Libertadores 2020 - Oitavas de Final
02/12 | 19H15 | Allianz Parque

Palmeiras x Delfín-EQU: informações, estatísticas e curiosidades

Pré-jogo: Palmeiras x Delfín-EQU l CONMEBOL Libertadores (Oitavas de Final – volta)
Data e hora: 02/12/2020 (quarta-feira) l 19h15 (horário de Brasília)
Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Transmissão: Fox Sports
Desfalques por Covid-19: Renan e Marcos Rocha
Outros desfalques: Felipe Melo (cirurgia no tornozelo esquerdo), Wesley (cirurgia no joelho esquerdo), Luan Silva (cirurgia no joelho esquerdo) e Luiz Adriano (lesão no músculo anterior da coxa esquerda)
Suspensos e pendurados: não há
Escalação do último jogo: (Palmeiras 3×0 Athletico-PR, em 28/11): Weverton; Gabriel Menino, Emerson Santos, Gustavo Gómez e Matías Viña; Patrick de Paula (Luan Garcia, 29/2ºT), Danilo e Zé Rafael (Gabriel Silva, 17/2ºT), Lucas Lima (Breno Lopes, 24/2ºT), Rony (Gabriel Veron, 17/2ºT) e Gustavo Scarpa (Alan Empereur, 29/2ºT)

Dono da melhor campanha da fase de grupos da Libertadores 2020, o Palmeiras entra em campo às 19h15 desta quarta-feira (02) para encarar o Delfín-EQU, no Allianz Parque, em busca de uma vaga nas quartas de final da competição. Por ter vencido o jogo de ida por 3 a 1 (gols de Gabriel Menino, Rony e Zé Rafael), em Manta, cidade portuária localizada a cerca de 260 km da capital Quito, o Verdão pode perder por até 2 a 0 que, ainda assim, classificar-se-á para a próxima etapa da competição, pois marcou um gol fora de casa – vitória equatoriana por 3 a 1 leva o confronto para a disputa de pênaltis. Quem avançar encara na próxima fase o vencedor do duelo entre Libertad-PAR e Jorge Wilstermann-BOL (os paraguaios saíram na frente com triunfo por 3 a 1).

Único clube do continente a registrar o melhor desempenho na fase de classificação em três anos seguidos neste século, o Palmeiras repetiu em 2020 os mesmos 16 pontos registrados em 2018, com cinco vitórias e um empate, enquanto em 2019 obteve 15 pontos, com cinco triunfos e uma derrota. Na fase de grupos da atual edição, o Verdão registrou também o segundo melhor ataque entre todos os 32 participantes, com 17 gols marcados contra 21 do River Plate-ARG, e a segunda melhor defesa, com dois gols sofridos contra um do Boca Juniors-ARG.

A trajetória alviverde nesta Libertadores começou com vitórias sobre Tigre-ARG (2 a 0 na Argentina), Guaraní-PAR (3 a 1 no Allianz Parque) e Bolívar-BOL (2 a 1 na Bolívia). O Palmeiras não iniciava uma Libertadores com três vitórias consecutivas desde 1968, quando obteve cinco triunfos antes de empatar o sexto jogo – desde então, foram 17 edições e, no máximo, duas vitórias em sequência a partir da estreia. Nos confrontos seguintes da fase de classificação, empatou com o Guaraní-PAR (0 a 0 no Paraguai) e goleou Bolívar-BOL e Tigre-ARG, ambos no Allianz Parque e ambos por 5 a 0.

Os triunfos diante de bolivianos e argentinos, inclusive, passaram a dividir a terceira posição na lista das maiores goleadas do Verdão em Libertadores na história (atrás apenas do 6 a 1 sobre o Boca Juniors-ARG, em 1994, e do 7 a 0 sobre o El Nacional-EQU, em 1995) e se tornaram a maior goleada do Allianz Parque no geral, igualando os 5 a 0 aplicados sobre o Grêmio Novorizontino pelo Campeonato Paulista de 2018.

Tradicional na competição, o Palmeiras é um dos três clubes brasileiros com mais edições de Libertadores disputadas: esta é a 20ª, assim como Grêmio e São Paulo, sendo a quinta vez consecutiva, feito inédito na história alviverde. O Palmeiras ainda carrega a honra de ter sido o primeiro brasileiro a disputar uma final de Libertadores: em 1961, logo na segunda edição do torneio, quando enfrentou o Peñarol-URU na grande decisão e ficou com o vice-campeonato. O Alviverde chegou à final também em 1968, 1999 (campeão) e 2000 e alcançou a fase semifinal em 1971, 2001 e 2018.

BRASILEIRO COM MAIS GOLS NO GERAL, COMO MANDANTE E COMO VISITANTE NA HISTÓRIA DA LIBERTADORES

As goleadas sobre Bolívar-BOL e Tigre-ARG neste segundo semestre tornaram o Palmeiras o clube brasileiro com mais bolas na rede na condição de mandante na história da Libertadores, chegando a 207 gols e ultrapassando o Cruzeiro, antigo recordista com 201. Assim, o Alviverde, que também é o brasileiro com mais gols como visitante, com 143 tentos anotados fora de casa, mantém-se como o que mais balançou as redes no geral, com 350 gols, que o colocam na 7ª posição do ranking de todos os clubes*:

1º – River Plate-ARG: 595 gols em 358 jogos
2º – Peñarol-URU: 555 gols em 369 jogos
3º – Nacional-URU: 549 gols em 392 jogos
4º – Boca Juniors-ARG: 462 gols em 294 jogos
5º – Olimpia-PAR: 442 gols em 311 jogos
6º – Cerro Porteño-PAR: 401 gols em 309 jogos
7º – Palmeiras-BRA: 350 gols em 191 jogos
8º – Bolívar-BOL: 345 gols em 237 jogos
9º – Universidad Católica-CHI: 337 gols em 222 jogos
10º – Colo-Colo-CHI: 336 gols em 241 jogos
*números atualizados até o jogo de ida das oitavas de final

 >> A SEIS GOLS DO RECORDE ALVIVERDE EM UMA MESMA EDIÇÃO NO SÉCULO

Considerando as disputas de Libertadores neste século, o Verdão está a apenas seis bolas na rede de igualar sua maior quantidade de gols marcados em uma única edição: foram 26 tentos em 2001, quando a equipe chegou à semifinal da competição, contra 20 da atual edição.


SEGUNDO BRASILEIRO COM MAIS VITÓRIAS NA LIBERTADORES, A UMA DO PRIMEIRO COLOCADO

Com 104 triunfos ao longo de suas 20 participações na Libertadores, o Palmeiras é o segundo time brasileiro que mais venceu na competição, à frente do Cruzeiro, terceiro colocado com 95, e atrás apenas do Grêmio, com 105 – o próximo compromisso dos gaúchos é nesta quinta (03), contra o Guaraní-PAR, em Porto Alegre (RS).

Melhor ainda é o retrospecto com visitante. O Palmeiras é o brasileiro com mais vitórias fora de casa na história da Libertadores: são 39 triunfos longe de seus domínios, cinco a mais do que o Cruzeiro, segundo colocado com 34. Nas últimas 15 vezes em que atuou no campo do adversário pela competição, o Verdão venceu 11, empatando duas e perdendo outras duas – a série atual de sete jogos sem derrota como visitante, iniciada em abril do ano passado, é a maior do clube em todos os tempos na Libertadores.

>> A UM PASSO DE COMPLETAR 50 VITÓRIAS DE LIBERTADORES EM SEU ESTÁDIO

Como mandante, o Palmeiras figura na terceira colocação dentre os times nacionais com mais vitórias: são 65 triunfos, atrás somente dos líderes São Paulo (já eliminado) e Grêmio, ambos com 69. Especificamente em sua casa, contabilizando jogos no Estádio Palestra Italia e no Allianz Parque, o Verdão está a um triunfo de alcançar a 50ª vitória em partidas de Libertadores – hoje são 49 resultados positivos em 68 duelos, além de 13 empates e apenas seis derrotas, com 167 gols marcados e 52 sofridos.

>> A DUAS VITÓRIAS DO RECORDE ALVIVERDE EM UMA MESMA EDIÇÃO NO SÉCULO

O Palmeiras também está a duas vitórias de igualar seu recorde de triunfos numa única edição de Libertadores neste século. Atualmente, soma seis resultados positivos em sete jogos, contra oito obtidos em 12 duelos em 2018.

Números gerais do Palmeiras na Libertadores:

Retrospecto geral:
 191 jogos, 104 vitórias, 35 empates, 52 derrotas, 350 gols marcados e 205 gols sofridos
Mandante: 94 jogos, 65 vitórias, 17 empates, 12 derrotas, 207 gols marcados e 75 gols sofridos
Visitante: 96 jogos, 39 vitórias, 18 empates, 39 derrotas, 143 gols marcados e 128 gols sofridos
Neutro: 1 jogo, 1 derrota e 2 gols sofridos

Primeiro jogo: 04/05/1961 – Independiente-ARG 0x2 Palmeiras (gols de Gildo e Zequinha) – Estádio Presidente Perón (Avellaneda-ARG)
Maior série de vitórias no geral: seis, entre 07/02/1971 e 14/04/1971
Maior série de vitórias em casa: nove, entre 05/05/1999 e 06/06/2000
Maior série de vitórias fora de casa: cinco, entre 01/03/2018 e 20/09/2018

Maior série invicta no geral: dez jogos, entre 16/05/2001 e 16/03/2005
Maior série invicta em casa: 34 jogos, entre 12/04/1979 e 12/05/2005
Maior série invicta fora de casa: sete jogos, de 25/04/2019 até hoje

Maior goleada no geral e em casa: 04/05/1995 – Palmeiras 7×0 El Nacional-EQU (gols de Edmundo duas vezes, Válber duas vezes, Rivaldo duas vezes e Paulo Isidoro) – Estádio Palestra Italia (São Paulo-SP)
Maior goleada fora de casa: 25/04/2019 – Melgar-PER 0x4 Palmeiras (gols de Gustavo Gómez, Gustavo Scarpa duas vezes e Moisés) – Monumental de la Unsa (Arequipa-PER)

ATAQUE EM BOA FASE: 29 GOLS NAS ÚLTIMAS 12 PARTIDAS

O Palmeiras anotou 29 gols em seus 12 jogos mais recentes, registrando ótima média de 2,41 tentos por duelo. No total das 51 partidas do ano, em apenas dez o Verdão passou em branco no placar – desde a conquista do título paulista sobre o Corinthians, foram disputados 31 jogos (sendo 22 de Brasileiro, cinco de Libertadores e quatro de Copa do Brasil, além da decisão estadual), e a equipe só não marcou gol em quatro.

MELHOR DEFESA ENTRE TODOS OS CLUBES EM 2020

No geral da temporada, a média de 0,69 gol sofrido por partida de campeonato (34 gols em 49 jogos, sem contar torneios amistosos) coloca o Verdão na primeira posição entre os clubes com menor índice de gols sofridos no ano, superando o Grêmio, com 0,76 (39 gols em 51 jogos).

Considerando as partidas da Florida Cup, na pré-temporada, foram 34 gols sofridos em 50 jogos no total, média de 0,68 por partida, que coloca 2020 em 8º lugar no ranking dos anos com menor média de gols sofridos na história do Palmeiras, logo atrás de 1990, 7º com 0,67 – a primeira posição é do ano de 1972, com 0,54.

O Verdão tem ainda a segunda melhor defesa de 2020 como visitante, com média de 0,70 gol sofrido por jogo (17 em 24 partidas), atrás apenas do Grêmio, com 0,65 (17 em 26). Além disso, passou 45,8% dos jogos fora de casa sem sofrer gols (11 de 24) – é o segundo melhor índice entre todos os clubes, atrás novamente do Grêmio, com 57,6% (15 de 26 jogos).

MENOS DERROTAS ENTRE TODOS OS CLUBES EM 2020

Excluindo amistosos e torneios amistosos e somando todas as partidas de campeonato disputadas pelos participantes da Série A na temporada 2020, o Palmeiras é o clube com o menor número de derrotas no ano (sete) e possui também o menor percentual (14,2% – sete revezes em 49 jogos – contra 15,6% do segundo colocado Grêmio – oito em 51).

Até o tropeço diante do Botafogo, no início de outubro, o Palmeiras vinha de 20 jogos sem perder, registrando a maior invencibilidade do clube nos últimos oito anos e a terceira maior série invicta de um time a partir da estreia em uma edição de pontos corridos do Campeonato Brasileiro, com 12 partidas seguidas sem derrota, atrás apenas do Flamengo de 2011, com 15, e do Corinthians de 2017, com 19.

SEGUNDO MELHOR APROVEITAMENTO ENTRE TODOS OS CLUBES EM 2020

O Palmeiras possui o segundo melhor aproveitamento de pontos entre todos os clubes da elite do país nesta temporada: 63,3% (49 jogos de campeonato, 27 vitórias, 15 empates e sete derrotas) – em primeiro lugar, aparece o Flamengo, com 70,4% (53 jogos, 34 vitórias, dez empates e nove derrotas). Como visitante, o Verdão tem o terceiro melhor aproveitamento: 56,9% (24 jogos, 11 vitórias, oito empates e cinco derrotas) – antes, aparecem Flamengo, com 66,6% (27 jogos, 16 vitórias, seis empates e cinco derrotas), e Grêmio, com 60,2% (26 jogos, 12 vitórias, oito empates e seis derrotas).

NÚMERO DE VIRADAS EM 2020 SUPERA SOMA DE 2019 E 2018

Na atual temporada, o Palmeiras já venceu mais jogos de virada do que nas duas temporadas anteriores juntas. Até aqui, são quatro reviravoltas no placar em 2020 (2 a 1 diante do New York City-EUA, pela Florida Cup; 3 a 1 no Mirassol, pelo Paulista; 2 a 1 no Água Santa, pelo Paulista; e 2 a 1 no RB Bragantino, pelo Brasileiro), enquanto em 2019 houve apenas uma (2 a 1 diante do Goiás, na estreia de Mano Menezes, pelo Brasileiro) e em 2018 foram duas (2 a 1 sobre o Red Bull Brasil, pelo Paulista, e 3 a 1 sobre o São Paulo, pelo Brasileiro, ambas com Roger Machado).

Ao todo, a equipe alviverde saiu atrás do marcador 13 vezes neste ano e conseguiu reagir em seis: além das quatro vitórias de virada, buscou o empate com o Internacional (1 a 1) e com o Sport (2 a 2 – chegou a virar, mas sofreu novamente o empate), perdendo apenas para RB Bragantino (2 a 1) e Corinthians (1 a 0), pelo Paulista, e Botafogo (2 a 1), São Paulo (2 a 0), Coritiba (3 a 1), Fortaleza (2 a 0) e Goiás (1 a 0), pelo Brasileiro.

MAIS DE 60% DOS GOLS DO ANO MARCADOS NO SEGUNDO TEMPO

O Palmeiras de 2020 balança as redes dos adversários mais vezes no segundo tempo do que na primeira metade das partidas. Dos 83 gols do Verdão na temporada, 52 foram marcados na etapa final (62,65%), enquanto 31 (ou seja, 37,35%) foram marcados nos primeiros 45 minutos.

NÚMEROS GERAIS NA TEMPORADA 2020

J: 51
V: 28
E: 16
D: 7
GP: 83
GC: 35

NÚMEROS NO BRASILEIRO 2020
J: 22
V: 10
E: 7
D: 5
GP: 31
GC: 21

NÚMEROS NA LIBERTADORES 2020

J: 7
V: 6
E: 1
D: 0
GP: 20
GC: 3

NÚMEROS NA COPA DO BRASIL 2020
J: 4
V: 3
E: 1
D: 0
GP: 9
GC: 3

NÚMEROS NO PAULISTA 2020

J: 16
V: 8
E: 6
D: 2
GP: 21
GC: 7

NÚMEROS NA FLORIDA CUP 2020
J: 2
V: 1
E: 1
D: 0
GP: 2
GC: 1

SEGUNDO MELHOR APROVEITAMENTO COMO MANDANTE ENTRE TODOS OS CLUBES EM 2020

Ao lado do Flamengo, o Palmeiras tem o segundo melhor aproveitamento de pontos como mandante em 2020. Somando as partidas realizadas na Arena da Fonte Luminosa (Palmeiras 0x0 São Paulo, pelo Paulista), no Pacaembu (Palmeiras 4×0 Oeste, pelo Paulista) e no Morumbi (Palmeiras 2×1 Santos, pelo Brasileiro), além das que foram disputadas no Allianz Parque, são 25 jogos, 16 vitórias, sete empates e duas derrotas, com 50 gols marcados e 17 sofridos – aproveitamento de 73,3% igual ao do time carioca, que possui 25 jogos, 17 vitórias, quatro empates e quatro derrotas, enquanto o líder no quesito é o Atlético-MG, com 80% (20 jogos, 15 vitórias, três empates e duas derrotas). Palmeiras, Atlético-MG e São Paulo são também os times que menos perderam em casa nesta temporada, com duas derrotas cada.

Só no Allianz Parque, são 22 jogos, 14 vitórias, seis empates e duas derrotas, com 44 gols marcados e 16 sofridos neste ano. Venceu Mirassol (3×1 – inauguração do gramado sintético), Guarani (1×0), Água Santa (2×1), Santo André (2×0) e Ponte Preta (1×0), pelo Paulista; Guaraní-PAR (3×1), Bolívar-BOL (5×0) e Tigre-ARG (5×0), pela Libertadores; Ceará (2×1), Atlético-MG (3×0), Fluminense (2×0) e Athletico-PR (3×0), pelo Brasileiro; e Red Bull Bragantino (1×0) e Ceará (3×0), pela Copa do Brasil; empatou com Ferroviária (1×1) e Corinthians (1×1), pelo Paulista; e Goiás (1×1), Internacional (1×1), Sport (2×2) e Flamengo (1×1), pelo Brasileiro; os únicos reveses aconteceram diante do São Paulo (0x2) e do Coritiba (1×3), ambos pelo Brasileiro – aproveitamento de 72,7% na arena.

Em 2019, o Verdão registrou sua melhor temporada no Allianz Parque: 26 jogos, 18 vitórias, cinco empates e apenas três derrotas (com 42 gols marcados e 12 sofridos), aproveitamento de 76% contra 75% de 2017, 73% de 2016, 71% de 2015 e 2018 e 17% de 2014. Foi ainda o ano com maior índice de vitórias (69%, ao lado de 2016 – em 2020, são 63,6%), o menor percentual de derrotas (12%, contra 14% de 2017 – em 2020, é 9,0%) e a menor média de gols sofridos (0,46, seguido de 2016, com 0,66 – em 2020, é 0,72).

– Retrospecto do Palmeiras no Allianz Parque: 173 jogos, 114 vitórias, 33 empates, 26 derrotas, 321 gols marcados e 130 gols sofridos
Amistosos: 3 jogos – 2 vitórias, 1 empate e nenhuma derrota (7 gols marcados e 4 gols sofridos)
Campeonato Brasileiro: 90 jogos – 55 vitórias, 19 empates e 16 derrotas (162 gols marcados e 77 gols sofridos)
Campeonato Paulista: 44 jogos – 29 vitórias, 6 empates e 7 derrotas (73 gols marcados e 26 gols sofridos)
Copa do Brasil: 16 jogos – 11 vitórias, 4 empates e 1 derrota (30 gols marcados e 12 gols sofridos)
Libertadores: 20 jogos – 16 vitórias, 2 empates e 2 derrotas (46 gols marcados e 10 gols sofridos)

– Primeiro jogo: 19/11/2014 – Palmeiras 0x2 Sport-PE – Campeonato Brasileiro
– Último jogo: 28/11/2020 – Palmeiras 3×0 Athletico-PR (gols de Patrick de Paula e Rony duas vezes) – Campeonato Brasileiro
Na ocasião, o técnico Abel Ferreira mandou a campo Weverton; Gabriel Menino, Emerson Santos, Gustavo Gómez e Matías Viña; Patrick de Paula (Luan Garcia, 29/2ºT), Danilo e Zé Rafael (Gabriel Silva, 17/2ºT), Lucas Lima (Breno Lopes, 24/2ºT), Rony (Gabriel Veron, 17/2ºT) e Gustavo Scarpa (Alan Empereur, 29/2ºT)
– Maior série invicta: 28 jogos (21 vitórias e sete empates), entre 07/08/2016 e 28/06/2017
– Maior sequência de vitórias: oito jogos (três vezes: entre 11/02/2015 e 26/04/2015, entre 14/04/2016 e 30/06/2016 e entre 10/04/2019 e 10/07/2019)
– Maior série sem sofrer gols: 11 jogos (entre 12/03/2019 e 10/07/2019)
– Adversário mais frequente: São Paulo (10 jogos)
– Maiores vítimas: São Paulo (8 vitórias, 1 empate e 1 derrota em 10 jogos) e Fluminense (7 vitórias em 7 jogos)
– Maiores goleadas: 5 a 0, três vezes: 21/03/2018 – Palmeiras 5×0 Novorizontino (gols de Bruno Henrique, Keno, Willian, Dudu e Papagaio) – Campeonato Paulista; 30/09/2020 – Palmeiras 5×0 Bolívar-BOL (gols de Willian, Wesley, Matías Viña, Raphael Veiga e Rony) –Libertadores; e 21/10/2020 – Palmeiras 5×0 Tigre-ARG (gols de Raphael Veiga, Gustavo Gómez, Zé Rafael, Gabriel Veron e Rony) – Libertadores

– Gol mais cedo:
 Moisés (dia 22/07/2018, aos 2min, Palmeiras 3×2 Atlético-MG, pelo Brasileiro)
– Gol mais tardio: Fabiano (dia 12/04/2017, aos 99min, Palmeiras 3×2 Peñarol-URU, pela Libertadores)
– Placar mais frequente: 1×0 para o Palmeiras (27 vezes)
– Maior público: 41.256 pessoas, dia 02/12/2018, pela última rodada do Campeonato Brasileiro.
– Jogador que mais atuou: Dudu (127 jogos)
– Jogador que mais atuou do atual elenco: Willian (79 jogos, atrás apenas de Fernando Prass, com 86, e Dudu)
– Jogador que mais fez gols: Dudu (33 gols)
– Jogador que mais fez gols do atual elenco: Willian (19 gols, ao lado de Borja e atrás só de Dudu)
– Jogador que mais deu assistência: Dudu (35 assistências)
– Jogador que mais deu assistência do atual elenco: Marcos Rocha (10 – 2º no geral ao lado de Robinho e Róger Guedes; Willian e Lucas Lima vêm na sequência, em 5º, com nove)
– Treinador que mais comandou: Cuca (35 jogos)

– Retrospecto do Palmeiras no Parque Antarctica/Palestra Italia/Allianz Parque: 1743 jogos, 1179 vitórias, 350 empates, 214 derrotas, 4014 gols marcados e 1615 gols sofridos

PALMEIRAS TEM 100% DE APROVEITAMENTO CONTRA EQUATORIANOS EM CASA

Mesmo tendo enfrentado o Delfín-EQU uma única vez em sua história (justamente no jogo de ida, quando venceu por 3 a 1, no Equador), o Palmeiras registra 17 partidas diante de times equatorianos, com 11 vitórias, dois empates e quatro derrotas, além de 41 gols marcados e 17 sofridos – em Libertadores, são 11 jogos, com sete vitórias, quatro derrotas, 25 gols marcados e 12 sofridos.

Além disso, o Palmeiras nunca perdeu para times equatorianos como mandante, tendo 100% de aproveitamento, com cinco vitórias nos cinco jogos disputados por qualquer competição: foram 16 gols marcados e cinco sofridos contra Emelec, El Nacional, LDU e Barcelona de Guayaquil (todos os jogos foram no Palestra Italia/Allianz Parque).

JOGO DE NÚMERO 499 CONTRA ADVERSÁRIOS ESTRANGEIROS NA HISTÓRIA

O duelo com o Delfín-EQU, nesta quarta-feira (02), será o jogo de número 499 do Palmeiras contra um adversário estrangeiro em todos os tempos, deixando o Alviverde muito próximo de chegar à expressiva marca de 500 jogos internacionais em sua história. O primeiro duelo foi contra a seleção paraguaia, em 1922, com vitória palestrina por 4 a 1. Desde então, o retrospecto aponta 292 vitórias, 107 empates, 99 derrotas, 1019 gols marcados e 534 sofridos contra adversários de mais de 30 nacionalidades diferentes, de todos os continentes.

>> 14 JOGOS INVICTOS CONTRA TIMES DE OUTROS PAÍSES

O Palmeiras não perde para um adversário de fora do Brasil desde 02/04/2019, quando foi derrotado pelo San Lorenzo-ARG por 1 a 0, fora de casa, pela fase de grupos da Libertadores. Desde então, são 11 vitórias e três empates em 14 jogos, entre Libertadores (12, com dez vitórias e dois empates) e Florida Cup (dois, com uma vitória e um empate), sendo 36 gols marcados e seis sofridos contra os seguintes clubes: Bolívar-BOL (duas vezes), Club Guaraní-PAR (duas vezes), Delfín-EQU, Godoy Cruz-ARG (duas vezes), Júnior Barranquilla-COL, Melgar-PER, Nacional de Medellín-COL, New York City-EUA, San Lorenzo de Almagro-ARG e Tigre-ARG (duas vezes).

ABEL FERREIRA: TERCEIRO ESTRANGEIRO A COMANDAR O PALMEIRAS NA LIBERTADORES

Com quase um mês da estreia pelo Palmeiras, em 05/11/2020, a comissão técnica chefiada por Abel Ferreira ostenta um ótimo retrospecto em seu início no futebol brasileiro: oito jogos, seis vitórias, um empate e uma derrota, aproveitamento de 79,1% – o 2 a 2 com o Ceará pela Copa do Brasil teve o time dirigido pelo auxiliar Vítor Castenheira, pois o treinador estava suspenso.

Esta é a terceira vez que o Palmeiras tem um técnico estrangeiro na principal competição do continente – o primeiro foi o argentino Armando Renganeschi, que em 1961, logo na primeira participação do clube na Libertadores, conduziu o time à final; o segundo foi o também argentino Alfredo González, ex-jogador alviverde nos anos 40, que em 1968 levou a equipe ao segundo vice-campeonato consecutivo (González, assim como Abel, passou a comandar a equipe no decorrer do campeonato, enquanto Renganeschi ocupou o cargo durante todos os jogos da campanha).

Abel é o primeiro português, o oitavo europeu e o 23º estrangeiro a assumir o comando do Maior Campeão do Brasil na história. O último treinador alviverde nascido na Europa tinha sido o italiano Caetano De Domenico, que conquistou o Campeonato Paulista de 1940 e permaneceu no Palestra Italia até 1941, portanto ainda antes da mudança do nome do clube, em 1942 (o penúltimo, o húngaro Eugênio Medgyessy, também sagrou-se campeão, no estadual de 1932). Já o mais recente comandante de fora do país era o argentino Ricardo Gareca, em 2014.

O primeiro técnico estrangeiro foi o italiano Adriano Merlo, que trabalhou em um jogo da campanha do título paulista de 1920, o primeiro da história alviverde, e conduziu a equipe ao bi estadual em 1926, em parceria com Ítalo Bosetti. Ainda na época do Palestra Italia, o uruguaio Humberto Cabelli ficou marcado pela conquista do único tricampeonato paulista do clube (alcançou o título invicto em 1932, levou a taça pela segunda vez seguida em 1933 e deixou o time por um breve período em 1934, mas voltou no mesmo ano e se sagrou campeão com apenas uma derrota).

Presente no tricampeonato paulista de 1932, 1933 e 1934 como jogador, o também uruguaio Ventura Cambon se tornou o treinador estrangeiro com mais partidas disputadas pelo Verdão (é o quarto no geral com 294 jogos) e o técnico que mais vezes assumiu o comando da equipe, de maneira interina ou efetiva, independentemente da nacionalidade, em todos os tempos (15 no total). Campeão paulista em 1944 dividindo o cargo com o ídolo Bianco, Cambon teve seu melhor momento no início da década de 50, quando, já em janeiro de 1951, pegou o time na reta final de um Paulistão praticamente nas mãos do São Paulo e conseguiu levar o Palmeiras ao título estadual de 1950. Meses depois, era ele o treinador na conquista do mais importante troféu da história do clube, o Mundial Interclubes de 1951, e faturou ainda o Torneio Rio-São Paulo daquele ano.

Outro estrangeiro de sucesso foi o argentino Filpo Nuñez, grande maestro da Academia de Futebol do Palmeiras, que brilhou na campanha vitoriosa do Rio-São Paulo de 1965. Além de praticar um jogo coletivo e envolvente, o time alviverde era uma máquina ofensiva: foram 12 vitórias em 16 jogos, apenas uma derrota, e uma média de três gols por partida (49 bolas na rede), com direito a goleadas de 7 a 1 no Santos, 5 a 0 no São Paulo e 4 a 1 no Vasco e no Flamengo. Filpo ostenta até hoje o feito de ser o único técnico nascido fora do país a comandar a Seleção Brasileira, quando o Brasil foi inteiramente representado pelo Palmeiras na partida inaugural do Estádio Mineirão, também em 1965, e venceu a seleção do Uruguai por 3 a 0.

#CRIASDAACADEMIA: 2020 É O ANO DE MAIOR UTILIZAÇÃO DE ESTREANTES DA BASE NO SÉCULO

Além dos 27 jogadores que compõem o elenco profissional atualmente, dois jovens do Sub-20 também vêm sendo aproveitados com frequência: o zagueiro Renanque foi relacionado para 19 dos 23 jogos mais recentes e atuou em seis (cinco como titular), e o atacante Gabriel Silva, relacionado para 26 dos últimos 37 jogos e presente em campo em seis, inclusive no triunfo do último sábado (28) sobre o Athletico-PR por 3 a 0, no Allianz Parque, pelo Brasileiro.

Ao todo, considerando também os atletas que estão efetivados no plantel principal, 11 Crias da Academia estrearam pelo Palmeiras em 2020. Na ordem, foram a campo Patrick de Paula, Gabriel Menino, Wesley, Alan, Angulo (emprestado ao Botafogo), Gabriel Silva, Danilo, Renan, Aníbal, Marcelinho e Fabrício. Juntos, eles somam 136 jogos e fazem desta a temporada em que o Palmeiras mais colocou jovens estreantes da base para atuar no século, superando as 103 partidas de também 11 partas da casa debutantes em 2010.

Diante do Coritiba, em outubro, pelo Campeonato Brasileiro, cinco Crias da Academia foram escaladas no time titular: Renan, Esteves, Patrick de Paula, Gabriel Menino e Gabriel Veron – isso não acontecia desde 2015. Já contra o Delfín-EQU, na partida de ida das oitavas de final da Libertadores, os 11 suplentes eram oriundos do Centro de Formação de Atletas do Verdão, feito inédito na história do clube.

Durante o mês de novembro, dez Crias da Academia foram relacionadas pela primeira vez: os goleiros Mateus e Leandro, o zagueiro Helder, o lateral-esquerdo Vanderlan, os meio-campistas Quiñonez e Juninho e os atacantes Marino, Aníbal, Pedro Acácio e Fabricio. Eles se juntaram ao meio-campista Vitinho e ao atacante Marcelinho, que já haviam sido convocados ao longo do ano, além de Renan e Gabriel Silva, somando 14 no total.

>> Gabriel Silva:
 o atacante de 18 anos chegou ao clube aos 13, em 2015, e tem no currículo dois títulos do Mundial de Clubes Sub-17 – nas duas finais, aliás, ele deixou sua marca: primeiro na vitória por 4 a 2 sobre o Real Madrid na decisão de 2018, na Espanha, e depois na vitória por 2 a 1 sobre o Leganés-ESP em 2019, também na Espanha. Campeão paulista Sub-15, Sub-17, Sub-20 e Profissional pelo Verdão, marcou 40 gols em 46 jogos atuando pelo Sub-17 e pelo Sub-20 em 2019 e se destacou também por balançar as redes em todas as finais nacionais que disputou na temporada passada: Paulista Sub-17 (vice-campeão), Copa do Brasil Sub-17 (campeão), Supercopa do Brasil Sub-17 (campeão), Paulista Sub-20 (campeão), Brasileiro Sub-20 (vice-campeão) e Supercopa do Brasil Sub-20 (vice-campeão). Neste ano, tem seis gols em sete jogos entre Brasileiro Sub-20 e Copa do Brasil Sub-20.

>> Renan: o jovem de 18 anos conquistou importantes títulos pela base do Palmeiras e da Seleção Brasileira desde o Sub-15 – entre eles, o bicampeonato paulista sub-15 (2016 e 2017), o Campeonato Paulista Sub-17 (2018), a Copa do Brasil Sub-17 (2019), a Supercopa do Brasil Sub-17 (2019) e o bicampeonato do Mundial de Clubes Sub-17 (2018 e 2019), pelo Verdão, além da Copa do Mundo Sub-17 em 2019, pelo Brasil. Ele chegou ao Palmeiras em 2015, aos 13 anos de idade, começou a jogar de lateral-esquerdo no início de 2019 por decisão do técnico Artur Itiro e agradou. Ganhou a polivalência como uma de suas características.

Números individuais na temporada:

– Mais jogos no geral: Willian (197); Felipe Melo (170); Lucas Lima (145); Weverton (135); Marcos Rocha (127); Luan (111)
– Mais jogos em 2020: Willian (48); Zé Rafael e Weverton (46); Luiz Adriano, Gabriel Menino e Gustavo Gómez (40); Ramires (39); Lucas Lima (38)
– Mais jogos no Brasileiro 2020: Willian (20); Zé Rafael, Weverton, Patrick de Paula, Gabriel Menino (18)
– Mais jogos na Libertadores 2020: Weverton, Gustavo Gómez e Ramires (7)
– Mais jogos na Copa do Brasil 2020: Raphael Veiga, Willian e Zé Rafael (4)

– Mais gols no geral: Willian (52); Luiz Adriano (22); Gustavo Scarpa (21); Raphael Veiga (20); Felipe Melo e Zé Rafael (12); Lucas Lima e Gustavo Gómez (10)
– Mais gols em 2020: Luiz Adriano (15); Willian (14); Raphael Veiga (13); Gabriel Veron e Rony (6); Zé Rafael (5); Patrick de Paula e Wesley (4); Gustavo Gómez (3); Gabriel Menino (2); Marcos Rocha, Lucas Lima, Gustavo Scarpa e Dudu (2); Ramires, Felipe Melo e Viña (1)
– Mais gols no Brasileiro 2020: Luiz Adriano (7); Raphael Veiga (6); Willian (4); Gabriel Veron, Rony e Patrick de Paula (3); Zé Rafael e Wesley (2); Gustavo Gómez (1)
– Mais gols na Libertadores 2020: Luiz Adriano (4); Rony e Willian (3); Raphael Veiga, Zé Rafael e Gabriel Menino (2); Viña, Wesley, Gustavo Gómez e Gabriel Veron (1)
– Mais gols na Copa do Brasil 2020: Raphael Veiga (4); Gabriel Veron (2); Gustavo Scarpa, Wesley e Luiz Adriano (1)

– Mais assistências no geral: Willian e Lucas Lima (20); Marcos Rocha (18); Gustavo Scarpa (11)
– Mais assistências em 2020: Gabriel Menino (8); Viña (7); Wesley, Rony e Zé Rafael (6); Willian e Lucas Lima (4); Marcos Rocha, Luiz Adriano, Gabriel Veron e Dudu (3); Gustavo Scarpa (2); Bruno Henrique, Gustavo Gómez, Patrick de Paula e Felipe Melo (1)
– Mais assistências no Brasileiro 2020: Gabriel Menino (5); Luiz Adriano, Viña, Zé Rafael, Willian, Gustavo Scarpa e Wesley (2); Gustavo Gómez, Gabriel Veron, Lucas Lima e Patrick de Paula (1)
– Mais assistências na Libertadores 2020: Rony (6); Wesley e Viña (3); Dudu (2); Willian e Gabriel Menino (1)
– Mais assistências na Copa do Brasil 2020: Zé Rafael (2); Viña, Lucas Lima, Gabriel Veron e Felipe Melo (1)

– Mais vezes capitão do time em 2020: Felipe Melo (29); Gustavo Gómez (7); Weverton (6); Willian (5); Luiz Adriano e Bruno Henrique (2)
– Último hat-trick: Luiz Adriano (10/03/2020 – Palmeiras 3×1 Guaraní-PAR – Allianz Parque, em São Paulo-SP – Libertadores)
– Último gol de falta: Moisés (22/05/2019 – Sampaio Corrêa-MA 0x1 Palmeiras – Estádio Castelão, em São Luiz-MA – Copa do Brasil)
– Último gol de pênalti em tempo regulamentar: Rony (25/11/2020 – Delfín 1×3 Palmeiras – Estádio Jocay, em Manta-Equador – Libertadores)
– Último gol de pênalti em disputa de penais: Patrick de Paula (08/08/2020 – Palmeiras 1 (4)x(3) 1 Corinthians – Allianz Parque, em São Paulo-SP – Campeonato Paulista)
– Última defesa de pênalti em tempo regulamentar: Weverton (02/11/2019 – Palmeiras 1×0 Ceará – Allianz Parque, em São Paulo-SP – Campeonato Brasileiro)
– Última defesa de pênalti em disputa de penais: Weverton (08/08/2020 – Palmeiras 1 (4)x(3) 1 Corinthians – Allianz Parque, em São Paulo-SP – Campeonato Paulista)

WILLIAN: TOP 10 DE JOGOS E VITÓRIAS NO SÉCULO E JOGADOR MAIS ASSÍDUO EM 2020

Willian é o jogador do Palmeiras que em mais jogos esteve presente em campo na atual temporada: atuou em 48 dos 51 possíveis – ficou de fora dos três últimos duelos após ter contraído o novo coronavírus. Ele é o vice-artilheiro do Palmeiras no ano (14 gols, atrás só de Luiz Adriano, com 15 – e com esse número ambos superaram os tentos de Dudu e Gustavo Scarpa em 2019, artilheiros do time no ano passado, com 13 gols; Willian está a seis do goleador de 2018, Borja), é o terceiro artilheiro do time no Campeonato Brasileiro (quatro, atrás de Raphael Veiga, com seis, e de Luiz Adriano, com sete) e o líder em participações diretas nos gols da temporada (18, somando-se 14 bolas na rede e quatro assistências, ao lado de Luiz Adriano, também com 18 – 15 gols e três passes).

Segundo maior artilheiro do Verdão na era dos pontos corridos com 25 bolas na rede (atrás apenas de Dudu, com 41) e a apenas duas de entrar para o top 10 dos que mais marcaram gols pelo clube em Brasileiro em todos os tempos, o atacante é o terceiro maior goleador do Palmeiras neste século com 52 tentos (atrás somente de Vágner Love, com 54, e Dudu, com 70) e aparece na 53ª posição da lista dos maiores artilheiros da história alviverde, ao lado de Ivan Palmeira, Lula, Rolando e Villadoniga.

Jogador do atual elenco com mais partidas (197, seguido por Felipe Melo, com 170), gols (52, seguido por Luiz Adriano, com 22) e assistências (20, ao lado de Lucas Lima), Willian é o 80º no ranking dos atletas com mais jogos na história do clube e o 6º entre os que têm mais vitórias neste século, com 107 triunfos– completam o ranking: Márcio Araújo (5º, com 118), Valdivia (4º, com 122), Fernando Prass (3º, com 151), Dudu (2º colocado, com 174) e Marcos (líder com 182 vitórias).

As 197 partidas de Willian, inclusive, o colocam também no top 10 de palmeirenses com mais partidas neste século, na 9ª colocação, de forma isolada (Maurício Ramos é o 10º, com 193 jogos). completam o ranking: o volante Pierre (8º, com 199), o volante e lateral Wendel (7º, com 203), o meio-campista Corrêa (6º, com 209), o meia Valdivia (5º, com 241), o volante Márcio Araújo (4º, com 252), o goleiro Fernando Prass (3º, com 274), o atacante Dudu (2º, com 305) e o goleiro Marcos (líder no quesito, com 392).

Contra o Tigre-ARG, na mais recente partida em que atuou pela competição continental, ele subiu de posto no top 10 de jogadores com mais jogos pela Libertadores, dividindo a 8ª posição com o lateral e meio-campista Rogério, ambos com 27, e à frente do volante Bruno Henrique e do zagueiro Cléber, empatados em 10º com 26 – completam o ranking os meio-campistas Ademir da Guia e Dudu (empatados em 6º, com 29 jogos), o volante Cesar Sampaio (5º, com 30 jogos), atacante Dudu (4º, com 34 jogos), o volante Galeano (3º, com 38 jogos), o meia Alex (2º, com 39 jogos) e o goleiro Marcos (líder da lista, com 57 jogos).

Na Libertadores 2020, aliás, Willian marcou três vezes: na estreia do Verdão na atual edição, contra o Tigre-ARG, diante do Bolívar-BOL, na terceira rodada e, novamente, ante a equipe boliviana, desta vez no jogo de volta da primeira fase, na quinta rodada. Com esses três gols no mais importante torneio das Américas, aliás, é um dos vice-artilheiros do Palmeiras na atual edição, ao lado de Rony – ambos estão atrás só de Luiz Adriano, que fez quatro gols no torneio até aqui.

No Allianz Parque, Willian é o vice-artilheiro com 19 gols (ao lado de Borja e atrás apenas de Dudu, com 33), o terceiro em jogos (79, a frente de Vitor Hugo, com 75, e de Felipe Melo, com 74, e atrás apenas de Fernando Prass, com 86, e Dudu, com 127) e o quinto em assistências (nove, ao lado de Lucas Lima e uma a menos que Marcos Rocha, Robinho e Róger Guedes, com dez – todos atrás de Dudu, com 35).

RONY: GARÇOM GERAL DA LIBERTADORES 2020 E TOP 3 DE DRIBLES E FINALIZAÇÕES A GOL NA TEMPORADA

Autor de três gols nos últimos dois jogos do Verdão (um na vitória por 3 a 1 sobre o próprio Delfín-EQU no jogo de ida da Libertadores) e outros dois no duelos mais recente do time, no último sábado (28), no triunfo sobre o Athletico-PR por 3 a 0, Rony também balançou as redes nos últimos três compromissos do time pelo torneio continental: além do gol sobre o Delfín, marcou uma vez em cada um dos dois anteriores (sobre o Bolívar-BOL, fora de casa, em 30/09, e diante do Tigre-ARG, em casa, em 21/10, ambos vencidos por 5 a 0). Rony, aliás, na partida diante do Delfín, participou de todos os gols do jogo: além do tento que anotou, de pênalti, concedeu as assistências para as outras duas bolas na rede (de Gabriel Menino, primeiro do jogo, e Zé Rafael, o terceiro). Com esses três gols no torneio latino, aliás, é um dos vice-artilheiros do Palmeiras na atual edição, ao lado de Willian Bigode – ambos estão atrás só de Luiz Adriano, que fez quatro gols no torneio até aqui.

Com as duas assistências no último jogo pela Libertadores, aliás, ampliou ainda mais o seu saldo como garçom máximo da edição 2020, dentre todos os clubes, passando a acumular seis assistências e é também sendo o líder isolado em participação em gols no torneio sul-americano com nove ações (três tentos e seis assistências), à frente de Álvarez, do River Plate-ARG, com sete.

E como as seis assistências de Rony pela Libertadores são todas que possui na temporada atual, ele ocupa hoje a terceira posição dentre os principais garçons do Verdão no ano, ao lado de Zé Rafael, e atrás de Viña (com sete) e Gabriel Menino (líder no quesito, com oito passes).

Além disso, com seis bolas na rede do ano (duas no duelo mais recente), Rony passou a ser o quatro principal artilheiro do Alviverde em 2020, ao lado de Gabriel Veron, e atrás de Raphael Veiga (13), Willian (14) e Luiz Adriano (15).

Rony é ainda o terceiro atleta que mais acerta a meta adversária com 29 finalizações certas, atrás de Luiz Adriano (32) e Willian (33) e o terceiro que mais dribla, com 24 fintas completas, atrás só de Wesley (27) e Zé Rafael (33). Desde que estreou, em fevereiro, pelo Campeonato Paulista, ele participou de 34 dos últimos 42 jogos, sendo 26 como titular e oito acionado do banco de reservas.

GABRIEL VERON: PALMEIRENSE MAIS JOVEM A FAZER GOL NA HISTÓRIA DO BRASILEIRO, DA LIBERTADORES E DA COPA DO BRASIL

Promovido ao elenco profissional no final da temporada passada, Gabriel Veron já está marcado na história do clube como o palmeirense mais jovem a fazer gol em Campeonato Brasileiro, em Copa Libertadores e Copa do Brasil.

No Brasileiro, na goleada por 5 a 1 sobre o Goiás em 05/12/2019 (sua segunda partida pelo time principal do Verdão – a primeira havia sido diante do Fluminense, duas rodadas antes), o feito o tornou também o segundo atleta mais jovem a balançar as redes pelo Palmeiras em todos os tempos, com 17 anos, três meses e dois dias. O atacante fez dois gols e desbancou Mazzola, que marcou (também duas vezes) com 17 anos, seis meses e cinco dias em um amistoso em 29/01/1956 vencido contra o Catanduva – o recorde segue sendo de Juliano, que em 19/08/1998 balançou as redes do Nacional-URU, pela Copa Mercosul, com 16 anos, 11 meses e 23 dias.

Já na competição continental, alcançou o recorde no dia 21/10/2020, ao fazer o quarto gol na vitória por 5 a 0 sobre o Tigre-ARG com 18 anos, um mês e 19 dias, superando também Gabriel Jesus, que tinha 18 anos,10 meses e 13 dias quando foi às redes no empate por 2 a 2 diante do River Plate-URU, em 16/02/2016. E na Copa do Brasil, alcançou o recorde na partida do último dia 5, ao balançar as redes na vitória sobre o Red Bull Bragantino por 1 a 0 aos 18 anos, 2 meses, e 3 dias, superando Gabriel Jesus, que havia marcado aos 18 anos, 3 meses, e 13 dias, em 15/07/2015, quando fez o único gol do Verdão na vitória por 1 a 0 sobre o ASA-AL.

Com seis bolas na rede no ano, assim como Rony, ele ocupa a quarta posição da lista de artilheiros do time, atrás apenas de Raphael Veiga (13), Willian (14) e Luiz Adriano (15) – três dos gols foram no Campeonato Brasileiro, outros dois pela Copa do Brasil e mais um na Libertadores.

O atacante perdeu as 12 primeiras partidas do Palmeiras neste segundo semestre devido a uma lesão na coxa direita, e voltou contra o Bragantino, na vitória por 2 a 1 em Bragança, pelo Brasileiro, em 02/09, saindo do banco de reservas. Depois disso, engatou mais seis partidas: as quatro primeiras saindo do banco e as duas últimas como titular (contra o Guaraní-PAR e Flamengo, em 23/09 e 27/09, respectivamente). Após essa sequência, ficou duas partidas fora por entorse no tornozelo (contra Bolívar-BOL e Ceará).

Após as duas partidas fora por lesão, engatou outra sequência, desta vez de cinco duelos: Botafogo fora (reserva), São Paulo em casa (reserva), Coritiba em casa (titular e marcou gol), Fortaleza fora (reserva) e Tigre-Argentina em casa (titular e marcou gol), mas tornou a ficar por outras duas partidas de fora, desta vez por estar integrando a Seleção Brasileira Sub-20, assim como o companheiro Danilo, volante. Desde o seu retorno do time canarinho atuou em quatro jogos (vitórias sobre o Atlético-MG fora, Bragantino, em casa, pela Copa do Brasil – marcando o único gol da partida –, Vasco, fora, pelo Brasileiro, Ceará, em casa, pela Copa do Brasil, e Fluminense, em casa, pelo Brasileiro, sendo titular nestes três últimos e marcando diante do Vozão).

Após o duelo contra o Flu, Veron contraiu o novo coronavírus e ficou de fora da equipe por três partidas até voltar a figurar no último sábado (28), no triunfo sobre o Athletico-PR por 3 a 0, no Allianz Parque, pelo Brasileiro – entrou aos 17 minutos do segundo tempo no lugar de Rony. Curiosamente, o jogador vem de uma sequência de sete vitórias pelo Verdão, pois um dos três jogos em que ficou de fora devido à covid-19 foi justamente o tropeço do Verdão após série invicta do time que já era de nove duelos (diante do Goiás, em 21/11, fora de casa).

Natural de Assú-RN, Veron está no Palmeiras desde o Sub-15 e soma títulos por todas as categorias de base – inclusive, foi campeão paulista Sub-15, Sub-17, Sub-20 e Profissional pelo Verdão. Em 2018, foi também campeão mundial interclubes Sub-17 pelo Palmeiras, marcando gol na vitória por 4 a 2 sobre o Real Madrid na decisão e terminando a competição como o artilheiro e eleito o melhor jogador. Em 2019, sagrou-se bicampeão mundial com a vitória por 2 a 1 sobre o Leganés-ESP, além de campeão das Copas do Brasil Sub-17 e Sub-20. Com a Seleção Brasileira, conquistou a Copa do Mundo Sub-17 em 2019 e, mais uma vez, levou o prêmio de melhor jogador para casa.

LUCAS LIMA: 100 JOGOS RECÉM-COMPLETADOS COMO TITULAR E LÍDER EM ASSISTÊNCIAS PARA FINALIZAÇÃO

Justamente no duelo de ida contra o Delfín-EQU, Lucas Lima chegou à sua 100ª partida como titular (hoje são 101). Incluindo os jogos em que foi acionado do banco de reservas, o meia soma 145 jogos pelo Palmeiras desde que chegou ao clube, em 2018 (foram 64 partidas e sete gols em sua temporada de estreia, 44 jogos e um tento no ano passado e 38 duelos e duas bolas na rede em 2020). Vale lembrar que o camisa 20 foi titular nos últimos seis jogos do Verdão: Ceará (11/11), Fluminense (14/11), novamente o Ceará (18/11), Goiás (21/11), Delfín-EQU (25/11) e Athletico-PR (28/11).

O jogador vem fazendo boas exibições em seus últimos duelos pelo Palmeiras: na partida mais recente, Lucas Lima concedeu o passe para o primeiro gol do triunfo sobre o Athletico-PR por 3 a 0, no Allianz Parque, pelo Brasileiro, no último sábado (28) – marcado por Patrick de Paula e, com isso, chegou a 20 assistências no total desde que chegou ao Palmeiras em 2018. Com isso, Lucas Lima passou a ser o líder de passes a gol do atual elenco, ao lado de Willian Bigode, com as mesmas 20 assistências.

Um jogo antes, contra o próprio Delfín-EQU, na quarta-feira passada (vitória por 3 a 1 fora de casa), Lucas também teve papel imprescindível no resultado favorável. Foi dele que originou-se o lance do pênalti que ocasionou o segundo gol do Verdão no duelo com os equatorianos (convertido por Rony) – na ocasião, o meia chutou de perto da entrada da grande área e a bola foi desviada pela zaga com o braço. Este não foi o único penal que o atleta favoreceu o Palmeiras nos tempos recentes: em outros dois compromissos, estes pelo Brasileiro (diante do Vasco, em 08/11, e contra o Fluminense, em 14/11), ele sofreu ambas as penalidades: diante do time cruz-matino, a infração valeu o gol da vitória, marcado por Luiz Adriano no rebote após defesa do goleiro Fernando Miguel e, diante do Tricolor Carioca, o tiro foi cobrado por Raphael Veiga e abriu caminho para o triunfo por 2 a 0 sobre o time das laranjeiras.

O camisa 20 segue sendo o líder em passes para finalização nesta temporada – desde o começo do ano, proporcionou 53 chutes a gol dos seus companheiros, seguido de Marcos Rocha e Gabriel Menino, ambos com 42 (números do Footstats que não incluem os passes que resultaram em bola na rede). É também o quinto colocado na lista dos maiores garçons do Allianz Parque (ao lado de Willian com nove assistências, uma a menos que Marcos Rocha, Robinho e Róger Guedes, vice-líderes, todos atrás de Dudu, com 35).

RAPHAEL VEIGA: TEMPORADA MAIS ARTILHEIRA DA CARREIRA, DOIS GOLS NOS ÚLTIMOS DOIS JOGOS PELA LIBERTADORES E CINCO GOLS NOS ÚLTIMOS TRÊS DISPUTADOS

Raphael Veiga somou duas bolas na rede em suas duas partidas mais recentes disputadas na Libertadores de 2020: goleadas por 5 a 0 diante do Bolívar-BOL e Tigre-ARG. Antes de contrair o novo coronavírus e ter ficado de fora dos últimos três compromissos alviverdes (revés para o Goiás fora de casa pelo Brasileiro e triunfos sobre Delfín-EQU e Athletico-PR, pela Libertadores e Brasileiro, respectivamente), Veiga vinha em uma crescente nas suas partidas mais recentes, pois, em seus últimos três jogos disputados havia balançado as redes adversárias cinco vezes! Foi um gol diante do Ceará, no jogo de ida pela Copa do Brasil (3 a 0 em casa, em 11/11), dois diante do Fluminense pelo Brasileiro (2 a 0 também em casa, em 14/11) e outros dois no duelo de volta frente o Ceará pela Copa do Brasil (2 a 2 e vaga garantida às semifinais, em 18/11).

Ao todo, neste ano, Raphael Veiga soma 13 bolas na rede na temporada e, com isso, superou os nove gols que acumulou em 2018 pelo Athletico-PR e fez de 2020 a temporada mais artilheira de sua carreira.

Profissionalizado no futebol em 2016, pelo Coritiba, marcou três gols em 24 jogos em sua primeira temporada no Coxa. Em 2017, seu primeiro ano no Palmeiras, fez dois gols em 22 partidas (à época, muitos meio-campistas experientes não possibilitaram que o jogador tivesse sequência). Emprestado ao Athletico-PR em 2018, quando foi campeão da Copa Sul-Americana, fez 48 jogos e nove gols (até então sua temporada mais artilheira, superada no último sábado); em 2019, voltou de empréstimo e jogou 31 vezes pelo Verdão, marcando cinco gols; na temporada atual, soma 33 partidas e 13 bolas na rede. Além disso, o jogador já aparece na terceira posição entre os artilheiros do ano, atrás apenas dos atacantes Willian (14 gols) e Luiz Adriano (15 gols) e como vice-artilheiro no Brasileirão, com seis gols, atrás só de Luiz Adriano (sete gols).

O fato de ter chegado a 13 gols no ano, além de ampliar seu saldo como terceiro principal goleador do elenco alviverde em 2020, mesmo sendo meia, fez com que Veiga, passasse a ser o terceiro jogador com mais participações diretas em gols (ou seja, gols e assistências somadas). Como não computou assistência em 2020, são 13 participações (todas com gols), atrás só da dupla Luiz Adriano e Willian, ambos com 18. O camisa 10 soma 15 gols e três assistências, enquanto o camisa 29 tem 14 gols e quatro passes decisivos.

Antes de ter seu ciclo de jogos interrompido pela Covid-19, Raphael Veiga vivia a sua maior série de titular já obtida no Verdão: são dez jogos seguidos dentre os 11 principais: iniciou diante de Fortaleza (18/10), Tigre-ARG (21/10), Atlético-GO (25/10), RB Bragantino (29/10), Atlético-MG (02/11), novamente o RB Bragantino (05/11), Vasco (08/11), Ceará (11/11), Fluminense (14/11) e encerrou contra o Ceará (18/11). Antes disso, sua maior sequência era de cinco jogos na titularidade entre dezembro de 2019 e janeiro de 2020.

Incluindo os jogos em que também saiu do banco de reservas, antes de precisar ficar os três compromissos mais recentes de fora devido ao coronavírus, o camisa 23 acumulou 19 jogos ininterruptos em campo – também sua maior sequência de jogos independentemente de titularidade. O máximo que o jogador havia atingido no clube foram cinco partidas seguidas em três ocasiões (entre julho e agosto de 2017, em maio de 2019 e entre dezembro de 2019 e janeiro de 2020).

Raphael Veiga, aliás, é um dos dois palmeirenses a ter marcado em todas as competições regulares disputadas em 2020 – o outro é Luiz Adriano. Ele marcou uma vez no Paulista, seis no Brasileiro até aqui, duas na Libertadores até o momento e outras quatro na Copa do Brasil (aliás, faz dele o artilheiro do time no torneio nacional), enquanto o camisa 10 fez três gols pelo Estadual, sete pelo Brasileirão, quatro pela Libertadores e um na Copa do Brasil.

GUSTAVO SCARPA: JOGADOR MAIS ACIONADO DO BANCO DE RESERVAS E TITULAR NOS ÚLTIMOS TRÊS JOGOS DISPUTADOS

De volta a campo no último sábado (28), contra o Athletico-PR, na vitória por 3 a 0 em casa pelo Brasileiro após ficar três jogos de fora enquanto se recuperava do novo coronavírus, Gustavo Scarpa já voltou ao time como titular e escalado como meia ofensivo pelo técnico Abel Ferreira. Nas duas partidas anteriores em que disputou antes de contrair a Covid-19, Scarpa também havia sido titular – portanto, iniciou um duelo dentre os 11 principais em seus últimos três jogos disputados –, entretanto, os dois duelos na titularidade anteriores foram na lateral-esquerda, improvisado, função na qual, inclusive, agradou e, em sua estreia na posição, contra o Ceará na vitória por 3 a 0 pelo jogo de ida da Copa do Brasil, no Allianz Parque, fez o gol que abriu caminho para a vitória.

Apesar da titularidade nos jogos mais recentes, o camisa 14 ostenta uma curiosa estatística na atual temporada: é o jogador que mais vezes sai do banco de reservas para auxiliar a equipe em campo neste segundo semestre, tendo sido acionado 17 vezes nos últimos 37 jogos.

O meio-campista é o terceiro principal artilheiro do elenco (21 gols, atrás apenas de Luiz Adriano, com 22, e Willian, com 52) – em 2019, ele foi o goleador do time, ao lado de Dudu, com 13 – e o quarto colocado no ranking dos maiores garçons do plantel (11 passes para gol desde que chegou ao clube, em 2018, atrás apenas de Marcos Rocha, com 18 e da dupla Lucas Lima e Willian, líderes, com 20) – além de duas assistências em 2020 e de duas no ano de estreia, o camisa 14 foi o segundo maior garçom do time em 2019, ao lado de Marcos Rocha, com sete passes a gol, atrás só de Dudu, com 18.

ZÉ RAFAEL: LÍDER EM DRIBLES, VICE-LÍDER EM DESARMES E TERCEIRO EM ASSISTÊNCIAS NO ANO

Autor do gol mais recente do Verdão na Libertadores (o terceiro do time na vitória por 3 a 1 justamente contra o Delfín-EQU, no jogo de ida, na última quarta-feira, 25), Zé Rafael é um dos terceiro colocados do time em assistências no ano, com seis passes a gol, ao lado de Wesley, Rony e atrás só de Viña (sete) e do líder Gabriel Menino (oito) – no Brasileirão de 2019, ele foi o vice-líder do time com cinco passes a gol, atrás apenas de Dudu, com 11. O meio-campista também aparece bem em outro quesito: é top 6 da artilharia do clube na temporada, na sexta colocação, com cinco gols, isolado, atrás apenas de Gabriel Veron e Rony (seis), Raphael Veiga (13), Willian (14) e Luiz Adriano (15).

O camisa 8 se destaca também em três fundamentos individuais neste ano. É o líder isolado em dribles com 33 fintas completas, seguido de Wesley, com 27; vice-líder no ranking de desarmes com 86 roubos de bola, atrás de Marcos Rocha, com 94; e o sexto que mais proporciona chutes a gol, com 32 assistências para finalização, ao lado de Willian, atrás de Gabriel Veron (5º, com 33), Raphael Veiga (4º, com 34), Marcos Rocha e Gabriel Menino (que dividem o segundo lugar, com 42) e Lucas Lima (líder no quesito, com 53).

PATRICK DE PAULA: LÍDER EM INTERCEPTAÇÕES GERAL DO TIME NA TEMPORADA E TITULAR NOS ÚLTIMOS CINCO JOGOS DO PALMEIRAS

Titular nos cinco jogos mais recentes do Verdão, Patrick de Paula registrou neste segundo semestre suas três maiores sequências de titularidade: uma de seis jogos e duas de sete. No Brasileirão, disputou 18 das 22 partidas do time (segundo que mais jogou, ao lado de Zé Rafael, Weverton e Gabriel Menino, e atrás de Willian, com 20), sendo 17 como titular, e é o líder de tempo em campo entre os jogadores de linha com 1488 minutos, seguido do zagueiro Gustavo Gómez (1376) – neste quesito, só o goleiro Weverton possui mais (1675).

Incorporado ao elenco principal do Verdão em janeiro, a Cria da Academia disputa sua primeira Libertadores como profissional – nesta edição, já atuou três vezes e venceu todas: contra Guaraní-PAR, por 3 a 1 no Allianz Parque (fase de grupos), Bolívar-BOL, por 5 a 0, também no Allianz Parque (fase de grupos), e na partida mais recente do time, contra o Delfín-EQU, no jogo de ida das oitavas de final, sendo que em dois destes jogos o volante participou de gols do Verdão: no jogo contra o time paraguaio, pela segunda rodada, iniciou a construção da jogada, passando a bola para Dudu, que, por sua vez, concedeu a assistência para Luiz Adriano marcar o seu terceiro no jogo; e contra o time boliviano, também começou o lance do gol, encontrando Wesley, que concedeu passe para Rony marcar de cabeça na quinta rodada e fechar a goleada por 5 a 0.

O jogador ainda lidera a lista de palmeirenses com mais interceptações de jogadas adversárias em 2020 (ou seja, quando o passe, lançamento ou cruzamento rival é impedido no meio do caminho) com 23 ao todo, ao lado de Viña, ambos seguidos por Gabriel Menino, com 21, e também aparece bem no quesito desarmes: é o quarto colocado do time no ano com 63 roubos de bola, atrás apenas de Viña (79), de Zé Rafael (86) e do líder Marcos Rocha (94) – Gabriel Menino completa o top 5, com 54 (dados do Footstats).

Autor do gol que abriu caminho para a vitória por 3 a 0 sobre o Athletico-PR pelo Brasileiro, em casa, no compromisso mais recente do Verdão, o camisa 5 também havia marcado no empate por 1 a 1 com o Flamengo no primeiro turno do Nacional e feito os gols que garantiram as vitórias por 2 a 1 sobre o Santos, também pelo Brasileiro, e por 1 a 0 sobre a Ponte Preta, na semifinal do Paulista, o garoto de 21 anos foi o responsável pela quinta cobrança do Verdão na disputa de pênaltis na final do Paulista, garantindo o 23º título estadual da história do clube.

Captado pelo Palmeiras em 2017 quando atuava no futebol amador do Rio de Janeiro, sua cidade natal, Patrick fazia inicialmente a função de meia, mas assumiu o protagonismo na base quando passou a jogar mais recuado, como primeiro volante (atuou até improvisado como zagueiro em algumas partidas). Campeão brasileiro Sub-20 em 2018, faturou ainda a Copa do Brasil Sub-20 em 2019 e quatro títulos paulistas seguidos (2017, 2018 e 2019 pelo Sub-20 e 2020 pelo Profissional) no clube.

DANILO: CRIA DA ACADEMIA MAIS RECENTE NO ELENCO PROFISISONAL E PRESENTE EM 16 DOS ÚLTIMOS 23 JOGOS

Desde que voltou da Seleção Brasileira Sub-20 no fim de outubro, Danilo foi utilizado nas quatro partidas seguintes e ficou fora de três por ter contraído a Covid-19, voltando ao time no duelo da última quarta-feira (25) com o Delfín-EQU. O jovem de 19 anos é o jogador oriundo da base que está há menos tempo no elenco profissional do Palmeiras – chamou a atenção da comissão técnica durante os treinos do Sub-20 na Academia de Futebol no início do segundo semestre e, desde então, não voltou mais para a base, atuando em 16 dos últimos 23 jogos e sendo titular em cinco.

Meio-campista versátil que atua na contenção e na armação de jogadas, Danilo participou de alguns projetos sociais na sua cidade natal, Salvador (BA), e foi vice-campeão da segunda divisão do Campeonato Baiano pelo Cajazeiras, aos 16 anos, antes de chegar ao Palmeiras em 2018, quando foi captado para integrar o elenco Sub-17 e naquela mesma temporada já conquistou o título paulista da categoria. No Sub-20, o canhoto de 19 anos ganhou espaço ao final de 2019, contribuindo para a conquista de mais um título paulista. Foi ainda titular da equipe na Copa São Paulo deste ano, na qual disputou cinco jogos e marcou um gol.

GABRIEL MENINO: CRIA DA ACADEMIA COM MAIS JOGOS NO ANO, GARÇOM DO TIME NA TEMPORADA E NO BRASILEIRO E VICE-LÍDER EM PASSES PARA GOL GERAIS

Recuperado da Covid-19, Gabriel Menino retornou ao time no segundo tempo do duelo com o Goiás, no último dia 21 e voltou a ser titular nos dois confrontos seguintes, com o Delfín-EQU (como meio-campista) e Athletico-PR (na lateral-direita). Desta forma, manteve a vantagem como Cria da Academia com mais jogos neste ano (40, contra 36 de Patrick de Paula). Neste segundo semestre, ele chegou a emplacar uma sequência de 17 partidas de titularidade, também a maior de um prata da casa em 2020.

Alçado ao elenco profissional nesta temporada, o jovem de 20 anos tem a polivalência como característica, tanto que já foi utilizado em todas as posições do meio-campo e como ala – inclusive, foi escalado na lateral direita em seis dos últimos sete jogos em que atuou como titular e registrou quatro assistências, passando a ser o garçom isolado do Verdão na temporada, com oito passes ao todo, seguido  de Viña, com sete. No Brasileiro, é o garçom da equipe com cinco passes a gol.

Menino é também o segundo que mais proporciona chutes a gol com 42 assistências para finalizações, ao lado de Marcos Rocha – atrás só de Lucas Lima, com 53 (números do Footstats, que não incluem os passes que resultaram em bola na rede), o terceiro que mais intercepta jogadas adversárias (ou seja, quando o passe, lançamento ou cruzamento rival é impedido no meio do caminho) com 21 intervenções, atrás dos líderes Patrick de Paula e Viña, empatados com 23, e figura ainda no top 5 de jogadores do Palmeiras que mais desarmam na temporada, na quinta posição com 54 roubos de bola, e no top 5 dos que mais driblam, na quarta colocação com 19 fintas completas.

Contra o Bolívar-BOL, em setembro, o camisa 25 anotou o seu primeiro gol como profissional, selando a vitória por 2 a 1 em La Paz, e aparece como o terceiro jogador mais jovem a balançar a rede pelo Verdão na Libertadores: 19 anos, 11 meses e 16 dias, desbancando Keirrison, que em 2009 marcou contra o Real Potosí-BOL aos 20 anos, 1 mês e 26 dias – o recorde é de Gabriel Veron, que com 18 anos, um mês e 19 dias deixou sua marca contra o Tigre-ARG, em 21/10/2020, enquanto Gabriel Jesus é o segundo colocado com o gol aos 18 anos, 10 meses e 13 dias contra o River Plate-URU em 2016. Contra o Delfín-EQU, na partida mais recente do time no Continental (jogo de ida das oitavas), o camisa 25 também deixou sua marca na vitória por 3 a 1 ao fazer o gol que abriu o placar.

Natural de Morungaba (SP), Menino foi captado pela base do Palmeiras em 2017, quando atuava no Guarani, e logo se destacou, inclusive sendo convocado para defender a Seleção Brasileira Sub-20 no Sul-Americano de 2019. Campeão brasileiro Sub-20 em 2018, faturou também a Copa do Brasil Sub-17 em 2017 e três títulos paulistas seguidos (2018 e 2019 pelo Sub-20 e 2020 pelo Profissional) no clube.

MATÍAS VIÑA:  LÍDER EM INTERCEPTAÇÕES, VICE-GARÇOM E TERCEIRO EM DESARMES DO TIME NA TEMPORADA; MAIOR LADRÃO DE BOLAS GERAL DA LIBERTADORES 2020

Após retornar ao time no duelo mais recente do Verdão, no último sábado (28), contra o Athletico-PR, Viña voltou dando sua contribuição ao time no sistema defensivo, sobretudo no que diz respeito às interceptações (ou seja, quando o passe, lançamento ou cruzamento rival é impedido no meio do caminho): foram 23 intervenções, duas somadas justamente no duelo em que retornou e, com isso, passou a ser o líder no quesito, ao lado de Patrick de Paula, e seguido de Gabriel Menino, com 21. Viña também é um dos jogadores com mais desarmes no atual elenco, sendo o terceiro colocado no ano neste quesito, com 79 roubos de bola (atrás só de Zé Rafael, com 86, e de Marcos Rocha, com 94).

Vale lembrar que o retorno do lateral-esquerdo ao time se deu após o jogador ter ficado de fora dos últimos cinco compromissos da equipe, primeiro por ter sido convocado novamente para defender a Seleção Uruguaia nas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022 e, depois, por ter sido diagnosticado com o novo coronavírus.

Na Libertadores 2020, Viña aparece como o principal ladrão de bolas do torneio, com 13 desarmes, ao lado de Alexis Soto, do Racing-ARG, ambos seguidos de Leonardo Jara, do Boca Juniors-ARG, e de Rodrigo Fernández, do Guaraní-PAR – com 12 cada.

Além dos atributos defensivos, o jogador também dá sua contribuição no ataque. Durante quase todo este segundo semestre, o jogador liderou o quesito de atleta com mais assistências no time na temporada atual. Entretanto, com os dois passes a gol de Gabriel Menino no duelo mais recente do Verdão (Athletico-PR), foi ultrapassando e, agora, com sete assistências, é o vice-líder do Palmeiras em passes decisivos, tendo servido seus companheiros em jogadas que culminaram em gols sete vezes, contra oito de Menino.

O uruguaio é um reforço que chegou neste ano do Nacional-URU e foi titular nos 29 jogos em que disputou até agora pelo Palmeiras (dos atletas de linha, só Luan Silva, com uma atuação, também nunca entrou no decorrer de uma partida), Viña, apesar das poucas partidas pelo Verdão, está na história do clube como o sétimo uruguaio que mais defendeu a equipe em todos os tempos, isolado; a frente dele está Maidana (6º, com 31), Dario Pereyra (5º, com 32), Ventura Cambon (4º, com 53), Héctor Silva (3º, com 80), Villadoniga (2º, com 138) e Diogo (líder do ranking, com 146).

LUCAS ESTEVES: MULTICAMPEÃO NA BASE E PRESENTE EM TRÊS DOS ÚLTIMOS QUATRO JOGOS

Após não atuar no jogo mais recente devido o retorno do companheiro de posição Matías Viña, Lucas Esteves foi figura presente nos três duelos anteriores do Palmeiras (Ceará, 18/11, Goiás, 21/11, e Delfín-EQU, 25/11). O lateral-esquerdo estreou pelo Palmeiras em março de 2019, pelo Campeonato Paulista, contra a Ponte Preta, no Allianz Parque, com vitória por 1 a 0 (gol de Raphael Veiga). Naquela ocasião, o técnico Luiz Felipe Scolari mandou a campo: Fernando Prass; Marcos Rocha, Edu Dracena, Vitão (Raphael Veiga, 25’/2ºT) e Diogo Barbosa; Jean e Thiago Santos; Felipe Pires, Lucas Lima e Zé Rafael (Lucas Esteves, 43’/2ºT); Carlos Eduardo (Leo Passos, 36’/1ºT).

Após ter treinado com frequência e ter estreado pelo time principal em 2019, o jogador ganhou oportunidade no time de cima novamente em 2020, quando foi definitivamente alçado ao elenco profissional do Verdão nesta temporada: as primeiras atuações do jogador já foram como titular em outubro, já que naquela ocasião o time vivia desfalques na posição com Viña na Seleção Uruguaia e as recentes saídas de Victor Luis (para o Botafogo) e Diogo Barbosa (Grêmio) – inclusive, logo depois que Mayke, lateral-direito de origem, fez a função de lateral-esquerdo improvisado pela primeira vez.

Foi então que Esteves surgiu como titular do Palmeiras diante do São Paulo, em 10/10, fazendo sua primeira partida em 2020 e a primeira de Campeonato Brasileiro pelo clube, e voltou a sair jogando no duelo seguinte, diante do Coritiba, em 14/10, no mesmo Allianz Parque, também pelo Brasileirão, mas acabou sendo substituído no primeiro tempo devido a uma lesão muscular. Após pouco mais de um mês de recuperação, o jogador voltou a atuar e emplacou a recente série de três partidas seguidas (nos últimos quatro duelos do time).

Mais uma Cria da Academia, o jogador está no Palmeiras desde 2014, quando passou a integrar o elenco Sub-15, o jovem de 20 anos foi um dos destaques de uma geração que conquistou títulos inéditos e importantes pela base do clube, como a Copa do Brasil Sub-17 (2017), o Brasileiro Sub-20 (2018), a Copa RS Sub-20 (2018), a Copa do Brasil Sub-20 (2019) e o Bi Paulista Sub-20 (2018 e 2019), além de dezenas de taças no exterior. No ano passado, pelo Sub-20, Esteves disputou 38 partidas e marcou sete gols.

GUSTAVO GÓMEZ: A UMA PARTIDA DO CENTÉSIMO JOGO PELO PALMEIRAS E TOP 5 EM INTERCEPTAÇÕES NA TEMPORADA

No Palmeiras desde 2018, o zagueiro paraguaio Gustavo Gómez acumula atualmente 99 partidas pelo Verdão e, portanto, se entrar em campo mais uma vez, irá integrar o seleto grupo de jogadores com 100 ou mais partidas que atuaram pelo clube. São eles: Mayke, com (102), Luan (111), Marcos Rocha (127), Weverton (135), Lucas Lima (145), Felipe Melo (170) e Willian (197).

Gómez atuou em 40 dos 51 jogos do Verdão em 2020 e é o quarto palmeirense com mais interceptações de jogadas adversárias nesta temporada (ou seja, quando o passe, lançamento ou cruzamento rival é impedido no meio do caminho) com 18 intervenções, atrás apenas de Gabriel Menino (21) e dos líderes Patrick de Paula e Viña (empatados com 23).

No ataque, o zagueiro também tem dado a sua contribuição. O paraguaio está a uma bola na rede do top 5 de estrangeiros com mais gols pelo Palmeiras na era dos pontos corridos do Brasileirão: é o sexto com seis tentos (ao lado compatriota Lucas Barrios, do colombiano Mina e do venezuelano Guerra), um a menos do que o atacante argentino Gioino, com sete – completam a lista o também argentino Cristaldo, com nove; o colombiano Borja, com dez; mais um argentino, Barcos, com 14; e o chileno Valdivia, com 15. O zagueiro, aliás, nunca passou uma temporada em branco desde que chegou ao Palmeiras: além de três gols de 2020, marcou cinco vezes em 2019 e outras três vezes em 2018.

O paraguaio teve Felipe Melo como seu companheiro de zaga mais frequente na temporada: 20 jogos, 12 vitórias, sete empates e somente uma derrota, com apenas nove gols sofridos (média de 0,45 gol sofrido por partida). Já a zaga Gómez e Luan está invicta no ano (14 partidas, nove vitórias, cinco empates e apenas sete gols sofridos) e tem retrospecto geral de 53 jogos, 34 vitórias, 14 empates e só cinco derrotas, com 25 gols sofridos (média de 0,47 gol sofrido por partida). No último sábado (21), quando o técnico Abel Ferreira escalou uma linha defensiva composta por três zagueiros, Gómez iniciou uma partida ao lado de Renan e de Emerson Santos pela primeira vez e, nos dois jogos seguintes, contra o Delfín-EQU, vitória por 3 a 1 fora de casa pelo jogo de ida das oitavas de final da Libertadores, e mais recentemente Athletico-PR, no triunfo por 3 a 0 em casa pelo Brasileiro, o time voltou a ter uma dupla de zaga no esquema tático e Gómez fez parceria com Emerson Santos – portanto, ao lado do camisa 3 são três jogos, duas vitórias, um revés e dois gols sofridos.

Em 2019, Gómez e Luan atingiram a expressiva marca de 1081 minutos consecutivos sem sofrer gols (sem considerar os acréscimos), segunda maior sequência instransponível de uma dupla de zagueiros na história do Palmeiras – o recorde ainda pertence a Marcio e Vágner Bacharel, que, em 1987, garantiram que o time ficasse sem levar gols por exatos 1.148 minutos (sem acréscimos). Um ano antes, durante a campanha do decacampeonato brasileiro de 2018, eles já haviam contribuído para estabelecer o recorde palmeirense de menos gols sofridos na história do Brasileirão de pontos corridos: apenas 26 tentos tomados (a marca anterior era de 32, na caminhada do título de 2016).

LUAN: 100 JOGOS COMO TITULAR PELO PALMEIRAS E TOP 10 DE PALMEIRENSES COM MAIS INTERCEPTAÇÕES EM 2020

Utilizado nas duas partidas mais recente do Verdão pelo Brasileiro, no segundo tempo contra o Goiás (revés fora) Athletico-PR (triunfo em casa), Luan acumula nesta temporada 100 jogos como titular – alcançados na vitória contra o Vasco pelo Brasileiro, em São Januário. Nos dois jogos seguintes (Fluminense, Brasileirão, em casa, e Ceará, Copa do Brasil, fora de casa), o defensor não pôde ser uma das opções da comissão técnica por ter contraído o novo coronavírus.

São, ao todo, 29 jogos em 2020 e 19 como titular, sendo 16 pelo Brasileiro (13 como titular), três pela Libertadores (um como titular) e dois pela Copa do Brasil (ambos como titular). Ele está no top 10 de interceptações no ano (ou seja, quando passes, lançamentos e cruzamentos são evitados no meio do caminho) com 11 ações ao todo, ocupando a nona posição, à frente de Raphael Veiga, 10º com dez, e atrás de Mayke, Zé Rafael e Marcos Rocha (todos com 14), Felipe Melo (17), Gustavo Gómez (18), Gabriel Menino (21) e dos líderes Patrick de Paula e Viña (empatados com 23).

O camisa 13 é um dos sete atletas do elenco que já ultrapassaram a marca de 100 jogos pelo clube (são 111 ao todo), atrás apenas de Marcos Rocha, com 127, Weverton, com 135, Lucas Lima, com 145, Felipe Melo, com 170, e Willian, com 197, e à frente de Mayke, com 102. Gustavo Gómez, com 99 jogos, está próximo de integrar este seleto hall.

Luan formou a zaga com Felipe Melo só três vezes (uma vitória, duas derrotas e quatro gols sofridos), enquanto que, ao lado de Gustavo Gómez, Luan está invicto no ano (14 partidas, nove vitórias, cinco empates e apenas sete gols sofridos) e tem retrospecto geral de 53 jogos, 34 vitórias, 14 empates e só cinco derrotas, com 25 gols sofridos (média de 0,47 gol sofrido por partida).

Em 2019, Luan e Gómez atingiram a expressiva marca de 1081 minutos consecutivos sem sofrer gols (sem considerar os acréscimos), segunda maior sequência instransponível de uma dupla de zagueiros na história do Palmeiras – o recorde ainda pertence a Marcio e Vágner Bacharel, que, em 1987, garantiram que o time ficasse sem levar gols por exatos 1.148 minutos (sem acréscimos). Um ano antes, durante a campanha do decacampeonato brasileiro de 2018, eles já haviam contribuído para estabelecer o recorde palmeirense de menos gols sofridos na história do Brasileirão de pontos corridos: apenas 26 tentos tomados (a marca anterior era de 32, na caminhada do título de 2016).

Com Emerson Santos, Luan formou dupla titular uma única vez
, na vitória por 3 a 1 sobre o Junior Barranquilla-COL pela Libertadores de 2018. Eles jogaram juntos também em parte dos amistosos contra Deportivo Árabe Unido-PAN e Liga Alajuelense-COS, em 2018, e contra o Atlético Nacional-COL, pela Florida Cup 2020, todos sem sofrer gols. Com Renan, jamais atuou.

EMERSON SANTOS: MAIOR SÉRIE DE TITULAR PELO PALMEIRAS

Titular do Verdão nos seis duelos mais recentes (sendo os três primeiros ao lado do jovem Renan, o quarto formando uma linha defensiva composta por três zagueiros que também contou com Gustavo Gómez e os dois mais recente só ao lado de Gómez), Emerson Santos vive sua maior sequência de titularidade desde que estreou pelo clube, em 2018, justamente em um jogo de Libertadores (entrou aos 42 minutos do segundo tempo contra o Alianza Lima-PER, quando o Palmeiras já vencia por 3 a 1).

O jogo seguinte à sua estreia foi na vitória por 3 a 1 diante do Junior Barranquilla-COL, também pela Libertadores de 2018 – nesta partida, ele atuou por 90 minutos pela primeira vez (ao lado de Luan). Depois, devido à grande concorrência na posição, o zagueiro só fez mais duas partidas em 2018 (nos amistosos contra o panamense Club Deportivo Árabe Unido, 2 a 0 a favor do Verdão no Panamá, e contra o costa-riquenho Liga Alajuelense, 6 a 0 para o Palmeiras na Costa Rica, entre junho e julho), antes de ser emprestado ao Internacional, pelo qual disputou o Brasileiro daquele ano e de 2019.

De volta no início de 2020, o atual camisa 3 reestreou na partida pela Florida Cup, contra o Nacional de Medellín-COL (empate sem gols e triunfo alviverde nos penais – o zagueiro, na ocasião, converteu sua cobrança) e voltou a aparecer contra Fortaleza (revés por 2 a 0 fora de casa pelo Brasileirão) e contra o Tigre-ARG, em outubro passado (5 a 0 no Allianz Parque pela Libertadores), antes da sequência atual.

WEVERTON: A UM JOGO DE ENTRAR PARA TOP 10 DE GOLEIROS QUE MAIS JOGARAM PELO PALMEIRAS EM TODOS OS TEMPOS

Presença constante nas listas de convocados para a Seleção Brasileira, Weverton soma 135 jogos pelo Palmeiras desde que chegou ao clube, em 2018, e precisa de só mais uma partida para igualar os 136 duelos de Nascimento, passando a figurar na lista dos dez goleiros que mais defenderam o Verdão em toda a história – o ranking é encabeçado por Leão, com 621 jogos, seguido por Marcos (533), Valdir de Morais (480), Velloso (458), Oberdan (353), Sérgio (333), Gilmar (290), Fernando Prass (274) e Primo (185).

Neste ano, Weverton alcançou uma marca que já durava 23 anos: chegou à terceira temporada consecutiva com 20 ou mais jogos sem sofrer gols, algo que não acontecia desde que Velloso não foi vazado por 28 partidas em 1995, 24 em 1996 e 27 em 1997. O arqueiro soma 22 jogos limpos em 46 partidas disputadas em 2020. Em 2018, seu ano de estreia, e em 2019, ele foi intransponível 21 e 26 vezes, respectivamente. E com um total de 69 jogos sem levar gols pelo Verdão, ele fica na terceira posição do ranking de goleiros com mais jogos sem ser vazado neste século, atrás apenas de Marcos (107) e Fernando Prass (101). Em uma única temporada, é o recordista do século com os 26 jogos de 2019.

O camisa 21 ainda ostenta a terceira menor média de gols sofridos na história do Palmeiras. Vazado apenas 86 vezes em 135 jogos, o jogador tem índice de 0,63 gol por partida, atrás só do paraguaio Benítez, com 0,54 (13 gols sofridos em 24 jogos em 1978), e do também paraguaio Gato Fernández, com 0,62 (22 gols em 35 jogos em 1994). São considerados somente goleiros com ao menos dez jogos disputados pelo clube.

Atleta com mais minutos em campo em 2020 (4400), Weverton atuou em 46 dos 51 jogos do Palmeiras no ano (assim como Zé Rafael) e, neste quesito, só perde para Willian, presente em 49 dos 51 compromissos do time alviverde.

HISTÓRICO DO ELENCO

> GOLEIROS

22. JAILSON

> 84 Jogos (76 como titular) pelo Palmeiras
> 6 jogos (5 como titular) na temporada 2020
> 4 jogos (4 como titular) no Brasileiro 2020
> Ainda não jogou pela Libertadores 2020
> 1 jogo (1 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 17/01/2015 – Palmeiras 3×1 Shandong Luneng-CHI – Amistoso
Último jogo: 14/11/2020 – Palmeiras 2×0 Fluminense – Campeonato Brasileiro
Último como titular: 14/11/2020 – Palmeiras 2×0 Fluminense – Campeonato Brasileiro

24. VINICIUS SILVESTRE

> 1 Jogo (como titular) pelo Palmeiras
> Ainda não jogou na temporada de 2020
> Ainda não jogou no Brasileiro 2020
> Ainda não jogou pela Libertadores 2020
Estreia: 29/10/2016 – Santos 1×0 Palmeiras – Campeonato Brasileiro
Último jogo: 29/10/2016 – Santos 1×0 Palmeiras – Campeonato Brasileiro
Último como titular: 29/10/2016 – Santos 1×0 Palmeiras – Campeonato Brasileiro

1. WEVERTON

> 135 jogos (135 como titular) pelo Palmeiras
> 46 jogos (46 como titular) na temporada 2020
> 18 jogos (18 como titular) no Brasileiro 2020
> 7 jogos (7 como titular) pela Libertadores 2020
> 3 jogos (3 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 11/03/2018 – Ituano 0x3 Palmeiras – Campeonato Paulista
Último jogo: 28/11/2020 – Palmeiras 3×0 Athletico-PR – Campeonato Brasileiro
Último como titular: 28/11/2020 – Palmeiras 3×0 Athletico-PR – Campeonato Brasileiro

> ZAGUEIROS

6. ALAN EMPEREUR

> 2 jogos (0 como titular) pelo Palmeiras
> 2 jogos (0 como titular) na temporada de 2020
> 1 jogo (0 como titular) pelo Brasileiro 2020
> Ainda não jogou pela Libertadores
> 1 jogo (0 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 11/11/2020 – Palmeiras 3×0 Ceará – Copa do Brasil
Último jogo: 28/11/2020 – Palmeiras 3×0 Athletico-PR – Campeonato Brasileiro

4. BENJAMÍN KUSCEVIC

> Ainda não jogou em 2020
Estreia:
Último jogo:
Último como titular:

3. EMERSON SANTOS

> 13 jogos (8 como titular) pelo Palmeiras
> 9 jogos (7 como titular) na temporada 2020
> 4 jogos (4 como titular) no Brasileiro 2020
> 2 jogos (1 como titular) pela Libertadores 2020
> 2 jogos (2 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 03/05/2018 – Alianza Lima-PER 1×3 Palmeiras – Libertadores
Último jogo: 28/11/2020 – Palmeiras 3×0 Athletico-PR – Campeonato Brasileiro
Último como titular: 28/11/2020 – Palmeiras 3×0 Athletico-PR – Campeonato Brasileiro

15. GUSTAVO GÓMEZ

> 99 Jogos (96 como titular), 10 gols e 1 assistência pelo Palmeiras
> 40 jogos (39 como titular), 3 gols e 1 assistência na temporada 2020
> 15 jogos (15 como titular), 1 gol e 1 assistência no Brasileiro 2020
> 7 jogos (7 como titular) e 1 gol pela Libertadores 2020
> 3 jogos (2 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 12/08/2018 – Palmeiras 1×0 Vasco – Campeonato Brasileiro
Último jogo: 28/11/2020 – Palmeiras 3×0 Athletico-PR – Campeonato Brasileiro
Último como titular: 28/11/2020 – Palmeiras 3×0 Athletico-PR – Campeonato Brasileiro

13. LUAN

> 111 jogos (100 como titular), 5 gols e 1 assistência pelo Palmeiras
> 29 jogos (19 como titular) na temporada 2020
> 16 jogos (13 como titular) no Brasileiro 2020
> 3 jogos (1 como titular) pela Libertadores 2020
> 2 jogos (2 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 18/06/2017 – Bahia 2×4 Palmeiras – Campeonato Brasileiro
Último jogo: 28/11/2020 – Palmeiras 3×0 Athletico-PR – Campeonato Brasileiro
Último como titular: 08/11/2020 – Vasco 0×1 Palmeiras – Campeonato Brasileiro

26. RENAN

> 6 jogos (5 como titular), pelo Palmeiras
> 6 jogos (5 como titular) na temporada 2020
> 3 jogos (3 como titular) no Brasileiro 2020
> 1 jogo (0 como titular) pela Libertadores 2020
> 2 jogos (2 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 14/10/2020 – Palmeiras 1×3 Coritiba – Campeonato Brasileiro
Último jogo: 25/11/2020 – Delfín-EQU 1×3 Palmeiras – Libertadores
Último como titular: 21/11/2020 – Goiás 1×0 Palmeiras – Campeonato Brasileiro

> LATERAIS

2. MARCOS ROCHA

> 127 jogos (123 como titular), 6 gols e 18 assistências pelo Palmeiras
> 35 jogos (33 como titular), 2 gols e 3 assistências na temporada 2020
> 14 jogos (12 como titular) no Brasileiro 2020
> 5 jogos (5 como titular) pela Libertadores 2020
> 2 jogos (2 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 18/01/2018 – Grêmio Novorizontino 0x3 Palmeiras – Campeonato Paulista
Último jogo: 25/11/2020 – Delfín-EQU 1×3 Palmeiras – Libertadores
Último como titular: 25/11/2020 – Delfín-EQU 1×3 Palmeiras – Libertadores

12. MAYKE

> 102 jogos (88 como titular), 2 gols e 7 assistências pelo Palmeiras
> 20 jogos (12 como titular) na temporada 2020
> 10 jogos (8 como titular) no Brasileiro 2020
> 2 jogos (1 como titular) pela Libertadores 2020
> 2 jogos (1 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 27/05/2017 – São Paulo 2×0 Palmeiras – Campeonato Brasileiro
Último jogo: 25/11/2020 – Delfín-EQU 1×3 Palmeiras – Libertadores
Último como titular: 25/11/2020 – Delfín-EQU 1×3 Palmeiras – Libertadores

16. LUCAS ESTEVES

> 5 jogos (2 como titular) pelo Palmeiras
> 4 jogos (2 como titular) na temporada de 2020
> 3 jogos (2 como titular) no Brasileiro 2020
> 1 jogo (0 como titular) pela Libertadores 2020
> 1 jogo (0 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Último jogo: 25/11/2020 – Delfín-EQU 1×3 Palmeiras – Libertadores
Último como titular: 14/10/2020 – Palmeiras 1×3 Coritiba – Campeonato Brasileiro

17. MATÍAS VIÑA

> 29 Jogos (29 como titular), 1 gol e 7 assistências pelo Palmeiras
> 29 jogos (29 como titular), 1 gol e 7 assistências na temporada 2020
> 14 jogos (14 como titular) e 2 assistências no Brasileiro 2020
> 6 jogos (6 como titular), 1 gol e 3 assistências pela Libertadores 2020
> 2 jogos (2 como titular) e 1 assistência pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 16/02/2020 – Palmeiras 3×1 Mirassol – Campeonato Paulista
Último jogo: 28/11/2020 – Palmeiras 3×0 Athletico-PR – Campeonato Brasileiro
Último como titular: 28/11/2020 – Palmeiras 3×0 Athletico-PR – Campeonato Brasileiro

> MEIO-CAMPISTAS

28. DANILO

> 16 jogos (5 como titular) pelo Palmeiras
> 16 jogos (5 como titular) pelo na temporada de 2020
> 10 jogos (2 como titular) no Brasileiro 2020
> 5 jogos (2 como titular) pela Libertadores 2020
> 2 jogos (1 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 06/09/2020 – Red Bull Bragantino 1×2 Palmeiras – Campeonato Brasileiro
Último jogo: 28/11/2020 – Palmeiras 3×0 Athletico-PR – Campeonato Brasileiro
Último como titular: 28/11/2020 – Palmeiras 3×0 Athletico-PR – Campeonato Brasileiro

30. FELIPE MELO

> 170 jogos (163 como titular), 12 gols e 6 assistências pelo Palmeiras
> 31 jogos (31 como titular), 1 gol e 1 assistência na temporada 2020
> 9 jogos (9 como titular) no Brasileiro 2020
> 5 jogos (5 como titular) pela Libertadores 2020
> 2 jogos (2 como titular) e 1 assistência pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 21/01/2017 – Chapecoense 1×1 Palmeiras – Amistoso
Último jogo: 08/11/2020 – Vasco 0×1 Palmeiras – Campeonato Brasileiro
Último como titular: 08/11/2020 – Vasco 0×1 Palmeiras – Campeonato Brasileiro

25. GABRIEL MENINO

> 40 jogos (34 como titular), 2 gols e 8 assistências pelo Palmeiras
> 40 jogos (34 como titular), 2 gols e 8 assistências na temporada de 2020
> 18 jogos (17 como titular) e 5 assistências no Brasileiro 2020
> 6 jogos (5 como titular), 2 gols e 1 assistência pela Libertadores 2020
> 2 jogos (2 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 15/01/2020 – Palmeiras 0x0 Atlético Nacional de Medellín-COL – Florida Cup
Último jogo: 28/11/2020 – Palmeiras 3×0 Athletico-PR – Campeonato Brasileiro
Último como titular: 28/11/2020 – Palmeiras 3×0 Athletico-PR – Campeonato Brasileiro

14. GUSTAVO SCARPA

> 95 jogos (51 como titular), 21 gols e 11 assistências pelo Palmeiras
> 23 jogos (6 como titular), 2 gols e 2 assistências na temporada de 2020
> 12 jogos (3 como titular) e 2 assistências no Brasileiro 2020
> 1 jogo (0 como titular) pela Libertadores 2020
> 3 jogos (1 como titular) 1 gol pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 29/10/2020 – Red Bull Bragantino 1×3 Palmeiras – Copa do Brasil
Último jogo: 28/11/2020 – Palmeiras 3×0 Athletico-PR – Campeonato Brasileiro
Último como titular: 28/11/2020 – Palmeiras 3×0 Athletico-PR – Campeonato Brasileiro

20. LUCAS LIMA

> 145 jogos (101 como titular), 10 gols e 20 assistências pelo Palmeiras
> 38 jogos (27 como titular), 2 gols e 4 assistências na temporada de 2020
> 18 jogos (13 como titular) e 1 assistência no Brasileiro 2020
> 2 jogos (2 como titular) pela Libertadores 2020
> 3 jogos (2 como titular) e 1 assistência pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 18/01/2018 – Palmeiras 3×1 Santo André – Campeonato Paulista
Último jogo: 28/11/2020 – Palmeiras 3×0 Athletico-PR – Campeonato Brasileiro
Último como titular: 28/11/2020 – Palmeiras 3×0 Athletico-PR – Campeonato Brasileiro

5. PATRICK DE PAULA

> 36 jogos (28 como titular), 3 gols e 1 assistência pelo Palmeiras
> 36 jogos (28 como titular), 3 gols e 1 assistência na temporada de 2020
> 18 jogos (16 como titular), 2 gols e 1 assistência no Brasileiro 2020
> 3 jogos (2 como titular) pela Libertadores 2020
> 2 jogos (1 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 15/01/2020 – Palmeiras 0x0 Atlético Nacional de Medellín-COL – Florida Cup
Último jogo: 28/11/2020 – Palmeiras 3×0 Athletico-PR – Campeonato Brasileiro
Último como titular: 28/11/2020 – Palmeiras 3×0 Athletico-PR – Campeonato Brasileiro

23. RAPHAEL VEIGA

> 86 jogos (45 como titular), 20 gols e 2 assistências pelo Palmeiras
> 33 jogos (23 como titular) e 13 gols na temporada de 2020
> 14 jogos (10 como titular) e 6 gols no Brasileiro 2020
> 4 jogos (3 como titular) e 2 gols pela Libertadores 2020
> 4 jogos (4 como titular) e 4 gols pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 21/01/2017 – Chapecoense 2×2 Palmeiras – Amistoso
Último jogo: 18/11/2020 – Ceará 2×2 Palmeiras – Copa do Brasil
Último como titular: 18/11/2020 – Ceará 2×2 Palmeiras – Copa do Brasil

8. ZÉ RAFAEL

> 85 jogos (66 como titular), 12 gols e 11 assistências pelo Palmeiras
> 46 jogos (33 como titular), 5 gols e 6 assistências na temporada de 2020
> 18 jogos (15 como titular), 2 gols e 2 assistências no Brasileiro 2020
> 6 jogos (4 como titular) e 2 gols pela Libertadores 2020
> 4 jogos (4 como titular) e 2 assistências pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 23/01/2019 – Palmeiras 1×0 Botafogo-SP – Campeonato Paulista
Último jogo: 28/11/2020 – Palmeiras 3×0 Athletico-PR – Campeonato Brasileiro
Último como titular: 28/11/2020 – Palmeiras 3×0 Athletico-PR – Campeonato Brasileiro

> ATACANTES

48. ANIBAL

> 1 jogo (1 como titular) pelo Palmeiras
> 1 jogo (1 como titular) na temporada de 2020
> Ainda não jogou pelo Brasileiro 2020
> Ainda não jogou pela Libertadores 2020
> 1 jogo (1 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 18/11/2020 – Ceará 2×2 Palmeiras – Copa do Brasil
Último jogo: 18/11/2020 – Ceará 2×2 Palmeiras – Copa do Brasil
Último como titular: 18/11/2020 – Ceará 2×2 Palmeiras – Copa do Brasil

19. BRENO LOPES

> 2 jogos (0 como titular) pelo Palmeiras
> 2 jogos (0 como titular) na temporada de 2020
> 2 jogos (0 como titular) no Brasileiro 2020
> Ainda não jogou pela Libertadores 2020
> Não pode jogar pela Copa do Brasil 2020 pelo Palmeiras (atuou pelo Juventude)
Estreia: 14/11/2020 – Palmeiras 2×0 Fluminense – Campeonato Brasileiro
Último jogo: 28/11/2020 – Palmeiras 3×0 Athletico-PR – Campeonato Brasileiro

49. FABRÍCIO

> 1 jogo (0 como titular) pelo Palmeiras
> 1 jogo (0 como titular) na temporada de 2020
> 1 jogo (0 como titular) pelo Brasileiro 2020
> Ainda não jogou pela Libertadores 2020
> Ainda não jogou pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 21/11/2020 – Goiás 1×0 Palmeiras – Campeonato Brasileiro
Último jogo: 21/11/2020 – Goiás 1×0 Palmeiras – Campeonato Brasileiro

7. GABRIEL SILVA

> 6 jogos (0 como titular) pelo Palmeiras
> 6 jogos (0 como titular) na temporada de 2020
> 5 jogos (0 como titular) no Brasileiro 2020
> 1 jogo (0 como titular) pela Libertadores 2020
> 1 jogo (0 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 23/08/2020 –Palmeiras 2×1 Santos – Campeonato Brasileiro
Último jogo: 28/11/2020 – Palmeiras 3×0 Athletico-PR – Campeonato Brasileiro

27. GABRIEL VERON

> 30 jogos (10 como titular), 8 gols e 4 assistências pelo Palmeiras
> 27 jogos (10 como titular), 6 gols e 3 assistências na temporada de 2020
> 13 jogos (4 como titular) 3 gols e 1 assistência no Brasileiro 2020
> 4 jogos (2 como titular) e 1 gol pela Libertadores 2020
> 2 jogos (1 como titular), 2 gols e 1 assistência pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 28/11/2019 – Fluminense 1×0 Palmeiras – Campeonato Brasileiro
Último jogo: 28/11/2020 – Palmeiras 3×0 Athletico-PR – Campeonato Brasileiro
Último como titular:
14/11/2020 – Palmeiras 2×0 Fluminense – Campeonato Brasileiro

9. LUAN SILVA

> 1 jogo (1 como titular) pelo Palmeiras
> 1 jogo (1 como titular) na temporada de 2020
> Ainda não jogou no Brasileiro 2020
> Ainda não jogou pela Libertadores 2020
> Ainda não jogou pela Copa do Brasil 2020
Estreia:07/03/2020 – Palmeiras 1×1 Ferroviária – Campeonato Paulista
Último jogo:07/03/2020 – Palmeiras 1×1 Ferroviária – Campeonato Paulista
Último como titular: 07/03/2020 – Palmeiras 1×1 Ferroviária – Campeonato Paulista

10. LUIZ ADRIANO

> 55 jogos (48 como titular), 22 gols e 4 assistências pelo Palmeiras
> 40 jogos (35 como titular), 15 gols e 3 assistências na temporada de 2020
> 17 jogos (14 como titular), 7 gols e 2 assistências no Brasileiro 2020
> 4 jogos (4 como titular) e 4 gols pela Libertadores 2020
> 3 jogos (2 como titular) e 1 gol pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 11/08/2019 – Palmeiras 2×2 Bahia – Campeonato Brasileiro
Último jogo: 21/11/2020 – Goiás 1×0 Palmeiras – Campeonato Brasileiro
Último como titular: 21/11/2020 – Goiás 1×0 Palmeiras – Campeonato Brasileiro

38. MARCELINHO

> 2 jogos (1 como titular) pelo Palmeiras
> 2 jogos (1 como titular) na temporada de 2020
> 1 jogo (1 como titular) pelo Brasileiro 2020
> Ainda não jogou pela Libertadores 2020
> 1 jogo (0 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia:18/11/2020 – Ceará 2×2 Palmeiras – Copa do Brasil
Último jogo: 21/11/2020 – Goiás 1×0 Palmeiras – Campeonato Brasileiro
Último como titular: 21/11/2020 – Goiás 1×0 Palmeiras – Campeonato Brasileiro

11. RONY

> 34 jogos (25 como titular), 6 gols e 6 assistências pelo Palmeiras
> 34 jogos (25 como titular), 6 gols e 6 assistências na temporada de 2020
> 16 jogos (11 como titular) e 2 gols no Brasileiro 2020
> 6 jogos (5 como titular), 3 gols e 6 assistências pela Libertadores 2020
> 3 jogos (2 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 29/02/2020 – Santos 0x0 Palmeiras – Campeonato Paulista
Último jogo: 28/11/2020 – Palmeiras 3×0 Athletico-PR – Campeonato Brasileiro
Último como titular: 28/11/2020 – Palmeiras 3×0 Athletico-PR – Campeonato Brasileiro

21. WESLEY

> 23 jogos (13 como titular), 4 gols e 6 assistências pelo Palmeiras
> 23 jogos (13 como titular), 4 gols e 6 assistências na temporada de 2020
> 13 jogos (8 como titular), 2 gols e 2 assistências no Brasileiro 2020
> 3 jogos (2 como titular),1 gol e 3 assistências pela Libertadores 2020
> 2 jogos (2 como titular) e 1 gol pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 15/01/2020 – Palmeiras 0x0 Atlético Nacional de Medellín-COL – Florida Cup
Último jogo: 05/11/2020 – Palmeiras 1×0 Red Bull Bragantino – Copa do Brasil
Último como titular: 05/11/2020 – Palmeiras 1×0 Red Bull Bragantino – Copa do Brasil

29. WILLIAN

> 197 jogos (133 como titular), 52 gols e 20 assistências pelo Palmeiras
> 48 jogos (25 como titular), 14 gols e 4 assistências na temporada de 2020
> 20 jogos (8 como titular), 4 gols e 2 assistências no Brasileiro 2020
> 6 jogos (4 como titular), 3 gols e 1 assistência pela Libertadores 2020
> 4 jogos (2 como titular) pela Copa do Brasil 2020
Estreia: 29/01/2017 – Palmeiras 1×1 Ponte Preta – Campeonato Paulista
Último jogo: 18/11/2020 – Ceará 2×2 Palmeiras – Copa do Brasil
Último como titular: 18/11/2020 – Ceará 2×2 Palmeiras – Copa do Brasil

Cartões Amarelos: Patrick de Paula (PAL);
Luis Cangá, Juan Rojas (DLF)
Gols: Patrick de Paula(28'/1ºT), Gabriel Veron(3'/2ºT), Willian(6'/2ºT), Gabriel Veron(14'/2ºT), Danilo(48'/2ºT) (PAL)

Palmeiras: Weverton, Gabriel Menino, Luan, Gustavo Gómez, Viña (Mayke, 8'/2ºT), Danilo, Patrick de Paula (Zé Rafael, '/2ºT), Lucas Lima (Raphael Veiga, Intervalo), Gustavo Scarpa (Alan Empereur, 31'/1ºT), Willian (Gabriel Silva, 19'/2ºT), Gabriel Veron.
TÉCNICO: Abel Ferreira.

Delfín-EQU: Máximo Banguera, Luis Cangá, Jerry León, Roberto Luzarraga, Charles Vélez, Janner Corozo (Francisco Mera, 10'/2ºT), Julio Ortiz, Anthony Macias (Juan Rojas, 10'/2ºT), Oscar Benítez, Jonathan González, José Valencia (Jairo Carreño, 41'/2ºT).
TÉCNICO: Miguel Zahzú.

  • LocalAllianz Parque

    ÁRBITRODarío Herrera

  • Data02/12 - 19H15

    AssistentesJuan P. Belatti e Cristian Navarro

    Assistentes de vídeoLeodán González

Fonte: Footstats
Desenvolvido por Foursys