário para a disputa do jogo das quartas de final devem ser definidos pela Federação Paulista de Futebol (FPF) até a próxima terça-feira (28).

Esta foi a primeira partida do Alviverde Imponente em seu estádio após 138 dias de ausência por conta da paralisação do futebol nacional em combate à disseminação do coronavírus.

Devido às medidas de proteção contra a pandemia, esta foi a primeira vez na história em que o Palmeiras jogou sem público em sua casa própria (considerando tanto o período do Parque Antarctica, adquirido pelo clube em 1920, quanto do atual Allianz Parque, inaugurado em novembro de 2014). Na história do Verdão, além desta de hoje, aconteceram jogos de portões fechados na história palmeirense apenas em outras três ocasiões: em 31/07/2005, no 1 a 1 com o Atlético-PR, pelo Campeonato Brasileiro (devido à invasão de campo de torcedores palmeirenses no jogo anterior, a partida também foi transferida do Palestra Italia para o Pacaembu); em 17/05/2015, no 0 a 0 com o Joinville, pelo Brasileiro, desta vez na casa do adversário (os catarinenses foram punidos por uma briga de torcidas); e na última quarta (22), quando o Derby foi jogado sem presença de público pela primeira vez em 103 anos.

Por conta da pandemia de Covid-19, o retorno do Palmeiras ao Allianz Parque não teve a presença de público (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

Nos aspectos coletivos, o time de Vanderlei Luxemburgo segue com a melhor defesa do Paulistão, agora com apenas seis gols sofridos (em 12 partidas), seguido pelo Novorizontino, com oito. Por ter marcado 17 gols, o Verdão tem também o melhor saldo de gols da competição até aqui: 11 tentos, de forma isolada. Em seguida, aparece o Red Bull Bragantino, com nove (marcou 18 vezes e sofreu nove gols).

Grande responsável por essas marcas coletivas da equipe palmeirense, o técnico Vanderlei Luxemburgo por sua vez, é o treinador que por mais vezes dirigiu e venceu pelo Palmeiras no Palestra Italia/Allianz Parque: agora são 149 partidas no local, com 118 vitórias, 20 empates e 11 derrotas.

Vanderlei Luxemburgo soma agora 389 partidas à frente do Palmeiras, com 235 vitórias, 86 empates e 68 derrotas. O treinador conquistou quatro dos cinco Campeonatos Paulistas que disputou com o Verdão (1993, 1994, 1996 e 2008, justamente os últimos quatro títulos estaduais do Palmeiras – ele só não ganhou em 2009), sendo o que mais levantou taças estaduais pelo clube, ao lado de Oswaldo Brandão (que faturou os de 1947, 1959, 1972 e 1974). Ambos também são os maiores campeões da história do clube, com sete títulos cada um (Luxa soma os Brasileiros de 1993 e 1994 e o Rio-São Paulo de 1993, enquanto Brandão levou os Brasileiros de 1969, 1972 e 1973).

Nos aspectos individuais, destaque para Ramires, que saiu do banco de reservas para marcar o primeiro gol do Verdão aos 26 do segundo tempo, atuando no time pela primeira vez após o retorno da pausa devido a pandemia.

Destaque também para Marcos Rocha, que já era o garçom do Alviverde no Paulista de 2020 e agora aumentou ainda mais essa marca – com esta, são três assistências no estadual, sendo três também na temporada toda, passando a ser agora, inclusive, não só o maior garçom do time no torneio estadual, mas também do time na temporada de forma geral, ao lado de Dudu (que também deu três passes a gol antes de ir para o futebol do Qatar).

Outro jogador que merece ser exaltado nessa partida é Luiz Adriano, fez seu 9º jogo no Allianz Parque pelo Verdão e chegou ao 8º gol! Vestindo a camisa palmeirense, o atacante, portanto, tem uma ótima média na arena, de 0,88 gol por jogo na arena – com direito a dois hat-tricks.

O JOGO

Sem toricda, bandeiras e faixas tomaram conta do estádio neste domingo ensolarado. O Allianz Parque, inclusive, seguindo o que já haviam feito clubes europeus que voltaram primeiro da pandemia, disponibilizou cânticos de torcida autofalantes imitando um incentivo da torcida nas arquibancadas.

Em relação à partida anterior, pela 11ª rodada, contra o Corinthians, as novidades na equipe titular que enfrentou o Água Santa foram as aparições de Diogo Barbosa e Marcos Rocha nas laterais esquerda e direita, respectivamente, além de Raphael Veiga como meia-atacante (não começou jogando Luiz Adriano, titular na partida anterior).

Rocha esteve suspenso na rodada anterior e, hoje, entrou na vaga em que jogou Mayke, que sentiu dores musculares, enquanto Barbosa ficou com na vaga onde Viña havia atuado – o uruguaio era o então titular, mas sofreu concussão no clássico e, por isso, foi poupado nesta partida.

Desta forma, o Palmeiras foi a campo com: Weverton; Marcos Rocha, Felipe Melo, Vitor Hugo e Diogo Barbosa; Bruno Henrique, Patrick de Paula e Lucas Lima; Rony, Willian e Raphael Veiga.

O primeiro tempo terminou sem gols, após os dois times não criarem muitas oportunidades na etapa inicial. Destaque para um chute de Rony, aos 10 minutos, que chutou de curva, passando próximo ao ângulo de Giovanni. Depois disso, a melhor oportunidade criada foi uma cabeça de Raphael Veiga, após cruzamento na medida de Marcos Rocha, levando perigo à meta adversária.

Nos derradeiros minutos, Willian, vice-artilheiro do Campeonato Paulista, com seis gols, recebeu a bola dentro da área e chutou em direção ao gol – o arqueiro rival ainda estava longe. Entretanto, no meio do caminho, a bola desviou na mão de um dos defensores do Água Santa. A arbitragem, porém, entendeu como lance normal (o jogo deste domingo ainda não contou com VAR, mas a partir das quartas de final o árbitro de vídeo estará disponível).

Com Luiz Adriano no lugar de Raphael Veiga, o segundo tempo começou bem mais dinâmico. O Verdão, de cara, pressionou o time visitante; primeiro, com uma investida do volante Patrick de Paula, de fora da área, exigindo defesa do guarda-meta. Depois, Willian Bigode, novamente, quase conseguiu um pênalti para o Verdão: desta vez fora derrubado no limite da linha. Porém, sem VAR, não foi possível fazer uma checagem bem apurada e, desta forma, a arbitragem entendeu que se tratava apenas de uma falta, e não de um penal.

Mesmo com o Palmeiras indo para cima do Água Santa, que inclusive passou a jogar, em alguns momentos, mais retrancado – conforme instruções de seu técnico Toninho Cecílio –, foi a equipe visitante que chegou primeiro ao gol: com Lucas Silva, aos 17 minutos do segundo tempo. (Palmeiras 0x1 Água Santa)

Buscando então uma reação imediata, o técnico Vanderlei Luxemburgo optou por algumas mudanças no time, trocando Patrick de Paula por Ramires (aos 20), Bruno Henrique por Gabriel Menino (aos 20) e Rony por Gustavo Scarpa (aos 21); as mudanças rapidamente surtiram efeito: aos 26 (ou seja, em menos de 10 minutos do gol sofrido), o Alviverde chegou ao empate com Ramires, em jogada originada de bola ao chão, passando por Felipe Melo, que acionou Marcos Rocha, disparado pela direita. O camisa 2, por sua vez, cruzou na medida para Ramires cabecear com força e deixar tudo igual. (Palmeiras 1×1 Água Santa)

Após o gol, o Alviverde não cessou a pressão. Logo em seguida, Gustavo Scarpa por muito pouco não virou a partida após receber lançamento de Ramires. Em dado momento, o zagueiro Vitor Hugo também quase marcou de cabeça.

Mas a virada veio nos minutos finais, aos 41 da etapa final, quando, após tentar vazar a defesa do Água Santa de diversas formas (cujo time estava praticamente inteiro no campo de defesa, visto que brigava para não cair e, portanto, visava não sofrer gol), o Verdão teve um pênalti marcado a seu favor: após um bate-rebate na área, o zagueiro do time rival tentou chutar para longe na tentativa de afastar a pelota. No entanto, a redonda subiu e, ao cair, acertou a mão de um dos atletas da equipe de Diadema.

Para a cobrança, partiu Luiz Adriano, que não chutou com muita precisão nos cantos e facilitou a defesa do goleiro Giovanni (que também teve seu mérito). Entretanto, ao fazer a defesa o penal, o arqueiro espalmou e a bola sobrou justamente para o camisa 10, que não desperdiçou sua segunda chance! (Palmeiras 2×1 Água Santa)

Nos minutos finais, Vanderlei Luxemburgo ainda fez sua última alteração (lembrando que desde o retorno da pandemia, portanto, desde a rodada anterior, contra o Corinthians, são permitidas cinco substituições). Saiu o atacante Willian para entrar o meio-campista Zé Rafael.

Palmeiras: Weverton; Marcos Rocha, Felipe Melo, Vitor Hugo e Diogo Barbosa; Bruno Henrique (Gabriel Menino, 20′ do 2ºT), Patrick de Paula (Ramires, 20′ do 2ºT) e Lucas Lima; Rony (Gustavo Scarpa, 21′ do 2ºT), Willian (Zé Rafael, 44′ do 2ºT) e Raphael Veiga (Luiz Adriano, intervalo). Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

Gols: Ramires, aos 26′ do 2ºT e Luiz Adriano, aos 41′ do 2ºT

Cartões amarelos: Raphael Veiga e Ramires

De volta ao jogo: Palmeiras promoverá ações de interação com a torcida na volta ao Allianz Parque

Departamento de Comunicação

O Palmeiras anuncia, neste domingo (19), as ações que terão a participação da torcida durante os jogos da equipe no Allianz Parque para a sequência do Campeonato Paulista e o início do Brasileirão 2020. Devido às restrições impostas pela pandemia de coronavírus, as partidas serão disputadas com portões fechados.

A campanha #PalmeirasDeVoltaAoJogo permitirá que a torcida demonstre seu apoio à equipe, mesmo de longe. Para o Campeonato Paulista, será possível enviar pelas redes sociais coros e canções para que sejam ecoadas durante o jogo, em apoio aos jogadores. Basta postar o canto utilizando a hashtag #EuCantoEuSouPalmeiras no Twitter, Facebook, TikTok ou Instagram, e um comitê irá escolher as melhores para serem veiculadas. Os gritos dos torcedores serão reproduzidos nos alto-falantes do Allianz Parque. Além disso, o telão do Allianz Parque exibirá posts da torcida palmeirense torcendo pela equipe. As postagens serão selecionadas a partir das publicações da torcida usando a hashtag #VerdãoEmCasa nas redes sociais.

Além dos cânticos e mensagens, o sócio-torcedor Avanti poderá solicitar que sua bandeira seja colocada em algum ponto da arena durante os jogos. Basta enviar um e-mail para [email protected].

Já para as partidas do Campeonato Brasileiro, o Palmeiras posicionará totens com imagens dos torcedores nas cadeiras da arena. Uma parceria com a Brahma/Ambev, que recentemente renovou o contrato de patrocínio com o clube, permitirá a inclusão de imagens nos totens por R$ 15 para o sócio Avanti adimplente e R$ 40 para os demais torcedores. A foto ficará exposta por no mínimo um mês e o torcedor ainda poderá localizar a sua imagem na arena por meio do site fotoverdao360.gigafans.com. A torcida estará “presente” a partir da primeira rodada do Brasileirão e as vendas serão iniciadas na última semana de julho.

Para marcar o retorno, o Palmeiras, em parceria com a PUMA, publicou um vídeo manifesto à torcida.

 

Palmeiras promove campanha conjunta de doação de sangue no Allianz Parque

Ricardo Schwarz
Departamento de Comunicação

O Allianz Parque recebe entre os dias 26 e 28 de maio a “Campanha Sangue Verde e Amarelo”, que possibilitará a doação de sangue com segurança em tempos de pandemia. A ação pretende reforçar hemocentros que sofreram queda significativa nos estoques com as restrições impostas pela COVID-19.

A iniciativa é da Associação Brasileira de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular (ABHH) com apoio do Palmeiras, Allianz Parque, Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Associação Paulista de Medicina (APM), Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia (ABRALE), Associação Brasileira de Talassemia (ABRASTA) e MTM Tecnologia.

A estrutura montada para a campanha permitirá atender cerca de 300 pessoas por dia, das 8h30 às 13h30. Serão beneficiados com as doações quatro hemocentros da cidade de São Paulo.

Todo o processo de cadastro e análise dos doadores será feito por meio de um aplicativo que leva o mesmo nome da campanha e já está disponível na Apple Store e no Google Play. No app, o doador escolherá data e horário para realizar a doação, de maneira que não ocorram aglomerações. Estarão aptos a doar aqueles que possuem entre 16 e 69 anos, estão acima dos 50 kg, com boas condições de saúde, alimentados e descansados, e deverão apresentar documento oficial com foto no dia da coleta.

Campanhas de doação de sangue são uma das iniciativas que se enquadram no programa de responsabilidade institucional do Palmeiras “Por Um Futuro Mais Verde”. O programa visa consolidar o clube como uma organização responsável, geradora de impacto positivo para o futebol e para a sociedade por meio da atuação integrada dos seus pilares econômico, social e ambiental.

Departamento de Comunicação

O dia 27 de abril de 2020 celebra o centenário de um dos mais importantes capítulos da história do Palmeiras: a compra do terreno onde hoje está construído o imponente Allianz Parque. Foi há exatos 100 anos que, contando exclusivamente com recursos e esforços da sua comunidade, o Palestra Italia colocou em prática um dos mais audaciosos projetos de um time brasileiro em todos os tempos e pavimentou o caminho para se consolidar como um dos primeiros grandes clubes do país.

Entre todas as discussões que norteavam o Palestra no período da sua fundação, em 1914, aquela sobre possuir uma casa própria era a principal, mesmo que não passasse de utopia até para as mais tradicionais e aristocratas equipes da época. O sonho começou a virar realidade quando a possibilidade de adquirir parte do Parque Antarctica, onde ficava a maior praça de esportes da cidade, aguçou a determinação e o vanguardismo dos palestrinos.

Parque Antarctica lotado em jogo do Palestra Italia em 1920

O time até então contava com um espaço para treinamento na Rua Major Maragliano, no bairro Vila Mariana, Zona Sul de São Paulo, e desde 1917 era um dos locatários do Parque Antarctica – usava um de seus campos duas vezes por semana. Os planos, porém, eram mais ambiciosos.

O presidente palestrino Menotti Falchi (1919-1920)

“Clubes menores possuem um campo. Temos de achar uma casa. Não é qualquer terreno que nos agrada, pois a grandeza da comunidade italiana e de nossos torcedores não concordaria”, disse o então presidente alviverde Menotti Falchi ao jornal Fanfulla, em fevereiro de 1920. “Um estádio moderno é o desejo de todo palestrino”, continuou o mandatário, já vislumbrando o gigante de concreto armado que seria inaugurado na década seguinte.

Belfort Duarte autorizou a compra do terreno pelo Palestra

Quando souberam que a Companhia Antarctica Paulista, proprietária do Parque Antarctica, estava de mudança para a Mooca, na Zona Leste da capital, dirigentes do Palestra manifestaram aos donos da fábrica a intenção de comprar o terreno. O alemão Antônio Zerrenner e o conde Asdrubal do Nascimento se dispuseram a vendê-lo por 500 contos de réis, uma fortuna naquele tempo. E, além do valor exorbitante, havia outro percalço a ser superado: parte do Parque Antarctica estava alugada ao América Futebol Clube, braço paulista do America Football Club-RJ.

Para adquirir o local, o Palestra precisaria do consentimento do engenheiro João Evangelista Belfort Duarte, presidente do America. Um dos primeiros craques da história do futebol nacional, Belfort sofria de uma grave doença pulmonar que o forçara a se mudar para um rancho de difícil acesso no Pico do Itatiaia, em Resende (RJ). Coube ao jovem palestrino Vasco Stella Farinello a missão de localizar o craque-cartola. A viagem foi exitosa, porém árdua: o trajeto de São Paulo à casa de Belfort foi percorrido em 17 horas (12 de trem e outras cinco a cavalo).

Contrato assinado

Um dos portões de acesso ao Parque Antarctica se localizava na Avenida Água Branca (atual Francisco Matarazzo)

Após receber o aval de Belfort Duarte, o clube incumbiu Davide Picchetti, Enrico De Martino, Luigi Rocco, Americo Giorgetti, Angelo Cristofaro e Vasco Stella Farinello de estudar a compra do Parque Antarctica. Até que em 31 de março de 1920, com a colaboração de todos os diretores e conselheiros, a comissão apresentou parecer favorável à obtenção do logradouro.

A escritura lavrada em abril de 1920 registrou a compra do terreno junto à Companhia Antarctica Paulista por 500 contos de réis

Durante a Assembleia Geral Extraordinária de 23 de abril de 1920, presidida por Davide Picchetti, a minuta do contrato foi aprovada, causando entusiasmo nos presentes. Curiosamente, pela primeira vez na história do Palestra Italia, a ata de uma reunião foi escrita em língua portuguesa – as anteriores haviam sido formuladas em italiano.

No dia 27 de abril de 1920, uma escritura pública lavrada pelo tabelião Gabriel da Veiga, do 11º cartório da capital, registrou a compra de um extenso terreno da Companhia Antarctica Paulista, anexo ao Parque Antarctica, na Avenida Água Branca (atual Francisco Matarazzo), pelo Palestra Italia, pelo valor de 500 contos de réis – 250 no ato da assinatura e outros 250 divididos em duas prestações de 125.

A propriedade compreendia dois campos e tinha área total de 120 mil m²

O clube pagou a primeira cota com o cheque número 09743, de 250 contos de réis, em nome de Francisco Matarazzo & Cia. Com dificuldade, conseguiu saldar a segunda, estipulada para o ano seguinte.Porém, a fim de quitar o último débito (em dezembro de 1922), precisou vender parte do terreno para o conde Matarazzo por 187 contos de réis – o local corresponde à área onde se localiza hoje o Bourbon Shopping.

A propriedade compreendia dois campos, arquibancadas e benfeitorias desde a Avenida Água Branca (atual Francisco Matarazzo) até o triângulo formado com a Avenida Pompeia. A área total tinha cerca de 120 mil m².

Em sua primeira partida como dono do Parque Antarctica, o Palestra goleou o Mackenzie por 7 a 0, no dia 16 de maio de 1920, pelo Campeonato Paulista. Dois anos depois, o primeiro jogo da Seleção Brasileira fora do Rio de Janeiro na história foi realizado na casa palestrina: vitória por 2 a 1 contra a Argentina.

Evolução e pioneirismo

Planta do Stadium Palestra Italia apresentada em 1929

Dado o primeiro passo, já era hora de pensar em voos maiores. De imediato, a diretoria começou a planejar a construção de um estádio com amplas acomodações para público, jogadores e imprensa.

Formou-se então a Comissão Pró-Estádio, encabeçada por Davide Picchetti. O grupo promoveu, entre outras iniciativas, campanhas de arrecadação de doações para viabilizar a construção do estádio, com destaque para as generosas contribuições do conde Matarazzo (25 contos de réis), do comendador Rodolfo Crespi (20), do Banco Francês-Italiano (15) e do comendador Giuseppe Pugliesi Carbone (10).

A imprensa registrou com entusiasmo a inauguração do estádio palestrino em 1933

Finalmente no dia 13 de agosto de 1933, pouco mais de uma década depois de adquirir o terreno, os palestrinos inauguraram o Stadium Palestra Italia, o maior e mais moderno estádio do país na época e o primeiro da capital paulista a ter arquibancadas de concreto armado, com capacidade total de 30 mil pessoas.

Em sua estreia na remodelada casa, o Verdão goleou o Bangu por 6 a 0, pelo Torneio Rio-São Paulo. O momento foi assim registrado pelo Acervo Histórico do clube: “A cidade parecia toda em festa. Festa que convergia para uma só direção: o Parque Antarctica. Os velhos bondes, saindo ainda do triângulo constituído pelas ruas Direita, XV de Novembro e São Bento, viajando apinhados. Eram eles o principal meio de transporte dos torcedores, ao mesmo tempo em que várias linhas de ônibus ajudavam a movimentar a grande massa humana para o Parque. Mas era o velho bonde, rangendo nos trilhos, que desempenhava a missão principal na função do transporte. Muita gente que não saía de casa havia muito tempo vestia as roupas domingueiras. Mulheres em quantidade se locomovendo para lá. Era dia de festa. Principalmente, de festa palestrina”.

O Estádio Palestra Italia foi fechado em 2010 para a reforma que durou quatro anos

Saiba mais detalhes sobre o Parque Antartica e o Allianz Parque.

LIVROS

Parque dos Sonhos

A história do Parque Antarctica é esmiuçada no livro Parque dos Sonhos, escrito pelo jornalista Fernando Galuppo, do Departamento de Comunicação do Palmeiras, e pelo historiador José Ezequiel de Oliveira Filho, diretor do Acervo Histórico do clube. Bilíngue (português e inglês), a obra retrata em 176 páginas a evolução do estádio onde foi disputado o primeiro jogo oficial de futebol no Brasil – em 1902, entre Germânia e Mackenzie. Para comprá-la a preço promocional, acesse o site da livraria da Editora In House.

 

 

Cem Anos em Um Dia

A obra do escritor Celso de Campos Jr., da editora Garoa Livros, narra o passeio de um avô, um pai e um filho ao Allianz Parque. Eles são recebidos por uma jovem que, ao mesmo tempo em que apresenta o estádio, conta toda a centenária trajetória do Palmeiras naquele local. Um divertido livro de 54 páginas, bem ilustrado, com linguagem simples e direcionado a leitores de todas as idades. Uma obra para ser lida em família e que foi disponibilizada gratuitamente na internet pelo autor.

Escolinhas oficiais do Palmeiras levam alunos para jogo e visita ao Allianz Parque

Departamento de Comunicação

Os alunos das unidades de Atibaia-SP, de Santo André-SP e de Sorocaba-SP participaram da ação “O Dia do Torcedor” (Divulgação)

Os alunos da Academia de Futebol Palmeiras, rede de escolas de futebol oficial do clube, viveram um dia inesquecível no último sábado (07). A garotada das unidades de Atibaia-SP, de Santo André-SP e de Sorocaba-SP pôde participar da ação “O Dia do Torcedor”, uma iniciativa que leva os jovens das escolinhas do Verdão para visitar as instalações do Allianz Parque, passando por vestiário, banco de reservas, campo de jogo e sala de imprensa, e também para acompanhar um jogo do Alviverde no estádio.

Os jovens puderam entrar no gramado do Allianz Parque (Divulgação)

O Maior Campeão do Brasil abre o espaço para os alunos vivenciarem de fato o que é fazer parte da Família Palmeiras, proporcionando a experiência exclusiva de entrar no vestiário antes de o time chegar, de pisar no gramado e de ver de perto a atmosfera da arena palestrina nas horas que antecedem os confrontos da equipe profissional.

No compromisso diante da Ferroviária, que terminou empatado por 1 a 1, os alunos cantaram, vibraram e pularam durante os 90 minutos da partida, além de terem celebrado bastante o gol marcado pelo atacante Willian Bigode, artilheiro do Palmeiras em 2020 com oito tentos anotados.

No dia 01 de abril (quarta-feira), será a vez dos alunos das unidades da Pompeia e do Butantã, ambas em São Paulo-SP, e de Guarulhos-SP acompanharem o duelo com o Água Santa, no Allianz Parque.

Quer saber mais sobre as escolinhas oficiais do Palmeiras? Clique aqui!

Sobre a Academia de Futebol Palmeiras

O principal foco da Academia de Futebol Palmeiras é a formação de cidadãos. Os valores que os alunos aprendem nas aulas vão além das quatro linhas e servirão para toda a vida. Para garantir a qualidade de ensino e a aplicação da metodologia de treinamento desenvolvida pelo clube, os professores das unidades passam por treinamento e avaliação de profissionais do Verdão. Os professores, todos formados em Educação Física, são capacitados para trabalhar com crianças de diferentes níveis de aprendizagem e desenvolvimento.

Ser aluno das escolas de futebol oficiais do Palmeiras também rende muitos benefícios, como visitas ao Allianz Parque e à Academia de Futebol, avaliações nas categorias de base do clube e descontos nos programas da Palmeiras Tour. Sócios-torcedores Avanti ou filhos dos associados têm desconto de 20% nas unidades. O aluno da Academia de Futebol Palmeiras que quiser se tornar Avanti também poderá ter benefícios para ele e sua família (Clique aqui e conheça os planos!).

Siga também as redes sociais da Academia de Futebol:
Instagram: www.instagram.com/academiadefutebolpalmeiras
Facebook: www.facebook.com/academiadefutebolpalmeiras

Filme sobre reforma do Palestra Italia chega às plataformas digitais no próximo dia 24

Departamento de Comunicação
Thiago Kimori

Exibido no cinema do Shopping Bourbon, em São Paulo-SP, no fim do mês de janeiro, o filme Segundo Tempo foi licenciado pelo Canal Brasil e estará disponível para todo o país nas plataformas digitais NOW, Oi Play, Vivo Play, iTunes e Google Play a partir do dia 24 de fevereiro (segunda-feira). A produção, dirigida por Rogério Zagallo e que faz parte do projeto Palestra Itália.Doc junto com o filme Primeiro Tempo e a série Intervalo, mostra com detalhes a transformação do estádio Palestra Italia em Allianz Parque, incluindo o último jogo do antigo Palestra, a demolição, todos os passos da reforma e a primeira partida oficial da nova arena.

“O filme encerra um projeto de dez anos que começou com o filme Primeiro Tempo, filmado em 2010. A estrutura do roteiro era uma ideia aparentemente simples: documentar o último dia de um jogo oficial no Palestra Italia antigo e depois o primeiro jogo na nova arena. O projeto cresceu na sua complexidade somando-se a ele a produção da série Intervalo. As filmagens se esticaram por quatro anos e meio, a edição e finalização por mais um ano, depois entramos na etapa de festivais de cinema em 2017 e 2018 até finalmente chegarmos ao lançamento comercial em 2020. Foram muitos anos de trabalho, mas o resultado final me deixa muito feliz porque conseguimos documentar uma etapa histórica de transformação de um estádio centenário de uma maneira única. E agora, finalmente, esta história poderá ser vista por um público maior”, comentou Zagallo.

Produzido pela Oka Comunicações, Segundo Tempo mostra imagens poderosas de máquinas, aço e concreto, misturadas com lembranças afetivas de ex-jogadores, funcionários e torcedores do Maior Campeão do Brasil. O filme traz depoimentos de personalidades ligadas à história do clube como Ademir da Guia, César Maluco, Oberdan Cattani, Marcos, Evair, entre outros.

“O estádio foi se transformando junto com a cidade, o bairro e o futebol, mas se manteve sempre no mesmo local. Isso tornou a relação do torcedor palmeirense com seu estádio um caso muito especial. A história segue, o palco sagrado continua lá, adaptando-se às transformações de cada época. Esta não é a primeira transformação do estádio e, provavelmente, não será a última”, concluiu o diretor.

Para mais informações: www.palestraitaliadoc.com.br

FICHA TÉCNICA
Segundo Tempo (2020)
Licenciamento: Canal Brasil
Classificação: 10 anos
Direção: Rogério Zagallo
Plataformas digitais (a partir de 24/02): NOW, Oi Play, Vivo Play, iTunes e Google Play

Verdão treina mais uma vez no Allianz Parque, e Luxa faz trabalhos táticos

Departamento de Comunicação

Nesta sexta-feira (14), o elenco do Palmeiras treinou mais uma vez no gramado sintético do Allianz Parque (Crédito: Cesar Greco/Palmeiras)

O Palmeiras treinou novamente no Allianz Parque na manhã desta sexta-feira (14). O objetivo foi agilizar a adaptação dos jogadores à grama sintética, instalada completamente nesta semana e que estreará em uma partida oficial no domingo (16), contra o Mirassol, às 16h, pela sexta rodada do Campeonato Paulista.

A primeira atividade no local havia sido na quarta-feira (12) e a última, antes do confronto, será na manhã deste sábado (15), às 10h, em movimentação fechada para a imprensa.

No gramado, o técnico Vanderlei Luxemburgo esboçou o provável time titular de linha com Mayke, Felipe Melo, Gustavo Gómez e Matías Viña; Patrick de Paula, Zé Rafael e Lucas Lima; Gustavo Scarpa, Willian Bigode e Veron. O atacante Luiz Adriano foi desfalque por indisposição. Foram ensaiados, entre outras coisas, balanços, transições, marcações e saídas de bola.

Sócios-torcedores Avanti puderam acompanhar as atividades desta sexta-feira (Crédito: Cesar Greco/Palmeiras)

O atacante Angulo fez trabalhos de transição física no campo. O lateral-direito Marcos Rocha e o meio-campista Ramires realizaram tratamento na parte interna do centro de excelência da Academia de Futebol.

O treino desta sexta teve a presença de sócios Avanti e associados do clube social. Na parte final, alguns atletas, após aprimorarem cobranças de faltas e pênaltis, cumprimentaram e tiraram fotos com os torcedores.

Confira abaixo como foi o treino do Palmeiras nesta sexta:

Verdão realiza primeiro treino no Allianz Parque com grama sintética

Departamento de Comunicação

Os jogadores do Palmeiras treinaram pela primeira vez na grama sintética do Allianz Parque nesta quarta-feira (12) (Cesar Greco/Palmeiras)

O Palmeiras fez na tarde desta quarta-feira (12) o primeiro treino no Allianz Parque com grama sintética. Com o novo piso, o Verdão poderá atuar com maior frequência no estádio mesmo com os shows e eventos feitos no local.

No estádio, o técnico Vanderlei Luxemburgo comandou atividades técnicas. Na primeira delas, uma equipe tinha de trocar passes com rapidez visando o gol, enquanto a outra tinha de roubar a bola e levá-la, com ela dominada, até o meio de campo. O time que vencia enfrentava o de fora. No fim, os atletas aprimoraram ainda finalizações.

O lateral-direito Marcos Rocha e o meio-campista Ramires fizeram tratamento no centro de excelência.

O Verdão volta a trabalhar na tarde desta quinta (13), às 16h, em movimentação aberta para a imprensa. No mesmo horário, na sala de imprensa da Academia de Futebol, a atacante Bia Zaneratto, contratada nesta quarta (12) junto ao Wuhan Xinjiyuan, da China, será apresentada.

O Alviverde enfrenta no domingo (16) o Mirassol, às 16h, no Allianz Parque, pela sexta rodada do Campeonato Paulista. O Maior Campeão do Brasil soma três vitórias, um empate e uma derrota no torneio.

Palmeiras apresenta gramado artificial do Allianz Parque: ‘Primeiro mundo’

Departamento de Comunicação
Thiago Kimori

Gramado artificial instalado no Allianz Parque (Fabio Menotti/Palmeiras)

Perto de retornar ao Allianz Parque após o período de instalação da grama artificial, o Palmeiras apresentou oficialmente o novo piso do estádio aos jornalistas, nesta quarta-feira (12), horas antes do primeiro treino do Alviverde no local. Depois de uma visita ao campo, o presidente Maurício Galiotte concedeu entrevista coletiva na sala de imprensa da arena e falou sobre a novidade.

“É uma inovação, grama artificial de primeiro mundo, com muita tecnologia e qualidade. A nossa expectativa é que sempre tenhamos um gramado adequado nos jogos do Palmeiras. Temos um grande elenco, uma grande marca e precisávamos ter um gramado compatível com a grandeza da nossa marca para ter o objetivo final, que são os títulos”, declarou o mandatário, explicando o motivo da escolha do novo gramado por parte do Verdão.

Maurício Galiotte: “É uma inovação, grama artificial de primeiro mundo, com muita tecnologia e qualidade” (Cesar Greco/Palmeiras)

“Quero informar ao torcedor que é um momento especial, um projeto que o Palmeiras já vinha trabalhando há algum tempo. Temos uma arena de primeiro mundo, e todos sabem o que consta no contrato com a nossa parceira WTorre. É uma casa que recebe shows e eventos, e nós, de forma recorrente, procuramos ter sempre um gramado de qualidade, compatível com a estrutura da arena. Encontramos muitas dificuldades ao longo desses cinco anos, por isso buscamos este projeto”, disse.

De acordo com Galiotte, a instalação do gramado artificial trata-se de um investimento para o clube. “Não tem custo maior do que prejuízo esportivo, como não ter segurança da qualidade do gramado para fazer um jogo de futebol em um momento importante de competição. Então chamamos de investimento”, afirmou o presidente palestrino.

Alessandro Oliveira, CEO da Soccer Grass, empresa responsável pelo modelo do campo sintético, comentou sobre a parceria com o Palmeiras. “O nosso compromisso é fazer o futebol ter a mesma qualidade do primeiro minuto até o fim do jogo. O grande gol foi trazer uma grama de ponta, que hoje é o que tem de melhor no mundo”, falou. “A chuva que tivemos no domingo foi a mais forte dos últimos 37 anos, e o nosso sistema de drenagem funcionou perfeitamente. Creio até que poderíamos ter um jogo naquele momento. Todo o cuidado que havia antes com a grama natural continuará igual com a grama sintética. A grande vantagem é que, logo após um show, basta tirar a proteção e a grama voltará ao normal. Não existirá mais dúvidas se a grama estará boa ou não”, completou, citando também a reforma que está acontecendo na Academia de Futebol.

“Começamos as obras na Academia antes e ficará pronto depois. Temos uma situação diferente lá. Na Academia, depois que tira o material orgânico, é terra, lama. Se chover, tudo vira lama. Estávamos com uma máquina parada por 10, 12 dias porque, se ela se movimentasse, afundaria. Ficamos quietos, esperando e já estamos em uma fase bacana. Já isolamos toda parte de lama, conseguimos compactar. Acredito que devemos finalizar o piso na semana que vem e depois mais uns 15 dias para colocar a grama”, contou.

O profissional destacou a redução de gastos com a manutenção do novo gramado. “A economia de manutenção em um sistema como esse fica por volta de 75%. Precisa escovar, muita escovação. Logicamente um detalhe ou outro também. Agora é o inverso do que era antes… Pise na grama, por favor (risos). Quanto mais jogos, teremos uma qualidade ainda melhor. Aos poucos o gramado vai criando corpo”, expôs.

Já Luis Davantel, CFO da WTorre, mostrou-se muito empolgado com o projeto. “Estamos dando mais um passo em busca da perfeição. É um projeto construído entre Palmeiras e WTorre, um projeto que sempre buscou o que tem de melhor. O mundo hoje em dia está muito dinâmico, as coisas novas estão trazendo eficiência e modernidade, conseguindo resultados melhores. Nós sempre estaremos atentos ao que acontece no mercado para trazer o que tem de melhor. Estamos muito felizes, não tem nada de melhor no mundo do que estamos colocando aqui, trouxemos o melhor e mais eficiente”, concluiu.

Palmeiras promove treino aberto do Futebol Masculino na sexta-feira 14/02

Departamento de Comunicação

Palmeiras abre treino no Allianz Parque para sócios-torcedores Avanti

Departamento de Comunicação
Thiago Kimori

O gramado artificial do Allianz Parque estreará no domingo (16), às 16h, contra o Mirassol (Fabio Menotti/Palmeiras)

Perto de seu retorno ao Allianz Parque após o período de instalação do gramado artificial, o Palmeiras realizará treinos no estádio ao longo desta semana para os jogadores palestrinos se adaptarem ao novo campo de jogo antes do encontro com o Mirassol, no domingo (16), às 16h, pelo Campeonato Paulista, em duelo que marcará a volta do time à sua casa. As primeiras impressões dos atletas do clube poderão ser acompanhadas de perto pelos associados do clube e sócios-torcedores Avanti, independentemente do plano, antes mesmo do compromisso pelo Estadual no fim de semana.

Na sexta-feira (14), às 10h, o Verdão realizará um treino no Allianz Parque com acesso dos sócios do programa que resgatarem os ingressos pelo site www.avantipalmeiras.com.br a partir de terça-feira (11), às 10h. Caso haja disponibilidade, a reserva das entradas seguirá até quinta (13), ao meio-dia. Para associados do clube, a entrada será aberta pela Portaria Allianz Parque da sede social.

Válido somente para os torcedores adimplentes, o ingresso é gratuito e será carregado automaticamente na carteirinha do sócio Avanti, sendo que, inicialmente, apenas o setor Central Oeste estará disponível aos torcedores – caso esgote, o Gol Norte também abrirá. No dia do treino, o acesso acontecerá pelo Portão B do Allianz Parque, localizado na Avenida Francisco Matarazzo.

Serviço:

>Bilheterias do Portão B do Allianz Parque
Endereço: Avenida Francisco Matarazzo, 1705
Data e horário do treino: 14 de fevereiro (sexta-feira), às 10h
*Entrada gratuita, mediante reserva pelo site www.avantipalmeiras.com.br

Departamento de Comunicação
Thiago Kimori

Os ingressos para o jogo entre Palmeiras e Mirassol, que acontecerá no domingo (16), às 16h, no Allianz Parque, pela sexta rodada do Campeonato Paulista, estão à venda para todos os torcedores por meio do site palmeiras.futebolcard.com. Este duelo marcará a estreia do gramado sintético da arena alviverde, instalado no início desta temporada.

Os sócios-torcedores palmeirenses tiveram exclusividade na compra dos ingressos via internet até quinta (13), às 10h, quando começou a comercialização para o público em geral. A venda para os sócios Avanti foi dividida de acordo com a pontuação do rating de cada associado, classificados de zero a cinco estrelas.

Nas bilheterias do Portão B do Allianz Parque (Avenida Francisco Matarazzo), os torcedores poderão comprar as entradas entre os dias 14 e 15 de fevereiro, das 10h às 17h. No dia do jogo (16), caso haja disponibilidade de ingressos, as vendas acontecerão pela internet (até o início do confronto) e nas bilheterias do Allianz Parque, das 10h até o intervalo do jogo, com exceção das localizadas no Portão A (Rua Palestra Italia), que realizarão apenas as retiradas de ingressos comprados virtualmente.

Confira todas as informações sobre venda de ingressos clicando aqui!